segunda-feira, janeiro 08, 2007

V.N.GAIA - UM BOM EXEMPLO










Foto Flôr da Mata Seixal; a inexistência de Parques Biológicos na Margem Sul levou a que cidadãos propozessem na revisão do PDM , a construção de um Parque naquele local protegido e pulmão do Concelho, em oposição à betonização daquele local.

Quem aplica a cartilha de que, ambiente e desenvolvimento, ambiente e lucro, ambiente e futuro são coisas antagónicas, nomeadamante na Margem Sul onde todos os novos projectos que vão surgindo vão no sentido de uma cada vez maior degradação e delapidação ambiental, o exemplo que nos chega de Vila Nova de Gaia (clique) traz-nos exactamente a prova oposta

Começando pelos números, o Parque (clique) foi no ano de 2006 visitado por 116.987 pessoas, o que representou um aumento face ao ano anterior de 7639 visitantes, ou seja, é um equipamento que desperta a atenção dos cidadãos , estando essa atenção em crescendo.

Ao longo do tempo em que o Parque Biológico de Gaia (clique) se tem consolidado como ecossistema, há predadores que se têm instalado, nomeadamente aves de rapina, o parque funciona desta forma como reserva, no entanto a caçada por estas aves acabou por se fazer sentir na população de aves residentes.

O sucesso deste Parque é tal , que vai abrir já este mês uma hospedaria destinada a responder à solicitação crescente de alojar visitantes. Quanto a visitantes, e apesar deste ser um centro que acolhe multiplas actividades escolares, a faixa etária maioritária de visitantes são adultos interessados pela natureza.

O Parque Biológico de Gaia (clique) serve também como ponto de recuperação de aves selvagens feridas, e são muitas as que ali são tratadas de chumbos que as atingiram, sendo posteriormente remetidas à natureza, outras, incapazes de sobreviver pelos seus próprios meios são mantidas em cativeiro, outras já nasceram mesmo em cativeiro.

Se realçar o protocolo entre o Parque e o Instituto Brasileiro do Meio ambiente com a integração de programas de criação de aves em cativeiro com o objectivo de fazerem o repovoamento de algumas áreas do Brasil.

A autarquia de Gaia , pela criação deste parque biológico mostra estar á frente da maioria das autarquias nacionais, nomeadamente aquelas que fazem parte de áreas metropolitanas como é o caso.

Enquanto outras autarquias como o Seixal comprometem as futuras gerações com obras faraónicas de betão em leasing a pagar pelos nossos filhos e netos, e ao mesmo tempo cedem aos construtores civis dando para construção tudo o que é espaço verde, mesmo protegido no PDM, em Reserva Ecológica ou Agrícola, o Dr. Luís Filipe Meneses mostra que há uma forma diferente de estar na politica e de conduzir uma autarquia, pela coragem que teve ao avançar com este projecto de sucesso e sobretudo por querer mais.

De facto, o Parque Biológico de Gaia (clique) acabou de apresentar uma candidatura a fundos comunitários para criar a rota verde dos parques de Gaia, pretendendo construir novos quatro parques no concelho!

5 comentários:

Juventude Seixal disse...

Felizmente ainda existem alguns bons exemplos em Portugal.

Não a esta betonização da Flor da Mata.

Sim ao desenvolvimento sustentavel.

Visitem:
www.juventudeseixal.blogspot.com

manuel disse...

Em retórica e discurso todos os autarcas defendem e prometem cidades saudáveis, bom ambiente, zonas verdes, parques comunitários... mas depois na prática é o que se vê. Infelizmente na margem sul, as políticas de fundo se resumem à betonização, "parques de betão", alcatrão e urbanismo selvagem. É a visão futurista de quem não tem visão.
Felizmente há bons exemplos, o ambiente e o povo agradecem. Bem haja VN Gaia!

Anónimo disse...

O Seixal ainda tem espaço verde suficiente para fazer um Parque desse género, resta haver boa vontade e resistir às pressões imobiliárias.

Anónimo disse...

Sempre podemos perguntar ao A.Silva e Silva se não quer construír um Parque Ambiental, já que tudo o que faz é pelo Seixal.

Anónimo disse...

se for sem concurso publico tenho a certeza que tem interesse. ASilva e Silva e o PCP