quarta-feira, março 31, 2010

A EUROPA DAS CICLOVIA FÁCEIS, BARATAS E UTEIS




« No A-Sul fala-se hoje de ciclovias, mostrando exemplos de outras capitais europeias. Sempre que se fala de coisas boas de outros países que podiam ser adoptadas e adaptadas a Portugal aparece alguém com urticária a dizer coisas como “porque é que não vais para lá morar?”, ou “esse tema não tem interesse nenhum”. Não percebo. Não é possível gostar de viver cá e querer ir melhorando as coisas?

A qualidade de vida que outras capitais europeias têm é consequência das decisões que os seus habitantes tomaram. E mesmo que ninguém pegue no balde do cimento, há uma mudança enorme de atitude se em vez de se dizer que “não vale a pena falar nisso, não há nada a fazer”, se diga “era porreiro se aqui houvesse uma ciclovia, ou um parque infantil, ou uns bancos neste jardim para os reformados ouvirem a passarada a cantar ao entardecer.”
Há decisões que não passam directamente por nós, mas a vontade da comunidade pode ajudar os governantes a decidir melhor. Se há coisa que está nas nossas mãos, é optar entre o discurso derrotista amargo e o do optimismo empreendedor.»

O Blogue Viver Alta de Lisboa tem toda a razão neste texto que publicou sobre o a-sul - Setembro de 2005...pois é, há muitos anos que alertaamos para estas questões e apresentamos soluções - mais os exemplos de que é simples e barato construir uma ciclovia, e também que essa construção significaria uma verdadeira revolução na mobilidade e na qualidade de vida das populações.

Os exemplos em várias grandes cidades da europa (Paris, Bruxelas e Amsterdão por ordem nas imagens) aí estão!

terça-feira, março 30, 2010

NÃO NOS ENGANEM ; É FÁCIL FAZER CICLOVIAS



Só em Portugal é que há uma dificuldade extrema em criar ciclovias , basta ver em Lisboa , a complicação com a construção da ciclovia da Avenida do Brasil que se tem arrastado durante meses , ou a dificuldade extrema que tem sido a efectiva construção de uma rede de ciclovias na margem sul.

Lá por fora as coisas são bem diferentes , prosaicas e pragmáticas vejam algumas das soluções encontradas em Nova Iorque ,na primeira imagem , onde vemos uma faixa de circulação normal, uma faixa de ciclovia e uma outra destinada a estacionamento.

Na segunda imagem uma ciclovia atravesa um dos mais movimentados cruzamentos da Cidade.

Por cá ... porque é tão difícil ?

segunda-feira, março 29, 2010

SEIXAL E O PAÍS DAS PROMESSAS


Passaram quase seis meses sobre as promessas eleitorais do ano passado , mas de algumas , como as prometidas ciclovias nem um metro foi construído, e seria tão simples e pouco oneroso .

- Será essa a razão ?


“Tendo em vista a promoção da mobilidade sustentável e da melhoria da qualidade de vida das populações, daremos inicio à construção de ciclovias, no âmbito do Plano da Rede Ciclável do Concelho do Seixal.”


Na imagem é prometida uma ciclovia para o primeiro semestre de 2006 que não foi ... ainda construída... dificil ?

Em Barcelona fazem-nas assim como a imagem mostra, é por cá assim tão difícil copiar ?

domingo, março 28, 2010

O PAÍS ÁS AVESSAS


Noticia Expresso, excertos , aqui na íntegra (link)

«O advogado Ricardo Sá Fernandes foi condenado pelo Tribunal de Braga a pagar dez mil euros de indemnização ao empresário Domingos Névoa por difamação agravada, ficando obrigado a pagar ainda uma multa de 3000 euros. Em causa estão declarações feitas pelo advogado ao semanário "Sol" em janeiro de 2007, apelidando o empresário de "corruptor e vigarista".

Hoje, o tribunal condenou Ricardo Sá Fernandes a pagar uma indemnização por danos morais ao empresário, montante que representa o dobro da multa de cinco mil euros paga por Domingos Névoa. Há cerca de um ano, recorde-se, Domingos Névoa foi condenado a pagar uma multa de cinco mil euros por tentativa de corrupção do vereador lisboeta José Sá Fernandes

Então, o coletivo de juízes considerou provada a prática de corrupção ativa para ato lícito, considerando que Domingos Névoa pretendia que José Sá Fernandes desistisse da ação popular que tinha interposto contra o negócio da permuta dos terrenos do Parque Mayer, propriedade da Bragaparques, pelos da Feira Popular, propriedade da autarquia lisboeta. »

O Juiz considerou que os epítetos corruptor e vigarista, usados por Ricardo Sá Fernandes, «afetam, de modo intolerável, o prestígio, o bom nome, a credibilidade, a consideração social e profissional do empresário» Domingos Névoa... Qual será então o termo correcto ?

sábado, março 27, 2010

MOITA - O PDM "REVISIONISTA"


Mais uma achega para a saga da revisão do PDM da Moita.

Ou como funciona (na óptica do BE) a democracia e a defesa do interesse público numa autarquia (dita) Comunista-Ecologista . No Jornal da Moita ,
Via Alhos Vedros ao Poder.

Aqui a Palhaçada oficial ... ou como é gerido o território em Portugal , fonte O Rio :

«O presidente da Câmara Municipal da Moita, acompanhado de membros da vereação, deu ontem uma conferência de imprensa para anunciar a aprovação da Revisão do PDM da Moita pelo Governo.

O presidente da Câmara, numa pequena intervenção complementar, explicou que "a aprovação da Revisão do PDM compete aos órgãos municipais. Só quando este instrumento de planeamento está em desconformidade com o instrumento de ordem superior, neste caso o PROT – Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa, é que deverá ser objecto de ratificação pelo Conselho de Ministros.

Em determinada altura, a Câmara poderia desenvolver uma de duas soluções: uma era, após aprovação pelos órgãos municipais enviar a Revisão do PDM para publicação no DR; outra era procurar ainda junto da Administração Central que tivesse em consideração as propostas fundamentadas do município. A Câmara quis evitar o litígio com a Administração Central e optou pelo caminho da ratificação do Conselho de Ministros, que agora se verificou".»

__________________________________


Aqui /(link) o Biosfera da semana que passou, temas ; o Limpar Portugal e o Comboio da Biodiversidade.
_________________________________________



Hoje entre as 20.30h e 21.30h APAGUE A LUZ, é a Hora do Planeta (link) , é simbólico, mas faça-o!

sexta-feira, março 26, 2010

O PAÍS DO ARRASTANSO...


Porque razão seremos o país onde as mesmas questões se arrastam anos e anos, onde se tomam quase sempre decisões contra a lógica e o bom-senso, onde soluções simples são tão difíceis de compreender e se toma o percurso mais longo por exemplo - literalmente - para atravessar uma rua.

Veja um exemplo no Seixal o que foi preciso caminhar para se chegar a uma passadeira de peões atravessável...


Em Junho de 2008 denunciámos a situação insólita de uma passadeira para peões que desembocava num rail (o rail já lá estava quando foi desenhada a passadeira) ...


Não deve ter sido da denúncia do caricato da situação pelo a-sul, mas por outra qualquer razão , que a situação foi emendada nos meses seguintes ...

Não, não retiraram uma secção do rail ... antes, optaram por raspar a passadeira do asfalto!


Foi preciso depois passar muito mais tempo para voltar a pintar a passadeira e finalmente fazer o óbvio... reconfigurar o rail para assim chegármos à primeira imagem .

Era tão difícil fazer o óbvio ? Alguém contabiliza o custo da incompetência ?

quinta-feira, março 25, 2010

PLANTAR PORTUGAL

Tal como divulgámos desde a primeira hora o Movimento Limpar Portugal, aqui apresentamos uma nova iniciativa cívica, o Plantar Portugal - um cidadão uma árvore - depois de tantas campanhas de reflorestação sem grande impacto ou verdadeiras fraudes como a virtualmente , mas não verdadeiramente... levada a cabo o ano passado entre a Revista Visão-link (Visão Verde, Uma revista uma árvore)-link e a Câmara do Seixal.

Caros senhores politicos é em Novembro, mas podem começar a pensar desde já nas fotografias.


«O movimento cívico Plantar Portugal agendou para 23 a 28 de novembro a Semana da Reflorestação Nacional, para a qual está a apelar à participação dos municípios e de voluntários.
A data foi avançada hoje pela coordenação nacional (criada por participantes na iniciativa Limpar Portugal), que pede aos portugueses para "plantar com respeito pela biodiversidade e pelas espécies autóctones".

Segundo Hélio Lopes, um dos promotores, a organização pretende começar já a criar bancos de árvores por concelhos e por equipas que serão depois utilizados na semana nacional. O representante disse à Lusa que a "plantação massiva" servirá também para compensar os habituais incêndios de verão.

O Plantar Portugal conta com o apoio do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade e instituiu este ano o Prémio Árvore de Cristal, entregue na semana passada ao arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles.
Quem quiser aderir oficialmente ao movimento poderá registar-se na Internet (www.plantarportugal.org ). »

quarta-feira, março 24, 2010

ÁGUA


Convém pensar nisto,em Portugal, um dos paises europeus com maior risco de desertificação e onde se constroi sobre aquíferos, se impermeabilizam solos, se arraza com Sítios Rede Natura , se betoniza Reserva Ecológica e Agrícola e se encanam e entulham linhas de água. noticia Expresso, cito :

« Todos os dias, cerca de dois milhões de toneladas de resíduos domésticos, industriais e agrícolas contaminam dois mil milhões de toneladas de água, envenenam a vida marinha e disseminam doenças que acabam por matar, todos os anos, milhões de crianças um pouco por todo o mundo.

De acordo com um relatório apresentado ontem pela ONU , a utilização e o consumo de água poluída matam mais do que todas as formas de violência, guerras inclusive.

"Essas mortes são uma afronta para a humanidade e minam os esforços de muitos países para atingir o desenvolvimento", disse ontem o secretário-geral da ONU . Para Ban Ki-moon. é uma situação inadmissível, porque "o homem já tem conhecimentos científicos suficientes para administrar melhor os recursos naturais".

Relatório "Água Doente"

O relatório "Água Doente", do UNEP-Programa para o Meio Ambiente das Nações Unidas, alerta para a necessidade de adopção de medidas urgentes, tanto mais que as populações urbanas deverão duplicar nas próximas quatro décadas. Os actuais 3,4 mil milhões de pessoas passarão a 6 mil milhões.

A questão é que nas grandes cidades já há carência de gestão adequada das águas residuais, em decorrência do envelhecimento do sistema, de falhas na infraestrutura ou esgotos insuficientes.

O documento da ONU aponta que a diarreia, causada principalmente pela água suja, mata por si só cerca de 2,2 milhões de pessoas por ano, acrescentando que "mais de metade dos leitos dos hospitais é ocupada por pessoas cujas doenças estão relacionadas com água contaminada".

"Se pretendemos sobreviver num planeta com 6 mil milhões de pessoas, que caminham para mais de 9 mil milhões até 2050, precisamos ser mais inteligentes relativamente à administração dos resíduos domésticos. Os esgotos estão, literalmente, a matar pessoas", afirma o director do UNEP, Achim Steiner.»

terça-feira, março 23, 2010

ALGUÉM DEU POR ISTO ?

« Plantar dez mil árvores entre 15 e 21 de Março, mas multiplicar o gesto em acções de sensibilização, é o mote de uma campanha da Comissão Europeia, com diversos parceiros nacionais, entre eles a Autoridade Nacional Florestal e a Associação Nacional de Municípios Portugueses.

O objectivo da Comissão é sensibilizar os cidadãos para as questões da biodiversidade e das alterações climáticas – dois temas centrais da política europeia na área ambiental e da sustentabilidade.


As árvores serão plantadas sobretudo em meio urbano, em acções promovidas por autarquias, escolas e associações locais. Algumas empresas do sector florestal, como a Altri e a Portucel-Soporcel, e de gestão de resíduos, como a Lipor e a Valorsul, associaram-se à inciativa.

Também participarão organizações não-governamentais de ambiente, como o GEOTA e a Liga para a Protecção da Natureza.
Dez mil árvores é um número modesto, perante os milhões plantados todos os anos pelas empresas florestais.

“Temos consciência de que é insuficiente”, disse Margarida Marques, chefe da representação da Comissão Europeia em Portugal. Mas o objectivo, segundo Margarida Marques, é criar uma dinâmica pró-activa e de sensibilização.


Além disso, o projecto poderá lançar outras ideias, como a possibilidade de pessoas ou empresas apadrinharem as árvores plantadas, cuidando do seu futuro. Muitas iniciativas semelhantes levadas a cabo nessa altura acabam por resultar na morte das árvores, por falta de tratamento posterior.»

Ricardo Garcia in PUBLICO (11/3/2010)

segunda-feira, março 22, 2010

ABSOLVIDO...POIS ENTÃO


Lembram-se desta frase (link) proferida pelo presidente da Associação Nacional de Municipios , Fernando Ruas ?

"Arranjem lá um grupo e corram-nos à pedrada. A sério, nós queremos gente que nos ajude e não que obstaculize o desenvolvimento"


Pois a "coisa" meteu tribunal (link) ... e TRÊS!!! anos depois...

« O Tribunal da Relação de Coimbra absolveu Fernando Ruas, presidente da Câmara de Viseu, do crime de instigação pública à prática de um crime, por ter sugerido que os vigilantes da natureza fossem corridos à pedrada


Mais palavras para quê ?
____________________________________________


Pois é , os vigilantes da natureza são um "obstáculo ao desenvolvimento" , e parece que ninguém se importa minimamente por eles para poderem decretar uma acção de luta como os professores , os pilotos da TAP ou outros trabalhadores públicos... não vi pois nenhuma força politica solidarizar-se com os trabalhadores face a esta decisão .

E se os vigilantes da natureza começassem a incitar que nós cidadãos corressemos com os autarcas à pedrada (já que a inversa não é crime) ... porque esses sim , têm sido os reais "obstáculos ao desenvolvimento" efectivo e sustentável do país ?

- Senhor presidente Alfredo Monteiro (Seixal) parece que tem carta branca para mandar correr com os policias da ASAE à pedrada, uma vez que estão a "obstacularizar o desenvolvimento" no seu concelho ao fecharem dois desenvolvidos mercados municipais...

domingo, março 21, 2010

LIMPAR MENTALIDADES



Este fim de semana foi o mote para uma acção cívica sem precedentes em Portugal, e os portugueses responderam ao desafio proposto, "LIMPAR PORTUGAL".



O inevitável de colagem politica por parte de alguns autarcas numa iniciativa de cidadania APARTIDÁRIA pura aconteceu como era de prever, mas espera-se que os autarcas envolvidos ou minimamente "tocados" pela iniciativa façam uma leitura do que ontem aconteceu e saibam estar à altura dos cidadãos que "governam".


Esta iniciativa mostrou que contra a boçalidade, a falta de civismo e o laxismo, há um universo de cidadãos anónimos que sem qualquer contrapartida estão dispostos a contribuír para um melhor ambiente e para um país mais limpo , um país mais exigente que não deita entulho em cada esquina, maquinas de lavar e frigoríficos sobre cada moita e retretes no meio de qualquer pinhal.


Os autarcas devem ler também que devem estar atentos ao espaço público e ao espaço usado pelo público , contribuindo para a manutenção da sua limpeza.

Os cidadãos devem ler que com uma simples acção sua podem contribuir para um mundo melhor, que há serviços municipais que funcionam e que funcionarão ainda melhor com a sua denúncia e colaboração. Que há um serviço exemplar no que respeita a controlo de despejos ilegais e que é o SEPNA da GNR , um serviço e um número a usar sempre que necessário.


Agora com tanta gente envolvida na limpeza do país , é preciso envolver os que sujam, para não o fazerem, para não passarem por vários pontos de recolha de lixo para depois despejá-lo num qualquer baldio ou floresta, para não levar entulhos, restos de obras, sobras de oficinas e todo o tipo de materiais para locais que podem ser de outra forma desfrutados por todos , incluindo os próprios e as futuras gerações.


Agora falta as autarquias limparem o resto, não podem dizer que não sabem, que não viram e aprendam com o método da organização do Limpar Portugal, como é simples referenciar lixeiras ilegais.
__________________________________________

Mais leituras sobre LIMPAR PORTUGAL

- AMBIO

- EXPRESSO

- PUBLICO

- PINHAL DO FRADES

- REVOLTA DAS LARANJAS

- LIMPAR PORTUGAL

- SIC

sexta-feira, março 19, 2010

NOVA POLITICA DE HABITAÇÃO TAMBÉM NO SEIXAL ?


A notícia foi dada com discrição e não teve dos jornais locais , destaque algum, mas vincula a palavra do Presidente da Câmara do Seixal, Alfredo Monteiro , a uma nova politica de urbanismo e de habitação social.

Alfredo Monteiro segue assim recomendações que vêm de vários sectores da sociedade, nomeadamente aqueles que estudam mais profundamente os fenómenos de exclusão e guetização provocada por uma politica errada de habitação social seguida ao longo de décadas nas periferias das maiores cidades.


A notícia a que me refiro reporta-se a declarações de Alfredo Monteiro em reunião de Câmara sendo-lhe atribuídas as seguintes declarações, a propósito dos realojamentos dos habitantes do Vale de Chícharos , Jamaica :

« Estamos à procura de uma solução de realojamento para as famílias de Vale de Chícharos ao abrigo do recenseamento de 1997, procurando encontrar habitações devolutas e através de um acordo com as entidades bancárias. Neste momento de crise que vivemos, a solução não passa por construír novas casas, mas sim por utilizar as que se encontram devolutas, numa parceria que passa também pela reabilitação urbana »

Não podia estar mais de acordo, só discordo na desculpa da "crise que vivemos" , a questão de não construção de mais habitação deve ter a ver sim , com o abandono de politicas guetizantes uma oferta de casas novas que excede largamente a procura , com uma quantidade enorme de casas devolutas e com um parque habitacional degradado e também devoluto a necessitar de reabilitação e de... habitantes , para dar vida a zonas perfeitamente abandonadas ( e devidamente infraestruturas...com escolas desertas... centros de saúde sem utentes...) das nossas cidades.

- Relembro também que são leiloadas pelos bancos 120 casas por semana !

quinta-feira, março 18, 2010

ASSALTOS E VIOLÊNCIA NO METRO SUL DO TEJO



Está instalado entres os utentes do Metro Sul do Tejo um ambiente de medo com a rotina instalada de assaltos e violência. A notícia é de Roberto Dores e publicada no DN (do passado dia 15) : « Os assaltos violentos a universitários do Monte de Caparica sucedem-se, com as vítimas a serem atacadas em paragens do Metro do Sul do Tejo. GNR admite preocupação.

É grande o clima de medo entre os estudantes da Universidade Nova de Lisboa, no Monte de Caparica (Almada), que utilizam o Metro Sul do Tejo (MST), sobretudo durante a noite. A onda de assaltos levada a cabo, regra geral, por dois ou três jovens armados de facas, que residem nos bairros sociais da zona, tem feito inúmeras vítimas junto à paragem mais próxima da faculdade, mas também nos bairros limítrofes.

Trabalhadores da empresa garante mesmo já ter havido roubos e agressões no interior das composições.

João, nome fictício, já foi assaltado, assim que saiu do metro e se preparava para fazer o caminho a pé (cerca de 200 metros) até à faculdade. Dois homens roubaram-lhe a carteira com 20 euros e o telemóvel. Eram 17.30 e noite quase cerrada.

"Depois assaltaram mais gente, mas acho que só eu é que apresentei queixa", revelou o estudante ao DN, admitindo que já este mês logrou fugir à frente de dois jovens encapuzados, que lhe exigiam o computador portátil, também ao cair da noite quando se preparava para entrar numa composição do metro.

O estudante, de 22 anos, residente na Cova da Piedade, decidiu que só vai passar a utilizar este serviço durante o dia. "Quando sair à noite, trago o carro do meu pai. Não dá para andar sempre a olhar por cima do ombro", referiu, embora nem todos os colegas tenham as mesmas possibilidades.

Na paragem junto da universidade, onde existe, inclusivamente, uma caixa multibanco, todos os alunos pedem anonimato para apresentarem um rol de queixas. "Até dava jeito levantar aqui dinheiro, mas quem é que arrisca?", questionava uma das estudantes, que diz ter o privilégio de nunca ter sido confrontada com situações de violência, mas assegura que a colega do lado já teve de dar dinheiro "a uns miúdos de 15 ou 16 anos" que a ameaçaram com uma faca.

A própria Associação de Estudantes admite a sua preocupação face a esta vaga de assaltos que "está a assustar as pessoas", diz o presidente, Bruno Rosado, alertando que "há largas centenas" de alunos a utilizar o metro, o que, segundo ele, justificava a adopção de medidas de segurança.

"Para além de uma melhor iluminação do local, era importante que a MST, a GNR e o Gabinete de Segurança da Faculdade encontrassem soluções para tranquilizar as pessoas, que à noite já têm medo de andar no metro", defende o dirigente associativo dos estudantes.

A GNR admite estar "preocupada, mas vigilante" face ao fenómeno, alertando que quatro suspeitos já foram detidos em Dezembro, mas o clima de insegurança manteve-se e faz-se sentir ainda entre os trabalhadores da empresa, sobretudo ao nível dos operadores de condução das composições de metro.

Os trabalhadores da MST garantem não possuir qualquer protecção contra eventuais ataques de assaltantes, relatando episódios de indivíduos que já chegaram a puxar o manípulo de segurança para travar o metro e roubar alguns dos clientes. "Também há jovens que viajam apenas para estudar os utentes e quando eles saem para rua acabam por os assaltar", disse um dos funcionários ao DN.

A MST assegura que nenhum dos actos de violência ocorreu no interior das carruagens e que, pelo menos até ao momento, não se justifica a aplicação de novas medidas de segurança nas composições ou nas paragens de metro. "Não há nenhuma espiral de violência, mas se isso acontecer, então vamos reagir com os meios que forem adequados", refere, em declarações ao DN, a administração da empresa.»

quarta-feira, março 17, 2010

PINGO AMARGO


A ASAE fez um blitzkrieg no Seixal e de uma assentada, não fechou a esplanada mais imunda do país e arredores, situada na Ponta dos Corvos, mas sim dois mercados municipais, o de Paio Pires e o de Casal do Marco.

Há muito que as condições de insalubridade e higiene foram denunciadas aos responsáveis autárquicos que nada fizeram, mais preocupados que têm estado a passar licenças para as novas grandes e médias superfícies que se têm instalado no concelho , tendo agora a situação desembocado neste processo sumário que , fechados tem prejudicado vendedores e consumidores , mas que abertos constituíem grave risco para a saúde pública.


Mais um exemplo de que a CDU-Seixal anda - como se diz em futebolês - a correr atrás do prejuízo , situação que as duas mais altas figuras do munícipio não conseguiram esclarecer.


Agora, o que acho uma verdadeira pérola é a alegada declaração de Alfredo Monteiro publicada no Jornal Comércio do Seixal, passo a citar :

- « Eu estava em conversações com o Inspector geral da ASAE sobre o assunto e ele foi o próprio a considerar que a acção não tinha sido a mais correcta por parte da equipa ».

Isto só acontece num país que não é (a) sério , faz-me lembrar a guerra do Solnado . Então mas que «conversações» deve o senhor Alfredo ter com o Chefe da Policia ? Interceder para retirarem o processo ? Anularem a inspecção ? Tratando-se de um caso do foro legal, afigura-se-me uma coisa parecida com ... interferência de poderes ...

E das duas uma, ou há razões para fechar os mercados, ou não há, se há , não há que criticar os operacionais envolvidos , ou « falar com o Inspector Geral » a questão é ou há de imediato iniciativas que vão de encontro à resolução dos pontos levantados pela ASAE -
«a exigência de bancas em inox, de circuito de água quente e de arcas frigoríficas, entre outras» - ou há que resolver o caso via judicial . " Falar com o Inspector " faz pensar noutras possibilidades , todas elas pouco formais.

É que se há um procedimento que « não tenha sido o mais correcto» da ASAE , então o senhor presidente ou o seu vice deveriam , em defesa dos lesados , e da própria honra , protestar veementemente recorrendo á sua dourada e eficaz equipa juridica avençada .

Porque não o fazem ? ... Ah já sei, se calhar é como aquela multa que pagou adiantado...apesar da razão estar do seu lado ... pois é , como se diz agora ,
« temos pena ».

terça-feira, março 16, 2010

@ ROLH@


Parece generalizada esta questão da lei da rolha. O Governo tenta calar os que despoletam os supostos rabos de palha de José Sócrates, os Barões do PSD tentam calar os possívei contestatários internos em democrático Kongresso , e no PCP há o conhecido "colectivo"...

Mas nas autarquias há agora uma versão nova e elctrónica que consiste em tirar aos eleitos da "oposição" a capacidade de utilizar os serviços da autarquia e os mails dos trabalhadores... não se vá dar o caso de estes ficarem corrompidos por outras ideias ...
Isto passou-se em pleno século XXI , 36 anos após a revolução de Abril , cito um despacho da Agência LUSA :

«O presidente da câmara do Seixal, Alfredo Monteiro (CDU), mandou encerrar as contas de correio eletrónico dos três vereadores do PS, alegando que "as contas de e-mail da câmara não são para fins político-partidários". A denúncia foi feita hoje por Samuel Cruz, vereador socialista da autarquia do Seixal, durante a reunião pública de câmara, que afirmou que a atitude de Alfredo Monteiro é "um atentado à democracia e que foram postas em causa as conquistas de Abril".

Em causa está um comunicado difundido por parte dos três vereadores socialistas para a comunicação social a partir da conta de correio eletrónico da câmara.
Situação que o presidente da autarquia repudia: "As contas de e-mail são exclusivamente para uso de assuntos que estejam relacionados com a câmara, quer seja para algo que os vereadores tenham a dizer aos trabalhadores ou questões relacionadas com os seus pelouros. Agora, sempre que sejam utilizadas com outros objetivos serão encerradas."

"O exercício da democracia faz-se com os meios ao dispor, cada um que faça a avaliação dos meios que tem utilizado para o fazer, mas através dos meios da câmara não", asseverou Alfredo Monteiro. Fonseca Gil, também vereador do PS, disse ao presidente da câmara: "Não é por este método que nos vai calar."

Samuel Cruz acusou ainda o presidente da autarquia de estar a "censurar os vereadores socialistas" e considerou "lamentável que tantos anos depois do 25 de Abril se ponha o lápis azul nas opiniões do PS". »
__________________________________________________

Isto quando é comum encontrar-se o mais diverso material do PCP nas instalações da Câmara do Seixal. A imagem demonstra-o .

segunda-feira, março 15, 2010

SEM CASTIGO



No passado sábado no suplemento do JN e DN , a revista NS-Noticias Sábado (capa acima reproduzida) , dava destaque a uma série de processos mediáticos que se arrastaram durante anos.

Se alguns tiveram um desfecho com assumpção de culpas, o caso da criança afogada numa caixa de esgoto aberta num espaço público do Seixal, continua a fazer correr rios de tinta. Cito, para melhor conhecermos quem está à frente dos destinos desta autarquia:


«É frequente que os processos mais complexos tendam a ser lentos e difíceis, a culpa é de todos e de ninguém, mas enquanto as coisas não terminam a memória dos factos mantém-se viva e isso agrava o sofrimento dos familiares. Reformar as estruturas e alterar mentalidades pode ser a via para uma justiça mais célere.

NESTA ALTURA da sua existência, Maria João Silva já está plenamente convencida de que a persistência é uma qualidade rara que ninguém lhe pode tirar. Tudo se vai compor, confia ela. Ainda que ninguém lhe restitua o menino perdido para sempre no esgoto da discórdia, a justiça acabará por se fazer de alguma forma, custe o que custar. Para esta mãe, a esperança está há 11 anos ligada à capacidade de acreditar que um dia a dor enorme no peito vai sarar e que o conflito de tribunais não impedirá a família de ser indemnizada e de fazer definitivamente o seu luto. Já chega desta longa condenação que todos os dias a faz sentir que «algo indescritível» lhe deixou a vida do avesso.

«Na altura pensei que fosse possível dar a volta por cima, que a seu tempo este capítulo fosse encerrado sem ter de atingir tais proporções. Mas a volta que tinha de dar já foi dada e foi o que se viu, uma coisa incrível!», desabafa Maria João, cansada de um processo que já dura há mais de uma década e não sabe se vai durar mais onze ou vinte anos. No meio disto, confirma, a única certeza que tem é a de que não vai desistir. «Nunca mesmo. Foi uma criança que morreu, o meu filho, e apesar de nada mo trazer de volta isto não pode passar impune.»

Estava escuro naquela noite de 22 de Março de 1999. Rogério Filipe, de 4 anos, mão dada à mãe, seguia pelo passeio próximo da Ponte da Fraternidade, numa zona em obras a dois quilómetros da estação elevatória de Porto da Raposa, na Arrentela (Seixal), seguro na sua leveza de criança. A dada altura o filho bebé de Maria João chorou, a mãe largou Rogério por breves instantes para tratar do mais pequeno e a garganta arrepanhou-se-lhe num nó irremediável quando percebeu que o seu menino tinha desaparecido. Maria João pensou em rapto, pensou em tudo, só não quis acreditar que Rogério tivesse caído naquela caixa de esgoto destapada há vários dias e sem sinalização, vindo a morrer afogado. O nó nunca mais se desatou.

O primeiro julgamento do caso da criança encontrada morta num esgoto realizou-se em 2005, traduzindo-se na condenação da Câmara do Seixal ao pagamento de uma indemnização de 250 mil euros aos pais da criança. A 17 de Fevereiro desse ano, o presidente da autarquia, a advogada e o funcionário municipal constituído arguido faltaram à primeira sessão. A 13 de Julho, o colectivo de juízes do Seixal, presidido por Manuel Soares, deu como provado que na noite de 22 de Março de 1999 o menino de 4 anos «caiu inadvertidamente numa caixa de esgoto destapada perto da estação elevatória de Porto da Raposa, Arrentela, onde foi descoberto sem vida na manhã seguinte», após ter sido arrastado pela força das águas. A câmara foi condenada, porém, em virtude de alguns depoimentos fundamentais terem ficado mal gravados, foi interposto recurso: o julgamento tinha de ser parcialmente repetido.

Entretanto, na mesma altura em que estava marcada a repetição do julgamento (em Abril de 2006), a câmara seixalense pediu o afastamento do juiz Manuel Soares, acusado pela advogada da autarquia, Paula Pinho, de proferir uma «sentença tendenciosa e mediática». O advogado Paulo Sá e Cunha, que representou o município na recusa do presidente do colectivo, sustentou então existirem «razões objectivas, surgidas depois da leitura do acórdão, que podem levar a que se entenda que o juiz não reúne as condições de imparcialidade para julgar este caso». Vaz das Neves, presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, acabaria por informar que esta instância rejeitou, a 4 de Maio, o pedido de afastamento de Manuel Soares por considerá-lo «manifestamente infundado».

A 27 de Junho de 2007, o julgamento começou finalmente a ser repetido, mas as férias judiciais e a falta de uma testemunha resultaram em novo atraso. Em Setembro do mesmo ano, o acórdão do Tribunal do Seixal reiterou a decisão de a autarquia ter de pagar os 250 mil euros aos pais do menino e o município voltou a recorrer, alegando não ser aquele o tribunal competente para apreciar pedidos de indemnização cível. Em Maio de 2009, o acórdão do Tribunal da Relação deu provimento ao recurso do município e a 9 de Fevereiro de 2010 o Tribunal de Conflitos veio dar-lhe razão.

Paula Pinho sustentou que tal decisão «veio comprovar o que a câmara sempre defendera, ou seja, que os tribunais competentes para decidirem sobre a acção relativa à indemnização são os administrativos e fiscais e não os tribunais comuns». Depois de o único arguido do processo (um antigo encarregado da manutenção e fiscalização da rede de esgotos que trabalhava para a autarquia) ter sido acusado de homicídio negligente e ilibado do crime por não saber, segundo a decisão do tribunal, que a caixa de esgoto estava destapada e não ter recebido ordens para tapá-la, o processo voltou à estaca zero para desespero daquela família.

«Não sei de todo explicar este atraso de 11 anos na justiça, mas é como as coisas funcionam no nosso país e tudo indica que irão continuar», admite Maria João Silva, a braços com a sua antiga dor que não termina, com gastos no processo na ordem dos dez mil euros e com uma nova gravidez que lhe dá forças para seguir em frente, agora que a família e o advogado José Nóvoa Cortez se preparam para voltar a arrolar as testemunhas e mostrar as mesmas provas, confiando que «isto há-de parar algum dia».

domingo, março 14, 2010

É JÁ NO PROXIMO SÁBADO



É já no próximo sábado a maior intervenção cívica jamais realizada em Portugal.

- Você não vai querer ficar de fora.

Todas as informações
aqui (link)

sábado, março 13, 2010

SECOU MAIS UMA TETA


« Os autarcas estão definitivamente impedidos de acumular a pensão antecipada, concedida ao abrigo do antigo Estatuto dos Eleitos Locais, com o salário de presidente de câmara ou vereador.

A decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal Administrativo (STA) em resposta aos recursos interpostos pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) e pelos autarcas e servirá de orientação para processos semelhantes que ainda estejam em apreciação.


Do acordão do STA publicado na passada quinta-feira subscreve a interpertação da CGA : Os presidentes de câmara ou os vereadores que tenham pedido reforma antecipada até 2005, beneficiando de condições especiais, não podem acumular a pensão com um terço do salário nem, em alternativa, receber a totalidade do salário com um terço da pensão ( ... ) »

in Público 12/3/2010 - excertos
______________________________________________

Nota da redacção : Parece que acabou o tempo dos dinossáurios autárquicos pré reformados ... em funções ... tão em voga nesta banda...

Quase que apostaria em algumas debandadas e na ascenção de alguns vices ou delfins ...

sexta-feira, março 12, 2010

NOTICIAS SOLTAS

_

LIMPAR PORTUGAL

«A menos de duas semanas da iniciativa já existem mais de 37.000 voluntários inscritos
O Projecto “Limpar Portugal” é um movimento cívico de pessoas em regime de voluntariado que tem como objectivo limpar as lixeiras ilegais existentes no espaço florestal do nosso país no próximo dia 20 de Março de 2010. Existem neste momento já mais de 37.000 voluntários inscritos na iniciativa, estando estes distribuídos por todo o território nacional e fazendo parte de grupos locais e/ou concelhos.»

_______________________________________


«Os rios portugueses estão perante uma grave ameaça – a construção de 11 novas grandes barragens. 5 das quais na sub-bacia do Tâmega! Por isso, no próximo dia 13 de Março de 2010, sábado, pelas 12 horas, na ponte de São Gonçalo em Amarante, vamos reunir cidadãos, associações, comunicação social e movimentos vários numa grande manifestação de oposição a esta política errada. Participe neste protesto! Saiba mais em http://salvarotamega.wordpress.com»

____________________________________________

RECOLHA DE ROLHAS DE CORTIÇA

« Recolha de rolhas de cortiça permite plantar mais de 5500 árvores autóctones
Na próxima sexta-feira dia 12, pelas 11h, no Salão Nobre da Secretaria de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, na Praça do Comércio em Lisboa, irá realizar-se a cerimónia de apresentação da segunda fase do projecto “Green Cork/Criar Bosques”, à qual está associada uma nova campanha “Entregue as rolhas para plantar árvores”. Serão ainda apresentados os resultados da primeira fase da recolha.»
void
Mais , aqui no site da QUERCUS

quinta-feira, março 11, 2010

H2O - TA


Se alguém ainda tem dúvidas dos argumentos que decidiram a localização Alcochete em vez da Ota para o novo aeroporto de Lisboa , faça um pequeno exercicio turistico . Dê uma passeio até à Ota e surpresa das surpresas, verá por estes dias uma estrutura aeroportuária completamente envolvida por água que chega a escassos metros da actual pista ( a imagem acima é demonstrativa mas fica aquem da situação de hoje 11 de Março de 2010 ) .

Pergunto é como é possível que alguém , tecnica e politicamente responsável se decidiu alguma vez por aquela localização e ainda mais , como é que essa questão se arrastou por tantas décadas...


Outra questão surreal é porque razão no presente, demonstrada que foi a inviabilidade , de um aeroporto na Ota estamos todos nós a pagar indemnizações e compensações financeiras por aquele erro não ter sido cometido, a "investidores" daquela zona.

quarta-feira, março 10, 2010

ÉTICA E CRITÉRIO JORNALISTICO


O comentário no A-SUL que deu um post n' O Jumento :

«Comparem no i de hoje (imagem da direita) o destaque dado para a captura do violador de Telheiras e a denúncia do blogue jumento.
"Capturar" um bloguer (imagem da esquerda ) parece ser um troféu superior, bem superior, à captura pela policia do maior violador do momento.
Ou então, simplesmente as mulheres não são importantes para o jornal i. Joana 7/3/2010»
________________________________________________

O Post de "O JUMENTO" :

« Graças a um comentário no blogue "A Sul" fui ver como o 'i' tratou a notícia do "violador de Telheiras". Para o "i" a suposta identidade de um blogger que foi alvo de um processo há muito arquivado merece uma manchete a ocupar a página, em contrapartida a notícia de um violador que abusou de mais de quarenta jovens merece apenas uma chamada discreta na primeira página.

Fui ler a notícia para saber de mais pormenores sobre o "violador de Telheiras":

«O homem conhecido que a polícia acredita tratar-se do “Violador de Telheiras” vai aguardar julgamento em prisão preventiva, noticia o Jornal de Notícias.

O suspeito, que foi detido sexta-feira, é engenheiro de profissão, tem 30 anos de idade e não tinha registados antecedentes criminais. Antes de ser detido, terá resistido, agredindo os agentes da Polícia Judiciária.»

Tive azar, desta vez o jornal 'i' respeitou os princípios, mesmo em prisão preventiva o violador não passa de um presumível criminoso, tal como os seus familiares e amigos tem direito à sua privacidade. Ficamos sem saber quem é, não vemos a sua fotografia, nem sabemos em que empresa trabalhava.

Comparem agora com o que o 'i' fez na notícia relativa a'O Jumento, apesar de estar em causa um processo arquivado o nome, o local de trabalho e até a fotografia foi divulgada, só faltou o nome dos filhos e nem sequer se deram ao trabalho de desfocar a imagem de pessoas que estavam na fotografia usada na notícia e que nada tinham que ver com ela, a maioria até eram cidadãos estrangeiros.

A conclusão é óbvia: não só a liberdade de expressão incomoda mais a extrema-direita monárquica odeia bloggers como parece que o "bom nome" dos violadores merece a sua protecção. Esta situação não era novidade,. no tempo do fascismo o destaque era dado à difamação dos opositores do regime e quanto a violadores quase não existiam, Portugal era um país de bons costumes.

Os fascistas ainda andam por aí. in. O Jumento »

_____________________________________________

Por nós gostariamos de acrescentar que por cá habita também um fascismo de uma suposta esquerda que bem gostaria de ver o a-sul bem apagado, fechado e o seu autor denunciado em primeira página de um qualquer pasquim bem controlado e posto a jeito... Têm-no tentado e atribuido todas as cores, interesses e moradas.

Não o conseguindo vão tentando um ostracismo e uma describilização que destaques como este de "O Jumento" demonstram estar no oposto do que querem fazer crer.

Tudo o resto aqui denunciado no a-sul , a irracionalidade urbana, a criminalidade, o caos que resulta de uma betonização casuística, a destruição do equilibrio natural ,os bairros sociais problemáticos e guetizados ... obviamente que (em versão oficial da perfeição ) não existem.

Para O Jumento, toda a nossa solidariedade.

terça-feira, março 09, 2010

ALBERTO JOÃO - O ATERRADOR


Menos de quinze dias passados sobre a tragédia da Madeira, nem uma réstia de bom senso , de auto análise ou de autocritica veio ao de cima por parte de Alberto João Jardim ou do Governo regional da Madeira , antes pelo contrário...

Mas não se pode dizer que não era de prever... Alberto João defende agora utilizar os inertes arrastados pelas enxurradas no temporal que assolou a Madeira a 20 de Fevereiro para criar aterros na costa “visa alargar certas zonas de costa do Funchal” e claro, criar novas urbanizações... segundo o PÚBLICO :


« “Quem não concordar tem de me derrotar eleitoralmente ou ao candidato que o PSD apresentar”, avisou.

Para concretizar esta ideia, “vai pegar-se no que sobrou desses entulhos e fazer-se as novas urbanizações que forem adequadas. Claro que isso não pode ser ad hoc, tem de ser um projecto muito bem pensado”, afirmou.

Jardim defendeu que “é preciso que os portugueses se lembrem que a Holanda foi conquistada ao mar, o Mónaco também e que há muitos países cujo exemplo foi a conquista ao mar, que permitiu inclusivamente defender o território já construído”.

Confrontado com as reticências dos ecologistas a projectos desta natureza, Jardim recordou tratar-se dos mesmos que “diziam para não se tirar pedras das ribeiras e vieram as ribeiras em cima de nós”.

“Diziam também que não se deitava nada no mar e a costa desprotegida foi arrasada pelo mar. Portanto acabou e nem quero ouvir falar neles”, acrescentou. »

(...) O líder madeirense afirmou que “o que causou o prejuízo [na intempérie] foi a enorme quantidade de materiais que desde as alturas dos 1600 metros vieram por ali abaixo”.

“É um efeito bola de neve: À medida que desce, o entulho vai provocando cada vez mais derrocadas. Enquanto há uma inclinação os inertes vão-se deslocando mas a partir do momento em que chegam perto do mar às zonas planas ficam depositados”.

“Como não houve nenhuma urbanização nas zonas altas de onde vieram os materiais, certamente quem tenta aproveitar esta situação para fazer política são uns indivíduos execráveis”, acrescentou.

Jardim admitiu que “muita gente na Madeira foi fazendo a sua casinha onde tinha um bocadinho de terreno. Isto já vem dos tempos da Monarquia. Talvez se tenha permitido que, para não terem de comprar terreno novo, fossem construindo naquele que já tinham”.

“Isto é humano e socialmente compreensível. Penso que teremos de sacrificar parte do social para obrigar a uma maior disciplina no ordenamento do território. Mas isso vai ter um preço social grande”, avisou. »

Mas não há ninguém no PSD e no país que mostre a este senhor que perdeu a noção da realidade ?

segunda-feira, março 08, 2010

SEIXAL-AMORA , INCOMPETÊNCIA NA HORA DA MORTE



Acho que a dignidade faz parte da vida, mas também nos deve acompanhar na hora da morte.


É por isso que por várias vezes aqui expusemos a questão inqualificável do cemitério de Feijó - Almada (video acima ) , situação que se mantém inalterável, apesar de se continuar a passar a imagem de um "CEMITÉRIO-JARDIM modelar".

As últimas noticias da forma indigna como a morte é tratada por esta Margem vem agora da Cidade da Amora , concelho do Seixal de onde nos tem chegado relatos ( videos e fotografias ) de alegada incompetência por parte de quem gere o cemitério e é por ele responsável.

A questão , alegadamente tem a ver com algo tão simples como a dimensão das covas que já por várias vezes na altura do enterro se detectam ... ser inferiores ao caixão ...

Isto seria digno do mais puro humor negro, não se tratasse de uma questão base de dignidade humana e de respeito pelos mortos e suas famílias.

Há dias, num enterro , mais uma vez se detectou que o caixão não caberia na cova , diligente, o agente funerário desceu ao buraco para o aumentar, acabando com o esforço por desmaiar na própria seputura, tendo sido assistido no local ... (a dita cova) ... se isto não é indigno, nem macabro , o que será então ?

domingo, março 07, 2010

B( i )FO DENUNCIA " O JUMENTO"


A noticia é do jornal i , que denuncia em primeira página o autor de um blogue ; a noticia é a seguinte:

«O blogue chama-se O Jumento, nome que um autor anónimo utiliza para publicar os seus textos. Depois de uma queixa do antigo director-geral dos Impostos, Paulo Macedo, por alegadas fugas de informação provenientes do interior da máquina fiscal, o autor do Jumento f
oi investigado pela Polícia Judiciária e, depois, pela Interpol.

Não conseguiram desvendar a identidade e a queixa foi arquivada. Mas o i encontrou o autor: chama-se Victor Sancho e é um quadro superior da Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo, do Ministério das Finanças

Leu bem , o furo jornalistico está na denúncia publica feita pelo jornalista , do autor do blogue .



Agora pergunto eu :
- Isto é JORNALISMO ou "BUFARIA" ?


Aqui a opinião do visado "JUMENTO" na primeira pessoa (link) .

sábado, março 06, 2010

LIMPAR PORTUGAL CONTAGEM DECRESCENTE


A Iniciativa de cidadania Limpar Portugal entra na sua recta final .

É já no próximo dia 20 e a a ver com a mobilização dos Madeirenses com a tragédia que lhes bateu á porta , é de prever que esta iniciativa será também por cá um sucesso no empenho por melhores florestas e por um melhor ambiente.


Se só agora sabe desta iniciativa que tem o apoio da Presidência da República , do Ministério do Ambiente e de inúmeras autarquias e se quiser associar , está a tempo (veja mais aqui - http://www.limparportugal.org/ link. Seguem os contactos para os grupos já reunidos para os concelhos da nossa região :

LIMPAR ALMADA : http://limparportugal-almada.blogspot.com/limparportugal.almada@gmail.com

LIMPAR O SEIXAL :
http://limparportugal-seixal.blogspot.com/

LIMPAR O BARREIRO :
http://limparportugal.ning.com/group/barreiro

LIMPAR A MOITA :
http://limparportugal.ning.com/group/mtamoita

LIMPAR O MONTIJO :
http://limparportugal.ning.com/group/mtjmontijo

LIMPAR ALCOCHETE : http://limparportugal.ning.com/group/alcochete

LIMPAR SETUBAL : http://limparportugal.ning.com/group/stbarrbidaverde

LIMPAR SESIMBRA : http://limparportugal.ning.com/group/stbarrbidaverde

LIMPAR PALMELA : http://limparportugal.ning.com/group/palmelao
;

sexta-feira, março 05, 2010

« ESTE PAÍS NÃO É PARA SELF-MADE MAN »


Não poderia estar mais de acordo com o Editorial do jornal i de (1 de Fevereiro) que cito :

«A educação e o contexto económicos dos pais têm influência directa no salário futuro dos filhos. Dito assim, não soa a novidade. Nem quando anexa está a certeza de que Portugal está entre os países da OCDE onde o condicionalismo dos pais é mais limitador para os filhos. Afinal, o crescimento económico desde 1974 atirou a mobilidade social para níveis inéditos. Hoje é mais fácil nascer pobre e crescer rico - ou nascer rico e ser ultrapassado por alguém mais pobre.

Tudo isto é verdade. Os últimos 30 anos foram revolucionários na quebra de barreiras sociais. Mas só 30 anos ainda não chegam.
Comparativamente aos restantes países da OCDE, o país ainda é refém do seu atraso e de três factores estruturais (entre outros) que dependem directamente do Estado.(...) »

Mas por estas bandas temos outra agravante, a necessitade de "proximidade" ou pelo menos "afinidade revolucionária " ao PCP, condição fundamental para muitas aspirações que deveriam significar igualdade de oportunidades no cumprimento da Constituição se concretizarem .
____________________________________________

PARABÉNS

Agora não se trata de compadrio, mas de alguém verdadeiramente competente na tarefa de bem trepar, lembram-se do Banheirense e do que disse do a-sul - relembro alguns adjectivos : «
ambientalista/terrorista político/vendedor de banha da cobra, está numa missão desenfreada para atacar sem nexo e sem sentido as autarquias geridas pela C.D.U. »? Pois aqui está (link)

quinta-feira, março 04, 2010

LISBOA - SEIXAL ... TRATAMENTO DESIGUAL


Foram dois acidentes na via pública em equipamentos da responsabilidade das autarquias . Dois acidentes que fizeram vitimas de tenra idade, perdidas desnecessáriamente, dois jovens iguais na morte , mas cujas familias tiveram tratamento tão desigual nos processos legais resultantes dos acidentes dos quais foram vitimas os seus filhos .

Vejamos:
___________________________________________

EM LISBOA

Em 1997 , em Lisboa uma criança morreu acidentalmente por uma descarga eléctrica de um semáforo quando este premia o botão para atravessar a rua , tinha 14 anos .
O processo atravessou os labirintos da justiça, chegando a estar para arquivamento e em tribunal os pais viram reconhecida a culpabilidade da autarquia e da empresa responsável pela manutenção do semáforo , recebendo uma indemnização de mais de 200 mil euros que usaram para montar uma galeria de arte em memória do filho e uma associação de apoio a crianças vítimas de acidentes.

Hoje, em memória de Ruben Cunha , António Costa , presuidente da CM. de Lisboa inaugurou uma rua com o seu nome.
___________________________________________

E NO SEIXAL ?

No Seixal uma criança morreu na via pública , acidentalmente , tal como Ruben Cunha , não por um choque eléctrico, mas porque caíu numa caixa de esgoto destapada, tinha 4 anos e chamava-se Rogério Filipe .

Os familiares do Rogério, tal como os do Ruben , atravessaram também o labirinto juridico nacional , o caso foi a julgamento e a Câmara do Seixal foi considerada culpada e condenada ao pagamento de uma indemnização de 250 mil euros.

A Câmara do Seixal optou por um outro caminho diferente do da Câmara de Lisboa , não pagando e recorrendo da sentença, obrigando a que a familia continuasse até hoje embrenhada no labirinto legal laboriosamente utilizado pela defesa da autarquia ( paga a peso de ouro pelo erário público ) .

Algo me diz que os pais do Rogério do Seixal jamais verão uma homenagem da parte da autarquia onde vivem, solidária e fraterna com a morte do seu filho como António Costa acaba de fazer com o Ruben de Lisboa.

Até porque Alfredo Monteiro - o presidente da autarquia do Seixal - segundo as notícias que, em recente reunião de Câmara , fez questão de mostrar o seu desagrado quanto ao mediatismo que se tem gerado em torno do caso e sensibilizou para que «não se fizesse política sobre o assunto, porque isso seria misturar uma situação dramática com política».

O autarca rejeitou as suspeitas que foram levantadas e afirmou: «Estamos aqui a falar de um processo que apenas compete aos tribunais avaliar e neste caso o tribunal mais uma vez deu razão a esta câmara.»
A finalizar os esclarecimentos, o presidente da autarquia reiterou que «só aos tribunais compete julgar» e disse também, em relação à comunicação social, que a sua função «não é a de julgar».

Pois eu acho como Português que continuamos a ser um país de duas margens , de dua justiças, de dois tipos de autarcas e de Homens . Definitivamente o Seixal, quanto a justiça ... e quanto ao resto , está na Margem errada.