domingo, dezembro 21, 2008

ALMADA CENTRO - "OS PERSEGUIDOS"


O Centro de Almada , contráriamente à propaganda (700 mil euros) é um centro deserto , não fossem as escolas Externato Frei Luiz de Sousa e Emídio Navarro e diriamos estar numa daquelas aldeias perdidas numa serra do interior , onde não nasce uma criança há mais de trinta anos e onde as restantes adultos em idade activa emigraram para outras paragens.

O Centro de Almada é um centro morto, de lojas fechadas , gente perdida no meio da nova encenação do que pretende ser uma "zona pedonal" .
É patética a "animação" contratada para disfarçar a nudez e o inóspito do espaço .


A realidade é a que está espelhada acima, mas se isso não bastasse , o centro de Almada é a zona escolhida para a actuação das brigadas ECALMA, os vigilantes e correctores dos transgressores , aqueles que ajudam a manter ainda vivo o centro da cidade , as grandes vítimas desses vigilantes são os pais dos alunos do Externato Frei Luís de Sousa , perseguidos ao levar os seus filhos ao colégio que há mais de meio século ali existe , e os que mantêm o comércio sobrevivente , vivo , ou seja os fornecedores e prestadores de serviços a esses estabelecimentos.

Os potenciais clientes esses não têm que aturar essas dificuldades criadas pela autarquia e há muito que optam pelo Almada Forum , onde têm estacionamento ... até gratuíto e onde aos fornecedores...não acontece como aqueles retratados na imagem , quem lhes manda ainda se atreverem em fornecer e trabalhar para lojas do Centro Morto de Almada com todos os inconvenientes que isso representa ?

4 comentários:

Anónimo disse...

De Almada fugir a sete pés.

Câmara municipal e oposição juntaram-se para explorar o cidadão, Almada.

Almada vive uma patologia política fatal para a democracia local.

Os partidos PS e PSD entregaram-se localmente nos braços da MES para ter os comunistas controlados.
Deram aos comunistas uma "unidade de exploração" para eles se entreterem, enquanto alguns militantes PS e PSD vão tratando da vida e tirando proveito dos negócios que fazem sob a supervisão da MES.

Esperem que vai surgir uma traplhada com a candidatura de um desses partido à Câmara.
Fala-se de um militantes muito interessado em negócios de uma empresa muito elogiada pela MES.
Que se espera de oposição desta!

Piores dias virão a partir de 2 de Janeiro para o comércio local e para Almada.
Não tenham os comerciantes ilusões.

Anónimo disse...

Ontem no Jornal da Região revelados acidentes provocados pelo metro em Almada.

Desambientado disse...

Por obséquio,
Faça um presépio,
Tenha um Natal,
De amor fraternal.
Mantenha os petizes,
Cobertos de amor,
Protegidos, felizes,
Sem eleição de cor.

Nesse seu presépio,
Deite o seu menino
No aurículo ou ventrículo
Do seu coração.
Um Natal a sério,
Também é um hino,
Ou um bom estímulo,
À fraternal comunhão.

Votos de que neste Natal o egocentrismo entre em crise e que haja uma pandemia de saúde.

Gualter disse...

Eu não vejo porque é que os pais que levam as crianças ao Frei Luis de Sousa não devem ser multados da mesma forma que outros transgressores. Sou morador de Almada e fico chocado com o excesso de autorizações que são dados para a zona pedonal, sendo que a maioria destas vai precisamente para os pais das crianças e jovens do Externato Frei Luis de Sousa.

Como muito bem foi referido no artigo anterior, a zona pedonal de Almada, é provavelmente a zona pedonal com mais carros de todo o mundo. Então, como pode o autor do blogue agora estar contra a autuação daqueles que estacionam de qualquer forma no interior da zona pedonal? Pior, que quase sempre circulam a mais de 10 km/h, limite de velocidade que todos devem respeitar.

Eu sinceramente não percebo qual é a lógica de ter que recolher crianças e jovens ao portão do externato. Tanto se fala de educação ambiental nas escolas, para depois lá estarem os pais a dar um excelente exemplo. As crianças não podem apanhar frio, não podem utilizar os transportes públicos. Não podem andar 50 metros até à entrada da zona pedonal. Não, os pais dos meninos e meninas do externato têm que ter uma autorização especial, pois os seus jeeps são mais importantes que todos os peões que circulam na zona pedonal de Almada (afinal, para que serve um todo-o-terreno quando lhe é impedido o acesso a zonas privilegiadas da cidade?).

Por isso, se há coisa em que apoio a fiscalização, é precisamente sobre os automóveis. Porque eu sou dos que circulam na zona pedonal, em toda a sua extensão, e a minha integridade física, já para não falar do meu direito a ter uma zona sem carros, é posta em causa por essas pessoas que querem ser especiais e não querem recolher os seus filhos nas traseiras do externato (onde há um portão de acesso fora da zona pedonal!)