segunda-feira, dezembro 17, 2007

CARRIS DERRAPANTES (3)













Gostaria que ficasse aqui claro que consideramos que o Metro Sul do Tejo é uma obra de fundamental importância para a mobilidade na margem sul, criando um transporte mais amigo do ambiente e menos poluente
(note-se que não digo que é um transporte não poluente ou totalmente amigo do ambiente...é que pelo custo, não o é certamente) .

Não pactuamos é com a demagogia pura e dura, com a incompetência , com o atraso e com o aumento exponencial dos custos da obra.


O que atrás foi dito, não quer dizer também que defendamos o percurso escolhido, a forma como a obra foi executada , os entraves criados à obra , as acções de propaganda com Governo e autarcas a reboque e a fuga tipica para a frente.

Nessa fuga demagógica para a frente não se reconheceram erros, mas promete-se (porventura com os mesmos erros...) já o Metro até à Costa de Caparica e Barreiro . O que não deixa de ser curioso é ver que a fundamental extenção até ao Barreiro servindo Amora e Seixal (que ficam de fora nesta fase) que fazia parte do projecto inicial é agora uma "possibilidade" . Até se compreende, sendo Alfredo Monteiro tão exigente quanto à qualidade da obra... e agora até está entretido com o hospital...


No meio de tudo isto continua por justificar os setenta milhões a mais que vão saír dos cofres do Estado (para o buraco nascido neste primeira fase) quantia sensivelmente igual ás ajudas comunitárias para todo o projecto.
A desculpa oficial afinal é agora (fonte Diário digital) :


"O ministro das Obras Públicas justificou o atraso de 16 meses na inauguração do primeiro troço do Metro Sul do Tejo com um diferendo entre o Governo PSD/CDS-PP e a Câmara Municipal de Almada, que foi herdado pelo Executivo socialista."

Todos gostaríamos de saber se tal é de facto verdade.
Se a culpa é dos anteriores Governos PSD/CDS. E já agora, de qual deles, quais os ministros responsáveis por um desfalque de 70 milhões de euros no erário público (?).

Aguarda-se agora a posição do PSD, nomeadamente do deputado Luís Rodrigues, sobre esta grave acusação, uma vez que trouxe além de um enorme transtorno para a população um acréscimo nos custos de 70 milhões de euros.

Na semana passada, aversão era outra. A propósito de mais um "Forum" , a Concessionária assumia como sua, a culpa da derrapagem financeira do projecto ... Agora o que é curioso é que na desculpa oficial (agora dada pelo ministro) a Câmara de Almada continua a não fica incólume, apesar da tentativa de branqueamento da sua responsabilidade...

Queremos saber qual o peso e a responsabilidade da Câmara de Almada nesse diferendo, se a Câmara tinha razão nesse diferendo, se tinha o governo, se tinham ambos razão ou se nenhum deles...(veja aqui (clicar) - Triângulo da Ramalha - outra versão "oficial" dos mesmos acontecimentos).


O que se passa aqui, mais uma vez é que o custo da obra ficou ilegítimamente agravado em mais 70 milhões de euros ( com multas, transformadas em indemnizações...) e não se pretende apontar os culpados ou explicar para onde foi o dinheiro, sendo desta forma , até de duvidar que tenha servido para fins legítimos.

A suspeição de que setenta milhões de euros (ou parte) tenham sido desviados para outros fins é por parte dos cidadãos legítima de ser posta , ficando no meio de tudo isto os politicos de serviço , de autarcas a ministros e por sua única responsabilidade, muito mal no retrato!

11 comentários:

almadense disse...

Parece-me a , que não se pode criticar a Câmara, afirmando que ela não defende os interesses dos municipes e depois critica-la, pelas consequências dessa defesa.

O autismo do poder acarreta custos acrescidos, assim com as greves, com milhares de lutas; bloqueios de estrada, fecho de escolas...etc. duro, mas não há outra forma, quando nos deparamos com autistas no poder.

A Câmara de Almada foi intransigente na defesa de Almada e da população contra governos autoritários de direita, o atraso foi um custo que as populações não se importam de pagar.

ex-militante disse...

O que tem o PCP a dizer isto (senhores Paulo Silva, João Afonso, Nuno Cavaco, verador Jorge Silva...?) é que anda para aí a denunciar injustiças e esta é uma delas, então não há dinheiro para o hospital e nada dizem a 70M de indemnização a uma empresa que devia era pagar uma multa?

Filipe de Arede Nunes disse...

Os governos autoritários de direita!
Comentar o quê, face as estas palavras?!
É preciso apurar as razões pelas quais se verificaram os atrasos nas obras. Quem foi o responsável, ou os responsáveis? Foi a concessionária, o governo, a CM de Almada?
São de 70 milhões de euros que estamos a falar! Dinheiro dos nossos impostos!
É fundamental não abandonar este tema enquanto não se apurarem as obrigatórias responsabilidades.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

pica-pica disse...

O Ponto Verde é um seguidista dos governos que têm sucessivamente mostrado aos portugueses que as derrapagens são o core business das suas políticas desastrosas que têm sempre como resultado o maior buraco financeiro de que há memória em Portugal.

ex-militante muito desiludido disse...

Picapau ou pica-miolos, parece que esses já foram todos, o pontoverde tem aqui criticado as derrapagens, o PCP é que não se pronuncia, afinal , os "seguidistas" são os que criticam e põem em causa ou os que nada dizem e beneficiam do sistema?

só para desanuviar... disse...

O Ministro Lino afirmou, no sábado, que a taxa de utilização do MST subiu 40%...

Portanto passou de uma média de 4 passageiros por composição para...6 passageiros por composição.

A coisa vai...

Mário da Silva disse...

"O ministro das Obras Públicas justificou o atraso de 16 meses na inauguração do primeiro troço do Metro Sul do Tejo com um diferendo entre o Governo PSD/CDS-PP e a Câmara Municipal de Almada, que foi herdado pelo Executivo socialista."



DOIS ANOS E MEIO DEPOIS AINDA É CULPA DO PSD/CDS-PP. Chiça que é preciso mesmo muitíssima lata.

E porque não culpa do Salazar?

Quando a verdade dói! disse...

Porque é que é lata? a verdade é essa mesmo durante o executivo PP/PSD nem no Metro nem no Pólis se viu ponta de obra. E efectivamente ainda se conseguiu recuperar algum tempo a partir daí.

Cambada de incompetentes laranjas que andaram por aí. Clube de amigos e santanetes. Este Governo pode não ser melhor mas ao menos há obra feita.

anónimo laranja disse...

"Fazer obra" com o dinheiro dos contribuintes, sejam eles europeus (é essa a origem doa fundos da Comunidade) sejam nacionais (os nossos impostos) é fácil, mas requer rigor e parcimónia.

Anónimo disse...

O anónimo laranja quer fazer obra com o dinheiro de quem? Dos capitalistas? Com os lucros dos bancos, das seguradoras e do capital especulativo da Bolsa de Valores? Isso era bom, olá se era!

Agora que a verdade dói, isso dói. Pelo menos a alguns. E o facto é esse mesmo: durante os governos PSD/CDS-PP (foram dois, lembram-se? São de má memória, mas acho que dá para lembrar, e é bom que nos lembremos todos ...), nem Metro nem Polis da Costa da Caparica mexeram uma palha que fosse. Ainda me lembro de ver publicados textos verdadeiramente "surpreendentes" do Presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica, por acaso também ele do PSD, contra o seu próprio Governo por causa do Polis. Se me lembro ...

torero disse...

É com o dinheiro do Santander TóTó, que é o banco preferido do Pontoverde delirante com as suas espanholices, disposto a mudar até de bandeira a qualquer preço. É um TóTó.