segunda-feira, dezembro 10, 2007

METRO SUL DO TEJO - ASSUMIDA A DERRAPAGEM FINANCEIRA























Há muito que muitos vêm alertando sobre a derrapagem de custos e as
más decisões na construção e início prematuro de exploração do Metro Sul do Tejo, sobretudo a blogosfera tem feito eco do desperdicio , das más decisões e da má gestão que envolve para já o projecto.

Infelizmente o anuncio de derrapagem financeira de obras publicas não é novidade , e este é só mais um BURACO do ponto de vista financeiro e mais uma arma de má gestão e arremesso politico. Anuncia-se agora embora sem grande novidade ou reprecurção politica, a derrapagem financeira de 70 MILHÕES DE EUROS!!!

Mas mais grave que isso, fruto deste desperdício e dos obstáculos e más decisões criados sobretudo pela Câmara de Almada , está em risco parte do projecto que era fundamental na sua estruturação, ou seja a ligação Corroios-Fogueteiro (fundamental para servir o concelho do Seixal), mas também fica posta em causa a ligação ao Barreiro.

Mas o que são 70 MILHÕES DE EUROS neste projecto ?

- Setenta milhões de euros representa um acréscimo de mais 20% no orçamento inicial de 320 milhões de euros . Nesse buraco financeiro agora posto a descoberto estão incluídos os atrazos provocados pela Câmara de Almada que por questões politico-burocráticas não disponibilizou atempadamente, terrenos do dominio publico e privado municipal para a instalação da linha , e restante obra.


Relembre-se que a ligação só agora anunciada (15 Dez) entre a Cova da Piedade e Monte de Caparica deveria estar a funcionar há quase dois anos e que a linha inaugurada a 1 de Maio, por não significar nenhuma utilidade para os residentes, nem nenhuma alternativa para os transportes existentes, evitando sómente que as carruagens , fabricadas e entregues a tempo apodrecessem mais, tem andado óbviamente sem passageiros, o que só por si representou um custo de 15 mil euros diários.

Sobre outros custos adicionais, já haviam sido publicados alguns na Blogosfera que comparavam o custo por Km do MST ao do TGV , relembro:

TGV:
- Lisboa-Porto 313 Km custo total 4,7 mil Milhões €
custo por Km 15,015 Milhões €

-Lisboa-Elvas 207 Km custo total 2,4 mil Milhões €
custo por Km 11,594 Milhões €

MST:
- 1ª Fase do MST compreendendo três Linhas com extensão total de via férrea 13,5 Km:
Linha 1 Cacilhas-Corroios
Linha 2 Corroios-Pragal
Linha 3 Cacilhas-Universidade
Custo total 268 Milhões €
Custo por Km 19,851 Milhões €

- Custo Total dos 4 Km inaugurados em 30Abril2007 95 Milhões €
Custo por Km 23,750 Milhões €

Relembrem-se também os números iniciais do projecto:

Investimento (inicial) do Estado, de 275 MILHÕES DE EUROS , do consórcio vencedor, de 75 MILHÕES DE EUROS e fundos comunitários da ordem dos 74.8 MILHÕES DE EUROS

Ou seja , o valor das ajudas comunitárias serviram práticamente só para tapar o buraco da má gestão e dos atrazos provocados ao projecto , e não para construír um quilómetro de linha que fosse!

Acho piada , como ainda este fim de semana a propósito da Cimeira EU-Africa se criticavam as perdas em ajudas humanitárias ou a projectos de desenvolvimento ( sobretudo por corrupção) quando na Margem-Sul estamos a dar um exemplo perfeitamente terceiro mundista na aplicação de Fundos Comunitários, pelo que seria de toda a vantagem a denúncia deste caso junto de estâncias Comunitárias , pelo menos para que se apurem responsabilidades e se avalie , item por item para onde foi esse desvio .

Nas noticias vindas a público na imprensa deste fim de semana, são também apontados como razão de atrazo as divergências entre moradores e autarquia no que respeita ao troço inculído no denominado Triângulo da Ramalha , embora não referindo que a solução defendida pelos moradores, diferente daquela que acabou por ser construída, apontava para uma economia de um milhão e duzentos mil euros e que o custo da inauguração prematura da linha acresceu na obra qualquer coisa como 15 MIL EUROS DiÁRIOS o que para os seis meses em que a linha assim funcionou, representa ( 184 dias X 15.000 Euros = 2.760.000 Euros ) !!!

Esperamos agora que o Deputado Luis Rodrigues (PSD) que ultimamente assumiu protagonismo na denuncia deste escândalo consiga obrigar a que ao nível da AR sejam levadas a cabo diligências para apurar responsabilidades e punir os culpados neste desfalque de 70 MILHÕES DE EUROS!

Hoje, mais que nunca, faz sentido aquilo que já aqui foi proposto , um estudo comparativo deste projecto como outros projectos idênticos ,na Europa e também com o Metro do Porto

18 comentários:

Anónimo disse...

Dos três poderes, só resta a Judicial para repor as coisas no seu devido lugar e punir todos aqueles que vêm jogando o dinheiro dos nossos impostos, não na valeta, mas nos bolsos de uns quantos...

barreirense disse...

Nunca pensaram que o metro dela lhes desse tanta àgua pela barba e que existissem cidadãos dispostos a desmacarar as suas manobras, pessoais, partidárias e totalitárias.
Ensaiam vestir roupagem de democratas, embora não passem daquilo que são: puros corpos estranhos e embustes na democracia à portuguesa.
Coitados, continuam sem pinta de vergonha e sem consciência do triste papelucho que fazem.
"É preciso avisar a malta!" que isto nos custa os olhos da cara e que o Barreiro vai ficar a ver navios em vez de metros.

amilcar disse...

A CMA usa da mentira e da demagogia, práticas correntes da maneira como gere o concelho, recorrendo á prapaganda fácil e descarada, aos espectáculos para distrair a malta, ao folclore piroso e à distrubuição de subsídios a colectividades, na sua luta pela sobrevivência, não respeitando as qualidades pessoais, conhecimentos dos munícipes, a participação activa destes quando em contra mão a seus propósitos.

Filipe de Arede Nunes disse...

Deveria ser constituida uma comissão de inquérito independente para apurar sobre quem deverá recair a responsabilidade por este desvio de 70 milhões de euros!
Isto tudo deixa-me particularmente desanimado porque se adia ad eternum a extenção do metro até ao Fogueteiro, o que, na minha modesta opinião, deveria ter acontecido logo numa primeira fase!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

descontente disse...

Aqui estão bem claros os números do nosso descontentamento.

Mas parece que não suscitaram nem suscitam quaisquer dúvidas aos políticos (de todos os quadrantes políticos diga-se em abono da verdade...)que os "abençoaram", nem ao Tribunal de Contas que os fiscalizam. Talvez ao Tribunal de Contas Europeu nem passem do mesmo modo...

Como é possível que a infra-estrutura do MST fique mais cara que a infra-estrutura do TGV?

Só uma MST consegue TGV...
Traduzindo melhor a ideia:
Tal como os demais políticos a Maioria Sem Tino (reinante em Almada), pensa Tirar Grandes Vantagens...

A População não, só serve para garantir o orçamento do Estado (através do IRS, claro, quanto ao IRC cada um foge como pode)para que todos (empreiteiros, Concessionário, etc.) possam facturar à tripa forra...

O ZÉ POVINHO sofre p´ra caramba...

No tempo do ESTADO NOVO faziam-se estradas, com quanto mais curvas melhor...
No nosso tempo faz-se o MST quanto mais comprido melhor... com especial relevo para o DESNECESSÁRIO traçado pelas Ruas de Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes (acordem os moradores desta rua que o empreiteiro já vos anda a pisar mesmo antes da CMA disponibilizar os espaços).Esta é uma atitude muito "democrática"... que os "fiscais" da CMA não vislumbram (tem fiscal que é cego...).

Será que não há UM, um só, mas mesmo um só um político com TOMATES (como diria o Sr. Presidente do Governo Regional da Madeira) para por cobro a estes desmandos?

O Zé Povinho (ignorante como interessava e interessa a qualquer regime, democrático, ou não), ousa perguntar (incomodar):

- Quem "encomendou" a SEXTA SOLUÇÃO do traçado do Triângulo da Ramalha?

- Onde esteve em consulta pública?

- Quando foi aprovada, e por quem?

Ministério do Ambiente onde estás tu...

Se os moradores destas ruas fossem alguma variedade de ratos, dos raros claro (não daqueles espanhóis que não invadir...), certamente já alguém responsável teria aparecido em sua justa defesa, isto é, para cumprir ou FAZER cumprir o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes que aprovou a SOLUÇÃO 5, "FAMOSA" Solução 5 como já lemos num BLOG partidário de Almada...

Porquê famosa? Pelas dores de cabeça quem tem causado aos irresponsáveis que, TEIMOSAMENTE, recusam a sua adopção?

Tal como diria o poeta...

EU NÃO ME CALO...

AGORA MAIS SETENTA MILÕES. SURPRESA?

PARA NÓS NÃO!

ex-militante PCP disse...

Os almadenses têm de fazer ouvir-se para que justiça seja feita. Almada não pode ficar a perder com as asneiras destes autarcas usurpadores dos recursos que têm que ser bem geridos para dar para mais projectos e servir mais populações.
É um escândalo que por causa das birras da Câmara de Almada o metro não sirva as populações entre Corroios e Fogueteiro, ou o Barreiro.

Anónimo disse...

Cambada de palhaços! A gestão deste projecto não é um problema da autarquia de Almada. Misturar isto com a gestão autártica é ser palhaço até à última casa.. Mas este é um blog de palhações. Isso já eu sabia.

Anónimo disse...

Coitados destes senhores, que não conseguem distinguir as competências, nem mesmo se elas lhe mordessem no rabo!

Anónimo disse...

O Ponto Verde (de verde não tem nada, já aqui escrevi antes e repito), comenta construindo. Este último post dele, então ... tem mesmo a ver com ambiente!

Mas porque será que quando os comentários não vos agradam, comentam da forma do anterior? Não são capazes de aceitar que se pense de forma diferente da vossa?

O Metro é de uns privados e do poder central, a Câmara não tem nada a ver com isso e só perde com as obras e os atrazos.

Anónimo disse...

"(...)3 - A equipa de missão é constituída por um encarregado de missão, a quem compete a coordenação geral da equipa, e por quatro personalidades a designar:
a) Pelo Ministro do Equipamento Social;
b) Pelo Ministro das Finanças;
c) Pela Câmara Municipal de Almada;
d) Pela Câmara Municipal do Seixal.
(...)"

Resolução do Conselho de Ministros n.º 66/2002. DR 78 SÉRIE I-B de 2002-04-03
Presidência do Conselho de Ministros

mário da silva disse...

"Resolução do Conselho de Ministros n.º 66/2002. DR 78 SÉRIE I-B de 2002-04-03
Presidência do Conselho de Ministros"

Pois! A Lei dói... aos camaradas cegos.

É que no mundo da informação já é difícil escamotear de quem é mesmo a responsabilidade das asneiradas.

E não é na imprensa que se lê a Verdade mas sim neste foruns verdadeiramente livres.

Até mais

Anónimo disse...

Aqui nesta margem, parece que fomos relegados para o fim do mundo.
Os partidos ditos grandes estão-se nas tintas para o povo destes concelhos, e para isso basta ver os candidatos que apresentam às Autárquicas, no que eu penso ser só para "encher".
As empresas, essas vão-se enchendo, e basta ver o que os Parques de estacionamento agora vão ganhar. Sabem quem é a empresa proprietária dos parques, não sabem? Pois aqui há gato...

lucília disse...

O valor da competência,ou melhor, da incompetência dos autarcas a gerir (impedir) este projecto é quase igual às ajudas financeiras de Bruxelas. Parece que há um Portugal empenhado em andar para trás enquanto a maioria quer é andar para a frente.

PARA ONDE FORAM OS 70 MILHÕES DE EUROS A MAIS JÁ GASTOS? E O PROJECTO ESTÁ LONGE DE SER CONCLUÌDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

maravilha disse...

Isaltino foi pronunciado por sete crimes de participação económica em negócio, corrupção, branqueamento de capitais, abuso de poder e fraude fiscal

ÍII SÔ SÓ EU QUI SÔ BÚRRÔ? ÍIII SÔ SÓ EU QUI SÔ CORRÚPTO?

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, garante não temer ir a tribunal, afirmando que a decisão ir a julgamento o processo no qual é acusado dos crimes de participação económica em negócio, corrupção e abuso de poder, anunciada hoje, é "mais um passo" para provar a sua "inocência".

Depois de o Tribunal Central de Instrução Criminal ter decidido pronunciar o autarca por sete crimes de participação económica em negócio, corrupção, branqueamento de capitais, abuso de poder e fraude fiscal, Isaltino Morais adiantou aos jornalistas que vai continuar a trabalhar "tranquilo como sempre" e "em prol do cidadão", tendo agora a possibilidade de se defender "no sítio certo".

EMALMADA disse...

Porque será que a Câmara Municipal de Almada nunca quer assumir as suas responsabilidades em matéria do MST.
Até ao fim continua a afirmar-se inocente.
Tudo de anomalias na obra é do Estado e da Concessionária, mas quando lhe interessa é conivente quer com o Governo quer com a Concessionária e se preciso for até com o diabo..
Para escamotear culpas no "cartório" sacode a água do capote para o Governo ou Concessionária.
Quem escolheu e determinou este traçado e inserção para Almada? Quem foi?
Resposta : A presidente da CMA, que não assume essa sua esolha.

Sempre que se critica a CMA há para aí pessoal comprometido com as asneiras e com o seguidismo partidário, que fica irritado, abdica de pensar e segue a voz do dono.
Assinaram o contrato por isso deixam de pensar e de ouvir a população.

Felicito Ponto Verde por este excelente post de avaliação global da obra até ao momento.

Anónimo disse...

comparar preço por km teório (no caso do TGV) com km real (no caso do MTS) não me parece lá muito sensato, até porque sabemos já que o TGV vai "descarrilar" e MUITO no preço previsto, não estivéssemos em Portugal

Anónimo disse...

TÁ BOA. Com comentários iguais e tão inteligentes como o deste último anónimo justificam-se todos os gastos excessivos.
É um fartar vilanagem!

o josé disse...

Mais uma questão: No cruzamento da Cova da Piedade (av. 23 de Julho/N10 com R. Cruz Vermelha e R. D. Francisco Melo Noronha)), porque carga de água é que o cruzamento / rotunda / monte de blocos de plástico mais ou menos espalhados pelo meio da via, continua por "acabar", se o troço de MST que passa naquela zona está dado como "terminado"? Passam por alí milhares de viaturas por dia, "aquilo" é um perigo no meio da via pública, não seria já tempo de acabar com entrouxos "provisórios" e, finalmente, cumprir uma coisa do princípio ao fim?