quarta-feira, junho 01, 2005

DA DEMAGOGIA DO "DIA SEM CARROS" à REALIDADE DE OUTROS LUGARES


Almada? Moita? Montijo? Seixal? Alcochete? Costa da Caparica?

E a resposta não é Marte como sugeriram, mas Amsterdão como menciona um dos comentários. Serve esta brincadeira para o seguinte, para mostrar como é possivel criar alternativas válidas e simples de mobilidade nas cidades (sobretudo na de orografia plana como as da Margem Sul) , e não é pelo custo da bicicleta certamente que está paga depois de encher quatro vezes o depósito, mas sim pelas condições que as nossas cidades e vilas oferecem...sem qualquer viabilidade para a utilização segura deste meio de transporte.

Acho que não há duvidas sobre o nivel socio-económico e de bem estar da sociedade Holandesa, bem como o seu clima adverso, mas em contrapartida têm cidades organizadas, (Bicycle-frienly) , amigas da bicicleta e sobretudo amigas das pessoas .

Na Holanda a Terra é escassa , diz-se mesmo que Deus criou o Mundo e os Holandeses a Holanda, sobre terreno conquistado ao mar, pelo que o valor do solo e do território é elevado...mas não se pense que se aplica o caos urbanistico, o desarrume urbano ou a especulação imobiliària da Margem Sul onde nos habituaram a que tudo tinha de ser de má qualidade, o que com fatalismo parece termos aceite!!!

As soluções são simples, constroem-se ciclo-vias , sinalização, locais para estacionar as bicicletas e as pessoas usam... na Holanda, de todas as idades, e, paralelemente combatem outro problema da sociedade que nos foram construindo nas ultimas décadas como expoente máximo do "desenvolvimento", a obesidade e o sedentarismo com toda a chaga de doenças associadas...claro que isso não dá dinheiros de luvas ou jogos de poder e influência... (com um jeitinho até podem sondar um construtor amigo...) mas talvez se construa uma sociedade melhor! Posted by Hello

7 comentários:

Anónimo disse...

Eu diria Holanda, pelos símbolos, pelas bicicletas e pelas construções.
Um país onde quase há mais gente de bicicleta do que de automóvel... acertei na pergunta ?

Lírico disse...

Ou será a maquete do novo metro almada/seixal? eheheheheheeh

Anónimo disse...

Presumo, que seja ...... Marte!!!!
Será?????

não há pachorra disse...

Meu amigo, hj com a globalização já não pode haver desculpas para as asneiradas. Há mta informação, há mtos bons exemplos, há mtos bons técnicos... O que não há é pachorra para quem tem o poder e enfia a cabeça na areia. Temos o urbanismo que temos, pq as decisões são tomadas em função de interesses que nada têm a ver com a satisfação das necessidades das pessoas.

Anónimo disse...

Eu apenas queria acrescentar que nesse mesmo dia tive de deslocar de automovel numa viagem que normalmente demoraria cinco minutos e com os condicionamentos de transito demorou 45m, ou seja 9 vezes mais que o meu carro esteve a expelir poluição, multiplicado isto pelos milhares de carros que se encontravam engarrafdos no transito como eu, levaria, a que se tivessem feito analises nesse dia da qualidade do ar, resultaria que seria bem pior no tal dia chamado sem carros!! Hipocrisia. E já agora não quero deixar de referir que de sábado para domingo, 28 para 29 de Maio, na iniciativa do Toca a rufar na Qta. da Fidalga, eram duas 2.30h da manha e ainda se ouvia o barulho dos concertos que lá decorriam e atenção eu ouvia em casa e moro do outro lado da Baia no Seixal!! Cultura e poluição ambiental e falta de respeito pelas pessoas.

cocas45 disse...

Como é possivel o presidente da republica marcar eleições no final das obras em execução no Seixal? Está mal!!!! Este aproveitamento do presidente da republica está politicamente incorrecto, não acham?

Anónimo disse...

Quais obras??? Quais obras se refere o comentário anterior??? As pagas pelo Carrefour??? Que é a alternativa à E.N.10?? Ou as da rotunda da Cruz de Pau pagas pelo Continente???? Ou aquelas que consistem na construção de um paredão na Baia do Seixal feito sem qq estudo de impacto ambiental??