quarta-feira, novembro 26, 2008

CORTA FITAS



No tempo do Fascismo a alcunha do então Presidente Américo Tomaz era a de corta-fitas pois a sua utilidade pública e politica passava em grande parte por inúmeras inaugurações...

Hoje a moda é outra , corta-fitas, há-os na mesma mas agora são mais ministros...e so
bretudo autarcas... com essa função , aliviando o Presidente para coisa mais graúda , até porque se "inaugura" a mesma coisa várias vezes...

Hoje vamos ter com pompa , circunstância e ministro , mais uma inauguração do Metro Sul do Tejo !

Num dia em que os cidadãos , sem máquina propagandistica a seu favor incitam ao protesto , protesto contra um Metro mal feito , contra um Metro que não serve a população , contra um Metro que não circula nas zonas mais povoadas, contra um Metro que custou mais do que o previsto, que se atrasou mais do que seria admissível (e todos sabemos porquê) .

Incita-se ao protesto contra um traçado que
amputa Almada , que é uma gincana que limita o tráfego, que bloqueia o trânsito atraz de autocarros que deixaram de ter um sítio para parar ( vulgo paragens) , um traçado feito contra a vontade das populações, que as prejudica e que não as serve.

PROTESTEMOS ENTÃO !

O Apelo a que damos também eco é o seguinte :

DIA 26 COLOQUE A SUA FAIXA OU PANO PRETO À JANELA!

________________________________________________



A inauguração foi o que se previa, uma encenação do PCP local à qual o ex PCP Lino deu o seu contributo, lá estiveram também presentes a Comissão de Utentes da PCP Luísa Ramos e os descontentes do Arsenal ...

De resto tapou-se o Sol com a peneira , os erros do projecto ficaram na gaveta e novas promessas foram dadas , a chegada ao Fogueteiro (pela Atalaia ?) ao Barreiro , ao Lavradio ...

E lá estiveram os do costume, a Emília e o Alfredo ... belo dia!

14 comentários:

Anónimo disse...

NÃO ESQUEÇA!

DIA 26 COLOQUE A SUA FAIXA OU PANO PRETO À JANELA!

VAMOS MOSTRAR QUE SOMOS MUITOS!

NÃO SE ESQUEÇAM QUE A CDU GANHA, PORQUE DELES VÃO LÁ TODOS...

VAMOS MOSTRAR A NOSSA FORÇA, AFINAL REPRESENTAMOS 80%

REPASSEM A MENSAGEM POR MAIL, SMS, ETC...

Anónimo disse...

O comboio/MST não chega ao Hospital.
O comboio/MST não vai à freguesia mais populosa de Almada.
O traçado é o que vai sair mais caro ao erário público.
O traçado ignora a configuração da cidade de Almada.
Por tudo isto, o que é que move os defensores deste traçado do comboio/MST ????

desiludida disse...

Longe vão os tempos que viver em Almada era bom. Sempre gostei de aqui viver (e já lá vão 45 anos) Agora só lamento a crise e não conseguir vender a minha casa, pois já tinha ido embora. Qualidade de vida? Chamam qualidade de vida á modernidade? Nem sempre são sinónimos. Quanto a trnasportes posso dizer que com tanta modernisse demoro mais cerca de 35 minutos (quando não é mais) a chegar a Lisboa. O metro? Tenho de andar muito mais para chegar a uma paragem, quando anteriormente tinha o autocarro a 2 m de casa. O pior é que com a redução dos autocarros para Lisboa e os (engarrafamentos á hora de ponta denytro de Almada) perco muito mais tempo a não ser que passe a andar de metro!... Mas pergunto: que liberdade é esta que me querem obrigar à força a andar de metro e de comboio ? Tal ver o Min. Mário Lino tenha razão : somos mesmos camelos!....

Anónimo disse...

A maior verdade das notícias é esta:

- Esta primeira fase do projecto vai estar concluída três anos depois do prazo previsto.-

Uma das culpadas pavoneava-se hoje junto ao ministro, commo se isso não tivesse tido custos para todos nós.

AV disse...

Não desprestigiando este post, que está Bom, na minha avaliação como Titular Blogueiro, seria importante que Metro chegasse ao Barreiro.

AV2

Paulo Edson Cunha disse...

Caro Ponto Verde e demais Bloguers,
em 23 de Abril de 2007 o PSD apresentou este documento na Assembleia Municipal do Seixal.
Muito poucas respostas, hoje, dia 26 de Novembro, recebemos, tal como a população.
Embora tenha a ideia de já ter publicado este documento neste blogue, penso ser pertinente e útil à discussão voltar a publicá-lo.
Uma nota final: para uma política de transportes intermodal e regional é essencial que o MST chegue ao Barreiro. Penso que a melhor opção (também é a da CMSeixal) é através da ponte a reconstruir (Seixal-Barreiro)




PEDIDO DE ESCLARECIMENTO E PROPOSTA



A bancada do Partido Social-democrata da Assembleia Municipal do Seixal tem vindo a acompanhar com muita atenção, e bastante preocupação, as últimas notícias relativamente à posição da Câmara Municipal do Seixal face ao metro Sul do Tejo.

Como é do conhecimento público, há mais de dois anos que as 24 (vinte e quatro) composições entretanto adquiridas e a linha entretanto construída se degradam sem que as populações sejam servidas e sem que o dinheiro investido por particulares, pelo Estado e pela Comunidade Europeia tenham aplicação prática.

Primeiro foi a longa novela, protagonizada pela Câmara de Almada, e já por nós anteriormente referida neste fórum, face à não cedência de espaços para a construção da via provocou que o atraso fosse incontornável nos últimos dois anos

Quando a Câmara de Almada cedeu finalmente no braço de ferro com que resolveu prejudicar este projecto, é agora a vez da Câmara do Seixal vir a levantar problemas sobre diversos pontos do projecto, mais de dois anos depois de determinadas estruturas estarem construídas (e muitas delas entretanto degradadas pelos atrasos criados pela Câmara de Almada)

Esta posição da Câmara do Seixal de contestar a obra, apontando um conjunto de 264 anomalias nos três quilómetros da linha construídos no concelho. acontece em vésperas de ter sido anunciado que o metro iria “sair finalmente para a rua”, mesmo que numa forma minimalista face ao projecto prometido.

O grupo municipal do PSD, vem nos termos da alínea j), do n.º 2, do Regimento da Assembleia Municipal do Seixal, PEDIR EXPLIÇÕES OU ESCLARECIMENTOS ao Senhor Presidente da Câmara Municipal do Seixal sobre a posição assumida publicamente pela Câmara por si representada.

Pergunta-se:
1. Não têm os serviços da câmara um relatório elaborado pela Gabinete Coordenador das Obras do Metro Sul do Tejo, cujo responsável é o Eng.º Rocha e Silva e restante equipa onde a maioria desses problemas já haviam sido apontados há mais de um ano, noutros casos até mesmo desde o início (através de informações com o título de deficiências de construção), ademais, sabendo-se, como se sabe que a maior parte dos problemas apontados são estruturais?
2. Se a resposta a esta questão for afirmativa, questiona-se V. Exa. porque não denunciou então a Câmara Municipal do Seixal essas irregularidades em tempo útil?
3. Que garantias nos dá a câmara que eventuais atrasos decorrentes desta tomada de posição não venham a ser judicialmente imputados ao nosso município (apenas no caso de a tomada de posição atrasar o início da sua circulação)?
4. Como estão as compensações que a sociedade concessionária, MST – Metro Transportes do sul (Teixeira Duarte, Grupo Barraqueiro e Siemens) exige, face ao atraso da circulação, o que tem motivado a derrapagem financeira do projecto?

Aproveitamos a oportunidade para propôr, nos termos da alínea a), do n.º 2, do Regimento da Assembleia Municipal do Seixal, que a Câmara Municipal do seixal apresente à sociedade concessionária e ao Governo a possibilidade de se aproveitar a capacidade instalada, que sabemos existir, e alargar a linha até Santa Marta de Corroios - talaminho, exactamente no parque oficinal, uma vez que a linha está já toda ela infra estruturada, todas as questões técnicas construídas e disponíveis, há também espaço e lugares para estacionamento, segundo julgamos saber, basta apenas a construção da estação para os peões, não envolvendo verbas muito onerosas o que implicaria um custo bem menor, do que aquele que os sucessivos atrasos do arranque da circulação já provocou.

Com esta medida, cumpria-se o objectivo de simultaneamente aliviar um pouco o caótico movimento de circulação automóvel até à estação de Corroios, o que ajudaria igualmente a aliviar o estacionamento nessa zona.

Partido Social Democrata
Seixal, 23 de Abril de 2007

Anónimo disse...

Então, que foi feito das faixas e bandeiras pretas à janela ou noutro sítio qualquer? Então, que se passou afinal? Será que o Povo de Almada se demitiu mais uma vez? Será que é a tal "abstenção" que caracteriza os "burros" dos Almadenses?

Calem-se! Vocês não existem. Cheiram mal da boca (o Dantas que me perdoe) e dos pés. Fedem! Não valem nada!

Quanto à desiludida, não se desiluda, mulher. Se passar a andar de transportes públicos não lhe cairão, certamente, os parentes na lama, e estará a contribuir para um melhor ambiente para todos nós. Se o seu problema é "obrigarem-na" a utilizar os transportes públicos - é isso que afirma - então dê-se por muito feliz e use-os! É porque os tem. Deixe de ser egoista e deixe de olhar apenas para o seu umbigo. Pense um pouco nos outros, naqueles que não têm o carro individual que você (parece que) tem, e nos outros que tendo o seu carro individual, procuram viver de facto a modernidade: já perceberam que essa modernidade só é possível se moderarmos a predação do ambiente que nos sustenta. Principalmente nas cidades!

O Metro tem, entre as outras todas, esta virtude: faz saltar para a ribalta os egos frustrados de quem só olha para si próprio e nada se preocupa com os outros. Facilitando o seu combate. É mesmo ...

Anónimo disse...

Mas porque é que se confunde tanto a necessidade de ter mais e melhores transportes públicos (inclusíve o Metro Sul do Tejo) e, as anormalidades deste projecto específico e dos impactos negativos que o mesmo tem e teve nas vidas das populações que afecta.
Fosse esta brincadeira feita num qualquer concelho não controlado pelo PCP e decerto teríamos os bota abaixo do costume a insurgir-se contra os desvios orçamentais, as derrapagens temporais e a imposição das políticas dos governos centrais face à vontade das populações.
Neste caso, houve desvios, atrasos e acima de tudo, um total desrespeito pelas pessoas que contestaram e contestam o projecto, mas neste caso, o PCP apareceu ao lado do governo de sorriso aberto, como se nada nunca se tivesse passado e estivessemos num mundo de fantasia.
Tenham ao menos a decência de ser coerentes no discurso!

Anónimo disse...

Já cá faltva o ressabiado que insulta os trabalhadores que têm um carrito, comprado a longas prestações.
Não será o caso de outros que o têm de borla.
Este sócio ficou no tempo da outra senhora, e agora como pertence ao partido da situação, vá de largar bocas.

Anónimo disse...

Ontem dei uma volta pela Avenida à procura das faixas ou panos pretos... E os bandalhos do costume demonstraram que eram muitos - 3 -... Apenas 3 pessoas demonstaram qu estavam contra as obras do metro... É claro que estas 3 pessoas devem representar os "80%" referidos no primeiro comentário. As outras demonstraram que concordavam com o Metro!!!

Hoje verifiquei logo pela manhã que as carruagens do metro estavam cheias, o que demonstra a forma como a população adereriu de imediato ao MST.

Quanto ao ponto verde e aos outros bandalhos, o melhr é agarrarem nas faixas e panos pretos e porem à volta da cabeça, para taparem a pouca vergonha que vos resta...

Anónimo disse...

Estranho conceito de democracia o do anterior anónimo, que discorda é um bandalho, e o senhor , o que é ?

Anónimo disse...

Os PCs mostram que têm Polícia recauchutada da PIDE na Rua.
O bichinho está-lhes no sangue.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 8.59 h,

O meu problema é que à hora da inauguração, estava eu, como se calhar grande parte da população de Almada a trabalhar, nalguns casos, imagine v. exa. os malandros, em Lisboa, ou em qualquer outro sitio fora de Almada (vá-se lá saber porque é que isto acontece - este "bandalhos"!).
Vai daí, não é que se torna muito difícil conjungar o horário de trabalho com uma "contestaçãozita" a este projecto no dia da inauguração???
E para mais, acho que a constituição ainda não prevê a existência de sindicatos e sindicalistas de cidadãos descontentes com projectos específicos tipo MTS. Houvesse esta possibilidade(e claramente esta falha só pode ser atribuída ao poder central, e se calhar ao imperialismo americano...), e se calhar eu e outros "bandalhos" como eu, não seríamos descontados dos nossos ordenados as horas pelas quais estariamos com toda a nossa força e convicção a contestar o projecto na rua, precisamente no dia da inauguração.
Acontece porém que não vivemos num mundo perfeito, e uma inauguração feita num dia de semana em horário de trabalho é capaz (e ressalvo que é capaz), de não dar muito jeito à imensa minoria de descontentes com o projecto MST e que, por acaso também têm (lá muito de vez em quando), de trabalhar um bocadito num horário das 9 às 18, com duas horazitas em transportes publicos, adicionalmente!
E assim sendo, lá porque não apareceram pessoas a contestar o projecto no dia da inauguração, isso não representa que tudo sejam rosas como v.exa querem fazer crer porque, assim sendo, e pela mesma lógica de ideias, as posições assumidas pelo PCP no que concerne a políticas nacionais e oposição aos governos, não deveriam sequer ser atendidas na medida em que representam apenas uma pequena percentagem dos votantes nacionais... E vai daí, poderia aparecer alguém a chamar "bandalhos" aos representantes do PCP...

Cumprimentos democráticos (mesmo para aqueles que não gostam muito desta coisa da democracia)

Anónimo disse...

As faixas pretas não se puseram nas janelas porque os habitantes de Almada tiveram medo da pide comunista que se preparava para fazer a lista dos moradores que protestassem.
Assim se vê a democracia do PC.