segunda-feira, março 19, 2007

SÃO ESTES POLITICOS DE CONFIANÇA? (2)
































Acima, a àrea e o projecto polémico! Ainda não se conseguiu compreender se o BE está de acordo com o projecto ou não, espera-se pelas imagens que o senhor Arruda compreenda qualquer coisa, pelo menos da localização. Desconhece-se também se o BE está de acordo com as questões processuais que o envolvem e os negócios por detrás...Uma coisa é certa, para o BE, os cidadãos que têm defendido aquele terreno da especulação imobiliária são "xenófobos e racistas".

Continuando a desmontar a mentira com que os líderes do Bloco de Esquerda no Seixal pretendem envolver, quer este blogue, quer o Movimento Cívico de Pinhal dos Frades - Flôr da Mata.
A seguir se transcrevem as acusações feitas por Daniel Arruda aos cidadãos envolvidos naquele Movimento Civico:


"...não vale a pena criar coisas onde não as há. Há vários argumentos para se ser contra aquele bairro que a CM Seixal pensa construir na Flor da Mata. A começar pelo facto de que aquela área é da rede Natura. Mas também se pode especular sobre a desafectação da área á rede Natura para construção da escola da polícia e do Hospital, o que tb me parece errado. Podemos também discordar daquele tipo de construção. Eu sou claramente contra os ghettos.Como vês argumentos há muitos.

Como é fácil deduzir destas palavras, eu era contra a construção ali ou em qualquer outro ponto do concelho de um bairro social naqueles moldes.

Mas acrescentei mais, pois eu não alinho com toda a gente só porque o objectivo é justo e neste caso as motivações, pelos vistos, não eram as mesmas que as minhas: Quem emite comunicados de cariz xenófobo e racista evocando o medo dos negros e ciganos, ainda que disfarçadamente não teria certamente o meu apoio. Quando se propõe outras localizações para ghettos não podia ser a minha luta."(Daniel Arruda in Troll Urbano)

Ainda não se conseguiu entender estas declarações de Daniel Arruda (Medo de uma candidatura no Seixal de um Movimento Cívico a dois anos de eleições?), por serem de tal forma desajustadas e desproporcionadas merecem da nossa parte o esforço cívico de trazer a verdade dos factos. Como se o acima escrito, não bastasse, alinhando pela bitola da CDU, do PCP e da Câmara do Seixal, Daniel Arruda segue a sua dissertação rumo ao disparate :

"
Mais, o interesse do Movimento de Cidadãos visava em grande escala a defesa do valor da sua propriedade e não tinha nada a ver com aquilo que o BE foi defender na Moita que é o interesse publico. Da propriedade pública.

"Não há uma ponta de ligação entre aquilo que está ali escrito e o que se passou na Moita, com excepção de uma que o A-Sul preferiu passar por cima: o facto de eu ter dito que aquilo não passava de uma manobra para desanexar aqueles terrenos, de modo a poder construir ao lado o Hospital e a Escola de Polícia. Como é fácil de ver também eu fiz a ligação com os interesses mais obscuros da Autarquia mas isso não interessava.

A mentira tem pernas curtas pelo que as "reacionarices" do A-Sul não me preocupam. Melhor faziam se dessem a cara e não escrevessem sob a capa de um qualquer anonimato. Ou será que têm medo de ser reconhecidos e apontadas as incoerências?"

Começando por nós, não se vislumbra diferença entre a necessidade controleira do PCP e este BE em querer apagar a intervenção civica dos blogues, a velha história do "anonimato", do "dar a cara"... a que mais gosto é a "reaccionarice" deliciosa... para quem não tem argumentos, nem inteligência para mais, depois de chamarem "xenófobas e racistas" às pessoas , não criticando uma Autarquia que contra a lei tem a atitude "xenófoba e racista" , ou não ? , mas certamente inconstitucional, de pretender construir um Bairro não para cidadãos , mas para "várias etnias", está tudo dito !

Depois , a localização, a valia que está atribuída a cada área e onde o senhor Arruda faz uma tremenda confusão, revelando não saber nada do que está a falar (espero que as imagens acima ajudem) :

"o facto de eu ter dito que aquilo não passava de uma manobra para desanexar aqueles terrenos, de modo a poder construir ao lado o Hospital e a Escola de Polícia. Como é fácil de ver também eu fiz a ligação com os interesses mais obscuros da Autarquia mas isso não interessava." - (??? mas que grand
e confusão!!!)

Quanto á comparação que o Senhor Arruda recusa com a Moita... bom, só não encontramos pontos de contacto se não quisemos, não é senhor Arruda?

-Então não sabe que o terreno da Flor da Mata é protegido no PDM?

-Então não sabe que essa protecção tem a ver com o interesse publico?

- Então não sabe das mais valias brutais que a autorização de construção vai gerar?

- Então não sabe o cambalacho atrás da Constução dita "social"? (consulte o processo na CMS e verá).

-Então não sabe que as mais valias beneficiam até ...partidos? Porventura o/s mesmo/s na Moita e no Seixal?

- Então não sabe que os cidadãos do Pinhal (xenófobos e racistas) pretendem a manutenção daquele espaço para usufruto de TODOS (idependentemente de sexo, credo, raça, orientação sexual...)

- Então não sabe que o terreno da Flor da Mata tem sobreiros protegidos, linhas de água REN..

E o maior equivoco que o senho Arruda pretende criar é a acusação de que no Seixal :


"... o interesse do Movimento de Cidadãos visava em grande escala a defesa do valor da sua propriedade e não tinha nada a ver com aquilo que o BE foi defender na Moita que é o interesse publico. Da propriedade pública."

"A defesa do valor da sua propriedade",
referindo-se certamente às quintas anexas, pois senhor Arruda o valor das suas propriedades seria muito maior se caísse a protecção ambiental do local (o que curiosamente , não desejam)... como parece pretender, pois que hectares de floresta rendem muito menos que hectares de betão...ou não estarei a ver bem senhor Arruda?

E não está a ser também totalmente verdadeiro quando afirma que no caso da Moita se tratava de "interesse publico. Da propriedade publica" - O Senhor Daniel Arruda está mesmo a mentir como sabe!

E, só para terminar, não é legitimo os cidadãos lutarem pela protecção do que é seu, da sua terra, do seu património natural ? Ora essa!!!

8 comentários:

Anónimo disse...

Um verdadeiro tiro no pé.

jjj disse...

O senhor Arruda quando jovem não passou pela UEC? Não andou a montar Festas do Avante? É que parece.

Anónimo disse...

Daniel Arruda no troll, em resposta a este post:
(...)não vou mais responder a esta gente (não vou ler comentários com Km) que não é capaz de dar a cara, mas quero agradecer a pulicidade que me fazem.

José disse...

Por acaso é verdade, ler comentários com km pode ser, de facto, aborrecido.

Leia lá este:
- "Corrupto..."

manuel disse...

Publicidade? Estes politicos têm com cada uma, cá para mim o que tenho lido das próprias palavras de Daniel Arruda é que é alguém para não confiar, respondendo à pargunta do título. Quando abre a boca o Arruda só se enterra, não há-de ele estar calado à espera que passe.

antónimo disse...

Não sei onde começa ou acaba a diferença entre o Caso da Flor da Mata e o da Moita, relativamente ao que Francisco Louçã, alertou como escândalo que é a manipulação de zonas sob protecção ambiental, a bel prazer de autarcas e da sua teia de influências, de forma a gerar mais valias de forma discriminada, e à custa do erário público se encherem os bolsos a individuos ou empresas.
No projecto da Flor da Mata, a Câmara Municipal do Seixal na tentativa de alterar a lei do solo, omitiu o IC-32, projecto nacional(vejam-se os mapas no artigo) que inviabiliza o Bairro social da Flor da Mata, quando à evidência se pode constatar que um projecto nacional que colide e se sobrepõe ao camarário.
Pois é....igualzinho ao outro...o erário público terá que pagar chorudas indemnizações aos amiguinhos!!!!
O BE só descobriu motivações rácistas e xenófobas no MC do Pinhal de Frades/ Flor da Mata!!!!!...., mas se tivesse um pouco mais tempo para se informar, e interessar-se pelos reais interesses das populações...talvez perdendo tempo em ler um pouco mais ????... descobririam na Contestação dos populares ao Proc. 2/m/2000 da CMS
2.5-Da Omissão de Obras Concorrentes e Simultâneas, pela CMS e CCDR LTV e a Validade dos Pareceres que suportam o Projecto de Urbanização .

a)Do Proc 2/M/00 a Fls. 215 Mapa com Rotunda de Distribuição de Tráfego da conjugação rodoviária do Anel dos acessos à IC-32(Nó das Laranjeiras),via E-378 no processo a CMS observa, “...caso o estudo seja aprovado e implementado serão contemplados neste pp as alterações necessárias à sua implementação.” e consta o esboço, desenhado sobre projecto de 2003 da IC-32, de planta conjugada do projecto da urbanização proposta/nó do IC-32-rotunda de distribuição de tráfego.(Vidé Pág.24)

Este documento não tem dados correlacionados no -Projecto Final-, e tem forma de inclusão avulsa.
Porquanto, parte da Rotunda está implantada no terreno objecto deste PP, e a via de saída para a E-378 está integralmente sobre o terreno.
No esboço é alterado o projecto quanto aos acessos rodoviários à urbanização – entrada e saída., com ligações directas à rotunda e via de ligação rotunda-E-378, e acresce uma nova saída(com destino incompleto), mas que corresponde ao caminho natural que liga aquele local à rua F.da Contenda-Pinhal de Frades, e corta longitudinalmente a Mata.

Ora,

-À rotunda e via projectadas pertencentes ao IC-32, correspondem condicionantes e zonas de servidão non aedificandi, e no Projecto Final apenas consta Fls. 192 “Condicionantes: REN-2 Linhas de água ; Servidões Administrativas e Restrições de Utilidade Pública-Linha de alta tensão(nascente para poente) que gera servidão de forma cilindrica ao longo do cabo(5m de raio), e servidão EN (20m para cada lado do eixo da estrada).”

-Ao não considerar as condicionantes do IC-32 e consequentes servidões, estão errados os cálculos relativos à edificabilidade, implantação, acessos rodoviários, etc., que obedecem a normas e regulamentos específicos, e que não se resolvem por “... alterações necessárias à sua implementação.” , alteram o PROJECTO FINAL de 20.01.2005, projecto que é substância e materialidade antecipadas, com quantificações, dimensões e especificações precisas , objectivos determinados , e não mera declaração de desideratos fantasiosos.

--O projecto existente, realisticamente apreciado é objectivamente irrealizável; inicial de 368 fogos –Protocolo c/Betobeja,(vidé pág.42,43,44 e 45); agora 198 fogos; além disso qual o resultado que teremos após a aplicação das “...alterações necessárias..”?????.
Só então, e após reapreciadas as relações utilidade,eficácia e abrangência= interesse público / custos ambientais e sociais, se poderá decidir sobre o projecto e eventual plano de pormenor.


-Também não se encontra no processo qualquer documento onde conste o parecer relativo à alteração dos acessos rodoviários à urbanização proposta, nem autorizações para as ligações feitas por esboço à rotunda em causa.
...
III-Considerações Finais
Não pode prosseguir o processo 2/M/00 –FLOR DA MATA uma vez que:
a)Há Desconformidade com outros Instrumentos de Gestão Territorial eficazes ;

1-Desconformidade da Estrutura Viária, que nas plantas de implantação ligam a urbanização à EN-378, tornada inviável pela rotunda de distribuição de tráfego e via de saída do nó do IC-32, e se sobrepõe á estrutura viária da urbanização.

2-Desconformidades das Condicionantes do Projecto, por não inclusão das servidões e zonas não aedificandi resultantes da rotunda e via de saída do nó do IC-32.

3-Desconformidade dos Cálculos de Implantação, Edificabilidade , Acústica, e Caudais e Cotas de Cheia , idem rotunda e via de saída do nó do IC-32
...
b)Há Incompatibilidade com Planos, Programas e Projectos que devessem ser ponderados em fase de elaboração.

1-Violação do DL 380/99, nos artigos87º, artº88º b) c) e d), artº89 c), artº90, artº91º e 92º por omitir factores condicionantes com interferência relevante no projecto, nomeadamente a rotunda e via de saída do Anel do IC-32(Nó das Laranjeiras) sobre a EN-378, implantados que estão sobre o terreno objecto deste PP, constituindo servidões não consideradas, o projecto residencial desenvolve-se sobre dados que deturpam e viciam a área de intervenção e o projecto; O projecto final está consequentemente viciado nomeadamente quanto à edificabilidade, implantação, estudos acústos , ligações rodoviárias, etc.

O tudo isto...com que fim Sr.Arruda????
PF peça ao amigo Louçã que lhe explique..tá!!!!
Depois deixe-se de ares de madona ofendida, haja humildade, todos erramos meu!

autoeuropa disse...

O Arruda é um mestre em arrutar... reconhecer o erro isso é mais dificil, ou não fosse ele um mestre, não de culinária, mas de Qualidade! O home vai lá reconhecer que errou, já lá vão uns aninhos e cada vez a bostada é maior.

Bloquista disse...

Daniel Arruda não sabe do que fala.

Bloquista