terça-feira, setembro 30, 2008

SEMANA DA LÓGICA (2)


As urbanizações nascem como cogumelos na Margem Sul, casos há de mega-urbanizações nascidas do nada há uma década, que se continuam a expandir em área e em altura sem quaisquer equipamentos , com poucos ou nenhuns arranjos exteriores e sem sítio para onde ir , sobretudo para os jovens.

São verdadeiros dormitórios que despejam gente na autoestrada, na via férrea , nos barcos da Transtejo , diáriamen
te na capital e que dela regressam ao final do dia.
Um desses péssimos exemplos na Margem Sul está em Santa Marta de Corroios.


Como contrapartida dos enormes lucros que permitem aos construtores gerar, as autarquias lá vão mendigando alguns equipamentos, a maioria dos espaços verdes, dos jardins , dos parques infantis, geralmente fica no papel , por isso que quando um equipamento é construído há que elogiar.
É o caso de um campo, ou de um ringue como lhe queiramos chamar, com piso sintético e uma excelente estética construído em Santa Marta do Pinhal ... mas qual a lógica de o dito ringue estar construído um metro abaixo do nível do terreno a toda a volta, será que não compreendem que quando chover o único desporto que ali se praticará será ... polo-aquático ?

Parece surreal, mas sim, foi feito um b
uraco quadrangular com cerca de um metro de profundidade em relação ao terreno, e aos arruamentos mais proximos , e depois, na sua base foi assente o ringue da imagem...








- Será um cenário apressado para a Seixalíada ?
- Será uma construção provisória ?
- Porque está aquela construção um metro abaixo do nível do solo ?

QUAL A LÓGICA ?

_______________________________________________

segunda-feira, setembro 29, 2008

SEMANA DA LÓGICA (1)


As rotundas vão nascendo a bom ritmo neste jardim à beira-mar plantado e a Margem Sul é um bom exemplo desta moda.

Não bastasse a opção viária, debatemo-nos agora com uma nova corrente artistica , aquela que projecta "elementos decorativos " para os ditos circulos . Claro que há para todos os gostos , geralmente o
"gosto" e as opções roçam, umas vezes o ridiculo, outras o duvidoso , quase todas o kitsh , mas do que se estaria à espera ?

Bom, mas não é o gosto, nem a estética o objectivo deste post, é sim o perigo que determinadas opções têm para os cidadãos . Um desses exemplos é a rotunda recentemente criada nas Paivas - Seixal , aquela que tem um catavento com a forma de uma muleta , embarcação tipica do Seixal .
Esse "cata vento alegórico" encima um obelisco piramidal , mas o pior não está aqui , o perigo está na representação encontrada para as "vagas" em que navega aquela nau e composta por chapa de aço de mais ou menos cinco milimetros, algumas acabando mesmo em aresta viva (tipo barbatana de tubarão) como a imagem documenta .

Não se compreende onde andam os técnicos que tal aprovaram, nem que o presidente tenha ele mesmo inaugurado e logo aprovado , tal aberração ... então não dá para ver que aquilo, no meio de uma via é um perigo potencial?

Então não dá para imaginar um motociclista em despiste para cima daqueles gumes , ou um peão cuspido num atropelamento para cima daquelas guilhotinas , ou mesmo uma viatura ir , desgovernada, aterrar sobre aqueles abre-latas ?

Bom, parece que não ... mas se algo acontecer um dia, sabemos quem são os responsáveis !

QUAL É A LÓGICA ?
__________________________________________

Sobre o referido "monumento" o Boletim Municipal informou e decretou em
primeira página que "Simbolo municipal afirma memória colectiva e unidade do concelho" , uma frase que não quer dizer absolutamente ... nada , nas palavras de um conhecido ex- vereador , pouco mais será que um "silogismo ilógico"...
Da reportagem sobre a inauguração vemos acima , uma fotografia com o Presidente Alfredo Monteiro e com o Vereador do Ambiente Carlos Mateus. Parece que nenhum tem o minimo discernimento para poder antecipar o potencial perigo daquelas chapas de aço .

Assumem o risco e as inerentes responsabilidades?
__________________________________________
Colaborações e fotos podem ser enviadas para:

pontoverdesul@gmail.com

domingo, setembro 28, 2008

SEIXAL POLUIÇÃO AMBIENTAL


Estudos recentes divulgados pela QUERCUS a propósito da semana europeia da mobilidade revelaram que o concelho do Seixal está entre os quatro piores municípios em termos de poluição atmosférica .

Os dados não surpreendem quem aqui habita, surpreende sim a autarquia não manter os cidadãos avisados e informados acerca da qualidade do ar que respiram e nada fazer para o contrariar, aliás , tem politicas opostas aquelas que poderiam ser tomadas para reverter este indicador e melhorar a qualidade do ar e de vida da população.


Infelizmente, apesar de gerir um dos maiores orçamentos autárquicos do país, a Câmara do Seixal tem-se revelado um município estéril em desenvolvimento sustentado , investindo sim numa urbanização galopante e descontrolada e numa deflorestação acelerada , ambos factores ambientalmente negativos .

Não há também , nem a criação de meios de transporte alternativo ao automóvel (melhoria dos transportes públicos, criação de ciclovias) nem politicas para travar um crescimento urbano para zonas não servidas de transportes públicos e que obrigatóriamente conduzirão ao uso do automóvel à medida que aumenta explosivamente a densidade populacional e o número de habitantes.


Todos estes indicadores demonstram a necessidade de mudar radicalmante a forma como o concelho do Seixal está pensado (se é que alguma coisa está pensada) tentando urgentemente inverter estes factores em jogo , é necessário conter o betão, travar a expansão urbana , é necessário reflorestar, é necessário criar zonas verdes dentro da cidade, um corredor verde entre o rio e os pinhais que ainda existem , é necessário melhorar os transportes públicos e começar a construír uma rede util de ciclovias que permita o uso da bicicleta .

Enquanto isto não fôr feito, o Seixal continuará a ser um mau exemplo em termos ambientais !
_____________________________________________

Actual:

Como deve haver uma lógica no descalabro ambiental a que a CDU conduziu as autarquias da Margem Sul, onde governa há mais de 30 anos em maioria.
O a-sul vai dedicar a próxima semana a casos concretos dessa ... [ LÓGICA ]... é que lá no fundo... deve haver uma...talvez a lógica da batata...

- Não perca, participe!

sábado, setembro 27, 2008

MST - AUDITORIA URGENTE PRECISA-SE

Metro do Porto, a opção subterrânea no miolo da cidade revelou-se uma aposta acertada.

A cada dia que passa , à medida que esta fase em curso das obras do Metro Sul do Tejo chegam ao seu termo , se torna visivel que as opções tomadas em relação a percurso , transformação da via, adaptação da via a nova realidade , filosofia de interacção com os outros meios de transporte , não foram as mais correctas.
É notório que a Câmara de Almada pretende por decreto banir ("escondendo" em vias secundárias ) o tráfego automóvel da via principal de Almada e impondo o meio de transporte do regime , contra a realidade, contra os cidadãos.

Como é possível gerir tão mal um meio de transporte excelente , tão caro e de tão boa qualidade?
Comparativamente ao Porto onde o Metro é um sucesso, uma obra exemplar a todos os níveis , um sucesso de adesão e utilização da população, integração com o meio urbano e arquitectónico que não foi preciso impôr proibindo outros meios de transporte, o Metro Sul do Tejo é uma aberração , não sendo de estranhar o fiasco em que resultou este primeiro ano e meio de exploração. Uma comissão parlamentar nomeada para acompanhar esta obra teria sido desejável, na sua ausência , uma auditoria geral , aos custos e às opções tomadas, também a que envolve agora os parques de estacionamento , seria bem-vinda!

Por exemplo, não se compreende porque razão o MST não tem um percurso subterrâneo entre o Centro Sul e Cacilhas a não ser por errada opção politica!
E não falem agora de custos, as derrapagens provocadas por atrasos inexplicáveis na obra certamente que dariam para cobrir os gastos suplementares que a opção subterrânea implicaria , a grande questão é que o Metro à superfície é panfletáriamente em termos de propaganda do regime, mais atractivo , mais fotogénico ... tal como o é o viaduto sobre a autoestrada...

Pela minha parte gostaria de ver um estudo comparativo entre o MST e o Metro do Porto , e você ?
__________________________________________________

sexta-feira, setembro 26, 2008

MOBILIDADE E PROPAGANDA INCONSEQUENTE

CICLOVIAS E MOBILIDADE (Repostado)














A existência de ciclovias vai muito para além do seu uso por ciclistas, a sua existência funciona como verdadeiras auto-estradas para um sem número de veículos que hoje em dia têm uma extrema dificuldade em se deslocar nas ruas , estradas e passeios na maioria das nossas cidades e vilas.










O estacionamento caótico, as ruas mal cuidadas, incompreensíveis obstáculos naturais e até colocados pelas próprias autarquias (agora é moda os pilaretes) criam uma barreira fisica ilegal e inconstitucional a pessoas de mobilidade reduzida ou que muito simplesmente pretendem usar um carrinho de bébé ou um outro meio que não o automóvel.








Parece simples enveredar por este caminho , tão simples como compreendê-lo, mas para os autarcas que governam e gerem uma Margem Sul quase plana, -com condições orográficas ideais para o recurso a meios de transporte não poluente e alternativo estas imagens - deve-lhes parecer ficção cientifica, a versão urbana do "Caminho das Estrelas" , pois não estão nem para aí virados, para eles é mais festas o Verão inteiro a culminar na Festa para a qual orientam o ano...à meia noite uns foguetes (inevitáveis) que amanhã há um novo dia com promessa de novos foguetes à meia noite...tudo o resto...é complicado...


É complicado fazê-los compreender da urgência e da necessidade da criação dessa rede de ciclovias, que práticamente não têm que ser construídas, onde não têm que ser feitas obras, não têm que ser construídas rotundas, nós desnivelados, pontes ou qualquer obra de arte, a arte está sim em pintar na estrada (clique) , no passeio, na rua, mais uma linha a demarcar aquela nova via, como se fez já há décadas para as faixas de BUS, uma decisão também revolucionária na altura e importada do estrangeiro (clique),
e também eliminar barreiras arquitectónicas, muitas delas criadas por um despesismo serôdio pelas próprias autarquias.

Ou serão estes meios de transporte (clique) considerados capitalistas, inimigos da classe operária e camponesa? Ou serão os cidadãos que não usam automóvel, cidadãos de segunda?

É que se não é por uma qualquer razão politica, crença religiosa ou qualquer outra incapacidade, não se compreende porque não metem mãos á obra e provocam uma verdadeira revolução na mobilidade da Margem Sul (clique)... mas da forma como geriram o processo do Metro Sul do Tejo há muito que se sabe que as pessoas estão longe de estar primeiro .

Nota - Post Publicado no A-SUL em 10 de Setembro de 2006
______________________________________________________

ACTUAL

Da Moita :

Ensaio sobre a cegueira (clique)

Ensaio sobre a censura...e ditadura (clique)

quinta-feira, setembro 25, 2008

MOBILIDADE E PROPAGANDA INCONSEQUENTE

CICLOVIAS ,COMO FAZER (Repostado)















A reposição deste post deveu-se a um repto para um comentário deixado pelo blogue Revolta das Laranjas sobre a criação de ciclovias no Seixal.

O post tem data de
31 de Agosto de 2005 , mas não poderia ser m
ais actual.

Quem me atribuía na altura exagero nos meus alertas verificará hoje que pecavam, mas só por defeito e não por excesso , é que entretanto o barril de petróleo já esteve a mais do dobro dos valores de então e quanto a crise no imobiliário e tudo o que arrastou globalmente... é o que sabemos...


« Barril de petróleo atigiu ontem (30/08/05) os seteta dólar
es o barril (hoje , 25/9/08- $106,45) ... os economistas esperam a todo o momento um "crash" no valor do imobiliàrio, a poluição nas cidades aumenta na proporção directa da competência de quem as não planeia sustentávelmente, ou melhor, as planeia insustentávelmente...a EUROPA investe numa "nova" forma de mobilidade individual, para além de transportes publicos que funcionem...

Não há volta a dar, a bicicleta é o meio de transporte no futuro, para as pequenas deslocações e sobretudo para a cidade, no entanto o uso da bicicleta não se decreta, a menos que se queira instalar o caos e a idiotice do " dia sem carros" durante todo o ano.

Para a maioria , ir ao hipermercado comprar uma bicicleta nova ou tirar a da juventude do sótão lá de casa e sair de imediato para a rua a pedalar , a menos que seja adepto de desportos radicais e emoções fortes , não se aconselha!

Antes é preciso que as autarquias se conscencializem que o regresso da bicicleta é mais que uma moda passageira ou uma recomendação da União Europeia, é a unica forma que cada um tem no imediato, de contrariar a adversidade que é a escalada dos preços do petróleo , ao mesmo tempo que pratica indirectamente uma actividade fisica que só lhe trará beneficios (o que achará disto o Dr.Judas? Assim se evita o hospital!) .
Dessa conscencialização há que criar estruturas simples que permitam o uso deste meio de transporte, são eles , a criação de ciclovias (ciclovias que unam a cidade, não troços de passeio) e zonas de parqueamento . Não é preciso mais nada, tudo o resto fica à iniciativa do cidadão, a menos que se queira ir mais longe e se queira disponibilizar bicicletas de aluguer, o que não é novo e é prático sobretudo quando se anuncia o "rumo Turistico da Margem Sul".

Autarquias ricas como a do Seixal (imagem ao lado) dão o exemplo de criação de ciclovias e zonas pedonais de luxo comparando com cidades como Nova Yorque , Paris ou Berlim que dispondo de outros orçamentos mais modestos e menores possibilidades de endividamento, são ciclovias pouco adaptadas ao uso pela bicicleta uma vez que a sua arquitectura encerra alguns perigos de cantaria e sobrecarga de "mobiliàrio" urbano (imagino o custo demanutenção), mas é uma referência pelo evidente desperdicio, mas é obra de encher a vista a um mês das eleições...


Outras menos ricas como a da Moita (ao lado) encontraram uma optima solução à beira rio, com a Arrábida em fundo, e que continua para outros pontos do concelho cumprindo a sua função de via.



Depois temos na Europa outras soluções mais práticas e exequiveis no imediato mas penso que serão autarquias pobres, com orçamentos reduzidos e que por isso não têm direito a grandes luxos e desperdicios de dinheiro, acho também que não se tiveram de endividar para o fazer nem de transferir esse onus para as proximas gerações, aqui vão os exemplos de Copenhaga 1ª foto), Paris (3ª imagem) e Barcelona (2ªfoto), onde resolveram o problema com sinalização horizontal, vertical e a demarcação de corredores próprios...coisas de tesos...


Mas são esta as verdadeiras Capitais amigas deste meio de transporte na Europa, despojadas de luxos desnecessários "dados" por duvidosas parcerias e contrapartidas, cobrem toda a cidade e permitiram a massificação e o seu uso generalizado, o transporte da bicicleta nos transportes publicos também é um factor a ter em conta, o futuro MST permitirá o transporte da bicicleta? »

Nota final - este post foi publicado em Agosto de 2005 , o barril de petróleo estava então a 70 dólares o barril ...
_________________________________________________

ACTUAL

Realizou-se esta noite uma sessão extraordinária Asembleia Municipal do Seixal , mais uma vez se comprova a necessidade de haver quanto antes, uma mudança , e que se cumpra a alternância democrática, caracteristica da República.

Pior que as desculpas da maioria sobre a afinal , "não perda" de fundos do QREN...só a entrevista do Major Valentim na TVI justificando-se que afinal não era verdade a acusação do Ministério Publico ao ter lucrado com a venda de um terreno comprado num dia por 1M€ e vendido duas semanas depois, depois de devidamente desafectado... por 4M€ .

Os Gato Fedorento no seu melhor nem de longe chegam pela rama da realidade!

quarta-feira, setembro 24, 2008

PALHAÇADAS A METRO (2)


É sentimento generalizado de que há muito se perdeu a seriedade na politica local nesta banda do rio. Passarmos da Outra Banda para a Bandalheira , falta pouco, muito pouco .

Um dos exemplos desse estado de espirito consubstancia-se nas malfadadas obras e opções do Metro Sul do Tejo.


Já muito aqui se falou dessas estranhas e caras opções, desses estranhos atrasos e recuos, desse fazer e desfazer ou do facto de o Metro continuar a andar vazio! Mas ainda é pouco o que se disse ou criticou e as surpresas continuam.


Com o estaleiro caotico instalado no centro de Almada ,vamos conhecendo a cada dia , surpreendentes decisões , uma delas é , fantástica , é que não se vislumbra ciclovia na principal via de Almada Av Bento Gonçalves + Av. D.Nuno Álvares Pereira + Av.D Afonso Henriques + Av. 25
de Abril , onde foram suprimidas duas faixas de rodagem , onde se adicionaram dois pares de carris ... Onde está afinal o espaço dedicado a uma ciclovia ... é o passeio ? Não há ? Expliquem-nos como se tivessemos todos quatro anos....

Igualmente grave é a solução arquitectónica escolhida para a via , é que não se percebe bem onde acaba uma via de circulação automóvel, começa um passeio de peões ou qual o espaço destinado ao Metro , o revestimento de paralelipipedo é igual e da mesma côr o que vai provocar situações de muito perigo , nomeadamente para os peões...

Está-se a construír e impôr um espaço inóspito e sem referências , por isso imagine como vai ser difícil e perigosa a circulação de invisuais, como vai ser perigoso para as crianças...

Então e o prometido espaço canal ajardinado ?

Então a opção de pôr relva no espaço dos carris foi abandonada no centro de Almada, o local onde seria mais apreciada pelos cidadãos e traria alguma frescura no Verão aquelas artérias ?
Mais uma incompreensível opção quando noutros locais não habitados sequer há centenas e centenas de metros quadrados de relva no espaço ocupado pela via férrea.



Outro caso exemplar é de que ao saír das arcadas do Café Central para a Av. D.Afonso Henriques (imagem) , os peões entram directamente para uma via automóvel tendo como passo seguinte ... a via do metro !!!


Inadmissível ! Perigoso !

Responsabilizemos desde já a Câmara de Almada pelos atropelamentos que ali possam vir a ocorrer , é que o Metro está a ser tratado como mobiliário urbano quando é um veículo animado de movimento , comportando perigos iguais a qualquer outro meio de transporte.
____________________________________________

ACTUAL

Mais um caso grave (clique) de alteração da ordem publica, esta noite na Margem Sul , ver aqui (clique) . Não se compreende porque é a CDU tão avessa à criação de Policias Municipais!

terça-feira, setembro 23, 2008

PALHAÇADAS A METRO


Peço desculpa pelo título pouco elevado embora palhaço ou palhaçada já tenha transitado em julgado como "não ofensa" , mas é que não encontro melhor definição para o acumulado de disparate , tortura para os Almadenses e paralela derrapagem orçamental em que se tem tornado as obras do Metro Sul do Tejo.

Agora mais uma , os Parques de Estacionamento!

A obra do MST incluía a construção de Parques de Estaciona
mento dissuasores do uso de automóvel na cidade.

Como nos lembramos houve vários diferendos entre a Câmara de Almada e o MST que atrasou a conclusão da obra, razão pela qual as obra
s se arrastaram no tempo e decorrem ainda , uma das razões, resultou de um diferendo sobre a construção dos referidos Parques .

A Câmara denunciou o contrato de construção de Parques d
e Estacionamento , da responsabilidade do MST... porquê ? .... Bom, parece que finalmente se fez luz ... porque ao que parece, a construção de Parques de Estacionamento deve ter lembrado alguém que seria uma excelente oportunidade de alguém, a seu tempo, fazer negócio , se alguém duvida , aí está o anúncio publicado no último Expresso , como diz a menina do anúncio da TV Cabo ...Ele há coisas fantásticas !!!

Sobre um dos terrenos em alienação, Rua Borges do Rego, Laranjeiro. Trata-se de um terreno onde a população conta , há décadas , que ali
seja construído um prometido Parque , não de Estacionamento , mas Verde ?

Então agora já não vai ser uma zona Verde, mas Comércio, Serviços, Habitação e...estacionamento ???

E Já agora , e porquê só agora esta decisão ?


Se o Metro está a um mês de circular no centro de Almada, porquê só agora começaram a pensar nos Parques de Estacionamento ?

________________________________________________

ALMADA SETEMBRO 2008 DIA EUROPEU SEM CARROS


Praça do MFA ,centro de Almada ontem, "Dia Europeu Sem carros" a "CMA" aderiu!!!


Aqui Rua Luiz de Queiroz ,cumpriu-se o "Dia Europeu sem Carros" , parabéns Almada !
________________________________________________

Actual

Uma reunião interessante (aqui o link) .

segunda-feira, setembro 22, 2008

A REVOLTA DA BLOGOESFERA , OU NA BLOGOESFERA? (2)


A questão aqui deixada ontem em título , a propósito de dois posts do blogue "A Revolta das Laranjas" levou a repôr um post já aqui publicado :

« (...) Quem não parece nada seguro com a blogosfera é o chamado Poder Local
, primeiro porque este fenómeno surgiu quando andavam ainda às aranhas com a perda do controlo informativo monopolista hiper e totalmente dependente das autarquias que era (é) a maioria da imprensa local.

A imprensa local, à parte casos pontuais, seria (é) tudo, menos contestatária ou critica da "obra" do poder local que a alimenta , mudou ligeiramente este cenário com o advento de alguns jornais de distribuição gratuita que contornaram o controle exercido pelas autarquias e pela sua teia de interesses.


Depois passou a haver uma imprensa electrónica , actualizável em tempo real e que ultrapassava os básicos sites camarários que funcionavam como complemento do sempre elogioso elemento de propaganda, pago pelos contribuintes, o "Boletim Municipal".

Ora com o aparecimento dos Blogues e com a sua explosão por facilidade de acesso e construção de há cerca de três quatro anos a esta parte, sobretudo com a seriedade e profundidade como muitos são constrídos, com suporte de imagem e documentos, muitas das negociatas, despotismos, abusos de poder , tráfico de influências e corrupção até então só expostas e abafadas , em "sessão de câmara" , aparecem ao acesso de literalmente todo o mundo.

Desde então o sistema de democracia participativa mais cristalizador, monopolizador e oligárquico do sistema politico, não mais foi o mesmo, finalmente podia-se desmascarar e divulgar o que não era tomado em consideração e não interessava à imprensa local, nunca teria lugar num boletim municipal (onde a participação dos cidadãos e criticas não tem espaço) e nunca chegava à imprensa nacional, a não ser que houvesse algum acessor de imprensa ao serviço da oposição que se interessasse pelo caso em apreço.

A blogosfera tornou-se assim no meio local mais democrático de debate, logo demonstrativo do descontentamento geral numa margem sul alheada da participação publica e que por esse meio permite que uma força politica se eternize , em maioria , no poder com escassos milhares de votos, em certas freguesias densamente povoadas, por escassas centenas.

Logo, pela sua capacidade mobilizadora (...) , fora do cotrolo aparelhista, assustou os autarcas . O que é ridiculo é que não só tem assustado a maioria no poder, como também boa parte das oposições nestes concelhos da margem sul.

Será que têm medo que os bloggers passem neste timing eleitoral, para o papel de candidatos e por isso uns fazem de conta que ignoram e outros fazem os possiveis por censurar ? »

domingo, setembro 21, 2008

A REVOLTA DA BLOGOESFERA , OU NA BLOGOESFERA?


Uma opinião interessante de Paulo Edson Cunha publicada no blogue A Revolta das Laranjas com edição papel no número desta semana do Comércio do Seixal e Sesimbra, reconhecendo que a blogoesfera alterou a forma de fazer politica por estas bandas . Pela nossa parte congratulamo-nos por finalmente a discussão estar focada nos conteúdos e não na forma , o anonimato na blogoesfera deixou de ser a discussão , cito :

"E, de repente, os blogues obrigam os partidos a uma importante reflexão sobre a forma de fazer política em pleno Sec. XXI. Tudo começou com José Magalhães, do PS e o famosíssimo “Abrupto” de Pacheco Pereira.

Aos poucos políticos, anónimos, jornalistas e afins começaram a fazer
blogues. De tudo e de nada. O primeiro Blogue a abalar o Governo (a primeira crise séria de José Sócrates) lança o tema da sua licenciatura (“do Portugal Profundo”), juntamente com o blogue “A Grande Loja do Queijo Limiano” e temos a blogosfera a antecipar-se aos jornais e a ser a principal fonte de notícias destes últimos. No Seixal a realidade não tem sido diferente.

Do mais conhecido e antigo “A-Sul”, passando pelo “Alhos
Vedros ao Poder”, “Emalmada” ou “Praia dos Moinhos”, apareceram ou implementaram-se no último ano o excelente “Hekate”, o muito bom “Por cá tudo na mesma”, o irreverente “Velas do Tejo” e os mais políticos, da “JS” e da “JSD”.

Por fim, uma inovação no nosso concelho; Pela primeira vez dois cidadãos, eleitos, resolveram dar a cara, sufragar diariamente as suas ideias, os seus projectos, divulgando o que se faz na Câmara e na Assembleia Municipal, divulgando o que os seus partidos fazem, abrindo-os à Sociedade Civil, mas ao mesmo tempo sujeitando-se a serem atacados, a indirectamente atacarem terceiros, sob pena de serem acusados de praticarem censura.


Já devem ter percebido que falo do “Rumo a Bombordo” do Vereador Samuel Cruz (simultaneamente meu parceiro de crónicas publicas no jornal, via
blogue – outra inovação local) e do meu próprio blogue."
________________________________________________

ACTUAL

O imediatismo e a actualidade deste meio por vezes ultrapassa-nos , hoje mesmo, no blogue A Revolta das Laranjas há uma estimulante análise debate sobre a blogoesfera , na continuidade dos excertos que publico acima. Porque não faria sentido fazer um copy-paste , está aqui o link do post cuja leitura recomendo (clique) .

sábado, setembro 20, 2008

PREOCUPANTE


Noticia publicada no Correio da Manhã e Publico online de ontem e que dá conta que serão “centenas os jovens que vieram das favelas brasileiras para a Margem Sul de Lisboa e criaram o Primeiro Comando de Portugal (PCP)" !

Pergunto , o que pensa o governo fazer:

-Desafectar zonas de protecça
o ambiental para construír habitacão condigna para estes jovens ?

- Oferecer-lhes ligações de banda larga para manterem e incrementarem os seus contactos ?


-Distribuír-lhes computadores Magalhães e rebaptizá-los em up-grade Pedro Álvares Cabral para lhes facilitar a mobilidade?


E as autarquias CDU da Margem Sul, continuam relutantes em criar uma Policia Municipal ?:

É que a notícia a que me refiro acima e que passo a citar é preocupante!!!


¨Serão centenas os jovens que vieram das favelas brasileiras para a Margem Sul de Lisboa e criaram o Primeiro Comando de Portugal (PCP). Não têm documentos mas sim cadastro e as autoridades acreditam estarem por trás de actos de violência, como o que vitimou um ourives de Setúbal, noticia hoje o "Correio da Manhã".

O homem, 20 anos, que disparou sobre o ourives José Correia, que reagiu a um assalto, foi preso pela Polícia Judiciária na semana passada e está hoje em prisão preventiva. É membro do Primeiro Comando de Portugal.

O Primeiro Comando de Portugal será um clone do Primeiro Comando da Capital, que promete trazer uma nova justiça, criado no Brasil nos anos 90.

Segundo o "Correio da Manhã", as autoridades estão preocupadas com esta nova realidade trazida por centenas de jovens que se instalaram no distrito de Setúbal, organizados e dispostos a recriar os guetos brasileiros.¨


Não é curioso que tenham encontrado e reconstruído o seu habitat favelado, na Margem Sul ?
______________________________________

Entretanto e no Seixal ,graças à manifestaçao do regime, a Seixaliada, toda a a mobilidade no concelho está bloqueada, pelo corte de pontos vitais da rede viária, criando monumentais engarrafamentos!

Nao está nada mal esta "semana europeia da mobilidade" ...

sexta-feira, setembro 19, 2008

MOBILIDADE , ALMADA FANTASIA 2008


As semanas da mobilidade são uma forma de propaganda explorada ao máximo pela autarquia de Almada, uma verdadeira farsa, por exemplo nos últimos anos foram escolhidos pontos estratégicos que são verdadeiros palcos de uma ficção e não o mundo real relembro por exemplo algumas ruas da Trafaria há dois anos, umas ruas da Sobreda o ano passado e este ano a localidade contemplada é o Monte da Caparica.

Gostaria de ver esta iniciativa no presente, na zona central de Almada, no Laranjeiro, na Cova da Piedade

Por exemplo, pegando no programa deste ano (clique) faz-se o apelo para o uso quotidiano da bicicleta, por mero decreto espera-se que os trabalhadores da autarquia , da Fertagus , os estudantes da Universidade, três alvos desta campanha , passem a usar a bicicleta para o trabalho... mas ... e as ciclovias para lá chegar... e os parques para deixar de forma segura as bicicletas ?

Depois há aberrações diria que criminosas , destinadas a crianças como o mini curso "Andar de bicla na cidade " quando esta autarquia não construíu um centímetro de ciclovia segura em toda a cidade ...outra proposta "radical" são os 12 Km entre o Monte de Caparica e a Trafaria, quem conhece a estrada sabe porque digo "radical"...

Do programa vemos que a Câmara de Almada tem um simulador, para simular (passe a retundância) percursos, calorias gastas, CO2 poupado... mas não seria melhor passar do vistual para o real e com esse dinheiro ter construído , volto a insistir, ciclovias ?

E poderia continuar que o programa é extenso , com demonstrações de Segway, baptismos náuticos, rapel, visitas a hortas e ETARS , ainda não percebi o que estas ultimas propostas têm a ver com mobilidade ... mas a questão fundamental e primordial é para que serve tudo isto se nada de perene ou estrutural fica para além do próximo domingo ?

É que a realidade de segunda feira é a continuação do caos do centro de Almada e da completa irracionalidade dos percursos que nos obrigam a cumprir ... não há pela Câmara um simulador para calcular o que se gasta em paciência, em combustivel e quanto CO2 é libertado com esta imobilidade imposta pela Dona Emilia...

quinta-feira, setembro 18, 2008

SEMANA DA MOBILIDADE, ESTALINISMO NO ALCATRÃO


Denunciámos a existência no Seixal de uma passadeira com um rail ao fundo! A Autarquia fez uma passagem no rail ? Não , apagou a passadeira !!!

Todos os anos por esta altura tem lugar uma iniciativa europeia denominada Semana Europeia da Mobilidade .
Portugal não tem sido excepção e muitas têm sido as autarquias que têm aderido a este evento , tal como ao Dia Europeu Sem Carros.

Considero que toda e qualquer manifestação neste sentido que tenha unicamente um propósito folclórico e não um resultado objectivo e perene é um mero desperdicio , uma desonestidade politica e uma farsa ambiental , uma vez que não é proibindo um dia o tráfego automóvel mostrando para a "fotografia" um magote de gente a desfrutar da bicicleta, dos patins ou do skate que se vai alterar seja o que fôr.


Pode por exemplo comprovar isto vendo o que não se tem feito em Almada , uma autarquia que cumpre todos os anos esta farsa durante uma semana num espaço limitado do concelho, para no resto do ano ser o caos total em termos de mobilidade em todo o território.

Este ano, na Margem Sul do Tejo, uma região privilegiada para criar por exemplo uma rede integrada de ciclovias, sómente Almada, Alcochete, Moita e Montijo participam neste evento.


Um Concelho de grande densidade populacional como o Seixal e tremendos problemas de mobilidade, não participa , o que considero coerente, na medida em que durante todo o ano nada fazem em promoção de transportes alternativos ou criação de ciclovias e percursos pedonais , ou manutenção de passeios realmente utilizáveis por peões, nomeadamente de mobilidade reduzida...e até retiram passadeiras para peões...


Deixámos em Julho (clique) o repto à Câmara do Seixal para pelo menos retirarem o rail que há anos não permitia que a passadeira da imagem superior fosse utilizada em plenitude e sem obstáculos , o que fez a Câmara do Seixal depois da risada provocada pelas imagens e pelo post aqui publicado ?

Pois , não retirou o rail numa operação simples , e sem custos, parece que agastados pela nossa denúncia, retiraram... a passadeira... (imagem inf.) num percurso utilizado por muitos para acesso pedonal ás superfícies comerciais ali instaladas ...

Uma Câmara que assim trata os acessos pedonais e a mobilidade não automóvel é uma Câmara de Incompetentes!

Fizeram bem em não se associar à Semana Europeia da Mobilidade , este exemplo é digno do Terceiro Mundo !

quarta-feira, setembro 17, 2008

O INSUSTENTÁVEL PESO DO BETÃO


Os portugueses são dados a jogos piramidais de ganho fácil , risco irracional e probabilidade miníma , com o fito no enriquecimento rápido e fácil .Não é por acaso que somos os que mais apostamos no Euromilhões , e que criámos amorosas Donas Branca e jogos afins.

Na década de sessenta , setenta a indústria da construção era quase artesanal e amadora, não havia a imagem de grandes contrutoras à excepção da
"Pois Pois... Jota Pimenta" ...

Em trinta anos tudo mudou apareceram , cresceram , fundiram-se e adquiriram-se grandes empresas que passaram a ser cotadas em bolsa e a ter o seu peso no mercado accionista , no mercado eleitoral .

Com o betão tudo era fácil, num país com déficit de habitações e com um êxodo acelerado para as cidades, tudo se vendia , tudo se comprava tudo o que se construísse daria lucro que permitia ao pato-bravo emergente, comprar o primeiro Mercedes , dar o primeiro apartamento aos filhos , e com o dinheiro dos restantes, ainda dava para construír o proximo prédio , o segundo de muitos dos quais nasceriam verdadeiros impérios.

Com as autarquias , único entrave , aplicadoras de leis e mais recentemente Planos , criaram-se ao longo de trinta anos forma de serem contornadas , de pôr as pessoas certas no local certo, independentemente da côr politica e até os mais irredutíveis em termos ideológicos, os tais do "Trabalho, Honestidade e Competência ... " se deixaram levar ao serviço do
"Grande Capital do Betão Armado" .

Nunca ninguém parece ter pensado que isto teria um fim , que era insustentável continuar assim ... construindo cada vez mais, cada vez mais para fora dos centros urbanos , cada vez mais em terrenos agrícolas, em cima do mar, sobre as margens dos rios , em florestas e paralelamente deixar morrer a cidade , deixar apodrecer a cidade , deixar despovoar a cidade.

Mas há quem ainda não tenha percebido , que continue a construír e a permitir construír, a dar crédito para construír, a desafectar para construír, a mudar o uso do solo para construír ... quando mesmo já começa a não haver quem compre .

As falências estão aí , reais e consequentes !

Mas há quem não queira ver , por exemplo os eleitos PCP na Câmara de Lisboa mantiveram-se à margem de um plano para em Lisboa reverterem a desertificação e o abandono .

Não admira , se quem tem beneficiado com o êxodo têm sido por exemplo as autarquias PCP da Margem Sul investidas de um objectivo de massificação urbana generalizada mesmo se as urbanizações com nome de "Quinta..." ou de "Pinhal..." ficam por vender .


Se é insustentável ou não, não lhes interessa, virão depois dizer que as falências estão para o capitalismo como o Inferno está para o Cristianismo pedindo depois mais um voto para a Salvação (a sua...) , e há quem vote , como quem põe mais uma cruz no Euromilhões .

Para um ou outro o jackpot é capaz de continuar a saír, mas a maioria só gastou os últimos trocos que tinha...

terça-feira, setembro 16, 2008

A CRISE NO IMOBILIÁRIO E A SUA AVALANCHE


A propósito do tema aqui analisado nos últimos posts, a crise do imobiliário, e o abrandamento na procura de habitação. Cito excertos de um artigo publicado no Publico online no passado dia 15:

O abrandamento é apontado por Francisco Moura, consultor comercial da Century 21 das Laranjeiras, em Sete Rios. "Nos usados a partir dos €500 mil, a procura é praticamente nula. Por esse preço, opta-se por casas novas", considera. O vendedor refere o facto de ser cada vez mais comum os proprietários estarem a cortar até €10 mil nos valores. A culpa, sublinha, é do excesso de oferta.


"Agora, é frequente um apartamento ficar no mercado mais de seis meses", constata.
O excesso de construção de fogos novos cruzado com o arrefecimento económico explica, segundo Azeredo Perdição, a "apatia" que se abateu sobre o mercado imobiliário nacional.

O secretário-geral da Associação de Promotores e Investidores Imobiliários deixa um recado aos agentes: "Sejam criteriosos nos projectos". Nota ainda que o mercado dos usados está a ser afectado pela construção de habitações novas, sobretudo nas periferias das grandes cidades, "onde os proprietários sentem sérias dificuldades para se desfazerem das casas".(...)

Números oficiais não existem mas a Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) garante que actualmente estão à venda perto de 450 mil imóveis em todo o país. "Isto é o que eu posso apurar no nosso sítio oficial na Internet", explica José Eduardo Macedo, presidente da APEMIP.




250 mil imóveis sobreavaliados

Há ainda outro dado avançado por este responsável que indica que do total de casas à venda, 250 mil estão com preços especulativos, ou seja, acima do seu real valor. "Isto só significa uma coisa: que os seus proprietários vão estar mais tempo para as vender e só o farão depois de baixarem os preços".

Outra fonte de informação do sector, o 'Confidencial Imobiliário', estima que existem 292 mil imóveis à venda só nas áreas metropolitanas do Porto, Lisboa e Algarve. Por outro lado, Ricardo Guimarães, director daquela publicação especializada em imobiliário, diz que o tempo médio de venda de uma casa está a aumentar. "Os tempos médios de absorção subiram dos seis a sete meses em 2007 para nove a dez meses em 2008".(...)

O presidente da APEMIP acrescenta que "actualmente só compra casa quem está mesmo a precisar de uma habitação, enquanto há uns anos atrás se investia regularmente neste segmento". Outras fontes garantem que há um sentimento generalizado de que os preços dos imóveis ainda podem baixar mais no próximo ano, e que por isso poderá haver intenções de compra adiadas. (...)

segunda-feira, setembro 15, 2008

A ESTOCADA FINAL OU A GRANDE OPORTUNIDADE?


Numa primeira vaga de ocupação humana há muitos séculos atrás veio a agricultura e a pesca , depois no final do século passado, só no final do século passado , a indústria pesada e transformadora, a construção e reparação naval ... nos últimos anos essa indústria não foi substituída por industrias de ponta e alto valor acrescentado como seria desejável e de esperar num país europeu, mas manteve o mesmo perfil, o que representou perda de empregos, de criação de riqueza... (excluindo a Auto Europa).

O modelo produtivo foi substituído pelo modelo predador, delapidador , insustentável , o modelo em que a construção e especulação imobiliária é a cereja no topo do bolo, um bolo por vezes malcheiroso e estéril das áreas ocupadas pelas antigas industrias e não recuperadas, a que há a somar centenas e centenas de hectares de áreas de exploração de inertes, até no Parque Natural da Arrábida.

É neste enquadramento de erros sucessivos , numa altura de revisão de alguns PDMś , e depois de sucessivos e multiplos erros urbanisticos e ambientais que surge o seguinte documento:

Resolução do Conselho de Ministros que lança o Projecto do Arco Ribeirinho Sul, visando a requalificação urbanística de importantes áreas da margem sul do estuário do Tejo e contribuindo para a valorização e competitividade da Área Metropolitana de Lisboa

Esta Resolução vem lançar o Projecto do Arco Ribeirinho Sul, visando a requalificação urbanística de importantes áreas da margem sul do estuário do Tejo, nos municípios de Almada, Barreiro e Seixal, quer os que são hoje da esfera pública e constituem activos do Estado, quer os envolventes.(...)


Para a elaboração do Plano Estratégico que permita a realização do Projecto do Arco Ribeirinho Sul, é constituído um Grupo de Trabalho na dependência do Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e com a representação de outros ministérios, ficando a Parque Expo, em colaboração com a Parpública, encarregada de prestar o apoio técnico necessário.

Determina-se, ainda, que o Projecto do Arco Ribeirinho Sul se deve realizar de acordo com as seguintes orientações estratégicas:

a) Valorização do património público em presença, numa óptica que atribua o devido peso à utilidade pública desses terrenos para a qualificação urbanística e ambiental do estuário do Tejo e da Área Metropolitana de Lisboa;

b) Adopção de um modelo de intervenção que permita assegurar que desta intervenção não decorrem encargos para o Estado nem para as empresas públicas proprietárias de espaços nas áreas abrangidas, excepto aqueles que eventualmente se relacionem com a resolução de passivos ambientais pelos quais nenhuma outra entidade seja juridicamente responsável;(...)

e) Promoção de um modelo de desenvolvimento urbanístico equilibrado que contribua para a dinamização das actividades económicas e para a criação de emprego na região, proporcionando a melhoria da qualidade de vida de toda a população da Área Metropolitana de Lisboa;

f) Adopção de critérios urbanísticos e construtivos compatíveis com as melhores práticas ambientais e de eficiência energética.

Com este projecto pretende-se desenvolver, de forma integrada, um vasto território, que inclui, designadamente, cerca de 55 ha na Margueira, no concelho de Almada, cerca de 536 ha na chamada Siderurgia Nacional, no concelho do Seixal, e cerca de 290 ha nos terrenos da Quimiparque, no concelho do Barreiro.

A recente decisão de localização do Novo Aeroporto de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete, a construção da Terceira Travessia do Tejo e o conjunto de outras iniciativas interligadas com estes investimentos, vêm dar particular relevância a esta intervenção, criando a oportunidade de promover um crescimento ordenado e sustentável e atraindo para a recuperação destas áreas degradadas parte dos investimentos, da edificação e das actividades induzidos por aquela importante infra-estrutura aeroportuária.

Fica a dúvida:

- É a grande oportunidade ou a estocada final nesta Margem Sul ?

Para já um erro absurdo , a urbanização de áreas propriedade do Estado sem a intenção clara de contenção de nenhuma das outras , quando o que é necessário é a renaturalização e re-florestacão do muito que foi perdido e do que deverá ser compensado pelo NAER e pelas multiplas urbanizações em apreciação.
Devo dizer que temo o pior por a defesa dos valores naturais estar pouco ou nada acautelada , para já, nesta resolução, enquanto que no mesmo documento, em relaçao ao Litoral Norte as premissas são bem mais claras:

A intervenção a realizar (Polis Litoral Norte) tem ¨eixos estratégicos¨ bem mais ¨ambientais¨ :

a) Protecção e defesa da zona costeira visando a prevenção de risco;

b) Preservação e requalificação dos valores naturais;

c) Valorização e promoção dos valores naturais e culturais singulares do Litoral Norte;

d) Requalificação e revitalização de núcleos urbano-marítimos;


-------------------------------------------------------------------------
NOTA

Houve um estranho "bloqueio" que impediu acessos durante o fim-de-semana ao blogue a-sul. O alojador Blogger diz ser alheio à situação que desconhecia , da mesma forma somos alheios ao acontecido .

A normalidade parece entretanto reposta.

Ele há mistérios....e também ameaças (clique) ...

domingo, setembro 14, 2008

A CRISE DO BETÃO PERTO DE SI



O Fenómeno no imobiliário inebriou governos, autarcas e cidadãos nos ultimos anos , anos em que o Betão foi teóricamente um dos motores de crescimento .


Mas sinais vieram dos Estados Unidos com a crise do sub-prime , um conjunto complexo de permissas que estão a levar desde cidadãos , até grandes bancos à falência.

As familias,a quem foram dados empréstimos sem critério nem grande controlo e que deparadas com um aumento dos juros , e da descida do preco das habitacões, simplesmente deixaram de poder assumir os seus compromissos , foram as primeiras vitimas.

Nos Estados Unidos há hoje casas a metade do preco de há um ou dois anos, o que como é lógico não permite aos proprietários endividados em desespero de causa possam , vendendo as casas, fazer capital que lhes permita , não , ganhar dinheiro , mas sim alienar simplesmente a dívida.

Se o problema fossem os Capitalistas Americanos , dormiriamos bem...mas não é . Mercados que nos são proximos comecam-se a debater com o mesmo fenómeno, nomeadamente Inglaterra, e sobretudo Espanha.

O mercado espanhol é para nós particularmente preocupante não só porque o desempenho da economia espanhola afecta muito directamente a nossa , não só porque há empresas espanholas a actuar no mercado nacional (foi aqui dado um exemplo ontem) , mas porque em Portugal cometemos os mesmos erros agravados com outros factores únicos .


E os erros foram não só ao nível da facilitacão do acesso ao crédito e ao sobreendividamento descontrolado das familias , mas paralelmente a um boom descontrolado em construcão de habitacão fomentado por muitas autarquias .

Há hoje em Portugal uma crise instalada neste sector que continua a caminhar para o abismo e a arrastar-nos incompreensívelmente e com a cumplicidade e silêncio dos nossos autarcas para esse mesmo abismo , pois tem criado problemas ambientais e socias muito graves.

O regabofe tem sido total , muitas autarquias, muitas empresas , muitas empresas imobiliárias e de construcão ganharam muito dinheiro mas desde já há milhares de familias sobreendividadas e que não conseguem vender as suas casas que entretanto têm desvalorizado, à medida inversa do que as prestacões com o banco têm aumentado e num mercado inundado de habitacões à venda.

O mercado tem uma overdose de habitacão nova para venda e idêntica quantidade de casas usadas vazias à espera também de comprador.
Esta questão vai caír com estrondo sobretudo na Margem Sul , onde se construíu brutalmente nos últimos anos e onde se continua a caír no mesmo erro, com o patrocínio do Governo (projectos de habitacão para a Siderurgia, Quimiparque e Lisnave) e das autarquias que têm autorizado a construcão de forma perfeitamente esquizofrénica.

Quanto aos juros... esses não param de subir...Vem aí borrasca !

sábado, setembro 13, 2008

O MILAGRE CDU DO BETÃO


A betonização da Margem Sul avança a ritmo acelerado e de forma concertada por todos os concelhos desta banda.

É de prever que dentro de vinte anos, todo o Portugal se tenha mudado para esta banda , fechando tudo o resto e vivendo todos felizes neste paraíso para todo o sempre.


Projectos megalómanos avançam por todo o lado como se a maior crise desde o pós-guerra fosse uma brincadeira, se o crash imobiliário nos Estados Unidos, em Inglaterra e em Espanha... fosse algo que não nos diz respeito e como se os espaços verdes, a natureza e o desenvolvimento equilibrado e sustentado não fossem mais do que uma invenção dos ecologistas... esses chatos sempre a dizer que DESENVOLVIMENTO não é isto !

Destaque hoje para a Moita onde a FADESA , uma empresa espanhola que no seu mercado dá sinais financeiros preocupantes, aqui avança de vento em popa e sobre zonas virgens do estuário do Tejo com a urbanização da imagem, assim reza a restante publicidade, sem mais comentários :


"Actualmente encontra-se concluída a primeira fase do empreendimento, que compreende 6 lotes de terreno, num total de 577 fogos de habitação e 41 espaços comerciais, estando em curso, as obras de infra-estruturas do restante terreno para dar continuidade à execução do projecto.

Servida por uma moderna rede de acessos rodoviários, ferroviários, e transportes públicos de qualidade, a Nova Urbanização Quinta Fonte da Prata privilegia os moradores ao conciliar a curta distância dos grandes centros urbanos da área metropolitana de Lisboa, com a tranquilidade do ambiente onde se insere, proporcionando aos seus cerca de 10.000 habitantes, que irão habitar fogos de tipologias compreendidas entre T1 a T4, um vasto conjunto de equipamentos de grande qualidade, Jardins de Infância, Escola Primária, Escola 2º e 3 º ciclo, Biblioteca, Complexo Desportivo, Court ténis, Club House, Golf, Fórum Saúde com Centro Clínico Privado e Público, Centro Comercial, bem como amplos espaços verdes e pedonais que ocupam uma área aproximada de 150.000m2, no total de 524.000m2 que compõem a dimensão total do empreendimento."

O que não é referido neste conto de fadas é que a borrasca já chegou e que no seu país de origem , a Martinsa-Fadesa , a imobiliária que promete o Paraíso na Terra para a Moita está em maus lençóis com a justiça espanhola e com os seus credores , fornecedores e funcionários.

Em Portugal no pasa nada (?) ....

sexta-feira, setembro 12, 2008

DEMOCRACIA ! QUAL DEMOCRACIA ?


O exemplo do Seixal aqui trazido ontem é mais um dos exemplos da prepotência instalada no aparelho de poder da Margem Sul e que lhe dá sobrevivência e sustentáculo .Se é possível instalar uma matriz Estalinista numa democracia , o que encontramos nesta Banda não deve estar muito afastado dessa realidade.

Há depois o sentimento de impunidade, muitas vezes descarada em que tudo é feito .
O caso de negarem atribuír um patrono a uma escola, que por iniciativa própria, democrática, da sua comunidade educativa pretendeu , de acordo com a Lei da República, é o corolário na forma como a sociedade civil é tratada.


No resto, bom, no resto é o que se sabe sobre os apoios autárquicos às escolas...às associações...ao movimento associativo em geral que contrastam na movimentação e afectação de meios próprios da autarquia por exemplo na Festa do Avante ou noutras manifestações panfletárias ciclicas. Ou o lado disciplinador da "força" por exemplo no sucedido com o Grupo Flamingo impedido de recolher assinaturas numa iniciativa da autarquia (clique) .


Bom mas dentro de uma estrutura alegadamente
Famigliar , dentro de uma Cosa Nostra que aparentemente tomou parte do aparelho politico nada disto é de estranhar , faz parte até dos "manuais". As consequências , quer na Democracia quer no Ambiente são graves e irreversíveis, tal como grave e irreversível foram os 48 anos de Ditadura a que os militares do 25 de Abril puseram cobro.

Terminou a Ditadura Fascista , mas continuamos , quer em termos de mentalidade, quer em termos de educação e desenvolvimento a viver, 34 anos depois , com as suas consequências. O mesmo acontece e acontecerá depois deste 33 anos de "Democrática Ditadura" de poder local instalado com a conivência ou omissão das altas esferas dos outros partidos nacionais .

Foram mais de três décadas em que o polvo se istalou no poder, se associou com o Betão destruindo zonas verdes a esmo, bricando com as leis de ordenamento a seu bel prazer , em proveito próprio e de terceiros e em prejuizo do ambiente e da qualidade de vida das populações .


Nesse mesmo período , numa perspectiva de partido único, invadiram a vida privada dos que se lhe opunham, secaram a vida associativa , instrumentalizaram as Festas Populares que de "Populares" já só têm o nome , entregou-se território virgem e de grande valia agricola, turistica e ambiental para que uma meia dúzia, sempre os mesmos, lucrassem e dessem a lucrar.

Como vimos ontem em comentários aqui deixados , há uma descrença generalizada nos politicos e na politica, de tal forma que se instalou um compreensível Sebastianismo de que surja alguma força não partidária, em que se sintam representados como cidadãos, e se identifiquem como pessoas num grande e amplo movimento civíco.

Assim, ele surja ,
creio que fácilmente ganharia não uma vereação, mas a maioria da Câmara (a menos que a oposição que já deu mostras de mudança , faça o trabalho de casa que não foi feito durante muitos anos )!

Mas atenção , muita atenção ao que ontem também se escreveu no blogue Alhos Vedros Ao Poder sobre a Moita , cito :


"Quem quiser afrontar aqui no concelho o poder moiteiro precisa de, mais do que peneiras ou ambições pessoais, ter uma ligação forte à terra, ser alguém conhecido e, se não consensual, pelo menos respeitado por todos os que não apoiam protocolos manhosos, estratégias lamacentas de ataque pessoal e a promoçção de carreiras com base nos cartões partidários.

Claro que, em seu bom juízo e atendendo à agência de emprego partidário em que se tornou a CMM e o poder local, ninguém quereria ganhar uma eleição para governar com uma estrutura técnico-administrativa toda minada.

Mas há sempre mártires."