quinta-feira, janeiro 18, 2007

BALANÇO E NEGAÇÃO














1991
2001
Val. Abs.
Val. Rel. (%)
Alcochete 10169 13010 2841 27.9
Almada 151783 160825 9042 6.0
Barreiro 85768 79012 -6756 -7.9
Moita 65086 67449 2363 3.6
Montijo 36038 39168 3130 8.7
Palmela 43857 53353 9496 21.7
Seixal 116912 150271 33359 28.5
Sesimbra 27246 37567 10321 37.9
Setúbal 103634 113934 10300 9.9

Os números acima valem o que valem, para um qualquer país europeu, de demografia estabilizada, representariam um aumento brutal numa década. Se paralelamente colocássemos fotografias aéreas dos mesmos concelhos, observar-se ía um aumento exponencial da área construída, aumento esse, anárquico e em "mancha de óleo" ocupando o que eram espaços naturais.

No debate de ontem à noite, isso mais uma vez foi negado pelos responsáveis autárquicos, a teoria do oásis a sul do Tejo só não é melhor por causa do malfadado poder central e de não existir, um governo regional, leia-se, um governo do PCP a sul do Tejo. É o velho tique da coutada que acham sua , um país à parte , vá-se lá saber porquê.

O resto, bom o resto foi um esgrimir de argumentos de desresponsabilização, a negação do caos e do boom de construção e lógicamente, a rejeição da falta de planeamento (tão acérrimamente contestada por Maria Emilia). Para Alfredo Monteiro os numeros acima representam outra coisa ( parece que a fixação de eleitorado) , claro que em tudo sem comparação possível com a Margem Norte, a teoria do paraíso no seu melhor.

Por outro lado (o do governo) , a politica do alcatrão, estradas, o metro que não anda nem desanda, terceira travessia sobre o Tejo...

Nada de novo portanto, nenhuma surpresa, o resto do diálogo, até onde éra passível de ser seguido pelo cidadão trabalhador, continuou e esgotou-se na análise da rede de transportes e na mobilidade. Para trás ficaram os temas mais delicados para as autarquias como o ambiente, e qualidade de vida , depois de como anteriormente foi acautelado os autarcas negarem a evidência, recusando a acusação de massificação urbana e muito menos de estarem a aplicar e repetir modelos esgotados .

Perdeu-se mais uma hipótese de debate e análise séria dos problemas da margem sul que vão muito além dos movimentos pendulares casa-trabalho-casa.

11 comentários:

Paulo Silva disse...

Leio esta noticia no rostos on line:

Nuno Banza Chefe de Divisão do Ambiente

Nuno Banza, foi nomeado Chefe de Divisão do Ambiente e Sustentabilidade da Câmara Municipal do Barreiro.
Colunista de “Rostos” e um dos habituais participantes na Tertúlia do Palácio.
Refira-se que Nuno Banza, é, actualmente, membro da Comissão Politica da Secção do Barreiro do PSD e Presidente da Mesa da Assembleia Geral da SFAL.
Aqui fica o registo e os nossos parabéns.

Rui Carvalho Chefe de Divisão do Desporto

Rui Carvalho, foi nomeado Chefe de Divisão do Desporto da Câmara Municipal do Barreiro.
Rui Carvalho ex- Vereador do Partido Socialista, que exercia as funções de Chefe de Divisão Sócio Cultural, passa agora a coordenar à área do Desporto.
Rui Carvalho é membro da Comissão Politica do Partido Socialista do Barreiro e Vice Presidente da Direcção dos Bombeiros Voluntários do Barreiro.

E recordo-me das acusações aqui feitas pelo ponto verde e amigos sob o sectarismo do PCP... E concluo, uma vez mais, que o ponto verde é mentiroso!
Com efeito as vossas falaciosas acusações são sempre desmentidas pela prática!

Anónimo disse...

SE procurou informação fidedigna e completa procurou no meio de comunicação errado.
A realidade é que até foram criadas novas unidades orgânicas para alguns dos militantes do Partido chefiarem.

Anónimo disse...

Será que o Governo não vê que deu aval a um comício do PCP?
A Emília é mestre nisto, convocou todos os militantes e os ingénuos do governo(?) ainda a credibilizam.
Que anda a Secretária de Estado dos Transportes a fazer?
A destruir o pouco que resta a sul dos socilistas?
Acordem minha gente!

HKT disse...

Pessimista? Depois do debate considero-me, realista. O meu comentário de 16 de Janeiro revelou-se (infelizmente) verdadeiro. De resto, não era preciso ser muito inteligente para perceber que tudo iria ser orquestrado com a mestria (e aqui tenho de tirar o chapéu ao PCP) do costume. A instrumentalização de pesoas e instituições (até do próprio governo) não é novidade para ninguém. Não tenhamos ilusões, quando se trata de de ilusionismo são melhores que o David Copperfield...

Ponto Verde disse...

Também aqui avisei!!!
"Apela-se a uma presença empenhada quer da oposição nestas autarquias, quer do público em geral, sob o perigo desta iniciativa se vir a tornar mais uma sessão de propaganda industriada pelo PCP, no sentido de ser escamoteado o descontentamento e o desagrado pela forma como estas autarquias são geridas e a péssima qualidade de vida urbana que se tem construído nos últimos trinta anos."

Não se percebe os tiros no pé da oposição na Margem Sul, desde a Manhattan de Cacilhas à Ponta dos Corvos, ou a debandada de alguns para as bancadas da A.R. parece de propósito para não assumirem o passivo e o ninho de vespas cultivado à 30 anos.

O Povo é que não merece isto, Parabéns ao PCP, iniciou ontem a campanha eleitoral para as próximas autárquicqas daqui a menos de 3 anos.

Anónimo disse...

Aguardemos agora pelo resumo do debate para outras conclusões. já alguém sabe a hora?

Ponto Verde disse...

Sobre o resumée:

Sábado TSF depois das 11, e amanhã no DN.

Ambiente25 disse...

É a primeira vez que post algo neste blog. Acompanho com pouca frequência o que se vai escrevendo aqui. Parabens ao autor pelos temas abordados, gosto em particular dos post's relativos ao MST (é uma piada td o que se passa à volta desse assunto), sei que o que vou falar não tem nada a ver com este post (mas gostava que quem anda por este blog comentasse esta situação). No fim de semana passado fui até á Fonte da Telha aproveitar o Sol que se fazia sentir, quando deparei com algo que já tinha acontecido se não me falha a memória o ano passado. Qual é a legalidade desta situação http://i119.photobucket.com/albums/o154/bokasslb/DSC00502.jpg, http://i119.photobucket.com/albums/o154/bokasslb/DSC00504.jpg, http://i119.photobucket.com/albums/o154/bokasslb/DSC00508.jpg, http://i119.photobucket.com/albums/o154/bokasslb/DSC00509.jpg. Como é que algo desta dimensão ainda não foi visto (ou não querem ver) sei lá pela PSP ou GNR que lá passam, polícia marítima etc. Obrigado pelos comentários e desculpe-me o Ponto_Verde por estar a ocupa reste espaço.

alentejano disse...

Visitem-nos emalmada
http://www.emalmada.blogspot.com

o josé disse...

Isto passa tudo um bocado pelo problema de os "círculos mais elevados" do poder continuarem a olhar para os comunistas com um misto de alergia gutural crónica e paternalismo bacoco que resultam numa atitude de os olhar como tendo "uma certa piada", ao mesmo tempo que os tentam manter "o mais longe possível".

A "cedência" de determinadas zonas do país ao PCP serve para as "criancinhas" terem o seu "parque infantil" onde podem dar asas às suas manifestações criativas e a toda aquela "energia" que maça e não se consegue aguentar dentro de orgãos de poder mais "sérios" como são os ministérios, as comissões, as secretarias de estado ou as administrações das empresas públicas.

Ao "ceder-se" nessas zonas providencia-se um escape para a franja da população que participou "nas conquistas de Abril" e que ainda vai merecendo a reverência envergonhada dos existentes políticos-gestores sem ideais filosófico-políticos definidos, e ao mesmo tempo mantém grande parte da "criançada" entretida a brincar aos políticos autárquicos, não chateando assim os "adultos".

É por causa disso que a margem sul está como está: tem de facto sido sistematicamente abandonada pelas outras forças políticas, nunca tendo sido apresentados candidatos com carisma, qualificações e peso socio-político que pudessem estar em posição de contestar as presidências, em detrimento das câmaras com apelo mais "sexy" como Lisboa, Porto, Sintra, Cascais e outras que por um motivo ou outro merecem maior protagonismo e têm maior potencial de projectar o seu autarca-mor para outras lides. Outro factor que leva a este estado de coisas prende-se com o simples facto de se terem deixado esta colecção de "criancinhas" à solta, a brincar a seu bel prazer, construindo não castelos de areia mas florestas de betão, com o planeamento e coordenação de verdadeiras mentes infantis.

Vai dando é cada vez mais vontade de dizer para irem brincar com aquilo que a Natureza lhes deu, em vez de brincarem assim coma s nossas vidas.

São disse...

A Natureza merece que se lute por ela, mas é mais um apoio moral do que outra coisa...é que ela regenera-se sempre :veja-se as cidades perdidas de grandes civilizações sob as luxuriantes florestas sul-americanas!