terça-feira, maio 31, 2011

O SILÊNCIO DA ELECTRICIDADE


Agora não dá mais para esconder que tal não se passa no Seixal , ou para desculpas de que a linha em construção se destina a "alimentar os comboios da Fertagus".

Há de facto e como aqui vimos denunciando, uma linha de MUITO ALTA TENSÃO em construção no concelho do Seixal sem que tenha havido uma discussão pública ou divulgação do projecto nos meios de propaganda da autarquia.

O que é que pretendem esconder e dar com facto consumado à população ? Onde andam "Os Verdes" da CDU  ?

segunda-feira, maio 30, 2011

MAIS UMA AUTOESTRADA ! DOIS PESOS...DUAS MEDIDAS!


O Ministério do Ambiente chumbou as propostas das Estradas de Portugal para o traçado do IC21, mais uma autoestrada na Península de Setúbal, mais  uma circular de alcatrão, mais  vaga de pressão imobiliária em perspectiva, desta vez bem encostada à Serra da Arrábida.

Saúdamos tal chumbo , e não compreendemos, como qualquer pessoa sã de cabeça  e desinteressada  compreenderá o porquê de mais uma autoestrada de quatro faixas numa zona com elevado interesse ecológico e paisagistico.

O que pretendo sublinhar é que só não percebo a razão pela qual os motivos evocados para este chumbo tenham  servido, não para chumbar, mas para autorizar a construção do IC32 e a EN377 que destruirá as hortas das Terras da Costa e afectará a Reserva da Mata dos Medos.

E os argumentos para o chumbo foram ; «a defesa da Mata de Sesimbra que demorou séculos a preservar» , «a povoação de sobreiros e azinheiras» , a « afectação de áreas agrícolas» ou o «Sítio Ramsar Lagoa de Albufeira» ... exactamente os mesmos pontos que se podem alegar sobre o traçado do IC32-EN377.

É curioso é que aqui foram também tomados em consideração as urbanizações de Ribeira do Marchande e o condominio-Golfe da Quinta do Perú que também seriam afectados...coisa que não foi tomada em Pinhal dos Frades onde inclusivamente o traçado  abandonou o espaço canal definido no PDM para ír passar em cima de construções devidamente autorizadas pela autarquia.

Para além de tudo isto perguntamos porque razão não foram tomadas no caso do IC32 as medidas cautelares agora felizmente usadas para bloquear mais este disparate do IC21 , é que o ministério do ambiente contesta e, passo a citar « a necessidade do projecto com as caracteristicas geométricas apresentadas ( autoestrada de quatro faixas) uma vez que não há informação específica referente a dados de tráfego que justifiquem esse perfil».

Também pergunto, onde anda a QUERCUS e os eleitos "VERDES" pelas câmaras de Sesimbra, Seixal e Barreiro ?

domingo, maio 29, 2011

UM EXCELENTE PROJECTO A SUL , SEM BETÃO NEM ALCATRÃO


Notícia Blogue Alentejo Litoral

Projecto Rota Vicentina liga Santiago do Cacém a Sagres em dois caminhos pedestres


O projecto Rota Vicentina, que consiste numa rota pedestre de 300 quilómetros ao longo da Costa Alentejana e Vicentina, baseado numa forte parceria público-privada da região, vai ser apresentado oficialmente esta sexta feira, 23.

Trata-se de um projecto promovido pela Associação Casas Brancas, em parceria com a Associação Almargem, que consiste numa grande rota de percursos pedestres, a implementar entre Santiago do Cacém e Sagres. 

São cerca de 300 quilómetros, repartidos por dois trajectos que se complementam: o traçado histórico, que recria o antigo caminho e que atravessa as principais localidades, e o caminho dos pescadores, junto ao litoral e percorrendo todo o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. 

“Numa aposta unânime entre agentes públicos e privados da Costa Alentejana e Vicentina, o projecto pretende afirmar esta região como um destino europeu de turismo de natureza, oferecendo uma infra-estrutura transversal que promete viabilizar o usufruto de um dos mais belos trechos pedestres do país e da Europa”. 

A homologação internacional permitirá integrar a GR11, que liga Sagres a S. Petersburgo, percorrendo toda a Europa e integrando os Caminhos de Santiago. Para além da sinalização do percurso, o projecto prevê uma forte campanha de sensibilização das populações locais para a importância de um projecto estruturante como este, para um desenvolvimento mais sustentável, e também para incentivar a criação de projectos complementares e de suporte. 

A Rota Vicentina deverá ser inaugurada no final de 2011, seguindo-se uma estratégia de promoção internacional dirigida a operadores e imprensa especializada em turismo de natureza. Para além da associação de turismo Casas Brancas, que coordena o projecto, a parceria conta também com a Associação Almargem, que assumirá a implementação do projecto a sul de Odeceixe, e também os municípios de Santiago do Cacém, Sines, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo, o ICNB, o Polis do Alentejo Litoral, as Entidades Regionais de Turismo do Alentejo e do Alentejo Litoral, entre outras entidades.

Trata-se de uma iniciativa QREN, apoiada no Alentejo no âmbito do INALENTEJO, cujo investimento ascendeu a cerca de 400 mil euros, com co-financiamento FEDER de cerca de 244 mil euros, e no Algarve no âmbito do PO ALGARVE 21, com um investimento de cerca de 140 mil euros e co-financiamento FEDER de cerca de 90 mil euros.

sábado, maio 28, 2011

INCÊNDIOS FAVORECEM INVASORAS


Um artigo www.ciênciaviva.pt

« Algumas das plantas invasoras, sobretudo as acácias, beneficiam da ocorrência dos fogos na sua propagação e criam depois um novo problema ao ordenamento florestal, facilitando a progressão dos incêndios, segundo alguns investigadores.

“Temos muitos problemas com espécies invasoras como as acácias e as áquias”, que são “estimuladas pelos incêndios” na sua multiplicação nas áreas ardidas, disse hoje à agência Lusa a investigadora Hélia Marchante.

Admitindo que “os incêndios até podem ser usados como uma ferramenta benéfica” na regularização da floresta, advertiu que as diferentes espécies do género das acácias “têm sempre uma armadilha escondida”.
A docente da Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC), que integra também o Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra (UC), realçou que essa “armadilha” é constituída por “milhares de sementes” no solo que, se não forem destruídas à passagem do fogo, germinam mais facilmente devido às temperaturas elevadas.

Uma completa exposição ao sol e os nutrientes resultantes da combustão acabam por acelerar a eclosão das sementes e o crescimento das novas plantas. “Em geral, estas espécies não têm valor económico” e “quanto mais se tenta erradicar essas pragas mais elas se alastram”, declarou, por seu turno, Xavier Viegas, investigador da UC que há mais de duas décadas se especializou nas abordagens científicas dos incêndios florestais.

Para Domingos Xavier Viegas, existem em Portugal “cada vez mais terrenos incultos que podem ser pasto dos incêndios”, dominados “muitas vezes por acácias e outras invasoras”. A propagação destas espécies, segundo Hélia Marchante, “é um problema que não se resolve a curto prazo”, sendo necessário envolver na sua eliminação tanto proprietários particulares, como o Estado, designadamente através dos ex-Serviços Florestais (hoje Autoridade Florestal Nacional), autarquias e instituições adstritas à preservação e conservação da natureza. “Quanto mais cedo se fizer essa intervenção, muito mais fácil e mais barato será erradicar as invasoras”, preconizou Hélia Marchante. 
 

Xavier Viegas deu ainda o exemplo do nemátodo do pinheiro, que é também, afinal, “uma espécie invasora”, como explica Hélia Marchante. “Estas árvores ficam enfraquecidas e acabam por morrer” na floresta, disse, indicando que “o fogo comporta-se de uma forma mais intensa” nas coníferas afetadas pela doença.

O presidente da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), da UC, salientou que existe hoje
“uma aceitação maior para substituir as espécies mais inflamáveis por espécies mais resistentes ao fogo”, como carvalhos, sobreiros e outras autóctones de folha caduca.

Hélia Marchante e sua irmã Elisabete Marchante, ambas investigadoras do Centro de Ecologia Funcional da UC, estão entre os oradoras de um seminário que a Fundação Mata do Buçaco (FMB) organiza esta amanhã, às 09h00, no Palace Hotel do Buçaco, concelho da Mealhada. Organizado em colaboração com aquele centro universitário, a ESAC e a Autoridade Florestal Nacional, o programa da FMB sobre plantas invasoras inclui, no sábado, um
“dia de controlo com voluntários”. »

sexta-feira, maio 27, 2011

AS MELGAS DA BAÍA DO SEIXAL

Ouço queixas lá para os lados da Baía de que ali proliferam as melgas, tornando-se mesmo uma praga que cada cidadão combate com a sua melhor arte e engenho , podendo  o conjunto destas técnicas devidamente compilado poder tomar a forma de manual, quiçá a publicar sob a chancela da autarquia.

O tema pode parecer prosaico,  e não provocar mais do que algumas babas e respectivas comichões, mas numa perspectiva de saúde pública e sobretudo num quadro de alterações climáticas em cenário de aquecimento global , pode este tratar-se de uma questão a ser considerada com muita seriedade, pois não se trata de ficção científica catastrofista mas sim de DENGUE , MALÁRIA e LEICSHMANIOSE  todos tendo como vector alguma espécie de mosquito.


Ora os nossos autarcas, olhando para a Baía , não discorrem qual a causa de tamanha praga que aumenta de ano para ano e invade a certos dias lares, mas também os restaurantes afugentando os já escassos clientes. Olham unicamente para a Baía, quando deviam olhas para trás, quero eu dizer, para os pinhais que foram cúmplices e promotores  em mandar derrubar ... é que com o desaparecimento das matas e pinhais, desiquilibrou-se o ecossistema, fazendo com que as aves insectívoras que neles viviam tivessem que se mudar, cada vez para mais longe , deixando assim campo agora urbanizado, aberto à proliferação deste e de outros insectos ... uma explicação simples afinal, mas que os iluminados que só olham para a Baía são incapazes de entender e claro, quando a coisa se agravar vão é exigir mais centros de saúde e mais hospitais...

quinta-feira, maio 26, 2011

A QUEDA DO TIJOLO 3


« A demasiada especulação efectuada durante 30 anos a fio com a conivência da banca e do poder politico tinha um dia de ter um fim.

Não tenho pena nenhuma dos patos bravos, lamento sim os que ficam desempregados.

Há um novo mercado que sempre foi marginalizado mafiosamente. Agarrem-se a ele. É o mercado da reabilitação.

Não é carne do lombo, mas é o que se pode arranjar. » (in Cartas ao Director Publico 18/05/11)
_________________________________________________


A KAMPANHA DO VANDALISMO






O comportamento - que não nos surpreende - da reacção às critica à vandalização das escadaria monumental de Coimbra é elucidativo dos trejeitos desta gente que reage mal quando as criticas lhes são dirigidas, mas que se acham no direito de tudo e todos criticarem.

Pensava que a coisa era exclusiva dos cacíques locais do Seixal e arredores , mas agora vejo que é endémica do próprio Comité Central quando a simpátia do camarada Jerónimo estala e fácilmente vemos transformar-se em autoritarismo e prepotência.


quarta-feira, maio 25, 2011

A QUEDA DO TIJOLO 2

                                               


No final da última semana não pararam de ser publicados os resultados catastróficos da indústria da construção .Como chegámos aqui ?

Bom , mesmo sem a crise internacional acima documentada e no filme aqui posto ontem, basta observar o ritmo da construção em Portugal , os valores da natalidade que indicam uma redução significativa da população que em 2050 poderá ser de 6 milhões para observar que aquele ritmo de negócio estava não só a rebentar com o nosso ambiente, como era ele próprio, como modelo de negócio, INSUSTENTÁVEL.

Isto enquanto se consideraram no somatório dos "Planos" Directores municipais, elaborados no início da década de 90, habitação  para 40 milhões de habitantes, perspectiva aumentados ainda mais com os PDM de segunda Geração que estão a ser elaborados.

Face a esta cegueira colectiva, só podemos afirmar que esta crise veio únicamente acelerar a chegada a um beco sem saída com milhares de fogos para venda e milhares de familias que não conseguem pagar os créditos que assumiram e as hipotecas que pensavam ter como investimento garantido. 

A bomba que autarcas, governantes, banqueiros , promotores e construtores tinham guardada para rebentar daqui a uma ou duas gerações acabou por lhes rebentar nas mãos. Se não foi feita justiça divina, andámos lá perto.

Só que agora pagamos TODOS!

terça-feira, maio 24, 2011

A QUEDA DO TIJOLO



Não é de hoje as críticas aqui feitas a este modelo de suposto desenvolvimento baseado na alteração de uso do solo - infraestruturação - construção - construção - construção ...  em que assentaram os ultimas décadas de poder (fiduciário) autárquico.

Para não ser acusado , mais uma vez de catastrofista e anti-desenvolvimento , passo a citar face ao eminente rebentar da bomba relógio de uma bolha imobiliáriaque insistem em declarar não existir em Portugal, alguns artrigos publicados nos últimos dias na imprensa. Do Editorial do Público de 18 de Maio:

«Nos próximos anos o sector da construção civil e do imobiliário  vai ser sujeito a um profundo ajustamento.
O agravamento da recessão, a queda da confiança dos consumidores e as dificuldades de obterem financiamento a taxas de juro moderadas vão ditar o fim de uma era na qual a construção representou um papel primordial.

A mudança que se anuncia  tem uma feição positiva , porque é certo e sabido que a alocação de recursos vultuosos em obras públicas de importância discutível ou em novas habitações estava muito além do desejável (...)


Uma pressão desproporcionada da oferta de casas sobre a procura tende a desvalorizar o património das famílias que investiram na compra de casa própria; depois, esta desvalorização reflecte-se nas hipotecas, cuja queda de valor pode ter um efeito devastador nos balanços da banca . 

Portugal não tem de efrentar as ameaças de uma bolha imobiliária como a Espanha, mas a pressão combinada de uma queda das vendas e dos preços das casas podem criar um novo vírus para a economia das familias e do país »

segunda-feira, maio 23, 2011

O ENGANO


Nas últimas décadas convenceram-nos que a agricultura e a pesca eram coisas do passado porque Portugal não tinha vocação agrícola e tinhamos a maior Zona Económica Exclusiva da Europa mas que o que estava a dar era acabar com a frota pesqueira.


Também nos convenceram que a floresta e o montado eram coisas sem valor, que ardiam no Verão e se urbanizavam e asfaltavam no Outono seguinte.


O que ía dar era a construção , os negócios de expediente sobretudo os que fogem ao fisco e abrir um qualquer negócio de beira de estrada ou abrir loja no shopping da moda, sobretudo o sempre mais  novo e  sempre ... claro ... o "maior da Europa".


O resto...o crédito fácil e barato resolvia... e continuamos ainda nesta inércia, basta ver o que estão a fazer na Caparica e nos concelhos do Seixal e do Barreiro com uma tão nova quanto inútil , autoestrada.


Isto apesar de o discurso ser já outro, hoje é o próprio Secretário de Estado das Florestas a revelar que a fileira florestal portuguesa vale 11% das exportações nacionais apesar de 20% da sua área estar ao abandono. A floresta portuguesa é assim uma fonte de riqueza (inesgotável e renovável) que está na base de um sector na economia que produz 3% do PIB.

Nota: A imagem é de um local "desolador" ainda não tocado pelo "progresso" na Flor da Mata no Seixal . Um tapete de asfalto e uma urbanização acrescentariam muito mais riqueza ...ao bolso de alguns...

domingo, maio 22, 2011

SETUBAL TEM MUITA LATA


O Município de Setúbal "convida para a festa " em Setembro... e a festa é levar a população a fazer o que a câmara não faz e devia fazer ....

Ele há Câmaras com muita lata!

E se estes senhores autarcas prescindisem das mordomias,das viaturas, dos chóferes, e dos acessores e dessem mais trabalho e rendimento a quem realmente trabalha neste tempo de crise  ?



sábado, maio 21, 2011

TANTA PRESSA PARA QUÊ ?



Publicado no blogue "A Quarta República"


" Com o governo em gestão, o senhor Secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas, Paulo Campos, assinou este despacho em que declara de utilidade pública e atribui carácter de urgência às expropriações em paisagem protegida, para o alargamento da estrada que liga a Costa da Caparica à Fonte da Telha: Diário da República de 20 de Abril de 2011 – 1784817874.


Não vou questionar o facto de se tratar de património natural protegido; nem vou questionar a necessidade da obra; nem sequer os custos envolvidos; nem, por estúpido que pareça, a pertinência disto num momento em que os portugueses estão estrangulados pelo despesismo socialista! Só gostaria que me esclarecessem esta dúvida:isto é legal?

Será que, a contar estar desempregado no próximo Verão, o senhor Secretário de Estado já está a tratar reduzir as filas de trânsito para ir à praia?

Cumprimentos!
António Gaito "

sexta-feira, maio 20, 2011

CANTEIROS EM EXTINÇÃO NO SEIXAL



No meio do deserto de betão e alcatrão em que a ganância autárquica transformou o verde de muitas paisagens, o espaço de dois ou três metros quadrados de um canteiro pode ser a única pincelada de verde numa paisagem inóspita e fazer a diferença no dia a dia de muitos.


São precisamente esses poucos "espaços" verdes existentes em Miratejo ,Seixal que a autarquia está a extinguir, tendo como resultado a indignação e a revolta dos moradores fartos de uma politica CDU que de "VERDE" nada tem, para além de dar tempo de antena à Dona Apolónia.


A realidade é esta e não outra.

quinta-feira, maio 19, 2011

"A ESTRADA DA VERGONHA"

foto: Blogue  Clube de Peões


Por Terras da Costa o ponto da situação é o seguinte :

"A Câmara Municipal de Almada insiste na construção da estrada ER377-2 /Costa da Caparica- Fonte da Telha, que apresenta um traçado devastador a nível ambiental e agrícola, torna-se ainda menos compreensível, quando poderia optar por uma outra solução muito menos agressiva, que implicasse a melhoria das vias já existentes (Estrada Florestal).
Em poucos quilómetros a ER 377-2, de acordo com a solução escolhida pela Câmara Municipal de Almada, vai destruir e descaracterizar cinco áreas de reconhecido valor ambiental e agrícola, nomeadamente: - REN (Reserva Ecológica Nacional); - RAN (Reserva Agrícola Nacional); - Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica; - Reserva Botânica da Mata dos Medos; - Área de Habitats Prioritários. 
Entretanto, os agricultores presentes nestas terras desde o séc. XVIII e responsáveis pela criação das terras mais produtivas da Europa, ganhas com suor a pântanos, já receberam notificações de expropriação da BRISA, na sequência da “declaração de utilidade pública” e com carácter urgente! "


Associe-se a esta luta em 


http://www.causes.com/causes/611766?recruiter_id=113329873

quarta-feira, maio 18, 2011

OS BOMBOS DA FESTA



Dois meses depois depois de ter acontecido um incêndio na sede dos "TocáRufar" , o conhecido grupo de percurssão já tem novas instalações , disponibilizadas pela autarquia, no centro do Seixal.


Excelente!


Se fossem assim tão competentes na resolução de outros problemas do município , com o cumprimento de promessas eleitorais e de queixas dos cidadãos como são para resolver os problemas de um dos maiores meios de propaganda do município e muito utilizada pela CDU.


E já não falo das discrepâncias no tratamento deste grupo comparativamente a outras instituições e colectividades.

terça-feira, maio 17, 2011

DA FANTASIA PARA A REALIDADE




AS OBRAS DO IC 32


Pinhal dos Frades é de novo notícia de televisão. Sempre sempre pelas mesmas razões.


Parabéns a quem tem enfrentado a "Máquina" dos interesses instalados  e ao vereador Paulo Edson que tem tido uma posição inequívoca em toda esta questão , uma questão  que é bem mais vasta que o traçado de uma estrada que por razões que a razão desconhece está a ser construída fora do espaço reservado em sede de PDM para tal.


Quanto ao Vereador CDU, Vice Presidente da Câmara , fica uma vez mais mal na fotografia. O rapaz não acerta uma, ao menos podia assumir a co-responsabilidade na alteração de traçado  .


 O Presidente, esse, nem aparece.

segunda-feira, maio 16, 2011

FANTASIAS DA MARGEM SUL 3- SEIXAL





















A espaços eleitorais , lá vem a fantasia do Turismo e do "cluster" da náutica de recreio de novo aflorado por Alfredo Monteiro a propósito da inauguração da nova ETAR, mas já lá vão mais de vinte anos sem sequer terem posto uma poita.


 O que tem continuado a acontecer é a destruição das florestas e da paisagem, 


O «CLUSTER» ELEITORAL

"Foi anunciado na imprensa regional, a intenção das autarquias do Barreiro e do Seixal integrarem um "«cluster» da náutica de recreio" . 

O presidente da Câmara do Seixal, Alfredo Monteiro, mencionou mesmo ao Jornal da Região, que:

- « "a ideia resulta da percepção de que existe uma enorme procura de locais para a prática de desportos náuticos e de que a região, nomeadamente a Baía do Seixal tem "condições excepcionais" para o desenvolvimento deste sector. "É uma área em que está tudo por fazer e que poderá contribuir para a requalificação das nossas zonas ribeirinhas, para a revitalização do Tejo e para o desenvolvimento do turismo" salientou o autarca ».


Vamos por partes:

1) Ainda bem que o Presidente da Câmara do Seixal, em sintonia com a autarquia do Barreiro reconhece que "tudo está por fazer", dá razão aquilo que aqui temos denunciado, que toda a zona ribeirinha, incluindo extensas àreas de areal e zonas unicas de paisagem estão de facto ao abandono, ou seja "tudo está por fazer" realmente, pergunto então, o que têm os senhores feito nos últimos trinta anos, a resposta , de que "tudo está por fazer" diz TUDO, ou seja NADA!

2) Assinala-se o aburguesamento das opções do autarca do Seixal, depois de autorizar um conjunto de condomínios fechados nas Margens do Tejo e em Património histórico e ambiental Municipal (Quinta da Trindade) vem-se agora preocupar com a náuitica de recreio que não consta estar nas preocupações da enorme massa de desfavorecidos e desempregados que habitam no Municipio do Seixal e Barreiro. 

3) A promessa de Marinas no Tejo, na Amora e no Seixal, tem já alguns anos, ou melhor dizendo, vários periodos de promessas eleitorais, acabámos de entrar em mais um!


4) Não é liquido que a instalação de Marinas numa zona de delicado equilibrio ecológico como é a Baía do Seixal, seja o local ideal para a instalação de Marinas a esmo, está-se a investir milhões na despoluição da Baía, retirando de lá as descargas de efluentes domésticos e vão-se criar condições para que passe a ser poluída pelos esgotos, óleos, combustíveis, anti-vegetativos...etc das embarcações que ali vão atracar. 

5) O El Dorado do Turismo não é assim que cria mais valia para o concelho, se não fôr mais do que um sitio concorrencial para recolha de embarcações, não passa disso, um local de recolha de embarcações
 , o Turismo é outra coisa... e nem o Seixal nem o Barreiro fivcam a ganhar com esta nova visão de modernidade, e atracção turistica do Tejo, na água recolhem-se embarcações, nas Margens constroe-se uma muralha de betão para ricos e jogadores de futebol, e no interior destroem-se as florestas para alojar as massas...

Não seria melhor começar por recuperar as praias, permitindo que os residentes delas desfrutem durante o Verão e durante todo o ano ? Quem habita na Amora, Seixal, Miratejo, Arrentela, Santa Marta, Corroios, no fim de um dia de trabalho, após o regresso a casa, já não consegue ir até às praias da Costa, mas podia ficar no concelho e ir até ás praias do Tejo...

Não seria melhor, mais executável e imediato construír uma rede de ciclovias (para todos!) em vez de marinas (só para alguns?) as ciclovias ligariam as que foram construídas com o MST com a Baía do Seixal e permitiria aos seuas habitantes desfrutarem daquelas Margens onde tudo continua - trinta anos passados - "por fazer"?

Não seria melhor apoiar os clubes nauticos do Seixal e da Amora que tanto têm feito em prole da náutica de recreio e da sua prática por todos, permitindo que todos - e não só os detentores de potentosos iates e que podem pagar a atracação numa marina - possam aprender e navegar de preferência da forma ecológica (vela , remo e canoagem) como o fazem, a baixo custo acessível até aos mais desfavorecidos?

Isto considerando como sérias as declarações de Alfredo Monteiro, porque a realidade é que o que acabou de fazer, em vésperas da Festa do Avante, foi dar o pontapé de saída para a propaganda eleitoral das próximas autárquicas..."

domingo, maio 15, 2011

FANTASIAS DA MARGEM SUL 2 - MOITA



Em 2006 anunciava-se assim com pompa e circunstância no Setúbal na Rede e na imprensa em geral... mais uma fantasia comunista, o Parque Temático que iria rivalizar com a Eurodysney ... LOL !!! :

Parque temático vai nascer no concelho da Moita



Este parque temático “promoverá postos de trabalho” e a “afirmação do município da Moita, em Setúbal, na região de Lisboa e Vale do Tejo e no país”, assegura o presidente da Câmara Municipal da Moita, João Lobo. O projecto envolve um investimento de cerca de 75 milhões de euros, por parte da Badoca Actividades Turísticas, e “uma área a edificar de aproximadamente 37.000m2”, acrescenta a autarquia, prevendo-se que a abertura ocorra “na Páscoa de 2008”, como revela o administrador da Badoca, Francisco Almeida.


“Não há nada semelhante a este parque temático a nível nacional”, isto num país“de oferta turística”, salienta Francisco Almeida. O parque vai “representar a história de Portugal ao longo de 24 temas”, propostos pelas escritoras, e professoras de história, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, acrescenta. O administrador justifica a selecção das autoras da colecção Uma Aventura para propor os temas das diversões do parque, pois elas, “enquanto professoras de história, conhecem bem a história de Portugal e forneceram os temas que mais a marcaram”.


“Fado, Viriato, touradas, uma casa que pretende recriar o Terramoto de 1755, em que se simulam as paredes a cair, o chão a destruir-se e toda a casa a tremer, ou uma montanha russa alusiva à descida dos cestos da Ilha da Madeira”, são algumas das atracções que se encontrarão no parque, podendo ainda “haver alterações”, como uma atracção “referente ao 25 de Abril de 1974”, avança Francisco Almeida.


O administrador da Badoca afirma que a ideia do parque temático é fazer com que as pessoas “se divirtam e que aprendam enquanto se divertem, mas sem ser maçador”. Um projecto que, além de diversões, contempla também “uma estrutura hoteleira diferente do habitual, também ela tematizada”, esclarece. O projecto decorrerá em três fases. Numa primeira, aquando da abertura em 2008, estarão “12 diversões disponíveis, umas maiores, outras mais pequenas”, um “crescimento que será contínuo” e que culminará, na terceira fase, com as 24 diversões previstas edificadas.

Francisco Almeida explica que o projecto “foi apresentado às câmaras da área da Grande Lisboa, tendo a câmara da Moita apadrinhado a ideia desde o início”. João Lobo afirma que a câmara “irá promover todo o acompanhamento necessário” e salienta as “boas acessibilidades da zona”. O administrador do Badoca acrescenta que a área onde está prevista a construção do parque, em Pinhal do Forno, é uma “zona em grande expansão” e onde não acontecerá o que aconteceu à Feira Popular, que “foi comida pelo desenvolvimento da cidade de Lisboa”, até porque a localização deste parque temático da Badoca “não interfere com o crescimento da zona, um dos motivos que levou à selecção deste local”, permitindo ainda “bons acessos à capital”, com a proximidade do IC22. O protocolo que define as condições do parque temático no concelho da Moita foi assinado ontem."

sexta-feira, maio 13, 2011

IC32 OBRAS "SUSPENSAS" - ENTRE ASPAS

Soubemos pelo "Jornal do Comércio de Seixal e Sesimbra" que as obras do IC 32 junto das moradias afectadas de Pinhal dos Frades tinham sido "suspensas".


Claro que a "suspensão" é muito pontual e localizada, o que se revelou universal , generalizado e por tempo indeterminado é a falta respeito revelada pelo vereador vice-presidente da Câmara do Seixal e das empresas envolvidas naquela obra.


Autarquia comunista e empreiteiros parecem estar estranhamente num mesmo lado deste conflito , isto quando uns têm como objectivo o lucro com a minimização dos custos e tudo o que isso significa, e os outros, para além da ideologia que dizem ainda professar, foram eleitos para servir a população e não para fazer esperar os cidadãos duas horas para uma reunião por si agendada mas onde à ultima hora se ausentam.


Vergonhoso tudo isto!

quarta-feira, maio 11, 2011

OS ESGOTOS FINALMENTE TRATADOS DO SEIXAL 3




Depois de inaugurada, como vimos , a ETAR do Seixal, resta agora observar o que é que a Câmara do Seixal vai fazer na sua frente ribeirinha uma vez que é o próprio presidente da autarquia a referir que o " Seixal agora pode oferecer à sua população água de qualidade nas suas frentes ribeirinhas para lazer e desportos náuticos".


Esperamos que não passe de mais um dos seus habituais discursos bem timbrados mas sem conteúdo, até porque na mesma declaração afirma que apesar de todos sabermos o que era despejado directamente para o rio, e daí a construção deste ETAR, o edil consegue afirmar "com esta infraestrutura estamos no primeiro patamer do país no que se refere à rede de tratamento de águas residuais, e ao melhor nível da Europa.
O Seixal já o fazia..."


Mas fazia o quê senhor Alfredo Monteiro ? O que fazia era outra coisa muito diferente, tão diferente que a autarquia interditava o uso das praias ribeirinhas ou espera que todos nos esquecemos que durante todos estes anos os esgotos foram deitados sem tratamento para o Tejo e Baía do Seixal ?


Estes comunistas a revisionar a história são de facto exímios. 

terça-feira, maio 10, 2011

OS ESGOTOS FINALMENTE TRATADOS DO SEIXAL 2



Seixal é um município que cresceu de 30 mil habitantes em 1974 , para cerca de 170 mil agora.


O presidente do munícipio  na inauguração com pompa e circunstância da ETAR, aqui noticiada ontem , e que foi apresentada como grande inovação por parte de governo atravéz da ministra do ambiente e da autarquia, só veio pôr a descoberto como é que num país europeu , a entrar na segunda década do século XXI , uma autarquia tenha aumentado exponencialmente de habitantes e de território construído sem o necessário planeamento e infraestruturação equivalente à construção permitida.


Sabemos que esta ETAR custou cerca de 18 milhões de euros ... de investimento público e europeu...isto para cobrir um investimento que deveria ter sido assumido e investido há muito, pela autarquia  e por quem construíu e lucrou com a construção e o aumento populacional no concelho. 


Mesmo assim esta autarqua está falida. Para onde vai o dinheiro ?


Assim chegámos ao fundo, para pagar pagamos todos, para ganhar só ganham alguns...os do costume  !  Não há pachorra para tanta propaganda!

segunda-feira, maio 09, 2011

ESGOTOS FINALMENTE TRATADOS NO SEIXAL



Finalmente !!! 


Ao fim de muitas décadas de esgotos não tratados despejados directamente na Baía do Seixal e no Tejo, depois de um crescimento em trinta anos de 30 mil para 170 mil habitantes,  a maior parte dos esgotos desta população serão finalmente tratados antes de despejados no rio.


O que ainda não foi tratado em nenhuma ETAR, nem será , é o discurso do professor de trabalhos manuais na reforna, o autarca Monteiro que continua a debitar um discurso  que nada tem a ver com a realidade e com a sua prática, cito :


" ajudará a colocar ao país “ao nível do que de melhor se faz na Europa a este nível”. “Cada vez mais, a baía do Seixal e o rio Coina oferecem uma água de qualidade e afirmam-se como um atractivo à regeneração das frentes ribeirinhas e à despoluição do Tejo”, acrescenta, sublinhando que o investimento deve ser entendido no quadro de um modelo de desenvolvimento mais amplo em curso num concelho “preocupado com o ambiente”


Ou seja, passamos do terceiro mundo ... para o melhor que se faz na Europa. Não há pachorra para tanto provincianismo e ignorância, o que é que este senhor entende por "melhor que se faz na Europa" ? Ou a água sai tratada e com um número aceitável de coliformes fecais e outros poluentes ou não sai, e se não sai então de nada teria servido o investimento, que seria mais um investimento logrado para os cofres públicos e para as verbas europeias envolvidas.





Resta saber se finalmente , uma vez que a água do Tejo passa a ter qualidade europeia , se as praias fluviais serão finalmente tratadas, limpas, infraestruturadas e equipadas para bem dos 170 MIL MUNÍCIPES que em tempo de crise terão ali uma zona de qualidade balnear em alternativa às praias de mar , e que já são há muito encaradas de outra forma pelos municipios vizinhos da Moita, Alcochete, Montijo e até Barreiro!

sexta-feira, maio 06, 2011

ESTADO ? DE QUE DIREITO ?


O que temos assistido nos últimos meses por parte das autarquias de Almada e Seixal e das Estradas de Portugal relativamente à construção de uma nova e desnecessária rede de autoestradas na região é reveladora de que há por um lado uma pressa em que as obras avancem, e por outro, um completo desrespeito quer pelas pessoas quer pelo ambiente.



À forma apressada como este projecto está a ser posto no terreno não será alheia a crise , todas as negociações em curso com as instituições europeias e a necessidade de promotores e autarquias verem ( rápidamente ) no terreno anacrónicamente mas em direito adquirido,  mais alcatrão desnecessário,  pago pelos nossos impostos e pelas portagens que vão ser cobradas que arrastará mais betão com os Planos Directores Municipais a serem trabalhados neste sentido.


Ora a pressa só poderia dar , em termos humanos e legais, no que está a dar ,  a falta de uma discussão pública alargada daquele projecto , e por outro, a desconsideração total por quem tiver o azar de estar no local errado, ou seja, no caminho do traço projectado  a régua e esquadro por técnicos em gabinetes loge das vidas que  as suas linhas cruzam.


O que se está a passar nas Terras da Costa com o dizimar de uma das zonas mais produtivas do país, que continua na Rede Natura 2000 e na zona protegida da Flôr da Mata, continua em Coina com igual drespeito pelo sapal e por áreas que há cerca de trinta anos abasteciam de frescos os mercados da região. 


Depois há todos aqueles que LEGALMENTE , DEVIDAMENTE AUTORIZADOS PELA AUTARQUIA E DENTRO DA LEI tiveram o azar de construír habitação no traçado escolhido e que por movimentações influentes como todos sabemos, se afastou do espaço canal reservado e não construído vindo a caír sobre cidadãos comuns que de um dia para o outro se vêm arredados dos seus direitos, da sua dignidade e mesmo da constituição que muitos, comos os seus autarcas juraram respeitar.


Pergunto mais uma vez, onde andam os autarcas eleitos e "Os Verdes" da CDU Seixal , Almada e Barreiro  ?


Onde anda a QUERCUS e a LPN ?


Onde anda o Estado de Direito ?

quarta-feira, maio 04, 2011

DEDICATÓRIA




Dedicado aos "comprativistas" emergentes do PREC e que ainda hoje, de cargo em cargo nunca mais trabalharam nos ofícios que ainda hoje proletáriamente gostam de ostentar... 


E assim chegámos hoje ao terceiro pacote de FMI.

terça-feira, maio 03, 2011

100% RIQUEZA




A cortiça é uma verdadeira riqueza natural.


 Somos os primeiros produtores mundiais.


O Montado é um ecossistema fabuloso , até economicamente.


O Sobreiro é uma arma contra a desertificação e um recurso renovável.


E no entanto , apesar de protegido todos os dias são cortados às centenas em Portugal.


Somos exímios em ignorar  e despromover o que temos de único e bom.

segunda-feira, maio 02, 2011

MUITO ALTA TENSÃO NO SEIXAL


Há uns meses, quando se faziam sentir protestos populares em Almada sobre a linha de muito alta -tensão Trafaria- Fernão Ferro , a presidente da autarquia do Seixal afirmava à imprensa que essa "era uma questão que não se punha no Seixal" . Não se percebeu nunca como é que um responsável autárquico fez tal afirmação, uma vez que uma parte da linha de ligação a Fernão Ferro tinha que invariávelmente percorrer o concelho do Seixal.


Relembro aqui que os protestos populares tiveram posteriormente em Almada o "apoio" da autarquia.


Tendo a considerar este facto , da "Câmara de Almada estar ao lado do Povo , porquê tanto silêncio sobre a linha de muito alta tensão que vinda de Setúbal está a nascer no concelho do Seixal ?


Onde está a apresentação - discussão pública do projecto, onde está o estudo de impacto ambiental ou ao menos a divulgação do projecto e do percurso dessa mesma linha ?


Porquê tanto silêncio senhores autarcas ? A população está a ver os postes gigantescos a serem instalados e ninguém dá nenhuma explicação para além da desfazada da realidade invenção do senhor presidente.