domingo, janeiro 31, 2010

ARQUIVADO !


NO COMMENTS :

« O processo que envolvia o presidente da Câmara do Seixal, Alfredo Monteiro, por suspeitas de ter praticado infracções financeiras foi arquivado.

Fonte do Ministério Público informou ontem a Lusa que o “processo de arquivamento aconteceu porque o presidente se voluntariou em pagar a multa (1500 euros)”.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara não esteve disponível para prestar esclarecimentos mas fonte da presidência informou via correio electrónico que “o Ministério Público deu razão à posição da autarquia ao arquivar o processo”.

Na sequência de uma auditoria feita à Câmara Municipal do Seixal em Setembro de 2009, a Inspecção-Geral de Finanças (IGF) identificou “suspeitas de infracções financeiras cometidas pelo presidente, que terá autorizado o pagamento de despesas sem os respectivos suportes legais durante vários anos”.

Em causa estava a contratação de dois advogados, dos quais, segundo o relatório da IGF, uma “foi paga pela CMS como se fosse funcionária da autarquia, o que não era o caso à luz do contrato de prestação de serviços celebrado em 1981”.

No outro caso “o advogado foi admitido por ajuste directo, através de uma empresa que alegadamente propôs diferentes candidatos à autarquia”.

Para a IGF, neste caso "não foi observado o princípio da legalidade, nem o da transparência e da concorrência", conforme consta no relatório.

Em Setembro de 2009, Alfredo Monteiro afirmou à Lusa que a actividade da autarquia é “pautada pelo estrito cumprimento da lei” (LUSA)

sábado, janeiro 30, 2010

PDM's E BIODIVERSIDADE


Durante esta semana foi aqui propositadamente avaliado numa forma exaustiva, o estudo português associado ao lançamento do Ano Internacional da Biodiversidade .

Este estudo é concludente e contundente a nível nacional - mas também a nível local - relativamente a politicas de gestão de solos, à transformação de solo agricola e florestal em solo urbano.

Este problema é notório em determinadas autarquias, nas quais podemos considerar - como maus exemplos - as autarquias da margem sul do Tejo.Veja-se o contraste com bom exemplo vindo do outro lado do Atlântico , de uma autarquia , Curitiba , que tem relevância mundial .


« BIODIVERSIDADE FARÁ PARTE DO PLANO DIRECTOR DE CURITIBA

Curitiba foi palco, ontem, da abertura do Ano Internacional da Biodiversidade. O lançamento ocorreu durante a Segunda Reunião de Curitiba sobre Cidades e Biodiversidade, realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), no Parque Barigüi.

O evento tem como objetivo criar um plano de ação para que as cidades preservem a biodiversidade. Durante o encontro, o prefeito Beto Richa anunciou que Curitiba deverá incluir as questões de biodiversidade no seu Plano Diretor e recomendou que todas as cidades tomem a mesma atitude. A abertura contou com a presença da vice-ministra do Meio Ambiente, Isabela Teixeira.

A ideia do prefeito fará parte do plano de ação, o qual todas as cidades levarão para a Conferência das Partes sobre Diversidade Biológica (COP 10), que ocorrerá em outubro, em Nagoya (Japão).

“Três em cada quatro brasileiros vivem nas cidades, o que nos faz pensar em políticas de desenvolvimento e de proteção à biodiversidade. É preciso mitigar as consequências do efeito estufa e conservar solo e vegetação”, comentou o prefeito.

Em 2006, Curitiba sediou a COP 8 e, na ocasião, foi escolhida para ser a cidade que daria abertura ao Ano Internacional da Biodiversidade. Para o membro da ONU Oliver Hillel, as ações principais para a preservação da biodiversidade são os planos locais citados pelo prefeito e também a conscientização da população e projetos mais abrangentes, como o da Biocidade, de Curitiba, que tem vários objetivos ambientais, como o plantio de árvores e a criação de ilhas de biodiversidade urbana (link) .

Ontem à tarde, foi inaugurado em Curitiba um bosque que é considerado uma dessas ilhas (no bairro Santo Inácio - 5 MIL METROS QUADRADOS(link) ).

No total, 100 áreas (CEM PARQUES !!! - 2 MILHÕES DE METROS QUADRADOS ( link) ) desse tipo serão inauguradas na cidade.

O embaixador do Ano Internacional da Biodiversidade, Jean Lemir, mostrou, com dados concretos, que uma mudança em qualquer canto do mundo pode afetar toda a biodiversidade.

Durante mais de 400 dias, ele e sua equipe fizeram estudos na Antártida e confirmaram que as mudanças climáticas interferem na biodiversidade e, consequentemente, mudam a vida de todos os seres.

Ele citou o exemplo de um organismo que vive no oceano que, com os degelos, está desaparecendo. “Os chamados krill (camarões pequenos) ajudam a diminuir o CO2 da atmosfera. Então sem krills, mais CO2. Nós estamos perdendo muitas espécies. Nós temos que repensar nossa posição frente a todas as espécies, que acabam interferindo no mundo todo”, afirmou.» (in Paraná online)

sexta-feira, janeiro 29, 2010

ECOSSISTEMAS PORTUGUESES 5


« A procura de áreas rurais e naturais para recreio e turismo encontra-se em crescimento. O turismo de natureza, que inclui actividades como o pedestrianismo, a canoagem, e a observação de aves, é indicado como uma motivação primária por 6% dos turistas em Portugal. Os Açores (36%) e a Madeira (20%) são as regiões onde esta actividade é mais importante.

O turismo e o recreio constituem um meio privilegiado de promoção dos recursos existentes e de revitalização do tecido económico e social local. Estudos de disposição a pagar indicam que os portugueses valorizam significativamente a paisagem e a protecção da biodiversidade.

Os problemas ambientais das próximas décadas só serão minimizados se houver uma atitude pró-activa da sociedade. A tendência para aumentar os serviços de produção à custa da degradação dos serviços de regulação e culturais só será contrariada se a sociedade se aperceber das implicações negativas para o bem-estar humano.

No cenário mais favorável o desenvolvimento económico assentará no investimento científico e tecnológico e na valorização e criação de mercados para uma gama alargada de serviços dos ecossistemas.

No cenário mais desfavorável assistiremos a um afastamento dos níveis de desenvolvimento económico de Portugal em relação ao resto da UE, e ao agravamento dos problemas da intensificação agrícola e à manutenção do flagelo dos fogos florestais (na imagem fogo florestal na Flor da Mata - Seixal.»

quinta-feira, janeiro 28, 2010

ECOSSISTEMAS PORTUGUESES 4


« Portugal é o líder mundial na produção de cortiça, sendo responsável por 54% da produção mundial, e é um exportador importante de pasta e papel.

O sector florestal é responsável por 10% das exportações nacionais; a fileira florestal emprega 228 000 trabalhadores e representa cerca de 3% da economia portuguesa. Cerca de metade da floresta portuguesa de produção tem como função principal a produção de madeira (nomeadamente pinheiro-bravo e eucalipto) e a outra metade a produção de cortiça e a produção animal (nomeadamente sobreiro e azinheira).

As principais ameaças à produção de madeira e cortiça incluem o ataque do nemátodo de pinheiro, o declínio do sobreiro e da azinheira, os incêndios florestais e a redução do preço dos produtos florestais.

A expansão da floresta nas últimas décadas favoreceu o sequestro de carbono ao nível da biomassa florestal. Os montados, os eucaliptais e os pinhais apresentam valores de produtividade líquida durante o crescimento equivalentes a 1-5 t CO2/ha/ano, 15-32 t CO2/ha/ano e 15-26 t CO2/ha/ano, respectivamente. Em áreas agrícolas, o sequestro de carbono no solo pode ser obtido através da implementação da sementeira directa de culturas anuais e de pastagens permanentes semeadas biodiversas ricas em leguminosas. O sequestro com sementeira directa é cerca de 8 t CO2/ha/ano e 2 t CO2/ha/ano, com e sem permanência de resíduos no solo, respectivamente. O potencial unitário de sequestro de carbono pelas pastagens semeadas biodiversas é em média de 5 t CO2/ha/ano.

A avaliação da condição da qualidade da água em Portugal revela que 40% dos meios hídricos superficiais estão num estado mau ou muito mau.

Também os aquíferos subterrâneos enfrentam ameaças à qualidade da água por contaminação com poluentes de origem agrícola e intrusão salina. No entanto, nos últimos anos as zonas costeiras têm apresentado melhorias na qualidade das águas balneares. Opções disponíveis para melhorar a capacidade dos ecossistemas de regularem a qualidade da água e o ciclo hídrico incluem: um maior controlo das fontes de poluição provenientes da agro-pecuária, a restauração dos ecossistemas aquáticos, e uma gestão integrada dos recursos hídricos.

Portugal é o país europeu onde o risco de degradação irreversível do solo, por erosão, é mais elevado (Na imagem , o Seixal na margem-sul ) . A degradação dos solos implica uma diminuição na capacidade de retenção hídrica potenciando, entre outros efeitos, a ocorrência de cheias. A adopção de práticas agrícolas com mobilização de solo reduzida é uma das respostas possíveis a este problema.»

quarta-feira, janeiro 27, 2010

ECOSSISTEMAS PORTUGUESES 3



« Os níveis de produção de água dos ecossistemas portugueses satisfazem as necessidades de consumo existentes. Menos de 10% do valor da precipitação anual é utilizada.

Há no entanto uma grande variabilidade espacial e temporal na disponibilidade dos recursos hídricos, com a maior parte da precipitação a ocorrer no Norte do país de Outubro a Março. Em 2000 o valor de mercado do abastecimento de água era de cerca de 2 mil milhões €/ano, equivalente a cerca de 2% da economia portuguesa. Cerca de 3/4 do consumo de água é destinado ao sector agrícola e mais de metade do consumo provém de aquíferos subterrâneos. Alguns aquíferos estão sobreexplorados o que leva à diminuição do nível piezométrico e a situações de intrusão salina nas zonas costeiras.

A produção nacional de alimento é deficitária em 30% em relação ao consumo. Alguns dos produtos de que somos importadores líquidos incluem pescado, soja, milho, trigo e a carne.

A produção por unidade de área aumentou nos últimos 20 anos, devido ao abandono de áreas marginais e à intensificação da produção. Houve também uma substituição de culturas anuais por pastagens permanentes. Os sectores agrícola e das pescas representam actualmente cerca de 3% e 0,3% da economia portuguesa, respectivamente (a indústria alimentar representa adicionalmente cerca de 2%).

Uma grande parte dos stocks em Portugal estão em situação de sobrepesca e a quantidade pescada tem diminuído nos últimos 25 anos. O futuro deste serviço passa, entre outras medidas, pela certificação e valorização dos produtos agrícolas e pela adopção de técnicas e quotas de pesca mais sustentáveis.»

Na imagem uma piscicultura em Corroios-Seixal , construída junto a uma ETAR e em zona de sapal protegido.

terça-feira, janeiro 26, 2010

ECOSSISTEMAS PORTUGUESES 2



« Nos últimos 50 anos assistimos a alterações significativas nos ecossistemas portugueses impulsionadas por profundas modificações socioeconómicas.

A economia aumentou mais de seis vezes, o número de agricultores diminuiu mais de 60% e a área agrícola reduziu-se em 40%. Ocorreu a intensificação agrícola e a florestação com monocultura de eucalipto, com impactes negativos na biodiversidade e nos serviços de regulação dos ecossistemas.

Os nossos rios sofreram modificações dramáticas com a construção de barragens e com o aumento da poluição proveniente da agricultura e da indústria. O problema das espécies exóticas invasoras agravou-se nas ilhas e aumentou a pressão sobre os ecossistemas costeiros. Em muitos ecossistemas manteve-se ou agravou-se o nível de sobre-caça e sobre-pesca.»

Actualmente 30% das espécies de vertebrados terrestres e 70% das espécies de peixes dulciaquícolas e migradores autóctones encontram-se ameaçadas. As florestas naturais no Norte do país têm uma distribuição escassa, embora no Sul o montado de sobro e azinho, um sistema agro-florestal semelhante à floresta natural desta região, esteja relativamente em bom estado. O sistema nacional de áreas protegidas e a Rede Natura 2000 cobrem algumas das áreas mais importantes para a biodiversidade.

Outras opções de resposta para proteger a biodiversidade incluem a condução da regeneração da floresta em áreas agrícolas abandonadas, a conversão parcial das florestas monoespecíficas em florestas biodiversas, a utilização de práticas agrícolas que promovam a biodiversidade, o controlo das espécies invasoras, a protecção da integridade dos sistemas de água doce em bom estado, o controlo das fontes de poluição aquática e a expansão do sistema de áreas protegidas marinhas.

Nota - na imagem Alto do Moinho - Seixal, terreno agricola e sobreiros substituída por construção.
____________________________________________

ULTIMA HORA

Mega operação do ministério do ambiente à gestão de resíduos. Queixa crime contra três empresas.


segunda-feira, janeiro 25, 2010

ECOSSISTEMAS PORTUGUESES 1

Citando e destacando o Blogue Ambio (link) num trabalho a publicar no a-sul nos próximos dias:

« No ano 2000 o então Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, apelou ao estabelecimento de uma avaliação do estado dos ecossistemas do planeta e da sua capacidade para assegurar a manutenção do bem-estar humano. Essa avaliação foi denominada Millennium Ecosystem Assessment (MA), e foi desenvolvida a nível global entre 2001 e 2005.

Os resultados finais da Avaliação Sub-Global para Portugal do Millennium Ecosystem Assessment foram reunidos num livro, “Ecossistemas e Bem-Estar Humano: Avaliação para Portugal do Millennium Ecosystem Assessment”, que acaba de ser publicado. Transcrevo abaixo algumas das mensagens-chave. Um sumário executivo está também disponível no portal http://www.ecossistemas.org


« Os ecossistemas portugueses providenciam um conjunto de serviços de ecossistema essenciais para o bem-estar humano.

Esses serviços incluem a produção de alimento, a produção de água, a produção de madeira e cortiça, a protecção do solo, a regulação da qualidade da água e do ciclo hidrológico, o sequestro de carbono, o valor estético e cultural da paisagem, o recreio e o turismo.

Na base de todos esses serviços está a biodiversidade, que em Portugal Continental inclui mais de 3000 espécies de plantas vasculares, cerca de 400 espécies de vertebrados, e um número desconhecido de espécies de invertebrados. Nos Açores e na Madeira ocorrem mais de 1700 espécies de organismos endémicos, isto é, que não existem em mais nenhuma parte do mundo.

As alterações humanas aos ecossistemas portugueses começaram há milhares de anos. O domínio progressivo dos ecossistemas pelas populações humanas, principalmente no sentido de melhorar a produção de alimento, levou ao declínio da floresta e de várias espécies de grandes mamíferos.

No final do século xix, só cerca de 10% do território nacional era coberto por floresta e havia graves problemas de erosão nas montanhas. Para mitigar esses problemas e para aumentar a produção de produtos florestais, o Estado Português fomentou várias campanhas de florestação, principalmente com pinheiro-bravo. Simultaneamente, a crescente procura de cortiça e de carne de porco de raça Alentejana levou ao aumento da área de montado de sobreiro e azinho. Em meados do século xx a área florestal tinha já triplicado.

_____________________________________

ÚLTIMA HORA

Gripe A -Conselho da Europa põe em causa OMS


« Wolfand Wodarg, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, encara a gripe A (H1N1) como um dos maiores escândalos médicos do século e aponta o dedo à OMS.»

domingo, janeiro 24, 2010

LOUCOS NO PODER



Sempre houve e haverá loucos no poder , independentemente do grau de poder, seja ele grande ou pequeno.


Insanos, já nos arrastaram para guerras mundiais e para regimes absurdos e absolutos que conduziram também a milhões de mortos . A maioria dos mais recentes escudando-se na utopia supostamente equalitária.

Hoje há um líder mundial que se distingue nesse ensandecimento, embora faça a inveja de muitos outros, até pequenos ditadores locais , seja quando fecha orgãos de comunicação , quando obriga os restantes a transmitir a Sua Palavra, quando altera fusos horários em meia hora , ou a forma como decreta guerra aos obesos...

Mas por estes dias em que a nossa atenção se centra na tragédia do Haiti, e a propósito dessa mesma tragédia, Hugo Chavez parece-se ter transcendido , cito :


« O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, assegurou que foram os EUA que provocaram o sismo no Haiti. “É um resultado claro de uma prova da marinha norte-americana”, disse, sublinhando que “o terramoto experimental dos EUA devastou o país”.

A notícia, com base num comunicado de imprensa enviado pelo governo venezuelano, foi avançada pela televisão estatal Vive e afirma que os “EUA já andavam a monitorizar os movimentos e as actividades navais naquela zona desde 2008”.


Segundo Caracas e Moscovo, “o resultado final das experiências faz parte do plano de destruição norte-americano para o
Irão, que consiste numa série de terramotos planeados para destruir o actual regime islâmico” ».

Sem comentários...

Qualquer dia , num dos seus discursos de horas , Chavez ainda falará da deflorestação e betonização da Margem Sul como resultado do Imperialismo yanke que tem instalado os grandes grupos de construção na região a dominar as autarquias - contra a sua vontade - e claro , calado "Os Verdes" ...
____________________________________________

ULTIMA HORA

« Havana, 24 Jan (Lusa) - O ex-líder cubano Fidel Castro criticou hoje o destacamento de milhares de soldados norte-americanos para o Haiti, devastado por um sismo, lamentando o silêncio da ONU sobre a "ocupação" que, segundo ele, apenas complica a situação no país» (LUSA).

sábado, janeiro 23, 2010

A SOPA

« Sabe quantos quilos de plástico consome cada um de nós por ano? Em média 90 quilos. A Europa e os Estados Unidos vêm, naturalmente, no topo da lista desta média mundial. Por cá, metade das garrafas e sacos acaba por ser enterrada, apenas 5% vai para reciclagem e o resto vai parar ao mar. O fundo dos oceanos, de todos os oceanos, está por isso transformado numa espécie de sopa de plástico, um problema a que os cientistas não sabem como pôr fim, garantindo que já hoje sofremos as consequências - mesmo que não as sintamos.

Histórias do Mundo SIC »

_____________________________________________

Compare com o caso Maddie :

Palm Beach - Florida (19-01-10)

« Alla Kornikova, mãe da famosa tenista Anna, foi presa esta manhã, por negligência infantil, depois de ter deixado o filho de cinco anos uma hora sozinho em casa, para fazer algumas compras e este se recusar a querer saír .

Assim, Alla Kournikova decidiu trancar todas as portas e saiu de casa e voltou passado cerca de uma hora.

No entanto, quando chegou, deparou-se com a polícia à porta de sua casa, pois o filho tinha caído de uma janela do segundo andar da casa.

Desconhece-se ainda se o estado de saúde do irmão da tenista russa e se este caiu acidentalmente ou se tentou sair de casa pela janela.»

sexta-feira, janeiro 22, 2010

UM EXEMPLO



É triste mas parece que nada se aprendeu com esta crise do sub-prime e da construção , nem mesmo quando há alertas para que se atinjam situações de ruptura financeira e orçamental em Portugal semelhantes às que ocorrem na Grécia ou na Irlanda e num cenário mais negro, ao que aconteceu à Islândia .

Também nada se aprendeu com o cenário catastrófico da politica especulativa e de sobre-oferta de "betão" em Espanha.


O Professor Hernâni Lopes (link) voltou há dias a alertar para a possibilidade de novas "dificuldades" financeiras acontecerem este ano nos Estados Unidos e para os investimentos não produtivos que têm origem, sobretudo nas autarquias, dando o exemplo do "nacional rotundismo" .

Um exemplo disso foi aqui trazido nos últimos dias com a tentativa séria de discussão da localização de um anunciado ivestimento público num Hospital para o Seixal e o seu enquadramento na gestão territorial, se é que se pode chamar gestão territorial à forma leviana como são delapidados há mais de trinta anos, meios e recursos da forma como insustentávelmente está a ser feito.

Mas surgem entretanto exemplos , como os do video acima, que embora distantes ,nos trazem ainda uma réstea de esperança no triunfo da inteligência sobre a boçalidade e o desperdicio assente em recursos escassos e finitos.

------------------------------------------------------------------------

Agora compare as construções do video acima, com o que se constrói em Portugal . Em Portugal paredes interiores e exteriores em gesso cartonado e esferovite...


quinta-feira, janeiro 21, 2010

DESMASCARADOS !



Ao contrário de outros tentámos apresentar aqui algumas alternativas para a localização do novo Hospital do Seixal .

A resposta para o anuncio da sua implantação num Sítio Rede Natura 2000 é: - "Porque sim" , numa mancha verde Rede Natura 2000,
onde vai também ser construido um golfe e uma urbanização de luxo e onde , junto á Verdizela , já está a ser construída mais uma mega urbanização.

Não há ponta de vergonha nas opções de urbanismo de uma autarquia cujos eleitos concorrem em eleições numa coligação em que constam "ecologistas" que dizem ter como linhas de acção:

«
Três pilares essenciais: económico, social e ambiental», revela Heloísa Apolónia. «Aquilo que verificamos é que estes pilares, com os sucessivos governos, se têm virado para servir grandes interesses, em detrimento das populações.
O que os Verdes propõem é uma inversão destes valores e destas políticas, no sentido de servir as pessoas e o país»

Vê-se que mais do que reclamar uma inversão de valore
s , "Os Verdes" tal como os Comunistas (não serão a mesma coisa ? ) funcionam é em inversão total daquilo que supostamente seria suposto defenderem , pois não vimos o ambiental , ou mesmo o social ser posto em primeiro lugar nas autarquias CDU onde venceram eleições e constituem maioria.

A verdade é que a inversão é mesmo a da sua "filosofia" , pois o económico vem em primeiro lugar . De outra forma não se compreende a opção da localização do Hospital no Seixal, defendida , não na zona mais central e melhor servida em termos de transportes (as antigas oficinas do Fogueteiro) , não na nova centralidade e zona de reconversão ( Paio Pires) , mas sim, na única zona Rede Natura 2000 classificada no concelho.

Fica para memória futura e para arquivo as questões aqui levantadas que sabemos serem lidas por várias instâncias e organismos com capacidade de decisão.

Fica sobretudo para conhecimento das futuras gerações os atropelos desta classe politica medíocre (alguns com filhos) que nos g
overna e de quem herdarão um país insustentável.

_________________________________________

Nota para quem apareceu a ridicularizar esta proposta :

Nas imagens o projecto imobiliário - Plano de Pormen
or da Torre da Marinha - Só no terreno das antigas oficinas do Fogueteiro (imagem acima ) , o terreno onde dizem não caber um pequeno hospital como o que foi lançado em concurso e que vai ter unicamente 60 camas de internamento e funcionar em ambulatório , estão projectadas, só na zona mais junto à EN10 CINCO TORES DE APARTAMENTOS , duas delas com VINTE ANDARES .


Mas como se vê abaixo, também há espaço para o hospital junto à rotunda da Ponte da Fraternidade onde estão projectados ... não o hospital com 60 camas , mas mais prédios...


Nota - a área do PP da Torre da Marinha é de 80 hectares, a área
apontada ..." para implantar o hospital do Seixal e o conjunto de infraestruturas de apoio , sabes o que é isso? Apontava para 80000m2" - ( oito hectares , ou seja dez vezes menos, ou seja haveria área no Plano de Pormenor da Torre da Marinha para fazer, não um, mas dez hospitais e deixar intacta uma Zona Rede Natura 2000 ) ... »
_____________________________________________

Nota 2 - O mesmo acontece em Paio Pires, onde o Estado vai investir muitos milhões de euros para :

«
dotação de equipamentos-âncora, e a instalação de equipamentos colectivos nos domínios fundamentais, quer da educação, da saúde, do desporto e da cultura »

E onde segundo o próprio Presidente da Câmara afirma :

«
localização de excelência pela centralidade em termos de acessibilidades” ( Setubal na Rede 27-05-2003) e que defende também no mesmo artigo que aquele local venha a ser “um local de grande qualidade de vida”) ... veja a quantidade de edificios projectados...mas onde dizem também não haver espaço para o Hospital (imagem abaixo).


quarta-feira, janeiro 20, 2010

SÃO TODOS CUMPLICES ?


« (...) O novo hospital do Seixal terá um conceito inovador, visando um dispositivo assistencial diferenciado composto por processos terapêuticos e meios de diagnóstico que se afirmam como alternativas eficazes ao internamento.

O futuro hospital do Seixal será uma unidade de excelência direccionada para a prestação de cuidados de ambulatório.(...) uma excelente opção de complementaridade e de proximidade à população. »


Acima estão os pressupostos sobre os quais assenta o concurso publico para a construção do Hospital do Seixal.
Logo vemos duas coisas:

- A tipificação em termos de valências da nova unidade é bem diferente daquela que a CDU garante ter "ganho através da luta das populações" ...


- A nova unidade tem uma nova filosofia assente em duas vertentes - PROXIMIDADE e AMBULATÓRIO.


Logo :

- A localização apontada no meio do Pinhal das Freiras , uma zona protegida por uma convenção europeia denominada Rede de Sítios Natura 2000 , está longe de ser uma zona de PROXIMIDADE, vai implicar a construção de acessibilidades, a destruição de mais uma floresta para além de estar longe do local onde as pessoas vivem, bem como longe das redes de transportes públicos existentes ( o que contradiz o AMBULATÓRIO e a acessibilidade, proximidade centralidade que tal implica) .

- Pela tipificação definida em sede de concurso internacional se conclui também que esta será uma unidade de pequena dimensão em termos de edificado (60 camas de internamento) o que não exige de uma grande área de implantação .

Daqui se conclui :


- Ser mais um erro em termos de urbanismo e serviço à população , a localização escolhida. É mais um erro a acrescentar a tantos outros como o último grande investimento feito na Margem Sul , refiro-me ao Metro Sul do Tejo cujas opções de traçado e implantação na malha urbana , contra todas as sugestões e alertas da população, têm inclusivamente provocado inúmeras vítimas.

- Resta saber quem é cumplice neste erro de localização do Hospital do Seixal ?


- Se há oposição na Câmara Municipal do Seixal e se , havendo "oposição" o PS , o PSD , o BE ...o PP assinam por baixo ?


MAIS - A oposição está disposta a fazer aprovar um voto de confiança sobre a escolha unilateral desta localização ? Sobre uma localização NUNCA DISCUTIDA PUBLICAMENTE onde não foram consideradas outras hipóteses?


Relembro que ao optarem por aquela localização estão a dar carta branca ao fim primeiro da escolha daquela localização, a destruição daquele pulmão do Seixal , protegido em sede de REDE NATURA 2000 , a que o Hospital vai abrir caminho.

terça-feira, janeiro 19, 2010

TABU ? E OUTRAS QUESTÕES


O tema aqui introduzido ontem, a localização do Hospital do Seixal é Tabu ?

Não é imoral haver terrenos camarários centrais como são os das antigas oficinas do Fogueteiro que estão a ser direccionados para operações imobiliárias em vez de serem equacionados para a construção do Hospital que vai ser uma unidade virada para o ambulatório com só 60 camas de internamento ?

Não é estranho que "Os Verdes" que se manifestaram ainda há poucos dias sobre o funcionamento do Hospital de Chaves , não questionem a opção da costrução do Hospital do Seixal num Sítio Rede Natura 2000 em terreno afastado da zona urbana, quando as valências do novo hospital obrigam à proximidade e à acessibilidade da população?


Não é errado que o Estado que avança com um Plano de Reconversão da Siderurgia onde vão ser gastos milhões de euros dos contribuintes, não contemple nesse investimento a criação de uma área para o novo Hospital, investimento do Governo ?

Deixo-vos com um comentário aqui deixado ontem por um leitor anónimo que aponta incoerência sobre o descartar desta última localização , cito :


«É o próprio Alfredo Monteiro a elogiar aquela localização « Alfredo Monteiro não adianta muito mais, mas diz que este plano “prevê igualmente uma forte ligação ao rio, através de uma localização de excelência pela centralidade em termos de acessibilidades” ( Setubal na Rede 27-05-2003) e que defende também no mesmo artigo que aquele local venha a ser “um local de grande qualidade de vida”

O PSD através do deputado Pedro Roque também refere a reconversão da siderurgia como «No entanto, este social-democrata acredita que esta “zona privilegiada junto ao Tejo, que se encontra um pouco abandonada,” será, no futuro, uma “zona de lazer por excelência”.»

Em termos do próprio PLANO consta :

Equipamento – dotação de equipamentos-âncora, e a instalação de equipamentos colectivos nos domínios fundamentais, quer da educação, da saúde, do desporto e da cultura;

SIM , LERAM BEM ,EQUIPAMENTOS COLECTIVOS NOS DOMINIOS FUNDAMENTAIS - SAÚDE ... BOM, SE UM HOSPITAL NÃO SE ENQUADRA NESTE CAPÍTULO, O QUE SE ENQUADRARÁ ?

PARA ALÉM DE QUE AQUELE LOCAL SE TORNARÁ DE FÁCIL ACESSIBILIDADE:

- Mobilidade e acessibilidades – estabelecimento de uma nova rede de acessibilidades, implementação de soluções de transporte colectivo, criação de condições de circulação com prioridade à circulação pedonal e ciclável, assim como a adaptação do espaço público que assegure a facilidade de deslocação a cidadãos com mobilidade reduzida;

E EM TERMOS DE QUALIDADE AMBIENTAL.

Ambiente e paisagem – requalificação da frente ribeirinha e valorização da relação com o rio Tejo e desenvolvimento de uma estrutura verde que se integre num grande corredor ecológico do Arco Ribeirinho Sul;

SE ESTE NÃO É O LOCAL IDEAL PARA A CONSTRUÇÃO DO NOVO HOSPITAL DO SEIXAL, ENTÃO TALVEZ NÃO SE JUSTIFIQUE A SUA RECONVERSÃO ! (Seixaleiro)»

segunda-feira, janeiro 18, 2010

VERDE POR HOSPITAL ? MAS PORQUÊ ?



Porque razão a construção de um hospital tem que ter como medida de troca a destruição de um espaço verde protegido em sede de União Europeia através da rede de Sítios Rede Natura 2000 ?


Não tem óbviamente que haver essa concessão, até porque há outros espaços no concelho do Seixal ou de Sesimbra - uma vez que o grande objectivo deste hospital é servir aqueles dois concelhos - na zona que mais população agregou nas últimas décadas e a quem pertencem duas das freguesias de maior crescimento em termos nacionais, Corroios - por uma aberração chamada Santa Marta do Pinhal - e Quinta do Conde .


O objectivo da localização apontada pela autarquia do Seixal é meramente propagandistica, uma vez que é a zona mais visivel da A2.


Espera-se que pelo facto de ter sido lançado um concurso público INTERNACIONAL que haja uma maior transparência em todo o processo e que a autarquia seja obrigada a dar o seu contributo, nomeadamente na cedência de terrenos que possui ou de outros que o Estado tem em reconversão objectivamente.

No caderno de encargos da reconversão da Siderurgia nacional, consta claramente a cativação de espaços exactamente para este tipo de projectos, esta é , aliás, uma localização privilegiada num contexto de articulação entre o Hospital Garcia de Horta, o novo Hospital do Seixal , o Hospital do Barreiro e tendo em vista todo o eixo de desenvolvimento expectável com o novo aeroporto , a ponte Seixal - Barreiro e a terceira travessia do Tejo .

O Seixal pode , pelo aumento exponencial e insustentável do seu crescimento urbano e residentes - de 30 mil para 170 mil - em duas décadas , exigir a construção de um novo hospital , mas faz sentido ter de ceder mais, do escasso e necessário espaço verde que ainda possui?

A localização teimosa e pouco inteligentemente defendida pela autarquia, está muito longe dos compromissos assumidos pelo Estado português em sede de ano Europeu da Biodiversidade, Rede Natura 2000, Combate às Alterações Climáticas, Reseva Agricola ou Reserva Ecológica entre outras.


Se tivermos em consideração a localização pela proximidade , uma das vertentes mais queridas da população e que consta aliás, no Concurso Publico Internacional e na tipificação do próprio hospital , então a localização que ganha é a dos terrenos municipais das antigas oficinas há pouco demolidas , do Fogueteiro, junto ao Rio Sul.

Construír em Rede Natura 2000 recusando à partida qualquer outra alternativa, significa outra coisa... para além do óbvio, a gestão danosa do território !

domingo, janeiro 17, 2010

CENSURA 2 - A VERDADE DA MENTIRA E A MORDAÇA BRITÂNICA



Para além do caso em si, para além de tudo o que foi escrito, ninguém poderá negar que tudo nesse processo, foi normal.


Também pouco normal foi a proibição de um livro ...

Por tudo isto, por todas as teorias que o caso permite que nele encaixem, mas sobretudo pela liberdade de expressão e os poderes que a pretem calar, este julgamento em curso é de uma importância enorme.

A seguir com muita atenção ! Não só pelo caso "Maddie" , por todos os poderes que pretendem calar as vozes dissonantes que os contrariam.
_________________________________________________

As PRAGAS URBANAS no Biosfera (link)

sábado, janeiro 16, 2010

CENSURA 1 - O PARAÍSO COMUNISTA



O paraiso de qualquer comunista exercendo qualquer grau de poder deverá estar na república Popular da China, essa maravilha civilizacional onde se perseguem e prendem os que ousam questionar.

As redes sociais e os blogues são é claro proíbidos!

Os e-mails , os computadores , as ligações são vasculhaados e vigiados . Agora é a própria Google que ameaça retirar-se do país :

« Um advogado da Google, David Drummond, anunciou terça-feira que a empresa poderia retirar-se da China devido aos "sofisticados ciber-ataques" chineses contra activistas de Direitos Humanos. Segundo a mesma fonte, a Google e pelo menos vinte outras firmas foram atacadas numa aparente tentativa de penetrar nas contas de email de activistas espalhados pelo mundo.
Liberdade de imprensa em causa

"Estes ataques e a vigilância que eles evidenciam, conjugados com as tentativas registadas no último ano para limitar ainda mais a liberdade de expressão na Web, levaram-nos a concluir que devemos rever a viabilidade das nossas operações comerciais na China", escreveu David Drummond no seu blogue.» (Expresso)

... Realmente um verdadeiro "paraíso".

sexta-feira, janeiro 15, 2010

ESPAÇOS VERDES E SAÚDE MENTAL

« Espaços verdes podem ajudar a travar doenças mentais

Um estudo de uma universidade holandesa revela que os espaços verdes podem ajudar a reduzir o número de casos de doença mental. Os investigadores referem ainda que as doenças físicas mais comuns também surgem menos nas pessoas que vivem perto de zonas verdes. RTP »

______________________________________________

ULTIMA HORA !

Concurso público para Hospital do Seixal lançado nos próximos dias

« A ministra da Saúde deu a conhecer, pela Antena1, que o concurso público do projecto de construção do novo hospital do Seixal vai ser lançado nos próximos dias. Hoje mesmo foi enviado para publicação em Diário da República o anúncio de abertura do concurso público internacional. Ana Jorge espera que a construção demore dois anos, após a aprovação do projecto. O novo hospital do Seixal irá servir os cerca de 400 mil habitantes dos concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra, que actualmente apenas dispõem do hospital Garcia de Orta, em Almada»

Nota: aqui se vê a falsa agitação lançada constantemente pelo PCP, um partido que pensa viver num país com minas de ouro debaixo do tapete, diamantes a brotar de cada pedra e petróleo a jorrar de cada valeta. Como é fácil ser Comunista sem responsabilidades para além da exigência infantil e da incontinência verbal.

quinta-feira, janeiro 14, 2010

« PATRULHEIROS » O INSÓLITO EM SETÚBAL



Câmara de Setúbal (CDU) forma milicias de reformados para patrulhar Av.Luisa Todi .


Paga-lhes pouco mais de dois euros à hora e como arma contra o vandalismo ... educação... e um telemóvel ...

Mas a senhora Maria das Dores Meira , a autarca que assumiu a presidência da autarquia a meio da anterior gestão de Carlos Sousa, a senhora que esteve ao lado dos donos de iates da Arrábida contra o plano de ordenamento do Parque Nacional e que vem agora dar a cara por este projecto que tem tanto de insólito... não tem noção do risco a que está a expôr os idosos milicianos ?

Que o nível de criminalidade, e vandalismo têm crescido exponencialmente , também no nível de violência ?

Mas será possivel que alguém encontre senso neste "projecto" ? Mas será que alguém considera normal a criação destas milicias populares , tendo sobretudo em conta que as autarquias de maioria CDU da Península de Setúbal são avessas à criação de Policias Municipais ?

Então, têm defendido o argumento de que a segurança é uma atribuição exclusiva do Poder Central e agora põem populares indefesos, pagos simbólicamente pela autarquia para ajudar nesta missão ?

E quem nos diz que esses elementos ao serviço da autarquia, pagos por esta , não vão fazer outro tipo de "patrulhamento " e/ou "controlo" ?

Para mim que considero viver num Estado de Direito, estas milicias populares , patrulheiros, ou controleiros (?) fazem-me recuar a uma época que já pensava ter esquecido...

quarta-feira, janeiro 13, 2010

SEIXAL - A CARÊNCIA E O DESPERDICIO



A q
uestão das más condições, aqui trazida ontem, sobre a forma como funcionam algumas escolas no Seixal , com carências até ao nível da corrente eléctrica leva-nos a não deixar de comparar esta situação da Escola Básica da Arrentela com o abandono e demolição de instalações municipais no Fogueteiro, curiosamente na mesma freguesia da Arrentela no Seixal.

Como é que uma autarquia , na posse de estruturas funcionais e em perfeito estado de funcionamento como era o caso das oficinas do Fogueteiro , compostas por refeitório, balneários , estruturas de apoio (gabinetes) e vários pavilhões (a funcionar como oficinas) TODOS ELES EM PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO , são , por pura manobra imobiliária, abandonados e demolidos , quando podiam ser reconvertidos para outros fins ao serviço da comunidade.

Isto numa altura em que milhares de crianças em escolas do concelho e de freguesia não têm espaços com o minimo de condições para praticar desporto , para gozar o recreio , ou até , como vimos, terem as salas de aula aquecidas nos dias mais frios.

É isto uma gestão social ?

terça-feira, janeiro 12, 2010

MILAGRE DE DIA DE REIS



Porque as participações dos nossos colaboradores via e-mail têm sido muitas , os temas pertinentes, e porque este tema já tinha sido aqui tratado, atrasou-se a sua publicação dois ou três dias.

O que foi escrito no passado dia 5 de Janeiro, e que passo a citar , ficou desactual por um milagre entretanto ocorrido :


«Tem sido um Inverno rigoroso em toda a Europa, sobretudo no Norte , com nevões e vagas de frio sucessivas .

Nós em Portugal, sobretudo na Península de Setúbal não temos sofrido desses rigores , nada que não se amenize, em nossas casas, graças à ajuda de um ou outro aquecedor .

No entanto, é numa escola (link) desta região , nas margens Estuário do Rio que uns insistem em ser o novo centro da Capital, que os alunos batem o dente porque a escola (link) não tem um quadro eléctrico que permita aquecimentos ... esse luxo-pedagógico...

Ali bem perto há Shoppings , um Centro de Estágio , novas urbanizações de luxo e novos e grandiosíssimos edificios municipais, mas ali , naquela escola,nas margens daquele Rio Capital do novo Tratado da Europa nem um aquecedor se pode ligar.

Há coisas fantásticas, não há ? »

Mas ainda mais fantástico , é que como que por magia, depois de mais de uma década de arrastamento, o "difícil" problema foi resolvido em poucos dias , será que pela exposição mediática ?

A realidade é que a questão técnica que o Vereador Jorge Silva dava há dias como "difícil de resolver" ... afinal ... Resolveu-se - depois de mais de uma década de impasse - e a tempo de amenizar a nova vaga de frio dos últimos dias .


O que faz o protesto, e mostrar que o rei vai nu, na farsa do paraíso de medo em que vivemos !
-----------------------------------------------------------------------

PEDE-SE AJUDA!

Fez ontem três meses que se realizaram eleições autárquicas e que uma "personalidade" (O Dr. Paulo Silva - assim considerado no blogue Flamingo) denunciou uma Fraude eleitoral no Seixal.

Pedia a todos informações sobre os desenvolvimentos dessa grave acusação !

Três meses depois o que aconteceu ?

segunda-feira, janeiro 11, 2010

METRO , MAIS UMA VITIMA EM CORROIOS



Semana que passe sem uma vítima do Metro Sul do Tejo noticiada na imprensa nacional, não é semana. o que leva a pensar, quantos destes casos menos visiveis não têm visibilidade e ficam por contaabilizar. A notícia hoje refere-se a um acidente noticiado pelo Correio da Manhã e ocorrido no passada sexta-feira dia 8 de Janeiro.


«Uma mulher de 30 anos, funcionária do infantário Nova Geração, em Vale de Milhaços, Seixal, foi ontem à tarde colhida por uma composição do Metro Sul do Tejo (MST) na altura em que entregava crianças aos pais, em Corroios.

O acidente ocorreu a 30 metros do local onde em Julho um idoso morreu ao ser atropelado por uma composição e, garantem testemunhas, "foi uma sorte nenhuma das crianças ter sido colhida".

Segundo o CM apurou, a mulher "tinha parado a carrinha e saído com duas ou três crianças, mas, na altura em que atravessavam a linha, uma delas começou a correr".

A mulher "assustou-se e ao correr foi atingida pelo metro". A pancada projectou a funcionária para a estrada, onde foi apanhada por um carro. "Ficou com a cabeça quase debaixo de uma roda", relatou ao CM o presidente da junta de Corroios, Eduardo Rosa. A vítima foi transportada para o Hospital Garcia de Orta, onde ficou internada.

Desde Julho de 2009 já se registaram dois mortos e cinco feridos graves em colisões com o MST »
______________________________________________________

Já se percebeu que ninguém assume os erros que têm conduzido a estas situações . Agora, é URGENTE que pelo menos, as autarquias de Almada e Seixal se envolvam numa campanha que devia ter sido feita aquando da inauguração do metro , uma campanha pedagógica sobre como circular numa zona viária e numa zona pedonal atravessada por duas linhas de comboio.

Há dinheiro para outdoors, spots na TV e rádio, há dinheiro para propaganda em jornais e para controlar jornais. Utilize-se também umas migalhas desse dinheiro em proveito dos cidadãos na prevenção de mais vítimas.

O metro devia também fazer uma campanha no mesmo sentido utilizando as suas carruagens e estações para o efeito.



domingo, janeiro 10, 2010

NA FRENTE EÓLICA


Portugal está hoje na linha da frente da exploração das energias renováveis, nomeadamente a energia eólica com a instalação em tempo recorde de vários parques eólicos que nos catapultaram em poucos anos, para os lugares cimeiros em termos de produção de energia eléctrica por esta via.

Estranhamente a Margem Sul (Península de Setubal) é das poucas regiões em que é nula a capacidade eólica instalada, o que dá que pensar, será que não há vento a sul do Tejo ? E o aproveitamento do Estuário para a instalação de um parque eólico ? Isto quando a EDP instala Parques eólicos...na Escócia!!! mas prepara também a exploração do off-shore nacional. A noticia é da Ag.LUSA , cito excerto :

« A EDP conta ter um projecto de off-shore na costa portuguesa em fase de arranque no final de 2010 ou início de 2011, disse hoje à Lusa o presidente da energética, António Mexia.

“Estamos empenhados em criar condições para que se aproveite o “offshore” em Portugal – com torres eólicas sobre bases flutuantes”, disse à Lusa António Mexia, à margem da cerimónia de assinatura de contratos de off-shore no Reino Unido.

O mesmo responsável especificou que o projecto de
off-shore em Portugal “está neste momento em fase de investigação e desenvolvimento” e resulta de um acordo com a empresa Principal Power.

“Contamos com tecnologias de amarração das torres diferentes destas [a utilizar no parque eólico ao largo da Escócia], porque a costa portuguesa tem características de fundo diferentes e profundidades maiores”, disse Mexia.
Apesar de a empresa já ter tomado “decisões importantes para isso”, o principal ponto em estudo é saber “como vai ser comercialmente viável ter torres eólicas sobre bases flutuantes”.

Além da Principal Power, especificou Mexia, também está envolvido no projecto um parceiro português, a empresa A. Silva Matos. Diversificação de mercados é necessária Questionado sobre se a EDP vai avançar para novas geografias, Mexia declarou que “vai haver novidades em novas geografias no on-shore”, mas escusou-se a especificar quais. “Só gosto de falar quando entramos mesmo nesses novos mercados”, sublinhou.

O presidente executivo da EDP considerou ainda que é essencial diversificar mercados, uma das principais linhas estratégicas da empresa.
“Quem estiver hoje muito concentrado em poucos países tem muita dificuldade em ter a certeza que pode entregar os megawatts.

A capacidade de ter oportunidades em mais países é importantíssima e nós vamos continuar nessa diversificação, tendo a noção de que estamos a falar de geografias que vão dar megawatts sobretudo a partir de 2012”, completou.


António Mexia deslocou-se a Londres para formalizar a assinatura de um contrato para produção de energia eólica marítima (
off-shore) ao largo da Escócia, com capacidade instalada de 1,3 gigawatts e que representa um investimento de cerca de 4000 milhões de euros.»

sábado, janeiro 09, 2010

BICICLETAS ANDAM MAIS DEPRESSA QUE MENTALIDADES


Os nossos autarcas não andam de transportes publicos, não frequentam os espaços usados diáriamente por milhares de normais cidadãos, todos nós.

Se tivessem os pés mais bem assentes na terra e junto do povo que dizem representar, saberiam que o uso da bicicleta na margem sul - apesar das ciclovias prometidas há muito pelos senhores autarcas não saírem do papel das promessas eleitorais – tem aumentado significativamente (mesmo com o mau tempo desta primeira semana de Janeiro).

Sinal disso são as estações da Fertagus, que têm visto os locais de estacionamento esgotar os lugares destinados a esse fim .

Pelo que sugerimos que a Fertagus instale um maior número desses locais, e que as câmaras municipais deixem de iludir os eleitores com “vias cicláveis” e construam de uma vez por todas uma rede decvente, lógica e funcional de ciclovias.

A saúde, a segurança e o bolso dos munícipes agradece. O Ambiente e o trânsito, também.

sexta-feira, janeiro 08, 2010

AVANÇAM PRAIAS FLUVIAIS NO BARREIRO



Quantas orientações, quantos PCP´s, quantas politicas há na CDU ? Porque pergunto isto ? Não, não tem a ver com aquela FRAUDE politica chamada “Os Verdes”.


É que fiquei surpreendido por a Câmara Municipal do Barreiro de gestão PCP ter anunciado a criação de praias fluviais de qualidade (link) , como orientação turistica e alternativa ás praias oceânicas, praias com infraestruturas e água de qualidade , com o fim dos esgotos a correr para o Rio.


É que a escassas centenas de metros do Barreiro, do outro lado do Rio Coina , o PCP do Seixal tem ridicularizado propostas idênticas feitas por cidadãos como nós, e promessas eleitorais feitas exactamente nesse sentido por parte da oposição


Ao contrário da CDU Barreiro, a CDU Seixal tem manifestando a impossibilidade de tais propostas, apesar do Seixal ter os maiores e mais procurados areais do Estuário do Tejo, sendo uma das razões apontadas a má qualidade da água , que do outro lado do Coina dizem ter qualidade.


Com este investimento , o PCP Barreiro propõe também outras outras alternativas complementares de lazer, como a utilização das caldeiras dos moinhos de maré e a reconstrução dos próprios moinhos de maré, aqueles que no Seixal são abandonados sem qualquer utilização (Novo e Velho dos Paulistas, Breyner... etc...).


Os meus parabéns à CM do Barreiro, pela visão, e sobretudo pelo maior atestado de incompetência passado à autarquia do Seixal desde o 25 de Abril. Basta comparar o investimento anunciado e a mesma rúbrica (praias fluviais) alocada no Seixal.


De notar que as praias do Barreiro (link) têm já há vários anos, estruturas de apoio, duches, iluminação, equipamentos hoteleiros, que no Seixal são uma miragem, apesar dos milhares de pessoas que frequentam diáriamente, e sobretudo aos fins de semana as praias do Seixal .

quinta-feira, janeiro 07, 2010

A ASNEIRA NÃO PÁRA - AO CORRER DE ÁGUA!


Como é que no presente, em que se colocam questões tão comprovadamente importantes como a contenção urbana, a interdição de construção em terrenos de elevada aptidão agrícola e a salvaguarda das potenciais consequências das alterações climáticas com uma estimada subida do nível das águas . É possível que no Correr de Água (Foz do Rio Judeu - Seixal ) :

- Uma autarquia permita a construção numa zona húmida
- Uma autarquia permita construção em terrenos agricolas
- Uma autarquia permita construção em terrenos potencialmente alagáveis

- Como é isto possível em 2010 ?

E já nem estou a pôr a hipótese de poder estar em causa o PDM , a Reserva Agricola e ou Ecológica que não acredito poderem estar a ser de alguma forma violados...

quarta-feira, janeiro 06, 2010

PARE ! ESCUTE ! OLHE !


Mais um acidente na linha de comboio dupla «integrada no piso , não constituindo uma barreira fisica» mas na verdade, com várias dezenas de passagens de nível sem guarda que atravessa parte dos concelhos de Almada e Seixal.

Os comentários aqui deixados e as reacções na imprensa demonstram o mesmo de sempre. Para o que interessa de propaganda , o projecto é das Câmaras . Para assumir responsabilidades de acidentes, de incómodos e de erros ... nesse caso o projecto é do concessionário e no extremo ... do "Sócrates" ... nada de novo , pois então !!!

Ficamos a saber que as Câmaras não têm qualquer responsabilidade no que corre mal na operação, nas árvores que foram cortadas, na forma como o espaço foi distríbuido e arranjado, no mobiliário urbano...etc...etc...etc...

Ficamos assim a saber por esta ordem de ideias, que as dezenas de Foruns para discutir o Metro em Almada , não passaram de uma farsa , pois a Câmara não tinha qualquer competência para alterar seja o que fôr , excepto como sabemos, atrasar todo o projecto vários anos e tomar as piores decisões - contra a população, o governo e a concessionária - por exemplo no Triângulo da Ramalha (link) ... de facto, as consultas públicas feitas pelas autarquias envolvidas foram - como são sempre - uma farsa , pois as sugestões dos cidadãos não foram, como nunca são , tidas em conta.

O que é curioso é que as Câmaras que cederam de forma tão gratuíta o seu espaço e a sua jurisdição, sejam por entreposta pessoa - ECALMA - tão diligentes a perseguir e a multar os cidadãos nesses novos espaços , agora tão minimalistas...tão minimalistas que lá não cabe a normal sinalética de via (o exemplo extremo é a denominada
zona pedonal de Almada onde foram abolidos todos os sinais de trânsito ) ...

Pior que isso, em todo o percurso do comboio, não há um único sinal de alerta para o perigo e para as armadilhas que a circulação esconde nem aquele simples sinal com mais de um século , do "Pare , escute , olhe ... Atenção aos comboios ... não circule pela via..." em nenhum ponto do percurso.


NADA ! Um perfeito atentado à segurança , uma ilegalidade em termos urbanos e viários como é o caso do sinal de 12 cm de diâmetro que restringe a velocidade na "zona pedonal" de Almada.

Agora a culpa é da velocidade do metro ! Segundo as auto-denominadas comissões (PCP) de utentes... Pergunto : - E só viram agora ? Não viram os horários ? Não viram o espaço a percorrer ? Não sabem fazer contas - espaço/tempo/velocidade ...?

Chega de incompetentes e de inimputáveis! Basta de desculpas!

Ao menos percam os pruridos e INFORMEM ! Até se podem inspirar na imagem e nos sinais que existem até no Transpraia da Caparica ...

terça-feira, janeiro 05, 2010

METRO MORTAL


Mais uma vítima mortal, por atropelamento , ontem de manhã no Laranjeiro por uma composição do Metro Sul do Tejo.

O acidente ocorreu na Av.23 de Julho no Laranjeiro, a mesma via em que o gabinete de imprensa da Câmara de Almada informa que
« A linha do metro é integrada no piso, não constituindo uma barreira fisica. » afinal, é demonstrativo que a integração não é perfeita e a barreira, que consideram não existir, é até mortal .

Chega de vítimas (link) , chega de hipocrisia e de propaganda, chega de abafar a divulgação destes tristes acontecimentos .

Este projecto nasceu errado e tem que ser urgentemente reformulado, até para que não se cometam os mesmos erros em novos troços.

Os condutores das composições têm também que ter outro tipo de formação que lhes capacite que ter prioridade não significa que são os senhores da via e que tudo se tem de afastar e desaparecer à sua passagem , seja uma via principal , uma zona supostamente «pedonal» (link PUBLICO) ou uma passadeira para peões , que nada significa para o Metro que tem "prioridade" sobre tudo e sobre todos..

São demasiadas interrupções no tráfego e sobretudo vítimas a mais, para tão pouco tempo de funcionamento .

São problemas a mais para que as autarquias ignorem e sacudam a água do capote descartando-se da função de alertar, informar e sinalizar pensando únicamente na rentabilização imobiliárea e propagandistica deste meio de transporte.