quinta-feira, setembro 30, 2010

CIDADANIA PELO ESPICHEL


O blogue a-sul solidariza-se divulga e apoia mais um conjunto de acções de cidadania , fora dos partidos ou das autarquias na defesa do Cabo Espichel, essa maravilha esquecida de Portugal.

Trata-se de um conjunto de iniciativas que teve a sua face mais espectacular no espectáculo Musicas pelo Espichel , um alerta deixado pelos participantes e pelo fotógrafo Carlos Sargedas que a par de muitos activistas e cidadãos anónimos puseram em prática esta acção em prole da defesa patrimonial do Cabo Espichel.


Curioso tal ter ocorrido no mesmo fim de semana daquela iniciativa pífia e institucional denominada "Sete Maravilhas de Portugal" onde ficou demonstrado que afinal pouco mais somos que um país que varre o seu lixo para debaixo, não do tapete, mas dos seus bilhetes postais que tanto maltrata.
.. a começar pelas autarquias e pelo Estado.

quarta-feira, setembro 29, 2010

FRUTA DA ÉPOCA


Parece que não existem, que são os yes boys de outro partido que precisa de si próprio para se disfarças daquilo que não é.

Passados todos estes anos não há quem não saiba que assim é ... uma farsa...

Mas de vez em quando a senhora Helóisa lá dá um ar da sua pouca graça inventando questões que deverá considerar "ambientalmante" fundamentais .. ou "importantes"...

O último golpe de magia da senhora Héloisa , foi falar, não de coisas mundanas como as alterações climáticas, o pico do petróleo, a mudança de paradigma no sector dos combustíveis, a biodiversidade, a construção de ciclovias e de sistemas alternativos de transporte, o abandono ambiental na margem sul... a nova lei de solos...não, nada disto...


O que é importante para a senhora Héloisa é a "situação financeira da Federação Portuguesa de Vela" ... extraordinário... ainda bem que temos um "Partido Ecologista «Os Verdes»"

terça-feira, setembro 28, 2010

FINALMENTE



« O Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território vai promover, a partir desta segunda-feira, uma primeira reunião com especialistas para expor como pretende conduzir a discussão sobre a revisão da Lei dos Solos.

Na reunião, realizou-se ontem no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa, o ministério vai apresentar o "roteiro metodológico e cronológico do processo", segundo o convite enviado a diversos especialistas.

A actual Lei dos Solos é de 1976. Uma nova lei deverá, em tese, servir de suporte para combater algumas das principais causas da desordem na ocupação do território em Portugal. Entre outros temas, o Governo quer discutir a questão das mais-valias sobre os solos, hoje quase que exclusivamente apropriadas pelos privados. Esta é uma das razões apontadas para a especulação imobiliária.

Na sequência da discussão pública que vai lançar agora, o Ministério do Ambiente pretende apresentar um projecto de lei até ao Verão de 2011.»

segunda-feira, setembro 27, 2010

SEIXAL ; A NOVA E "INTELIGENTE" ARQUITECTURA FASCISTA


Quando acontecem greves, são conhecidos os desencontros crónicos entre os números fornecidos pelas estruturas sindicais e pelos trabalhadores e aqueles dados pelas entidades empregadoras.

O Novo e "ecológico" edifício da Câmara do Seixal. aquele pelo qual a autarquia paga mais de 200 mil euros mensais a um grande grupo económico ( ... Ai...se esse valor revertesse em parte para os salários dos trabalhadores...) .

Parece que o novo edifício da Câmara do Seixal é o primeiro a fornecer em tempo real, os resultados de uma greve dos STAL (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local ) como a ocorrida na passada semana... é que o edifício "por razões de segurança e funcionamento" - determinadas superiormente pelo presidente da autarquia - para que pura e simplesmente "se feche a si próprio" muito democ
raticamente ... basta aderirem à greve não os trabalhadores que o pretendam fazer livremente... mas basta que faltem DOIS , dos seis considerados fundamentais para que o edifício possa funcionar... e que assim é pura e simplesmente fechado.

Ora digam lá que não é Inteligente o funcionamento deste edifício, já não faltava o big brotheriano sistema de controlo vídeo dos funcionários , temos agora uma original "gestão do direito à greve"...


A vantagem é que a partir de agora os números de adesão a uma greve dos STAL no Seixal, não têm que enganar , serão sempre de 100% , a matemática e a ""Democracia" da Ditadura instalada a sul do Tejo, não engana !!!
________________________________________________

ÚLTIMA HORA

Na Coreia do Norte a exemplar "Democracia" elogiada pelo Deputado Comunista Bernardino Soares como referência de sociedade .

Acabou de se saber que ao Avô Ditador, sucedido pelo filho ditador, se sucederá o neto do primeiro e filho do segundo, mais um Kim de seu nome.

God Save The Kim

domingo, setembro 26, 2010

ECO-SOLUÇÕES , RONDA



Até na pequena cidade de Ronda na Andaluzia espanhola está a funcionar um sistema municipal de aluguer de bicicletas .

Esta é a forma real e imediata de criar um melhor ambiente urbano com maior mobilidade e menor poluição , de combater o aquecimento global provocado pelo homem e a dependência do petróleo.

Na margem Sul, nada de concreto é feito , pois a base, a construção de ciclovias, parece não ser a solução politicamente correcta para "Os Verdes" da CDU no poder, que nem aproveitaram alguns troços de ciclovia construídos pela empresa Metro Sul do Tejo no espaço canal em alguns locais da sua rede.

Isto enquanto os particulares aderem cada vez mais ao uso diário da bicicleta o que é visível e notório na observação dos pontos de estacionamento para bicicletas nas estações da Fertagus.

sábado, setembro 25, 2010

ECO-SOLUÇÕES - SEVILHA



Sem grandes comentários, hoje em dia , até bem perto na Andaluzia , há excelentres exemplos de iniciativas de locomoção sustentável usando sistemas de aluguer de bicicletas com a respectiva construção de ciclovias.

Continuamos à espera de quê ?
___________________________________________



A NÃO PERDER



Quem parece que não está à espera para debater questões ambientais actuais é o CDS de Almada que:

«
... organiza Seminário sobre Ambiente, Agricultura e Sustentabilidade, "Solos Agrícolas - Um Bem Comum", no próximo domingo, dia 26, à tarde, nas instalações do Inatel (Costa da Caparica).

Presenças confirmadas: Ministro da Agricultura, Deputado Europeu Nuno Melo, Arq. Gonçalo Ribeiro Telles, Prof. João Joanaz de Melo (GEOTA), Prof. Eugénio Sequeira (LPN), Octávio Machado (agricultor), Carlos Magno (jornalista moderador), Fernando Sousa da Pena (deputado municipal), Palmira Gonçalves (ARAB).


Abertura por António Maco (CDS Almada) e Deputado Nuno Magalhães. Encerramento com Paulo Portas, Presidente do CDS. »

sexta-feira, setembro 24, 2010

SEIXAL JÁ "EXPORTA" CRIMINOSOS


Do Seixal para o país , assim se poderia titular este post , uma vez que que o bando envolvido num recente violento assalto à mão armada a um restaurante chinês do Porto Alto era oriundo do Bairro Social da Quinta da Princesa.

Do Correio da Manhã de 17/09/10 : « O gang, todo originário do bairro da Quinta da Princesa na Cruz de Pau, Seixal e com antecedentes de crimes violentos, roubou cerca de dez mil euros em dinheiro a vários clientes, bem como bens avaliados em 11 mil euros. Até levaram o BMW do dono do restaurante avaliado em dez mil euros »

Tirem as vossas ilações .

quinta-feira, setembro 23, 2010

AINDA O CARNAVAL DO AVANTE


A queixa de um leitor, numa carta publicada no Jornal Comércio do Seixal e Sesimbra do dia 10 de Setembro e que por constituir o sentir de muitos residentes aqui reproduzimos alguns excertos:

« Venho por este meio mostrar o meu desagrado, na condição de morador na Quinta da Medideira, em relaçã à frma como, de ano para ano, o organização da « Festa do Avante» tem vindo a piorar o seu desempenho. (...)

As ruas são bloqueadas por agentes e swó poderão passar os condutores que apresentarem um "livre trânsito" , disponibilizado pela CM. do Seixal aos MORADORES. (...)

(...) os moradores vêem-se, durante os três dias da festa Comunista, impedidos de tirarem os seus carros do estacionamento, visto que estes são trancados por outros, vendo-se obrigados a buzinar durante extensos minutos para poderem saír da sua rua para, tão simplesmente , irem trabalhar. (...)

Este ano vi cenas surreais de jovens a serem esmagados contra as grades do parque, depois de ingerirem grandes quantidades de álcool (...) .

E este cenário dantesco repete-se várias vezes , ano após ano . Três dias de intenso barulho, onde se assiste a cenas deploráveis da condição humana. Cada vez mais os visitantes da «festa do Avante» são menores de idade, que ingerem álcool e drogas livremente , longe da vigilância dos pais.

O Avante é liberdade . Liberdade para fazerem o que querem, tal como urinar contra as paredes dos prédios das ruas que dão acesso às entradas principais da Festa (...). Mário Fernandes »

Nota : Excertos , a carta pode ser lida na íntegra no Jornal Comércio do Seixal e Sesimbra de 10 de Setembro de 2010 pag 6.

quarta-feira, setembro 22, 2010

TRIBUNAL DE CONTAS 3


Como vimos, a autarquia de Setúbal foi condenada pelo Tribunal de Contas ( TC ) por ter violado a lei que obriga concursos públicos em empreitadas superiores a 150 mil euros.

No Seixal a autarquia aparentemente viola esse preceito da lei, mensalmente... só com o arrendamento do novo edifício da câmara, sem já não falar do Parque Técnico da Cucena, ambos alugados ao mesmo proprietário... por ajuste directo por valores bem superiores a esse limite legalmente estabelecido.

Lembra-mo-nos também de um Bairro Social PER feito na Cucena, também em ajuste directo, também pela tal empresa ( do mesmo
grupo pois então) em terreno industrial no PDM...propriedade da "tal empresa"... onde depois puseram a viver ciganos num gueto rodeados de arame farpado...

Para além destes e doutros casos que alegadamente violam grosseiramente os limites da lei há outros mais comezinhos que gota a gota mo
stram o que contribui para o afundar das finanças públicas favorecendo discricionáriamente alguns, segundo o blogue Viver Seixal « ... em aproximadamente dois anos, o município do Seixal, já realizou cerca de 1370 Ajustes Directos, no valor de mais de 23 milhões de euros.

Por outras palavras, uma fatia substancial do orçamento do município é gasto em Ajustes Directos »
vejamos alguns exemplos :
- 17/12/08 ...Fornecimento de Bolo Rei ............8100€


- 12/01/09...Concerto Jazz....................................7500€

- 05/01/09... Espectáculo Natal...........................20350€

- 19/12/08...Catering para "Natal no Hospital"...7500€


- 20/10/08...Material Informático........................33884€

Escandaloso não é caros concidadãos ?
E já agora outra achega, a Câmara de Setubal foi punida num caso que alegadamente "beneficiava
" a empresa Gomes Alho...

Pergunto :


E quando o vereador Jorge Silva não obriga a mesma empresa a renaturalizar o local onde essa
empresa teve instalado um estaleiro (link) , situação contractual, assumida até pelo vereador , ao então depu
tado Carloto Marques ?

- Qual o valor desse "fechar de olhos" (link) ?

De que forma esse desleixo fere o ambiente e distorce a livre concorrência no concurso ganho por essa empresa no alargamento da A2 ?


Não há aqui matéria de investigação por parte do Tribunal de
Contas (...) ?
________________________________________________

"DIA SEM CARROS"

EFEMÉRIDE

Hoje comemora-se aquela data que não serve para nada, para além de aliviar consciências de autarcas incompetentes e alimentar muita propaganda.

Hoje continua-se sem criar medidas de fundo para criar alternativas de circulação e mobilidade na margem sul , ao contrário do que inventam.

Continuam a faltar ciclovias onde se possa circular em segurança ou uma rede integrada de transportes públicos (baratos) .

Mas lá vão fechar ruas, proíbir circulação automóvel por algumas horas ... e só para atrapalhar... poluindo ainda mais.

terça-feira, setembro 21, 2010

TRIBUNAL DE CONTAS 2


Ontem lá jorraram os impropérios do costume a propósito da desejada visita do Tribunal de Contas ao Seixal. Mas Porquê ?

É que quem não deve ... não teme !

O senhor Presidente da Câmara do Seixal, no âmbito das comemorações da inauguração dos Edificios Centrais da Câmara do Seixal alugados em ajuste directo ao Grupo A.Silva & Silva devia tomar a iniciativa de convidar o Presidente do Tribunal de Contas (TC) para um almoço - para o senhor ver que não há almoços grátis no Seixal - e depois, para uma visita guiada ao "sóbrio e bonito " novo edificio, até porque depois de almoço no Seixal as línguas ficam mais soltas.


E depois explicar ao senhor Dr.Oliveira Martins que aquele era um terreno da autarquia permutados com a construtora numa engenharia financeira em que a Câmara optou por ser, não proprietária... mas ruinosa inquilina...


Explicar também porque é que o projecto inicial não contemplava estacionamento e que essa foi uma rubrica gerida à posteriori ...


Explicar a necessidade de um sofisticado e apertado , como dispendioso , sistema de vigilância controlo e limitação de movimentos dos trabalhadores.

E depois ír para áreas bem mais do interesse do TC, como o custo do edificio e o seu ajuste directo ao Grupo A.S & S , comentar que aquele não é caso único e abordar também o edifício da Cucena , e depois explicar a razão pela qual "no contrato programa constar uma previsão de renda de 154 mil euros/mês " e porque é que afinal " a autarquia vai pagar cerca de 250 mil euros mês".

Também interessaria que o senhor Presidente do TC ficasse a par de que os calculados valores de aquisição agora seriam de 30 milhões de euros , mas que " daqui a dez anos " - com os nossos filhos e netos a pagarem impostos e os senhores que tomaram estas decisões estiverem a viver das suas luxuosas reformas - serão de 47 milhões ... para além das rendas pagas entretanto ...

Ficam assim os cidadãos do Seixal a esperar a visita do senhor Dr. Guilherme de Oliveira Martins...

segunda-feira, setembro 20, 2010

TRIBUNAL DE CONTAS 1



Do Jornal Público de 16 de Setembro

«Tribunal de Contas (TC) multa presidente da autarquia de Setúbal e dois vereadores por esta ter entregue, por ajuste directo, mais de 355 mil euros em obras para recuperação do Bairro 2 de Abril. Algo que devia ter sido feito por concurso público como manda a lei para empreitadas sup
eriores a 150 mil euros.

Na sentença do TC, relativa a Maio deste ano, Maria das Dores Meira (CDU) , reeleita nas últimas autárquicas para a presidência, foi condenada a pagar 1632 euros, ao passo que os vereadores Rui Higino e Eusébio Candeias, foram punidos, cada um, com uma coima de 800 euros.
O contrato inicial da obra, datado de Dezembro de 2005, estipulava um orçamento de 2,5 milhões de euros, tendo obtido o visto do TC. Porém, reparações na obra consideradas "imprescindíveis" motivaram u
m novo contrato com o mesmo empreiteiro, Teodoro Gomes Alho e Filhos, em Julho de 2007 (...) »

E eu que pensava que o Tribunal de Contas andava distraído em relação à margem sul...

Já estou a imaginar por aí mais gente a dormir mal , não vá o TC obrigar a desembolsar por obras não contempladas em orçamentos já de si escandalosos ... em ajuste directo... como os novos Paços do Concelho do Seixal ... ele era mais um Parque de Estacionamento não contemplado...ele era mais um sistema de vídeo para controlo dos trabalhadores que não estava no projecto ... mais um "tapetezinho" comprado ao ca
marada Cargaleiro por 162 mil euros...

Doutor Guilherme de Oliveira Martins, atravesse a ponte e venha ver o que se passa nas autarquias desta Banda(lheira) , o Seixal e arredores até se vêem das janelas do Centro Nacional de Cultura...
_______________________________________________


E Para que conste:

Dos Classificados do Correio da Manhã dia 7 de Setembro:

« Eu, António Carrasco Lopes, militante deste partido PCP nº 152 746, venho por este meio declarar que não tive nada com o roubo do dinheiro de José Figueiredo durante a Festa do Avante no Bar de Alcochete »

Afinal o mundo perfeito tem um "lado negro" , ou será que o verniz que ainda vai escondendo a fachada do verdadeiro do PCP se vai esboroando ?

domingo, setembro 19, 2010

500 ANOS DE ALVALADE


Recebemos via blogue Alentejo Litoral o anúncio da comemoração a que nos associamos , uma Vila do Distrito de Setúbal, outrora Concelho , que comemora 500 anos de Foral:

«Nos próximos dias 17, 18, 19 e 20 de Setembro realiza-se em Alvalade (vila histórica do concelho de Santiago do Cacém), mais uma edição do "Alvalade Medieval".
Este ano, de forma muito especial visto tratar-se das Comemorações dos 500 anos sobre a atribuição do Foral, pelo Rei D. Manuel I, em Santarém aos 20 de Setembro do Ano de 1510. Com este documento, concedia-se a Alvalade e ao seu Concelho, importantes regalias administrativas, regularizando a vida local, nomeadamente na área fiscal e de transação de bens e mercadorias.

Desde a recuperação e recolocação do pelourinho, pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém, em 20 de Setembro de 2000, esta data tem sido celebrada de forma intensa pelos Alvaladenses. A realização da Feira Medieval, tem vindo a contribuir para o desenvolvimento da Vila de Alvalade contando-se por largos milhares os visitantes que anualmente acorrem à nossa terra para assistirem ao evento. Este ano, mais uma vez tudo está a postos para receber todos os que nos venham visitar. De realçar que no dia 20 de Setembro – 2ª feira – será celebrada a data histórica dos 500 anos do Foral.

Para além da participação das crianças e jovens do Agrupamento de Escolas, com lançamento de balões com mensagens alusivas à efeméride, terá lugar pelas 19.30h, no Salão da Casa do Povo, uma Sessão Solene evocativa, que contará, entre outros convidados, com a presença de S.A.R. Dom Duarte Pio, Duque de Bragança que se associa às celebrações dos 500 anos do foral manuelino de Alvalade. Seguidamente será descerrado na frontaria do edifício dos antigos Paços do Concelho, um painel de azulejos, que lembrará no futuro esta data importante. Segue-se um repasto, oferecido aos convidados e população que nos visita neste dia.

Para outras informações sobre o programa do evento, por favor aceder à página oficial das festas em http://alvalademedieval.no.sapo.pt »

sábado, setembro 18, 2010

PALHAÇADA MÓVEL


Hoje é dia de mais uma pantomina caracteristica dos regimes comunistas, um faz-de-conta onde nada de real acontece mas parece que tudo mudou sem nada se alterar, ano , após ano...


Esta palhaçada da «mobilidade» em Almada continua sem quaisquer consequência prática , no concelho onde se vai predominantemente de carro ao shopping que se construíu fora da área urbana e numa antiga quinta, a cidade onde não há uma ciclovia que ligue o centro da cidade ao Parque da Paz, e onde o Metro Sul do Tejo serviu para dividir a cidade e circular el alta velocidade por uma «zona pedonal» matando três pessoas em treze meses de funcionamento.

A cidade cujo centro fica deserto às seis da tarde, onde a caça á multa é uma constante e onde estacionar é um roubo e uma aventura.

Mas se quizerem participar na farsa aqui estão as informações :

« A Câmara Municipal de Almada promove, a 18 de Setembro, o Festival da Mobilidade, com viagens a troco de lixo, ateliers de eco-condução, feira da bicicleta, exposições de arte móvel, espectáculos e animação de rua, "Bike Sprint", roda dos petiscos e mostra de filmes.

As actividades decorrem entre as 10h00 e as 24h00 nas Praças da Liberdade e S. João Baptista.

Contactos:

Telef: 21.272.25.10

Fax: 21.272.25.19

Email: almada21@cma.m-almada.pt »




quinta-feira, setembro 16, 2010

LIXO NOS MEDOS...E NAS RUAS


Mete pena o estado a que a Câmara de Almada deixou chegar os principais acessos às praias e as matas , incluindo a dos Medos que despreza em vez de ser a fiel depositária de um património único e que é Reserva Paisagistica.

A situação é de tal ordem que na estrada que liga a Cruz de Pau à Fonte da Telha é contrastante o território gerido pela Câmara de Alm
ada e a do Seixal , honra seja feita a esta última.

Há muita falta de civismo da parte de quem deixa lixo, atira garrafas de água e fraldas descartáveis pela janela do carro, mas há também uma ausência total de limpeza por parte da Câmara de Almada, a que
se acresce, na zona do condominio fechado da Quinta da Aroeira, a existência de verdadeiras lixeiras a céu aberto, tal é o lixo acumulado e sem recolha.

Mas há mais, é que há que falar ainda das bermas não cuidadas e cheias de ervas altas e matos (para além do lixo) em todos os
acessos às praias.

Quanto pior melhor parece ser o lema da Câmara de Almada. (foto EmAlmada)
_______________________________________________


ACTUAL

Na edição da Visão desta semana a análise de um tema aqui falado ontem, o país real do excesso de construção, de quem não pode aceder ao crédito e de quem deixou de poder pagar a sua prestação mensal.

quarta-feira, setembro 15, 2010

QUE MARAVILHA DE PAÍS ESTE


É realmente um país maravilhoso este, onde hoje a Igreja diz não ter mãos, nem meios a medir na ajuda aos desempregados e carenciados, mas onde , no mesmo dia, uma autarquia comunista, num dos concelhos onde há maiores carências , inaugura o aluguer milionário de um edificio Hi-Tech a um construtor civil, em ajuste directo e ao qual está a pagar mensalmente 200 mil euros (valores actuais)... só pela vaidade!


Que maravilha de, apesar de uma grande maioria de portugueses ( a que recorre à igreja e não só...) não poder assegurar as mensalidades do empréstimo da sua casa , apesar de haver milhares de casas vazias, sem comprador, autarquias continuarem a dar carta branca à expansão imobiliária e à criação de mais urbanizações (desvalorizando na maioria dos casos as já construídas e agravando o problema social dos seus proprietários ), muitas dessas novas urbanizações , em zonas que deveriam ser zonas verdes a preservar , segundo anteriores compromissos .


Que maravilha de país este em que só 34% das empresas paga IRC, e destes 34%, só 49% declara lucros, mas onde o parque automóvel é o que vemos. Numa meia hora alietória da A2 no percurso Faro - Fogueteiro , andando à velocidade limite de 120 Km/h sou ultrapassado (num troço de 60 Km) por 67 Mercedes, Audis e BMW's topo de gama , um deles podia até ser o do presidente da tal autarquia ( claro em pleno e justificado serviço público e pago pelo mesmo erário, tal como o "andante" ) ...

Que fantástico este país onde os chico-espertos compram terrenos mais baratos porque , "espartilhados" ( e bem ) com protecções ambientais , mas com o fito de na próxima revisão do PDM ou Plano de Pormenor , com a ligação certa na autarquia ou no partido, esse "espartilho " desaparecer com o referido
jackpot acumulado a surgir ... E que se meter um , ou mais off-shores e mais umas "engenharias" e se calhar até , um bairro "social" ... nem entra migalha na fiscalidade.

Que maravilha de Nação esta, onde existe esta iníqua lei de solos onde discricionáriamente uns podem enriquecer sem contrapartida nenhuma para o Estado , quando outros ao lado empobrecem alegremente cumprindo a lei e pagando os seus impostos . Onde a economia paralela , com fuga descarada ao fisco está em tudo, até nas festas destinadas a financiar nebulosamente alguns partidos e feitas (estou-me a lembrar de uma ) despudoradamente à custa do erário, da mão de obra e do espaço público...mas num tempo onde o mais importante parece ser rever a Constituição, discutir futebol e encenar eleições atrás de eleições.

Que maravilha de país este onde a ajuda social ao ensino público aumentou 50 cêntimos ! Onde se vende cerveja mais barata que a água nas nossas universidades e onde os manuais do ano anterior não dão para o mesmo ano , no ano lectivo seguinte e onde colégios privados , curiosamente lucrativos sediados em autarquias comunistas em zonas modelo de (não) expansão urbana , engolem espaço que se supunha ser verde e público na sua dinâmica evolutiva para aumentar o negócio com mais umas salas ou mais uma piscina...


Volta Alice, estás perdoada ... o país das maravilhas é aqui e não do outro lado do espelho. O que está hoje a dar , no meio de tanta maravilha, é por exemplo uma tapeçaria do Cargaleiro por 126 Mil Euros... que temos que dar côr à casinha nova...da tal autarquia maravilha...da "margem certa" do país maravilhoso...

- Porque não vendê-la no e-bay e dar o dinheiro à Igreja para ajudar os mais pobres ...

_________________________________________________


ULTIMA HORA

Entretanto numa certa Ilha, país de alardada maravilha comunista e logo colectivista , despedem-se em massa funcionários públicos , com a cenoura da (finalmente ) livre iniciativa... e alguns dizem ainda que deturpámos as palavras expressas pelo Camarada Fidel na semana passada de que aquele sistema "nem para eles funciona" ...

terça-feira, setembro 14, 2010

QUESTIONAR O TGV - PELOS LEITORES DO A-SUL



Apesar de não concordar com a totalidade das questões levantadas , gostaria de publicar a opinião de um leitor do a-sul sobre o TGV num e-mail recebido já há alguns meses mas que continua actual.
Pelos leitores do a-sul :


«Por amarquet

Eu sou a favor do TGV. Não sou um neo-ludita, antes pelo contrário. Ganho a vida a fazer, usar, ensinar, vender tecnologia. Sou luso-francês, tenho amigos que desenvolvem software de controlo para o TGV francês e belga, trabalhei em empresas que poderão lucrar com o TGV português. Sou a favor que uma tecnologia de transporte ferroviário rápido e eficiente seja uma realidade em Portugal. Mas, não a qualquer custo, e muito menos pelos valores que estão a ser apresentados aos contribuintes portugueses. Não desta forma.

Aliás esta questão do TGV faz lembrar aquele episódio dos Simpsons “Marge vs Monorail”, em que um vendedor da banha da cobra, acabou por conseguir impingir um projecto de monorail aos habitantes da cidade de Springfield. Pelo menos nesta ficção, os cidadãos puderam pronunciar-se em assembleia municipal, e com excepção da cautelosa Marge, acabaram por votar a favor. Escusado será dizer qual foi o resultado desta história ficcionada, a cidade ficou na ruína financeira, e o monorail acabou por cair no esquecimento. Acho que vale a pena ouvir esta música, que está na Internet (ir ao youtube.com e procurar por “monorail song”). Senão, também se pode dar uma voltinha ali a Oeiras, e apreciar um monorail exemplificativo de dinheiro público mal gasto… outro projecto esquecido.

Mas vamos à realidade, no caso da decisão de avançar com o projecto do TGV, esta possibilidade de democracia directa não é dada aos nossos cidadãos, seja através de referendo ou outra consulta, por isso o debate pros e contras é infrutífero, ou quase… em Setembro ou Outubro veremos o que nos dizem os politicos. A decisão [de construir o TGV] está tomada à revelia dos portugueses, até porque dificilmente se pode falar num projecto monolítico de TGV mas, antes de vários projectos de TGV: existe a ligação Lisboa- [Sines]-Madrid, a de Lisboa-Porto, a de Porto-Vigo, ou mesmo a de Faro-Huelva! (e as outra para Salamanca que por agora parece esquecida.)

Com toda a sinceridade, ainda não percebi o propósito desta formidável discussão, à la “prós e contras”, que se instalou nos nossos média e até no discurso político acerca do TGV, quando se sabe que a decisão de investimento neste projecto está mais do que tomada, com o aval dos grandes partidos (embora o PSD o negue, mas quando era governo tomou medidas decisivas vis-a-vis o projecto de desenvolvimento do TGV), da actual comissão europeia, das grandes empresas… Já ninguém pára este comboio. Se calhar nem com uma petição popular, como aquela contra “mais contentores” devido às obras de ampliação do porto de Lisboa, e tenho sérias dúvidas acerca da posição anti-TGV do PSD, não só porque é incoerente com o seu passado governativo, como me parece apenas uma manobra pré-partidária.

Como se viu nesta questão, a vontade popular, ou mesmo das chamadas elites iluminadas, ou dos famosos “think tanks” portugueses, não foram chamadas para a questão do TGV. Mesmo aqueles, que acreditaram que politicamente se poderia parar o TGV, e foram atrás da fantástica promessa eleitoral de Durão Barroso, de que “enquanto houver crianças em lista de espera não há TGV nem novo aeroporto” se devem ter sentido enganados… em véspera de novas eleições, o discurso da actual liderança PSD soa, e vão-me desculpar o francesismo a dejá vu.
Seja como for, o TGV ainda não é uma realidade palpável (felizmente adiado, vamos ver de que forma e como). Mas, pensemos bem no que está em jogo: só as obras de TGV actualmente planeadas:

TGV Lisboa-Madrid (3500 milhões),

TGV Lisboa-Porto (4000 milhões)

totalizam portanto cerca de 7500 milhões de euros, isto para não falar do recém-anunciado TGV Porto-Vigo, acertado na última conferência luso-espanhola em Zamora, e das linhas Faro-Huelva e Aveiro-Salamanca que para já, estão fora do pacote. O TGV corresponde portanto, a um investimento de cerca de 4,6% do PIB português (quase 6 vezes o investimento anual em I&D feito em Portugal, que se cifra nos 0,78% do PIB).

O valor real do investimento, esse, saber-se à depois da obra feita e das inevitáveis derrapagens orçamentais (que nos projectos internacionais de TGV excedem em média os 30%).

O “TGV” é por isso, e sem sombras de dúvidas, o negócio do século XXI em Portugal. Alguém dúvida disto? Parece-me que não. Por isso é que interessa tanto aos principais partidos, seja ao PS, ou ao PSD, embora este último tenha um discurso politico menos efusivo em relação a este projecto. Se for governo, logo veremos…

E o resto? Os enormes custos operacionais do projecto? O resto, pagam os portugueses e os que estão para vir. Então, e a nossa dívida
externa? Essa, também é pequena e além disso bata incorporar a lógica do “logo se vê”, porque nós também nunca fomos muito bons a fazer contas de longo prazo de qualquer das formas.

Este negócio do TGV interessa a toda a gente, menos ao contribuinte e aos portugueses em geral. Fazendo a declaração dos interessados:

  • Gabinetes de projecto, para quem o TGV ainda antes de o ser, já o era em projectos, estudos, estudos aos estudos, obviament auto-justificativos. Afinal existe um conflito de agência , entre quem os faz e o objecto de estudo. (A autoridade de quem faz o estudo é crucial como se viu no caso aeroporto da OTA versus Alcochete, que acabou por ser realizado no LNEC. Porque não um estudo TGV versus outras soluções e alternativas?)
  • Gabinetes de consultadoria de planeamento de transportes.
  • Empresas portuguesas e estrangeiras de engenharia e projectos.
  • Às construtoras civis que agora com a crise no imobiliário e contracção do sector privado estão à brocha e a usar a força de lobb para forçar obra pública.
  • Às empresas estrangeiras que vão vender a consultoria, o material circulante e outro equipamento operacional, em modalidade chave-na-mão e com engenhosos esquemas de vendor lock in. Afinal de contas, uma pipa de massa, que os franceses ou os alemães vão fazer à nossa custa … mérito próprio da suas campanhas junto de Bruxelas e São Bento.
  • Às empresas de distribuição e de produção de electricidade (sim é verdade, o TGV consome uma quantidade significativa de energia e nem sequer é um meio de transporte particularmente eficiente face à ferrovia tradicional.)
  • Aos proponentes à concessão, que terão salvaguardados os seus interesses, visto que o estado pagará durante o período em causa o diferencial entre a lotação e capacidade máxima – é uma espécie de portagem ferroviária, em que os comboios andaram sempre virtualmente cheios, mesmo que na realidade estejam vazios.
  • Aos vendedores de créditos de carbono, que sabem que o país terá de importar mais carvão e gás natural para alimentar a rede de TGV.

E isto para não falar da eterna questão das expropriações e da lista interminável de intermediários que se vão chegar à frente, por isso já ninguém consegue mesmo parar o TGV.

Sobre o TGV, seus custos e proveitos importante realizar um debate aprofundado, sem pressas. Se a UE quiser os fundos de volta, que sejam renegociados para outros fins, como a criação do hipercluster do mar.
Importa travar esta megalomania. Infelizmente, o TGV tem vindo a ser vendido internamente com base num conjunto de falácias. As que tenho vindo a identificar são basicamente estas:

Falácia nº1: O TGV é bom para a economia nacional

Parece-me que o melhor para a economia nacional é não gastar dinheiro com elefantes brancos, vejamos as crises financeiras que abalam hoje diversos países europeus. Não seria melhor sermos mais prudentes nestes gastos que sobrecarregam a nossa divida externa?

Falácia nº2: Não vale a pena acabar as obras de modernização da linha do Norte, porque o pendular nunca irá atingir a velocidade de cruzeiro de 220 Km/h

Escrevi parte deste texto, numa viagem de Alfa pendular entre Coimbra e Lisboa. Perto de Santarém viajamos a 229Km/h. Agora, repare-se que este sufismo é dito pelas mesmas pessoas que afirmam categoricamente que tínhamos toda a capacidade de engenharia civil para construir um aeroporto sobre estacas na OTA, mas pelos vistos somos incapazes de melhorar uma linha férrea, construída por engenheiros franceses em
meados do séc. XIX. Depois de já se ter gasto o que se gastou, e renovado uma parte significativa da extensão da linha. Agora é que paramos? Não parece fazer sentido.

Falácia nº3: O TGV é um transporte “moderno”

A verdade inconveniente, mas que nos meios da engenharia de transportes é bem conhecido, é que de facto o comboio pendular é um transporte mais moderno, no sentido cronológico do conceito. O TGV é uma aproximação de força bruta, idealizada nos anos 50 à problemática do transporte ferroviário, quando a energia era barata, e em que à custa de muito mais energia temos mais velocidade (a relação entre energia dispendida e velocidade é exponencial). O pendular foi desenvolvido posteriormente, na sequência da crise energética, na década de 70 e 80 e é uma resposta elegante às problemáticas levantadas pelo TGV. É uma solução de compromisso entre velocidade
relativamente elevada e adaptação dos meios ferroviários convencionais existentes, e que usa as leis da física eficientemente.

Falácia nº4: Portugal tem que estar ligado à rede europeia de alta velocidade ou a famosa táctica do medo: “não Apanharmos o Comboio”

Eu confesso que esta é a minha favorita, porque é uma daquelas pérolas das frases feitas com autoridade moral de quem as diz. Tem que ser assim porque sim. Pronto, não carece de argumentação. Como se uma linha de transporte de TGV sobretudo orientada para passageiros fosse

o mesmo que um gasoduto – entram pessoas de um lado e saem pessoas do outro. Mas, pensemos um pouco acerca disto: a ligação internacional do TGV faz-se por causa de Madrid, ou seja, em termos de transporte de passageiros o TGV não é feito para ligar à rede europeia, mas sim para ligar a Madrid (esta é a unica distancia minimamente competitiva com o avião). É completamente irrealista pensar que o TGV é concorrencial para distancias superiores as 700Km, ou que vamos a Paris ou Londres de TGV, porque não é, aliás este é um facto reconhecido pelos próprios defensores TGV a nível internacional. Enquanto, os tais 500-700Km do raio de acção óptimo do TGV permitem atingir um conjunto de centros urbanos considerável no densamente povoado eixo do cento europeu, aqui na península, dá para chegarmos a Madrid. Mesmo assim ficamos a 3h30 de TGV de Madrid, enquanto demoramos cerca 2h00 de avião c/ check-in informático, e com muito mais boa vontade temos Barcelona a 7h-7h30 de TGV e a 3h de avião c/ check-in informático.

Falácia nº5: “TGV vai revolucionar o transporte de mercadorias”

Isto parece-me um absurdo. O TGV não tem grande utilidade para a generalidade das mercadorias. O que as empresas precisam é de um sector ferroviário convencional eficiente, com empresas de transporte de ferrovia, quer sejam de matriz pública ou privada que lhes ofereçam serviços capazes, confiáveis, regulares e a preços competitivos.

Falácia nº6: “Lá fora têm TGV então nós também temos de ter” ou “ficamos atrasados em relação aos espanhois.”

A verdade é que quase nenhum país periférico como Portugal, adoptou ou pensa vir a adoptar o TGV nos seus territórios, nem na Suécia, nem na Noruega, nem na Finlândia, nem sequer na Dinamarca (os escandinavos, esses”modelos” ficam sempre de fora nestas modas. Sem grandes receios de “perder o comboio”.) É também o caso de países centrais, mas pequenos como o nosso, os suíços (com excepção das terminações internacionais a Genéve, negociadas com França e a de Zurique, paga pelos Alemães), os Irlandeses (razões óbvias de insularidade), os Austríacos… repare que todos estes países, teriam condições materiais e tecnológicas para avançar com o TGV, mas preferiram não o fazer, adoptaram antes os seus modelos pendulares ou de velocidade elevada (semelhantes ao nosso Alfa), e escalaram ou adaptaram a tecnologia às
suas idiossincrasias nacionais, fazendo reverter os ganhos de forma mais ou menos efectiva, consoante o caso, para as suas indústrias nacionais.

Falácia nº7: “O TGV é mais ecológico.”

Em relação ao quê exactamente? Mesmo não considerando o impacto ecológico, social e de degradação da qualidade de vida das populações afectadas directamente pela construção da rede férrea, o TGV implica um redesenho da rede de distribuição e fornecimento de electricidade, e quando comparado com o pendular numa base KWh o TGV perde pelo simples facto de ser menos eficiente, especialmente em percursos relativamente curtos, como seria o caso da ligação Porto-Lisboa, com pelo menos três paragens previstas em Leiria, Coimbra e Aveiro. Além de que a operação do TGV tem custos escondidos, na rede eléctrica nacional, no aumento da produção eléctrica, o que faria aumentar ainda mais a nossa factura e ineficiência energética.

Falácia nº8: “Não interessa olhar os custos mas antes os proveitos”

Sim senhor, genericamente de acordo. O problema é que ainda ninguém conseguiu fazer um plano de negócios suficientemente sólido para o demonstrar. Se o TGV fosse realmente rentável, não faltariam investidores privados, e o estado não precisava de entrar no projecto. Mas, neste momento esta é uma hipótese virtual. Como ninguém consegue demonstrar a bondade financeira do projecto, apela-se às externalidades económicas, que são muito frágeis, ou inexistentes. O actual modelo de negócio em análise vai mais longe ao considerar que o TGV é mutuamente exclusivo com o pendular. Este sim, de facto rentável sem necessidade nem de subsídios directos, nem passageiros virtuais, e uma das poucas fontes de rendimento real da empresa pública CP.

Falácia nº9: Actualmente a ligação Lisboa-Madrid não tem proposta ferroviária de passageiros séria.

E então? Qual é o crime de não haver uma ligação séria entre estas duas capitais. Não há alternativas? E bem mais baratas, e disponibilizadas por operadores privados sem quaisquer subsídios? Vale mesmo a pena penhoramos o país por causa disto? Construindo uma rede superior às nossas necessidades. Mas, como disse anteriormente, a linha Lisboa Madrid já tem atrás de si um conjunto de acordos internacionais, e um voltar de face do governo português teria um impacto considerável na nossa credibilidade internacional. Não obstante, vale a pena pensar nas consequências geo-estratégicas da linha de TGV Madrid-Lisboa. A rede de TGV espanhola está inserida num projecto politico mais vasto resultante de um problema nacionalista e separatista que não existe me Portugal e que redunda num plano nacional espanhol mais vasto de ligar Madrid a todas as capitais províncias em cerca de três horas. O interesse do projecto TGV Lisboa-Madrid é sobretudo espanhol, dada a assimetria das duas cidades, da nossa balança de pagamentos, e ao projecto que lhe estará subjacente, de reforço da dimensão ibérica da península. E que melhor do que o mundial de futebol conjunto em 2018 para corar esta nova união?

Falácia nº10: Fabulosas contrapartidas para a industria nacional

Ainda ninguém sabe quais são, nem em que moldes serão negociadas. Se forem tão bem negociadas como as contrapartidas da Airbus com as OGMA e afins… Enfim, depois de se ter liquidado a Sorefame e respectiva fábrica na Amadora, o país perdeu efectivamente a capacidade produtiva de meios de transporte ferroviários de grande dimensão, ainda se fazem algumas coisas, mas muito longe da escala necessária para se acrescentar valor significativo no projecto de TGV… Note-se, que este é um dos argumentos pró-TGV em muitos países, o do relançamento das indústrias nacionais ferroviárias. Mas, alguém acredita que Portugal se tornaria um fabricante de TGV? – indústria de hiper intensidade de capital e conhecimento só porque vamos comprar uma duzia à Alstom? Não me parece: a industria espanhola na ferrovia resulta de decadas de aposta continuada no sector, com obvias economias de escala e dimensão industrial não extrapoláveis para Portugal.
Depois temos questões as ditas conjunturais, como a de que o TGV é uma componente essencial para ajudar a relançar a economia nacional.
Confesso que não estou apto a discutir estas visões neo-keynesianas da economia, mas isto parece-me aquela lógica da enxurrada de milhões de dinheiros públicos como forma de revitalizar a economia. Há também essa ideia que o investimento no TGV irá permitir às empresas portuguesas (Efacec, Mota Engil, etc) que venham a trabalhar no projecto, um balão de oxigénio financeiro. Isto é um pensamento tacanho, porque dará os sinais errados a estas empresas, fazendo-as desviarem-se das suas acertadas e relativamente bem sucedidas estratégias de internacionalização (a Efacec teve este ano, as suas melhores receitas de sempre, e sobretudo devio ao mercado internacional, e sem necessidade do TGV). Desviando-lhes a atenção e recursos para um projecto nacional, com a bandeirinha do dinheiro fácil. Como ex-funcionário da Efacec Internacional digo-lhe que isto é um erro, que apesar de bem-intencionado (nesse propósito) faz mais mal do que bem, a médio prazo.

Se a questão é investir com fins laterais aos do projecto em si, então nós conseguimos pensar em pelo menos em dez projectos de média dimensão muito mais estruturantes para a economia portuguesa a médio-longo prazo, como o de investir numa rede de transporte ferroviário convencional e de velocidade elevada realmente eficiente e adequada às nossas populações ou metas realmente ambiciosas, como a de Portugal se tornar o primeiro país neutro em carbono já em 2020 ou 2030. Há desígnios alternativos para Portugal aos futebóis e aos TGVs. Basta pensarmos pela própria cabeça e não andarmos a reboque das ideias que os vendilhões de TGVs nos querem impingir.»

segunda-feira, setembro 13, 2010

ALTOS PALÁCIOS , LINDAS JANELAS !


A "INAUGURAÇÃO" este domingo, do novo edificio que aloja serviços da câmara do Seixal e alugado ao Grupo A.Silva & Silva tem feito correr muita tinta sobretudo pela opulência e o gasto exagerado de fundos públicos em vaidades de quem devia servir a população e não servir-se da população numa feira de vaidades chocante quando , alegadamente , ao mesmo tempo cercia direitos liberdades e garantias dos seus trabalhadores .

A imagem que escolhemos é da exuberância do Palácio do ditador Comunista romeno, Niculau Ceausescu , e não nos ocorreu nenhuma mais representativa do fartar vilanagem e esbanjamento destes últimos anos de poder comunista na margem sul.

Aqui, duas opiniões de leitores a-sul :


« Sendo o terreno da camara para que foi dado ao a silva e silva para agora o A Silva e Silva depois de fazer o edifício e o alugar à Câmara?

Sendo o concelho do Seixal um concelho de gente pobre e um dos mais pobres do país qual a necessidade de ser feito um edifício com aquelas dimensões, com as despesas astronómicas que tem em camaras de filmar para controlar os funcionários, com portas que são autenticas fortalezas para vedarem a passagem aos funcionários duns serviços para outros?

Qual a necessidade de colocar os funcionários como se estivessem numa prisão, vedados uns dos outros como se fossem criminosos, 36 anos depois do 25 de Abril num país livre e democrático?

Todo este control pidesco tem custos muito elevados e quem paga é a população em taxas e impostos quer na água quer noutros serviços. Este concelho tem a CDU mas este concelho não precisa da CDU. O que estes senhores autarcas CDU fizeram ao Seixal é desolador.

Só esta gente sem escrúpulos que não olha a meios para atingir os fins para tirar a camara da sede de concelho e passá-la para a freguesia de Arrentela.
O Seixal está vazio e os moradores estão infelizes.

É assim que esta CDU se preocupa com o bem estar da população. (anónimo 11/09/10) »


E Também :


«Os trabalhadores da Câmara do Seixal não têm direitos humanos nem de espécie nenhuma. Quem manda é o partido e democracia é coisa que não existe.

A comissão sindical foi escolhida pelo partido e está feita com o presidente da Câmara e vereadores.

Com tudo o que está a acontecer não há uma posição um simples comunicado em defesa dos trabalhadores.

Não há dinheiro para subir o escalão remuneratório aos trabalhadores mas há dinheito para por sistemas altamente sofisticados nas portas do novo edifício para os trabalhadores não poderem falar uns com os outros, há dinheiro para comprar tapetes de 100 000 euros e a comissão de trabalhadores está calada como se nada fosse.


Os trabalhadores não precisam de estar trancados porque não fogem nem deixam de fazer o seu trabalho como sempre o fizeram. (anónimo 12/09/10 ) »

domingo, setembro 12, 2010

CREDIBILIDADE 2


Claro que a hipótese aqui posta ontem é infelizmente uma realidade , a Câmara Comunista a que me referi , a do Seixal, as oficinas abandonadas , as do Fogueteiro e as alugadas as da Cucena.

Tal como os Paços do Concelho abandonados bem como outros edificios, são no Seixal, e os alugados ( tal como no caso das oficinas ) ao grupo A.Silva & Silva , propriedade do edificio que funcionará a partir de hoje na Arrentela.


A grande "desculpa" é que o novo edificio alugado por muitos anos e muitas centenas de milhares de euros tem uma certificação energética XPTO ... mas , claro que se trata de uma "credibilizada certificação" ... passada por uma agência certificadora da própria câmara ...

Para além de, alegadamente , o novo edificio ser um edificio inteligente sim , mas no controle dos trabalhadores , na sua supervisão video e na limitação da circulação, quer de trabalhadores entre serviços quer de cidadãos nesses mesmos serviços...


Qual a credibilidade de tudo isto ?


E o PCP ainda tem a lata de falar de Patriotismo !!! e contra os Grandes Grupos Económicos...

sábado, setembro 11, 2010

CREDIBILIDADE 1



E se uma autarquia abandonasse terrenos* de sua propriedade , imobiliáriamente apetitosos e onde tinha oficinas, refeitórios, balneários para depois ir arrendar ao maior grupo-económico-construtor da Região um edifício (feito por medida e em ajuste directo ) a quem pagará nas próximas décadas uma renda milionária ?

E se a mesma autarquia abandonasse na sede de concelho, os históricos Paços do Concelho , inúmeros edificios e serviços , para mais uma vez se tornar inquilina de um edificio , por um valor milionário e por várias décadas ( feito também por medida e em ajuste directo ) , igualmente do maior construtor-grupo económico de região ?

E se a autarquia que tomou essa medida fosse a mesma... numa época e num tempo de grandes dificuldades económicas como é o presente e que arrastará neste negócio ruinoso , as próximas gerações ?

E se essa autarquia fosse uma autarquia de maioria Comunista há 35 anos ?

Qual a credibilidade do PCP ( que questiona os lucros dos bancos e grandes grupos económicos ) e dessa autarquia (doravante totalmente sob o tecto de uma propriedade privada alugada - inaugura este fim de semana )?
______________________________________________

* Nota - Terrenos bem situados junto ao Continente do Fogueteiro onde estavam construídos edificios recentes e em bom estado que poderiam ser utilizados como Centros de Dia, Centros de Saúde, Salas de Exposição, sedes de entidades, ginásios , Um grande parque num corredor verde... em vez disso foram criminosamente demolidos e estão, no presente , ao abandono.

sexta-feira, setembro 10, 2010

NATAL EM DEZEMBRO ... INCÊNDIOS NA FLOR DA MATA EM SETEMBRO


Está tudo dito,na passada semana mais uma tentativa de pôr a zona verde da Flôr da Mata a arder, sobretudo a sua mancha de sobreiros , junto ao espaço canal afecto ao IC-32 , nó das Laranjeiras.

Isto, na mesma altura em que especuladores imobiliários se movimentam a marcar território
e a pressionar com ameaças os pequenos proprietários da zona ( protegida em PDM ) .

Pergunta-se, com que legitimidade , com que garantias e de quem ?

Mas não há quem investigue esta MÁFIA e suas ligações na Câmara Municipal do Seixal ?

_______________________________________________


ULTIMA HORA


Fidel Casto em entrevista (link) reconhece que « "modelo Cubano" não é exportável e « que nem em Cuba funciona» ... só por cá alguns continuam mais papistas que o Papa ...

quinta-feira, setembro 09, 2010

SUSTENTABILIDADE CONFERÊNCIA "GIRA" 2010


Inicia-se hoje no ISCTE em Lisboa esta importante conferência global.

O ISCTE-IUL e a CPADA, Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente, estão a organizar a Conferência "GIRA 2010 - Corporate Governance, Innovation, Social and Environmental Responsability", que irá ser realizada nos dias 9 e 10 de Setembro, em Lisboa, nas instalações do ISCTE-IUL.

Esta conferência tem o objectivo de discutir, analisar e planear a adequação das grandes alterações globais a uma gestão sustentável das empresas a longo prazo. O objectivo último desta conferência é encourajar e mobilizar os líderes mundiais a incluir nas respectivas agendas a criação de novas perspectivas e estratégias de corporate governance, responsabilidade social e ambiental, contribuindo para estabelecer benchmarks na prossecução de um modelo de crescimento económico sustentável.

A GIRA2010 está organizada em 10 temas principais:


1. Corporate Governance and Sustainable Development;
2. Environmental Innovation;
3. Policy Making for Environmental Protection;
4. Business Ethics and Corporate Social Responsibility;
5. Sustainable Entrepreneurship;
6. Sustainable Consumption;
7. Measuring the Triple Bottom Line;
8. Sustainable Tourism;
9. Energy Efficiency Policy and Technology in Buildings, and
10. Sustainable Market Opportunities.

Para aceder ao programa e outras informações adicionais, por favor, clique aqui.

Aqui o link Internacional da Conferência (Clique)

segunda-feira, setembro 06, 2010

AVANTE 2010 - "DAY AFTER"


Há uns meses atrás , simples cidadãos sem laços comuns ou relações pessoais mostraram que , com a internet, conseguiam a mobilização para "Limpar Portugal" num dia , e tornaram efectivo esse objectivo , levando por arrastamento muitas autarquias a participar,nalguns casos - como nas autarquias da Margem Sul , com serviços minimos - fornecendo camiões de recolha para o lixo que era préviamente juntado e referenciado pelos cidadãos.

Posto isto, e face à máquina do PCP / "Os Verdes" , n
ão se compreende que o Partido das "paredes de vidro" e da coligação "Ecologista" , não tenha envolvido os seus militantes na limpeza das toneladas de detritos produzidos em três dias de Festa do Avante, e esta manhã, mal o dia despontava, fossem, não eles, mas dezenas de funcionários municipais a limpar as toneladas de lixo , de garrafas e latas de toda a espécie depositados nas ruas e espaços verdes da Amora .

- A grande questão é se isto é legítimo ou admissível ?

Se uma iniciativa de cariz partidário tendo como objectivo o financiamento de um partido politico, tem a legitimidade de usar espaço públic
o e meios municipais pagos pelos munícipes, em proveito próprio .

Mais, se há legitimidade de um partido politico, para além de tornar os meios de uma autarquia seus meios próprios (sem
custos para o utilizador) , tornar cidadãos de um país democrático e livre , seus reféns , no sentido em que são milhares as pessoas que na Amora se vêm privadas do seu espaço, da sua liberdade, do seu direito à privacidade e ao descanso , nos dias que envolvem a principal iniciativa anual do PCP.

É de facto escandalosa a forma como são tomados espaços publicos e privados, em que são tornados em acampamento sem
regras , esses mesmos espaços públicos e até privados , como se de um estado de excepção e fora da lei fosse criado em favor de um grupo totalitário , autocrático e fora da lei , bem definido e com uma orgânica com uma peculiar concepção da democracia e do que deve ser um Estado de Direito.

- É ISTO LEGITIMO ?

É esta a questão que deixo para aqui ser debatida esta seman
a.
_________________________________________

ÚLTIMA HORA



ACTUAL , 7 de Setembro

Hoje , dois dias depois do encerramento da Festa do Avante, continuam funcionários da Câmara Municipal do Seixal a limpar aquele espaço utilizado (naquele caso) como acampamento pago.

Cai por terra o mito de que "quem limpa o interior do recinto são os militantes" . De facto não é ! Quem limpa são funcionários munic
ipais pagos pelo erário publico .

Os cidadãos têm o direito de ver desmontada essa fraude, a opo
sição tem o dever de o fazer em sede própria ou junto da comunicação social .

domingo, setembro 05, 2010

ARTE ? UTILIDADE ? DUVIDO



É lamentável a forma escolhida para o PCP ocupar as suas jovens fileiras , dando-lhes tinta para pintar no espaço que é de todos , aquilo a que chamam murais, mas que mais não são que formas institucionais de poluição visual e de degradação do espaço publico.


Como seria útil utilizar essas mesmas tintas para recuperar e pintas fachadas e caixilhos de janelas nas zonas mais degradadas e antigas dos nossos centros urbanos, ou outras acções sociais como limpar e vigiar matas (já que anunciam concorrer em coligação ecologista) ... mas para isso não estão muito para lá virados...


É como no Seixal a tinta gasta a preparar o muro da Mundet e depois o custo dos sprays distribuídos gratuítamente aos "artistas" , quando depois não há materiais para apoiar os mais idosos na recuperação das suas habitações , e ao mesmo tempo não se gasta uma gota de tinta com património histórico-municipal ao abandono.

sábado, setembro 04, 2010

METRO SUL - 13 MESES / 3 MORTOS


É pesado o numero de acidentes ocorridos com o MTS desde o inicio da sua circulação, o pesado número de vítimas tem ainda maior expressão se considerarmos a pouca dimensão da rede e dos veículos em circulação.

Aos poucos vai-se conhecendo a dimensão do problema de segurança (ou de falta dela ) que está envolvido , apesar de haver a sensação de que só conhecemos a ponta do iceberg e que muitos dos acidentes/incidentes são abafados , não chegando ao conhecimento publico, pois que são quase diários os atrasos atribuídos a acidentes com outras viaturas e atropelamentos.

Este é assim o resultado das soluções encontradas pela empresa e autarquias de Almada e Seixal, que foram muito contestadas pela população e que se têm revelado desastrosas . Continua também , de forma criminosa, por não ser posto em prática campanhas de sensibilização para aquele novo meio de transporte, de certa forma invasor do espaço anteriormente existente bem como da construção de barreiras defensivas para a população .

O preço a pagar tem sido assim demasiado alto para não terem sido seguidas as soluções experimentadas no Metro do Porto ( imagem ) ao optar pela solução subterrânea nas zonas mais habitadas dá assim razão a todos quantos se opuseram, não ao metro em si, mas às opções de show-off escolhidas em Almada e no Seixal em que se quis tudo, menos esconder o brinquedo da Senhora Emilia.

sexta-feira, setembro 03, 2010

A FESTA DO LIXO COMEÇA HOJE



Começou hoje, ganham eles , pagamos todos... e nos dias seguintes funcionários municipais não terão mãos a medir para limpar a quantidade de lixo produzido em apenas três dias .

É que há sempre uns menos iguais que outros !

quinta-feira, setembro 02, 2010

UM TIJOLO PELO AMBIENTE



Ontem trouxemos aqui uma iniciativa empresarial pedagógica com uma elevada componente ambiental , hoje trazemos outra, com origem também nacional que pode revolucionar o universo de construção ou pelo menos minorar a sua pegada ecollógica.

« Trata-se do Tecnotijolo, um produto desenvolvido e patenteado em Portugal, cuja filosofia vai de encontro às preocupações ambientais que a todos nós devem sensibilizar, nomeadamente quanto a eficiência energética, e emissões de CO2.

Segue em anexo relatório elaborado pelo Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro, sobre o desempenho ambiental desta solução.

Benefícios ambientais que o Tecnotijolo®
proporciona:

· Na produção do Tecnotijolo® não se emite qualquer CO2 para a atmosfera
(na sua cozedura só se utiliza biomassa como combustível)

· A melhor eficiência energética da parede, diminui o consumo de
energia (factor negativo para o bolso do consumidor, e para o ambiente)

· Menor utilização de cimento (1 Ton. de cimento produzida = 600 kg de CO2 emitida)

· Reduzindo também o consumo de recursos naturais, tão importantes para o nosso meio ambiente, tais como a água e areias.Pela ausência de roços horizontais, há uma menor produção de detritos em obra, sendo assim reduzida a emissão de CO2 pelo transporte desses resíduos para fora do estaleiro, por vezes a distâncias consideráveis »

quarta-feira, setembro 01, 2010

SCIENCE FOR US



Há uns tempos pelo Natal de há dois anos ( creio ) ao deambular pela FNAC deparei-me com uns brinquedos fora do vulgar e com uma vertente pedagógica ambiental enorme.

Voltei depois lá, mais tarde, para comprar aqueles brinquedos diferentes que me tinham ficado na memória, mas infelizmente informaram-me que ( na altura e devido à procura ) os que pretendia, e que focavam energias renováveis , estavam esgotados.


O que só há pouco descobri é que a empresa e os seus cérebros , não só são portugueses, como são jovens , e que o empresario por detrás deste negócio é o seixalense Pina Martins .

Desde então tenho acompanhado com admiração o evoluir deste projecto , quer a nível pedagógico , quer empresarial e que entretanto tem somado justos reconhecimentos , tanto a nível nacional como internacional .

Já que o Continente e afins se dão ao desplante de anunciar o regresso às aulas a 15 de Agosto, deixo já à vossa atenção para o próximo Natal (ou para a
rentrée ) os brinquedos pedagógicos da Science 4 you , numa FNAC perto de si , ou online, os preços estão entre os 8 e os 10 euros ... menos que uma EP para a Festa do Avante... e bem mais duráveis e pedagógicos.