segunda-feira, dezembro 08, 2008

ALAMEDA EMILIANA (2)

Recebemos do leitor ozé , residente no local, o seguinte comentário sobre a "Nova Praça da Portela" anunciada pela CM de Almada , para o Laranjeiro (acima o local tal como é hoje) que passamos a citar:



Eu gostava de dizer que:

1) moro na Praça da Portela desde 2002;

2) Em 2002, na Praça da Portela, havia um parque alcatroado, e duas casas antigas, dos tempos em que o Laranjeiro era um conjunto de quintas. Até havia umas árvores raquíticas e tudo nos respectivos quintais;

3) de 2002 a 2004, certamente em nome do pUgrésso, o alcatroamento foi reirado, e demolidas as casas;

3) Por volta de 2005 o alcatrão foi reposto. Até foram marcados os lugares de parqueamento no mesmo. Julguei que era de facto sinal de pUgrésso;

4) Julgo que ainda em 2005 ou inícios de 2006 o alcatrão foi novamente retirado e dispostas umas camadas de betonilha que há muito desapareceu;

5) entretanto naquela zona são regularmente abertas valas para colocação de tubagens ou reparações, que nunca são devidamente repavimentadas;

6) Mau grado o estado lastimoso, degradado e degradante daquela área, a zona encontra-se sempre sobrelotada de viaturas;

7) apenas num dos lados da Praça da Portela existem mais de 90 fogos de habitação, fora os negócios instalados na zona, onde trabalham dezenas de pessoas. Naturalmente, a esse 90 fogos corresponderão, pelo menos, a 60 viaturas (podem ir ao google maps ver a fotografia aérea da Praça da Portela, e por passatempo contar os carros estacionados, num dia particularmente pouco lotado, as coordenadas são: 38°39'24.34"N 9° 9'14.44"W);


Posto isto, após ver, durante seis anos, a zona adjacente à habitação que adquirí ser alvo de intervenções que degradaram e desvalorizam o meu espaço habitacional, sou informado que esta zona será transformada numa plataforma calcetada, com 26, (vinte-e-seis!!!) lugares de estacionamento, que servem o objectivo de servir de "importante papel dissuasor relativamente à utilização do automóvel privado". 26 lugares, 2800 metros quadrados de calçada que se forem tão bem mantidos como os passeios de calçada da Praça da Portela, vão ser um mimo. Ah, e um repuxo.

Relativamente a tudo isto, gostaria de expressar os meus sinceros e profundamente sentidos desejos de que os urbanistas (se os houve), arquitetos paisagistas (se os houve), engenheiros de tráfego urbano (se os houve), sociólogos (se os houve), economistas e gestores (se os houve) e sobretudo, os labregos gananciosos a pensar nos lucros do estacionamento concessionado (que os houve de certeza) parideiros desta ideia, contraiam todos uma doença de pele dolorosa, estigmatizante, crónica e que faça crostas purulentas por baixo das unhas dos pés. Assim, tipo lepra. É do fundo do coração, sinceramente.

Ah, e feliz Natal!

8 comentários:

Anónimo disse...

A cidade faz-se com as pessoas, não contra as pessoas. Este é mais um exemplo do fascismo vermelho reinante em Almada.

Anónimo disse...

Muito bem dito "FASCISMO VERMELHO"

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

O Vereador Samuel merece o respeito dos municipes do Seixal pelo excelente trabalho que tem feito e pela sua competência. Espero tê-lo como candidato a Presidente da Câmara do Seixal. Seria muito bom para a população que nas próximas eleições houvesse candidatos com a competência do Dr. Samuel Cruz.

Ponto Verde disse...

Foi retirado um comentário posto ás 2.58 pm, em que de forma descontextualizada em relacão ao tema do post, se aproveitava para atingir a vida pessoal do vereador Samuel Cruz.

O Sr Vereador tem o seu próprio blog, pelo que se o pretendem atigir no seu bom nome podem-no fazer directamente e não utilizando o a-sul.

Aconselho o autor a aprender a ler e a não induzir outros em erro relativamente á familia do Dr.Samuel Cruz atribuindo-lhe factos narrados por interposta pessoa na letra do autor de um texto que entendeu publicar, revelando a sua autoria.

A linha editorial do blogue Rumo a Bombordo é da exclusiva responsabilidade dos seuas autores .

Anónimo disse...

O Ponto Verde deve ter algum problema de identidade, ou de capacidade de afirmação da sua identidade. A qualtidade de vezes que precisa de se "armar em vítima" e em "coitadinho" é verdadeiramente impressionante!

Deixe-se lá de perorar sobre o que os outros são ou deixam de ser, e tente afirmar antes as suas próprias convicções, Ponto Verde. É mais positivo se o fizer. Assim, enquanto se continuar a vitimizar, não vai a lado nenhum ...

Se calhar é por esta razão mesma que precisa de recorrer a tanta demagogia, mentira e mistificação no blog que é o seu próprio, e nos comentários que vai deixando nos dos outros. Se calhar não, é mesmo essa a razão.

bento gonçalves disse...

Estas criticas não devem ser feitas fora dos concelhos onde se referem. Devem ser feitas em locais próprios e não na praça pública.
Fazê-lo a coberto do anonimato e em blogues é uma cobardia .
Estas criticas não são legitimas nem certamente verdadeiras.

Anónimo disse...

Há os que em nome da democracia vão enganando o povo porque se consideram proprietários da verdade.
Quem não acredita nestes profetas e os critica é apontado não estando no "bom caminho".
Eu "anónimo cidadão) (mas com nome próprio) me confesso que não estou nesse "bom caminho" do autismo e da verdade única, da mentira e da ilusão da democracia representativa.

Sou assim, por defeito e "deformação" congénita,mas por fomação ético-social nunca fui oportunista, lambe botas, nem nunca precisei de me meter na política, nem nunca precisei de me governar à conta, nem me montar às cavalitas dos excluídos, dos ditos menos bafejados pela sorte, dos carentes, dos pobres.
De entre os designados políticos, sim designados, porque ser político honesto enobrece o cidadão, há uns quantos que só aí estão devido à revolução de 25 de Abril de 1974.
Foram os oportunistas aventureiros políticos que invocam frequentemente o povo, os trabalhadores etc etc para se safarem e governarem e protegerem amigos e correligionários.

O exercício da política é a única actividade na função pública que em Portugal não é exigida habilitação, curso ou competência, apresentação de curriculum , nem certificado de registo criminal.

O povo diz e com alguma razão que para ser político é preciso ser aldrabão ou pelo menos não ser honesto.
O povo é sábio, exacto, esse povo a que os falsos e medíocres polítiocs fazem promessas e não cumprem depois.

Um político em Portugal é considerado bom se estiver muitos anos no poder seja ele governo ou autarquia e, não pelo trabalho realizado, pelo cumprimento das suas promessas eleitorais e por exercer a política na defesa do colectivo.

Bom político em Portugal é o ilusionista, o equilibrista, o "troca-tintas" "o circense", com devido respeito aos artistas do Circo que as crianças gostam.
Estamos fartos de aldrabões e malandros na vida política portuguesa, seja autarquias ou governo.

Não fosse o 25 de Abril e o oportunismo desses tais, nunca esses tais estariam na política.
Tenham vergonha e respeitem os cidadã0s.
Vocês não prestam. Até nos vossos empregos talvez fossem medíocres ou mesmo maus empregados ou trabalhadores.

Outros de vós só na politica do compadrio á conta do erário público conseguem emprego.
No privado ninguém os queria.
Agora com o voto caciqueiro, obtido com promessas não cumpridas, viraram honestos, super competentes e arranjadores de empregos para a família e amigos da corte eleitoral.

Tenham vergonha, retirem-se.
Só precisamos de gente honesta e vocês não têm cabimento na honestidade.

Valeu.