sexta-feira, junho 03, 2005

PAISAGEM PROTEGIDA DA ARRIBA FÓSSIL DA COSTA DA CAPARICA - QUE FUTURO PARA A ÀREA PROTEGIDA?


Arriba Fossil - mais uma zona de grande importância ambiental em perigo na Margem Sul - A natural area at South of Lisbon is in danger-.

Sob a forma de comentário recebemos ontem (retirado da net) a seguinte declaração do Grupo Flamingo, Associação de Defesa do Ambiente e o Clube de Canoagem da Vila de Corroios , estes grupos debateram o tema em titulo no passado dia 21 de Maio eque pela sua importância transcrevemos:

O A-Sul pelos seus leitores:

"O debate (aberto a todos) trouxe à tónica os diversos problemas que preocupam os utentes daquela zona de protecção especial (criada precisamente a 21 de Maio) designadamente o estatuto de classificação estar há 21 anos a aguardar aprovação.

Depois de terem passado seis governantes na tutela, a PPAFCC continua com menores orçamentos anuais e quadro de pessoal, que só não tem tomado proporções mais dramáticas pelo empenho dos que fazem que existam as condições para proteger os valores naturais que determinaram a sua criação.

Pelo contrário, os interesses e as pressões do chamado desenvolvimento e do progresso crescem todos os dias e avançam aceleradamente sobre este pedaço de território. Daí também este debate apelando à participação civica dos utentes na defesa dos valores naturais consagrados na Constituição da Republica."

Foi também aprovada uma moção em defesa do futuro da Paisagem protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica que poderá ser lida no referido comentário.

Sobre o estado a que se chegou e que não tem variado nas ultimas décadas e porventura com total quota de responsabilidade para a Câmara de Almada a quem parece agradar o status-quo cita-se de novo Pedro Rolo Duarte no DNA de 15 Abril já aqui citado em 4 de Maio:

"É uma paisagem miserável: a estrada que liga o Centro da Costa aos areais é uma sucessão alucinante de atentados ao bom gosto,à saude, à qualidade de vida (...) um retrato suburbano feio, porco e mau. As crianças brincam no meio da terra ao lado do esterco dos cães. Há lixo espalhado pelas bordas da estrada, e saltam camionetas de sitios improváveis. É um quadro de miséria que, pelos vistos nunca interessou à autarquia local modificar.

(...) O que podia constituir um dos cartões de visita da Grande Lisboa virada para o mar é, afinal, um exemplo da inércia e da inteligência nacionais (...)"

Posted by Hello

1 comentário:

papoila saltitante disse...

A miséria é "very tipical", podemos lá tirar umas fotos e dizer que estamos numa favela do Brasil ou do Haiti, e só nos deslocámos meia hora (sem trânsito) do centro de Lisboa! È um verdadeiro achado, não percebo porquê dizer mal da CM Almada que está tão bem a promover o Turismo Nacional, aqueles spots que passam na CNN, parecidos com os do Euro 2004 é que são publicidade enganosa!!! A realidade e o "paraiso" estão do outro lado da ponte.