sexta-feira, setembro 05, 2008

RENTRÉE


Sem que nada o fizesse prever, a rentrée politica por estas bandas foi antecipada uma semana e ficou marcada, não pela Festa do Avante que hoje se inicia , mas com a manifesta incompetência com que foram encaradas e geridas as candidaturas ao quadro comunitário de apoio QREN .

Tem sido muito interessante verificar as diferentes posições assumidas ... ou não , pelos responsáveis sobre esta matéria, e não será de excluír que numa próxima reunião magna dos autarcas dos municípios da Margem Sul , os gozados não sejam Carlos Humberto ou Alfredo Monteiro , mas sim o Presidente da Câmara de Sesimbra, uma autarquia CDU que conseguiu a tempo e horas apresentar uma candidatura que tinha como base a requalificação ambiental :


" A valorização e preservação da Praia do Moinho de Baixo na Aldeia do Meco , uma candidatura que propõe incluír a repavimentação dos acessos, criação de passeios e de ums ciclovia, requalificação dos espaços de estacionamento, construção de passadiços de madeire no areal, estabilização e fixação das dunas e a limpeza de linhas de água . As soluções apresentadas pretendem manter o carácter rural do sítio »


Claro que esta candidatura da Câmara de Sesimbra está nos antípodas das desculpas dadas por alguns, para a não gravidade, de no Seixal nem no Barreiro ter sequer sido formalizada uma candidatura por ultrapassagem do prazo de recepção , uma vez que para alguns , cito :


(...) o vosso aproveitamento da situação é ridicula, e o alarido que fazem só demonstra a vossa falta de ideias para o Seixal!!! Será que a candidatura seria aprovada? É que deverá V.Excª saber que uma candidatura a fundos comunitários não é sinónimo de atribuição de fundos... É que não faltam exemplos no Seixal, e noutros concelhos, de candidaturas a fundos comunitários que não foram aprovadas. (João Afonso , Seixal) »


No Barreiro apesar do reconhecimento do erro há uma peculiar interpertação do que é Democracia e da perenidade das funções publicas .Segundo a Lusa e o Publico online :


« Lusa : A Câmara Municipal do Barreiro aprovou por unanimidade a abertura de um inquérito para apurar responsabilidades sobre o atraso de 12 minutos na entrega da candidatura a fundos comunitários.

Depois de o caso ter sido conhecido, os partidos políticos da oposição criticaram a situação e chegaram mesmo a questionar o presidente da Câmara, Carlos Humberto (PCP), se este pretendia demitir-se.

Carlos Humberto respondeu às críticas, reafirmando que a responsabilidade política do que se passa na autarquia é sua.


"A responsabilidade política do que se passa na câmara é do presidente. O cidadão Carlos Humberto não anda a brincar aos cowboys, o cidadão Carlos Humberto é membro do PCP e não é perante problemas ou invenções e factos políticos que alguns querem criar que me levariam a demitir", sublinhou.
O autarca explicou que à excepção de alguma razão extraordinária, como problemas de saúde, jamais se demitiria.»

O Seixal... bem , o Seixal continua a ser um território à parte , o território da Festa e onde se vive bem com a incompetência e onde só a oposição consegue vislumbrar a gravidade do momento , cito o comunicado de imprensa conjunto ;

«...os representantes dos partidos da oposição representados na Assembleia Municipal, no caso, PS, PSD e B.E., decidiram requerer uma Assembleia Municipal Extraordinária com o objectivo de apurar responsabilidades relativamente à perda da oportunidade do financiamento de seis milhões de euros através do programa comunitário Q.R.E.N., que pretendia requalificar um conjunto de lugares críticos, entre eles, o Bairro Quinta do Cabral, e a instalação de alguns equipamentos sociais e desportivos no Concelho do Seixal. »

Quanto à maioria autárquica no Seixal ,o silêncio , ele há coisas fantásticas não há?

12 comentários:

Anónimo disse...

Se eu pudesse, demitia-o, Sr, Carlos Humberto! Até votei em si, mas aprende-se com os erros! Claro que não vou votar PS após o que estes fizeram no seu mandato. PSD? Bruno Vitorino? Nunca num ou noutro. Nos dois então... BE? Não me parece... só mesmo com um movimento cívico da juventude desta cidade poderá haver futuro para a mesma!!!

Anónimo disse...

Viva os arranjos florais e de jardinagem feitos até as tantas da noite por funcionários da CM Seixal.

Anónimo disse...

Entre o partido comunista a festa do avante e os trabalhadores da camara pagos com o dinheiro de todos não há separação. A promiscuidade é total. Não há separação entre os fundos do partido e o dinheiro da autarquia. Os trabalhadores são pagos pela autarquia os materiais são pagos pela autarquia. É um nunca mais acabar de sem vergonha.
E a propósito de festa do avante consta que houve lá uma explosão viram-se muitos bombeiros e ambulâncias não de sabe se houve alguém ferido mas como aquilo é tudo secreto não se sabe ao certo o que aconteceu. Será que alguém sabe?

ex-militante disse...

Há uma grande promiscuidade entre a Festa do Avante, um acontecimento partidário, com a Câmara do Seixal, uma instituição publica que funciona com os nossos impostos.
Não se percebe porque há até embelezamentos de última hora até às tantas só para mostrar serviço aos camaradas que vêm de fora em centenas de autocarros alugados pelo partido.
Tudo isto é um grande circo pago também pelos contribuíntes. Quando deixar de servir como Festa, lá virá a urbanização da Atalaia, comprada a preço baixo, mas o jackpot do euromilhões sairá um dia.
O Silêncio da Incompetência mantém-se. É espantoso.

Anónimo disse...

Eu acho que podemos estar descansados. Então se o PCP demitiu o anterior presidente de câmara de Setúbal sem motivo aparente, não iria agora demitir estes do Seixal e Barreiro que fartaram-se de meter água? Estou a brincar, como prémio vão ser recandidatos nas próximas eleições.

Anónimo disse...

Sejam honestos , haja um PCP que responda a esta questão.
Se este caso do Seixal e do Barreiro tivesse ocorrido em Lisboa , os vereadores do PCP estavam agora a desculpar os envovidos vereadores do PS ?

Anónimo disse...

Os eleitores do Seixal estão desmotivados porque não têm visto uma verdadeira alternativa a esta gestão PCP. Se a oposição está verdadeiramente interessada em mudar para melhor o estado em que se encontra o concelho deve começar já atrabalhar na apresentação de uma alternativa credível formada na base de uma coligação PS, PSD, BE, e independentes,preparando um plano de acção para mobilizar os abstencionistas para a importancia do próximo acto eleitoral autárquico.

Anónimo disse...

Como é que a contento de todos , há uma coutada dita comunista ou pseudo comunista numa parcela do território nacional?
Nem sabem requerer da União Europeia os subsidios que são de direito.

lll disse...

Com tanta droga à solta,é obvio que têm de haver explosões.Desde qurta feira que o parque de campismo està aberto,quem passar nas imediações até se arrepia com tanta degradação humana.Ontem já lá faleceu um jovem com uma overdose.A festa só começa hoje às dezoito,por este andar quantos mais irão morrer de overdose até domingo?

Anónimo disse...

sto só vem demonstrar o que eu já há muito tempo suspeitava: este executivo camarário, e este PC, quando confrontados com padrões razoáveis de rigor e competência revelam facilmente a sua mediocridade! Tenho mesmo muita pena que o PS, enquanto maior partido da oposição, e não apenas com acções isoladas de alguns militantes, que sequer pertencem à direcção, não consigam pôr a nu todos os handicaps desta gestão. Quando o Sr. Presidente refere: "Que fazemos, despedimos as pessoas?”, só me ocorre dizer-lhe que não existem maus índios, apenas maus chefes das tribos!! Com toda esta coragem demonstrada pelo Sr. Presidente, ao colocar-se desde já à frente das balas, que mais não é senão uma fuga em frente, ainda virá alguém, corrigindo, dizer que, afinal, este não é só o “melhor presidente da CMB de sempre”, mas também de todo o distrito de Setúbal, e, quiçá, de todo o sul da Europa. Enfim, “em terra de cegos, quem tem um olho é rei”.

Anónimo disse...

O S.Pedro é reaccionário , chuva e Avante não combinam !!!

Anónimo disse...

Até o S. Pedro está a mandar um aviso ao Jerónimo de Sousa de que os tempos estão a mudar.