quarta-feira, outubro 17, 2007

METRO SUL E METRO DO PORTO - ESTUDO COMPARATIVO PRECISA-SE





O projecto escolhido para o Metro
Sul do Tejo e o equipamento circulante são idênticos ao de outras cidades pelo mundo como já aqui analisámos.

Seria um excelente trabalho de pesquisa jornalistica fazer um estudo comparativo do projecto da Margem Sul com esses projectos (Combino-Siemens) no estrangeiro
.

Seria curioso comparar as opções tomadas ao nível urbano , quer arquitectónicas quer de engenharia, bem como prazos, custos e extensão da linha, nº de composições, nº de lugares oferecidos, frequência, nº de utentes...e inter-relações de todas estas variáveis ...e seus custos!!! Logo surgirão desculpas e que não é possível comparar o incomparável, que lá fora isto, que no estrangeiro aquilo...etc...

Então pelo menos gostava de ver um estudo comparativo (com tantos foruns de discussão poderiam apresentar estas conclusões no próximo...) entre o MST e o Metro do Porto ( Eurotran-Bombardier ,nas imagens) !!!


Durante anos fez-se humor com aquele metro, e acerca da obra dizia-se tal não ser possível pela geologia da Invicta. Mas o que é facto é que a obra se fez.

Até o aeroporto é servido por esta estrutura que, do ponto de vista ambiental, de engenharia e arquitectónico se inseriu por completo na malha urbana e suburbano/rural do Porto.


Apesar do granito optou-se no Porto por percursos subterrâneos na parte histórica e urbana, solução que defendo dever-se-ia ter aplicado em Almada, desde a Cova da Piedade até Cacilhas...vá-se lá saber porque o não foi... se calhar porque assim , em túnel, não era visivel para efeitos de mostrar que Almada tem Metro... agora , pago para ver e não esperaremos pela demora quando o Metro atravessar em dois pontos e de sete em sete minutos a principal via de acesso de , e para Almada e onde estacionarão os residentes, nas artérias onde o metro passará, os seus carros, porque o estacionamento existente vai desaparecer , sem serem, pelo menos para já, criadas alternativas.



Mas para já, bastava-me um estudo comparativo entre aquelas duas obras publicas!!!
___________________________________________________
Curiosidades:

- Para já, e comparando o custo por quilómetro executado no MST e no projectado do TGV, os números mostram que o Metro Sul do Tejo é mais caro que o TGV!!!

- Enquanto que as Autarquias CDU atrasam o Metro Sul do Tejo sem criticas do PCP,o deputado do PCP Honorio Novo, critica o Metro do Porto , que funciona em pleno na sua extensa rede , por este ano não ter construído um "metro de nova linha"...


21 comentários:

Luis Eme disse...

Apoio a ideia do estudo, "ponto verde"...

E e calhar íamos ficar muito envergonhados, cá pelo sul...

jsd seixal disse...

Universidade aberta, realidade ou ficção?

www.juventudeseixal.blogspot.com

www.jsdseixal.com/blog

Anónimo disse...

É no mínimo estranho que o autor deste blog, ostentando no seu perfil o epíteto "ambiental" pomposo de "ponto verde", dizendo-se tão preocupado com a defesa do ordenamento do território e do ambiente, neste post a única preocupação que demonstra relativamente ao MST (deixando de lado a questão das comparações, que não passam de pura demagogia barata) é ... a circulação de automóveis privados. Curioso, muito curioso mesmo!

Ponto Verde disse...

Estranho que me preocupe com as pessoas?

Estranho que um blogue sobre ambiente e ordenamento do território critique facto de haver residentes, na sua maioria idosos que de um momento para o outro perdem o que agora pomposamente se define por mobilidade???

Olhe que não...olhe que não...parece que o anterior comentador teme é as comparações... o caso do Metro do Porto quanto a obra de engenharia , uso da população e integração no meio urbano é exemplar!!!

O deputado Honório Novo até se lamenta de não ter mais...nós por cá lamentamos não ter um Honório Novo com o mesmo sentido critico que o do Porto!!!

Quanto à demagogia...a de que defendo a circulação de automóveis privados é que não colhe...então os meus caros senhores, o querem que a população de Almada (volto a referir-naquele eixo , bastante idosa) onde é que agora de um momento para o outro vai pôr o seu automóvel? Debaixo da cama???

É que os se esqueceram que os autarcas ao longo das ultimas décadas se esqueceram de mandar cumprir a lei que obriga a criar percentualmente lugares de estacionamento por parte dos construtores???

Esqueceram que fizeram ainda pior, bloqueando estacionamentos e garagens onde eles existem, como na Ramalha???

Demagogia é a constante fuga para a frente, agora é o Cristo Rei e os Jogos Olimpicos...até mete dó...

Têm medo das comparações não é???

Magalhães disse...

O Metro do Porto é excelente! Serve bem a cidade e os arredores, e também Gaia e a Póvoa. Os Lisboetas estão cheios de inveja por termos Metro até ao aeroporto ou ao Dragão. Disseram mal do Major, mas têm medo de serem comparados. Pouca vergonha é essa que se passa na margem-sul.

Anónimo disse...

Oh ponto verde ambientalista, não esperava tamanha reacção sua! Mas confirmo o que disse: é estranho que se preocupe tanto (sendo como afirma tão ambientalista) com as viaturas privadas. Desculpe lá, estranho, que posso eu fazer.

É que ainda para mais, o sr. ou sra. elabora num equívoco que, só por má fé, aqui afirma. O estacionamento dos residentes no eixo do MST NÃO VAI desaparecer! Pelo contrário, vai ser reforçado. E mais, com o MST, a mobilidade destes residentes que o sr. ou sra. diz na maioria idosos, vai aumentar. Não apenas em quantidade, mas sobretudo em qualidade.

Por isso é que eu estranho que sendo tão ambientalista, se preocupe tanto com uma mentira destas. Isto é, afine tão de perto pelo diapazão daqueles que, sem outros argumentos, especulam com um aspecto que diz muito (infelizmente, digo eu) às pessoas - refiro-me ao automóvel privado -, mas que não passa de uma cabala mal amanhada. Não, caro ou cara ponto verde, o estacionamento de viaturas privadas de residentes no eixo do MST NÃO VAI DIMINUIR! Vai AUMENTAR!

Sabe o que eu acho mesmo? Se é tão ambientalista como afirma (o que duvido, desculpe, mas duvido) estava era satisfeito, muito satisfeito mesmo, pelo facto de com o MST ser possível retirar do centro da cidade de Almada muitos milhares de automóveis privados. Isso sim, seria ser ambientalista. Agora você só se preocupa precisamente com o oposto ...

Comparações? Medo de comparações? Não, amigo ou amiga, não tenho qualquer receio. Desde que essas comprações não sejam ... iníquas. Quando são, não lhes ligo. E o que você propõe é iníquo. E demagógico. Então essa do TGV ...

aldeia pp disse...

Também acho que será interessante uma comparação e pese todas as derrapagens e problemas no Metro do Porto este foi um processo conduzido principalmente pelas autarquias da Área Metropolitana do Porto, infelizmente no Metro Sul do Tejo a responsabilidade ficou a cargo do governo que nomeou após resolução do Conselho de Ministros o encarregado de missão, ficando este na dependência dos Ministro das Finanças e das Obras Publicas, mas não deixará de ser engraçado assistir os críticos do Poder Local defender uma maior intervenção dos mesmos em obras de tamanha importância, fico satisfeito porque desde sempre o defendi e vejo que outros agora também o defendem.

Anónimo disse...

Oh Magalhães,

Que sabe você sobre o que se passa na margem sul do Tejo? Lembra-se do que foi dito do Metro do Porto enquanto ele não esteve pronto a ser usado? Cobras e lagartos (se calhar, você próprio incluído). Agora é um "mar de rosas". Claro, é sempre assim. Com o MST vai ser a mesma coisa. Agora não presta, não serve, está mal concebido, é quase um crime.

Quando isso deixar de poder ser utilizado como arma de arremesso político-partidária, isto é, quando as pessoas começarem a sentir na pele que o MST serve tão bem como o Metro do Porto (e ainda bem para o Porto) as populações da margem sul do Tejo, acabam-se os pontos verdes ambientalistas todos. Pelo menos nesta vertente, porque outras hão-de esses pseudo-ambientalistas inventar.

É sempre assim. Não há que estranhar. Nada!

Anónimo disse...

Complementando aquilo que Aldeia pp aqui escreve, é bom que se registe este facto: contrariando a vontade das autarquias locais da margem sul do Tejo, o Governo optou, em termos de concessão, pela pior solução no caso do MST. Os municípios sempre defenderam a constituição de uma entidade pública entre o Governo e os próprios Municípios para a contrução e gestão desta infrasestrutura, mas o então Ministro João Cravinho e o Governo do PS de Guterres responderam que não. Os resultados estão à vista ...

É bom que se registe esta verdade. Os Municípios não são donos da obra, e foi mesmo a muito custo que conseguiram ter alguma influência no seu desenrolar.

Por isso também me agrada, ainda que reconheça tratar-se de pura demagogia oportunista, ver alguns que são visceralmente contra os Municípios e o Poder Local Democrático, virem agora (aqui e noutros lugares) defender uma maior participação desses Municípios em obras como esta.

Mas não nos iludamos; são apenas vozes de oportunistas e demagogos. Que usam esse argumento apenas para atingirem os seus fins: denegrir o Poder Local Democrático. Não tenhamos quaisquer dúvidas disso!

Ponto Verde disse...

Pois é , têm razão, já me esquecia, citando AldeiaPP:

"Não fosse a inoperância dos governos e o crónico “desinvestimento feito” pelo Estado no Concelho do Seixal, o nosso nível de desenvolvimento seria bem superior, mas mesmo assim e fruto do bom trabalho do Poder Local, dos funcionários das autarquias e da dinâmica população do Concelho do Seixal, nas mais diversas áreas somos uma referência no país"

Que maravilhosos horizontes de betão nos têm criado para nosso bem, que maravilhas vias têm sobrecarregado com novos habitantes para nos sentirmos mais acompanhados, que magnânimos sois em criar condominios privados para alguns junto ao rio, e que maus somos nós que não vamos na vossa demagogia e até temos a ousadia de pretendermos que a aplicação dos dinheiros publicos sejam avaliada e comparada...comparações...aquilo que realmente temem...porque lá se vai o verniz e o que os foguetes escondem.

Quanto aos MAIS LUGARES DE ESTACIONAMENTO ... É MENTIRA!!!

A mesma mentira que pretende inferir que sou contra o MST e logo ... não ecologista...e dois mais dois ? Quantos são?

Sou contra , sim o MST não estar já em funcionamento pelos entraves criados , sobretudo pela CMA.

Sou contra o atravessamento da via de acesso a Almada e a solução encontrada para o chamado Triângulo da Ramalha... O Metro a partir daqui devia ser subterrâneo!!!

Sobre a demagogia Automóvel pró/ contra... bem sabe que sou contra o chamado Dia sem Carros e as afins semanas da mobilidade com zonas interditas ao tráfego automóvel...porque isso é que como sabe não passa de demagogia! E não resulta em nenhuma melhoria perene para a cidade.

Devem é ser criadas soluções de transporte individual não poluente (P.e. ciclovias)e colectivo de qualidade e não poluente como um metro ... mas bem construído e não para andar vazio!!! É que aí torna-se o mais poluente dos meios de transporte, demagogias à parte!!!

Anónimo disse...

"(...)contra os Municípios e o Poder Local Democrático(...)

já cá faltava esta!!!

Em véspera de jornada de luta tinha que aparecer algum idiota a tentar aproveitar-se do descontentamento dos trabalhadores para ajudar à vitimização dos autarcas da margem sul.

Era inevitável.

aldeia pp disse...

Noto algum atrapalhamento, mas não existe razão para tal, pois logo de inicio referi que seria “interessante uma comparação” entre os projectos, desde logo a diferente constituição das “duas empresas públicas”, mas como provavelmente não lhe agradou o início da comparação começou a divagar.

ex-militante disse...

A coberto do comunismo fizeram as maiores negociatas e as maiores barbaridades urbanas e arquitectónicas, a coberto do "poder local" valeu tudo, o amiguismo, o tráfico de influênciasa, a corrupção mais descarada. Tenham dó, Honório, um abraço ,e faz-nos uma visista e põe esta gente na ordem.

Magalhães disse...

Só o velhinho eléctrico 28 desde que reabriu, só numa semana transportou mais gente que o metro sul do Tejo que anda às moscas pago pelo meu dinheiro que vivo bem longe, não o uso, mas pago essa brincadeira dos comunistas a brincarem aos comboiozinhos. E nem cem metros de tunel souberam fazer até têm o metro a atravessar avenidas. Imagine-se o Metro do Porto a atravessar a VCI ou a Avenida da Boavista. Que engenheiros há aí na moirama?

Anónimo disse...

Os autarcas de Almada se tivessem consciência já andariam de cara tapada diante de tantas asneiras seguidas que fazem.Só a passividade das gentes e o subdesenvolvimento permitem tolerar tanto despotismo

residente disse...

O traçado e inserção do MST em Almada constitui uma violenta agressão aos residentes e seus direitos de cidadãos pelas dificuldades à mobilidade e acessibilidades que cria aos moradores. Por isso as pessoas estão a debandar de Almada.
Constitui mau exemplo do que não deve ser feito.
Basta ver o que existe pela Europa para se concluir que isto aqui é um péssimo serviço "prestado" a um meio de transporte útil.

Anónimo disse...

Já não é a primeira vez (não neste espaço, noutros) que leio o residente com este discurso de "Velho do Restelo".

Toda a gente sabe quem é este "residente", por isso ninguém se espanta.

Mas eu não resisto.

Então, homem, você insiste na "debandada" da população de Almada? Digo-lhe uma coisa só: veio bater no blog errado com essa demagogia. Neste espaço, pelo menos pela parte do autor, é exactamente o contrário que se passa. Em que ficamos, afinal? Há debandada? Ou o contrário?

Agora mais a sério (não é que não seja sério o que digo atrás), caro residente, por essa Europa fora faz-se precisamente o mesmo que se está a fazer em Almada. Nem mais, nem menos.

Agressão aos residentes? O MST? Tem a certeza? Quais residentes? Sabe uma coisa, caro residente? Fale por si. Sou residente em Almada e não me sinto nada agredido. Pelo contrário, sinto-me bem tratado, respeitado.

Não esconda atrás da demagogia barata o seu verdadeiro móbil. Assuma, de vez, a sua posição político-partidária neste processo. Não gosta do MST (é você quem diz que não gosta) sabe porquê? Porque não é o seu partido (sei, muito bem, sei que você é independente ...) quem conduziu o processo que levou à sua concretização.

Velho do Restelo, mesmo, é o que você é! Fala mal por "dor de corno". Mais nada!

Ponto Verde disse...

Tem piada a forma empenhada com que determinada força politica tem participado nos blogues locais para transmitir e manipular o caso MST de forma a não saír chamuscada, agora que percebeu que não é unânime nem magnânime esta obra.

Há uma ideia que é indiscutivel, TODOS SÃO PRÓ METRO, mas não aceitam opções erradas que foram tomada com culpas da Câmara e tb. do Governo , mas a Câmara, como todas as da região não aceita essas criticas e quem critica o projecto critica o metro e logo é contra o desenvolvimento, o ambiente...velhos do Restelo...

O Metro desde a Cova da Piedade e até Cacilhas devia ser subterrâneo, as opções que tomaram e estão a executar são uma asneira e em alguns casos má gestão dos dinheiros publicos e dos dinheiros europeus.

Paulo Edson Cunha disse...

caro Ponto Verde e demais interessados,
à semelhança do que tenho feito, vou dar aqui publico conhecimento de um pedido de esclarecimento apresentado pelo PSD numa Assembleia Municipal, ao qual as respostas foram inexistentes , inconclusivas ou não aceites pela nossa força política.
Com a sua permissão, junto o anexo:






PEDIDO DE ESCLARECIMENTO E PROPOSTA



A bancada do Partido Social-democrata da Assembleia Municipal do Seixal tem vindo a acompanhar com muita atenção, e bastante preocupação, as últimas notícias relativamente à posição da Câmara Municipal do Seixal face ao metro Sul do Tejo.

Como é do conhecimento público, há mais de dois anos que as 24 (vinte e quatro) composições entretanto adquiridas e a linha entretanto construída se degradam sem que as populações sejam servidas e sem que o dinheiro investido por particulares, pelo Estado e pela Comunidade Europeia tenham aplicação prática.

Primeiro foi a longa novela, protagonizada pela Câmara de Almada, e já por nós anteriormente referida neste fórum, face à não cedência de espaços para a construção da via provocou que o atraso fosse incontornável nos últimos dois anos

Quando a Câmara de Almada cedeu finalmente no braço de ferro com que resolveu prejudicar este projecto, é agora a vez da Câmara do Seixal vir a levantar problemas sobre diversos pontos do projecto, mais de dois anos depois de determinadas estruturas estarem construídas (e muitas delas entretanto degradadas pelos atrasos criados pela Câmara de Almada)

Esta posição da Câmara do Seixal de contestar a obra, apontando um conjunto de 264 anomalias nos três quilómetros da linha construídos no concelho. acontece em vésperas de ter sido anunciado que o metro iria “sair finalmente para a rua”, mesmo que numa forma minimalista face ao projecto prometido.

O grupo municipal do PSD, vem nos termos da alínea j), do n.º 2, do Regimento da Assembleia Municipal do Seixal, PEDIR EXPLIÇÕES OU ESCLARECIMENTOS ao Senhor Presidente da Câmara Municipal do Seixal sobre a posição assumida publicamente pela Câmara por si representada.

Pergunta-se:
1. Não têm os serviços da câmara um relatório elaborado pelo Eng.º Rocha e Silva e restante equipa onde a maioria desses problemas já haviam sido apontados, ademais, sabendo-se, como se sabe que a maior parte dos problemas apontados são estruturais?
2. Se a resposta a esta questão for afirmativa, questiona-se V. Exa. porque não denunciou então a Câmara Municipal do Seixal essas irregularidades em tempo útil?
3. Que garantias nos dá a câmara que eventuais atrasos decorrentes desta tomada de posição não venham a ser judicialmente imputados ao nosso município (apenas no caso de a tomada de posição atrasar o início da sua circulação)?
4. Como estão as compensações que a sociedade concessionária, MST – Metro Transportes do sul (Teixeira Duarte, Grupo Barraqueiro e Siemens) exige, face ao atraso da circulação, o que tem motivado a derrapagem financeira do projecto?

Aproveitamos a oportunidade para propôr, nos termos da alínea a), do n.º 2, do Regimento da Assembleia Municipal do Seixal, que a Câmara Municipal do seixal apresente à sociedade concessionária e ao Governo a possibilidade de se aproveitar a capacidade instalada, que sabemos existir, e alargar a linha até Santa Marta de Corroios, uma vez que a linha está já toda ela infra estruturada, e, segundo julgamos saber, basta apenas a construção da estação, o que implicaria um custo bem menor, do que aquele que os sucessivos atrasos do arranque da circulação já provocou.

Com esta medida, cumpria-se o objectivo de simultaneamente aliviar um pouco o caótico movimento automóvel até à estação de Corroios, o que ajudaria igualmente a aliviar o estacionamento nessa zona.

Partido Social Democrata
Seixal, 23 de Abril de 2007

Ponto Verde disse...

Agradecimento aos esclarecimentos trazidos pelo PSD que vem trazer uma questão fundamental, neste ponto:

1) os trabalhos em desenvolvimento deveriam estar construídos e a funcionar há quase dois anos.

2) Deveriam haver trabalhos de construção de via, como os que decorrem em Almada, mas no concelho do Seixal e em direcção ao Barreiro, para servir estes dois concselhos.

Hoje face aos disparates de Almada, o folclore do Seixal e a gestão ruinosa do projecto já ninguém fala desta segunda fase, desta segunda fase , da alternativa à EN10 , o viaduto inacabado em Corroios (outra nota de gestão ruinosa), o alargamento da Ponte da Fraternidade... agora com tantas pontas soltas anunciam a construção perfeitamente desnecessária de novos edificios para a Câmara no valor de 25 Milhões!!! Em Almada a cidade da água... masm que autarquias tão ricas, é pena terem tanta obra por acabar.

Tanto dinheiro e nem 1Km de ciclovias!!!

Ponto Verde disse...

Agradecimento aos esclarecimentos trazidos pelo PSD que vem trazer uma questão fundamental, neste ponto:

1) os trabalhos em desenvolvimento deveriam estar construídos e a funcionar há quase dois anos.

2) Deveriam haver trabalhos de construção de via, como os que decorrem em Almada, mas no concelho do Seixal e em direcção ao Barreiro, para servir estes dois concselhos.

Hoje face aos disparates de Almada, o folclore do Seixal e a gestão ruinosa do projecto já ninguém fala desta segunda fase, desta segunda fase , da alternativa à EN10 , o viaduto inacabado em Corroios (outra nota de gestão ruinosa), o alargamento da Ponte da Fraternidade... agora com tantas pontas soltas anunciam a construção perfeitamente desnecessária de novos edificios para a Câmara no valor de 25 Milhões!!! Em Almada a cidade da água... masm que autarquias tão ricas, é pena terem tanta obra por acabar.

Tanto dinheiro e nem 1Km de ciclovias!!!