terça-feira, dezembro 11, 2007

BRINCAMOS?



Há um verdadeiro boom de construção na Margem Sul, sobretudo nos últimos dez anos.

A recente explosão numa torre em Setúbal trouxe a descoberto uma questão essencial e fundamental :

- As autarquias garantem que são cumpridos os regulamentos sobretudo os respeitantes à estrutura dos edificios e o seu comportamento sismico?

O prédio de Setubal revelou que esses pressupostos não eram pura e simplesmente cumpridos!

"O prédio de Setúbal onde na quinta-feira ocorreu uma violenta explosão não cumpria a legislação anti-sísmica, regulamentada em 1954, segundo denunciou ontem o director do Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Almeida Fernandes admitiu não perceber "como é que um prédio desta altura, numa zona sísmica, não tem uma caixa de escada em betão? Tem uma caixa de escada em tijolo", disse garantindo que se o imóvel, construído em 1992, estivesse dotado de um boa resistência sísmica "não teríamos os problemas graves que estamos a ter hoje". (DN)
Quantos edifícios foram construídos nas mesmas circunstâncias nesta sísmica Margem-Sul ?

O que andam os fiscais camarários tão diligentes em pormenores, a fazer ?
E o que vai resultar deste caso ?
Vai haver um apuramento de responsabilidades , para além do construtor e do técnico responsável?...será que mesmo estes virão a ser responsabilizados?

5 comentários:

Anónimo disse...

Fusão Carrefour/Sonae:

"(...)Assim, na Margem Sul do Tejo – Montijo, Barreiro e Seixal – a Sonae Distribuição compromete-se, nos próximos três anos, a "limitar o crescimento projectado para a área". Fica assim "impedida de aumentar a área de vendas" da base alimentar, em mais de 14.000 metros quadrados. A companhia vincula-se, durante o mesmo espaço de tempo, "a manter a totalidade da área de vendas, sob o seu controlo, em valor inferior a 50.000 metros quadrados.
(...)
Os "congelamentos"
Por último, a Sonae Distribuição compromete-se a "não solicitar nenhuma nova licença para instalação de lojas alimentares ou para modificação das lojas existentes que implique aumento da área de venda" nos mercados sujeitos a "remédios", no ano seguinte à decisão da AdC, que previsivelmente concluirá este processo ainda este ano.
Esta limitação "não abrange estabelecimentos não alimentares nem substituição/renovação de licenças já atribuídas à data da decisão de não oposição" por parte da AdC, adianta o comunicado da Sonae Distribuição.

In: http://www.negocios.pt/default.asp?Session=&SqlPage=Content_Empresas&CpContentId=307355

Anónimo disse...

Agora as câmaras comunistas também são as responsáveis pelos tremores de terra, este ponto verde está-se a passar.

k7pirata disse...

Os patos bravos querem é tostanitos.
Caixas de escada em tijolo em vez de betão, ainda sobram umas coroas para a almoçarada.
O fiscal possivelmente nem lá passou, e o responsável que deu o alvará à coisa, que diga de sua justiça.

epicentro disse...

O Ponto Verde anda muito brincalhão, a Ponto de não distinguir um sismo de uma explosão de gás.

Anónimo disse...

O epicentro e outros afins esforçam-se por fazer piadólas para desviar a atenção do que realmente é importante. É do conhecimento do público em geral do conluio entre os autarcas e os responsáveis de serviços nomeados por confiança política e a corrupção que move em geral esta gente que faz com que empresários e tecnicos das camaras que na maioria são os autores dos projectos dos prédios e que o fazem ilegalmente não fiscalizem e deixem ao livre arbitrio os materiais que estes patos bravos vão empregar nas suas obras. Não é preciso dizer que pato bravo entregue a si próprio poupa no material o mais que pode e até na qualidade da mao-de-obra para ser mais barata. Sr. epicentro o sr. é que não sabe ler. E não adianta fazer humor para defender o poder instituido e corrupto porque aproxima-se o dia em que os responsáveis por tudo isto terão de prestar contas e talvez aí sejam os seus amigos a ter que fugir mas talvez para o Brasil.