segunda-feira, junho 30, 2008

SOLUÇÕES BIO-ENERGÉTICAS (3) - BIODIESEL



Outra forma de enfrentar a alta do petróleo será
também o recurso às energias alternativas e a combustíveis alternativos, cada vez mais acessíveis ao grande público , as mais óbvias serão as renováveis (eólica, solar,biomassa, ondas...) mas há também projectos a serem postos em prática em pequena escala, por parte da iniciativa privada e pela persistência de alguns particulares.

Um caso exemplar é a produção de Biodiesel (por reciclagem de oleo alimentar) que já há mais de um ano é feita em Pinhal dos Frades em termos experimentais, por parte de uma empresa que se dedica a obras públicas.

Os responsáveis por esta empresa instalaram há já algum tempo uma unidade de depuração/reciclagem de óleos usados recolhidos "entre amigos" , procedendo à sua reciclagem para posterior mistura com gasóleo , resultando duas vantagens, por um lado, biodiesel que reduz o consumo de gasoleo reduzindo emissões de CO2 , por outro evita a poluição provocada pelos oleos já utilizados e em fim de ciclo, e ainda produz parafina como produto residual da laboração.


Tal iniciativa, ou tais iniciativas , não têm tido, nem apoios, nem um enquadramento legal da sua actividade (factor pelo qual ainda não a tinhamos divulgado) , no entanto a noticia publicada em Boletim Municipal sugere que esses procedimentos burocráticos foram ultrapassados e que foram até consumados os apoios municipais na recolha de óleos usados há muito feito noutras autarquias e pelos quais Francisco Saragoça , Administrador da recém formada BIOSARG , há muito lutava .

Apesar do normal aproveitamento politico / propagandistico feito pela autarquia (dá a entender que é um "Projectro Municipal " quando o não é , é um projecto empresarial, para não dizer pessoal , que tendo transposto uma série de contratempos e obstáculos, contou finalmente com o apoio municipal ) .


Os parabéns ao Sr.Saragoça por ter conseguido vencer todos os entraves com que se tem deparado e à autarquia por ter aceite lucrar práticamente sem custos , com uma solução que segundo o Vereador do ambiente "era procurada há anos pela autarquia" , uma solução vinda da sociedade civil , em parceria com a CMS que será uma mais valia para o concelho (reduç
ão de poluentes e menor CO2 pela incorporação de biodiesel, e para o Município pela incorporação gratuíta de parte do biodiesel produzido , em viaturas
municipais.
____________________________________________

Aqui em Greenfuels , dados e equipamento para a produção doméstica de biofuel.

____________________________________________

A VERSÂO OFICIAL




A "versão oficial" sobre este projecto pode ser ser lida no Boletim Municipal em circulação e indicado na imagem acima.
Ao lado de forma sintética a versão do Biodiesel- Seixal segundo Carlos Mateus.

domingo, junho 29, 2008

SOLUÇÕES BIO-ENERGÉTICAS (2) - A BICICLETA




A nível das deslocações , com o petróleo a este nível, não faz sentido que em Portugal , com este clima e na maioria das cidades , a bicicleta tenha entrado em desuso até porque uma tal solução faz parte da rotina de milhões de cidadãos na Europa , em países com um nível de vida e salários bem mais altos do que os nossos e em climas bem mais agrestes.


Esta questão da bicicleta tem sido recorrentemente aqui avaliada e divulgada . No imediato e "para amanhã" as autarquias da Margem Sul poderiam orientar as suas máquinas de marcação de estradas , para desenhar vias dedicadas às bicicletas , não é preciso pintar o pavimento dessa via de vermelho , basta uma linha branca paralela à linha da berma com sinalética que discrimine o uso dessa via por velocípedes.

Quanto às bicicletas, são hoje em dia objectos de baixo custo e adquiríveis em qualquer grande superfície por menos do valor de um depósito cheio de combustível.

Mais tarde poderiam as autarquias avançar com sistemas de aluguer como hoje em dia se faz em Copenhaga, Paris, Bruxelas ou Lyon ...

O que não é admissível é que pessoas com responsabilidades , nomeadamente ao nível do Programa Polis , de Setúbal (uma cidade com características cicláveis a 100%) como o Engº Demétrio Alves , afirme , cito :

"...Remeter as pessoas para as deslocações pedonais, para as bicicletas, para sistemas de transportes lentos, escassos e desconfortáveis, ou para soluções alternativas individuais luxuosas (certos híbridos), ou miríficas (veículos a hidrogénio), é, no mínimo, uma ingenuidade."


Torna-se assim possívelmente mais difícil mudar as mentalidades dos nossos autarcas do que construír um sistema de mobilidade alternativa onde os velocípedes e outros meios mais "futuristas" e ainda muito caros , como as segway possam circular em segurança e constituindo assim uma forma alternativa, não dependente quer do automóvel quer do petróleo.
_______________________________________________

BONS EXEMPLOS

Bons exemplos há milhares por esse mundo, saliento estes (clique) .

sábado, junho 28, 2008

SOLUÇÕES BIO-ENERGÉTICAS (1) - A HORTA



No final do ano passado antecipávamos que o barril de petróleo iria ultrapassar em Janeiro os 100 dólares por barril, a previsão , não só se confirmou como hoje, está a 140 , ou seja, subiu 40% de Janeiro até agora !!!

Para lá das discussões académicas do real valor do petróleo, a margem especulativa, o verdadeiro valor da subida absoluta em euros , face à desvalorização do dólar...o que é facto e real são as subidas constantes do valor do produto final refinado , quer seja gasóleo , gasolina ou jet-fuel !


A recente bloqueio dos camionistas revelou também , uma fragilidade gritante, de um sistema de distribuição de bens assente numa única vertente , a rodoviária , e também mostrou a falência de um sistema assente no transporte de produtos ... das alfaces que podíamos produzir na varanda, mas vêm da Europa de Leste , às uvas que não tarda estão maduras nos nossos quintais, mas que importamos do Chile ou da África do Sul.

Todo este sistema comercial está assim baseado no vector transporte/combustível e de quem o controla , mas também naquilo que o faz mover, o crude , que quer queiramos , quer não, vai continuar a subir. Será sobre o que poderemos fazer no imediato, para amanhã , que assentarão os próximos posts.

Pensando global e agindo local, algo é claro perante um cenário de carestia dos alimentos , desemprego , redução dos rendimentos , é necessário voltar a produzir esses produtos de primeira necessidade , recuperando solos agricolas e impedindo que nem mais um metro quadrado desse solo tenha fins , ou especulativos ou sejam atribuídos à construção, como criminosamente tem acontecido.

É necessário voltar a dar valor à agricultura e a quem a ela se dedica , não faz sentido comprar produtos que vêm literalmente do outro lado do mundo quando podemos produzi-los aqui, com mais sabor e qualidade e num regime de práticamente auto-suficiência .

É necessário que nas escolas se ensine agricultura , como fazer uma horta , como semear feijão ou batatas ou como transplantar couves e alfaces , como cultivar ervas aromáticas, como enxertar árvores de fruto , isto mesmo em escolas inseridas em zonas urbanas , até porque nas zonas urbanas há possibilidades de cultivo e produção caseira de vários produtos.

As autarquias para além de manterem intactos terrenos com aptidão agrícola, têm que incentivar as hortas urbanas como factor de melhoria da qualidade de vida de quem o pretenda fazer, quer como mera forma saudável de ocupar os tempos livres, quer como forma de acrescentar algo mais às parcas reformas ou aos cada vez mais reduzidos salários.

Termino com una citação do Professor José Manuel Pureza , professor de Economia da Universidade de Coimbra :

"
Se algo de positivo há nesta ameaça de catástrofe é ela forçar-nos a repensarmos a pequena e média agricultura como uma prioridade e não como um anacronismo. Talvez esteja na altura de percebermos que a luta pela preservação das hortas no centro das nossas cidades e a luta contra a liberalização mundial do comércio dos produtos agrícolas nos termos em que a quer a OMC não são lutas simétricas mas gémeas."
_________________________________________________

BOM EXEMPLO

Se acha surreal o que acabei de escrever , veja aqui um projecto arquitectónico que contempla esta opção (Clique - Poio/ Pontevedra) .

sexta-feira, junho 27, 2008

LIBERDADE DE OPINIÃO E EXPRESSÃO , DAS FACADAS AOS CORTINADOS









Há autarcas que ainda não interiorizaram que se vive em Portugal em Liberdade e que temos uma Constituição da República em vigor , em todo o território nacional sem excepção.

Podem não saber, mas todos são também iguais perante a Lei , a mesma Constituição (consulto uma das Edições Avante) diz também:


Art 48 - Todos os cidadãos têm o direito de tomar parte na vida política e na direcção dos assuntos publicos do país, directamente ou por intermédio de representantes livremente eleito.

Art 52 1 . Todos os cidadãos têm o direito de apresentar, individual e colectivamente aos orgãos de soberania (...) ou a quaisquer autoridades petições, representações, reclamações ou queixas para defesa dos seus direitos

3. a) Promover a prevenção, a cessação ou a perseguição judicial das infracções contra a saúde pública, os direitos dos consumidores, a qualidade de vida, a preservação do ambiente e do património cultural.

Art 66 1. Todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecológicamente equilibrado e o dever de o defender

Óbviamente que os autarcas que ignoram estes preceitos Constitucionalmente consignados não podem ser considerados respeitosamente de autarcas e representantes eleitos, mas tão só um grupo de cacíques cuja finalidade é outra bem diferente do que supostamente juraram defender e respeitar .

Terão assim sido certamente, um lapso momentâneo, e não uma verborreia cacíquista as declarações no Seixal , de um Presidente de Câmara , Alfredo Monteiro e de um Vereador , Carlos Mateus , declarações essas registadas em Acta e abaixo transcritas (clique para aumentar ) sobre a proíbição levantada a uma Asssociação Ambientalista de recolher assinaturas para um "abaixo-assinado" contra uma piscicultura em Corroios , numa zona de Reserva Ecológica Nacional , e que decorreu num evento organizado pela CMS, dedicado a uma temática ambiental , e num stand onde o referido Grupo Flamingo estava representado.

Disse assim o Sr Presidente :










E assim disse o Senhor vereador !

Não se compreende para além das infelizes analogias apresentadas , a forma "pessoal" como o caso foi tratado , quando na mesma acta da mesma reunião o Vereador Jorge Silva refere que


"A Câmara não licenciou qualquer actividade de piscicultura no Estuário de Corroios , até porque tal não é da sua competência "

Então, se a Câmara não tem competências neste processo, porquê considerar contra si ( "uma atitude de confronto para com o seu parceiro " ) a forma como foi feita a recolha de assinaturas que na realidade é contra quem fomentou ou permitiu a destruição do Sapal ?

Se a Câmara nada tem a ver com o assunto, porque considera então uma recolha de assinaturas contra o verdadeiro responsável ... "uma facada nas costas do marido " ou "dizer mal da loiça por lavar"...

Explique-nos senhor Presidente e senhor vereador, é que nem todos temos nas nossas casas um ambiente que permita transpôr para a realidade as analogias, que a Vªas Exªas vos parecem ser tão comuns.

_________________________________________________

Nota : Excertos da Acta da Reunião de Câmara de 11 de Junho de 2008

quinta-feira, junho 26, 2008

MAR REVOLTO NA NÁUTICA DO SEIXAL ?




O associativismo sempre foi uma mais valia nos concelhos do agora chamado "arco ribeirinho" , em todas ou quase todas as povoações existia uma colectividade com pendor quer cultural, quer musical, quer desportivo, congregando algumas delas todas estas vertentes.

Esta diversidade chegou a ser até no tempo do Fascismo , um factor de resistência e de contorno da sacro-santa e omnipresente censura... e ditadura.

Hoje , muitas associações enfrentam dificuldades num país sobretudo virado para o consumismo Shopping-dependente e condicionado pelo futebol . No entanto é graças ás colectividades existentes e à carolice dos seus sócios e direcções que se vão praticando muitos desportos ditos amadores, continuando a desempenhar um papel preponderante nesta divulgação.

Fui praticante de desportos náuticos , em dois clubes desta banda , no entanto estou há muito afastado dessa prática , pelo que não conheço a realidade actual no terreno, e é-me difícil corresponder a um pedido de análise do tema por parte de Eugénio Borges que reflectia sobre uma entrevista dada por A.Nunes no jornal Comércio do Seixal e Sesimbra e que nessa entrevista referia " fui consultado por elemento de uma entidade autárquica, com o objectivo de se formar uma escola de vela única, servido as duas colectividades do Concelho" .

Da leitura da referida entrevista o que parece resultar é que parece ser o interesse da autarquia fundir a Associação Naval Amorense e a Associação Náutica do Seixal .

Numa análise perfeitamente equidistante , é estranho que uma autarquia tenha preocupações a este nível quando os apoios dados são irrisórios , pelo que do ponto de vista de cidadania e em cidades com a dimensão do Seixal e da Amora , com um total de habitantes no concelho de 170 mil pessoas se tenha como preocupação a fusão de dois clubes, parecendo que esta questão tem mais a ver com politica do que com a prática desportiva.

Não me alongarei mais deixando o espaço aberto às opiniões de todos como espaço de discussão do tema e assim esperando contribuír para um melhor esclarecimento do mesmo . Volto a reproduzir como primeiros comentários os mesmos que despoletaram este post :

quarta-feira, junho 25, 2008

PULMÃO DE BETÃO





“O Município do Seixal passou a ter mais um pulmão verde” - (Declarou Alfredo Monteiro , Presidente da Câmara do Seixal, isto depois de destruídas algunas dezenas de hectares de floresta na Verdizela junto a um Sítio Rede Natura 2000, para urbanizar em densidade ) e de perto dali, no mesmo Sítio RN , estar a ser construído - Rego Travesso - outra mega urbanização com campo de golfe e com consequente perda de floresta.

- Nota , a imagem do referido projecto (pulmão verde ) está propositadamente invertida , é que só invertendo o projecto conseguimos nele descrutinar a forma de um pulmão... claro que as semelhenças com pulmão ou com verde , ficam-se por aqui.

_____________________________________________________

Não sei o que as futuras gerações pensarão de nós , adultos do presente. O que é que os nossos filhos e netos pensarão de quem hoje governa ?

Não será abonatório de certeza.


Esta Geração está pela primeira vez na história a transmitir à geração seguinte uma esperança de vida inferior à sua , quando até aqui a herança foi sempre para melhorar esse indicador.

Esta geração está a transmitir ás próximas gerações um mundo com menos recursos, menos florestas e mais poluição .

Esta geração está a dar de herança, não património natural e material, como sempre recebemos das anteriores , mas sim dívidas e um mundo feio , esgotado , cheio de construção sem lógica (para além do lucro imediato ) nem gosto.

Esta geração está a passar , não construções magníficas, conjuntos urbanos soberbos , mas manchas urbana inóspitas, repetidas à exaustão, e que afugentarão turistas em vez de os atraír .

Claro que tudo está registado , arquivado , ao vivo ou em digital , e vão, como se fosse hoje, conhecer os responsáveis , as suas caras , os seus discursos , os seus partidos ... a sua "obra" !

As futuras gerações "delirarão" com os governantes do presente, com as teorias que debitavam, com as ideologias que defendiam e com a sua prática tão diferente do que apregoavam... como adorarão os contrastes do Maio de 68 ou Abril de 74 , e o Betão que pariam a partir do final dos anos 80 ...

Entretanto e para memória futura haverá muito projecto para estudar, muita imagem para comparar o antes e o depois, muito protocolo para decifrar , muito dinheiro para seguir o rasto , e muita prosápia , muita coacção, muita ameaça registadas em acta , como abaixo fica o legado do que um Presidente de Câmara pensou um dia da Blogoesfera local e disse de quem o contestava num país livre e democrático :











As futuras gerações julgarão quem de facto lhes mentia , e nem na mais protegida das mansões de Palmela e arredores ou no mais fechado dos condominios estarão a salvo.

Acredito que um dia terão de responder pela pesada herança que estão a passar para o futuro e o futuro não lhes será certamente nada meigo... os tempos serão outros , muito menos tolerantes perante estes pequenos e medíocres déspotas hoje... por enquanto... impunes !
________________________________________________

Hoje ainda se dão ao luxo de dar verdadeiros tiros no pé quando apontam os "erros" algures n
um passado... esquecendo-se que já aí a responsabilidade era toda sua .





A CDU é força no poder no Seixal, ininterruptamente há 34 anos. Já o era nos "anos oitenta" , o presidente à altura é hoje o presidente da R. T. da Costa Azul Eufrázio Filipe. Não consta ter sido coagido a autorizar tal projecto !
Não se percebe hoje esta necessidade de fazer valer os supostos direitos adquiridos (pelo Grande Capital) sobre o interesse do ambiente do Seixal e sobre instrumentos de gestão e protecção ambiental entretanto considerados necessários .

Muito menos que seja uma Coligação do PCP e de Os Verdes a fazê-lo !
____________________________________________________
NOTA

A azul, excertos da Acta da Reunião de Câmara de 14 de Maio 2008 , disponibilizada no Blogue Rumo a Bombordo num serviço público do Vereador Samuel Cruz.

Aproveito para dar os parabéns ao Rumo a Bombordo pelo 25000 visitante e pelo trabalho desenvolvido . O A-Sul continuará a ser leitor assíduo, mas face ás novas regras editoriais deixará de comentar os assuntos abordados. Aliás não sei se com as novas regras , para além dos amigos e conhecidos alguém mais poderá "comentar".

Tantos cuidados... começou por cá alguma "caça ás bruxas" ?

terça-feira, junho 24, 2008

VERDIZELA ; ENTRADA DE LEÃO...SAÍDA DE... BETÃO




Não estou surpreendido com a "vitória"... alcançada nem pelo comunicado que parece querer pôr uma pedra sobre o assunto e publicado no blogue
Verdizela Viva , vejamos o teor do referido comunicado.

"Foi com muito agrado que nos foi comunicado que existe um novo traçado de acesso à nova urbanização em fase de aprovação.

Agora apenas com 1 faixa para cada lado, sem as mega-rotundas e consequentemente um impacto muito menor, na Verdizela.
Assim que tiver cópias deste novo traçado irei divulga-las.

Faltará repôr a zona verde que foi destruida, e não sei se esta câmara ou o promotor estarão na disposição de o fazer. (...)

Fica o desafio feito a todos os moradores para participarem activamente.
Deverá ser sempre através de uma comissão de moradores forte e dedicada que poderemos conseguir rever estas causas comuns.

Unificando a experiência dos mais velhos com o dinamismo da irreverência dos mais novos." (
Eduardo Martins)

Ou seja , a "Vitória Parcial" anunciada pelo senhor Martins resume-se , não à contenção da construção em Rede Natura , não a parar a cidade que vai ser construída destruíndo um pinhal e junto a uma zona de habitação unifamiliar , que manteve apesar de urbanizada, caracteristicas de baixa densidade e muito verde , nem sequer à redução da alta densidade e à paragem da destruição de uma mancha verde...

A "Vitória" da população no entender do Sr.Martins resume-se à reformulação de um acesso e a um percurso de manutenção "que vai impedir que ali se construa" ?

-
Não posso acreditar nisto !

Apesar do respeito que os envolvidos me merecem , há algo de imcompreensível neste comunicado , e no mínimo de um enorme mau gosto , a frase , de que a participação cívica
"Deverá ser sempre através de uma comissão de moradores forte e dedicada" ... parece saída de um comunicado da autarquia ou do Comité Central , pergunto ; - Mas porquê???

Todos sabemos que esse é o segundo degrau, depois do controleiro , de manietar a contestação popular por parte do PCP nas autarquias CDU ! E é sobretudo uma forma inadmissível no sec XXI , de menorização da participação cívica na vida da Polis.


Caros concidadãos , estarão legítimamente convencidos, ou pretenderão convencer , ou melhor , pretender-vos- ão convencer , que houve uma "vitória" mesmo que parcial.

Infelizmente o que houve, foi mais que uma derrota para o ambiente , que uma perda irreparável de uma Zona considerada habitat a preservar no quadro da União Europeia, o que aconteceu , foi sobretudo , a implosão da ética politica e o abafar da contestação legítima da população e o seu direito à indignação.

Conhecendo os métodos aplicados pela CDU Seixal neste tipo de "negociação" , ficam-me mais dúvidas do que certezas... e no minimo, há uma imensa ingenuidade em tudo isto...

É também curioso ver que enquanto o PCP tenta criar a nível nacional um pseudo ambiente geral de contestação e agitação , onde é poder abafa completamente a mínima faísca de protesto , defendendo cegamente projectos imobiliários patrocinados por grandes empresas nacionais e trans-nacionais , em deterimento da defesa da floresta e do ambiente local e da luta global contra as alterações climáticas .


Espero, para continuar a acreditar ainda em alguma coisa , que esta história não acabe aqui e que a oposição faça deste e de outros casos conhecidos , uma bandeira na defesa do ambiente , que é a única bandeira da defesa do concelho do Seixal .

Que a verdade desta história não fique mais uma vez por contar e que os métodos para tratar estas questões , no futuro sejam bem diferentes.
________________________________________________

Sobre este caso, a opinião de Roberto Robles (clique) publicada no Setúbal na Rede .

segunda-feira, junho 23, 2008

IMOBILIÁRIO E TRÁFICO DE DROGA , QUEM GANHA MAIS?



Corajosa e curiosa a moção apresentada durante o Congresso do PSD, que decorreu no passado fim de semana , por Luís Nascimento , vereador do Município da Moita , a noticia pode ser
aqui lida (clique ) na íntegra , passo a citar o seguinte excerto :

" O autor de uma moção temática ao XXXI Congresso Nacional do PSD explicou no sábado de madrugada aos delegados como ganhar «20 mil por cento» em especulação imobiliária, «mais do que na venda de droga ou armas», em menos de um ano.

«O melhor negócio do mundo não é o das armas nem da drogas mas o de terrenos em Portugal», disse Luís Nascimento, vereador no «pequeno Concelho» da Moita e autor da moção «Ordem no Ordenamento», segundo o qual «num aninho ou dois, se as informações forem jeitosas, o capital multiplica-se por pelo menos 20 mil por cento».

«A transformação de terrenos agrícolas em urbanizáveis é um negócio facílimo, dá milhões e é legal. Mas imoral», disse, acusando o PSD, enquanto partido co-responsável pela actual legislação, de ter também uma «culpa grande» nesta situação.

Se a sua moção for aprovada, avisou, a mesa do Congresso será obrigada a convocar um conselho nacional com este tema na agenda, de modo a adoptar uma atitude que permita mudar o estado actual da situação. (...) " Noticia Portugal Diário

Feito o diagnóstico desta profunda imoralidade fico à espera do impacto, quer no Congresso do PSD quer na prática do Partido no futuro na abordagem desta questão.

Não deixa de ser curioso que este tema tenha sido abordado por um autarca de uma autarquia governada por uma maioria Comunista .

Não deixa de ser igualmente curioso que este tema da imoralidade das mais valias imobiliárias , e da "engenharia" associada às alterações de uso do solo não sejam razão de um buzinão por parte de uma qualquer Comissão de Utentes tão queridas das autarquias da Margem Sul ... é que este esquema subverte mesmo o mais selvagem capitalismo pois não há quaisquer regras para além da corrupção e do tráfico de influências.

Quanto tem entrado nos cofres dos Partidos à conta deste esquema ?

domingo, junho 22, 2008

CRIATIVIDADE





















Com a edição de ontem do Jornal Expresso foi distribuído um encarte ficcional e intemporal sobre Almada , ficcional , pelo óbvio, intemporal por se poder voltar a distribuir num futuro próximo ou distante .


Mas devo sublinhar que finalmente há um trabalho "jornalistico" que traduz a realidade do que no dia a dia vamos tirando da Margem Sul , é que vivemos num belo embrulho , feito com muita criatividade , para embelezar um produto fora de prazo .

A realidade a que me refiro não está no conteúdo por vezes delirante do texto da publicação, mas para a verdade dos títulos de cada um dos capítulos abordados , a saber, cito :


- Rede criativa de Transportes no Arco Ribeirinho
- (Terra) Criativa em gerar oportunidades
- Concelho Criativo na valorização da educação e do conhecimento
- Almada criativa na fixação de talentos
- Turismo Criativo e sustentável
- Território moderno e qualificado
- Terra Criativa na diversidade cultural
- Gestão criativa e participada
- Construção de um futuro mais amigo do ambiente

Realmente é preciso muita criatividade para acreditar em tudo isto , na Cidade da Água, no Metro Sul do Tejo com túnel sob o rio, de Cacilhas a Lisboa, nos 223 Km para bicicletas , o Grande Teleférico do Tejo , O Parque Temático da Tecnologia e do Conhecimento ... bem, não vale a pena transcrever mais desta criatividade transbordante , deixo para finalizar este pequeno excerto , súmula do presente neste pequeno Paraíso onde deviamos estar gratos por ter nascido e ou / viver , tal como aos grandes Líderes Criativos que nos governam há 34 anos :


" projectos (...) têm proporcionado importantes momentos de discussão e esclarecimento entre munícipes , tecnicos e responsáveis politicos. Nesta estratégia municipal , destaque para a realização periódica do Fórum de participação do Metro Sul do Tejo que já mereceu a realização de 25 edições, participadas por milhares de pessoas. (...)

É também através do ciclo de Fóruns "Almada Palavra Aberta" , a decorrer, que a autarquia apresente importantes projectos à comunidade, ao mesmo tempo que ausculta ao opiniões e preocupações dos munícipes. (...)


As crianças são igualmente chamadas a intervir na vida colectiva.
Com o projecto da Agenda 21 da Criança, culminando a cada ano lectivo com a realização do Parlamento dos Pequenos Deputados , os mais novos munícipes expõem as suas preocupações , sugestões e desejos para o futuro do concelho e do Planeta .

Muitas dessas sugestões são depois vertidas no plano de actividades da autarquia para o ano seguinte . (...)

Não se acredita ... sem uma dose valente de muita CRIATIVIDADE !!!

____________________________________________

Aqui no blogue Em Almada e no Triângulo da Ramalha as opiniões são bem diferentes do unanimismo revelado no Expresso.

sábado, junho 21, 2008

A DISFARÇATEZ ...
















Nos últimos tempos temos aqui divulgado o ambiente politico , cada vez menos democrático , que se
vai instituindo um pouco por toda a parte na Margem Sul.

Na linha de algumas situações já aqui mencionadas , continuam a surgir diáriamente queixas .
Passo a citar um post de
Brocas Vetus sobre o "clima" actual vivenciado na Moita que parece revelador que há um certo modus operandit em curso
por Esta Banda .

Cito :


« Isto das reuniões de Camara, está cada vez melhor.

É a oposição em bloco (PS, BE e PSD) a fazer propostas que, o Shôr presidente elimina logo à partida.

É o afirmar que não deixam os Vereadores da oposição falar com os técnicos de modo a esclarecer a situação da Estação de Alhos Vedros.

É o dar o assunto (Estação) como encerrado, não desmentindo o Presidente do Conselho de Administração da REFER, mas continuando a afirirmar que (a CMMoita) têm razão e agiu de boa fé (tal como sempre agiram e afirmaram sobre o PDM.

É sentir-se “doente” a meio da reunião, tendo de recolher-se ao gabinete “presidencial”.

É o, contráriamente às Câmaras em redor que já começaram a querer apresentar obras pois as eleições aproximan-se a passos largos, nada estarem a fazer, nada estarem a projectar, nem o projecto para o projecto da piscina da Moita.

Enfim, o Concelho da Moita está em decadência absoluta e existe necessidade urgente de acabar com isto.

Penso que a oposição deveria pensar em lançar uma lista conjunta para a CMMoita, em conjunto com alguns verdadeiros comunistas ainda por ai existentes e que apesar de serem do Partido, cada vez mais são também eles uma voz critica a esta (des)administração.

Para não falar também da cena que foi a Sessão solene nos Bombeiros, uma verdadeira vergonha, sem respeito por quem ainda o vai merecendo. »

(Carlos Brocas)

________________________________________

Do Seixal este mimo registado em Acta citando a intervenção de uma Vereadora CDU, referindo-se em particular a um vereador da oposição (PS) :


__________________________________________________


E num balanço ao buzinão saliento que não fomos só nós a denunciar a farsa dos Movimentos de Utentes de Serviços Públicos, foi um tema recorrente na blogoesfera e na imprensa escrita , de onde saliento o excelente editorial de José Manuel Fernandes no PÚBLICO de 18 de Junho .

Já sabemos quem "deu a cara" pelo buzinão da ponte , a deputada CDU em Almada, Luisa Ramos , mas , quem é o líder deste Movimento (popular) que dá pelo no
me de Carlos Braga ? Será o Carlos Braga... ?

sexta-feira, junho 20, 2008

O INFIEL DA BALANÇA






















O post de hoje resulta do mote deixado por um comentário da autoria de Filipe de Arede Nunes (F.A.N.) que passo a reproduzir parte:


« As autarquias fizeram - mal - o trabalho que está à vista.
Houve falta de visão e acho que - pelo menos no Seixal - continua a existir (basta ver o recente exemplo da Verdizela).

No entanto, fizeram-no porque os governos lhes cederam competências para o fazer.»


Não posso deixar de estar de acordo, temendo com as consequências da "municipalização" da REN e RAN (Reserva Ecológica e Reserva Agrícola) .
Mas gostaria de salvaguar - inocentemente - que , os orgãos de soberania têm também produzido na área ambiental e de ordenamento do território , instrumentação juridica abundante ,em sua "defesa" , até porque há Directivas Comunitárias a ser transpostas.

Embora pareça, não vivemos num Far-West legal e institucional , apesar de sermos de facto, o "Far" ... Oeste geográfico da Europa .

Por aqui, pelo lado legal, não viria mal ao mundo e tal levar-me-ía até a discordar de F.A.N. , aceitando e defendendo que o Estado fez e faz o seu dever , por um lado, legislando e por outro, considerando os autarcas e as autarquias, pessoas de bem.


O grande problema é quando uns e outros, deixam de ser o fiel da balança , para serem parte dos negócios , legislando à medida , criando nas leis lacunas de oportunidades e oportunidades de interpertação... demitindo-se ao mesmo tempo do "frete legal" que é verificar se as leis estão a ser cumpridas , e caso o não estejam , chamar o poder judicial a funcionar ...

Muitas das vezes o Estado demite-se também da sua posição de árbitro equidistante na defesa do interesse nacional, o que já é grave, mais grave ainda , é quando - tal como algumas autarquias - é parte no negócio , ou melhor , parte interessada no negócio... veja-se o caso da alienação de muitas das propriedades do Estado, de alguns PIN , ou de mega-negócios imobiliários como a Lisnave , a Quimiparque , a Siderurgia...

Face a este comportamento do Estado Promotor Imobiliário, que esperar desse mesmo Estado em regulamentar a participação em negócio por parte das autarquias , ou a entrada nesses negócios das autarquias em parceria com empresas off-shore , até representadas por elementos conotados aos partidos dominantes das autarquias em questão...

Claro que não será só por isto, mas esta situação tem-nos conduzido a este caldo de impunidade em que o cidadão sente que as leis parece que se fizeram unica e exclusivamente para o condicionar, a si, à sua participação cívica , por um lado limitando-a , por outro , há leis de tal forma intrincada que só quem as concebeu as consegue desmontar...

E o surreal Kafkiano acontece mesmo , pois , muitas das vezes, quando este cidadão (em defesa do qual deveriam ser feitas as leis) apresenta queixa ao Estado, depois de alertada a autarquia para uma qualquer ilegalidade , e desta nada fazer , o Estado limita-se na maioria dos casos a remeter à autarquia a queixa do cidadão... está visto o que acontece a seguir...

A quem recorrer depois ? Bom há sempre a Justiça , continuamos a ser um "Estado de Direito" , e há as Instâncias Comunitárias onde o Estado até tem sido, condenado !

Mas o que é facto e de facto concordo é que o Estado tendo dado competências a incompetentes , tem transformado este país não no Faroeste , mas nas trazeiras desarrumadas e corruptas da Europa.

Imagine-se isto com a "Regionalização" !

quinta-feira, junho 19, 2008

BACK TO BASICS


O tempo é imparável, tal como são as contigências da sua passagem e não há "buzinão" que faça alterar as circunstâncias da conjuntura actual da alta do petróleo .

Portugal, sendo um dos países mais pobres da U
nião Europeia é daqueles em que mais se terá que trabalhar na alteração de posturas comportamentos e os tiques de novo-riquismo, tomados como adquiridos nos últimos anos, em função desta nova realidade.

De súbito ficámos surpresos , buzinamos , mas era inevitável que este modelo fictício em que a sociedade portuguesa actual está assente - num endividamento de 130% - "desse o berro" , apesar de os responsáveis, como os esquemas piramidais do betão, a Dona Branca do presente , nos quererem fazer crer que tudo está bem e que não se passa nada, que é preciso continuar a investir no imobiliário ... mas é óbvio que tal é insustentável e vai caír por si e com estrondo!

Todos conhecemos as razões macroeconómicas da actual conjuntura ... mas há opções mais ao nível do cidadão e da autarquia que têm um peso importante , ao nível das famílias e dia a dia .

Adoptámos , apesar de termos dos salários mais baixos da Europa, uma perspectiva de consumo, completamente irracional e díspare comparativamente até , aos nossos parceiros mais ricos.


A forma como desconstruímos as nossas cidades foi também disso , causa e consequência. Como foi possível acumular em simultâneo tantos erros ? Como foi possível abandonar o que nos tornava únicos , a nossa arquitectura urbana, os centros históricos das nossas cidades e depois fomentar a construção fora dela ?

Como e porquê desperdiçámos tantos recursos
?

Despovoámos o centro das cidades , abandonámos zonas urbanas com história , com património, com infraestruturas , esgotos, electricidade , água , escolas, hospitais, centros de saúde, teatros, cinemas ... deram depois os autarcas a ocupar uma cintura virgem florestal e agrícola (que dava autonomia alimentar e qualidade de vida à cidade) para nova construção ... e a nova construção virou galinha dos ovos de oiro...

E a nova construção obrigou a criar novas infraestruturas (enquanto as construídas no centro urbano se degradavam) obrigou a instalar novas redes de esgotos, de água, de electricidade, novas escolas, hospitais, ETARS e autoestradas até um interior que se despovoou, desertificou em função do pneu obeso da periferia suburbana ... ali, o shopping substituíu tudo, do comércio de proximidade ao cinema... e com isto se aumentou a dependência do automóvel...do petróleo... dos bens alimentares que vêm agora, não da "Terra" , mas desde o Chile à Africa do Sul

Um desperdicio de recursos e dinheiro . Como é que um país pobre como Portugal enveredou por aqui ? Bom à custa de muita ignorância , de alguma corrupção , de alguma vaidade (por exemplo nas autarquias ; obras megalómanas , rotundas a esmo , parque automóvel, Paços do Concelho...)... e de um crédito que tudo facilitou... que todos endividou...

Só que agora , com buzinão ou sem ele , o petróleo, bem finito , disparou descontroladamente o seu preço , o valor dos bens alimentares e todos os custos de produção de todos os produtos , aumentou.

As taxas de crédito aumentaram e vão aumentar mais para controlar a inevitável inflacção , o mercado imobiliário está á beira da ruptura e só subsiste com a fuga (esquizofrénica e irracional) para a frente (o tal esquema piramidal) com mais e novas construções...na periferia , condomínios , novas urbanizações que vão obrigar de novo à construção de mais e novas infraestruturas... novas zonas verdes destruídas...nova redução de áreas cultiváveis...


Claro que vai chegar um dia , em breve , em que este modelo cairá por terra. E não vale a pena criticar o governo A , ou o Governo B ... ninguém obrigou quem quer que fosse a contraír créditos sobre créditos, sobre créditos, ninguém obrigou as autarquias a passar licenças de construção a esmo , a ceder todos os espaços verdes, sobretudo os que eram propriedade de alguns influentes "no processo" , para construção ... obrigando os cidadãos a deslocações pendulares que esgotam tempo e recursos... todos tiveram culpa, todos deram a sua quota parte ... do cidadão alheado, mal informado , alienado e abstencionista , aos politicos vaidosos e corruptos , à oposição que não o foi, à maioria com tiques ditatoriais...

Até podem continuar a buzinar , isso pode amenizar o desespero , mas não resolve o problema, até porque muitos que buzinam , são parte do problema . Voltar ao básico , ao essencial , ao que é importante , talvez seja a solução possível , talvez seja a única solução!

Também podemos, para além de buzinar, pôr a tal bandeirinha e falar o resto do ano do futebol, de como foi, de como podia ter sido , dos milhões do jogador A ou do treinador B , do apito final, dourado , Salgado... do clube X ou do penalty roubado , enquanto dia a dia nos vão roubando na nossa qualidade de vida , nas nossas expectativas, no nosso futuro.

Até agora temos andado , de chuteiras reluzentes , compra
das a prestações, a marcar golos...mas na própria baliza...

__________________________________________________


UM EXEMPLO DA FUGA PARA A FRENTE ATÉ AO ABISMO !

Câmara do Seixal contrai empréstimo de 10 Milhões de Euros!


quarta-feira, junho 18, 2008

PCP - E A POLÍTICA DO BUZINÃO



No vídeo, um buzinão que não foi do agrado da CDU.

O tema não era para ser este hoje, mas o tema proposto ontem "Revisão do PDM da Moita" e o tema do dia , o "Buzinão Nacional" revelaram ser duas faces de uma mesma moeda que tem o Partido Comunista como denominador comum.

A moeda a que me referi anteriormente é uma moeda falsa , sem valor real , como toda a moeda falsa engana os mais incautos mas desmascara-se fácilmente com o tempo , acabando no entanto por vezes por prejudicar ainda mais o que menos tem.

Esta gente é assim , inventou um Partido Verde, não para desenvolver politicas de protecção ambiental , mas para ganhar mais tempo de antena e de confrontação politica , mais espaço fisico na Assembleia e as benesses, sendo um único partido, de ser tratado como Grupo Parlamentar.

Depois nas Autarquias onde alcançou o poder, sempre escudado atrás de um símbolo e de um nome que dissimulava o PCP sempre no meio de algum folclore . Ao fim de todos estes anos , em vez da propalada protecção dos mais fracos e defesa do ambiente , o que vemos , até a propósito do PDM da Moita e do que transvestiram esta Margem Sul , é que se associaram aos Grandes Grupos económicos, à Banca e às Grandes Empresas de Construção Civíl , traíndo a sustentabilidade do território a qualidade de vida das populações numa prática repetida de tráfico de influências e ignorando a voz dos que , são os próprios a dizer , não têm voz.

Ainda nas autarquias da Margem Sul , desbaratou património , deixou demolir ou mandou demolir património construído com relevância histórica ou pertencente à memória colectiva tudo isto enquanto criava virtualmente o retrato contrário.

Agora temos a cereja no topo do bolo, numa época em que há um cansaço crescente desta forma de fazer política e em que se entrou numa maioridade com o aparecimento de uma forma desenquadrada de cidadania activa e interveniente (ignorada pelas autarquias CDU desta banda) vem o PCP inventar na sua forma esquizofrénica e anti-patriótica de agitação constante (esgotados os temas da educação e da saúde) supostos "movimentos" nacionais de Utentes de Serviços Públicos ...

Esta invenção do PCP (Movimento de Utentes dos Serviços Publicos) só me faz lembrar a publicidade a uma bebida que dizia que a dita era a "Patrocinadora Oficial" daquele Verão...

Este Partido está aparte de tudo , precisa da constante insatisfação para sobreviver , por isso não estranha o pouco que tem trabalhado em prol dessa orientação para a população , não estranha que com os PDM de Segunda Geração estejam a destruír o que ainda lhes resta destruír desta Península única , estejam a estabelecer parcerias a preço de saldo com off-shores , estejam a endividas as futuras gerações criando-lhes encargos hipotecários e rendas a pagar no futuro a Grandes Empresas de Construção que tudo têm devorado do património natural, das florestas, dos terrenos agrícolas.

Para Quando um Grande Buzinão a toda esta farsa , a todo este oportunismo , a toda esta Xico-Espertice ?

terça-feira, junho 17, 2008

A BETONIZAÇÃO DE 2ª VAGA , VULGO PDM's DE SEGUNDA GERAÇÃO - MOITA






















Despacho da Agência Lusa sobre uma IMPORTANTÍSSIMA reunião na Moita sobre a revisão do Plano Director Municipal ... agendada para o mesmo dia e hora de um jogo da Selecção no Euro 2008 .

É isto a ética autárquica , é este o planeamento territorial em Portugal ... do outro lado do Rio , Isaltino dirá como Scolari ... "E sou (só) eu o mau ??? E sou (só) eu o Burro ??? E sou (só) eu o Ruím ??? ...:

« A exclusão da Reserva Ecológica Nacional (REN) em faixas de 40 metros de profundidade a contar do eixo das vias municipais, nas zonas dos Brejos da Moita e Barra Cheia, foi a principal novidade da versão final da revisão do Plano Director Municipal (PDM) da Moita.

Numa reunião extraordinária realizada ontem à tarde, o presidente da autarquia, João Lobo (PCP), defendeu que esta alteração no processo de revisão do PDM vem resolver muitos problemas da população, pois os corredores permitem a construção dentro de alguns parâmetros, sendo alternativa à inclusão de REN nos terrenos agrícolas das duas zonas.“Cerca de 60 ou 70 por cento da população pode resolver os seus problemas e não a escolhemos a dedo.

Esta alteração vai permitir resolver uma série de questões para a população na zona, quer a oposição goste ou não”, disse.

João Lobo lembrou que a existência de alguns corredores já tinha sido defendida pela autarquia, mas que a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) inviabilizou a proposta e que agora foi ela própria a retomar a proposta da Câmara da Moita, que foi aprovada pela Comissão Nacional da Reserva Ecológica Nacional (CNREN) em Abril de 2008.

PS local critica processo“Sempre que tínhamos possibilidade tentávamos convencer a Comissão de que a nossa proposta tinha viabilidade e sustentabilidade.
Foi a própria CCDR a retomar a proposta que foi aprovada pela CNREN”, defendeu.

O vereador Vítor Cabral (PS) defendeu que o actual processo de revisão é uma “manta de retalhos” que não reflecte as ideias da CDU, nem da oposição ou da população da Moita.“Esta proposta deixa-nos perplexos. Surgiu em 2005, caiu e foi retomada agora de novo, mas como é possível a CNREN aceitar isto e porquê apenas naquelas zonas?” – questionou.

“O presidente agiu com parcialidade em todo o processo, foi amigo para alguns e carrasco para outros”, disse ainda.

Joaquim Raminhos, vereador do BE, defendeu que elementos da CCDR e CNREN deviam ter estado presentes na reunião extraordinária sobre a versão final da revisão do PDM.

“Andamos a fugir para a frente, este processo foi muito discutido e existem várias situações que deviam ser esclarecidas, como as buscas da Policia Judiciária. Defendo que o processo deve ser parado pois vale a pena ponderar”, afirmou.

PSD queria atenção ao novo aeroporto. Luís Nascimento, do PSD, lembrou as diferenças de valor dos terrenos consoante a sua classificação e disse que um processo que a proximidade do novo aeroporto nada altera, é “demonstrativo do erro” que se comete.

“Existem terrenos que valem zero euros por hectare (REN), terrenos que valem cinco mil euros por hectare (RAN) e terrenos que valem 600 mil euros por hectare (urbanos).
O que está em discussão é que as pessoas vêem que ao vizinho saiu a lotaria e a si a fava, e era importante analisar a quem saiu a lotaria”, acusou.

O presidente voltou a lembrar que o processo de revisão já tinha sido aprovado a 9 de Julho de 2007, com os votos contra de toda a oposição, e que em causa estavam apenas as alterações finais ao processo.

Na votação, a versão final da revisão do PDM foi aprovada por maioria, com votos a favor do executivo da CDU e votos contra de toda a oposição

_________________________________________________

ULTIMA HORA








Não bastava esconderem-se atrás das "argolinhas" e dos "favinhos de mel" das várias versões CDU , agora os militantes do PCP escondem-se atrás de hipotéticas "Comissões ou Movimentos de Utentes"!

O PCP no seu melhor...

Que tal uma Comissão, ou Movimento de Utentes das autarquias da Margem Sul e um protesto à má qualidade de vida, à betonização, à falta de liberdade , à má qualidade do espaço urbano , à poluição do ar , ao aumento do tráfego automóvel pelo alastrar das áreas urbanizadas e pela massificação e densificação populacional ? ...

O que é grave, para além da constante agitação , é a subversão e o descrédito do que são movimentos reais de cidadãos !

Mais uma actuação fraudulenta do Partido Comunista.

segunda-feira, junho 16, 2008

SEIXAL - "OS CORTINADOS" DO SENHOR MATEUS


















Abordámos durante a passada semana a questão da Ditadura Comunista reinante na Margem Sul, parece que somos u
m povo de segunda em relação à Democracia portuguesa , à Constituição da República e ao Ambiente .

O PCP faz o seu papel , em perfeito desrespeito pela democracia , pelas instituições e pela liberdade ... mas temos de reconhecer que houve durante décadas , por parte dos orgãos centrais dos outros partidos uma demasiada displicência em relação a este lado do rio , e que conduziu a esta impunidade e despudor .

Este abandono que sentimos, até parece configu
rar que houve em tempos um "Tratado de Tordesilhas" que assim distribuíu, Direitos, Deveres e Território .

Numa margem onde o poder utiliza ainda métodos e tiques do PREC tem um mérito acrescido, em relação ao todo nacional , o trabalho desenvolvido por parte de quem, na oposição tenta localmente e em sede própria, que os
pressupostos da Democracia e do Estado de Direito vão funcionando.

O mesmo mérito tem ainda maior expressão , por razões óbvias...quando esta iniciativa parte do cidadão comum ou de uma qualquer ONG.

A última notícia remete-nos para ... Myanmar ou para a Coreia do Norte , não tivesse ela acontecido antes junto à Baía do Seixal.
A notícia que se baseia no press-realeased do Grupo Flamingo , pode ser lida aqui na íntegra :

Retirado e proibido abaixo-assinado pela preservação do Sapal de Corroios na Feira da Terra


« O Grupo Flamingo – Associação de Defesa do Ambiente foi convidado a participar, por um grupo de finalistas universitários, na Feira da Terra, que se realizou nos dias 7 e 8 de Junho na quinta da Fidalga no Seixal, a cuja organização também pertencia a Câmara Municipal do Seixal.

No stand atribuído à Associação, foi exposta diversa informação relacionada com as actividades desenvolvidas por esta nos últimos anos, merecendo particular destaque pela sua importância um abaixo-assinado que apela ao Senhor Presidente da Câmara Municipal do Seixal para que não licencie um estabelecimento para a engorda artificial de peixes que uma empresa privada pretende instalar no Sapal de Corroios, e para que seja preservada esta zona húmida que é a mais bem conservada de todo o estuário do Tejo, a sul de Alcochete, abrangida pela legislação da Reserva Ecológica Nacional.


Foi com espanto e indignação que no passado Domingo, 08 de Maio de 2008, recebemos, de uma técnica superior da Câmara do Seixal, a notícia que, aquando da visita do executivo camarário à Feira, este viu foi com desagrado o abaixo-assinado exposto, razão pela qual a organização daquele evento retirou abusivamente aquele documento do stand do Grupo Flamingo.


A ser verdade o que nos foi transmitido pela já referida técnica, esta atitude inqualificável demonstra a intolerância em aceitar posições e pontos de vista diferentes ou não estivéssemos num Regime de Estado Democrático, onde a liberdade de expressão é um direito de qualquer cidadão e de qualquer Associação conforme consagrado constitucionalmente.(...)


Na prática há uma violação implícita de dificultar a informação ao cidadão da administração central e local. As opiniões contrárias são vistas como “entraves” vindas de “fantasmas” por eles criados e rotulados. Se não és por mim, és contra mim.

A este poder custa aceitar opiniões contrárias, pois vêem-se imbuídos de um altruísmo autista que os leva a pensar que são donos da verdade e da razão.»
- acrescenta o comunicado.

Para finalizar, não resisto em transcrever a justificação dada pelo PRESIDENTE DA CÂMARA e por o tal senhor Mateus, descrita na primeira pessoa pelo Vereador Samuel Cruz , no blogue Rumo a Bombordo, cito :

«... sobre esta matéria pedi esclarecimentos ao executivo comunista, ontem em sessão pública de Câmara, sendo que me foi confirmada a situação aqui relatada. Dizendo o Sr. Presidente da Câmara que não poderia aceitar esta situação por ser comparável "a uma mulher que dá facadas no matrimónio", uma vez que a organização do evento se fazia num quadro de parceria e o Vereador Carlos Mateus afirmado que "tal era como se me convidasse para sua casa e eu dissesse mal dos cortinados". Sem mais comentários! »

Deixo-vos ainda outras análises deste facto publicados nos Blogues , Rumo a Bombordo- (clique) e HEKATE , este fim-de-semana ou ainda aki e aqui no blogue da JSD Seixal...
_____________________________________________________

NOTA FINAL

O Grupo ambientalista Flamingo é útil para limpar as praias fluviais do Seixal , como vimos na entrevista do Vereador do Ambiente ... mas não "para dizer mal dos cortinados"...

domingo, junho 15, 2008

SEIXAL - A RESTAURAÇÃO SEGUNDO MATEUS





O Senhor vereador do ambiente fez a seguinte declaração ao jornal Comércio do Seixal e Sesimbra :

As pessoas podem, e devem, utilizar a Ponta dos Corvos para os seus tempos livres, até porque ali há uma infra-estrutura de restauração, balneàrios e sanitários ...

Hoje, motivado pelo convite do senhor Vereador , lá fui , e o que vejo ? Que tais declarações só revelam , ou que o senhor Vereador não conhece o local, ou conhecendo , tenho a lamentar o seu grau de exigência , que é muito baixo... abaixo mesmo do que a lei define como o mínimo exigível.

A referida "infra - estrutura" , é uma construção de duvidosa legalidade do ponto de vista do Regulamento de Edificações Urbanas , aliás , gostaria que os vereadores da oposição exigissem da parte da autarquia , todo o processo de construção , autorização de funcionamento e alvará do referido estabelecimento , concessionado pelos Bombeiros do Seixal, até 2010 , a privados.





Chamar "aquilo", uma infraestrutura de restauração e balneários ou sanitários "aquilo" ... revela o nível destes autarcas... senhor vereador, devia ter vergonha do que acha que "basta" para os munícipes do Seixal...e o mais grave é que nem com as autarquias vizinhas quer aprender ... não quer "fazer juízos de valor" não é ?

Mas que capacidade tem o senhor para o fazer, se chama
"infra-estrutura de restauração" a uma construção informal, onde os talheres e a loiça são lavados num espaço da "esplanada" junto às mesas destinadas clientes , onde está também um assador (antigo bidom de óleo reconvertido) , onde co-habita comida (aparentemente) em vinha de alhos ou/e restos de comida , tachos, jericans de combustível , latas de tinta, restos (?) de comida e talheres "lavados" e loiça a escorrer (imagens abaixo) .

Quanto aos Sanitários/Balneários (imagem acima) , a utilização dos femininos requer a presença da concessionária , é que
"as mulheres metem homens lá dentro, são piores do que eles" (sic) , os masculinos cohabitam com urinóis e um wc, aliás alguém muito aflito fez de um dos chuveiros... WC para "sólidos"...

Senhores autarcas da oposição e representantes dos partidos da oposição, façam qualquer coisa , são centenas as pessoas que à falta de lugares de lazer no Seixal, buscam ali compreensível refúgio, naquela zona natural única.

Neste período de alta dos combustíveis e do nível de vida , muitos não têm outra opção... visitem o local , o que ali está a acontecer é degradante , um caso de saúde pública , e vendido pelos autarcas da maioria como tendo o mínimo de qualidade, aliás , deve ter mais "perigo para a saúde pública" aquela "infra-estrutura" do que mergulhar nas águas do Tejo!

E depois há por exemplo as lambujinhas ali comercializadas, são os bivalves ali à venda apanhados no local onde a água "é imprópria para banhos" ?

E não há alguém que mande a ASAE ao l
ocal ?

Senhor Vereador do Ambiente tudo isto que elogia e recomenda é mau demais ... deixe lá as àrvores fora do desenho que é o menor dos problemas, e... óbviamente :

- DEMITA-SE!

sábado, junho 14, 2008

SEIXAL - O AMBIENTE SEGUNDO MATEUS

















No Seixal, o Vereador do Ambiente Carlos Mateus , concedeu ao Jornal Comércio de Seixal e Sesimbra , na passada semana , extensa entrevista aqui mencionada ontem. Hoje tomámos a liberdade de transcrever alguns excertos antológicos devidamente ilustrados , pois uma imagem vale mais do que mil palavras ...








Questão Ponto Verde : Senhor Vereador, o que são afinal as praias do Seixal ?

a) uma "Zona Balnear com Água de Má Qualidade " ou
b)" Zon
a Ribeirinha de Recreio e Lazer não classificada como Zona Balnear" ?

Resposta CM : A nossa baía não é realmente uma zona balnear, apesar de ser uma àrea privilegiada do ponto de vista ecológico, da biodiversidede, estético (...)

Nota Ponto Verde ... embora o senhor reconheça que ...

Naturalmente que as pessoas têm a expectativa de poder
usar «as praias» ribeirinhas para lazer (...)

(...) no Seixal não proibimos que se tome banho dizemos apenas que a água não é própria para banhos , pelo que fica ao critério de cada um.

O Ministério do Ambiente nunca interditou estas praias, dizendo que «é expressamente proibido tomar banho na água que banha o Seixal» (...) e estamos a tom
ar todas as medidas possíveis para colocarmos as nossas margens ribeirinhas ao serviço da população. Isso far-se à com tranquilidade , e quando a água melhorar significativamente de qualidade (...)

La Palisse segundo Mateus:

Mas acredito que deixando de haver lançamento de efluentes na baía, em poucos anos também a natureza se irá encarregar de limpar o espaço e naturalmente teremos as nossas águas em boas condições, assim todos contribuam da mesma forma, a sul e a norte do Tejo .

As pessoas podem, e devem , utilizar a Ponta dos Corvos para os seus tempos de lazer, até porque há ali uma infra-estrutura de restauração , balneários e sanitários... (nas imagens acima)




...mas não podem acampar .

Não permitiremos qualquer acampamento no local . Tomámos essa medida há alguns anos atrás, porque consideramos que a zona não tem condições para campismo desde logo devido á qualidade da água ...




- Uma verdadeira extravagância , a limpeza... ANUAL !!!

Vamos continuar com os procedimentos que temos todos os anos . Anualmente pedimos emprestada uma máquina à Câmara de Almada para fazer a limpeza do areal , bem como o areal do lado ribeirinho do Seixal, até à zona da Azinheira.
Fazemos também uma parceria anual com o auxílio dos Escuteiros e do Grupo Flamingo , disponibilizando a autarquia os materiais e as viaturas para limpeza das zonas...

Nota Ponto Verde : Então , não há funcionários da Câmara para o efeito ?

Há um ano aqui fizemos (clique) , a mesma análise... nada mudou !!!

O Senhor Vereador
fez as mesmas promessas... prometia, para este ano :

" elaborar um estudo de requalificação para aquele espaço com estacionamento, arborização, colocação de mesas e optimização como espaço de lazer e parque de merendas"

Este ano o senhor Vereador promete :

"...reorganizar o espaço, com obras de pequena monta, em termos de estacionamento, disciplinar a arborização em sítios adequados, retirando árvores que estão mal colocadas em função do desenho que temos "

Não é gralha mesmo ...
o senhor vereador promete disciplinar as árvores que saíram do desenho ... palavras para quê ???

Deve ser a coisa mais urgente a fazer !!!


Está a fazer concorrência aos Gato Fedorento ?


Pela segunda vez (clique) , senhor Vereador , DEMITA-SE , o senhor é uma nulidade no desempenho do cargo, e ainda falta revelar a mais recente do senhor vereador , aquela em que justifica a proíbição de um abaixo assinado circular em propriedade municipal (portanto : PÚBLICA ) em defesa do sapal de Corroios como, segundo as suas palavras :
"tal era como se me convidasse para sua casa e eu dissesse mal dos cortinados" ...

___________________________________________

BOM EXEMPLO !

Uma zona fluvial de lazer numa autarquia do interior "abandonado" ... Marvão (Clique) . Onde o Vereador Mateus não vê nada, outros vêem potencial e uma vantagem para a população, mas o que esperar de um vereador do ambiente para quem as árvores atrapalham...