quarta-feira, julho 26, 2006

OS PDM DE SEGUNDA BETONIZAÇÃO

















Conter o Betão em Lisboa onde o PCP nada ganha, mas densificá-lo onde estão em maioria e onde são proprietários, parece ser o lema da CDU, perdão, do PCP...

A primeira geração dos Planos Directores Municipais baseou-se na fantasia, ou no nivelar por cima, não se vá dar o caso dos nossos amigos Patos Bravo não terem onde "criar riqueza", e assim se fizeram Planos Directores Municipal que na sua soma projectava a população portuguesa para valores de 50 milhões de residentes.

Em qualquer país onde os autarcas tivessem um nível de formação em urbanismo, um nada acima do serralheiro cívil, já se teria chegado à conclusão que se não estávamos à beira do precípicio, estáva-mos pelo menos à beira de uma falésia daquelas que ameaça ruir a cada momento uma vez que atingimos níveis de endividamento absolutamente incomportáveis e porque chegámos ao nivel de uma casa construída para cada dois portugueses...

Mas se se pensasse que a asneira, feita curiosamente com Cavaco Silva no poder foi resultado de uma impreparação entretanto corrigida, desenganemo-nos, a nova geraçãode PDM's que aí vem, ao invés de corrigir, pretende dilatar ainda mais as àreas de construção, exemplo disso é o já pré-apresentado PDM da Moita e a Carta de intenções do PDM do Seixal, no Seixal, como se não bastasse , houve por exemplo no Seixal, também alterações em sede de Plano de Pormenor contráriamente ás linhas directrizes do PDM eficaz, curiosamente para "fins sociais", no caso da Quinta da Cucena (terreno Industrial) e no caso sobejamente conhecido da Flor da Mata (terreno florestal).

A situação é de tal maneira grave que cinco associações ambientalistas da Área Metropolitana de Lisboa entre elas a QUERCUS, subscreveram um comunicado para o erro de lesa património que mais uma vez se está a cometer, antevendo-se concluindo que "uma verdadeira corrida ao betão, ganhando a Câmara que mais àrea de betão conseguir criar para gáudio de empreiteiros e especuladores"" Questões como a satisfação das necessidades dos munícipes ou de preservação da herança patrimonial e ambiental dos concelhos são, a esta luz, coisas bem pouco importantes"

Na margem Sul os Comunistas associados aos Verdes têm assim uma hipótese de muidar esta visão puramente economicista da gestão territorial e aplicar aquilo que é a sua luta nos municipios, óbviamente em que estão em minoria.

6 comentários:

maria disse...

Ai, ai, a hipócrisia CDU:

- onde não são poder é só teoria banha da cobra, casos de Valongo, que são contra os bairros, porque marginalizam os pobres e Lisboa onde querem conter o betão.

- onde são poder a prática é construir bairros, onde isolam e excluem os pobres e massificar o betão, casos da margem sul.

Que Deus nos acuda

alvaro disse...

Um partido, 2 políticas.

Fácil é apregoar, agora fazer o que se apregoa...

A cassete é conhecida: abundância, liberdade, democracia e igualdade. Na prática que vimos nos países de leste? miséria, servidão, ditadura e sociedades inigualitárias.

Estes ainda vão enganando 1/4 do zé povinho, na margem sul. Até quando?

Anónimo disse...

Seixal promove férias para crianças com deficiência


“Envolver crianças portadoras de deficiência motora em actividades lúdicas, durante uma semana, que decorre entre 25 e 29 de Julho”, é o objectivo da colónia de férias ‘Seixal bem me quer’. As actividades passam por uma visita ao Jardim Zoológico, uma ida à Piscina de Vendas Novas, cinema, entre outras. A vereadora da Acção Social da Câmara Municipal do Seixal, Corália Loureiro, explica ainda que “esta semana vai proporcionar a estas crianças convívio e oportunidades que não teriam nas suas famílias devido às suas situações económicas”.




O nome ‘Seixal bem me quer’ está relacionado com a viatura adaptada ‘Bem me quer’, que transporta crianças com deficiência motora às escolas, visto que sem esta viatura tal deslocação seria impossível para muitas. Esta colónia conta assim com o “apoio deste transporte para as levar para as diversas actividades”.



A iniciativa, que surgiu em 2005, é organizada pela Câmara Municipal do Seixal, que disponibiliza a viatura, alimentação e monitores para ajudarem as crianças. Na altura já existia a colónia de férias ‘Vai e vem’, mas “considerou-se a hipótese de organizar um espaço diferente para acolher as crianças com esta problemática”, e assim surgiu a ‘Seixal bem me quer’.



Na colónia ‘Seixal bem me quer’ vão participar sete jovens que têm uma deficiência motora e que residem no concelho, referenciados pela Acção Social, escolas, entre outros, e que “irão ter a possibilidade de participar numa grande diversidade de actividades, e desta forma desfrutar de umas férias diferentes”, conclui a vereadora Corália Loureiro.



Susana do Canto - 25-07-2006 20:49

Anónimo disse...

Coitada da autarquia, á falta de meios de propaganda faz uma perninha aqui no a-sul

Mário disse...

«Na margem Sul os Comunistas associados aos Verdes têm assim uma hipótese de muidar esta visão puramente economicista da gestão territorial e aplicar aquilo que é a sua luta nos municipios, óbviamente em que estão em minoria.»

Quando alguém fala em visão economicismo é porque não faz a mínima ideia do que está a dizer mas não resistiu aos chavões ideológicos.

Se há coisa que ignorada na política, da esquerda à direita, é exactamente a Economia. Mesmo as lições mais simples, que se aprendem nas primeiras semanas de qualquer curso universitário de economia são ignoradas deliberadamente por qualquer político porque não são intuitivas.

Dizer coisas como as pessoas são mais importante que a economia, é o mesmo que dizer que as pessoas são mais importantes que a lei da gravidade. Aliás, até é pior, porque a economia é feita das acções cotidianas das pessoas comuns. Ao contrário do que pensa o senso comum, o estudo da economia não se preocupa muito com as decisões dos "grandes".

Ponto Verde disse...

Caro Mário tem toda a razão, não era um "chavão" , era tão só ironia... abraço.