quarta-feira, dezembro 05, 2007

A ETAR PISCICOLA DE CORROIOS UM CRIME AMBIENTAL E DE SAÚDE PUBLICA



No seguimento dos post's anteriores e indo para além da protecção ambiental , para a salvaguarda da saúde publica é preocupante acompanhar o que se passa com a piscicultura de Corroios e o pouco cuidado com que o ambiente e os cidadãos estão a ser salvaguardados.


Uma ETAR é uma Estação de Tratamento de Águas Residuais, trata ESGOTO? E que tipo de efluentes ? Supostamente os domésticos das zonas vizinhas, mas também das pequenas industrias a por exemplo multiplas pequenas oficinas, até de reparação automóvel que despejam ainda óleos usados directamente para as sargetas.

Há que contar também com as águas pluviais que arrastam inúmeros poluentes de uma zona densamente povoada como é toda a bacia de Corroios (desde a Sobreda) , e toda a encosta desde a Quinta do Brasileiro ao Miratejo e que vão desaguar sem tratamento na quela zona de sapal (embora haja quem seja a favor destas combinação esgoto/piscicultura).

Há que contar também com o acumulado de poluentes e metais pesados ao longo de várias décadas e considerar que laboram ali, a centenas de metros, vários estaleiros de reparação naval...

Ora, é no meio de todo este cocktail de poluentes que a Direcção Geral de Agricultura, a CCR de Lisboa e Vale do Tejo e a autarquia do Seixal pretendem autorizar a laboração de uma piscicultura . Destas três entidades, a única que tem mantido reservas á laboração tem sido a Câmara do Seixal, mas por questões formais e de poder, e não por pretender salvaguardar o sapal ou as populações que vão consumir pescado produzido naquele local!

Os argumentos aqui citados ontem são preocupantes , as fragilidades e a ilegalidade do projecto só são comparáveis em grau de escandaleira, com o branqueamento que se está a fazer de tudo isto, bem como o silêncio nos meios de comunicação, o que leva a ser premente uma questão aqui posta ontem por um leitor, passo a citar:

«Não percebo como é que os danos ambientais de repôr a zona como estava originalmente podem ser maiores que os causados ao deixar em laboração uma produção agropecuária (que é o que uma piscicultura se trata).

Não se vão dar concentrados proteicos aos peixes, nem antibióticos ou outros promotores de crescimento, nem os tanques vão produzir efleuntes?

Tudo isto e tudo o resto envolvido numa piscicultura tem menos impacto no sapal que abrir os canais e deixar as marés fluir outra vez para dentro daqueles hectares?

Ah, e só mais uma coisa: os peixes alí criados vão ter "denominação de origem", como seria suposto? Eu acho que seria do interesse do consumidor saber que o produto é "made in seixal" - o interesse é o mesmo de saber se consumo vegetais "made in estarreja", por exemplo.»

E agora acrescento também , se alguém está a monitorizar os sedimentos de décadas (onde se incluem DDT's e produtos hoje proíbidos, tais como os usados na reparação naval e causadores da extinção das ostras naquele local ?) de poluentes revoltos e dissolvidos de novo na água da piscicultura e se vai haver uma monitorização em tempo real das águas despejadas pela ETAR e se em caso de avaria ou acidente da ETAR há um mecanismo de contingência para salvaguardar a piscicultura ?

O que espera a Câmara do Seixal para explicar tudo isto á população ? E porque sendo uma obra autorizada pelo "Poder Central" lesiva do concelho e dos cidadãos, não denuncia nem actua?

Ah já sei, será por causa da estrada?

10 comentários:

cidadao disse...

ISTO É QUE É SEIXAL SAUDÁVEL?

PERGUNTEM A ESTA SENHORA O QUE PENSA:

Dr Mirieme Ferreira
National Network Coordinator
Seixal Saudavel
Camara Municipal do Seixal Gabinete do Projecto Seixal Saudavel

Av. Dr. Arlindo Vicente no. 68 B
Torre da Marinha 2840-403 Seixal
Portugal
Tel: +351 21 227 6201
Fax: +351 21 227 6204
WWW: http://www.seixalsaudavel.com/

LinkTriangle

OU DENUNCIEM PARA:

Healthy Cities and Urban Governance, Centre for Urban Health

Mailing address:
Scherfigsvej 8
DK-2100 Copenhagen Ø
Denmark

Fax: +45 39 17 18 60
E-mail: infowhohcp@euro.who.int

ex-militante disse...

Seixal Saudável é uma invenção europeia da Câmara do Seixal e do PCP. Uma manobra de diversão e razão de alguns passeios.

maranhão disse...

Isso é possível aí na Europa ? Se fosse aqui no Brasil diziam que era terceiro mundo, mas vejo que aí no primeiro mundo a sacanagem ainda é bem pior.

Filipe de Arede Nunes disse...

A JSD Seixal tomará em breve posição publica sobre este assunto.
Não queremos tratar com leviendade esta matéria, e enquanto este assunto não for levado a sessão de Câmara e posteriormente à Assembleia Municipal, tem de continuar a haver esperança.
Em meu nome, desde já manifesto preocupação com o que se prepara para fazer. Os argumentos apresentados pelos Vereador responsável por este pelouro merecem reflexão - pelo menos da parte do Vereador.
Aproveito ainda para dizer, que a JSD Seixal tomou já posição publica - no inicio de Setembro - relativamente aos esgotos não tratados - que no Seixal são 60%, segundo dados do INE.
Não vimos da sociedade civil demonstração da preocupação que considerávamos premente, relativamente a este assunto, mas o mesmo, teve honras de 1.ª página no Boletim Municipal e extensa propaganda sobre o assunto.
Convido o Ponto Verde a reflectir sobre a temática dessa nossa campanha.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

EMALMADA disse...

Eles, esses autarcas oportunistas e associados de irresponsabilidade ilimitada, bem tentam distrair o pessoal com afirmações e lindas palavras debitadas suposatmente como se fossem acérrimos defensores do ambiente e da qualidade de vida dos cidadãos, mas isso é só para distrair os menos atentos e para melhor fazerem todo o seu jogo sujo.
São primorosos actores em farsa e comédias "bem representadas".

Luis Eme disse...

Mas uma situação completamente degradante para esta Margem Sul, onde vivemos.

WWW.JSDSEIXAL.COM disse...

AFINAL QUEM ANDA A VANDALIZAR O CONCELHO??!?! AFINAL QUEM É QUE É VANDALIZADO?!?!?!?!

VEJAM TUDO EM:

WWW.JUVENTUDESEIXAL.BLOGSPOT.COM

WWW.JSDSEIXAL.COM/BLOG

NBB disse...

Malta, Posso deixar uma sugestão e um comentário. A sugestão é que obriguem à análise dos sedimentos mas não só à superfície, porque nas obras de construção vai ser necessário aprofundar as escavações e de certeza que em profundidade os níveis de metais pesados são muito maiores que á superfície, onde lhes dá jeito fazer as análises. O comentário é que há malta de concelhos vizinhos, digníssimos professores universitários que se dizem especialistas a suportar decisões na área do ambiente, mas o que fazem profissionalmente e até são conhecidos por isso, (e às vezes mal), é desenhar casas forradas a tijolo vermelho. São pessoas destas os responsáveis por se autorizarem coisas destas e mais construção em zonas de REDE NATURA 2000, REN e RAN, mesmo no concelho do seixal.

Anónimo disse...

Para sugerir dois links... um absolutamente surreal e leitura divertida sobre os projectos do PCP para a Peninsula de Setúbal nas legislativas de 2005 (e que engraçado que é ver o que as autarquias do mesmo partido fazem na realidade) http://pcpcorroios.no.sapo.pt/noticias/CDUcompromissoSetubal.pdf

Um outro link para um produto que apesar de caro, não existir em Portugal, e fruto do país do imperialismo, é uma excelente solução para fazer compostagem em casa. Divulgue-se, pode ser que alguém queira ir buscar a representação para Portugal - não peço comissão pela dica :).

http://www.naturemill.com/

Anónimo disse...

Espero que todos os intervenientes que aqui se expressam contra a piscicultura no Sapal de Corroios e que (e bem!) se indignam como é que é possível colocar a possibilidade de existir uma piscultura implementada junto ao local de descarga da ETAR de Miratejo, compareçam na sessão pública que irá decorrer amanhã, dia 7 de Dezembro pelas 21h no clube recreativo de Miratejo para ouvir a posição da CMS e com certeza ouvir as explicações das entidades gestoras daquela infra-estrutura sobre as obras de beneficiação da mesma.
Já agora, peço que subscrevam a petição que se encontra online contra a implementação da piscultura no sapal de Corroios. Vamos dar o nosso pequeno contributo para salvaguardar o que o Seixal ainda tem de natural...
Obrigado
Ana S.