quarta-feira, março 28, 2007

O CONDOMÍNIO SIDERURGICO DE LUXO E O NOVO HOSPITAL DO SEIXAL


















Há uma tentativa de não discussão, para o caso de se construír um hospital no Seixal, sobre a sua localização. parece haver quem tenha decidido que o local será o Sitio Rede Natura 2000 jubto à A2, é que assim é visivel da Autoestrada! (?) E isso é importante para uma Câmara assente nos principios propagandisticos da dogmática Comunista, mas será importante em termos de ordenamento e de protecção natural e também de gestão de recursos financeiros numa altura em que se racionaliza drásticamente o SNS e a rede de hospitais e Urgências?


No passado Domingo abordámos aqui um tema de extrema importância estratégica para a Margem Sul, tão importante que é impossível desenquadrá-lo de outros gigantescos projectos imobiliários, com as autarquias envolvidas a competirem umas com as outras com a dianteira no lançamento destes mega projectos, são eles, a saber, em Almada, a "Cidade da água - LISNAVE" no Barreiro o projecto para os terrenos da Quimiparque e no Seixal a Siderurgia, este último foi o tema aqui tratado, voltamos a ele por um incidente (mais um) que bloqueou o sistema de comentários e impediu alguns de deixar a sua opinião.

Será interessante a análise da vertente "
zona residencial de luxo" na "zona Norte, uma área com uma extensa frente ribeirinha, que poderá ser preenchida com habitações e comércio", nesta análise será interessante abordar a razão pela qual o PCP do Seixal e a maioria autárquica é radicalmente avesso à instalação do Hospital do Seixal numa zona tão aprazivel, optando (numa decisão do tipo do Governo para a OTA - Porque sim!!! ) ... optando, sem mais nenhuma alternativa e sem razão lógica, para a instalação do Hospital numa zona de protecção Rede Natura 2000!!!

Bom mas voltando ao post em questão, as questões então colocadas foram:


- Gostava era de perceber, como é que se faz uma zona de habitação de Luxo, ao lado de uma Siderurgia, claro que o conceito de habitação de luxo é subjectivo... e a malta compra tudo!!!

Gostaria de perceber também esta subita orientação Comunista para a habitação de Luxo e para o Condominio Fechado...no que é vista para o Rio e continuarem a pôr Bairro Social em zona isolada, sem transporte ...


- Considerando que ,apesar de se instalar uma Siderurgia e uma zona Logistica, e resultando a descontaminação da zona, a área fica aprazivel para"habitação de luxo", então a sugestão aqui feita de instalar o novo Hospital do Seixal nessa "zona Norte, uma área com uma extensa frente ribeirinha, que poderá ser preenchida com habitações e comércio" à imagem do CUF Descobertas no Parque das Nações.

- Isto se a
ligação ao Barreiro e " o corredor da Estrada Nacional 10-2 com a rede rodoviária principal, nomeadamente à EN 10 e ao IC 21 e IC 23" não tornarem mais lógico, melhorar o hospital do Barreiro, nesta lógica de ligação ao Barreiro, grande parte do Seixal e Sesimbra ficarão mais perto do hospital do Barreiro (ver imagem com as pontes projectadas entre Seixal e Barreiro e Seixal-Amora) do que do local anunciado para o Hospital do Seixal.

- Mas ainda faltará contornar o imbróglio juridico que se pode estar a abrir, é que a zona em que se pretende intervir para Habitação de Luxo e Logistica , foi expropriada para efeitos de construção unica e exclusivamente da Siderurgia Nacional ...........
a partir do alvará concedido em 1958, no tempo do condicionamento industrial, ao Grupo Champalimaud. O arranque fabril da Siderurgia Nacional (SN) deu-se em 1961, através da exploração do primeiro, e único até à data montado em Portugal, alto-forno, que integrava a fábrica localizada em Paio Pires (concelho do Seixal), perto do então complexo fabril da CUF no Barreiro... como pode aqui ler na íntegra (clique)

13 comentários:

Sebastião disse...

Caro Ponto Verde, é lamentável que estes temas não interessem ser falados pelo PCP que está no poder e terá outros interesses, agora não compreendo porque é que estes temas só vão sendo tratados fora das eleições aqui , à excepção do site da JSD é o unico interessante na nossa zona.
Não compreendo também a posição do Bloco de Esquerda, acabei de lhes deixar um comentário para o Daniel Arruda, mas no blogue dele os comentários são censurados de forma que é aqui que o deixo, como dizia, não compreendo porque depois do voto de confiança do Seixal no BE que quase o elegeu como vereador, tem mostrado desinteresse pelos problemas do Seixal.
Do PS já nem falo , nem do PSD sénior, tinha algumas expectativas no BE que perdi com a triste figura que fizeram no A-Sul.
O que me traz aqui é o Hospital, morando na Amora faz todo o sentido a sua proposta , fazer o hospital para os lados da estrada de Sesimbra que está SEMPRE ENGARRAFADA é um erro, então a razão do Hospital no Seixal não é a A2 engarrafada e o acesso ao Hospital de Almada? Além disso o Hospital do Barreiro como mostra pode servir com a nova ponte a maior freguesia de Sesimbra, a Quinta do Conde (caso o do Seixal não se faça) ou fazendo-se na Siderurgia, ficareá também com melhor acessibilidade. Esta é a minha opinião que também é contra a OTA.

Anónimo disse...

Essa história da Siderurgia é a segunda facada nas costas dos operários de Paio Pires , deviam ter vergonha pôr lá agora prédios de luxo, quando no antigamente, não fora os proprietários das quintas e nem tinhamos onde dormir abrigados o hospital em Paio Pires é pois uma boa ideia.

J.Fazenda disse...

Realmente!
1º - Hospital do Seixal SIM/NÃO?

2º - SIM então onte? Tem que ser mesmo numa zona protegida?

3º - SIM e há alternativas, bué delas! Porque não nos terrenos recuperados, servindo Barreiro com a nova ponte, Seixal e Sesimbra.

4º - NÃO - REQUALIFIQUE-SE O Hospital do Barreiro!, então com uma nova ponte, o Seixal, Amora,Sesimbra estã em situação idêntica à do pretendido Hospital!

Parece lógico, pelo menos discutivel, ou há alguma crença ou dogma que obrigue Hospital Sim e numa zona protegida.

Obrigado Ponto Verde, és um Ponto Negro para muito politico transparente que por aí anda.

portugal real disse...

Nós no interior vê-mos as nossas maternidades e urgências fechares e vós aí perto de Lisboa querem um hospital em cada esquina? Tenham dó.

nunocavaco disse...

Bem, este post está de gritos.

Quem tem a responsabilidade de fazer o Hospital? Não é quem tem ordenado o fecho das urgências?

Não estude, veja o anúncio da Superbock pessego, tem lá a resposta.

Anónimo disse...

O Senhor Cavaco parece que anda a beber Super Bock, mas da autêntica!!!

Não percebe que:

1 - Havendo a decisão de fazer um hospital.

2 - Há que definir a sua localização!

Neste caso:

a) A autarquia CDU parece querer o Hospital num Sitio Protegido Rede Natura 2000.

b) Porque não são estudadas outras alternativas ?

Isto para o comum dos mortais faz todo o sentido, para os cães de fila do PCP não.

nunocavaco disse...

Qualquer dia dou-lhe uma dentada.

Então quem é que decide a localização do hospital é a Câmara Municipal? Não é.

E se não houvesse mais local não era de fazer o hospital em sítio protegido? Este governo faz co-incineração e apresenta uns PIN´S, pelo menos desta vez era para benefício das pessoas.

ex-militante disse...

Este Cavaco só sabe mentir e desconversar, que interesses é que serve?

A Localização no Sitio Rede Natura 2000 é a proposta pela Câmara municipal do Seixal por ser parte terreno do Estado! Informe-se senhor Cavaco!!! Ou pelo menos não desinforme.

ex-militante disse...

Aqui está a prova de que o Sr Cavaco MENTE: Setúbal na Rede, as declarações dos Pres CMSeixal e CM Sesimbra:

"O presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Augusto Pólvora, diz que este concelho “apoia totalmente a construção do hospital do Seixal, bem como a localização escolhida para a construção do mesmo”, no Pinhal das Freiras, no Fogueteiro, Seixal. Augusto Pólvora salienta que o concelho de Sesimbra tem sido “muito prejudicado em termos de infra-estruturas de saúde” e aponta para o “crescimento populacional que se tem vindo a verificar neste concelho, sobretudo na Quinta do Conde”, pelo que o hospital do Seixal viria solucionar estas questões, até porque se encontra num local “de grande acessibilidade e bem dotado de transportes”, como sublinha Alfredo Monteiro, acrescentando que o terreno previsto para a construção é um “terreno do Estado com cerca de 80 hectares”."

Senhor Cavaco, como a manipulação que anda a fazer de comentários e a fazer-se de vitima, apanha-se mais depressa um mentiroso...

nunocavaco disse...

Já percebi porque é que é ex-militante, não sabe ler e muito provavelmente não sabe ouvir os outros:

Escrevi eu que o governo/ministério da saúde decide a localização do Hospital. Esta não é uma tarefa das Câmaras. O que as Câmaras fazem é sugerir ou ceder, por exemplo em direito de superfície, terrenos para a localização de estas infra-estruturas. A localização de um equipamento de saúde é da responsabilidade do governo, não são as Câmaras Municipais que fazem os hospitais se assim fosse, garanto-lhe que pelo menos na Península de Setúbal não aconteciam fechos de estabelecimentos de saúde.

E escrevi também que considero que primeiro estão as pessoas. Não me faz confusão construirem um hospital em rede natura, faz-me confusão é construirem campos de golfe. Primeiro estão as pessoas e se este governo aprova a co-incineração na Arrábida prejudicando a população da Península de Setúbal porque não aprovar um Hospital.

Agora não posso precisar mais porque não conheço o caso.

Onde é que eu menti?

Fica-lhe mal falar do que não sabe e tentar enganar os outros.

Anónimo disse...

http://www.ambienteonline.pt/noticias/detalhes.php?id=4962

c.m.seixal disse...

O presidente da Câmara, Alfredo Monteiro, disse, sobre a área da Siderurgia, que na sequência da aprovação, pela Câmara e pela Assembleia Municipal, do Estudo de Ordenamento Urbano e Paisagístico, a Autarquia aprovou, em 24 de Janeiro, a elaboração do Plano de Pormenor, «que deverá estar concluído no final do ano. Vamos trabalhar para que se cumpra este calendário, ficando o Município com um instrumento decisivo do ponto de vista estratégico, integrando um programa de execução, com a definição do calendário de investimentos e entidades responsáveis.»



O autarca considerou que este é um projecto que reúne todas as condições para integrar o novo quadro comunitário, o QREN para 2007-2013. O objectivo é integrar uma candidatura de âmbito supramunicipal, que inclua a Margueira, em Almada, a Siderurgia, no Seixal, e a Quimiparque no Barreiro, com uma dimensão estratégica de enorme importância para estes municípios, para a região e mesmo para o País.

Anónimo disse...

A plataforma “Juntos Pelo Hospital do Seixal” vai promover um encontro e uma concentração pública para “lembrar ao Governo o compromisso assumido com as populações do Seixal e de Sesimbra”. Volvido um ano sobre o cordão humano que juntou dez mil pessoas em torno da Baía do Seixal, iniciativa que, na opinião de Alfredo Monteiro, “simboliza a conquista de um hospital para o concelho”, o edil seixalense defende que “urge estabelecer um calendário para fazer cumprir a decisão então tomada”. José Sales, da Comissão de Utentes de Saúde do Seixal, salienta que a população “não quer que se repita o que aconteceu com o Hospital Garcia de Orta [HGO], que começou a funcionar 30 anos depois de anunciada a sua construção”.