terça-feira, janeiro 02, 2007

CÂMARA DO SEIXAL ARRENDADA A CONSTRUTOR














A noticia tinha sido por nós já
aqui (clique) divulgada, aliás, não é a primeira vez (clique) que a Câmara do Seixal hipoteca, desta mesma forma , o seu futuro, para ser pago pelas futuras gerações , e se põe numa situação de subalternidade, sem concurso publico, perante o maior construtor (clique) do concelho , hipotecando a posição de imparcialidade de que deve ser o garante.
O primeiro caso aconteceu com as oficinas da Câmara e com a mesma construtora, bom, julgue por si próprio,o artigo que se transcreve foi publicado no "Correio da Manhã" do último dia do ano:


"
Câmara Municipal do Seixal (PCP) aprovou no passado dia 18 de Dezembro o contrato de arrendamento do futuro edifício dos paços do concelho que albergará boa parte dos serviços técnicos e administrativos da autarquia a partir do final do primeiro trimestre de 2009. Em causa estão 24 milhões de euros (ou 100 mil euros por mês) a pagar pela edilidade a partir de 2009. Um contrato por 20 anos e cinco mandatos autárquicos.




A proposta mereceu os votos contra da oposição, designadamente PSD e PS, na Assembleia Municipal.

O presidente da Câmara, Alfredo Monteiro, justifica a solução encontrada pelas novas regras de endividamento que restringem a capacidade de endividamento. Ao CM, sublinha que a Câmara tem serviços dispersos por “39 edifícios”, metade dos quais arrendados, o que dá actualmente 50 mil euros por mês. O autarca explicou que o projecto terá 16 mil metros quadrados (parques de estacionamento incluído) e albergará 700 trabalhadores.

A construção ficará a cargo da Assimec, empresado grupo A. Silva & Silva, proprietária do edifício. “De dois em dois anos a Câmara pode dizer se faz opção de compra”, afirma Alfredo Monteiro.

Questionado pelo CM sobre o facto de o contrato vincular a autarquia a 20 anos, e, no caso de desistência, ter de cumprir o pagamento por duas décadas, o autarca lança a pergunta: “Mas vai desistir porquê? Isso é pura especulação”, assegura.

O autarca comunista afiança ainda que a autarquia acabará por poupar dinheiro aos munícipes uma vez que desafectará parte do seu património, avaliado em cerca de 15 milhões de euros, dos serviços camarários.

A EMPRESA

A Assimec, do grupo de Imóveis e Construções de A. Silva & Silva, SA, é a construtora do projecto camarário. O grupo A. Silva & Silva tem ainda um empreendimento no Seixal designado Seixal Baía, localizado na Quinta do Outeiro, com 308 fracções previstas.

LIBERTAR EDIFÍCIOS

Com a novo edifício vão poder ser libertados 20 edifícios na sede do concelho. Além disso permitirá poupar energia e logística e criar um balcão único de atendimento ao munícipe.

PDS CRITICA

Quem não se conforma com o ‘negócio’ é o PSD que, pela voz do deputado municipal Paulo Edson Cunha Vizela, considerou, em sessão de Câmara, que se estava “perante um contrato-promessa de compra e venda, mascarado com a denominação de arrendamento.”
Cristina Rita

18 comentários:

ex-militante disse...

As negociatas de Ano Novo, estes senhores "comunistas" deviam ter vergonha na cara, um conluiu com o grande capital é o que é.

António disse...

A "A. Silva & Silva" está presente em todas as obras. Estranho, mas de certo que não haverá corrupção.. são é muito competentes e ganham todos os concursos públicos no nosso concelho!

Actualmente pagamos 50 mil euros por mês, depois vamos pagar 100 mil. Isto sim é economia!! Já que a situação económica é tão folgada vamos lá gastar mais ainda pq o dinheiro está a ganhar mofo!

Para mim o pior não é estas negociatas, é o estado de apatia e de alheamento da população, como se estas coisas não lhe dissessem respeito. Esquecem-se que o graveto que os patos bravos metem ao bolso é o nosso dinheiro que descontamos todos os meses. Para quando uma visita da PJ?


Só temos o que merecemos!

Franco disse...

Um concelho de Abril dado a pataco aos Silvas oportunistas e quejandos. Não acredito que sejam só as empresas a ganhar, e ganham com garantias. Construir um bairro que se sabe ser comprado pela autarquia para bairro social ou a custos controlados, construir oficinas para serem alugada e agora os edificios da câmara , é um grande negócio que merecia uma investigação.

outsider disse...

Rodrigues, Gaspar Ramos e outros mais... Neste concelho de Abril todos são camaradas desde que partilhem o bolo. O nosso Seixal precisa de correr com esta gente, limitar a construção e impedir que estes ou outros de outro partido continuem a pouca vergonha que aqui se passa. Seixaleiros acordem...

Anónimo disse...

Os Bandos, As Quadrilhas e a Vilanagem instalaram-se democraticamente neste país !
"Pobre" Povo este que precisa urgentemente de exercer a cidadania para pôr termo à muita gatunagem disfarçada de democrata que se instalou por todo lado. E tudo o que fazem é sempre em nome do progresso e de melhor vida para o Povo.
Não vamos longe com estas práticas nem com estes "democratas".
A URSS capitulou porque não servia o povo de lá!
Porque teremos nós que aturar estes incompetentes e sua clientela que os mantêm no poleiro?
Comecemos a defender os nossos direitos a uma vida digna e que os eleitos das oposições e os cidadãos por omissão de inteervenção política deixem de pactuar na sombra com a incompetência. É URGENTE !
Estes incompetentes também se apoiam na maioria silenciosa para tratar dos seus negócios.
Acabemos com toda e qualquer vilanagem.

zé disse...

100.000€ aluguer à A.Silva e Silva (1 único locatário);
50.000€ mês actuais alugados a vários (menor quantia e maior redistribuição de proveitos);
A diferença são mais 50 mil euros por mês a cair no bolso de uma única entidade.

Ainda ia pedir que os habitués defensores da pandilha instalada na câmara e aqui geralmente intervenientes me explicassem estas contas... mas não é preciso, já percebí, obrigadinho.
...Os vossos pais hão-de ter bastante orgulho em vocês!

Ex-PCP disse...

Este Municipio está entregue ao nojo...

E eu que fui do mesmo partido deles...
sinto vergonha, e por isso peço desculpa a todos os cidadãos do Seixal por um dia ter feito campanha por esses vigaristas...

munícipe disse...

Onde andais vós, aurautos da comarca? Então esta notícia não merece comentários?... ah, espera aí, já sei: são mais "mentiras" e "invenções". Se calhar o ponto verde até também já paga artigos do jornal (mais ou menos como a presidência faz, naqueles "encartes" do expresso e afins)?...

Anónimo disse...

já ninguém tem mão nestes camaradas!!! Venha o Jerónimo para os rodar sff

Caparicano disse...

Ponto Verde, está na altura de enviar todas essas informações para a comunicação social e organismos públicos competentes.

Alguns tipos de políticos só funcionam assim. Até lá caminham impunes.

Filipe de Arede Nunes disse...

Carissimos amigos, sabem, tudo isto é legal, o grave é que apesar do concelho do Seixal ser um dos 15 maiores deste país ninguém quer saber do que se cá passa, principalmente a comunicação social que é quem determina o que discute nas modernas sociedades da informação. O que é grave é a abstenção superior a 50% nas eleiçõe autarquicas. O que é grave é que o interesse do colectivo (leia-se Concelho do Seixal), não esteja a ser defendido. Grave é que a Assembleia Municipal e as Assembleias de Freguesia continuem vazias, umas atrás das outras. Grave é que os movimentos civicos não apareçam. Grave é continuarmos todos à espera que a governação deste concelho caia de podre em vez de fazermos alguma coisa para mudar.
A realidade meus amigos, é que o PCP ganha em todas as freguesias e neste concelho desde que existe poder democrático, o que não pode deixar de significar que apesar de tudo a população tem dado legitimidade a este executivo para fazer o que bem entender dentro da legalidade.
Portanto, se acham que existem ilegalidades tem a obrigação de denunciar junto dos órgãos de policia criminal. Depois disso e comulativamente, têm também a obrigação de participar e de criar movimentos que façam com que as coisas mudem.
Saudações democraticas,

Filipe de Arede Nunes

Mário da Silva disse...

Qual população?

As suas contas estão mal feitas.

Deve ser 50% de abstenção dos inscritos nos cadernos eleitorais.

A suburbanização fomenta este tipo de atitudes.

Um casal que trabalhe em Lisboa e que perca mais de quatro horas por dia em viagens e que se esgote com os filhos e as preocupações quando chega ao fim-de-semana quer é descanso. Nem pensam em mais nada a menos que a "merda" lhes bata mesmo na porta, desculpem a expressão.

Nem os filhos de muitos dos "novos" habitantes destes concelhos chegados nos últimos 10 anos estudam cá. fazem a primária num qualquer colégio em Lisboa e a Secundária idem. Vão com os pais. É mais prático.

Quantos casos assim conhecem vocês? Eu conheço algumas centenas.

E isto está feito assim mesmo. Isto é a consequência mais triste da sub-urbanidade e que acabou por ser subvertida por esta canalha em moto de vida e de desenvolvimento.

Dos que sobram e que votam há os que são do partido porque sempre o foram e porque lhes custa muito a acreditar que esta gente os traiu em toda a linha e até porque algumas coisas melhoram na verdade em face do que antes havia (nem barco havia ao fim-de-semana para o Seixal há 10 anos, lembram-se?).

E assim temos as famosas maiorias absolutas mas que correspondem -- como na Moita -- a 12 votos num universo de 53 mil inscritos, fora os que vivem no concelho nas novas urbanizações e não estão inscritos e, claro, nem contam.

É só vêr as estatísticas de votantes e fazer algumas contas para entender.

Nas últimas eleições -- sei-o da boca de comunistas verdadeiros que me contaram sem saberem quem eu sou -- na Moita até foram buscar os velhos e os indiferentes a casa para votarem não fosse o "taco a taco" do PS revelar-se verdadeiro, e que eu nunca acreditei que fosse possível mas uma técnica para tentar captar indecisos de última hora.

Claro que não verão aqui nenhum dos arautos/porta-vozes/secretários políticos a dizer o que quer que seja.

O escândalo é claro, é evidente, é público e impossível de refutar com as técnicas do costume do insulto e do chuto para o lado.

Até mais.

Mário da Silva disse...

ERRATA:

Não é "a 12 votos" mas sim "12 mil votos", evidentemente.

Anónimo disse...

Com que então o P.C.P. só ganha porque existe um fenómeno de suburbanização ou porque vai buscar os velhotes a casa para votar.

Excelente análise política.
Tenha juízo.

Estas frases fazem lembrar as utilizadas na campanha eleitoral por parte do P.S.

O Sr. Mário da Silva, que ninguém conhece, fala com militantes comunistas ao estilo da PIDE e depois revela verdades que ninguém conhece. Sim, sim e eu vi o Pai Natal a voar num trenó.

HKT disse...

O poder absoluto corrompe absolutamente. O PCP tem 30 anos de poder absoluto no concelho do Seixal. Estas negociatas são o lógico corolário. Em todos estes anos surgiram notícias de interesses nebulosos. Vejamos, por aquilo que percebi poderemos pensar que:
1- a CMS está a fugir aos limites do endividamento impostos pela Lei das Finanças Locais;
2- ou que está a a evitar as chatices inerentes à transparência dos concursos públicos.
O problema é que o Seixal não é tão mediático como Sintra ou Cascais, quando muito consegue-se vender alguns jornais à custa de um crime comum. Ninguém quer realmente saber dos podres do Alfredo Monteiro, por muito que custe (à carteira do contribuinte/municípe) ele ainda não atingiu sequer o estatuto mediático da Elsa Raposo. Os escândalos neste concelho falam-se à boca pequena ou no pequeno (felizmente, cada vez maior) mundo dos blogues. Não há imprensa local, nem colectividades, nem sociedade civil. O PCP têm-se portado como um eucalipto secou tudo à volta por tem ganho eleições. É preciso criar uma opinião pública, é preciso (diria, urgente) o contraditório. O oásis do Boletim do Seixal só existe nas fotografias. Por isso que importa 50 ou 100 mil euros/mês se pode ser inaugurado, filmado, e usado para construir a imagem de modernidade (bacoca)que se cultiva nestas paragens?

Anónimo disse...

Temos de concluir pelo que se lê que a grande culpa do que se passa é do cidadão que se demite de participar activamente na sociedade em que está inserido. Participando passivamente pela ausência ou abstenção dá oportunidade a Bandos minoritários de oportunista de assaltarem democraticamente os poderes e assim dominarem com maiorias absolutas a carneirada.
Eles de facto para garantirem a sua sobrevivência recorrem a todos os meios e a todos os inscritos seus familiares idosos, pais, avós, filhos, netos, deficientes, doentes dispostos a votar.Ínfelizmente é assim a miséria da nossa democracia e do subdesenvolvimento cívico.

Esclarecedor disse...

Meus caros, o que ficou por dizer foi que o arrendamento é efectivamente de € 150.000 mensais e não de € 100.000.
Que a Câmara faz um contrato de arrendamento, mas que de facto está a comprar o edíficioporque se não quiser continuar o arrendamento, tem de pagar os 20 anos.
O presidente da câmara pergunta:porquê que não cumprirão o contrato? e é claro que o vão cumprir, e sabem quanto vai custar? nao são osn falados 5 milhões de contos, mas entre o preço de compra, o IMI, os aumentos de renda, o IVA (Sim, meus srs, também se paga o IVA), no final esta aquisição vai custar mais do que 70 milhões de euros, talvez mesmo 75 ou 80 milhões de euros.
è um escândalo!
O PSD tomou a dianteira e apresou-se a denunciar. O PS e o Bloco de Esquerda também denúnciaram.
A Cãmara não explicou ou o que explicou ainda nos deixou mais preocupados.
É necessário que este assunto não morra e, que não se inventem "pseudo-escândalos" para abafar este.
passem a palavra, as pessoas têm de saber o que se passa.

??? disse...

Pergunto:
Diz-se aqui, e circula por aí, que a Câmara está "vendida" (espero que no melhor sentido da palavra) a dois ou três grupos económicos, então com esta construção toda, as nossas casas não desvalorizam?
a Câmara também pensou nisso?
E a nossa qualidade de vida?
Temos vias de circulação para suportar esta gente toda? pessoas para comprar? saneamentos básicos?
é uma câmara arruinada que vai assegurar tudo isso?