sexta-feira, junho 29, 2012

segunda-feira, junho 25, 2012

CILOVIAS E MARGEM SUL NÃO RIMAM



Depois de mais uma gigantesca manifestação em prol do uso da bicicleta como assistimos ontem em Lisboa, cidade que se prepara ,  a par de muitas cidades europeias, para iniciar um projecto partilhado de uso colectivo da bicicleta, na Margem Sul continua-se a não investir na construção de ciclovias.


E como o uso da bicicleta de forma segura e ordenada servia a muitos como uma das formas de minimizar a crise usando este meio de transporte alternativo.


Olhando para a imagem dá vontade de perguntar : Quem são os camelos? Afinal a margem sul é mesmo um deserto .

sábado, junho 23, 2012

É VERÃO ... NA CAPARICA !!! ONDE SE CHEGOU !

Novos alertas nos chegam no blogue EmAlmada :


Em...Almada, S. Exª a Presidente da Câmara Municipal, seus amigos, associados e bajuladores políticos (mesmo dos partidos da oposição) em "joint venture"  no Programa Polis, colocaram a Costa da Caparica nos trilhos do futuro que traçaram:
descaracterizar e destruir a Costa da Caparica depois de o Estado ter gasto muitos milhões de euros inutilmente, como se pode ver "in locu".

clique nas imagens para aumentar e ler



notícia do Jornal SEMMAIS 260512

Fala ela "no progresso da nossa terra".
Que progresso?
Quem não é desta terra, está à frente do município, fez o que fez à Costa da Caparica e a Almada, deveria ter alguma vergonha pelos danos que vem causando ao concelho e aos almadenses.
Infelizmente a responsabilidade não é só dela.
Os partidos da oposição local também têm uma grande quota de responsabilidade na destruição do concelho, por lhe servirem de tapete e pelo aval que têm dado, permitindo-lhe a destruição de Almada e a humilhação dos almadenses.

É vergonhoso ver a incompetência apadrinhada e protegida pela oposição.

sexta-feira, junho 22, 2012

"NOVAS" DE ALMADA



Do Blogue EmAlmada :

Em...Almada, a Câmara Municipal cria problemas aos munícipes e depois descarta responsabilidades.
Os munícipes queixam-se e os autarcas dizem que têm solução para tudo ou então até são capazes de afirmar que os munícipes é que não estão a ver bem as questões.
Nas palavras de S. Exª a Presidente da Câmara, existem problemas nos transportes públicos urbanos porque o município não tem competência no regulamento dos transportes. públicos urbanos.
Para quem queria acabar com os transportes rodoviários urbanos  na cidade em benefício do comboio MST, este fundamentalismo é um superior acto de inteligência que só contempla pessoas excepcionais.

Na URSS os comunistas estiveram sete dezenas de anos no poder e nunca resolveram os problemas das populações e dos cidadãos.
Em Almada, os comunistas só estão na autarquia há 36 anos e S. Exª a Presidente  só esta à frente do município há 25 anos...portanto ainda  é pouco tempo para tanta destruição e agravamento das condições de mobilidade e acessibilidades dos almadenses.

quinta-feira, junho 21, 2012

AS BOAS CONTAS

Do Blogue EmAlmada:


Em...Almada, as boas contas municipais são assim, embora os partidos da oposição PS, PSD e BE as aprovem ou deixem passar anualmente.
Lá terão as suas sábias razões.

clique nas imagens para aumentar e ler




notícia de o SEMMAIS 16062012

Contraem dívidas porque o pagamento não sai do bolso desses autarcas, nem nunca serão chamados a assumir responsabilidades por as terem contraído.
Assim a vida é fácil para os autarcas e amigos, mas difícil para os munícipes que terão de pagar dívidas feitas por outros ( os "bons" democratas autarcas). 


EMALMADA agradece a colaboração de cidadão

quarta-feira, junho 20, 2012

SOLSTICIO



Para que não nos esqueçamos dos ritmos da natureza .

Solstício de Verão 2012

Em 2012 o Solstício de Verão ocorre no dia 21 de Junho às 0h09m. Este instante marca o início do Verão no Hemisfério Norte, Estação mais quente do ano. Esta estação prolonga-se por 93,65 dias até ao próximo Equinócio que ocorre no dia 22 de Setembro de 2012 às 15h49m.
Os instantes estão referenciados à Hora Legal. 

Solstícios: pontos da eclíptica em que o Sol atinge as posições máxima e mínima de altura em relação ao equador, isto é, pontos em que a declinação do Sol atinge extremos: máxima no solstício de Verão e mínima no solstício de Inverno. A palavra de origem latina (Solstitium) está associada à ideia de que o Sol devia estar estacionário, ao atingir a sua mais alta ou mais baixa posição no céu.

EM: 2012-06-14

Claro que podemos agradecer às autarquias de "Abril" e aos militantes dos "Verdes" e sobretudo às "Comissões de Utentes" na pessoas da Camarada Luisa Ramos,  o facto do  Solsticio de Verão poder também  ser verificado na Margem Sul do Tejo e em toda a Península de Setúbal. Obrigado Grandes líderes.

segunda-feira, junho 18, 2012

RIO+20



Ainda há portugueses lúcidos:


Mudar radicalmente de vida para cumprir um desenvolvimento sustentável é a proposta do único português convidado para um participal num fórum da cimeira.
17-06-2012 16:24 por José Pedro Frazão, na cimeira do Rio de Janeiro






O sociólogo Boaventura Sousa Santos é o único português a participar nas dez mesas redondas que estão a elaborar 30 recomendações para os líderes políticos que chegam ao à cimeira Rio +20 na quarta-feira (dia 20).

O português interveio no painel sobre erradicação da pobreza, donde devem sair três recomendações. Boaventura Sousa Santos escolheu reduzir o essencial a duas.

“Se levarmos a sério o acesso universal à saúde e as condições que criam uma sociedade saudável, temos de ter uma reforma do Estado e do sistema político. Uma redistribuição da riqueza e um outro sistema de tributação, e, isso sim, pode criar um mundo mais justo. Por isso, em meu entender estas duas recomendações são as únicas que podem trazer uma transformação da economia política do mundo, que também necessitamos para poder atingir os nossos objectivos”, defendeu.

Os líderes políticos vão discutir como pode ser construída essa estrada, que permite que a tecnologia seja conduzida dos países ricos para os pobres. Mas o sociólogo considera que é o Sul que tem a ensinar ao Norte.

“Venho de um continente a empobrecer – a Europa – a precisar de soluções do mundo, que obviamente não está preparada para poder receber. Séculos de colonianismo impediram a Europa de aprender com a experiência do mundo”, considerou.

A erradicação da pobreza foi anunciada como um “conceito problemático” para debate.

“Será isto uma armadilha para não travarmos a verdadeira luta que seria necessário travar contra a concentração da renda, a enorme concentração de riqueza no mundo que está abrindo um abismo cada vez maior entre os ricos e os pobres?. E a concentração da renda é de tal maneira forte que está a contaminar e a destruir as nossas democracias. A corrupção, as transformações de leis em diversos países sob pressão de ‘lobbies’ de multinacionais que operam em diferentes países não são capazes sequer de nos trazer a mensagem de 1992”, afirmou.

Mudar radicalmente de vida para cumprir um desenvolvimento sustentável é a proposta do único português convidado para um forum que começou na Internet e continua na conferência, mas sem políticos ou agências da ONU envolvidas.


Share on facebookShare on twitterShare on emailMore Sharing Services



PARTILHAR

sábado, junho 16, 2012

PRIMEIRA TORRE EÓLICA FLUTUANTE INAUGURADA


Este é o caminho , pena que seja uma no cravo em 10 na ferradura...


É inaugurada este sábado, a primeira torre eólica da EDP em pleno mar. Toda a torre foi desenvolvida por completo em Portugal, dispõe de um diâmetro de 4.3 metros e foi instalada já em águas profundas, a seis quilómetros da costa, no enfiamento da praia da Aguçadoura, na Póvoa do Varzim.
A torre eólica flutuante que hoje será formalmente inaugurada, demorou 2 anos a ser desenvolvida e é o resultado de uma parceria entre diversas empresas tecnológicas, mas também de investimento.
Particularizando um pouco, as empresas envolvidas neste projeto, podemos avançar que a EDP partilha com a Repsol em partes iguais, a liderança do consórcio, detendo 31 por cento.
O fundo Inovcapital detém 21 por cento do capital, e a A Silva Matos e a Principle Power, também fazem parte do consórcio, contando ambas com mais 9 porcento do capital.
Há que referir ainda a contribuição da Vestas, na qualidade de parceiro tecnológico e fornecedor da turbina e o Fundo de Apoio de Inovação, um organismo do ministério da economia que visa apoiar as energias renováveis.
A torre eólica no mar, tem uma capacidade instalada de dois MegaWatts e uma produção estimada de energia de 1.7 GigaWatts/hora, o que permitirá alimentar em termos energéticos cerca de 1300 residências.
Embora inaugurada hoje, a torre eólica ao largo da Póvoa de Varzim, está já operacional há meio ano, depois de em novembro de 2011 se ter concluído a sua montagem.
Empreendimentos deste género passarão a ser apostas da EDP Renováveis para os próximos três anos, pelo que se pode depreender da estratégia apresentada há cerca de um mês pela energética portuguesa.
A empresa quer investir em eólicas offshore e também na tecnologia solar, atualmente mais barata.
Embora as Energias de Portugal tenham já decidido os mercados onde querem vir a estar presentes nos próximos anos. África do Sul, Chile, Perú e México, foram os eleitos. Não se conhecem os países onde a EDP poderá investir nestas eólicas offshore, embora entre os países adiantados, o México seja aquele que à partida tem um maior potencial eólico.
fonte:http://www.microgeracaodeenergia.com

sexta-feira, junho 15, 2012

O PRESIDENTE MAIS DESPOJADO DO MUNDO


Compare-se com a postura de certos autarcas lusos, então os da esquerda caviar ...

"Por Redação

O presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, é considerado o presidente mais pobre do mundo, uma vez que dá 90 por cento do ordenado a ONG do país e a pequenas empresas.

O segredo é manter um estilo de vida com poucos luxos. Mujica vive numa zona residencial de Montevideu considerada de «classe média», escreve o jornal El Mundo.

Casado com a senadora Lucía Topolansky, que também doa a maior parte do salário aos mais necessitados, o chefe de Estado dedica-se ao cultivo flores e hortaliças

Em entrevista ao jornal espanhol, Mujica defende que os 10 por cento que lhe sobram para viver «têm de chegar, porque há outros uruguaios que vivem com menos».

Dos benefícios a que tem direito como presidente, Mujica usa apenas o serviço de segurança com alguns homens na sua propriedade, além de um carro oficial utilizado em eventos oficiais.

Mujica já tinha mostrado a sua solidariedade em maio ao abrir as portas da residência presidencial e um outro prédio do governo a sem-abrigo, devido ao frio que se fazia sentir." (A Bola)

quinta-feira, junho 14, 2012

10 DE JUNHO , O GRITO DE ALERTA




O grito de revolta da Sociedade Civil perante o incómodo dos basbaques do costume e o aparente grande incómodo gestual da senhora aposentada que desempenha o cargo de Presidente da Assembleia e de outros que melhor disfarçaram o clister.

quarta-feira, junho 13, 2012

O CONLUIO 2




Não fomos só nós aqui no blogue como referimos no último post, foi a sociedade civil a denunciar  por exemplo  no Seixal , a quem de direito, ao Ministério do Ambiente e do Ordenamento, à CCDR , aos sucessivos Governadores Civis , ao Provedor de Justiça e ao Procurador da República  à Policia Judiciária etc..etc...etc... situações que de tal forma eram feitas despoduradamente que eram fácilmente desmontáveis e verificáveis.


Porque não avançaram as coisas , porque não foram investigadas situações tão fácilmente detectáveis ou porque as oposições não aproveitaram essa exposição de alguns cidadãos para ír mais longe ?


Ora a resposta aí está : CONLUIO , só pode ter havido neste concelho, neste distrito, neste país MUITO CONLUIO , uma teia bem urdida de interesses e interdependências, e também de medo , de ameaças e no caso do Seixal, também de uma falta de democracia típica do PREC, e que ainda hoje aflora de tempos a tempos (veja-se o que se passou numa recente reunião do PSD em Miratejo ) .


Só que hoje não dá mais para esconder ou para ignorar e esperar que passe , hoje atingimos o fim da linha , hoje quem não denuncia está concubinato com o escândalo CRIMINOSO que se passou e ou pactuam com isso e são CÚMPLICES , ou estão de facto  do lado do POVO que está a pagar tudo isto .


DEFINAM-SE !

terça-feira, junho 12, 2012

O CONLUIO



Durante os anos que dura este blogue , numa altura em que ninguém criticava as "Parcerias" , foram aqui escritos inumeros posts alertando para o que se estava a sobrecarregar as futuras gerações e desmontando uma a uma várias parcerias, memorandos de entendimento sobre a construção "dita" social, sobre as permutas , sobre ajustes directos , sobre offshores, sobre autoestradas que atravessam o pouco de verde que existe em muitas zonas, sobre urbanizações e violações aos PDM ... 


Finalmente , com a factura chegada mais cedo que o previsto agora é tema de primeira página. 


Como cidadão exijo que se vá até às últimas consequências.

sábado, junho 09, 2012

A HORTA DA CASA BRANCA 1


Uma horta na Casa Branca e a Primeira Dama a jardinar ... estava-se mesmo a ver isto por cá pela Tugalândia onde à minima "ascenção social"  se manda logo fazer ..

sexta-feira, junho 08, 2012

AS MENTIRAS AMBIENTAIS





Eduardo Galeano aponta quatro mentiras sobre o meio ambiente

A civilização que confunde os relógios com o tempo, o crescimento com o desenvolvimento, e o grandalhão com a grandeza, também confunde a natureza com a paisagem

Quatro frases que aumentam o nariz do Pinóquio

1- Somos todos culpados pela ruína do planeta.

A saúde do mundo está feito um caco. “Somos todos responsáveis”, clamam as vozes do alarme universal, e a generalização absolve: se somos todos responsáveis, ninguém é. Como coelhos, reproduzem-se os novos tecnocratas do meio ambiente. É a maior taxa de natalidade do mundo: os experts geram experts e mais experts que se ocupam de envolver o tema com o papel celofane da ambiguidade.

Eles fabricam a brumosa linguagem das exortações ao “sacrifício de todos” nas declarações dos governos e nos solenes acordos internacionais que ninguém cumpre. Estas cataratas de palavras – inundação que ameaça se converter em uma catástrofe ecológica comparável ao buraco na camada de ozônio – não se desencadeiam gratuitamente. A linguagem oficial asfixia a realidade para outorgar impunidade à sociedade de consumo, que é imposta como modelo em nome do desenvolvimento, e às grandes empresas que tiram proveito dele. Mas, as estatísticas confessam.

Os dados ocultos sob o palavreado revelam que 20% da humanidade comete 80% das agressões contra a natureza, crime que os assassinos chamam de suicídio, e é a humanidade inteira que paga as consequências da degradação da terra, da intoxicação do ar, do envenenamento da água, do enlouquecimento do clima e da dilapidação dos recursos naturais não-renováveis. A senhora Harlem Bruntland, que encabeça o governo da Noruega, comprovou recentemente que, se os 7 bilhões de habitantes do planeta consumissem o mesmo que os países desenvolvidos do Ocidente, “faltariam 10 planetas como o nosso para satisfazerem todas as suas necessidades”. Uma experiência impossível.

Mas, os governantes dos países do Sul que prometem o ingresso no Primeiro Mundo, mágico passaporte que nos fará, a todos, ricos e felizes, não deveriam ser só processados por calote. Não estão só pegando em nosso pé, não: esses governantes estão, além disso, cometendo o delito de apologia do crime. Porque este sistema de vida que se oferece como paraíso, fundado na exploração do próximo e na aniquilação da natureza, é o que está fazendo adoecer nosso corpo, está envenenando nossa alma e está deixando-nos sem mundo.

2- É verde aquilo que se pinta de verde.

Agora, os gigantes da indústria química fazem sua publicidade na cor verde, e o Banco Mundial lava sua imagem, repetindo a palavra ecologia em cada página de seus informes e tingindo de verde seus empréstimos. “Nas condições de nossos empréstimos há normas ambientais estritas”, esclarece o presidente da suprema instituição bancária do mundo. Somos todos ecologistas, até que alguma medida concreta limite a liberdade de contaminação.

Quando se aprovou, no Parlamento do Uruguai, uma tímida lei de defesa do meio-ambiente, as empresas que lançam veneno no ar e poluem as águas sacaram, subitamente, da recém-comprada máscara verde e gritaram sua verdade em termos que poderiam ser resumidos assim: “os defensores da natureza são advogados da pobreza, dedicados a sabotarem o desenvolvimento econômico e a espantarem o investimento estrangeiro.”

O Banco Mundial, ao contrário, é o principal promotor da riqueza, do desenvolvimento e do investimento estrangeiro. Talvez, por reunir tantas virtudes, o Banco manipulará, junto à ONU, o recém-criado Fundo para o Meio-Ambiente Mundial. Este imposto à má consciência vai dispor de pouco dinheiro, 100 vezes menos do que haviam pedido os ecologistas, para financiar projetos que não destruam a natureza. Intenção inatacável, conclusão inevitável: se esses projetos requerem um fundo especial, o Banco Mundial está admitindo, de fato, que todos os seus demais projetos fazem um fraco favor ao meio-ambiente.

O Banco se chama Mundial, da mesma forma que o Fundo Monetário se chama Internacional, mas estes irmãos gêmeos vivem, cobram e decidem em Washington. Quem paga, manda, e a numerosa tecnocracia jamais cospe no prato em que come. Sendo, como é, o principal credor do chamado Terceiro Mundo, o Banco Mundial governa nossos escravizados países que, a título de serviço da dívida, pagam a seus credores externos 250 mil dólares por minuto, e lhes impõe sua política econômica, em função do dinheiro que concede ou promete.

A divinização do mercado, que compra cada vez menos e paga cada vez pior, permite abarrotar de mágicas bugigangas as grandes cidades do sul do mundo, drogadas pela religião do consumo, enquanto os campos se esgotam, poluem-se as águas que os alimentam, e uma crosta seca cobre os desertos que antes foram bosques.

3- Entre o capital e o trabalho, a ecologia é neutra.

Poder-se-á dizer qualquer coisa de Al Capone, mas ele era um cavalheiro: o bondoso Al sempre enviava flores aos velórios de suas vítimas… As empresas gigantes da indústria química, petroleira e automobilística pagaram boa parte dos gastos da Eco-92: a conferência internacional que se ocupou, no Rio de Janeiro, da agonia do planeta. E essa conferência, chamada de Reunião de Cúpula da Terra, não condenou as transnacionais que produzem contaminação e vivem dela, e nem sequer pronunciou uma palavra contra a ilimitada liberdade de comércio que torna possível a venda de veneno.

No grande baile de máscaras do fim do milênio, até a indústria química se veste de verde. A angústia ecológica perturba o sono dos maiores laboratórios do mundo que, para ajudarem a natureza, estão inventando novos cultivos biotecnológicos. Mas, esses desvelos científicos não se propõem encontrar plantas mais resistentes às pragas sem ajuda química, mas sim buscam novas plantas capazes de resistir aos praguicidas e herbicidas que esses mesmos laboratórios produzem. Das 10 maiores empresas do mundo produtoras de sementes, seis fabricam pesticidas (Sandoz-Ciba-Geigy, Dekalb, Pfizer, Upjohn, Shell, ICI). A indústria química não tem tendências masoquistas.

A recuperação do planeta ou daquilo que nos sobre dele implica na denúncia da impunidade do dinheiro e da liberdade humana. A ecologia neutra, que mais se parece com a jardinagem, torna-se cúmplice da injustiça de um mundo, onde a comida sadia, a água limpa, o ar puro e o silêncio não são direitos de todos, mas sim privilégios dos poucos que podem pagar por eles. Chico Mendes, trabalhador da borracha, tombou assassinado em fins de 1988, na Amazônia brasileira, por acreditar no que acreditava: que a militância ecológica não pode divorciar-se da luta social. Chico acreditava que a floresta amazônica não será salva enquanto não se fizer uma reforma agrária no Brasil.

Cinco anos depois do crime, os bispos brasileiros denunciaram que mais de 100 trabalhadores rurais morrem assassinados, a cada ano, na luta pela terra, e calcularam que quatro milhões de camponeses sem trabalho vão às cidades deixando as plantações do interior. Adaptando as cifras de cada país, a declaração dos bispos retrata toda a América Latina. As grandes cidades latino-americanas, inchadas até arrebentarem pela incessante invasão de exilados do campo, são uma catástrofe ecológica: uma catástrofe que não se pode entender nem alterar dentro dos limites da ecologia, surda ante o clamor social e cega ante o compromisso político.

4- A natureza está fora de nós.

Em seus 10 mandamentos, Deus esqueceu-se de mencionar a natureza. Entre as ordens que nos enviou do Monte Sinai, o Senhor poderia ter acrescentado, por exemplo: “Honrarás a natureza, da qual tu és parte.” Mas, isso não lhe ocorreu. Há cinco séculos, quando a América foi aprisionada pelo mercado mundial, a civilização invasora confundiu ecologia com idolatria. A comunhão com a natureza era pecado. E merecia castigo.

Segundo as crônicas da Conquista, os índios nômades que usavam cascas para se vestirem jamais esfolavam o tronco inteiro, para não aniquilarem a árvore, e os índios sedentários plantavam cultivos diversos e com períodos de descanso, para não cansarem a terra. A civilização, que vinha impor os devastadores monocultivos de exportação, não podia entender as culturas integradas à natureza, e as confundiu com a vocação demoníaca ou com a ignorância. Para a civilização que diz ser ocidental e cristã, a natureza era uma besta feroz que tinha que ser domada e castigada para que funcionasse como uma máquina, posta a nosso serviço desde sempre e para sempre. A natureza, que era eterna, nos devia escravidão.

Muito recentemente, inteiramo-nos de que a natureza se cansa, como nós, seus filhos, e sabemos que, tal como nós, pode morrer.

Eduardo Hughes Galeano, jornalista e escritor uruguaio. É autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas. Suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e História. Sua obra mais famosa é o livro “Veias Abertas da América Latina”.



Atravez do  BLOG PRODUTO DA MENTE.

quinta-feira, junho 07, 2012

DEPOIS DAS DEMOLIÇÕES CONTINUA O ABANDONO


QUINTA-FEIRA, JANEIRO 24, 2008

CRIMINOSO ABANDONO



Há cerca de três anos a autarquia do Seixal deixou o seu parque técnico situado no Fogueteiro para ocupar uma construção propriedade do Construtor A.Silva & Silva e a este grupo arrendada por uma quantia milionária que se arrastará às futuras gerações.

A autarquia elabora actualmente para o local , contráriamente ao expectável (um espaço-corredor verde que ligue a Baía aos Pinhais com eixo no Rio Judeu) mais betão e entre esse betão uma Torre megalómana da autoria do arquitecto Manuel Salgado projecto denominado Plano de Pormenor da Torre da Marinha.

As instalações do Fogueteiro estiveram até há algumas semanas atrás,vazias mas fechadas e vedadas.
Durante cerca de três anos o espaço apesar de desocupado mantinha as suas caracteristicas, com construções que num país e num concelho pobre como o Seixal, sendo propriedade da autarquia podiam ter sido utilizadas para outros fins a bem da população pois são da população património (não dos eleitos) , e podiam assim servir actividades culturais, desportivas, educativas, de lazer...o corpo de Bombeiros...foram simplesmente abandonadas.

De há algumas semanas para cá , alguém tomou uma decisão incompreensível, foi retirada a vedação que envolvia aquela área, e abandonadas as estruturas á sorte de vândalos , desapareceram portas, e janelas, os vidros restantes apareceram partidos ... sem que ninguém vigiasse ou protegesse um património que é do município, que é de TODOS NÓS !

Traficantes e consumidores de droga e outro tipo de criminosos assentaram arraiais ,ocupado aquele espaço , mantendo agora os residentes naquela área preocupados e inseguros, para além de terem perdido por completo o sossego.


Tudo isto responsabilidade e obra total dos responsáveis autarquicos que potenciou, certamente conscientemente aquela situação possivelmente para acelerar criminosamente a degradação do espaço e a vontade de população em aceitar todas as imposições da autarquia.

Culpo da mesma forma os eleitos da oposição ao nada fazerem e ao não denunciarem esta situação.


Isto é um verdadeiro acto criminoso perpretado por autarcas, eleitos, que deveriam por obrigação zelar por aquele património de todos e pela segurança e bem estar das populações.
______________________________________________________
Nota de Rodapé

O Museu de Arte Moderna de Estocolmo situado num extremo da cidade e num espaço corredor verde possui instalações bem mais modestas que as que agora se degradam no Seixal...pois é "eles é que são os parvos..."...eles é que são os pobres , mas para nosso pesar, nem de espirito...

________________________________________________________


Ouça aqui este texto lido por Pedro Rolo Duarte no programa Janela Indiscreta - RDP1

quarta-feira, junho 06, 2012

SEIXAL , ENTÃO O PARAÍSO .

Este é um post de Janeiro de 2008 em que aletávamos para a má gestão do bem público :


A POLITICA DA RUÍNA


Antes...

Parece indiscutível que há no Seixal uma politica da ruína e do abandono rumo a um horizonte a caminho do descalabro.

A opção da autarquia ao abandonar o Parque Auto do Fogueteiro para se tornar inquilina do Grupo A.Silva & Silva é não só imoral e turva - não houve concurso público nem o estudo de outras propostas - não só empenha as futuras gerações, como estabelece um padrão de abandono em relação ao que existia, padrão esse que como aqui foi visto e divulgado nacionalmente é escandaloso.
Como se tal não bastasse a autarquia fez novo negócio, nos mesmos moldes, para a construção dos novos e faustosos Paços do Concelho, de novo vai ser abandonado o edifício actual e muitos outros no centro histórico do Seixal, para - mais uma vez, sem concurso público - a Câmara se tornar inquilina do Grupo A.Silva & Silva. 
Na Europa para além possivelmente da Roménia ... não estou a ver semelhante prática de favorecimento de um grupo económico e desfavorecimento do património de todos... criando um peso possivelmente insustentável para as próximas gerações. Não vislumbro nenhum outro país civilizado e transparente em que isso fosse aceite tão pacificamente por outros...

Resta agora saber se o padrão de abandono registado nas imagens que se seguem nas instalações do Fogueteiro, se vai repetir no centro do Seixal, dos actuais Paços do Concelho às várias dependências que a autarquia ocupa...

Resta saber se com a responsabilidade dos actuais autarcas, tal como no caso das oficinas, o centro histórico do Seixal se vai tornar numa enorme e sem portas e janelas, sala de chuto e de tráfico de droga e albergue de marginais...resta saber també
m, qual o construtor civil que vai ser o Salvador e aproveitar para reconstruír...
Nota- Na passada terça feira até uma perseguição policial entre uma viatura da PSP e uma outra Mercedes ao melhor estilo de Hollywood ali aconteceu!!! A policia levou a melhor com a abordagem dos figitivos nas bombas de combustível da GALP.

AGORA! (Clique sobre as imagens para aumentar)













terça-feira, junho 05, 2012

PÊCÊPÊPÊPÊPÊ's


Pois é, são as PêPêPê à maneira do PCP . Quando achavam que só ía sobrar para as futuras gerações pagarem foi o regabofe " que todos faziam " , hoje armam-se em virgens puras...Francamente !!!


P.S. Os números apresentados pecam por defeito !

segunda-feira, junho 04, 2012

PÊCÊPÊPÊPÊS


Hoje todos se insurgem contra as PPP , o jovem deputado Bruno Dias foi perentório , mas o curioso é que sobre uma das últimas PPP , a agora denominada A33 e cuja obra o senhor deputado acompanhou , o senhor deputado em tempo útil nada pôs em questão sobre o financiamento da obra ou as portagens... ou sequer acompanhou os transtornos que a obra estava a provocar no concelho do Seixal ou no Sapal de Coina , agora é tarde senhor deputado...

 Relembro que sobre as  muito queridas PARCERIAS  , os autarcas CDU/PCP bem que as defendiam e utilizavam... veja-se a construção dita "social" e as obras mastodônicas de instalações camarárias no Seixal.

sexta-feira, junho 01, 2012