quinta-feira, junho 12, 2008

A PRÁTICA E A FARSA


Na imagem, três fases de ocupação do território sec XX , no Alto do Moinho- Seixal , primeiro a agricultura, depois uma primeira fase urbana com moradias unifamiliares (anos 70) , num terceiro plano massificação urbana CDU (anos 90).

No seguimento da análise do que é a farsa da prática CDU na
Margem Sul e da sua "alegoria" interna , que é o partido "Os Verdes" , gostaria de transcrever o seguinte post do Deputado Luis Carloto Marques no blogue "A Cidade e as Serras".

« O plenário da Assembleia da República discutiu hoje um projecto de resolução, da autoria dos Senhores Deputados do grupo parlamentar “Os Verdes”, sobre a necessidade de se restringir a expansão urbana à pressão da demografia, ou seja ao crescimento da população.

Este assunto, talvez um dos mais relevantes abordados até hoje (não pelo projecto, mas sim pelo tema) está ligado a um conjunto de questões, tais como: o arrendamento da habitação, política de solos, mais-valias urbanísticas, transportes, qualidade de vida, urbanismos, degradação urbana, entre outros.


Repare-se numa cidade de média dimensão, ou se assim o entender já numa de grande dimensão.


O seu interior está abandonado, as casas estão devolutas, à espera de melhor sorte, enquanto que na periferia as construções, tantas vezes sem qualidade, amontoam-se.

As pessoas deslocam-se num vaivém diário, entre a casa e o emprego, consomem tempo (muito), energia, os seus recursos financeiros, as crianças ficam longe da família entregues às escolas, os solos, quantas vezes os melhores, são destruídos para serem urbanizados.


Isto é insustentável em todas as perspectivas em análise. Numa palavra: consumimos o futuro do planeta, empobrecemos os cidadãos, e roubamos, desculpem-me a expressão, o futuro de todos os que ainda não nasceram.


Os nossos horizontes temporais nesta matéria são

muito limitados.


Quem ganha? Os especuladores.


O curioso é que este projecto de lei não nasce de um partido novo. De um partido que não tenha responsabilidades nas autarquias.


No círculo em que fui eleito, “Os Verdes”, em coligação com o PCP, são maioritários na generalidade dos municípios. E o que se passa aí? Exactamente o inverso do que ontem defenderam na Assembleia da República.


Citaram frequentemente uma autarquia da região Centro, mas poderiam debruçar-se no município de Almada, Seixal, ou Moita do Ribatejo, entre outras.


O exemplo da Moita do Ribatejo, que trouxe até a Assembleia da República, como poderão verificar ao pesquisar essa palavra, é o melhor exemplo de como é que este partido tem um duplo comportamento. Nas suas autarquias parece desconhecer que esse fenómeno acontece, para o transferir para a Assembleia da República.


Este facto não desvaloriza o tema e o conteúdo da proposta, mas quem melhor do que aquele que dá o exemplo, para demonstrar que o mundo que ajuda a construir poderá ser diferente? »

__________________________________________


AGRADECIMENTO



Na inviabilidade de responder a cada um dos comentários, gostava de agradecer a participação do tema posto a discussão nos últimos dias , "A Ditadura da Margem Sul".


Se duvidas houvesse, ficou sublinhado mais uma vez o déficit democrático reinante e a estrutura nebulosa que tudo abafa e reinterpreta na sua versão oficial dos factos .


Surpreendentes ... os tiques de autoritarismo de cariz censuratório da opinião e as ameaças que alguns também aqui deixaram, porventura embalados pelas inadmissíveis cenas de coacção fisica e psicológica a que assistimos a propósito do bloqueio dos camionistas e personificadas por alguns piquetes que os fizeram recuar, ao para si certamente saudoso ano de 1975.


Para corresponder a esse saudosismo, a imagem acima pretende ajudar no enquadramento socio politico da altura (clique sobre a imagem para aumentar) ...



21 comentários:

Anónimo disse...

- A CDU É A PROSTITUTA LOCAL, DO GRANDE CAPITAL !!!

- "VERDES" SÃO FRAUDE ELEITORAL!

Anónimo disse...

'Cada povo tem o governo que merece', também é uma expressão antiga, não é ?
'Casa onde não há pão todos ralham e nenhum tem razão', é antiga a expressão, não é ?
Democracia é uma palavra utilizada 'tu cá tu lá', mas um conceito que ... não mora cá !

Anónimo disse...

Tudo bem, mas este lapidar comentário da camarilha do PCP ao post anterior é de ter bem presente quanto á democracia e liberdade tão propalada pelos camaradas:

"Mas que grande blog de filhos da puta que por aqui vai, ainda bem, porque a vossa raiva de cães raivosos, significa que a CDU marcou, marca e marcará.

PUTA QUE VOS PARIU, CAMPO PEQUENO JÁ COM ESTES MERDAS, TIRO NA NUCA E BALA COBRADA A QUEM OS PARIU."

- Assim se vê a democratia do PC -

Anónimo disse...

Sou absolutamente contra os insultos. Por isso não os usei, não os uso e (espero) nunca vir a perder a cabeça ao ponto de os (ter que) utilizar.

Às vezes, confesso, dá mesmo vontade ... E é por isso que tendo a compreender algumas reacções mais "duras" (isto é um eufemismo, porque aquela reacção dos filhos de ..., é mais que dura ...). Porque é difícil aguentar, muitas vezes, a deturpação e a mentira que por aqui grassa neste blog-pasquim (atenção, blog-pasquim não é insulto nenhum. Porque é verdade!).

Agora vejamos uma coisa: há por aqui gente muito indignada pelos insultos que foram dirigidos por alguém (nem sequer posso saber se do PCP e da CDU ou não ... Hitler também mandou incendiar o parlamento ...). Mas quem é que chamou "prostituta" à CDU primeiro? Para além de outras coisas ... Ou isso não é um insulto de camarilha nenhuma? Ou não há camarilha, neste caso?

Ah bom, é que a paciência, de facto, tem limites. E, já que entrámos numa onda de ditados populares, o melhor que estes apregoados "democratas", mas de facto anti-comunistas primários que por aqui andam, têm a fazer é não atirar pedras aos vizinhos quando ... têm telhados de vidro. Ah pois é!

Anónimo disse...

Espero uma reacção veemente do a-sul, autor e responsável por este blog, a este Viriato fascista que por aqui apareceu agora.

A não haver uma demarcação clara e inequívoca do autor do blog a este tipo de argumentação - que relembro, caso haja por aí esquecidos, que é inconstitucional e por isso ilegal - considerarei o autor do blog co-responsável, e mais do que isso, intelectualmente e políticamente conivente, com o despautério fascista que acaba de ser aqui produzido.

Anónimo disse...

~Ena pá!
Pelos vistos não diferem muito uns dos outros!!!!!!!!!!!!
Mas ao menos uns assumem-se, outros são travestis.
Branquear um pouco a cena, vá lá ,tudo bem...
mas logo a seguir o que "...têm a fazer é não atirar pedras aos vizinhos quando ... têm telhados de vidro.", repõe o democrático estilo da democracia participativa do PCP.

Anónimo disse...

Tá justo....

-A um ladrão de fios de cobre das instalações abandonadas pela CML - a morte!

--A um pretenso insulto à CDU, um tiro na nuca!

...é democrático... equitativo, até mesmo muito pedagógico.

Anónimo disse...

Lá está, voltamos à conversa do Anti-comunista primário... e de facto, há que assumir esta condição de anti-comunista primário! Primário porque se baseia em simples argumentos, básicos e primários. Não quero viver num país com uma ditadura do proletariado, não quero viver num país de gulags, não quero viver num país de perseguições contra dissidentes, não quero viver num país de racionamento para todos para que algumas elites iluminadas possam ter tudo, não quero viver num país em que os dirigentes achem a Republica da Coreia do Norte um país bom para viver, ou onde se apoie (jornal do avante) a decisão de barrar a entrada a ajuda humanitária (como aconteceu na Birmânia)só porque esta vinha dos "porcos" imperialistas ocidentais (vulgo E.U.A), e acima de tudo, quero viver num país que é democrático e que por mais defeitos que tenha, me permite vir aqui ou noutro forúm afirmar o que não quero, e apresentar a minha discordância face às politicas seguidas por quem governa o país, a autarquia ou a freguesia.
Quero viver num país, que por mais imperfeita que seja a sua democracia, que por mais desigual que sejam as condições de vida das pessoas, permite que, ainda assim, se bloqueie estradas, haja lugar a manifestações, haja lugar a debates, haja lugar a troca de ideias.
Se isto é ser anti-comunista primário então, sou-o com orgulho porque não me revejo em nada do que são os métodos e politicas do PCP.
Uma lembrança para aqueles que sendo novitos não se lembram do pós 25 de Abril no Concelho do Seixal e principalmente do processo de nacionalização da Siderurgia... nesses tempos, os mesmos que hoje pertencem ao aparelho, faziam caça às bruxas na SN, e conseguiram que, durante quase 10 anos, fossem congelados os salários dos trabalhadores que ganhavam ordenados acima da média da empresa para que todos pudessem receber o mesmo, tendo-se operado o nivelamento por baixo dos salários. Isto num período em que a inflação era galopante - isto representou uma enorme quebra do poder de compra desses trabalhadores... eu tenho memória!

Anónimo disse...

Ora cá temos o discurso hipócrita e mentiroso, que pretende reescrever a história com base na mais descarada deturpação e falsificação dos factos historicamente mais do que documentados, e na mentira mais absoluta - essa do Jornal Avante! tem que documentar, objectivamente, caro anónimo. Senão o fizer, chamo-lhe mentiroso mesmo ...).

E não percebo uma coisa: porque é que este anónimo vem com este discurso falsamente "histórico" (falsamente porque o que diz são tudo retintas mentiras, repito), no momento exacto em que eu aqui exigi uma clarificação do a-sul relativamente a uma intervenção fascista havida anteriormente? Será para branquear aquela intervenção? Se não é, olhe que parece. E muito.

Mas uma coisa é certa: trata-se de um anti-comunista primário. Primário porque boçal, não pelo que diz ser a sua interpretação de primário. Primário porque assenta todo o discurso em mentiras, afirmando-as como se de verdades históricas se tratasse. Primário porque não hesita um momento que seja em falsear o nosso passado mais recente, apenas para afirmar a sua contestação ao trabalho, às teses, às ideias, seja o que for que o incomoda, que os comunistas defendem. Primário, também, porque revela apenas preocupar-se com as suas liberdades individuais, pouco lhe importando que o país e os portugueses vivam na miséria, desde que isso não afecte a "sua" liberade de dizer o que entende. Até a liberdade de dizer que se está nas tintas para as condições em que os portugueses vivem. A única coisa que lhe interessa é a "sua" liberdade para dizer disparates, ao ponto de considerar, e cito para não faltar a verdade, que "Quero viver num país, que por mais imperfeita que seja a sua democracia, que por mais desigual que sejam as condições de vida das pessoas, permite que, ainda assim, se bloqueie estradas, haja lugar a manifestações, haja lugar a debates, haja lugar a troca de ideias". Não importa a desigualdade e a imperfeição, vejam só!

Diz que tem memória. Mas é curta e selectiva, muito selectiva, essa memória. E nubelada, também muito nebulada, pelos preconceitos próprios de quem se assume como anti-comunista primário e boçal.

Não, não merece que eu perca mais tempo com ele.

Volto a exigir uma demarcação clara do autor do blog relativamente à intervenção de carácter puramente fascista aqui feita por alguém que assina Viriato. E é a última vez que exijo essa clarificação. Se não vier, passarei a considerar o a-sul, como já disse, co-responsável pela violação da Constituição da República Portuguesa e das leis vigentes deste país, e moralmente e politicamente conivente com as teses fascizantes e anti-democráticas aqui expressas por esse tal Viriato.

Anónimo disse...

O anónimo das 12.18 e 14.47 anda muito preocupado com não sei o quê que sensível ...mas já agora , pode ajudar a contar a história de um actual vereador, que passou pela Sorefame, e fundou ou foi cooperante de uma cooperativa que teve até apoios camarários...é uma história interessante...seja detalhado dom a história da cooperativa...

Anónimo disse...

Granda democrata, relativamente ao acólito da CDU que apregoa,"TIRO NA NUCA E BALA COBRADA A QUEM OS PARIU.", interpreta como uma reacção dura....
Relativamente à intervenção fascista de um tal intitulado Viriato, que o Ponto decidiu retirar, exige uma explicação e demarcação do autor do blog!
E tudo isto em nome da"...da Constituição da República Portuguesa e das leis vigentes deste país, e moralmente e politicamente conivente com as teses fascizantes e anti-democráticas aqui expressas por esse tal Viriato."

...nada a dizer!!!!!

JS Seixal disse...

Vergonhosa esta tendência de intimidar quem faz a denuncia...
Somos cidadãos e residentes no seixal, temso todo o direito e dever de comunicar a nossa insatisfação! (de forma ordeira e civilizada)
JS Seixal

o anónimo das 12:59 :) disse...

Concerteza carissimo anónimo.

Concerteza que lhe faço a vontade de lhe dizer onde, no Jornal do Avante, é afirmado aquilo que escrevi.

http://www.avante.pt/noticia.asp?id=24708&area=24&edicao=1799

"Afinal, as «preocupações humanitárias» visam a ingerência, dominação e guerra. Querem acrescentar à tragédia natural uma tragédia artificial. Como as de anteriores guerras «humanitárias» e «libertadoras». " - Jorge Cadima, Jornal do Avante, edição n.º 1799.

Se ler o artigo compreenderá a minha afirmação, ou não... mas isso cabe-lhe a si, e eu não lhe quero impor nada!

Quanto à questão de deturpação dos factos históricos, tome atenção que eu não digo em nenhum momento que noutros regimes e noutros locais não se cometeram ou cometem atrocidades semelhantes... veja-se o caso de Guantanamo!
O que eu afirmo e reitero, é que ao contrário dos gulags e regimes afins, no caso de Guatanamo, é possível ter advogados, juízes, políticos, comediantes, jornalistas, opinião pública, etc etc etc, que se podem manifestar, opinar, discordar, tomar acções para inverter o curso da história, colocar acções em tribunal contra o estado e contra membros do estado... e isso, caro anónimo, nunca aconteceu nem acontece nos regimes dos gulags e quanto a isso, por muito que tente reescrever a história, carissimo, ela não muda!

No que respeita à memória, decerto as minhas não serão as mesmas que as suas, e decerto as suas opiniões serão tão válidas quanto as minhas ainda que diferentes. Mas se é para ter uma discussão sã, terei todo o gosto em contar-lhe a minha versão, desde que da sua parte haja a humildade de reconhecer erros e abusos no processo que referi, porque de outro modo torna-se numa discussão estéril. Se for diferente de quem aparece às reuniões das Assembleias de Freguesia terei todo o gosto... mais do mesmo, dispenso!

Bem haja! e viva a Democracia pois só deste modo seria possível estarmos a ter esta conversa num blog!

Anónimo disse...

Caro anónimo das 3:03 PM,

Eu disse que a intervenção do filhos da ..., onde está também essa coisa do "tiro na nuca" era mais que dura. Disse, isso, depois de antes ter assumido que nunca usei, não uso e não usarei aqui insultos.

Sobre esta matéria, estamos conversados, porque mais claro do que isso não posso ser: condeno, obviamente, aquele tipo de intervenções. Sem a mínima dúvida!

Quanto ao registo fascista desse tal Viriato, estranho a sua complacência, caro anónimo. Mesmo um insulto do tipo "filho de ..." é menos grave, muito menos grave, que o insulto fascista aqui deixado. Você não entende assim; compara-os e acha-os da mesma dimensão; de novo estranho a sua complacência para com este tipo de derivas fascistas.

Finalmente, o Ponto Verde, mais uma vez, andou mal ao retirar o comentário a que me referi já duas vezes, e ao qual aqui volto por força das circunstâncias.

Andou mal por duas razões: primeiro porque a sua atitude representa uma forma de censura inaceitável. Como dono do blog, chega aqui e apaga, pura e simplesmente, e nem uma nota deixa. Claro, não lhe convém, é uma forma de tentar apagar a memória. É que assim, daqui a nada, quem vier até aqui chama-me maluquinho a mim, que ando para aqui a falar de uma intervenção que ninguém encontra. Andou mal, por esta primeira razão. A memória não se apaga!

Mas a segunda razão pela qual andou mal, é que a retirada pura e simples do texto em causa representa (é a única leitura que eu posso fazer) um sentimento de compromisso, um peso na consciência, da parte do autor do blog, relativamente ao que foi escrito por esse tal de Viriato. O que é grave: o Ponto Verde ficou tão comprometido, que vai de tentar apagar o mal feito. É feio. Muito feio.

O que eu exigi ao Ponto Verde foi que ele se demarcasse, e o fizesse de forma clara, daquilo que era afirmado nesse texto, agora fantasma. Ele não o fez! Limitou-se a apagar a memória, ou melhor dizendo, a tentar apagar a memória.

Se não fosse conivente com o que foi dito e escrito teria, muito simplesmente e honestamente, vindo a terreiro demarcar-se e condenar aquele lixo fascista. Mas não o fez. Apagou! Sintomático.

E é claro, tudo isto em nome da Constituição da República Portuguesa e das leis vigentes no País. Mas mais ainda do que isso, em nome da Liberdade, de que o Ponto Verde anda sempre com a boca cheia, mas que depois, perante um lixo fascita deste calibre se encolhe. Para não dizer outra coisa ...

Quanto à js do Seixal, bom não consigo entender o objectivo do comentário. Será que a js do Seixal entende que o comentário fascista a que me venho referindo "encaixa" nesse direito a demonstrar insatisfação?

Não quero acreditar nessa possibilidade, mas também não estranharia em absoluto um deslize dessa natureza. Conhecendo, como conheço, os tiques a resvalar para o ditatorial de muitos dos dirigentes do partido de qua a js é "filha" ...

Anónimo disse...

Fique esclarecido.

NÃO SOU COMPLECENTE NEM PARA UNS NEM PARA OUTROS.

Conheci na pele quer os pides/DGS, quer versões similares ao KGB.

Adiante, estou mais interessado nas histórias das cooperativas.

Há cerca de dois anos este tema fez desaparecer um dos costumeiros intervenientes desta cena, um tal Paulo Silva(desapareceu pelo menos neste nome).

Houve outras histórias pelo meio...mas parece ser tema quente!!!! - COOPERATIVAS de PRODUÇÃO , belo tema...

Ponto Verde disse...

"Finalmente, o Ponto Verde, mais uma vez, andou mal ao retirar o comentário a que me referi já duas vezes, e ao qual aqui volto por força das circunstâncias.

Andou mal por duas razões: primeiro porque a sua atitude representa uma forma de censura inaceitável. Como dono do blog, chega aqui e apaga, pura e simplesmente, e nem uma nota deixa. Claro, não lhe convém, é uma forma de tentar apagar a memória"
__________________________________

Pois bem, retiro e retirarei todos os comentários xenófobos e racistas. E não recebo lições de democracia e liberdade de expressão a quem não a pratica em sede de autarquia e de Boletim Municipal.

Claro que se me criticaram por retirar um comentário racista, xenófobo e exultante a Salazar, criticar-me-iam também se o não fizesse e mantivesse o comentário
!!!

Por outro lado subscrevo o anterior comentador. Quem clarifica a história das Cooperativas de Produção no Seixal e o papel Vereador Jorge Silva ?

Anónimo disse...

Fico também eu a aguardar o desenrolar da hiatória da sorefame e da cooperativa. Quero saber quem são os eleitos da maioria que nos governa na camara. Ainda por cima uma história dum homem que tão ruinosas decisões tomou na camara ruinosas para o publico em geral e ruinosas para os trabalhadores. Já agora também podiam explicar o saneamento politico dos dirigentes na decada de 90? Uma CDU tão democratica trocou lebre por gato e os efeitos sentem-se há muito.

Anónimo disse...

É pouco, Ponto Verde. Muito pouco. Não se demarca. Diz que retira todos os comentários xenófobos e racistas, mas sintomaticamente ou não, esquece o fascismo! Não fala do fascismo.

E depois é fácil vir para aqui fazer demagogia. Dizer que não recebe lições de quem faz o quê??? Como é que você concluiu que eu tenho alguma coisa a ver com o que diz? Concluiu, ponto final. Como sempre faz: você conclui exactamente aquilo que quer ... concluir.

Você, Ponto Verde, recusa demarcar-se do lixo fascista que aqui foi publicado. Por isso é conivente com ele e co-responsável pela violação da Constituição da República Portuguesa e das leis vigentes no país. Registo!

Sabe, Ponto Verde, nunca o criticaria se mantivesse esse comentário mas, enquanto autor e responsável primeiro por este blog, se demarcasse claramente do seu conteúdo. Dar-lhe-ia os parabéns. Assim não. Porque você já demonstrou que prefere tentar apagar ou reescrever a história do que assumir posições claras sobre questões também elas clara. Você foge. Lá terá as suas razões. Mas que é muito, muito mau sinal, isso é!

Anónimo disse...

Tá meu...
Faz lembrar com saudades o Paulo Silva.Há dois anos atrás desapareceu, agora anda a querer conduzir a cena.. salomónico e paternalistra, até me faz chegar lágrima ao olhinho!!!

Voltemos ao interessante tema:

Quem clarifica a história das Cooperativas de Produção no Seixal e o papel Vereador Jorge Silva?

Ponto Verde disse...

Gostava que o anónimo "ofendido" me apontasse onde é que nalgum dos 1211 posts anteriores foi neste blogue feita a apologia do Fascismo ou do Salazarismo?

Gostava também de compreender porque razão não queria que retirasse um comentário manifestamente xenófobo, racista e fascista ?

O tal "comentário" foi estratégicamente colocado para cumprir o seu papel !

Como sabe a sua questão não é essa , a questão é a velha tática da contra informação,pois que a questão que aqui pretendem escamotear , é porque razão a proposta dos VERDES na AR , não é exemplarmente aplicado nas autarquias CDU ?

Porque razão há um concumbinato e uma relação de configurada prostituição (como com felicidade e humor aqui estabeleceram o paralelismo) entre a CDU e o Grande Capital nas autarquias da Margem Sul , se tivesse que atribuír um papel nesta pornografia toda que já dura há mais de 30 anos, ao PCP bom, caber-lhe-ía o papel do proxeneta...


E já agora, querem contar a vossa versão da carreira do Vereador Silva e do caso das Cooperativas ou não ?

Se se remetem ao silêncio estão tácitamente a aceitar um qualquer comentário ou outra versão que não a do PCP ...

Comprimentos!

Amanhã novo post!

Mário da Silva disse...

Até tendo em conta os deputados esverdeados que andam pelo Concelho da Moita ("do Ribatejo" é só a vila):

Álvaro Saraiva, eufemísticamente chamado de "funcionário municipal" mas que foi o braço direito do Presidente João Lobo durante anos;
Heloísa Apolónio, membro da Assembleia Municipal e da Comissão de Poder Local, Ambiente e Ordenamento do Território da Assembleia da República;
José Luís Ferreira eleito da Assembleia Metropolitana de Lisboa, deputado na AR por Lisboa;
, membro da Comissão de Assuntos Económicos, Inovação e Desenvolvimento Regional da Assembleia da República da AR, deputado eleito por Lisboa.


QUATRO em CINCO tem algo a vêr com este desarranjo, sendo que dois então nem se fala.

Deixemo-nos de palhaçadas. Esta malta deve ser esquizofrénica em último grau.