quarta-feira, junho 22, 2005

FUTEBOL E AMBIENTE 2 - BENFICA O SALVO CONDUTO PARA URBANIZAR A QUINTA DA TRINDADE


Quinta da Trindade - A destruição patrimonial e os projectos que o Boletim Municipal não mostra - Historical building and old farm becames a mega-real estate project and a private training field for Lisbon football team Benfica. The area is placed in a protected environmental area.

A crise em que estão mergulhados os clubes de futebol parece ser geral em todo o país, no espaço de duas semanas temos vários clubes a quererem trocar os seus terrenos por urbanizações , na Amadora, o "Estrela admite a venda de estádio para fazer mais prédios - O PSD mostra-se favorável, PCP está contra devido à excessiva densidade urbana que já existe na Reboleira" (publico 12/06/05), no Porto o Boavista diz acabar com todas as modalidades amadoras se a autarquia não alterar o Plano Director Municipal de forma ao Clube avançar com um projecto imobiliário.

A Margem sul não está imune a esta forma peculiar de endireitar as contas. A noticia vem do carismático Barreirense com problemas e soluções semelhantes. No meio de tudo isto o Seixal é o Paraíso, a crer no ultimo Boletim Municipal, pois avança a bom ritmo a construção de vários campos de treino, junto onde existem já dois campos pelados pertencentes ao Seixal Futebol Clube, trata-se do projecto do Centro de Estágios do Benfica (CeB).

Mas as coisas não são nem foram assim tão simples. Primeiro houve todo o processo juridico que envolveu o terreno da Quinta da Trindade, a Euroárea, e o anterior presidente do Benfica , Dr.Vale e Azevedo, processo que se arrastou até há bem pouco tempo. A história andou de tal forma em bolandas que o Expresso chegou a noticiar que "O Sport Lisboa e Benfica vai desistir da construção do seu centro de estágios no Seixal em favor da zona de Caparide, no concelho de Cascais (...) João Malheiro referia «estamos perante um assunto de contornos muito estranhos e que, por isso mesmo, merece uma especial atenção» ". É desta altura a celebre frase atribuida a Alfredo Monteiro e publicada no Expresso : «a construção do empreendimento avança mesmo sem o Benfica».

Finalmente em Dezembro de 2001 o Publico noticiava (7/12/01 - José J.Mateus) que "Terrenos do Seixal já são do Benfica - Euroárea vai pagar parte do centro de estágio, cujas obras arrancam em Janeiro (...) De acordo com o protocolo assinado em Janeiro de 2000, entre a Câmara Municipal do Seixal, o Benfica - então dirigido por Vale e Azevedo - e Euroàrea, o centro de estágio vai ocupar 149.392 m2, com uma àrea bruta de construção de 5200 m2 ( ...)

"A contrapartida deste negócio ( continuando a citar a noticia) para a Euroárea é apenas uma,de acordo com Vilarinho : 'O Benfica dá a presença no Seixal '. Na verdade , o Benfica acelerou a obtensão dos alvarás de loteamento e construção por parte da Euroàrea, que há vários anos tentava ultrapassar várias limitações, entre os quais o facto de os terrenos fazerem parte da Reserva Ecológica Nacional"

A noticia do Publico ignorava no entanto questões levantadas por um artigo publicado no Expresso (28/06/01 e que referia contrapartidas até então "pouco divulgadas" , noticiava então o Expresso :
" A polémica está instalada em torno da construção do futuro (C.E.B) no Seixal. A reboque da edificação do complexo desportivo nascerão na Quinta da Trindade cerca de 1325 apartamentos, divididos por 76 lotes com cerca de oito pisos cada.Grande parte dos terrenos onde se fará a construção estão afecto à Reserva Agricola nacional (RAN) e à Reserva Ecológica Nacional (REN), onde é proíbida qualquer edificação, salvo se esta se constituir de interesse publico , o que parece estar a acontecer neste caso. Um protocolo tripartido, estabelecido entre a antiga direcção do Benfica, a Câmara Municipal do Seixal e a Euroàrea, formalizou a autorização para o Benfica construir no local o seu centro de estágio e uma urbanização.

Ainda segundo o Expresso ; "Na zona envolvente aos polémicos terrenos habitam cerca de 2500 pessoas.Quando a urbanização da Quinta da Trindade estiver concluida, passarão a cerca de 6000. Tudo o resto ficará igual, as escolas, os centros de saúde, os jardins.De acordo com o 'Estudo Urbanistico para a Quinta da Trindade' a que o Expresso teve acesso, nos cerca de 26 hectares que compõem o terreno serão implantados 1325 fogos, em 76 edificios que chegam a ter oito pisos acima do solo. Aárea identificada para construção estima-se em 162.895 m2, dos quais cerca de 159.048m2 se destinam à construção habitacional e apenas 3907 terão como fim a construção de infra-estruturas de comércio e serviços".

Os campos de treino são apresentados com pompa e circunstância em primeira página do Boletim Municipal, mas as pesadas contrapartidas (urbanização em massa) são omitidas, não haveria espaço na primeira página para mostrar todo o projecto? Ou não interessará que se saiba? Não querem que se saiba que uma estrada vai passar a escassos metros da Quinta da Trindade (na imagem) ? E que foram já retalhados parte dos terrenos e arrazada grande parte da vegetação ?

Afinal não há milagres, noticias vindas ontem a publico referem que as empresas, clubes de futebol são largamente más pagadoras , desde logo, aos seus trabalhadores (os jogadores) esta moda devedoura atinge 80% dos clubes segundo a TSF, por isso estas parcerias são pão para a boca de muita gente...

Sabemos também que a situação financeira do Benfica já levou a alguns apertos uma ou outra vez. Então o quem é que no Seixal garante que se o Benfica um dia entarar em falência ou outra dificuldade financeira, que não resolve embarcar na moda descrita no inicio , da alienação de património ? O que é que garante que o Benfica em caso de necessidade queira construir, depois dos 76 edificios em projecto mais nos futuros campos de treino ? (Na Amadora e no Barreiro ninguém pensaria possivel as respectivas equipas quererem vender os seus estádios para urbanizar, e é uma hipótese em cima da mesa...) e certamente que antes dos terrenos da Luz a ter que alienar património ele começará certamente pela outra banda...Posted by Hello

10 comentários:

Anónimo disse...

Afinal sempre é verdade, as imagens não enganam, desta vez não me apanham.

NP disse...

Depois de ler com atenção o seu post e de ver as diversas referências que faz no seu artigo questiono-me como é isto possível.
O SLB e a Euroárea fazem um negócio com terrenos de um concelho alheio, que tem uma gestão que só diz "amén" e que permite destruir boa parte do terreno da Quinta Da Trindade e ainda permite que se construam 1325 fogos ! Ora isto levará umas 3000 pessoas ao Seixal, todas entaladas em prédios altos junto ao rio.... que raio de urbanismo é este ?

A ser verdade era caso para uma acção popular qualquer, ao melhor estilo do advogado candidato do BE em Lisboa, José Sá Fernandes, pois o que está em causa é a manutenção e a degradação da já de si baixa qualificação urbana deste concelho.

Anónimo disse...

É curioso ver que perante as claras evidências de má gestão o Sr.Deputado Paulo Silva deixou de nos animar com os seus comentários.
Talvez não queira ler para não saber.
Quanto aos textos aqui publicados, o mínimo que se pode dizer é que é lamentável como é que a Camara permite que isto aconteca, quando ainda há anos fazia capas do BM com a compra da quinta, enaltecendo o seu património e história.
Comunistas de memória cura.

Anónimo disse...

Atenção à necessária correcção desta notícia. É que junto ao centro de estágioa não existem dois campos pelados do Seixal Futebol Clube, existem ZERO.
Até ao início das obras existiam dois campos pelados, mas não do SAeixal FC. Um de futebol de sete que tudo indica foi perdido por um presidente a troco de 20000 contos e sem o conhecinhento da direcção e muito menos dos seus utilizadores.
O outro que foi cedido à CMS pelo seu proprietário por um período de 50 anos para facultar aos jovens a prática do futebol. Acontece que neste momento a CMS vendeu o campo à Euroárea em mais um dos seus negócios e os jogadores estão na iminência e em qualquer altura de serem postos fora semterem para onde ir. Isto é a protecção da CMS à Constituição da Republica quando diz que todo o jovem tem direito ao desporto. O curioso é que quando a CMS cede terrenos para construção de parques desportivos coloca uma cláusula no contrato que impede a venda, mas para ela própria essa impossibilidade não existe. Fomo dizia Frei Tomás...
Portanto logo que a Euroária quiser o Seixal Futebol Clube é posto fora do campo MUNICIPAL Albano Narciso Pereira.
É que já são tantas as barbaridades que não estranhamos e vimos consultar este blog para sabermos qual a última. E será que vamos ter de aguentar esta gente mais tempo?

cocas45 disse...

Em seguimento do ultimo escrito gostava de saber onde se encontra e qual o valor das chamadas áreas de cedência que a Câmara Municipal do Seixal, chamou a si com os negócios da Quinta da trindade/Eurárea/Benfica.
Sim porque é de lei conseguir uma percentagem da área negociada. No entanto tudo o que ali existe está ocupado pelo centro de estágio e nova urbanização.
Será quese esqueceram do que lhes pertencia ou já foi à vida, como a pescada antes de ser já era.

Anónimo disse...

Consultando os meus arquivos pude verificar no BM de Nov/Dez 93, aquando da inauguração do Campo Albano Narciso Pereira, com fanfarra e um justo elogio ao Violino, dizia o presidente da altura, que era a melhor homenagem que se podia fazer ao excelente jogador, era dar o seu nome aquele recinto desportivo. Dizia Eufrázio Filipe que aquele era um local do desporto e da juventude, que iria perpentuar no tempo a prática do desporto dos jovens. Dizia que um concelho vivo não era o que possuia prédios altos mas sim o que olhava para a sua juventude.
Passados que são 10 anos o que vemos?
Tudo mudou. Mudou o presidente, mudaram as filosofias, modaram os conceitos, mudaram os negócios. Só não mudaram os seixalenses que continuam a aspirar um futuro melhor para os seus filhos. E como dizem alguns a luta continua, _ _ _ para a rua

Pedro Andrade disse...

"Dizia que um concelho vivo não era o que possuia prédios altos mas sim o que olhava para a sua juventude."
Eufrázio Filipe dixit

Mas se foi ele que começou a permitir prédios altos, agora o Professor Alfredo apenas deu sentido aos ensinamentos que teve do mestre e permite prédios de tantos andares no Seixal, naquela zona !

Um aprendiz de feiticeiro, que não percebe nada do que lhe foi ensinado durante anos, enquanto era vereador.

aguia-da-amora disse...

Gostaria que abordasse a questão da SN e ambiente. Na minha opinião muito mais prejudicial que a construção e o CEB na Qta. da Trindade, uma quinta que como outras do concelho foram absorvidas pelo urbanismo acelerado da margem sul.
Já agora tambem poderiam falar da antiga fabrica da pólvora e dos areeiros.

marreta xuxa disse...

Que raio...!!!!

Tantos problemas ambientais no Seixal e em todo o distrito, mas o problema é o Benfica e a CM Seixal.
Estou a ver qual o Ambiente que querem proteger.

Anaís Pedroche disse...

eu pasei todos as ferias da minha vida nesa quinta y agora ver isto y pensar que nunca mais podre voltar a ver a quinta como era antes dame muita pena