sábado, novembro 29, 2008

ESCLARECIMENTO PRECISA-SE


O destacado e histórico dirigente do PCP Vitor Dias , escreveu e publicou no seu blogue O Tempo das Cerejas o texto que mais abaixo se cita.

Este senhor levanta uma questão que se torna necessário esclarecer, qual a responsabilidade da Câmara de Almada nesta iluminação do Monumento do Cristo Rei, patrocinada pela Samsung (ele afirma que não é nenhuma) e nas outras iluminações que ornamentam a cidade de Almada, nomeadamente a árvore de Natal da Praça da Renovação, em relação a estas últimas, sem patrocínio visivel, quem paga a conta ?


Mais informo que no site da Samsung consta a seguite declaração , algo contraditória em relação ao post de Vitor Dias : "Este projecto SAMSUNG contou com o apoio da JCDecaux, da Castros e da Câmara Municipal de Almada. O Cristo Rei estará iluminado todas as noites até 6 de Janeiro. "

Acrescento que no site Meios e Publicidade , a associação que Vitor Dias tão veementemente engeita é no minimo bem aproveitada pela Câmara de Almada para fazer uma colagem ... à iluminação do Cristo Rei.

Passo a citar o post de Vitor Dias , lamento a forma hermética da escrita e as extrapolações características , mas creio que no geral é perceptível a razão das nossas questões :


" Descubro agora, entre o maravilhado e o estupefacto, que um blogue conhecido por desaguar constantemente na falta de lisura, a própósito de uma nova iluminnação do Monumento ao Cristo-Rei, conseguiu escrever esta pérola :

«A Câmara Municipal de Almada e a Samsung, numa aliança entre o PCP e o grande capital internacional, conseguiram dar a volta às cabeças dos bispos e meteram uma saia publicitária e luminosa no JC».

Ficam assim os leitores a saber que, como se está mesmo a ver, a Câmara Municipal de Almada manda no Monumento ao Cristo-Rei ou então que faz receitas de publicidade usando um monumento que consabidamente é pertença da Igreja Católica.

Quanto a «alianças» do PCP com o «grande capital internacional», por mim, violando todas as regras de segredo partidário, aqui confirmo a exactidão da acusação, já comprovada aliás com uma página inteira de anúncio da Coca-Cola no Programa da Festa do Avante! .

Pior ainda: devem os leitores ficar a saber que estas «alianças» são ainda mais sórdidas do que parece pois, ainda muito antes de a lei do financiamento dos partidos a isso o obrigar, já o PCP lidava (e lida hoje) e trabalhava (e trabalha hoje) com bancos, alguns dos quais provavelmente com capital estrangeiro. Palmas, portanto, para estes «revolucionários», ascetas, puristas e franciscanos críticos do PCP!.

Queremos mais ! "

sexta-feira, novembro 28, 2008

A INAUGURAÇÃO 2


A tentativa de cercear os forums de discussão livre , consubstanciada em comentários deixados nas dezenas de blogues de análise da realidade local, nascidos nos últimos anos é só mais uma forma de tentar anular a discussão sobre a politica e as decisões que têm sido postas em prática nas últimas três décadas de poder local dito , Comunista na Margem Sul do Tejo.

A táctica é no fundo , básica , "quem não está por nós , está contra nós" e está contra o desenvolvimento... e está contra o progresso... no sentido de que sejam quais forem as decisões tomadas, elas têm de ser aceites incondicional e acriticamente, o que contrasta com o que poderiamos, à mesma luz, considerar de falta de patriotismo do PCP em relacão ao Governo da Nacão , seja ele qual fôr , democráticamente eleito que não PCP avaliável pelo permanente clima de guerrilha instaurado .

O entendimento local é no sentido de que temos de aceitar , as urbanizacões, os condominios fechados, os golfes , ou demagógicamente, os hospitais que quiserem e onde quiserem , na acepção de que um hospital, seja ele qual fôr e onde fôr , é sempre bom ... não menos falaciosas são as constantes lutas externas pela criação de novas estruturas , de novas estradas , de um novo meio de transporte ... Há é que existir ou inventar um objectivo centrado num "inimigo" externo (o Governo Central) sobre o qual se põe o ónus do seu fracasso , e se aplicam as tácticas de diversão do momento, sempre necessárias para cobrir outras lacunas que convém disfarçar .

O que é perigoso nesta forma de estar na politica, é o não aprofundar das questões fundamentais e reais . Questões como a do hospital por exemplo, não são asim tão lineares pois que como sabemos , quanto a um hospital, não é só a construção de paredes que está em causa...

Por outro lado há um perigoso unanimismo neste comportamento populista e boçal que arrasta para determinados frentismos até a oposição, embora compreensível refém desta postura eleitoralista permanente que é na prática , limitadora da discussão aberta e traduzida no aprisionamento da democracia e das opiniões individuais.


O caso do Aeroporto de Lisboa e alteração da opção Ota por Alcochete deixou claro que num regime democrático, as decisões, mesmo as tomadas há muito e aceites como indiscutíveis , não são inquestionáveis, nem passíveis de não ser corrigidas e alteradas . Por isso , não se entende que a nível local se imponham contra tudo e contra todos opções estranhas, onerosas e contrárias ao bom sensso.

Por exemplo não se compreende a imposição iracional tomada nos percursos do MST . A única lógica estará certamente , neste ser o percurso propagantisticamente mais visível (veja-se o aproveitamento na campanha em exibição nas televisões ) ... mesmo que na prática sejam as opções que menos serve em termos de comodidade , a população .

A mesma opção de show-off , estará na forma e no local onde se pretende construír no Seixal um Hospital em plena Rede Natura 2000 só porque este é o local ,panfletáriamente mais visível da autoestrada.

Tudo isto se pretende fazer , muitas vezes , à margem do conhecimento da população e sobretudo da discussão e do querer das populações , do seu bem estar , da defesa do bem público e sobretudo do interesse público .

Estes são exemplos e métodos de um cacíquismo inaceitável e do que por cá se passa , desejadamente á "porta fechada" e que urge denunciar e ser mudado.


Esta forma de fazer politica , de gerir tráficos de influência , e do que ao comum dos cidadãos se afigura de corrupção, conhecemos de jingeira há mais de trinta anos .
É uma forma de vivência "democrática" que cerceia a nossa capacidade de intervenção politica a um nível de cidadãos europeus de segunda, não é admissível num país europeu no seculo XXI , numa democracia ocidental, não admissivel num país livre.


Esta inevitabilidade indiscutível e inquestionável que se pretende atribuír às decisões CDU para a Margem Sul, são uma forma única e exclusiva de permitir ao PCP servir a seu bel-prazer , as suas clientelas e sobretudo, garantir a sua sobrevivência como partido. Longe está o objectivo de melhor servir a população ou de lhe dar melhor bem estar ou qualidade de vida... estas três décadas têm-no demonstrado.

A Degradação do ambiente, da paisagem e da qualidade de vida nos últimos trinta anos na Margem Sul e a tentativa constante de cercear direitos, liberdades e garantias constitucionalmente salvaguardadas, são disso um exemplo indiscutível.

quinta-feira, novembro 27, 2008

A INAUGURAÇÃO


Tenho cada vez mais agravado o meu handicap de entender uma mente PÊCÊ .

Não falo do Comunismo sob a forma de dogma, de filosofia ou de modelo de sociedade , em democracia a escolha individual é soberana e inquestionável...claro que não o será numa sociedade comunista, mas isso é outra história.


O que me traz aqui hoje não é o Comunismo per-se , será antes a tacanhês PÊCÊ e a forma como vivem este seu parque temático a Sul do Tejo , o resto fica para blogues e intelectuais licenciadamente Comunistas como Vitor Dias que num post recente critica quem considera enquilosado o PCP, quando num post anterior tece elogios... a Hugo Chavez ... e critica o ainda nem investido , Barack Obama...ou ainda a gestão CDU contada aos pequeninos e retardados por Paulo Silva , actual eleito e futuro candidato CDU ... claro...

Dentro desta sua reserva da Margem Sul a governança CDU tem caracteristicas bem menos intelectuais (basta ver os comentários aqui deixados aos "bandalhos" que ousam...discordar) . Muitos são os que aqui comentam , que apesar do diploma que reclamam, são no entanto de um analfabetismo total na leitura da envolvente e da realidade .

E se não conseguem decifrar o que se escreve neste e noutros blogues , como sistemáticamente aqui tentam passar, esse será também um reconhecimento implicito, de que apesar da incontida idolatria , certamente nunca leram Saramago, quanto mais as teses do seu Partido ....


Se soubessem ler ... o mundo , não andariam tão arredados da realidade e saberiam dar respostas às muitas questões que a sociedade civil e a oposição lhe tem colocado ao longo destas três décadas, e as questões são tão simples, tão do senso comum que chega a ser exasperante esta boçalidade e distância do povo e da realidade, por parte de quem autárquicamente nos governa.

A proximidade do poder ao povo está não nos presidentes de Câmara ou vereadores , veja-se como abordam o Povo em reuniões de Câmara ou Forums de "discussão" , mas delegam esse contacto com o povo aos seus intermediários musculados e trauliteiros , quer verbalmente , quer e fisicamente, aos caceteiros do costume , aos controleiros empre tentos , enfim aos centuriões acéflos, sempre disponíveis na defesa dos seus interesses.

Exemplos deste autismo autárquico, há-os ás dezenas , muitos têm sistemáticamente aqui sido abordados mas o mais actual é exempo suficiente , refiro-me ao Metro Sul do Tejo que é inaugurado HOJE , ontem foi só para o PODER (mais uma contradição Comunista...ou não) .


A realidade é que , o que vai ser inaugurado hoje, vai sê-lo com três anos de atraso , 36 meses acrescidos de inconvenientes para o trânsito, para os cidadãos (com vitimas mortais) , 156 semanas de irreversíveis e inúteis transtornos para o comércio e muitos milhões de euros deitados para o lixo e que iremos pagar dos nossos impostos.

Entretanto temos também um ano e meio de exploração faz de conta, em que o Metro , por não servir ninguém naquele percurso andou vazio... a experiência do fiasco serviu para , rumo ao sucesso, restringir ou retirar outros transportes de Almada daqui para a frente , o desvio, do tráfego privado da via central de Almada ...

Concorrência ? Nada mais fácil ... se a moda pega , teremos a Câmara a mandar fechar o supermercado da marca C e D para viabilizar a A , uma vez que comercializam o mesmo tipo de produtos... filosofia que se pode replicar em muitos outros campos... ou formas de pensar...


Nada disto tem explicação , eles pelo menos não se dão ao trabalho de a dar, até porque qualquer ser , com o mínimo de bom senso , ou sem o caracteristico senso PÊCÊ , não descrutina aqui nenhuma lógica , nenhum sentido ... (continua)

quarta-feira, novembro 26, 2008

CORTA FITAS



No tempo do Fascismo a alcunha do então Presidente Américo Tomaz era a de corta-fitas pois a sua utilidade pública e politica passava em grande parte por inúmeras inaugurações...

Hoje a moda é outra , corta-fitas, há-os na mesma mas agora são mais ministros...e so
bretudo autarcas... com essa função , aliviando o Presidente para coisa mais graúda , até porque se "inaugura" a mesma coisa várias vezes...

Hoje vamos ter com pompa , circunstância e ministro , mais uma inauguração do Metro Sul do Tejo !

Num dia em que os cidadãos , sem máquina propagandistica a seu favor incitam ao protesto , protesto contra um Metro mal feito , contra um Metro que não serve a população , contra um Metro que não circula nas zonas mais povoadas, contra um Metro que custou mais do que o previsto, que se atrasou mais do que seria admissível (e todos sabemos porquê) .

Incita-se ao protesto contra um traçado que
amputa Almada , que é uma gincana que limita o tráfego, que bloqueia o trânsito atraz de autocarros que deixaram de ter um sítio para parar ( vulgo paragens) , um traçado feito contra a vontade das populações, que as prejudica e que não as serve.

PROTESTEMOS ENTÃO !

O Apelo a que damos também eco é o seguinte :

DIA 26 COLOQUE A SUA FAIXA OU PANO PRETO À JANELA!

________________________________________________



A inauguração foi o que se previa, uma encenação do PCP local à qual o ex PCP Lino deu o seu contributo, lá estiveram também presentes a Comissão de Utentes da PCP Luísa Ramos e os descontentes do Arsenal ...

De resto tapou-se o Sol com a peneira , os erros do projecto ficaram na gaveta e novas promessas foram dadas , a chegada ao Fogueteiro (pela Atalaia ?) ao Barreiro , ao Lavradio ...

E lá estiveram os do costume, a Emília e o Alfredo ... belo dia!

terça-feira, novembro 25, 2008

MAS PENSAM QUE SOMOS PARVOS ?


É recorrente na Margem Sul sermos banhados por uma propaganda de que vivemos num paraíso entre o Tejo e o Mar , e não podíamos deixar de estar mais agradecidos , qualquer crítica é injusta ou reconhecendo-se a sua justeza , devemo-nos remeter à freguesia para não denegrir o excelso trabalho autárquico aqui desenvolvido.

Claro que o regíme é o da auto-avaliação e as maravilhas cantadas pelos líderes supremos estariam ao nível das maravilhas Norte Coreanas , não fosse essa coisa reaccionária que é a imprensa livre .


No entanto , as campanhas de propaganda , inundam-nos diáriamente com descrições do local onde vivemos, onde nascemos , ou onde acidentalmente só passámos , que não correspondem à realidade palpável e observável , mas sim a uns slogans que nos pretendem convencer
daquilo que a realidade não consegue , da Almada Cidade do Turismo , à Cidade do Conhecimento ... tudo tem sido permitido.

A ultima destas campanhas custou 700 mil euros ao erário público e o logotipo é um A amputado , tal como A - lmada está amputada da sua via principal de comunicação , amputada da sua vida.

Inenarrável é esta campanha que nos pretende convencer que o Centro de Almada é o centro nevrálgico e comercial do concelho e da cidade , depois de se terem permitido grandes superfícies por tudo quanto é sítio , depois de se terem arrastado para além do razoável e expectável as obras do MST e com isso se terem provocado vagas de falências e de ence
rramento de lojas... é obra.
Agora que cortaram dezenas de árvores e as substituíram por arbustos , covindam-nos a visitar um Centro Comercial com flores verdadeiras ( com a imagem de umas dúzias de malmequeres ) ...

Mas pensam que somos parvos ? Ou que não vivemos cá ?

segunda-feira, novembro 24, 2008

METRO SUL DO TEJO - ERROS TRÁGICOS


Há mais erros na nova via desenhada no eixo viário principal de Almada, , para que não haja dúvidas, refiro-me à via que liga pela mais curta distância e maior largura , o Centro Sul a Cacilhas.

A referida via foi estreitada , "pedonalizada" e secundarizada, retiraram-se lugares de estacionamento e adicionaram-se duas vias férreas .

As opções que foram tomadas na execução do projecto trouxeram problemas já detectados por alguns cidadãos e divulgados na blogoesfera , bem como nos muitos foruns de discussão já realizados. Os alertas existem e são do conhecimento da Câmara Municipal de Almada , que nada , ao que parece , pretende reconhecer, emendar ou corrigir.

As consequência que se antevêm são pois da sua total responsabilidade!

Há ainda que sublinhar do novo desenho da via e na arrumação do espaço o seguinte , a circulação de veículos de emergência sempre que tal seja necessário ou o combate a um incêndio urbano por exemplo.

Outras questões têm a ver com a situação que foi já aqui referenciada anteriormente, e que é o uso do espaço público por invisuais. Os invisuais perderam nesta "pedonização" , pontos de referência e a via conhecida e bem definida transformou-se num gigantesco e perigoso deserto .

Se quem vê tem dificuldade em descodificar aquele espaço (observe-se como andam perdidas as pessoas), imagine-se os cegos !

Deixou de haver lugares bem definidos para atravessamento de peões, deixou de haver semáforos , e quem sai por exemplo das arcadas do central vê-se subita e imediatamente dentro da faixa de rodagem.

Todo aquele espaço tranformou-se num perigo para todos , mas sobretudo para crianças e idosos porque cria a falsa sensação de que se trata de um espaço exclusivamente pedonal , e não o é , é preciso não esquecer para quem atravessa a via que tem que contar não só os carros , mas com o metro que se desloca a uma grande velocidade.

Tudo isto se teria evitado com o metro subterrâneo no centro de Almada como sempre foi aqui defendido , mas há que repensar todo aquele espaço em vias de ser inaugurado oficialmente porque são muitos e graves os novos problemas surgidos.

domingo, novembro 23, 2008

A DITADURA DA MINORIA MAIORITÁRIA


Estrondosa vitória pírrica da maioria política e eticamente derrotada !
____________________________________________________________

Por: Movimento Cívico Várzea da Moita


A maioria dos Membros da Assembleia Municipal da Moita (AMM), composta por todos os eleitos nas Listas CDU, e propostos pelo Partido Comunista Português/PCP e pelo Partido Ecologista os Verdes/PEV, assegurou sexta-feira 21 Nov '08 na AMM uma estrondosa vitória, ao votar em bloco de 19 vozes contra 13 da oposição, e assim aprovando o Projecto de novo PDM da Moita.


A oposição na AM Moita é composta por eleitos nas Listas do Partido Socialista (PS), Bloco de Esquerda (BE), e Coligação Construir o Futuro - Partido Social Democrata (PSD), Centro Democrático Social (CDS-PP) e Movimento Partido da Terra (MPT).

Ao longo dos debates verificou-se clara e objectivamente ter-se tratado de uma vitória da maioria de facto política e eticamente derrotada.


Com efeito, os argumentos dos vencedores foram de uma debilidade, inverdade, ilegalidade, pobreza, confusão e logro político atrozes. Apenas visaram esconder o facto amplamente demonstrado e que tem sido constatado pelos mais diversos sectores e entidades, a saber, que o Projecto de PDM aprovado é o PDM da aliança na Moita entre o PCP e as grandes Empresas e Empresários da especulação financeira e urbanística, contra as populações, contra o solo rural e contra o solo ambientaslmente protegido, e a favor de milhares e milhares de novas casinhas de tijolo e betão, em zonas de muito alcatrão, polvilhadas de dezenas de parques logísticos, tudo às moscas.


Por isso, o seu estrondoso êxito pareceu a muitos dos presentes ser mais um estertor político e uma estonteante vitória pírrica, sem grande motivo para contentamentos dos vencedores.

Prevê-se ser esta mas uma vitória, a seguir a outras vitórias dos Eleitos do PCP local que todos os dias aqui atraiçoam o programa, a história e a cultura desse seu Partido, no caminho certo para a sua derrota ética e política total na Moita.


De notar que a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional – Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT) enviou à Câmara Municipal da Moita a 10 Nov '08 um Parecer, ao abrigo das suas competências legais, onde enumerou dezenas de violações, desconformidades e inadequações do Projecto de novo PDM da Moita, face a numerosas Leis e face a outros instrumentos de gestão do território, eficazes e de nível superior.
No termo do seu Parecer, que retomou em síntese os pontos de um outro Parecer de CCDR-LVT de 11 Julho '08 exactamente na mesma linha, a CCDR-LVT avisou os responsáveis da CM Moita para o facto de se tratar de um Parecer "desfavorável", que acompanhará o envio do Projecto de PDM da Moita ora aprovado pela AM Moita para a apreciação pelo Governo, com pedido de apreciação governamental para efeitos de ratificação ou não ratificação, a suscitação da CCDR-LVT.

No final desse seu Parecer de 10 Nov '08, a CCDR-LVT alertou solenemente a CM da Moita para o disposto nos artºs 101º[1] e 102º[2] do DL 380/99, na sua redacção actual[3], caso o PDM fosse aprovado em desconformidade com o PROT-AML.
Antes, no dito documento, a CCDR-LVT escrevera que a Proposta de Revisão do PDM da Moita revela desconformidade com Instrumento de Gestão Territorial eficaz – especificamente com a Rede Ecológica Metropolitana (REM) do Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa (PROT-AML), nas áreas de programação P1-06 e P1-27, bem como nas UOPG 1, 2 e 3". Este aviso da CCDR-LVT foi ignorado pelos representantes da CM da Moita e pela maioria CDU na AM da Moita na noite de 21Nov '08. No início dos trabalhos, Rui Garcia, Vice-Presidente da Câmara teve o arrojo de dizer à Assembleia, em substância, que "o Projecto de PDM respeitava o PROT-AML".

E o Presidente da Assembleia Municipal da Moita (AMM), Joaquim Martins Gonçalves, iniciou os trabalhos falando de um só lapso e de uma só desconformidade (por lapso) entre o Projecto de PDM e a lei e outros instrumentos de gestão territorial eficazes. O mote para o logro e a inverdade estava dado.

De notar que a lei determina a invalidade dos planos directores municipais em determinadas circunstâncias. Esclarece a Lei serem nulos os planos elaborados e aprovados em violação de qualquer instrumento de gestão territorial com o qual devessem ser compatíveis ou conformes.

Para tal pode ver-se os artºs 101º[4] e 102º[5] do DL 380/99, na sua redacção actual[6].
Para saber mais, visite-se por favor A aprovação final global do Projecto de novo PDM da Moita pela maioria silenciosa do PCP na Moita é 1 acto nulo, pelo Artº 102º do DL 380/99 de 22 Set

22 Nov '08
Movimento Cívico Várzea da Moita

sábado, novembro 22, 2008

O TRANSPORTE ÚNICO DO REGIME


Com o aproximar do dia da inauguração do funcionamento "em pleno" do Metro Sul do Tejo começam-se a definir algumas situações que terão impacto futuro na vida dos cidadãos.

Primeiro foi a brutal supressão da circulação de veículos automóveis retirados sem apelo nem agravo da principal via de comunicação encaminhados agora para vias secundárias onde o caos se instalou.


Agora há notícia de que serão eliminadas várias carreiras de autocarro em percursos coincidentes com os do MST .


- Gostava de saber se isto é ou não uma forma de "promover" o MST como o transporte oficial do regime , não por opção, mas por imposição ?

- Será esta a unica forma de rentabilizar o MST ?
- Será esta uma boa forma de melhor servir a população quer em termos tarifários , quer de conveniência ?
- Imaginam a Carris em Lisboa suprimir carreiras porque o Metro passa nos mesmos percursos ?

Se isto não é contra todas as normas de concorrência , e de livre escolha dos cidadãos, então não sei o que será ...

Para além disso , o futuro Transporte Único está já a ser instrumentalizado pelo PCP quando vemos a sua militante Luísa Ramos encabeçar Comissões de Utentes utilizando já o Metro Sul do Tejo como arma de arremesso politico abrindo mais uma frente de luta com o Governo , agora com questões tarifárias que só por má fé estão só agora a ser equacionadas.


- Para quando tem o PCP agendada a primeira greve no MST ?

Depois de tudo isto só falta mesmo ver Maria Emilia Sousa como Presidente do Metro Sul do Tejo ... veremos !? ... tudo indica que sim .

sexta-feira, novembro 21, 2008

MOITA - MOVIMENTO CÍVICO RESISTE AO PÂNTANO DA INÉRCIA



A população da Moita e o seu Movimento de Cidadãos continua , apesar de todo o desgaste que o "sistema" impõe, indeflectiv
el na defesa da sua terra. No início deste mês reuniu com a Governadora Civíl de Setúbal que segundo o Jornal Público :

« A governadora civil de Setúbal, Eurídice Pereira, confirmou ontem, através de uma porta-voz, que vai expor o caso da revisão do Plano Director Municipal (PDM) da Moita ao ministro do Ambiente e Ordenamento do Território. A decisão foi tomada após uma reunião com o Movimento Cívico Várzea da Moita, que tem vindo a contestar as principais orientações do processo de revisão do PDM, em curso há cerca de dez anos.


O movimento considera que o projecto do novo PDM "preconiza uma errada política de solos e um pior desordenamento do território concelhio", estando repleto de "ilegalidades". Segundo os moradores, está em causa um documento e uma estratégia que "vota ao abandono o miolo urbano das localidades, com zonas centrais envelhecidas e desertificadas", algumas das quais foram das mais belas do país e hoje são das "mais degradadas em termos urbanísticos".


Com esta revisão do plano, o movimento alega que 400 hectares de solos rurais, pertencentes à Reserva Ecológica Nacional e à Reserva Agrícola Nacional, vão passar a solos urbanos, passando a integrar novas zonas urbanizáveis.


Em comunicado emitido no início do mês, a associação ambientalista Quercus, considerou também que as alterações defendidas pela Câmara local "não corrigem os erros cometidos, mantendo-se uma tendência do PDM em fomentar a expansão urbana à custa da destruição de vastas áreas ambientalmente sensíveis e de elevado valor ecológico e patrimonial, até agora reservadas".»

Entretanto foi tornada pública nos últimos dias a posição da CCDR sobre a revisão do PDM da Moita, divulgada dias antes da Assembleia Municipal agendada para hoje (sexta-feira dia 21) e que segundo aquele movimento de cidadãos :

« O doc da CCDRLVt (que tem inconsequências e contradições internas graves, e que revela subliminarmente debilidades sensíveis e falhas gravíssimas na actuação em todo este processo por parte da CTA, da CNREN e por consequência da própria CCDRLVT), é legalmente mortífero para João Lobo, Rui Garcia, para as Empresas e Empresários ligados à CM Moita e seus Projecto de PDM e Protocolos.

E por ser legalmente mortífero para a Direcção política da CM Moita, é também é políticamente mortífero para ela, e para a maioria que a suporta.
Chegadas as coisas onde chegaram, é a morte política do PDM de João Lobo, Rui Garcia, para as Empresas e Empresários ligados à CM Moita, e com a morte política do PDM virá por arrasto a derrocada política dos seus responsáveis.»

Ou seja, a novela vai continuar , mesmo se toda a gente já viu qual o negócio, quais os objectivos a que se pretende chegar com as alterações propostas no PDM , mesmo se são expostas e tornadas públicas as alegadas irregularidades e falhas processuais a novela vai continuar minando a Democracia, a Justiça, o Estado de Direito , e as populações ...

Não se compreende que um documento tão ferido aparentemente de legalidade de irregularidade e seguramente de moralidade por todos , continue os seus trâmites no sentido de uma aprovação contra tudo e contra todos , ou numa tentativa desesperada de salvar a face a quem deu a cara por ele , politica e institucionalmente

É isto que a CDU entende como Trabalho , Honestidade e Competência ?

quinta-feira, novembro 20, 2008

METRO SUL TEJO - ERROS MÁGICOS


Por mais magia que se queira atribuír à Câmara de Almada e aos arranjos pedonais e de circulação inscritos na obra do Metro Sul do Tejo , continuam, a menos de uma semada da inauguração oficial, por resolver problemas e questões fundamentais das quais resultaram erros grosseiros de projecto,ou de supervisão.

Uma das questões continua a ser a drenagem de águas pluviais, as sarjetas, na zona referenciada no mapa , são escassas e estão mal colocadas , a linha do metro está numa corta superior a alguns estabelecimentos , o que transforma isto num cocktail que quer localmente, quer nas zonas mais baixas de Cacilhas e Cova da Piedade, terá repercurssões quando chover com maior intensidade , na imagem abaixo, na recém terminada Rua Luiz de Queiroz, vemos os mesmos erros da restante envolvente.


Outra questão tem a ver com a circulação , como se refez todo o desenho de via e não foram previstas nem ciclovias , nem paragens de autocarro onde os autocarros possam descer e subir passageiros sem que todo o trânsito tenha que ficar parado atrásde si , o que provoca , atrás de cada autocarro , uma verdadeira peregrinação de veículos (primeira imagem) .

Outra questão que demonstra o erro que é este projecto, tem a ver com o atravessamento da Av. Bento Gonçalves, na antiga zona do Pão de Açucar (imagem acima) .

De manhã é o pandemónio total , o tracejado na via que devia informar os automobilistas está apagado ou em muito mau estado, sobretudo para quem tem o Sol de frente , depois e sem que de tal se aperceba, fica-se ensanduichado entre um semáforo, as várias linhas com composições a passar de um lado e de outro , e com outro semáforo mais abaixo e com a policia a "ordenar" o trânsito já na rotunda do Centro Sul ... um verdadeiro caos... e nem tem chovido , nem tem havido toques , nem o metro está a trabalhar em pleno ... isto é só com o percurso de e para a ... Universidade , com bom tempo e sem incidentes/acidentes... vai ser giro quando todos os factores se conjugarem...

quarta-feira, novembro 19, 2008

ALMADA , AFINAL É MAGIA...


Afinal não é incompetência, não é autismo , não é ditadura, muito menos pode ser má gestão do bem e do interesse público ou corrupção , afinal tudo se resume a uma palavra : - MAGIA !

De um dia para o outro acabaram as obras, o metro vai circular , tudo vai funcionar (excepto o que depende do "Poder Central") , vamos ter neve, patinagem no gelo , foguetes, muitas luzinhas e muita festa , a magia vai fazer voltar a vida a Almada , a magia vai de um dia para o outro repovoar Almada , dar qualidade de vida a Almada.

A magia é mais do que isso, é uma crença e uma crença não se discute, não se questiona , a Maga Emilia garante, assume, cumpre.

A Maga Emilia não ouve criticas , porque a sua magia as anula , não tem oposição porque a sua varinha a faz desaparecer .


A Maga Emilia não erra porque mais do que Maga, é uma Fada que antecipa e adivinha , transforma , determina , ordena
.

A Maga Emilia tem na sua Câmara os trabalhadores mais felizes, mais realizados, mais satisfeitos com o seu patrão, a Comissão de Trabalhadores só pode existir para dar vivas à magia do bem estar ... e para lutar contra o "Poder Central" .


A Maga Emilia diz que é silêncio o que os outros ouvem como ruído , diz que é movimento o trânsito que agora não corre , diz que são verdes as ruas que agora não têm árvores.


A Maga Emília vê comércio nas lojas fechadas , vê animação nas ruas desertas , vê jovens numa cidade que envelheceu, se despovoou porque Emilia um dia fez magia em transformar campos agrícolas, pomares , pinhais em novas cidades que esvaziaram a cidade antiga , um grande Forum Comercial que asfixiou o comércio tradicional.


Agora com toda essa "magia" nos quer fazer, como crianças acreditar , que agora... agora é que vai ser , que a "sua magia" tem de continuar...


- E você, ainda acredita ?

Aqui a MAGIA pela própria (clique) .

terça-feira, novembro 18, 2008

UM PAÍS QUANTAS LEIS?


Portugal é um país pequeno , com menos habitantes do que a Grande São Paulo ,mas é uma nação antiga e um Estado de Direito reconhecido como tal.

No entanto parece por vezes haver dois pesos e duas medidas na aplicação das leis, veja-se o caso em análise. A notícia acima publicada no Público de 12 de Novembro dá conta de que da pintura de um mural partidário resultou a condenação dos seus autores, militantes da JCP.


No Seixal (imagem acima) aconteceu exactamente o mesmo e nada aconteceu .

Não deixa de ser curiosa a interpertação da lei feita pela advogada dos "pintores" , a ex. deputada Odete Santos e que pode ser lida no artigo do publico (clique sobre a imagem para aumentar).

A diferença é que a Câmara de Viseu entendeu que o património público estava a ser vandalizado e que estava a ser indevidamente afixada, propaganda politica . No Seixal parece que esse "direito" , por ser o PCP , se sobrepõe a tudo o resto, apesar de perto daquele local, o PCP dispôr de espaço público ordenado (outdoors) para afixação daquele tipo de propaganda.

Ou seja, parece haver quem entenda existir , uma lei e um território do PCP diferente de tudo o resto, com bandeira e tudo ...

Só que , no mundo real, não há territórios exclusivos do PCP ou de qualquer outro partido... Há Portugal , que é um Estado de Direito , pelo menos reconhecido como tal .

Logo , acredito que não haja ninguém acima da Lei... e que mais tarde ou mais cedo essa lei , por vezes sentida como ausente, actue...

Num caso como este, a advogada de Viseu , até poderia brilhar perto do palco da sua festa... mas território de todos.

segunda-feira, novembro 17, 2008

PARAGENS SUICIDAS

Os senhores autarcas do Seixal imaginam os seus familiares naquela paragem?
EN378 ,nó do Fogueteiro junto ao cartaz recentemente notícia nos media.

"Esta é uma área densamente povoada, com grandes exigências de mobilidade, e, num quadro de crise petrolifera, é fundamental incentivar a utilização do transporte publico..."
(Francisco Lopes, deputado PCP , Maio 2006 )

Data também já de 2006, o nosso alerta aqui deixado sobre as condi
ções em que decorre a utilização dos transportes publicos no concelho do Seixal, nomeadamente na Estrada EN 378.

É um perigo a que ninguém, há demasiado tempo não altera nem põe cobro, situa
ção repetida inúmeras vezes nos concelhos da Margem Sul , paragens sem sítio para estar, sem abrigo , garantido , só o perigo de optar e ali aguardar por transporte público e de lá chegar (ás paragens...) , pois não há sequer passadeiras de peões na maioria dos casos.

Esta não é certamente forma de incentivar o uso de transportes públicos.

Um tema sobre o qual recentemente o PSD no Seixal , apresentou uma moção INCOMPREENSÍVELMENTE REJEITADA pela maioria CDU !.

Pelo que continua a ser actual o nosso alerta de 6 de Agosto de 2006 , escrevíamos então:

PARAGEM DE AUTOCARRO SUÍCIDA


Na altura da entrada em funcionamento da fase inicial do Metro Su
l do Tejo (1 de Maio 2007) , a Câmara do Seixal veio a terreiro denunciar várias "imperfeições" no projecto, imperfeições essas que atentariam contra a segurança dos utentes, nomeadamente , entre outras, em zonas de embarque e desembarque.

Percorrido todo o percurso desde essas alegações, parece-me como utente, que na linha em funcionamento , é , pelo menos ao nível dos arranjos esteriores, ao nível da qualidade das zonas de entrada e saída de passageiros, um projecto exemplar (sobre outros casos , já os abordámos e continuaremos a abordar).

Oportunamente denunciámos que a atitude da CMS era pouco séria, e uma mera e habitual manobra de marketing e propaganda, assim o era que não se ouviu falar mais do assunto e no primeiro dia lá estava Alfredo Monteiro ao lado de José Sócrates .

Denunciámos também situações como esta que ocorrem no concelho do Seixal, sem que ninguém se preocupe. Como cidadão, acusarei a Câmara do Seixal de responsabilidade caso haja um qualquer acidente no local da imagem, Fogueteiro, Estrada EN 378/ EN10, Seixal Sesimbra, junto ao nó do Fogueteiro e zona comercial.

É nas condições que as imagens documentam que os cidadãos utilizam aquela paragem de autocarro, sem uma passadeira de atravessamento da via (atravessamento que é obrigatório para lá chegar), sem um local seguro ou sequer abrigado para aguardar pelo autocarro (e a câmara tem algumas destas estruturas em armazém, até usadas, que poderia ali instalar em poucas horas.
Toda esta realidade contrasta com a recusa de Alfredo Monteiro e da CM do Seixal em aceitar na véspera da inauguração a primeira fase do MST, pois tetectava em apenas 3Km de via férrea , 264 erros , incluindo, arranjos exteriores e paragens do metro, ora estas, comparando com as dos operadores rodoviários e a estes permitidas pela CMS, são exemplares.

Pergunto ao senhor Vereador das acessibilidades , vice presidente da autarquia e futuro candidato :

- Quantos erros detecta nas paragens cujas imagens se apresentam?
- Que medidas vai tomar ?
- Como foram resovidos os erros apontados ao MST ?
- Vai haver novo apelo a manif. dia 27, véspera de inauguracão do total da rede do MST ?

Paragem de autocarro que serve o Rio Sul , a maior superfície Comercial do Seixal,
não há passadeira, abrigo, espera-se em plena faixa de rolagem junto ao rail.



domingo, novembro 16, 2008

O NATAL É QUANDO S.MARTINHO QUISER

foto EmAlmada

Agora temos Natal durante mais de dois meses, começa no início de Novembro e extingue-se bem depois do Ano Novo, as novas regras do comércio, ou da crise assim o determinam, claro que na véspera de Natal já não há paciência para o Jingle Bells ou para a Silent Night.

Se ainda se compreende o desespero que vai para os lados das catedrais do consumo, não se compreende, nam muito menos há pachorra para que o "espirito" natalicio invada o espaço das nossas ruas com quase dois meses de antecedência , com milhões de luzinhas e um gasto absurdo de energia e com estruturas metálicas cónicas monstruosas a que chamam Árvore de Natal , geralmente baptizadas de "A maior..." de um lado qualquer.

Este ano Almada entrou na onda e resolveram plantar uma dessas estruturas monstruosas em pleno centro da cidade, atamancada entre as obras do Metro e os prédios de habitação da Praça da Renovação.

Olhar para aquilo é um verdadeiro exercício de inversão da escala urbana , e humana, uma aberração em termos de localização e de dimensão , mas os grandes decisores assim o decidiram, os grandes arquitectos acharam que ficava ali bem e a conta de tudo aquilo , electricidade incluída há-de-se diluír em mais um negócio qualquer, se calhar com direito a algum fogo-de-artifício incluído.

sábado, novembro 15, 2008

CARTA ABERTA AOS ALMADENSES

Transcrevemos de http://inflorescencias.blogspot.com/ o post de 12 Novembro de 2008, "Carta aberta aos Almadenses", enviada pela autora e moradora local, a um jornal que se publica diariamente.
Carta aberta aos Almadenses

Avenida Bento Gonçalves, outrora principal avenida da cidade e entrada da mesma

Caros concidadãos,

Fazendo eco do mote vindo do outro lado do Atlântico, sim, nós podemos! Podemos, sim, podemos e devemos questionar aqueles que, alegadamente, nos representam e a quem entregamos os nossos impostos, suor e lágrimas na presunção de serem usados no bem comum, sobre o que de facto deles fazem.

Num país governado, no que a impostos respeita, a garrote e canga, onde o ditado se subverte enquanto damos a uva para no-la restituírem em parras, é urgente inquirir sobre decisões comprovadamente erradas.

E hoje tenho, tal como muitos de vós, imensas questões a levantar sobre o designado Metro ligeiro na cidade de Almada.

A primeira e que nos perpassa pela mente sem que tenhamos de ser engenheiros, bastando-nos o bom senso, é; como foi pensado o traçado escolhido? Ou melhor, foi o traçado deveras “pensado”?

A minha dúvida reside no facto de terem transformado a entrada principal da cidade, por isso mesmo a mais movimentada, numa via secundária de uma única faixa para cada lado, com escolhos sinuosos travestidos de paragens, atravessada por duas linhas do “moderno eléctrico” – que poderiam ter sido soterradas - e cujos semáforos em hora de ponta se limitam a alguns segundos de intermitência, com os engarrafamentos que isso acarreta.

Como se não bastasse, ainda transfiguraram pequenas ruelas interiores em ruas principais, sem espaço ou sentido, muitas delas obrigando a volteios intermináveis por dentro da velha cidade sem destino plausível, apenas isso mesmo, volteios sem chegar a lado algum.

Ruelas outrora pacatas, marcadamente vivenciadas pela população mais idosa da cidade, e que se vêem, em nome duma suposta requalificação, lotadas de carros, alguns perdidos no labiríntico devaneio de quem o idealizou, e as expectáveis buzinadelas de gente já à beira de uma crise de nervos.

Se isto se passa com o cidadão que se desloca para e do trabalho, imagine, quem ainda não testemunhou, o problema das viaturas de emergência; trancadas entre veículos que não têm para onde se esgueirar a fim de dar passagem àqueles sobre quem pesa a necessidade premente da urgência. Lastimável? Não, vergonhoso!

Não querendo ficar por aí, todos sabemos como a edilidade pilhou os estacionamentos da cidade em nome duma outra ideia de progresso, a mobilidade.

E afirmo pilhou porque todos nós pagámos esses estacionamentos aquando da compra da casa pois, para quem não o saiba, as envolventes das edificações são pagas pelos construtores das mesmas que, por sua vez, vertem esse custo no preço final dos imóveis.

Hoje, esses estacionamentos pagos não são mais do que empedrados grotescos e ondeantes com pseudo definição de arte portuguesa, sem qualquer outra serventia senão a de esperar que alguém se passeie sobre eles, quiçá em busca da cidade perdida, e com outra virtude escondida, a de amplificar os sons da cidade.

Ainda antes, essa mesma edilidade instituiu uma espécie de polícia camarária cujo objectivo, leia-se multas, é conseguido por meio de emboscadas e autênticas esperas ao “infractor”. Se tudo isto não é uma forma de pilhagem, perdoem-me mas o meu dicionário não lhe atribui outro vocábulo, provavelmente por notória falha minha de português.


Mas não expiram aqui os erros no que toca às pretensas Requalificação e Mobilidade sem falar de outro atentado às mesmas feito no famigerado triângulo da Ramalha.

Depois de muito acesos fóruns de eventual opinião pública, depois de debatidas, estudadas, escolhidas e autorizadas opções mais viáveis, eis que sujeitam as ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes à mais completa devassa dos direitos de qualquer cidadão deste país.

Para além da perda dos estacionamentos para cerca de uma centena de automóveis, o designado canal do metro imiscui-se entre os prédios roçando portas principais e entradas para garagens, transformando o que antes era uma zona aprazível, até chamada nobre, numa salganhada de linhas, postes, semáforos, sinais de trânsito – quais palitos espetados num pedaço de queijo – e dificultando uma simples descarga de compras ou tornando o arrumar do carro na garagem numa missão quase impossível.

E aqui subjaz a segunda questão: com que argumentos se convenceu, ou se deixou convencer, o Estado, dono da obra, a optar por uma solução mais cara e muito mais fracturante na qualidade de vida dos munícipes, se já havia autorizado a proposta dos mesmos?


Ora, se com as denominadas “Requalificação e Mobilidade” estamos como aqui se descreve - recorrendo a novo ditado, é caso para dizer que foi pior a emenda do que o soneto – passemos à terceira e última questão, mais do que pertinente; desconhece o executivo camarário o ruído ensurdecedor do guinchar metálico e perfurante das rodas nos carris do transporte apresentado como silencioso?

Não, não desconhece porque muitos de nós já fizeram chegar o seu desconforto, para dizer o mínimo, ao dito cujo executivo.

Mas como em tudo o mais que se refira a interpelações dos munícipes, a noção de democracia da edilidade não lhe permite sequer acusar a recepção do correio electrónico, quanto mais responder-lhe.

E quisera eu falar apenas na estridência de ferro contra ferro, agora já se lhe juntou uma espécie de martelar profundo, como se as rodas das composições fossem quadradas. Não tem sido possível dormir, ou simplesmente intentar fazê-lo, com semelhante vizinhança, ainda em testes, e eis que estamos no século XXI, num Estado de direito no qual os cidadãos são tidos em conta tão-somente a cada final de mandato.


Tenho votado neste executivo, confesso antes que me atribuam intenções escusas, pelo que assumo a minha quota-parte de culpa neste desastre e não, não estou contra o Metro, estou contra o que dele fizeram. Mas nunca é tarde para mudar e recuperar a dignidade. Mataram Almada, que não matem a nossa voz!

Posted by GMaciel

sexta-feira, novembro 14, 2008

A OBAMAFOBIA DO PCP


Durante o auge do segundo mandato da administração Bush, havia algo que preocupava mais a blogoesfera local ligada ao PCP do que as posições do presidente americano ... Al Gore (clique) e os seu alertas sobre as consequências do aquecimento global , as criticas ás posições ambientalistas atingiram o máximo quando o Comité Nobel atribuíu a Gore e ao Painel das UN sobre as alterações climáticas , o prémio Nobel da Paz de 2007.

Nem a administração Bush ou o lobbye das petrolíferas foram tão longe nas criticas ao ex. Vice Presidente .

Mas o PCP é um partido que realmente sabe surpreender, e tem sido no minimo interessante acompanhar o pós-eleições americanas e constatar das posições do Partido, quer através de Comunicado Oficial, quer , e sobretudo, através da opinião publicada na blogoesfera , de onde destaco Vitor Dias que esta semana publicou um pequeno texto exemplar do que de facto , mais do que a eleição de Obama , incomoda o PCP, passo a citar:

As novas formas de

"propaganda negra"

Se não estou equivocado, embora hoje o termo possa não ser politicamente correcto, há umas duas décadas chamava-se «propaganda negra» àquela que os seus verdadeiros autores e beneficiários não queriam assumir como sua e divulgavam sob formas anónimas ou com autorias convenientemente inventadas. Como seria de calcular, com a Internet, isso ainda passou a ser mais fácil, mais intenso e diversificado, bastando para o efeito criar uma série de sítios que funcionam como coadjuvantes de forças ou grupos políticos. Foi o que em aconteceu em barda nas recentes eleições presidenciais norte-americanas (...) »


Para memória futura e para que não haja qualquer dúvida, fica aqui a posição oficial , diria que Obamofóbica, do PCP:

« A gigantesca operação produzida a propósito das eleições presidenciais nos EUA não pode ser desligada da actual crise do capitalismo – que tem tido particular expressão nos EUA – e das várias tentativas em curso que procuram reabilitar o sistema capitalista e o papel da potência hegemónica que os EUA constituem no plano internacional.

Não ignorando diferenças entre os candidatos republicano e democrata, a verdade é que ambas as candidaturas não disfarçam o seu vínculo a um projecto de dominação no plano económico, ideológico e militar do mundo.

Para o PCP a eleição de Barack Obama como presidente dos EUA está longe de corresponder às expectativas que a gigantesca campanha mediática mundial procurou criar para construir a ilusão de uma mudança e de uma viragem na política dos EUA e do seu papel na esfera internacional. »

Gabinete de Imprensa do PCP
_________________________________________________














A progaganda recente do PSD no Seixal fazendo um apelo ao Voto , aproveitando de certa forma uma certa colagem à eleição e até à imagem de Barack Obama deve ter sido também considerada por alguém como "propaganda negra", daí ao vandalismo foi um instante, sobretudo depois d
o outdoor do PSD ter sido referenciado pela Comunicação Social.

Os tempos que aí estão são tempos de mudança, só renegada por quem há muito manda , quer e pode contra tudo e contra todos.

Também são tempos que não dependem de
outdoors, esses podem danificar, vandalizar ou até proíbir, o mundo hoje é outro os meios hoje são diferentes.

HABITUEM-SE ! A MUDANÇA VEM AÍ !


__________________________________________________


Comemorar o aniversário de um orgão de comunicação escrito é obra, o 1º ano de um jornal local é um feito . Ao Comércio do Seixal e Sesimbra, Parabéns !

quinta-feira, novembro 13, 2008

O CAOS NÃO SE RESOLVE, AGRAVA-SE



O Concelho do Seixal é um caos em termos de circulação viária, a causa está como é óbvio no desmesurado crescimento urbano e populacional ao qual não correspondeu uma melhoria equivalente de vias de comunicação .

A entrada no Fogueteiro é um martírio diário que não se pode evitar até chegar ás ramificações que depois vão lentamente distribuindo o tráfego, primeiro a saída junto á Galp , depois o cruzamento Seixal /Torre da Marinha e todos os outros que partem do eixo principal que é a EN 10.


Ora acontece que deparamos esta semana com o encerramento de uma dessas entradas, a primeira acima mencionada, junto à GALP do Fogueteiro e que servia O Bairro dos Lirios ( acessos á Escola Secundária, a Vale de Chícharos ...) a partir da Rua Estácio da Veiga, algo surreal e que está a revoltar a população .

A população residente considera insensata aquela decisão da Câmara do Seixal que vai provocar mais poluição , mais gasto em combustível para além dos reflexos na vida local de muitas empresas ali instaladas e que ficarão sériamente prejudicadas por aquela incompreensível alteração do trânsito e dos acessos.

Quem ali vive vai ter que entrar nos semáforos junto à Cooperativa Agrícola , seguindo depois por uma rua que geralmente está p
ermanentemente obstruída , situação que se vai agravar pois todo o trânsito que entrava pela via agora cortada vai ter de passar também por ali criando mais uma situação de bloqueio em toda a EN 10.

Além do mais , com estas obras não só continua por resolver o acesso dos moradores daquela área residencial, à zona comercial, ali bem perto como vêem esse acesso por via pedonal, quase intransponível,
a não ser de automóvel!

Assim se trata a mobilidade pedonal e a circulação rodoviária no Seixal, assim se fecham mais umas empresas no Seixal e se cria mais desemprego .



É visivel na imagem o problema agora criado , para quem viva no centro geométrico daquela zona e fazia o percurso mais curto ( a verde) , vai ter agora que optar pelo acesso a amarelo ou a vermelho, qualquer um deles obrigando a percorrer uma maior distância e quer um quer outro percurso, muito congesationado ao final da tarde.

Isto para os residentes , para as empresas ali estabelecidas é a certidão de óbito, bem como para os empregos ali existentes.
_______________________________________________


O Milagroso sistema de saúde Cubano visto por dentro (clique) , e lá não há quem se manifeste.


_______________________________________________


INADMISSIVEL













O Vandalismo sobre
o oudoor do PSD a apelar ao voto nas próximas eleições!

quarta-feira, novembro 12, 2008

O DESCALABRO E A CORRUPÇÃO


Ao longo de 13 dias, apresentámos algum do descalabro em cena há mais de trinta anos na Margem Sul , numa altura em que para além dos casos apresentados , se alinham para a região , mais uma meia dúzia de projectos (clique) mediáticos de enormes dimensões e reprecurssões na vida de todos nós.

As suas consequências têm a ver, com a nossa qualidade de vida e desenvolvimento, mas também com as economias de todos, os que, com sacrificio, compraram casa nesta Margem Sul , na medida em que a oferta de construção é já superior à procura, levando a uma queda brutal nos valores de avaliação das habitações mais antigas, com reflexos directos no bolso de cada um de nós,desvalorizando um valor que todos até há muito pouco tempo tinham como seguro. Uma situação agravada pela crise imobiliária e financeira Internacionais.

A propósito do Descalabro diagnosticado nesta Banda , incompreensível quando há mecanismos de PLANEAMENTO , regras de URBANISMO e ARQUITECTURA e mecanismos de PROTECÇÃO AMBIENTALe GESTÃO TERRITORIAL , meditemos porque razão tudo parece afinal ser ignorado, relendo um artigo publicado pelo Professor Paulo Morais, ex. Vereador do Urbanismo da C.M. do Porto, publicado no passado dia 29 de Outubro no Jornal de Noticias, passo a citar:

« Há já alguns anos que venho denunciando junto do Ministério Público crimes cometidos em Portugal, ao nível do urbanismo e do ordenamento do território. A sua existência, à vista de toda a gente, não carece de prova. O cenário propaga-se por todo o país: mamarrachos que desfeiam a paisagem, uma pressão imobiliária que compromete a qualidade de vida colectiva.

Quem, como eu, conhece as teias que a corrupção tece neste domínio tem o direito e o dever de identificar os casos, os responsáveis e os culpados. Assim, ao longo de anos, venho carreando para o sistema de Justiça documentos que atestam os crimes, os actores políticos envolvidos e os empresários que tentam (ou conseguem) corrompê-los. Venho ainda explicando de forma detalhada como se urde esta malha, quais as conexões entre Administração Central e Local, por um lado, partidos políticos e interesses económicos, por outro.

O resultado da corrupção, apesar das suas múltiplas e imaginativas formas, resume-se sempre a um de dois tipos: na alteração aos instrumentos de planeamento "a pedido", valorizando terrenos dos poderosos que controlam os partidos; ou em autorizações e licenciamentos de operações urbanísticas que nem sequer cumprem os referidos planos e, por isso mesmo, ilegais. Estas são hoje as formas mais sistemáticas de transferência da riqueza que é de todos para as mãos de alguns, tornando os ricos cada vez mais ricos à custa de pobres cada vez mais pobres.

São situações deste tipo que denunciei junto do sistema de Justiça. Em primeiro lugar, porque é a este que se deve sempre recorrer num estado de direito democrático, por muito moribundo que esteja. Em segundo lugar, porque entendo que é meu dever de consciência ética permitir que todos os que venho acusando possam defender-se no local próprio, ou seja, nos tribunais. Qualquer acusação noutro contexto teria contornos de linchamento popular, que eu não poderia permitir e muito menos alimentar.

Volvido todo este tempo - após inúmeros depoimentos no Ministério Público, em Lisboa, no Porto, na Polícia Judiciária - penso que é tempo de clamar por justiça. Já o fiz nos locais próprios. Tomo agora a iniciativa de o fazer publicamente.

Por ora, em meu nome, e por imperativo de cidadania, peço justiça. Mais: em nome de todos quantos empobrecem à mercê destas máfias que nos dominam, exijo-a. »