quarta-feira, dezembro 17, 2008

O METRO , A POPOTA , CICLOVIAS , A LEOPOLDINA , O PCP , O PAI NATAL...


A propaganda politica cada vez se assemelha mais ao marketing em atecipação das cadeias de hipermercados que anunciam por exemplo, o regresso ás aulas em pleno mês de Agosto ou o Natal em Outubro.

Como ontem aqui escrevemos, inaugurada a extensão do Metro Sul do Tejo até Cacilhas - com um atraso de três anos em rela
ção ao contratado - nada melhor do que , anunciar o próximo objectivo , a chegada ao Seixal (que aplaudo) ... mas mais uma vez sem discutir os erros do que até agora foi feito, ou que se clarifique o percurso , já tomado no Seixal como definitivo...

A extensão ao Seixal do MST - projecto Comunitário e do Estado Português - está já a servir de propaganda eleitoral , quando a CDU anuncia ... FINALMENTE !!! Depois de trinta e tal anos no poder... uma rede de ciclovias assente , precisamente...não no trabalho ou iniciativa da autarquia que não construíu um unico metro de ciclovia desde 1975 , mas na obra do Metro Sul do Tejo.

Relembre-se que a ciclovia na Baía lado Seixal foi construída assente num projecto imobiliário pelo Grupo A.Silva & Silva e lado Amora pelo Grupo de Retalho Leclerc e que os outros três quilómetros construídos no concelho do Seixal foram-no em Corroios , pelo MTS , e inseridos na via do metro.


No Seixal, parece assim , e com a ajuda de obra feita do poder central e de privados , ter aberto a hiper-campanha das promessas eleitorais com a promessa de uma (muito bem-vinda ) rede de ciclovias .

Penso que o a-sul com o seu trabalho sobre o tema, tenha servido e sensibilizado os autarcas para mudar a opinião sobre o uso da bicicleta no concelho basta ver alguns comentários deixados nos posts em link, neste texto .

Mas em politica e na Margem Sul , bem sabemos que da promessa... à verdade há uma longa distância , lembro a promessa de duzentos e vinte e três quilómetros de vias cicláveis prometidas pela Câmara de Almada em vésperas das últimas elei
ções autárquicas...ou outras que foram tema em anteriores posts...

6 comentários:

Anónimo disse...

90 Km de ciclovias no Seixal ? Mas ainda acreditam no Pai Natal?

ex-militante disse...

Caros amigos, há um cartaz novo em Pinhal dos Frades anunciando mais um parque, no sítio onde já existiu um e esteve prometido outro . Isto não trará água no bico ?

Anónimo disse...

Deves pensar que alguém na Câmara lê este pasquim que não passa de um chorillho de mentiras e mal dizer sobre gente honesta e dedicada.

Jorge Pietta disse...

Este ultimo é de chorar... já não me aguento de tanto rir.

Anónimo disse...

Para o anónimo do pasquim:

E porque não há-de alguém na Câmara ler este "pasquim"? Afinal de contas você leu, quererá ter o direito exclusivo?

Anónimo disse...

DATA: 2008-12-19

ACTO: Anúncio de procedimento n.º 867/2008

D.R. n.º 245 Série II

EMISSOR: Câmara Municipal de Almada


1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE
Designação da entidade adjudicante: Municipio de Almada/Câmara Municipal
Endereço: Largo Luis de Camões
Código postal: 2800 158
Localidade: Almada
Endereço Electrónico: dep.obras@cma.m-almada.pt

2 - OBJECTO DO CONTRATO
Designação do contrato: Execução do Parque de estacionamento e Praça do Laranjeiro
Descrição sucinta do objecto do contrato: A empreitada tem por objecto a realização de todos os trabalhos de "Execução do Parque de Estacionamento e Praça do Laranjeiro)" que estão definidos, quanto à sua espécie, quantidades e condições técnicas de execução, no projecto de execução e neste caderno de encargos.
O Parque em apreço situa-se entre as Ruas Conde Castelo Melhor, D. Manuel I e Jaime Amorim Ferreira, todas situadas na freguesia do Laranjeiro, em Almada.
Para implantação do projecto será necessário proceder à demolição de algumas construções: Edifício do mercado do Laranjeiro, muros periféricos em betão e pavimentos exteriores.
O Parque de Estacionamento a construir, define em planta, uma geometria rectangular, aproximadamente, 55,00x45,00 m.
A solução estrutural adoptada é em betão armado, com lages maciças e fungiformes, apoiadas em pilares, núcleos e na periferia nos muros de contenção com recurso à metodologia "Berlim".
As fundações são directas, constituídas por sapatas.
O acesso de veículos é efectuado através de uma rampa de sentido único com acesso directo na Rua D. Manuel I, mas com acessibilidade nos dois sentidos, munida de semaforização.
Tem capacidade prevista de 155 lugares de estacionamento, distribuídos por dois pisos subterrâneos.

http://www.dre.pt/pdfdiacp/2008/12/245/401106551.pdf