sexta-feira, março 09, 2007

BONS EXEMPLOS















Norte de Lisboa, região Saloia e Oeste, é já assinalável o Potencial eólico instalado, sobretudo se pensarmos que tem menos de dois anos!


Não há volta a dar, de um dia para o outro o "Ambiente" como tema está em todo o lado , se antes precisávamos de uma lupa para encontrar uma noticia esconsa sobre o tema, nos nossos jornais, sobretudo referindo-se a despejos de uma suinicultura ou à co-incineração,tinhamos que estar atentos e usar uma lupa, agora o tema em todas as suas vertentes chegou, às primeiras páginas, e à agenda da Comissão Europeia e até mesmo à insensivel administração Bush...

Al Gore tem a sua quota parte de responsabilidade nesta mediatização subita, mas penso que não será só isso, haverá também aqui uma consciencialização real sobre as alterações climáticas e os dados obtidos pelo Painel Intergovernamental das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, devem ter já fornecido aos governantes dados (ainda não conhecidos da opinião publica e publicada) que os impressionaram e fizeram alterar radicalmente as suas politicas.

Este discurso, até há pouco exclusivo de uma "tribo" algo "fora do baralho" - os ecologistas ou ambientalistas - da qual farão parte, a nivel nacional, entre outros, Luisa Shmidt, Carlos Pimenta, Soromenho Marques, Pedro Almeida Vieira, Luis Carloto Marques , grupos como a Quercus, o Geota... atenção não confundir esta "tribo" com os que de ecologistas só têm a "alcunha" e que inclui quase todos os ministros e secretários de estado do ambiente ou um suposto Partido Verde, este último mais Pele Vermelha do que propriamente ecologista... como estava a dizer, saltou deste grupo "restrito" , para outros quadrantes da
vida politica, inclusivamente fez parte do discurso de Paulo Portas no seu recente regresso sebastiânico à "vida politica"....

A nivel Mundial a União Europeia acaba de estabelecer uma agenda , com metas pré definidas em matéria de energia, com o objectivo que parece sério de reduzir até 2020, em 20% a emissão para a atmosfera, de gases com efeito de estufa, pretendendo a UE vir a liderar a implementação do Protocolo de Quioto. Paralelamente data de 1997 a meta da UE de que as energias renováveis tivessem um peso de 12% da produção de energia até 2010, pretendendo agora que essa fatia seja de 20% até 2020.

Quanto a energias renováveis, Portugal tem feito um investimento notável, que só peca no seu atraso, nomeadamente no aproveitamento de energia solar (aquecimento e fotovoltaica) - Centrais de Moura e Amareleja- e na energia e
ólica, pontos fundamentais num país com as nossas caracteristicas geográficas.













Parque eólico instalado ao nível do mar (sobre o mar) junto a Copenhaga, é utópico imaginar algo semelhante na Margem Sul?


É de salientar o enorme crescimento neste sector nos últimos dois anos, com o aumento exponencial dos Parques Eólicos (a Norte do Tejo , a sul a situação é bem diferente) , mesmo
às portas de Lisboa (mas , margem Norte) , visiveis da própria cidade , há já potencial eólico instalado e em funcionamento, é curioso que seja NULO na Margem Sul... e não se trata de orografia , um parque eólico não tem que forçosamente estar instalado no cume da mais alta montanha, as imagens mostram o que é feito ao nível do mar (literalmente) na Holanda e na Dinamarca ! Localmente gostaria de ver instalados parque eólicos e solares fotovoltaicos nos terrenos da Siderurgia (depois de descontaminados) , o mesmo poderia acontecer nos da Quimiparque... ah, mas já estou a divagar, esta é a margem do betão, não a do desenvolvimento!














Junto a Amsterdão, ao nivel do Mar junto a uma outra instalação industrial vemos um parque eólico.

2 comentários:

António disse...

Parque eólico instalado ao nível do mar (sobre o mar) junto a Copenhaga, é utópico imaginar algo semelhante na Margem Sul?

Em Portugal o mar assume profundidades muito grandes logo junto da costa, daí a "impossibilidade" de colocar este tipo de equipamentos. Mas temos dos melhores locais do Mundo para instalar equipamentos para gerar energia a partir das ondas, havendo já empresas nacionais e projectos internacionais para a instalação no mar "português"

Devo ainda relembrar que a colocação destas torres não pode ser em qq lugar, tem de haver condições como a regularidade e velocidade do vento para tornar este tipo de investimentos rentáveis.

Ponto Verde disse...

Caro António, a referência para instalação de um parque eólico off-shore é no Estuário do Tejo, não na Costa!sul@gmail.com