sexta-feira, janeiro 26, 2007

SEIXAL , SIDERURGIA - ASNEIRA DA GROSSA













Todos nós sabemos e sentimos que a Margem Sul é uma manta de retalhos em termos de planeamento urbano, pensava que havia uma qualquer teoria do caos que o pudesse confirmar, para além da construção clandestina (com ou sem beneplácito camarário) , e não é que há uma teoria que o confirma, não como obra do acaso ou da contingência, mas como pensamento estruturado, embora claro, que rumo ao disparate.


A posição "oficial" da militância PCP (CDU para os otários) é de que, sim senhor, pois e tal, bem, vamos lá a ver, pois então, considera-se que , bom : " Frases como “Cresceram espontaneamente” ou “Cresceram desordenadamente como zonas dormitório e não mais conseguiram abandonar essa imagem” aplicam-se na perfeição à nossa terra, mas do “caos urbanístico” já discordo, porque apesar de não ser o desejável, estamos longe do caos que se verifica por outras paragens." e ainda " O boom urbanístico e o demográfico não foram integrados, em parte, devido às autarquias, mas também "por responsabilidade do poder central, que colocou dificuldades à descentralização". (in O BANHEIRENSE)

Ou mesmo indo às sábias palavras do Presidente da Câmara do Seixal indo na mesma direcção , a recusa do caos urbanistico, aliás posição que é partilhada por Maria Emilia da Câmara de Almada.

Na altura pensei que só quem não tenha o minimo de perspectiva sobre qualidade dos espaços urbanos, quem só tivesse viajado no estrangeiro para o terceiro mundo, é que poderia ter esta perspectiva, não seriam certamente , autarcas europeus a falar. Se ficou a dúvida , hoje o PUBLICO publicou a resposta citando essa sumidade coruchense chamada Alfredo Monteiro :

"Não queremos uma visão do século passado em que as àreas industriais estavam separadas da malha urbana, com enormes custos sociais, mas sim uma visão moderna de urbanismo e planeamento" sublinhando ideias sobre a reconversão dos terrenos da Siderurgia Nacional , insistindo na ideia da «coexistência pacífica entre todos os usos , não abrindo mão da vertente havitacional» ...

Ou seja, um perfeito disparate !!!

Conclui-se que vão meter ( a contra relógio para tomarem a dianteira sobre as "reconversões" da Lisnave e da Quimiparque - que não há gente para tudo) uma urbanização para 1500 fogos que tudo leva a crer, coexistirá para além dos equipamentos anunciados como engodo ("nucleo de recreio náutico, parque urbano, campo de jogos, piscina, squash, skate park, àrea de patinagem , minigolfe") com a actual (barulhenta) unidade siderúrgica espanhola , com um futuro equipamento pesado de origem Brasileira ... e o que mais se verá, pois não se trata aqui de uma operação tipo Expo 98 em que retiraram a Industria, limparam e transformaram em habitação, hospital, sede de empreses terciárias, Centro comercial , museus, teatros, casino... , mas tão só de manterem a Industria , mas no meio, depois do Estado limpar o terreno, construirem ...

Ou seja, vai ser uma operação tipo Expo 98 , mas com Indústria , um Parque das Nações da Margem Sul na volumetria para a qual o original descambou, pois que, não é para 1500 fogos que se estão a prometer : - " Escola básica com jardim de infância, um outro infantário, uma escola secundária para dez a quinze turmas e uma extensão do centro de saúde. A cãmara propõe-se ainda reservar espaço para mais três a cinco creches e para uma unidade de apoio a idosos" - mas quem é que "papa" uma coisa destas???

Imaginam um Parque das Nações com um quarteirão de Indústria, outro quarteirão habitação, outro o Casino Lisboa e o CC. Vasco da Gama e ao lado uma oficina de reparações de automóvel junto a um infantário, outro com a extensão do centro de saúde mais uma fabriqueta ao lado do Oceanário, uma recauchutagem junto ao Teatro Camões ... mas isto senhores, é o futuro!!! Compre já, na Margem Sul!!!

Porque segundo Alfredo Monteiro, isto é que é o século XXI, a Europa e o Mundo estão enganados em fazer exactamente o inverso, Alfredo Monteiro só tem igual na demagogia do Presidente da Coreia do Norte, certamente onde irá beber estas ideias tão à frente!!!

Senhor Alfredo Monteiro, esqueceu-se que há um imbróglio juridico para resolver?

__________________________________________________

Ex. vereador CDU, do urbanismo da Câmara de Setúbal , Aranha Figueiredo, demitido na sequência do afastamento do Presidente da Câmara , Carlos Sousa... abre o saco (clique).



5 comentários:

Anónimo disse...

E quem votou? Até parece que foi só a CDU.

Anónimo disse...

http://www.regiaodesetubalonline.pt/noticia.php?cod_titulo=8&codigo=45BA233381511

ex-militante disse...

As coisas começam-se a perfilar para as próximas eleições. É a altura de se acertarem agulhas e estratégias, temos o PS amancebado com o PC?

Mário da Silva disse...

Eu agora fiquei na dúvida!?!? Não é o mesmo senhor vereador?

Estas coisas pôe-me muito baralhado...

Mário da Silva disse...

Ó pá! O artigo sumiu-se...

Não foi censura, não. Deve ter sido só um "problema informático".

Mas o outro artigo não.

Vejam lá se descobrem as diferenças... ou as semelhanças.