segunda-feira, dezembro 31, 2007

2007 EM BALANÇO AMBIENTAL (6) - TEMA DO ANO


No último dia do ano, pegando em todos os "balanços do ano" editados inevitávelmente pela imprensa, o que vêmos afinal é que o AMBIENTE foi de facto O FACTO DO ANO.

Nunca em nenhum ano antes se falou tanto sobre ambiente, se apresentaram tantos estudos, se fizeram tantas reuniões, campanhas e alertas, nunca como em nenhum ano antes se tomou consciência da estrutura comum que é o planeta que vivemos e do qual abusamos.

Foi um ano em cheio, um ano a partir do qual todos nós não podemos dizer que não estávamos informados e por isso não agimos, ou que não tinhamos a noção que o somatório dos nossos comportamentos individuais tem consequências sérias no ambiente e no planeta e que por isso, todos e cada um de nós pode mudar para o mundo invertendo o caminho que tornará o nosso futuro e o das futuras gerações num futuro vivido num planeta mais inóspito e adverso.

Falou-se desde as alterações climáticas e da assumpção clara e inequivoca do papel do Homem nessas alterações até quase ao final do ano em que em em Bali se traçou o Roteiro do que poderá vir a ser o protocolo que sucederá a Quioto.

O Petróleo a "cem dólares o barril" fez-nos encarar a inevitabilidade da escassez do produto que é a base da nossa economia , desenvolvimento e mobilidade, uma escassez que não sendo ainda de produção, é provocada por uma procura cada vez maior de dois gigantes como a China e a India.


Portugal finalmente fez algo que nos possamos orgulhar, investiu forte e sério (embora com atraso) nas energias renováveis, e se está ainda hipo-aproveitado em termos de energia solar (fotovoltaica e de aquecimento) inaugurou nos tempos recentes a maior central solar do mundo e tornou-se em pouco mais de um ano num exemplo em termos de aproveitamento eólico, inclusivé com a implantação de um cluster industrial neste campo com fabrico de aero-geradores.

Só mudando comportamentos e atitudes, aproveitando oportunidades que nos surgem de um "mundo novo" poderemos alterar , acreditando que ainda é possível, as consequências negativas de décadas de erros contra o planeta, contra o território, contra o mar e a floresta, construindo um futuro melhor, mais sustentável e económica e socialmente mais justo ainda para nós, mas, e sobretudo para as próximas gerações. _______________________________________________

O BALANÇO DO TEMA DO ANO PELA NEGATIVA


Vai para todos aqueles que insistem em que não é necessária a mudança, que todos os alertas , todos os estudos são um embuste e uma mentira (vá-se lá saber de quem e com que finslidade?).

Vai para todos aqueles que tendo responsabilidades locais de governação, não têm o minimo de cultura, de conhecimento ou de aconselhamento para deixar de seguir formas de "desenvolvimento" esgotadas quer financeira quer ambientalmente e assentes, nomeadamente no sector da construção civil, da alteração de usos de solo retirando-lhes protecção ambiental e assim beneficiando alguns ou alguns grupos e deterimento do património que é de todos e que poderá ter reprecurssões na nossa sobrevivência futura.

Vai para O Governo e para um ministro do ambiente "inexistente", vai para uma ausência de práticas e politicas há muito adiadas ou nunca postas em prática, vai para a não actuação ou para as multas ridículas em caso deprevaricação , vai também para os projectos PIN, uma verdadeira auto-estrada governamental para a desvalorização do ecologicamente sustentável e a favor de grupos de interesses com raízes bem assentes na estrutura do estado.
____________________________________________________

O Povo está agora alertado, está mais informado que nunca e dispõe de meios que lhe permite agrupar, tomar decisões e actuações até aqui impensáveis, a democracia permite que fazer (ainda) valer os interesses de todos contra o proteccionismo do Estado e sobretudo das autarquias a favor de alguns.

O poder judiciário tem sido também um excelente aliado no cumprimento da lei e da Constituição, casos como a discussão sobre as linhasdeAlta Tensão são um exemplo disso.

O AMBIENTE É DE TODOS, CABE-NOS A OBRIGAÇÃO CONSTITUCIONAL DE O PROTEGER!


BOM ANO DE 2008

3 comentários:

residente disse...

Congratulamo-nos com a escolha de a-sul relativa ao blog triangulodaramalha ano 2007.
Continuaremos a revelar factos e documentos que demonstram as razoes dos moradores e a exercer cidadania contra o totalitarismo instalado no concelho.

mário da silva disse...

The Story of Stuff

É a minha proposta de Ano Novo para ouvir e pensar.

Até mais.

Anónimo disse...

Realmente, que tertúlia de palhacitos cheios de ressabio até ao dedinho do pé! Ridiculos até à última casa! Vão piando.. piando piando e depois agarram-se, como é costume! Oléeee :)ohhcb