quinta-feira, novembro 13, 2008

O CAOS NÃO SE RESOLVE, AGRAVA-SE



O Concelho do Seixal é um caos em termos de circulação viária, a causa está como é óbvio no desmesurado crescimento urbano e populacional ao qual não correspondeu uma melhoria equivalente de vias de comunicação .

A entrada no Fogueteiro é um martírio diário que não se pode evitar até chegar ás ramificações que depois vão lentamente distribuindo o tráfego, primeiro a saída junto á Galp , depois o cruzamento Seixal /Torre da Marinha e todos os outros que partem do eixo principal que é a EN 10.


Ora acontece que deparamos esta semana com o encerramento de uma dessas entradas, a primeira acima mencionada, junto à GALP do Fogueteiro e que servia O Bairro dos Lirios ( acessos á Escola Secundária, a Vale de Chícharos ...) a partir da Rua Estácio da Veiga, algo surreal e que está a revoltar a população .

A população residente considera insensata aquela decisão da Câmara do Seixal que vai provocar mais poluição , mais gasto em combustível para além dos reflexos na vida local de muitas empresas ali instaladas e que ficarão sériamente prejudicadas por aquela incompreensível alteração do trânsito e dos acessos.

Quem ali vive vai ter que entrar nos semáforos junto à Cooperativa Agrícola , seguindo depois por uma rua que geralmente está p
ermanentemente obstruída , situação que se vai agravar pois todo o trânsito que entrava pela via agora cortada vai ter de passar também por ali criando mais uma situação de bloqueio em toda a EN 10.

Além do mais , com estas obras não só continua por resolver o acesso dos moradores daquela área residencial, à zona comercial, ali bem perto como vêem esse acesso por via pedonal, quase intransponível,
a não ser de automóvel!

Assim se trata a mobilidade pedonal e a circulação rodoviária no Seixal, assim se fecham mais umas empresas no Seixal e se cria mais desemprego .



É visivel na imagem o problema agora criado , para quem viva no centro geométrico daquela zona e fazia o percurso mais curto ( a verde) , vai ter agora que optar pelo acesso a amarelo ou a vermelho, qualquer um deles obrigando a percorrer uma maior distância e quer um quer outro percurso, muito congesationado ao final da tarde.

Isto para os residentes , para as empresas ali estabelecidas é a certidão de óbito, bem como para os empregos ali existentes.
_______________________________________________


O Milagroso sistema de saúde Cubano visto por dentro (clique) , e lá não há quem se manifeste.


_______________________________________________


INADMISSIVEL













O Vandalismo sobre
o oudoor do PSD a apelar ao voto nas próximas eleições!

27 comentários:

Anónimo disse...

Aquela entrada pode ser contornada: para quem vem de sul segue como fosse para o Continente, chega à primeira rotunda, segue em frente e vai dar ao mesmo local se saísse no local mensionado (junto à Galp). Os moradores, dessa zona, que queiram ir ter à Nacional ou ir ao continente, fazem o percurso inverso. Os acessos tanto para sul como para Norte estão bem definidos e são bons. Para quem estava habituado a fugir do trânsito por aí (como eu) agora apenas tem que sair da N10 um pouco antes e a volta, que não é muito maior...

Anónimo disse...

Com melhores acessos, com este código do trabalho, com os salários que se praticam e sem comunistas viviamos no paraíso!

Residente disse...

A sugestão dada pelo anterior comentário é válida, só que ao fim da tarde não há volta a dar e os acessos ao Continente estão congestionados para quem pretende ir para o Casal do Marco, Torre da Marinha ou Paio Pires por exemplo. Mais poluição ,mais gasto em combustível em tempo, em paciência .

Anónimo disse...

Em resposta ao comentário de 11/12/08, ás 5.21h, tenho a dizer que efectivamente qualquer entrada pode ser contornada, mas não será por acaso que o Rio Sul tem acesso directo. Quem não quiser entender a situação dos comerciantes da Quinta dos Lirios, tem de ser incensivel á questão social destas pessoas. Quem foge ao transito por ali, também anima aquele comercio que lá está á muitos anos, e do qual depende tanta gente. Vamos lutar por melhorar um cruzamento, e não matar os pequenos comércios. A solução que aponta leva as pessoas a passarem mais uma vez em frente ao Rio Sul. Ou seja, trata-se de aproveitar a obra feita na altura da ampliação do Centro Comercial, a qual foi pensada para melhorar, em primeiro lugar, o acesso ao Rio Sul Shoping, e não criar alternativa ao cruzamento da Estácio Veiga. Então as pessoas que ali trabalham não valem nada?

Anónimo disse...

Como é que eles dizem ? Ah já sei, TRABALHO , HONESTIDADE E COMPETÊNCIA , são uns criativos esta malta da CDU , onde põem a pata estragam tudo.

Anónimo disse...

"Tal bloqueio vem prejudicar todos os moradores e empresários da zona. Os automóveis vindos de sul, e que utilizam a Rua Estácio da Veiga para acederem aos seus destinos, vão ter que percorrer um trajecto longo, lento e congestionado, até à rotunda de Paivas" errado têm apenas de se dirigir até à Rua General Humberto Delgado ou aceder virar à direita subir em direção ao continente e virar na rotunada em direção à Cruz de Pau depois meter-se na Rua General Humberto Delgado

Anónimo disse...

Caro Blogger:

É com enorme prazer que leio os seus textos e como procuro habitação na margem sul queria o seu conselho.

Onde me aconselha? O meu limite são os 100M €

Obrigado e continuação de bom trabalho.

Ponto Verde disse...

Agradecendo a cordialidade tenho enorme dificuldade em dar tão importante conselho, maior facilidade terá se abordar por exemplo o Dr.Paulo Silva no seu blogue Seixalsim www.seixalsim.blogspot.com que terá melhores conhecimentos e mais positivos sobre o tema em questão e uma visão mais optimista sobre o imobiliário na Margem Sul, pois tem ligacões priviligiadas com quem partcipa habitualmente no Salão Imobiliário de Lisboa.

Anónimo disse...

Obrigado pela sugestão.

Um abraço

Daniel Geraldes disse...

Caro Anónimo,

permita-me ajudâ-lo, acho que com 100M € e tendo em conta esta crise financeira devastadora e com esse dinheiro todo, tendo em conta o que tenho assistido, com um pouco de sorte ainda consegue que lhe vendam o Seixal por inteiro.

Anónimo disse...

Não existe nenhum sitio no mundo para o qual não hajam alternativas, a diferença é as voltas que temos de dar para lá chegar. O cruzamento é perigoso, então melhora-se, ou a solução que vamos encontrar vai ser sempre anular acessibilidades, de modo a deixarem de ser problemáticas. Será que não querem entender a dimensão deste problema. São postos de trabalho, e pequenas empresas para as quais a vida já está bastante dificil. Vamos melhorar o cruzamento, existem soluções. É nisto que peço que se concentrem, num interesse legitimo de um conjunto de pessoas que só procuram manter os seus empregos e negócios. Obrigado.

NP disse...

A verdade é que este cruzamento é muitas vezes desrespeitado e muitas pessoas que saem da urbanização em vez de virarem à direita (obrigatório) acabam por virar para o lado da Cruz de Pau, o que tem causado dezenas de acidentes por ano.

A situação incomoda-me e prejudica-me na minha rotina diária, mas às tantas não sei se não previligia alguma segurança rodoviária.

O problema está de facto no início, no planeamento que nunca existiu convenientemente e que nunca pensou nestas questões e que nunca pensou que o número de veículos que agora terão de se deslocar por outras artérias vão enchê-las, pois as mesmas não estão planeadas e pensadas para este volume de tráfego.

Além do mais sendo esta uma estrada nacional imagino que as obras não sejam de responsabilidade autárquica, mas sim do Instituto de Estradas.

Anónimo disse...

É uma EN , mas alí tem o nome de AVENIDA, Ah pois é bébé.

Anónimo disse...

A suspensão daquela entrada em nada, ou pouco nada, vai alterar a vida dos comerciantes, porque, aquela entrada é em grande parte utilizada para fugir ao trânsito da N10, quem quiser ir ao comercio local, continua a ir sem problemas nenhuns. Em relação à poluição causada pelo congestionamento de outras zonas, a poluição atmosférica é difusa, e não se combate com a alteração de entradas ou saídas de estradas, mas sim com uma politca sustentável de transportes publicos, porque a poluição é causada, em grande parte, pelo uso do transporte privado. O congestionamento para Casal do Marco e afins não me choca.., repare quem mora para Av. Bento Gonçalves em Almada, passo a explicar, avenida de Almada que dá acesso ao Centro Sul e acesso à Ponte 25 de Abril.. desde as 7h-7h30 até às 10h que está congestionado, tanto aquela avenida como todos os acessos à volta, com o metro de superficie a apitar (uma aberração aquele trajecto) e os carros também.. para além da poluição atmosférica, há também a poluição sonora..

como disse a melhoria do transito passava uma melhor politica de transportes; já que se tem o metro de superficie a circular nas principais avenidas, aumentar o nº de autocarros que ligam a periferia ao metro, colocar os passes a preços acessiveis (diga-se de passagem que a margem sul deve ter os transportes mais caros do país, porquê?)

Mas é o que temos.. cada um a pensar por si.

residente disse...

A imagem do google diz tudo sobre os percursos a que vamos ser obrigadosdepois de fechada a actual entrada.Mais Km percorridos são mais cobustível, mais trânsito, mais tempo e também maior possibilidade de sofrer ou provocar um acidente.
Fazem tanta rotunda, talvez alí se pudesse pensar numa não ?
Os residentes daquela local são mártires, levam com a vala do Rio Judeu e com os maus cheiros, levaram com o combóio em cima, com os viadutos do continente e agora isto. Chega!

Anónimo disse...

Se os acessos não são importantes para a vida dos comércios locais, então experimente-se cortar um acesso um centro comercial? à pois é, isso nunca acontecerá, porque são esles que os pagam e os pensam. Os pequenos comércios necessitam e muito que os acessos que sempre existiram se mantenham inalterados. Este cruzamento existe á muitos e muitos anos, anulá-lo liquida os comerciantes da zona. Isto é fácil de perceber, e só quem não quer ver é que pode sequer por esta realidade em causa. Melhorem o cruzamento, não o anulem. Sabem quantos cruzamenyos á esuqerda existem ao longo da EN10. Na zona de Sta Iria, São João da Talha, Bobadela, quase até Vila Franca. Sabem o que lá estão a fazer, rotundas em todos eles. Era mais barato cortar alguns e fazer rotundas em outros, no entanto ali existem principios que se prendem com a realidade social de pessoas que vivem e trabalham á anos em locais com uma acessibilidade que nunca lhes passou pela cabeça que poderia ser cortada. O mesmo pensaram os governantes daaqueles sitios. O mesmo devem pensar os governatntes do nosso concelho. Se o cruzamento tem problemas, melhora-se, até lá se não há dinheiro, deixa-se como está. Ou resolvem-se problemas, criando outros?

Anónimo disse...

Estou aqui para manifestar a minha total solidariedade com os moradores e comerciantes que dependem do acesso à Rua Estácio da Veiga. Concordo absolutamente com os motivos que invocam. Têm razão!
No entanto estes Senhores não podem, nem devem, esquecer-se que a maioria Camarária já decidiu bloquear o cruzamento, e não vai querer voltar atrás com a má decisão que tomou.
Senão vejam como após esta polémica a Câmara se despachou a colocar lancis, ignorando por completo a vontade popular Sim que isto de ser o Povo quem mais ordena já não é o que era…Agora ordenam eles e pagamos nós.
Depois a maioria da Camara acha que não vão ser meia dúzia de assinaturas num qualquer abaixo-assinado que irão fazer mossa. Esquece-se é que são meia dúzia de centenas ( isso mesmo, com dois zeros )!
É, portanto, um movimento muito significativo e representativo da vontade popular.
Há também quem defenda a perigosidade do cruzamento. Também têm razão!
Mas se todos os cruzamentos e estradas perigosas fossem simplesmente fechadas como forma de evitar acidentes, então teríamos que fechá-las quase todas. Seria a solução mais simples. O que não tem cura mata-se e pronto, problema resolvido.
A sugestão do acesso através da rua Gen. Humberto Delgado, que já vi defendida algures por ai, é absolutamente impensável. Então ainda ninguém reparou que essa rua, estreita, tem estacionamento permitido em ambos os lados, em toda a sua extensão, e que para além disso existem, sempre, mas sempre, automóveis estacionados em segunda fila, de ambos os lados? Isso seria o caos total!
Há muitos anos, quando o cruzamento da N10 com A Estácio da Veiga nasceu, não se tomaram medidas preventivas. O cruzamento nasceu torto e defeituoso, cheio de maleitas e nunca o trataram. Foi andando, doente, e nunca lhe ligaram. Mas agora em vez de recorrer à cirurgia e corrigir o defeito, decidiram “os clínicos”, numa atitude preguiçosa e incompetente, matá-lo. Matar é crime. Tratar e recuperar seria mais bonito e louvável…
Pois, na minha modesta opinião, julgo sinceramente que a solução para este caso não passa de modo algum pelo encerramento/morte do cruzamento, mas sim pela sua correcção/tratamento. Há formas de o fazer, assim se queira.
Aos cidadãos lesados com esta decisão quero lembrar que os lancis colocados, traiçoeiramente e a toda a brida, apesar das suas solicitações e justos motivos invocados, podem sempre tombar e ser removidos. O Muro de Berlim era maior, mais antigo e também caiu!
Força! Não desistam !

Anónimo disse...

Parece impossivel, mas estão mesmo a fechar o cruzamento. O problema está resolvido. Espero que esta gente tenha coragem de ir para a frente e expor convenientemente esta situação aos meios de comunicação social. Tenham coragem. Eu vou lá estar, se me dissrem o dia e a hora.

Anónimo disse...

A rua Estácio Verde, de que estão a falar, é a Alameda do Poder Local que aparece no Google Earth?

Se é, se bem me lembro, há uns bons anos atrás quem circulasse na N10 e quisesse entrar nessa rua, só o poderia fazer quem viesse no sentido norte-sul, pois existia, na N10, um traço contínuo. Nesse entroncamento, que a própria formatura da curva sugere que é de acesso apenas quem circulasse no sentido N-S, nas últimas demarcações de asfalto passou a ter um traço descontínuo, para dar hipótese de fuga ao trânsito. Esse mesmo entroncamento passou a ser um ponto de “batidelas”. Na minha opinião, acho quo encerramento da passagem no sentido S-N, foi bem conseguida, há outras formas de chegar aos locais, é uma questão de hábito e de conhecimento da área envolvente, agora expliquem, está também encerrada no sentido N-S?

Anónimo disse...

A ironia com que se tratam os assuntos dos habitantes e comerciantes deste local,e querem apelar a uma solução para o seu problema é vergonhosa. O cruzamento está mal desde o dia em que nasceu, mas a verdade é que já lá está á mais de 20 anos. Não se pode melhorar? A solução é anular, porque as pessoas encontram alternativas, mas também se não encontrarem azar. Assim falam aqueles que só olham para o próprio umbigo. Espero muito que não seja um dirigente da nossa Câmara, porque se assim for estamos bem entregues. Sim, porque tenho a certeza que a CMS está a resolver a situação junto de quem de direito, pelo bem destas gentes. Ou será que melhorando técnicamente o cruzamento não é a melhor solução. Ninguém fica prejudicado se essa for a solução. Então é assim que concerteza os nossos dirigntes estão a actuar, pelo bem de todos os habitantes e comerciantes do nosso concelho. Esperemos que sejam breves.

Daniel Geraldes disse...

Alguem anda muito assustado com a EdsonMania.

Anónimo disse...

Porque é que neste concelho CDu nunca se fele em fazer passagens desniveladas? Estes senhores autarcas do seixal com os congestionamentos de transito que já têm já deviam ter pensado à muito tempo em fazer passagens desniveladas para cruzar vias de tráfego intenso. São mais caras mas o orçamento da camara é para fazer obras em prol da população não é para esturrar em propaganda. Porque fazer desvios mais longos entra nos bolsos dos municipes em gasolina. Será que com uma passagem superior não resolvia o transito na EN no Fogueteiro?
Esta Câmara poupa onde não devia.

Anónimo disse...

E pronto! mais uma vez se chega à conclusão que a CMS planeia mal, executa pior, e para quem está há trinta anos à frente dos destinos do concelho, já deveria ter um bocadito mais de bom senso quando faz as coisas e acima de tudo ouvir de vez em quando o "povo" que tanto bajulam.
Ou então não, trinta e quatro anos de governo é capaz de dar para cristalizar as cadeiras do poder!

Anónimo disse...

Despacho n.º 29392/2008, D.R. n.º 222, Série II de 2008-11-14
Ministério da Saúde - Gabinete da Ministra
Determina a criação de um grupo de trabalho para definir o perfil assistencial e o dimensionamento do futuro hospital no Seixal


http://www.dre.pt/pdf2sdip/2008/11/
222000000/4677046770.pdf

O Tipo que gostava de ser como o Belo Miro disse...

PROPOSTA DE SOLUÇÃO DUM CIDADÂO ATENTO.

Então é muito simples, faz-se assim e resolve-se o imbróglio duma vez por todas:

A CM do Seixal vende o Bairro dos Lírios ao Belmiro de Azevedo e soluciona-se o problema duma assentada.
O bairro será imediatamente alvo duma atenção muito especial e beneficiará rapidamente dum face-lift profundo e urgente. Passará imediatamente a ter belos espaços verdes, que as crianças e os idosos poderão desfrutar à sombra amiga dos pinheiros – com nemátodo pois claro – que a sonae trará directamente de Tróia. É uma carência actual.
Ele transformará o espaço numa espécie de “resort” com vistas privilegiadas para o Rio Sul, e quem sabe com uma ou mais passagens aéreas para peões e tudo, directamente ao dito. Nada será deixado ao acaso.
Quanto aos moradores, é fácil: a rapaziada do Bairro, que por acaso são uns chatos, vai lá tomar o seu cafezito matinal, aproveita e faz umas compritas no Continente e sempre sacam uns talões de desconto nos combustíveis. Sim porque agora, com os quilómetros que passam a fazer a mais, sempre vão dar muito jeito.
E os comerciantes do bairro? Eh pá, que vão vender castanhas assadas ou contrafacção para a porta do shopping (também pode ser “band-aids”). Afinal continuam com o mesmo estatuto de empresários e a ter o seu próprio negócio. Só mudam é de ramo. E até é melhor porque deixam de ter encargos com as finanças e segurança social. Depois é mais saudável porque operam ao ar livre e ainda por cima são negócios do “toma lá, dá cá”, onde nem há fiados aos vizinhos e fregueses habituais, nem aqueles telefonemas dos tipos do banco a lembrar que a conta da firma está, outra vez, a descoberto.
Os desempregados…pois que não sejam preguiçosos e que aproveitem para ir gastar o subsidio de desemprego para o Rio Sul. Ou arrumar automóveis. Bom…também podem ficar em casa a tomar conta dos putos e a dar-lhes água quando eles chorarem de fome e o subsídio já tiver desaparecido. E depois, com a ajuda do “Magalhães”, sempre podem acompanhar e colaborar mais nas tarefas escolares dos infelizes. Isto, para não falar da sorte daqueles casais que passarem ambos, de repente, a não ter emprego? Vão ter todo o tempo do mundo para namorarem! Vão contribuir para o tão necessário aumento da taxa de natalidade deste País. Uau!
Por fim, à nova estrada conseguida após a conclusão iminente da mais recente obra de remodelação feita no cruzamento da discórdia há-de chamar-se no futuro – sim porque o povo há-de reconhecer o inquestionável mérito deste grande melhoramento - de Estrada da Concórdia.
Entretanto, no local do desaparecido cruzamento há-de construir-se um arco, à francesa, tipo Arco do Triunfo, mas maior, símbolo do orgulho Fogueteirense. As faces serão decoradas com enormes figuras dos autarcas da maioria e uma ainda mais colossal do Belmiro, esculpidas em alto-relevo. Um friso decorado com as várias insígnias do vasto império sonae rematará o monumento.
No terraço, os turistas poderão desfrutar duma vista fabulosa sobre um concelho deslumbrante, desenvolvidíssimo, com uma qualidade de vida extraordinária, onde nada falta ao bom do cidadão.
Uma obra-prima!
Depois, a partir do local mandam-se rasgar várias avenidas magnificas, cheias de charme e “glamour” em direcção ao shopping, que entretanto passará de 140 lojas para não sei quantas. Muitas, muitas. Bués…
É que o desenvolvimento do Seixal deve-se ao Belmiro que é um tipo fixe. É um autêntico cruzado do bem-fazer. Ainda ninguém percebeu isso? Bolas…
Ó pá, o homem é um autêntico missionário a quem todos devemos a construção dessa grande catedral que é o Rio Sul, local de peregrinação onde o Povão tem obrigação de comparecer amiudadas vezes.
Aliás, devota como é, a C.M. do Seixal, numa jogada de antecipação decidiu já, e muito bem, num gesto de reconhecimento, fazer passar por aquele local de culto a maior parte do trânsito.
É que andavam por ai uns artistas a cometer a heresia de cortar caminho pelo Bairro dos Lírios, mas bem se lixaram. Para esses não haverá mais desculpas para cairem na tentação de recorrer aos pequenos comércios, ranhosos e impuros daquele local, propriedade dum bando de miseráveis infiéis.
A Câmara pediu auxílio às Estradas de Portugal e zás, cortou-lhes as vazas! Tinha que ser, os tipos eram uns autênticos demónios. Desviavam caminho só para não passar no shopping, digo no Santuário. Foram condenados e pronto, é assim mesmo!
A C.M. do Seixal fez muito bem, não haja dúvida!
O resto, qual resto? Se houver a sonae resolve, não se preocupem com mais nada. Vivam descansadinhos. Durmam sossegados.

Conclusão:
Dito isto conclui-se que o Belmiro é que vai resolver isto tudo. Sem Belmiro não há desenvolvimento! O Belmiro merece tudo!
As coisas são muito simples, o problema é que o Povo gosta de complicar tudo. Não entende. É gente simples, trabalhadora e mal paga, pouco habituada a estas modernices. Não lhe levem a mal. No fim há-de agradecer a dádiva, vão ver.

Ponto Verde disse...

Agradeço a colaboração e a fina ironia, mas o anterior comentador nao estará muito longe da realidade com o que vai contecer nos terrenos onde eram as oficinas da Câmara, até à Torre da Marinha, o prometido corredor verde, vai ser selva de betão.

Anónimo disse...

Sou como a maioria dos meus vizinhos, um ser pacifico, e que espero muitas vezes que façam as coisas por mim. Mas tenho acompanhado estes comentários, porque alguém me disse que eles estavam a acontecer nestes blogues. E passado este tempo, tenho de colocar esta questão. Não poderia haver aqui um comentário que nos esclarece-se, a nós moradores, o que é que a nossa CMS anda a fazer para resolver este assunto. Ou serão como o nosso governo em relação aos professores, ou mesmo em relação ao porto de Lisboa. Estão concerteza á espera que as pessoas que aqui vivem se calem, e aceitem o que já está feito. Sem cruzamento, sem iluminação, sem nada, este bairro agora está perfeito para aparecer nos jornais nacionais, e até nalgumas aberturas de telejornais. Esta é a nova forma de agir dos nossos governantes, o povo ladra mas não morde.