quinta-feira, abril 26, 2012

FALTA LIBERDADE AO SUL DO TEJO



Quando se cuprirá Abril a Sul do Tejo ? 


Como ontem se viu nas comemorações ditas da "Liberdade" nos concelhos da margem sul, continuou-se na propaganda pura e dura e nos gastos sumptuosos numa altura em que se passa fome na região e no país.


No Seixal continua-se a atirar areia para os olhos, ou seja com a construção do hospital e em Almada, com o Metro mal projectado e à beira de fechar por dívidas até à EDP , fala-se de crise e de falta de dinheiro como discursou a dona Maria Emilia  , para logo depois mandar queimar centenas de milhar de euros em 20 minutos de fogo de artifício. Desculpem lá , mas não está com nada !!!


Mais valia empregar esse dinheiro numa ajuda " de Abril " às muitas instituições e aos muitos carenciados desta região negligenciados pelo poder autárquico para quem "pior" é melhor ...


Deixo aqui um comentário  postado ontem por um leitor e que traduz o sentimento real da população, subtraindo é claro a minoria que suporta há décadas estas "maiorias" CDU.



"Felicito os capitães de Abril que proporcionaram ao povo deste país poderem viver em Liberdade.
Repudio as atitudes do Partido Comunista Português que na margem sul onde é poder tem sido uma força de opressão contra quem não milita naquele partido. A Liberdade nos concelhos comunistas não foi ainda uma realidade. E tal como a ditadura de direita que esteve 48 anos no poder em Portugal, em 25 de Abril de 1974 caiu, a ditadura comunista nas Câmaras Municipais da margem sul há 38 anos também cairá e nesse dia a Liberdade será finalmente uma realidade para os concelhos agora com gestão de ditadura comunista. O Partido comunista não cumpriu a Liberdade.

Bem haja aos militares de Abril."

segunda-feira, abril 23, 2012

BALANÇO


a-sul

8 anos

213072 visualizações de páginas 
2617 mensagens
20990 comentários
300 média diária de visualisação de páginas

É este o balanço frio e objectivo que fazemos da existência do a-sul, entretanto 
a blogoesfera viu aparecer novas formas de interacção social massivas como sejam
o twiter  o facebook e o youtube  (plataformas onde o a-sul também está) , o tumbler ...


Entretanto trouxemos aqui questões de fundo e imediatas que têm a ver com todos nós,
e com o futuro da região e do país.

Alertámos a seu tempo para o erro para onde caminhávamos no «desenvolvimento»
assente no crédito (dito fácil) em expectativas erradas e na delapidação esquizofrénica de 
recursos escassos e finitos.


A nível local , apesar de o PCP ter eleborado um programa lúcido « rumo ao século XXI) 
de a CDU ter um programa eleitoral ecológicamente ancorado , assistimos nas autarquias 
CDU que dominam territorialmente a margem sul do Tejo aos mesmos desvios de capitalismo
selvagem com laivos ultraliberais na gestão do território, claro , gerido com pinças na premiação
de alguns eleitos com alterações criminosas e/ou dolosas do uso do solo ou com ajustes 
directos e contratos com tanto de danosos como de pura vaidade campónia.


E chegámos aqui. O país e a região , onde localmente alertamos para os PDM com direitos
de construção absurdos, ainda mais agravado com apêndices de ainda mais construção em 
explosão de Planos de Pormenor à la carte.


À medida que se construía (num pais com demografia negativa) em esquema unicamente com 
critérios piramidais ou de alteração ( com ganhos milionários ) de uso do solo (Quita da Trindade
 por exemplo, mas não só ) onde começaram a proliferar como cogumelos urbanizações a esmo, 
e  até exclusivos condomínios fechados,  ao mesmo tempo residentes mais antigos , nomeadamente
 nos cascos históricos , viam as suas zonas abandonadas as suas casas desvalorizadas, muito 
antes da crise e da Troika e agravadas com esta.


Entretanto o verde ía-se consumindo, nascia mais uma desnecessária autoestrada com traçado
mudado a belprazer de um ou dois interesses e ignorando o PDM e o ambiente e prejudicando 
muitas famílias, mais uma Parceria que "todos" defendiam e  que vamos pagar para além das 
portagens onde todos metem a cabeça na areia para não abordar.


Entretanto a vaca sagrada sebastianista , leia-se o "Hospital" não passava de mais uma promessa
feita por quem não tinha legitimidade para o fazer, tal como muitas outras promessas que não
passaram dos folhetos de propaganda .


Em todos estes anos só houve , embora por concretizar , uma promessa ambientalmente 
sustentada , o anúncio de um Parque Natural no Barreiro e com uma área considerável 
 . Toda a restante politica de todas as outras autarquias da região, Barreiro incluído
 tem sido de terra queimada, onde o "verde" é visto  unicamente como suporte para 
mais cimento e alcatrão, ou o alcatrão dos interesses do Governo Central como âncora para o betão
municipal.

Continuaram os hipermercados, os shoppings, os modelo outlet , os retail-Park , ao mesmo tempo
que morria o comércio tradicional e com ele o centro das cidades. Como se isso não bastasse,
matou-se o Seixal arrastando para fora do seu centro tudo o que eram organismos da Autarquia 
ou do Estado... e perderam-se irremediávelmente terras de apetência agricola fundamental para o futuro.

Tudo isto não esquecendo os inúmeros casos de trapalhadas juridicas, de argoladas na aprovação
de projectos , o tráfico de influências e as promoções para cima de quem atinge comprovadamente  
o seu Principio de Peter , as decisões que se arrastam sobre as AUGIS, as denúncias ignoradas de
 violações dos PDM as desmatações ilegais, os cortes de sobreiros...etc...etc...etc...


Têm sido erros terríveis para o País, para a região, mas sobretudo para todos nós e para as
futuras gerações para quem ( e aí errámos) antecipámos que seria sobre si que tudo isto caíria.
Afinal o a-sul enganou-se, toda esta farsa rebentou (- lhes nas mãos ) muito antes, e ainda bem, 
porque os responsáveis estão aí e merecem ser julgados e punidos.

Parece que temos matéria para continuar!



domingo, abril 22, 2012

DIA DA TERRA






O dia da Terra passa quase despercebido em Portugal. Criado em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Neson, manifesta-se essencialmente nas escolas do país.

O que começou, em 1970, como um protesto nacional contra a poluição, é assinalado à escala mundial, com iniciativas centradas na preservação do Planeta e na importância da reciclagem.

Por todo o país decorrem actividades que comemoram o Dia da Terra, assinalado mundialmente, a partir de 1990, no dia 22 de Abril.

domingo, abril 15, 2012

RECICLE O ÓLEO USADO



Informe-se, há um sistema de recolha reciclagem e aproveitamento de oleo de cozinha usado no Seixal feito pela empresa BIOSARG..

sexta-feira, abril 13, 2012

NÃO AO PAÍS DO DESPEDICIO


O Texto abaixo representa um estilo de vida diferente do que nos é normal nas últimas décadas, tiremos as suas ilações :
 

Helena Rico, 42 anos, Groningen, Holanda

A propósito do desafio sobre os novos hábitos de poupança na abertura do ano lectivo, resolvi partilhar a minha experiência uma vez que vivo no norte da Holanda, onde tudo se passa de modo completamente diferente.

Em primeiro lugar, os livros são gratuitos. São entregues a cada aluno no início do ano lectivo, com um autocolante que atesta o estado do livro. Pode ser novo ou já ter sido anteriormente usado por outros alunos. No final do ano, os livros são devolvidos à escola e novamente avaliados quanto ao seu estado. Se por qualquer razão foram entregues em bom estado e devolvidos já muito mal tratados, o aluno poderá ter de pagá-los, no todo ou em parte.

Todos os anos, os cadernos que não foram terminados voltam a ser usados até ao fim. O contrário é, inclusivamente, muito mal visto. Os alunos são estimulados a reutilizar os materiais. Nas disciplinas tecnológicas e de artes, são fornecidos livros para desenho, de capa dura, que deverão ser usados ao longo de todo o ciclo (cinco anos).

Obviamente que as lojas estão, a partir de Julho/Agosto, inundadas de artigos apelativos mas nas escolas a política é a de poupar e aproveitar ao máximo. Se por qualquer razão é necessário algum material mais caro (calculadora, compasso, por exemplo), há um sistema (dinamizado por pais e professores, ou alunos mais velhos) que permite o empréstimo ou a doação, consoante a natureza do produto.

Ao longo do ano, os alunos têm de ler obrigatoriamente vários livros. Nenhum é comprado porque a escola empresta ou simplesmente são requisitados numa das bibliotecas da cidade, todas ligadas em rede para facilitar as devoluções, por exemplo. Aliás, todas as crianças vão à biblioteca, é um hábito muito valorizado.

A minha filha mais nova começou as suas aulas de ballet. Não nos pediram nada, nenhum fato nem sapatos especiais. Mas como é universalmente sabido, as meninas gostam do ballet porque é cor-de-rosa e porque as roupas também contam. Então, as mães vão passando os fatos e a minha filha recebeu hoje, naturalmente, o seu maillot cor-de-rosa com tutu, e uns sapatinhos, tudo já usado. Quando já não servir, é devolvido. E não estamos a falar de famílias carenciadas, pelo contrário. É assim há muito tempo.

O meu filho mais velho começará a ter, na próxima semana, aulas de guitarra. Se a coisa for levada mesmo a sério, poderemos alugar uma guitarra ou facilmente comprar uma em segunda mão.

Este sistema faz toda a diferença porque, desde que vivo na Holanda, terminou o pesadelo do início do ano. Tudo se passa com maior tranquilidade, não há a febre do "regresso às aulas do Continente" e os miúdos e os pais são muito menos pressionados. De facto, noto que há uma grande diferença se compararmos o nosso país e a Holanda (ou com outros países do Norte da Europa, onde tudo funciona de forma idêntica). Usar ou comprar o que quer que seja em segunda mão é uma atitude socialmente louvável, pelo que existe mil e umas opções. Não só se aprende desde cedo a poupar e a reutilizar, como a focar as atenções, sobretudo as dos mais pequenos, nas coisas realmente importantes.

Portugal não é um país Rico! É sim um País subdesenvolvido.
Nos países subdesenvolvidos, cada um quer ser melhor que o outro. É assim que o consumismo dispara de modo absolutamente estúpido.
Em Portugal ir para a escola com um livro usado! Nem pensar! O meu menino não é nenhum "pelintra"!

quinta-feira, abril 12, 2012

A CENSURA EUROPEIA.



Com a Primavera Árabe tudo era legítimo, agora com a contestação a crescer nas ruas europeias a conversa já é outra. Aperta-se assim o cerco à blogoesfera e redes sociais:


(PUBLICO ) O governo espanhol anunciou hoje que a convocação de manifestações violentas através da Internet será considerada um “delito de integração em organização criminosa” por alterar gravemente a ordem pública.


Esta medida é tornada pública numa altura em que o novo Governo de direita de Mariano Rajoy adoptou um duro programa de austeridade.

“Parece-nos fundamental para fazer frente a estes movimentos que actuam concertadamente (...), e com técnicas de guerrilha urbana, incluir como delito de integração em organização criminosa as acções cuja finalidade seja alterar gravemente a ordem pública e aquelas que, com tal fim, sejam concertadas através de qualquer meio de comunicação”, indicou o Ministério espanhol do Interior à Europa Press.

“Também pretendemos incluir nos delitos de desordem pública os apelos a que se penetre em estabelecimentos públicos ou se obste o acesso aos mesmos ampliando o tipo de danos com alteração da ordem pública (...)”, acrescentou a tutela.

O ministério quer incluir nos delitos de “atentado contra a autoridade” quaisquer actos de “resistência activa ou passiva diante das forças de segurança” e incluir entre as modalidades de delito as “ameaças e comportamentos intimidatórios, a investida e lançamento de objectos perigosos”.

O ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, anunciou, ele próprio, que a pena mínima por convocar manifestações violentas pela Internet será de dois anos.

O ministro fez saber que este tipo de manifestações urbanas tem vindo ao aumentar, como se viu na Catalunha durante a greve geral do passado dia 29 de Março. “O fenómeno está a generaliza-se”, disse o ministro, adiantando que não há uma resposta “adequada”.

“É preciso tornar mais robusta a autoridade legítima de quem legitimamente tem o exclusivo da actuação com força, que são a Polícia Nacional, a Guarda Civil e as polícias das regiões autónomas”, disse o ministro, acrescentando que “não se pode permanecer de forma passiva diante de actuações de algumas pessoas que depreciam, injuriam e desobedecem às forças de segurança”.

quarta-feira, abril 11, 2012

OOOOO QUE PENA!!!



Este ano não será inaugurado qualquer centro comercial

Por Ana Rute Silva (PUBLICO)

A cumprirem-se as previsões, este ano será atingido um novo mínimo histórico de área inaugurada de centros comerciais em Portugal: não estão previstas quaisquer novas aberturas. De acordo com um estudo divulgado esta terça-feira pela consultora imobiliária Cushman & Wakefield, a conjuntura económica e a ausência de financiamento estão a travar os planos para novos projectos no sector. O ano passado abriram apenas dois novos centros comerciais – o Aqua Portimão, com 35.500 metros quadrados de área bruta locável (a área que produz rendimento no conjunto comercial, afecta aos estabelecimentos de comércio), e o Fórum Sintra, que resultou da expansão do hipermercado Feira Nova. Contas feitas, em 2011, a área inaugurada de shoppings em Portugal foi de 62.600 metros quadrados, o terceiro valor mais baixo dos últimos 20 anos.

“Esta evolução do mercado não surpreende, tendo em conta o actual enquadramento económico do país, bem como a situação vivida no mercado imobiliário em particular. A quase ausência de financiamento à promoção imobiliária em Portugal, associada a um cada vez menor interesse pelos centros comerciais por parte dos investidores internacionais, limita a actividade dos promotores imobiliários que vêem, assim, dificultados os seus planos para novos projectos”, diz Marta Esteves Costa, da Cushman & Wakefield, em comunicado.

O ano passado os centros comerciais em Portugal tiveram uma quebra de receitas de menos mil milhões de euros. As visitas desceram 8,18% (segundo o Índice Footfall) e cada português gastou, em média, menos 10%, face a 2010.

O cenário não será invertido este ano. Com a contracção no consumo e a queda do volume de vendas no comércio retalho, a construção de novos projectos não será uma opção, aponta a consultora. Já para 2013, a Associação Portuguesa de Centros Comerciais refere que estão previstos dois novos espaços em Setúbal.



Europa em queda

A tendência de quebra é semelhante na Europa. Em 2011, o número de aberturas de novos centros comerciais foi idêntico a 2010, ano em que se registou a maior descida desde 1983 neste indicador. Segundo o estudo European Shopping Centre Development, que é publicado semestralmente pela Cushman & Wakefield (C&W), em 2011 “as aberturas de novos centros comerciais na Europa foram afectadas por atrasos na construção em diversos mercados”. As estimativas iniciais apontavam para 6,8 milhões de metros quadrados inaugurados (um aumento de 15% face a 2010), mas na prática abriram 5,9 milhões, em linha com o período homólogo de 2010.

Dos 34 países analisados, 19 registaram quebras neste sector, sobretudo, a República Checa, Áustria, Eslováquia, Croácia e Bulgária, onde não se registaram aberturas. Em 2011, inauguraram 197 centros comerciais, 65% dos quais localizados na Europa Central e de Leste. À semelhança dos últimos anos, a Rússia e a Turquia foram os mercados mais activos. 

terça-feira, abril 10, 2012

SECA 2012



O Ano de 2011 teve os mais altos registos dos valores de temperatura desde que há registos.


Afigura-se-nos um ano de seca extrema, o governo até ao momento escamoteia-o e as autarquias estão mais preocupadas com o mapa das freguesias. Sabia que a partir desta semana é proíbido no Reino Unido regar jardins e encher piscinas como medida de precaução ?

quinta-feira, abril 05, 2012

SAÍDAS



Não é provincianamente replicando autoestradas e vias rápidas ou urbanizações e destruíndo o que nos torna únicos  que o país se desenvolve ou torna atractivo, quando o dinheiro é bem aplicado com cabeça tronco e membros aí sim o país ombreia com o que de melhor se faz lá fora, atrai investimento e credibilidade. isto a propósito desta notícia do Publico.

A Fundação Champalimaud ficou em primeiro lugar na lista dos melhores sítios para trabalhar fora dos Estados Unidos, seleccionada pela revista norte-americanaThe Scientist, que nos últimos de dez anos tem elaborado esta listagem.


Mais de 1.500 cientistas responderam ao inquérito deste ano, para a escolha dos melhores sítios para investigadores pós-doutorados trabalharem tanto nos EUA como fora. Os resultados deste ano serão publicados na edição em papel de Abril da The Scientist e no siteda revista (www.the-scientist.com). A lista foi divulgada nesta quinta-feira, durante uma visita do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, à Fundação Champalimaud.

“Embora tenha menos de dois anos, o Centro Champalimaud para o Desconhecido lidera a nossa lista de melhores instituições para os pós-doutorados. O centro concentra-se na investigação em neurociências e cancro e ocupa um cenário pitoresco com vista para o rio Tejo, em Lisboa. Apoiado pela Fundação Champalimaud, a instituição está equipada com um núcleo de instalações invejáveis e um campus lindíssimo”, diz a revista.

Nos Estados Unidos, o ranking de 2012 é ocupado pelo Instituto de Investigação Biomédica Whitehead, em Cambridge, o que acontece pelo segundo ano consecutivo. Fora dos Estados Unidos, a lista internacional dos primeiros cinco lugares, além da liderança da Fundação Champalimaud, é ocupada pelo Instituto de Biotecnologia Molecular e pelo Centro para Medicina Molecular, ambos em Viena (Áustria), pelo Instituto de Investigação Biomédica Friedrich Miescher, em Basileia (Suíça), e pelo Instituto de Investigação Biomédica da Novartis, da multinacional farmacêutica. (PUBLICO) 

quarta-feira, abril 04, 2012

ALTERNATIVAS PARA HOJE - O MONTADO



Uma riqueza única que desprezamos , betonizamos e alcatroamos. São os complexos de origem dos nossos autarcas e politicos vindos do meio rural que agora enjeitam do alto dos seus apartamentos de Massamá  ou de qualquer outro suburbio.

terça-feira, abril 03, 2012

ALTERNATIVAS PARA HOJE



Uma solução que já aqui touxemos :


Horta em garrafas PET.

É possível plantar alface, cebolinha, tomate e outras verduras e legumes em uma horta suspensa.

Movimento Novos Rurais
http://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture — 

segunda-feira, abril 02, 2012

ALTERNATIVAS PARA HOJE - REABILITAR



Reabilitar o edificado antigo é preservar a memória dos lugares.

Recuperar significa transformar sem destruir. Além disso, a reabilitação do edificado é ainda uma atitude sustentável, uma vez que se reutilizam partes da 
casa e os materiais com que estas foram construídas, e sempre respondendo de forma eficaz às exigências térmicas e acústicas dos dias de hoje.

EcoCasa Portuguesa
http://www.facebook.com/ecocasaportuguesa

domingo, abril 01, 2012