segunda-feira, setembro 30, 2013

SEIXAL - DAY AFTER



Mais do mesmo, mas em pior.

Depois do que não sabe o que fizeram das nossas flores e do grande betonizador.

Começou o reinado do "Príncipezinho!

quinta-feira, setembro 26, 2013

O AUTOR ESQUECIDO DO SEIXAL




Num concelho onde a gestão CDU alarda do apoio as artes urbanas e de rua nao deixa de ser significativo no final de mais um mandato, a ostracizacao para a qual tem sido remetido o artista jovem do concelho com maior projecção e cotacao internacional com convites para obras e obras feitas em todo o mundo .

Refiro-me a Alexandre Farto (VHILS) , autor de uma já vasta obra única e de enorme originalidade e vanguardismo , até porque nesta ultima fase A.Farto tem desenvolvido tecnicas tridimensionais com recurso a cortiça como matéria prima, sendo a industria corticeira referencia histórica do Seixal, ainda mais e notória a falta de uma obra relevante e de visibilidade de VHILS no Seixal.

quinta-feira, setembro 12, 2013

NOVAS VISÕES




Jovem português idealiza cidade ecológica auto-suficiente (com FOTOS)

Já se imaginou a viver numa comunidade auto-sustentável, amiga do ambiente, em estreita relação com a natureza? Um jovem português, além de sonhar com esse lugar, foi mais longe e projectou-o. A Eco-Village é uma cidade que responde a todas as necessidades fundamentais das pessoas, sem terem de recorrer ao meio exterior para a subsistência e bem-estar.
Foram as preocupações a respeito da “situação global actual catastrófica”, de exploração humana, animal e de recursos, que levaram Rui Vasques, de 25 anos, a criar a Eco-Village Community. Formado em Design de Produção Industrial, Rui concebeu o projecto no âmbito da sua tese de mestrado – que acabou por lhe valer o Prémio Melhor Aluno de Curso IADE 2012. A ideia inicial era a de criar uma casa sustentável, mas depressa cresceu para se transformar numa cidade inteira.
Trata-se de um modelo social auto-suficiente assente na permacultura, em energias renováveis, no tratamento local de resíduos e na produção local de recursos. Ou seja, Rui idealizou uma comunidade sustentável, feita para viver em perfeita sintonia com a natureza e as práticas ecológicas.
O projecto é elaborado e nada lhe falta. Na sua visão de lugar ideal para viver, Rui inclui uma praça principal destinada a eventos, uma zona destinada a sistemas (como a central energética e os tratamento de águas e resíduos) e outra de produção animal e agrícola. Existem ainda zonas de restauração, de lazer, de cultura (onde se situam as bibliotecas e escolas), artística e desportiva. A zona habitacional inclui 32 habitações privadas e 28 habitações comunitárias.
As casas são construídas com base na técnica SuperAdobe – a partir de sacos de terra prensados em forma de arco e cúpula, extremamente resistentes a catástrofes, com excelente isolamento térmico e acústico, passíveis de personalização e de baixo custo. O processo de construção é fácil, rápido e tem um impacto ecológico mínimo.
A Eco-Village é orientada para o centro – zona comunitária e de maior importância –, que se encontra à mesma distância de todos as outras zonas, facilitando as deslocações. “Para além disso, todas as infra-estruturas obedecem ao mesmo padrão de ‘x’ que facilita a sua construção e implementação”, explicou o designer ao Green Savers. A expansão da estrutura também é possível, através da adição de módulos com a mesma forma aos círculos externos.
Este modelo adapta-se a qualquer parte do planeta, uma vez que o material de construção é local – a própria terra. As zonas desertificadas ou as grandes planícies são naturalmente os melhores sítios onde o aplicar. “A ideia é construir em zonas rurais, longe da agitação e poluição das grandes cidades, para repovoar as zonas ‘esquecidas’”, explicou o jovem.
A cidade ecológica pode albergar entre 300 a 500 pessoas.
Em sintonia com a natureza
Na Eco-Village, os resíduos são separados e tratados individualmente: as águas cinzentas são limpas localmente, os resíduos orgânicos são transformados em adubos através de compostagem, os resíduos sólidos são reaproveitados e os materiais poluentes e descartáveis são reciclados. A energia é gerada a partir de colectores solares com células fotovoltaicas e painéis solares e com o auxílio da energia eólica e geotérmica, dependendo do local de implementação. Os alimentos são produzidos com base na permacultura e agricultura biológica. Mais sustentável é impossível.
O projecto inovador pode ser posto em prática de variadas formas e Rui já equacionou uma forte candidata ao seu arranque. “Uma das ideias é criar um resort de turismo sustentável onde os turistas adquirem uma nova experiência de vida ao passar uma temporada num local que produz a própria energia, água e alimentos, e onde existe uma enorme variedade de conteúdos, valores e actividades”, explica.
Segundo ele, um resort Eco-Village poderia ser implementado “algures perto da Nazaré para a comunidade estrangeira de surfistas, no Algarve para os amantes do sol, no Alentejo ou nas montanhas do norte para turismo rural”.
Rui está agora a dar a conhecer a sua ideia ao mundo – apresentou-a recentemente em Náchod, na República Checa – e a explorar as hipóteses de a concretizar em Portugal. Para isso, o jovem designer defende que tem de haver uma união de esforços e cooperação entre entidades com objectivos comuns: o desenvolvimento sustentável, o empreendedorismo e a inovação.
Conheça mais em pormenor esta ideia inovadora de origem portuguesa com selo verde e acompanhe as viagens do Rui pelo país a partilhá-la, para o caso de o querer ouvir e candidatar-se a primeiro habitante da sua comunidade. (fonte sapo-greensavers)

quarta-feira, setembro 11, 2013

AINDA HÁ JUSTIÇA ?




JUSTIÇA

Portucale: Caso dos sobreiros cortados volta a tribunal

13-07-2011 6:43
Despacho permitiu abater centenas de sobreiros na herdade da Vargem Fresca para a construção de um empreendimento turístico-imobiliário.





Costa Neves, antigo ministro da Agricultura, é ouvido hoje ouvido como testemunha no julgamento do Processo Portucale, no Campus de Justiça, em Lisboa. 

Ele foi um dos três ministros que assinaram um despacho, poucos dias antes das legislativas de 2005, que permitiu à Portucale - empresa do grupo Espírito Santo - abater centenas de sobreiros na herdade da Vargem Fresca para a construção de um empreendimento turístico-imobiliário em Benavente.

Também Paulo Portas foi arrolado como testemunha neste caso, onde a investigação detectou mais de um milhão de euros depositados pelo CDS-PP no BES. Uma verba que os procuradores suspeitam ter surgido de uma contrapartida para a viabilização do empreendimento. 

Portas já respondeu por escrito a 15 questões, que fez chegar ao colectivo de juízes, e ainda esta semana deve fazer chegar ao tribunal mais três respostas depois de lhe terem sido colocadas mais perguntas. 

O julgamento do caso Portucale arranca em Fevereiro nas varas criminais de Lisboa. No banco dos réus 11 arguidos, entre eles estão Abel Pinheiro, ex-dirigente do CDS-PP; Luís Horta e Costa e José Manuel de Sousa, administradores do Grupo Espírito Santo; António Sousa Macedo, ex-director-geral das Florestas. Há ainda acusados que estiveram ligados à Direcção-Geral de Florestas e funcionários do CDS-PP. Segundo o Ministério Público, em causa estão crimes de tráfico de influências e falsificação de documentos, num caso relacionado com o abate ilegal de sobreiros.(fonte RRenascença)


Mais :

 Portucale: Nobre Guedes admite que poderia não ter assinado despacho

 Ministério Público contesta absolvição dos 11 arguidos do Portucale

 Novos factos no caso “Portucale” podem levar à anulação do julgamento

 Caso Portucale: Miguel Relvas admite ter acelerado processos

sexta-feira, setembro 06, 2013

OS CRIMES COM O FOGO



Como todos sabem tem sido um Verão terrivel para com os incêndios em Portugal , quer em termos de área ardida quer no número de danos e sobretudo vítimas entre os bombeiros.

As causas são muitas, entre elas o desrespeito pela lei, o abandono dos terrenos, a falta de limpeza dos mesmos, a ausência de acessos etc.

Mas casos há como no Seixal junto a Pinhal dos Frades em que para além de tudo isto , os donos de uma vasta extenção do que é considerado como zona florestal de mato e maciço arbóreo com tudo o que a lei  obriga (limpeza, manutençao, reflorestação...) resolveram, vedar em toda a extenção esse terreno, não satisfeitos , cortaram estradas florestais oficiais fazendo valas profundas e pondo barreiras de betão que impedem o acesso aos bombeiros , fechando pontos de fuga a estes e aos residentes pondo deliberadamente bens e pessoas em perigo , isto para além da ocupação ilegal de alguns terrenos contiguos.

E é tão fácil saber que são os responsáveis e o que mata os nossos bombeiros .

quarta-feira, setembro 04, 2013

O ATERRO AUTÁRQUICO





E continua em ritmo acelerado o disparatado e oneroso aterro  que está a ser feito sob o viaduto do MST no Pragal. Para encher o olho eleitora já plantaram algumas árvores , tal é a pressa de mostrar seerviço.

sábado, agosto 17, 2013

BOM MAC-APETITE



O Chef Jamie Oliver acaba de ganhar uma batalha contra a maior cadeia de “junk food” do mundo. Depois que Oliver mostrou como fazer hambúrgueres, à McDonalds, a marca anunciou que vai alterar a receita.
De acordo com Oliver, as peças de carne gordas são “lavadas” com hidróxido de amónia e, em seguida, utilizadas na fabricação do “bolo” de carne para encher o hambúrguer. Antes deste processo, de acordo com o apresentador, a carne era imprópria para consumo humano.
Oliver, Chef ativista radical, que tinha assumido uma guerra contra a indústria de alimentos, diz: estamos a falar de carne que tinha sido vendida como alimento para cães e após este processo serve para os seres humanos. Para além da qualidade da carne, o hidróxido de amónia é prejudicial para a saúde.
Em outras iniciativas Oliver demonstrou como são os nuggets de frango: Depois de selecionar os “melhores momentos”, o resto: a gordura, pele, cartilagem, órgãos, ossos, cabeça, pernas, são submetidos a separação mecânica liquefeitos, é o eufemismo usado por engenheiros de alimentos, e, em seguida, que a pasta de sangue-de-rosa é desodorada, descoloridos reodorizada e repintado, capeadas de marshmallow farináceos e frito, este é geralmente reboiler em óleos parcialmente hidrogenados, ou seja tóxico.
Nos EUA, Burger King e Taco Bell já abandonaram o uso de amônia nos seus produtos. A indústria alimentar utiliza hidróxido de amónia como um agente anti-microbiano, o que permitiu à McDonalds usar nos seus hambúrgueres de carne de entrada, impróprios para consumo humano.
Mas irritante ainda é a situação em que essas substâncias à base de hidróxido de amónio são consideradas “componentes legítimos para procedimentos de produção” na indústria de alimentos, com as bênçãos das autoridades de saúde em todo o mundo. Portanto, o consumidor não pode nunca por a descoberto o que os produtos químicos que põem na nossa comida.”

segunda-feira, julho 29, 2013

O ENTERRO ; PERDÃO , O ATERRO DE ALMADA

Na imagem é bem visível a altura do aterro, compare com o tamanho dos automóveis
ou com os edifícios à direita na imagem.

Não há nada como o esgotamento dos recursos para caírmos na realidade , é que nem parece estarmos em vésperas de eleições , não há rotundas a ser inauguradas, estradas e viadutos para lado nenhum a serem rasgados, obras "publicas" no papel ou num forcing final para serem terminadas com horas extraordinárias pagas a peso de ouro.

Mas mesmo assim há por estes dias uma que há meses vai crescendo à vista de todos , mas ao mesmo tempo sem que ningém se dê conta, ou critique, trata-se do monumental aterro a crescer entre  os acessos da Ponte 25 de Abril e o Hotel... que agora é de Lisboa.

Trata-se , embora não haja betão à vista, de alcatrão fresco no horizonte ou de um novo multiusos, de uma obra MONUMENTAL e CARÍSSIMA , tal como DESNESSESSÁRIA!

A Câmara de Almada anda alí há mais de dois anos a enterrar (literalmente)  dinheiro dos contribuintes para , dizem eles, criarem uma zona verde de ligação ao Parque da Paz.

Só que essa zona VERDE sempre ali existiu, desde a criação do próprio Planeta Terra e foi nos últimos séculos usada pelos humanos como zona agrícola, havendo ali quintas , bastante férteis por sinal.

Mas parece que a cota da obra  não era o que os ilustres governantes imaginavam, certamente para ser vista e admirada da autoestrada  pelo que vá de aterrar todo aquele vale , numa obra de proporções únicas em Portugal.

E assim se continua e enterrar Portugal.

sexta-feira, julho 05, 2013

A PRAIA




Por estes tempos as praias da Caparica enchem-se de crianças. Já em anos anteriores abordámos aqui o tema sobre as condições em que Almada recebe todas essas crianças.

Na perspectiva das crianças , todos concordarão da vantagem que têm da prática de praia , sobretudo durante o mês de Julho. mas é óbvio que esta vertente é também para os colégios envolvidos um negócio e uma forma de libertar as suas instalações e fonte de receitas adicionais .

Mas o faco é que o volume desta actividade  tem crescido exponencialmente sem que haja por parte da autarquia de Almada e respectiva Protecção Civil, do devido acompanhamento.

Pensem só nisto. esta manhã numa só das praias contámos 27 autocarros. Considerando 50 crianças por autocarro , estariam , só numa praia MAIS DE  MIL CRIANÇAS!!!


quinta-feira, julho 04, 2013

PJ NA CÂMARA DE ALMADA


A Polícia Judiciária (PJ de Setúbal deteve três funcionários dos Serviços de Fiscalização da Câmara de Almada por suspeitas de corrupção passiva, confirmou hoje à Lusa fonte da autarquia.



Segundo a PJ, os detidos - dois homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 49 e os 50 anos - solicitavam determinadas «quantias pecuniárias» para resolverem alguns processos.
«Através do incumprimento de procedimentos administrativos internos, logravam retardar a tramitação de requerimentos de pedidos de licenciamentos diversos, após o que contactavam os requerentes e lhes solicitavam quantias pecuniárias para a resolução dos mesmos», refere um comunicado da PJ de Setúbal.
Diário Digital / Lusa

segunda-feira, junho 10, 2013

NA CAUDA DA EUROPA




Novo barómetro elaborado pela Federação Europeia de Ciclistas.
Portugal está num dos últimos lugares de um ranking europeu que compara vários indicadores sobre o uso da bicicleta. O país situa-se na 23.ª posição, juntamente com Espanha e à frente apenas da Bulgária, Roménia e Malta, segundo a lista divulgada esta semana pela Federação Europeia de Ciclistas (ECF, na sigla em inglês).
O ranking - ou antes, um barómetro, como o classifica a ECF - é constituído com base em cinco indicadores. Em três deles, Portugal está mal classificado: uso da bicicleta, segurança e turismo ciclável. Nos outros dois, está a meio da tabela: vendas de bicicletas e associativismo.
A ECF utilizou dados de um inquérito de 2010 do Eurobarómetro para avaliar o grau de uso da bicicleta nos diferentes países. Para Portugal, 2% dos entrevistados referiram a bicicleta como principal meio de transporte nas deslocações do dia-a-dia.
O número pode pecar por excesso, pois, de acordo com os Censos 2011, que contém dados de toda a população, a proporção será ainda menor. Cerca de 0,5% dos habitantes do país responderam aos Censos dizendo que vão para o trabalho ou para a escola de bicicleta.
Na sinistralidade, Portugal surge com um valor de 45 ciclistas mortos em 2011 - um número que está de acordo com as estatísticas da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Embora o número absoluto esteja muito abaixo dos 399 da Alemanha e dos 314 da Polónia, os países com mais vítimas mortais, Portugal acaba por ficar numa das últimas posições, dado que o indicador considerado é o número de óbitos dividido pelo número estimado de ciclistas.
Também no número de viagens para praticar cicloturismo o país fica na cauda da tabela.
Com 320 mil bicicletas vendidas em 2011 - cerca de 2% do mercado europeu -, Portugal está mais ou menos a meio caminho no indicador de vendas por população. O mesmo vale para o associativismo, com o país representado na ECF por duas organizações, a MUBi - Associação para a Mobilidade Urbana em Bicicleta e a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, ambas somando cerca de 600 membros, segundo os registos da organização europeia.
Pôr as bicicletas na agenda
O ranking atribui pontos a estes cinco indicadores e depois faz uma média simples. Portugal fica com 36 pontos. Em primeiro estão, empatadas com 125 pontos, a Holanda e a Dinamarca - reconhecidas como líderes no uso de bicicletas. O último da lista é Malta, com 15 pontos.
A ECF reconhece que o seu ranking tem limitações, mas diz que é um ponto de partida para comparações. "Perguntam-nos constantemente sobre que países na Europa são os melhores em bicicletas", afirma Chloe Mispelon, responsável pelo projecto do barómetro da ECF. "É o nosso modo de promover um debate sobre cinco dimensões do uso da bicicleta", completa, num comunicado. "Agora, a comunidade e os nossos parceiros podem usar [estes dados] para exigir aos Governos mudanças reais e mensuráveis", acrescenta Bernhard Ensink, secretário-geral da ECF.
Apesar do seu uso relativamente reduzido, as bicicletas têm estado na agenda pública e política recentemente em Portugal. A proposta de lei do Governo para a alteração do Código da Estrada, entregue ao Parlamento em Março, contém inúmeras mudanças relativas a velocípedes - algumas delas polémicas, como a obrigatoriedade do uso de capacete para crianças até sete anos de idade. Ao Parlamento já chegaram também três propostas - do Bloco de Esquerda, "Os Verdes" e PSD/CDS-PP - para facilitar o transporte de bicicletas nos comboios. Ricardo Garcia Publico

domingo, junho 02, 2013

ABOMINÁVEL MUNDO



É inacreditável, mas a Monsanto e outras empresas deram as caras novamente. Essas empresas de biotecnologia sedentas por lucro encontraram uma maneira de ter controle exclusivo sobre as sementes da vida, a fonte dos nossos alimentos. Eles estão tentando adquirir patentes sobre as variações dos vegetais e frutas usados em nosso dia-a-dia, como pepinos, brócolis e melões, praticamente forçando os produtores a indenizá-los por essas sementes e ameaçando-os de processos se assim não o fizerem.

Mas podemos impedí-los de comprar a nossa Mãe Terra. Empresas como Monsanto descobriram falhas na legislação Europeia para terem direito exclusivo sobre sementes convencionais, portanto precisamos fechar esses buracos antes que isso se torne um precedente global. E, para isso, precisamos que países como Alemanha, França e Holanda -- onde a oposição está ganhando corpo -- peçam uma votação para acabar com os planos da Monsanto. A comunidade da Avaaz já mudou o curso de decisões de governos antes, e podemos fazer isto novamente. 

Muitos fazendeiros e políticos já são contra -- só precisamos agora adicionar um pouco do poder popular para colocar pressão nestes países e manter as mãos da Monsanto longe da nossa comida. Assine agora e compartilhe com todos para assim criarmos o maior protesto em defesa dos alimentos que já existiu.


http://www.avaaz.org/po/monsanto_vs_mother_earth_loc/?cAojJbb

quarta-feira, maio 29, 2013

AS PIPOCAS


Os cinemas da Castello Lopes fecharam de um dia para o outro , deixando concelhos como o do Seixal com mais de 200 mil habitante sem uma única sala de cinema . Consta agora que possivelmente pela aposta na diversificacao de negocios o desempenho da concorrência vai pelo contrario , de vento em popa .

Então não consta que. ZON é a principal importadora de milho trangenico  em Portugal ? ...

 E porque razão a empresa com capitais da Família dos Santos com negócios na televisão por cabo , cinema , Internet , Telefone etc...etc...etc.... esta no negocio do milho transgénico ?

- Ora , pelas belíssimas pipocas trasgénicas com que docemente nos vão envenenando .

segunda-feira, maio 27, 2013

LIDERANÇA OU A SUA AUSÊNCIA

            

E de repente entregámos os nossos cargos políticos ao mais alto nível a uma gente sem chão nem tarimba , que nunca sujou as mãos ou dobrou a coluna nao fossem ficar mal na fotografia ou no corriculum mas que por outro lado tiveram uma longa e prolongada estada nas juventudes partidárias como se de anos de protegida incubadora pós-parto se tratasse até que chegasse o dia para enfrentar o mundo e a vida.

O pais esta hoje ingovernável , bloqueado e estático com governo e maior partido da oposição enfermos do mesmo código genético e ausentes de liderança . A par destes quadros partidários de nula afirmação académica vem depois duas outras espécies oriundas dos bancos da faculdades , outra redoma . Uma são os excedentes das faculdades de Direito , outra os entendidos altos quadros técnicos que dão corpo a alguns dos mais importantes ministérios e seus acessores.

A grande questão e que se do ponto de vista teórico temos a geração mais qualificada técnica e politicamente para estar ou vir a estar frente ao governo da nação ou das autarquias , a sua falta de experiência de vida ou de direcção de homens , a par de uma falta de compreensão da efectividade das políticas e da verificação  das previsões económicas , leva a que nunca tantos se estivessem a borrifar para os poucos que sendo eleitos já manifestaram uma completa incapacidade de liderança , sim , falta-lhes a tarimba que sobra aos militares ( que desprezam ) o que torna este equilíbrio ainda mais instável.

O povo no geral sente , como qualquer soldado , que com estes generais nao vamos lá , com estes e com aqueles candidatos a outros cargos que aparecem na televisão a chorar porque o seu clube perdeu e que  expõem em demasia as suas fraquezas e a sua familia nas redes sociais.

BORDA DE AGUA



Se tudo fosse tão fiável como o Borda d' Água ... se houvesse um Borda d' Água para as relações humanas , sobretudo agora que o "Ciúme" e as "Birras" são considerados distúrbios mentais (Expresso 25/5) mas onde ao mesmo tempo (RTP 26/5) "os jovens consideram banal a violência no namoro" , onde agredir ao ponto de deixar marcas não é considerado violento , onde humilhar é legitimo , onde ameaçar namorada  ou namorado é normal , a invasão da individualidade do outro nas redes sociais e telemóveis se torna norma e onde a igualdade se entende, nao como bem estar comum , mas como a possibilidade de violência recíproca ... 

Isto quando de 2012 (Lusa 27/5) temos a noticia de perto de 70.000 crianças referenciadas como "em risco" por violência, negligência , fome , ou falta de rendimento familiar 

Se tudo fosse tão fiável como o Borda d' Água , mesmo sem sol  na eira e com seca no nabal ...

quarta-feira, maio 22, 2013

DIA MUNDIAL DA BIODIVERSIDADE




The United Nations has proclaimed May 22 The International Day for Biological Diversity (IDB) to increase understanding and awareness of biodiversity issues. When first created by the Second Committee of the UN General Assembly in late 1993, 29 December (the date of entry into force of the Convention of Biological Diversity), was designated The International Day for Biological Diversity. In December 2000, the UN General Assembly adopted 22 May as IDB, to commemorate the adoption of the text of the Convention on 22 May 1992 by the Nairobi Final Act of the Conference for the Adoption of the Agreed Text of the Convention on Biological Diversity. This was partly done because it was difficult for many countries to plan and carry out suitable celebrations for the date of 29 December, given the number of holidays that coincide around that time of year.

domingo, maio 12, 2013

HORTAS URBANAS EM...NOVA IORQUE



Como é que neste tempo, com as carências alimentares diárias ( que tendem a se agravar) , com o número de desocupados e desempregados  , não sejam  fomentadas pelas autarquias da margem-sul , a criação de hortas urbanas , até porque se trata de uma região fértil , com um clima privilegiado e onde até há uma geração atrás havia conhecimento e prática agricola.

À atenção dos Partidos , nestes tempos actuais pré-eleitorais, chega de rotundas e prometam (e cumpram) a criação de parques de hortas urbanas !

sábado, maio 11, 2013

BIODIVERSIDADE - PORTUGAL EM RISCO



Crise da Biodiversidade: Mediterrâneo é a zona mais rica da Europa e aquela com mais espécies ameaçadas 

 Uma análise da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), de que a LPN é membro, revelou algo para que há muito vínhamos chamando a atenção: a zona mais biodiversa da Europa, o Mediterrâneo, está a ser fortemente impactada pela actividade humana e é nos países desta região que há maior quantidade de espécies ameaçadas. 

Portugal, Grécia e Espanha são os países com maior proporção de espécies ameaçadas de extinção: 21% das 2032 espécies avaliadas em Espanha estão ameaçadas, 15% das 1215 espécies avaliadas em Portugal estão ameaçadas e 14% das 1684 espécies avaliadas na Grécia estão ameaçadas.


A observação dos cinco primeiros países poderia fazer pensar que estaríamos a pensar em alguma outra estatística como o desemprego ou a recessão económica, mas é da biodiversidade e das espécies ameaçadas que se trata. Este quadro espelha a Crise da Biodiversidade.

A análise de IUCN debruçou-se sobre a Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas da Europa e conclui que a União Europeia tem muito trabalho pela frente para poder cumprir os objetivos da Estratégia para a Biodiversidade de 2020. Das espécies em extinção no continente distinguem-se os grupos: 59% dos moluscos de água doce, 40% dos peixes de água doce, 23% dos anfíbios, 22% dos moluscos terrestres e 20% dos répteis.

Entre as principais causas de ameaça às espécies está a perda, fragmentação e degradação dos habitats devido à expansão agricola intensiva e híper-intensiva, expensão urbana, abandono de sistemas agrícolas de Alto Valor Ambiental (montados, estepes cerealíferas, pastagens extensivas, prados de montanha, olivais extensivos) construção de barragens e poluição das águas.

A intensificação agrícola, reconstrução industrial e desregulamentação da legislação ambiental são algumas das apostas mais fortes para a recuperação económica nos países com maior biodiversidade, mas que mal feita e desordenada mais põe em causa as espécies ameaçadas na Europa. Os danos causados à maior riqueza que se encontra nesses países serão irreversíveis e de valor incalculável a médio-longo prazo. A LPN chama por isso a atenção a este importantíssimo estudo que deve ter um peso bastante relevante para as opções económicas a ser escolhidas pelos governos europeus.

A riqueza de biodiversidade é um valor inestimável, com serviços prestados aos ecossistemas naturais e humanos, às actividades agrícolas e florestais, ao turismo e à saúde pública. Lançar países em projectos que acelerarão a destruição destes valores naturais é retirar às gerações futuras o património natural que herdámos das gerações passadas, inviabilizando também o futuro dos países em causa. A aposta na conservação e na promoção da riqueza ambiental é um caminho importante a escolher nas soluções para a crise económica.

Lisboa, 9 de Maio de 2013

quinta-feira, maio 02, 2013

COM BETÃO NOS PÉS



O caminho de fatalismo e resignação - subordinando o País às exigências mais bizarras dos nossos incompetentes credores -, a que Cavaco Silva, Passos Coelho e Vítor Gaspar condenam o País, tornará inevitável um segundo resgate. De acordo com os cálculos de Ricardo Cabral, num estudo ainda no prelo, o volume da dívida pública portuguesa obrigará a recorrer, depois de 2014, a refinanciamentos anuais no mercado em montantes de 16 mil milhões de euros, muito mais do que os dez a 12 mil milhões de euros que o Estado era capaz de refinanciar antes do memorando de entendimento, numa altura em que tinha um rating positivo (investment grade). Seria preciso um milagre para que, com um rating de "lixo", Portugal pudesse manter o seu serviço de dívida em condições de normalidade. Na verdade, a única alternativa seria o apoio do BCE através do mecanismo OMT. Contudo, é altamente improvável que Portugal tenha condições para se candidatar a tal apoio quando, como é sabido, o Bundesbank continua a fazer fogo cerrado sobre um mecanismo que, mesmo sem ter ainda saído do papel, tem tido resultados positivos. Aliás, para o influente economista alemão Hans-Werner Sinn é claro que "Portugal necessita de um novo programa de resgate" ("Should Germany exit the euro?", Project Syndicate, 23/4/2013).
As perguntas essenciais são estas: quais são as condições que poderemos antecipar para o novo "apoio" a Portugal, o mais tardar no segundo semestre de 2014? Estará o País em condições de suportar essas condições sem se fraturar internamente?
As condições do Bundesbank
Concordo inteiramente com Ricardo Cabral quando este aponta para duas exigências muito danosas para o País, que, com toda a certeza, serão impostas. A primeira será a reprodução dos requisitos do bail-in, que foram experimentados em Chipre. Os depositantes em bancos nacionais irão aprender à sua custa que, afinal, Jeroen Dijsselbloem, o presidente do Eurogrupo, não se enganou quando, numa conferência em março de 2013, referia que os expedientes aplicados em Chipre seriam aplicados noutros países, quando considerado conveniente e necessário pelos credores. A segunda condição será, com grande probabilidade, a utilização parcial ou integral (eventualmente como garantia ou qualquer outra forma indireta) das reservas de ouro nacionais, para amortizar a dívida. Julgo, contudo, que existirá uma terceira condição, e que será essa que ditará o ponto crítico onde se jogará, duplamente, o destino do segundo resgate e o próprio futuro de Portugal como país que vacila entre a recuperação ou da perda total da soberania.
Para compreendermos qual será essa terceira condição temos de recuar um pouco no tempo, seguindo o fio temático que abordei no meu recente artigo "O Estado social da Europa de Merkel" (DN, 21/4/2013). Em 2006, o BCE e os bancos centrais da Zona Euro iniciaram um estudo sobre o património das famílias nos diferentes países europeus ("Household Finance and Consumption Survey"). O estudo, cujos primeiros resultados foram publicados em abril, causou uma vasta polémica na imprensa, que ainda prossegue. O principal responsável por isso foi Jens Weidmann, presidente do Bundesbank, que, ainda em março de 2013, não hesitou em lançar para a opinião pública alemã alguns dados - que não são nem rigorosos nem inocentes - visando inocular na opinião pública alemã a ideia tóxica de que as famílias espanholas, italianas e cipriotas têm em média um património muito superior às suas congéneres germânicas. Na imprensa económica mundial séria, como é o caso de um recente artigo de Paul de Grauwe (Expresso, 27/4/2013, as alegações do Bundesbank têm sido acusadas de terrorismo estatístico pela falta de rigor metodológico e pelo tratamento erróneo da informação. Mas a intenção de Weidmann foi atingida. O cidadão alemão comum pensa o seguinte: "Qual é o sentido de estarmos a contribuir com os nossos impostos para fundos de resgate de países cujos cidadãos são mais ricos do que nós?"
A terceira condição
Que impacto terá para Portugal a insistência do Bundesbank, secundada por outras instituições e figuras na Alemanha, incluindo Lars Feld, um académico que integra o célebre Conselho Económico do Governo de Berlim, conhecido por "Conselho dos Cinco Sábios"? Muito provavelmente, o segundo pacote exigirá - como terceira condição a acrescentar às duas acima apontadas - um novo imposto sobre o património imobiliário das famílias. As suas modalidades de aplicação poderão ser variáveis, devendo assumir um carácter temporário. Numa altura em que a "fadiga fiscal" atinge os impostos sobre o rendimento (IRS e IRC), e o IVA já ultrapassou os limites do razoável, como ocorre no sector da restauração, é mais do que provável que a estratégia de empobrecimento, ou, se usarmos a expressão "técnica", de "desvalorização interna", atinja a propriedade das famílias portuguesas, fazendo dos recentes aumentos do IMI uma brincadeira infantil.
Se e quando isto acontecer, a austeridade em Portugal ultrapassará o nível do Rubicão. Muito provavelmente, o País entrará numa entropia política e social em que o sofrimento e o empobrecimento serão os únicos dados que se poderão antecipar com toda a certeza. Os cidadãos preocupados com o futuro de Portugal e as instituições onde ainda resiste um mínimo de consciência patriótica e orgulho nas liberdades e direitos constitucionais terão à sua frente cerca de um ano antes desta catástrofe se tornar realidade. Teremos inteligência e coragem suficientes para a prevenir? Seremos capazes de nos reerguer como nação se o segundo resgate se impuser contra toda a boa racionalidade técnica e o bom senso político? Seremos capazes de defender o interesse superior dos portugueses e a bondade do projeto de uma Europa pacífica, "governada por leis e não por homens"? (Viriato Surumenho Marques)
Artigo Parcial

quinta-feira, abril 04, 2013

PRIVATARIA



Alguém me explica porque razão uma empresa pública como os CTT ( LUCRATIVA )  com tão grande importância social fecha balcões limitando as populações e extinguindo empregos e vai ser privatizada ???

Notícia e foto Público :


Os CTT registaram lucros de 50,7 milhões de euros em 2012, o que representou um recuo de 9,1% face ao resultado líquido do ano anterior, que atingiu 55,8 milhões. Privatização do grupo estatal arranca agora.
O presidente dos CTT, Francisco Lacerda, revelou nesta quinta-feira que o resultado líquido recuou fruto de um abrandamento de 6,5% nas receitas, que se fixaram em 711,7 milhões de euros. Esta redução foi compensada por uma contenção de despesas, com os gastos operacionais a descerem 8,5% para 601,6 milhões.
O serviço de correio representou 67% das receitas, tendo protagonizado uma quebra de 6,7% nos proveitos em 2012. No entanto, a maior descida foi protagonizada pelas soluções empresariais, com uma redução de 10,4%.
“Em conjunturas como as que temos, as empresas e as pessoas têm menos actividade e vão usar os serviços muito menos porque têm mais atenção aos custos”, referiu Francisco Lacerda, na conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2012.
O presidente dos CTT destacou o facto de o grupo ter sido “capaz de reduzir os custos correntes” para fazer face ao abrandamento nas receitas. Do corte de 8,5% nos gastos, a maior fatia foi conseguida com poupanças de 39,7 milhões de euros nos encargos com pessoal, nomeadamente através da eliminação do subsídio de férias e de Natal, imposto à função pública e às empresas do Estado em 2012.
Outra medida imposta às empresas públicas era o emagrecimento do quadro de pessoal, que o grupo estatal reduziu em 4,5%. No final do ano passado, os CTT empregavam 13.167 pessoas, número que compara com os 13.836 de 2011, o que significou a saída de 669 trabalhadores.
A compensação da quebra de receitas com a redução do lado dos custos não chegou para evitar um recuo no resultado líquido do grupo, fruto de uma descida nos ganhos financeiros e de um acréscimo dos resultados não recorrentes.
Francisco Lacerda confirmou nesta quinta-feira que o processo de privatização da empresa “arranca formalmente neste trimestre e estará pronta até ao final do ano”, tal como previsto na sexta avaliação da troika ao programa de ajustamento do país.

quarta-feira, abril 03, 2013

À ATENÇÃO DOS SENHORES AUTARCAS



A sociedade está a mudar, mas a uma velocidade muito superior à mentalidade dos nossos autarcas e governantes, uns fingem de vítimas e os outros só pensam em cortar, entretanto o nosso  mundo não pára.

segunda-feira, abril 01, 2013

DIA DAS MENTIRAS



Inspirados pelos posts do "Mês da Bicicleta" do  a-sul, as autarquias da margem sul resolvem - no quadro do propalado "Arco Ribeirinho" -  investir na construção de uma rede de ciclovias e de um sistema de  bicicletas de uso partilhado de forma a combater a dependência do petróleo e da subida do preço dos transportes , bem como a descida dos salários e dos rendimentos para assim dar um contraponto à crise e à melhoria da qualidade de vida das populações.

Na imagem , a Ponte Vasco da Gama hoje dia 1 de Abril

domingo, março 31, 2013

MÊS DA BICICLETA 24


 Moral da história : 

Há que investir na bicicleta , para começar há que investir na compra dos veículos, e a população tem correspondido , havendo um aumento exponencial das vendas e das bicicletas em circulação, agora há que dar o lugar às autarquias para acompanharem esta vontade e ordenarem as vias de circulação para que a escolha da bicicleta seja uma escolha segura