quinta-feira, janeiro 11, 2007

O SPRAY DA CENSURA











Continua a haver no Seixal um crónico desrespeito pela democracia e pela liberdade de expressão , isso seria certamente mais visivel se houvesse uma mais efectiva “posição” no terreno e no dia a dia, por parte da oposição, estabelecendo um diálogo permanente com a população, não acontecendo isso, uma vez, a única presença e omnipresença visivel nas ruas, fora das campanhas eleitorais é a campanha diária da Câmara à Maioria que a gere e a do PCP (365 dias por ano e a cada esquina) o que em termos de pluralismo deixa muito a desejar, fazendo até parecer que só há espaço para uma opinião, para uma única posição, e nenhuma outra alternativa.

A unica excepção de presença politica fora da época eleitoral, por parte da “oposição” são estes cartazes da JSD (na imagem) que são de imediato vandalisadas ao ponto de essa força politica ter feito a presente campanha - “Podem vandalisar, mas não calar” – e eles próprios vandalizados da forma que a imagem documenta.

Este silenciar das vozes criticas (ou diferentes) é sintomático de um sistema politico pôdre, que funciona fora das regras da pluralidade democrática e que quando surgem vozes divergentes, quer da sociedade civil, quer de uma força politica que não o PCP, apontam todos os seus meios e todo o seu “arsenal” a essas vozes , calando-as, e com elas , as criticas que apontam.

A Margem Sul continua adormecida e manietada , numa longa ditadura instalada há trinta anos e assente numa teia de interesses e decisões cirurgicamente executadas no sentido de favorecer alguns, isso está bem apercebido no escandaloso , ruinoso e cheio de vaidade “à Ceausescu” - na construção das oficinas e dos futuros Paços do Concelho - por parte de quem domina a autarquia, nos negócios discricionários entre uma autarquia endividada e o maior construtor que assim repete a dose e o formato das instalações construídas para albergar as oficinas da Câmara do Seixal.

Com este negócio de "alugueres" e conjugação de interesses, a autarquia do Seixal fica na sua totalidade alojada em propriedades da firma A.Silva & Silva e funcionando para com este na relação inquilino / senhorio, num contrato muito vantajoso para o construtor, um senhorio único que recebe umas centenas de milhar de euros mensais garantidos, num negócio sem riscos, e quem sabe com algumas contrapartidas à altura... por muitos e largos anos!

50 comentários:

Odete disse...

Quem será que de uma forma organizada faz esse tipo de trabalho fascizante? À 6ª feira à noite, em cartazes a 2m, como em cartazes a 5m aparecem vandalizados. Pelo concelho, ao mesmo tempo vandaliza-se quem é oposição. Será muito difícil saber quem são? Provavelmente a Gestapo, a PIDE ou o KGB teriam muito que aprender com esses vandalizadores.

Luis Eme disse...

É uma vergonha!

Anónimo disse...

Era bom que o Ministério Público investigasse onde é que a JSD foi arranjar dinheiro para pagar tanta propaganda. Era bom que o Ministério Público pedisse as facturas para comprovar quem pagou a propaganda... Pois ao que consta a mesma, ou parte substancial, foi paga por uma empresa, que ficou com a respectiva factura, deduzindo o valor na sua contabilidade. Isto é um crime fiscal!

outsider disse...

Em relação ao post anterior... acho que sim. Aliás deveria ser feito a todos os partidos políticos e as suas Jotas. Rapidamente descobriria que o problema transcende cores ideológicas e acentua-se em sítios onde um determinado partido assenta arraiais no poder por mais de 1 mandato; Veja lá o que se passará, por exemplo no poleiro do concelho do Seixal.

Anónimo disse...

Temos de ser cidadãos e intervir, intervir, intervir, falar, falar, falar, denunciar, denunciar, denunciar, fazer politica, fazer politica, porque intervir é fazer política, é construir é não deixar fazer tudo o que eleitos querem. Temos de ser respeitados. Levantemos a nossa voz!

antónimo disse...

já percebemos....querido amigo anónimo.
Que importam os factos!!!!
..vamos já todos a correr atrás das suspeições tão perinentes que nos oferece.
Beijinhos.

Anónimo disse...

O Margem Sul está votada ao regime de um só partido que é muito pouco democrático quer no seu interior, pela maneira com toda a gente sabe que funciona, quer também para o exterior...

Anónimo disse...

Os bons exemplos de VILA NOVA DE GAIA



Diário de Notícias

Autor: Carlos Rodrigues Lima
Data: 26-10-06
Pág.: 4
Temática:Nacional

CORRUPÇÃO EM NEGÓCIO DE LIXO

Megainvestigação a negócios autárquicos

Há mais de dois anos que o Ministério Público está a investigar outras situações semelhantes às do ‘saco azul’ de Felgueiras. Antigos responsáveis da Resin ofereceram um roteiro sobre práticas de corrupção nas autarquias. Mas a PJ de Coimbra considerou, quatro dias antes das últimas legislativas, que as suspeitas sobre o ‘Planalto Beirão’ eram "genéricas"

Ex-quadro da Resin revelou que a empresa simulava contratos com outras câmaras. Dinheiro servia para as campanhas eleitorais

Há mais de dois anos que o Ministério Público está a investigar suspeitas de outros "sacos azuis" relacionados com os negócios do lixo. As situações foram descritas por antigos dirigentes da empresa Resin, no âmbito do processo de Fátima Felgueiras, que denunciaram simulação de contratos, viagens pagas a autarcas e apoios financeiros nas campanhas eleitorais. Em Viseu, as suspeitas foram arquivadas (vertem em baixo). No Porto, os processos dispersos por várias comarcas foram condensados num só, que corre no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) desta cidade.
Estes processos tiveram origem nas declarações de antigos responsáveis da Resin (empresa privada de tratamento e recolha de lixo) que, durante a investigação do processo do "saco azul" da Câmara de Felgueiras, ofereceram ao Ministério Público um autêntico roteiro sobre práticas de corrupção nas autarquias: um antigo director administrativo da empresa revelou ao MP ter tido conhecimentos de simulação de contratos e empolamento de custos que "envolveram as Câmaras Municipais de Matosinhos, Vila Nova de Gaia, as Associações de Municípios do Vale do Sousa, Planalto Beirão e a Área Metropolitana do Porto", sobretudo em questões relacionadas com a Lipor, uma associação de municípios da Área Metropolitana do Porto responsável pela gestão e tratamento dos resíduos sólidos urbanos.
O mesmo responsável declarou ainda que "era frequente a Resin celebrar contratos fictícios com algumas autarquias, procedendo à devolução da quase totalidade dos valores pagos por estas". Ou seja, um "saco azul". Que, nas palavras do antigo responsável da empresa, tinha como objectivo "apoiar financeiramente as recandidaturas de alguns autarcas que, posteriormente, favoreciam a Resin nos concursos em que participava".
DIAP do Porto condensa
O conhecimento deste ex-quadro da Resin foi ao ponto de afirmar que a empresa pagou "deslocações a quadros da Lipor, presidentes de autarquias, vereadores e quadros técnicos camarários, nomeadamente a França e à Escócia, sendo as deslocações justificadas com o objectivo de contactar com projectos já realizados".
Perante estas declarações, Pinto Bronze, o procurador responsável pela investigação do processo do "saco azul", ordenou, em Abril de 2004, a extracção de certidões para várias comarcas, dada a respectiva competência territorial.
Um ano depois, o então procurador distrital, Alípio Ribeiro (actualmente director nacional da Polícia Judiciária) ordenou a junção dos inquéritos que se encontravam dispersos pelas comarcas de Vila Nova de Gaia, Matosinhos e Lousada. Este "novo" inquérito corre termos no DIAP do Porto. E, ao que o DN apurou, os autos encontram-se na PJ, que está em diligências.
Mas, segundo confirmou ao DN o assessor de imprensa da Câmara de Matosinhos, a esta autarquia ainda não foi realizada nenhuma busca, nem nenhum vereador ou quadro foi inquirido no âmbito desta investigação. O mesmo se passa em Vila Nova de Gaia. Ao DM o assessor de imprensa garantiu que ninguém da câmara foi ouvido pelo MP. Realçando que o contrato com a Resin é anterior à gestão do actual presidente, Luís Filipe Menezes, que, aliás, cancelou-o.

Intervenção de José Sócrates
Por sua vez, um antigo director técnico da Resin relatou que o Tribunal de Contas manifestou reservas quanto a um novo projecto para a construção do aterro municipal de Lustosa, em Felgueiras. "Tendo estas sido sanadas", disse, por Sócrates, enquanto secretário de Estado do Ambiente. Em causa estava um novo valor dos trabalhos tendo em conta nova legislação ambiental.

‘Saco azul’ julgado em Fevereiro de 2007

Três anos após ter sido acusada pelo Ministério Público, Fátima Felgueiras começará a ser julgada a 6 de Fevereiro pela alegada prática de 23 crimes no âmbito do chamado caso do "saco azul". Além de Fátima Felgueiras, o processo conta ainda com mais 15 arguidos, pronunciados, em Abril de 2004, por vários crimes de natureza económico-financeira. Júlio Faria, antigo presidente da Assembleia Municipal, está acusado de dois crimes de participação económica em negócio. Os gestores da Resin, Vítor Manuel Borges e Carlos António Marinho, estão, cada um, acusados de cinco crimes de participação económica em negócio. José Barbieri Cardoso, técnico superior do município e alegadamente cúmplice na elaboração dos contratos simulados com a Resin, responderá por um crime de corrupção passiva para acto ilícito, sob a forma de cumplicidade, e três de participação económica em negócio.

PJ de Coimbra encerra investigarão antes das eleições

Quatro dias antes das últimas eleições legislativas (20 de Fevereiro de 2005), a Polícia Judiciária de Coimbra deu por terminada a investigação sobre um alegado "saco azul" que envolvia a associação de município do "Planalto Beirão".
Na informação remetida ao Ministério Público (MP) de Viseu, de que o DN solicitou cópia, o inspector concluiu que as declarações do ex-director da Resin eram "imprecisas" e "demasiado genéricas".
Da mesma informação remetida ao MP de Viseu - que em 22 de Fevereiro de 2005 arquivou o caso - resulta que apenas foram feitas duas diligências: uma nova inquirição do antigo director técnico da Resin e a audição do ex-presidente da Câmara de Tondela, António Tenreiro da Cruz, na altura presidente da associação de municípios em causa.
O ex-administrador reafirmou as declarações anteriormente prestadas no âmbito do processo do "saco azul". Da inquirição do então autarca não resultou, segundo a Judiciária, "a percepção de qualquer indício minimamente consistente que levasse à investigação de algum facto concreto".
Concluiu a PJ que, "salvo melhor opinião, não parece que disponhamos de elementos suficientes que sustentem a matéria denunciada e daí não se vislumbrar a realização de outras diligências".
Sobre as mesmas declarações, o Ministério Público de Guimarães concluiu em Abril de 2004 que as mesmas constituíam "fortes indícios da prática de vários crimes, tanto de natureza económica e financeira contra o Estado, podendo os mesmos ser imputados a responsáveis e titulares de cargos políticos ou a titulares de cargos de natureza análoga".
O procurador Pinto Bronze, que redigiu a acusação contra Fátima Felgueiras no processo do saco azul, afirma, categoricamente, no despacho que ordena a extracção de certidões, que "constata-se que existem fortes indícios da prática de corrupção, abuso de poder e peculato", os quais deveriam ser investigados nas comarcas com competência para tal.

Mário da Silva disse...

Para quem não tenha visto esta está hilariante.

Até mais.

Anónimo disse...

Quanto á questão levantada sobre as contas da campanha da JSD Seixal:

- Todas as facturas estão exclusivamente em nome da JSD Seixal

- Todas as Campanhas da JSD com despesas superiores a 1 ordenado mínimo nacional (cerca de 400 Euros) são enviadas para o PSD Nacional e em seguida para o Tribunal de Contas.

Felizmente na JSD seguimos os valores da TRANSPARENCIA. Não há qualquer tipo de empresa a financiar outdoors/obras.

"Podem Vandalizar, Mas Nunca Calar"

Miguel Pina Martins

PS- Um muito obrigado a todos aqueles que se mostraram solidários com a JSD

Anónimo disse...

A JSD-Seixal no passado dia 13 de Dezembro apresentou junto do Ministério Público do Seixal uma queixa-crime contra incerto em virtude dos recentes ataques às estruturas de propaganda politica.

Na sequência desta queixa-crime, a JSD-Seixal lançou uma nova campanha com a frase “Podem vandalizar, mas nunca CALAR”, tendo em vista deixar claro que não abdica da proclamação da sua forma de ver a sociedade e a politica no nosso concelho, querendo afirmar peremptoriamente a marca ideológica que está na sua génese.

A JSD-Seixal, espera que a JUSTIÇA se faça, e que os criminosos que têm atentado contra a saúde da democracia sejam apanhados e julgados pelos seus actos.

A JSD-Seixal, volta a reafirmar que repudia veementemente todos os actos de barbaras agressões contra o seu património e que a diferença de opinião e a liberdade de expressão são valores dos quais nunca abdicará por muitas que sejam as pressões.

Pela Comissão Politica de Secção da JSD Seixal

(Miguel Pina Martins)

João Antero disse...

É evidente que são estas práticas que o Ponto Verde e amigos sonham um dia fazer na Câmara do Seixal... Só que a população do Seixal já de monstrou que não vai em Cantigas e por isso, nas autárquicas, quando chega a hora de votar o voto certo, da maioria, é na CDU.

Anónimo disse...

Para mais informações visitem:

www.juventudeseixal.blogspot.com

Mário da Silva disse...

Porque usamos pseudónimos? Por causa de cenas deste género.

Até mais.

André Santos disse...

A população do Seixal, quando chegava a hora de votar, era na CDU.

Agora, quanto ao futuro, vamos mesmo ter de esperar para ver, porque falar já pela "população do Seixal"...

José António disse...

Vão esfregando as mãos nos próximos 3 anos... Que no final vão ver que em 2009 a população do Seixal voltará a saber destrinçar o trigo do joio e dará a vitória à CDU.

Ponto Verde disse...

Bom. este post foi interessante pela discussão gerada, é sempre curioso ver aqueles que sentem o seu tacho construído ao longo de trinta anos a ser posto em causa, sem compreender o fundo das questões levantadas.

Mas esperar que tenham inteligência e sentido democrático para admitirem sequer que da democracia faz parte a alternância e o desapego do poder, porque o poder concedido democráticamente é sempre transitório e efémero e nunca eterno.

Mas os dogmas, os facciosismos e o apego ao poder de quem não sabe fazer mais nada, e nunca teria na vida "civil" , pela sua mediocridade, as mesmas oportunidades conseguidas, leval à cegueira total e absoluta.

São tabém incapazes de uma leitura simples de um texto claro, logo não é de esperar que saibam observar o que os rodeia e que aprendam com oa países civilizados como se faz urbanismo, como se dá qualidade de vida aos cidadãos, como são as cidades, os espaços verdes, o campo, ou como se alternam os partidos e os cidadãos na gestão do bem público, Sendo o acto de gerir esse bem público entendido como uma forma de servir a população e não de se servir dela para interesses próprios, partidários ou de empresas privadas.

Anónimo disse...

Como é obvio, quanto a factos, poucos argumentos há que possam ser usados. Sinto-me triste com tudo isto, não tanto porque sou militante do PSD e da JSD e fui seu dirigente, mas mais do que tudo o resto porque acredito da democracia, na liberdade de opinião e de expressão, na pluralidade de pensamento, na saudavel disputa de argumentos, de prespectivas e de ideologias. Importaria saber quem faz isto à propaganda da JSD, mas ver que há quem ponha em causa o financiamento de uma estrutura como a nossa apenas e só porque apresentamos trabalho, dá pena. Carissimo anónimo, a JSD do Seixal não prestou vassalagem a nenhuma empresa ou grupo economico, depende das actividades por si organizadas e das contribuições dos seus militantes. Se sabe de algum crime, faça como nós, denuncie junto do Ministério Público e espere que eles façam o trabalho. Ah! Sabe mais, a JSD Seixal tem nomes, e as denuncias por nós efectuadas não são anónimas. Gostaria que tivesse coragem de ir ao MP dizer o que diz aqui, ou quem sabe deslocar-se à nossa sede para o dizer com a frontalidade que nós dizemos que podem vandalizar mas nunca calar.
É de esperar mais iniciativas da JSD, temos obrigação de defender aquilo em que acreditamos, temos obrigação de gritar bem alto quando todos os outros nos querem silenciar, temos obrigação de apresentar propostas diferentes, temos obrigação de honrar os nomes dos nosso fundadores em particular o de Francisco Sá Carneiro.
Obrigado ao Ponto Verde pela denúncia pública neste blog da falta de liberdade e de democracia que continua a existir neste concelho e em outros limitrofes.
Finalmente em nota de rodapé: é obvio que se o PCP ganha no Seixal é porque em principio as pessoas acham os seus candidatos superiores aos dos outros partidos! Agora uma coisa é certa, a JSD está disponivel para discutir com quem quer que seja, onde quer que for, a irrealidade onde o PCP deste concelho julga que nós vivemos.
Saudações democraticas.

Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Força JSD

ex-pcp disse...

vergonha de concelho este o nosso.

André Santos disse...

Olha, boa intervenção esta a do Filipe de Arede Nunes.

Não houve anonimatos nem assuntos pouco claros - daqueles que servem para desconversar e fugir aos assuntos... - nem acusações mal provadas.

Quando se sabe do que se fala é outra coisa.

Anónimo disse...

Vergonha é lançar suspeitas sobre a JSD, quando há problemas graves de democracia no nosso concelho.

JSD SEIXAL disse...

Visitem para mais inoformação:

www.juventudeseixal.blogspot.com

Anónimo disse...

Os camaradas do PC foram proibidos de comentar! Quem falar é expulso! É Pena...

Anónimo disse...

Ao carissimo anónimo que insiste em levantar suspeitas à JSD do Seixal.

Fazemos então assim. O sr. fala com o MP do Seixal para o convencer a ir consigo à nossa sede e eu terei todo o prazer em lhe mostrar as facturas. Olhe, melhor ainda, se quiser, nem precisa de levar o MP, apresente só uma denúncia. Ah, até pode sugerir a hora, mas veja lá se aparece. Mas já agora, outra coisa, se afinal não for como diz, não contesta a denuncia de crime de difamação que depois vamos apresentar contra si, certo?
Finalmente, tomo a liberdade, tal como todos os outros que lêm estas palavras de o achar ridiculo e triste se não aceitar ir ver as nossas facturas e se não tiver a coragem de nos responder.

PS: Como sou jurista, tomarei a liberdade e terei o prazer de o fazer pagar em juizo a irresponsabilidade das suas palavras. É que sabe, podemos enganar alguns durante algum tempo, mas não conseguimos enganar todos durante todo o tempo!

Filipe de Arede Nunes

Caparicano disse...

Política...

manuel disse...

Mais uma vez a força da repressão a funcionar, em detrimento da democracia.

Maria disse...

Mais uma vez é preciso de relembrar a certos sujeitos de que vivemos numa DEMOCRACIA,em que existe LIBERDADE de EXPRESSÃO (creio que todos saibamos o que estas palavras significam).Porem no concelho do Seixal parece não existir Liberdade de Expressão, porque pelo que vemos no dia a dia nas ruas em que existe(ou existiu em tempos)propaganda politica da JSD SEIXAL esta encontra-se toda ou na sua maioria vandalizada...
Lamentavel é que em pelo SÉCULO XXI sim Séc XXI ainda aconteçam destas coisas, uma tremenda falta de respeito para com o que a JSD SEIXAL tem feito...É de lamentar que estraguem aquilo que tanto trabalho nos dá a fazer.
É de VALORIZAR que nas últimas eleições autarquicas a JSD SEIXAL esteve presente e fez a sua campanha também na feira de S.Pedro no Seixal.
Pelo que me tenho apercebido devemos ser incomodo para alguem!
Gostaria de saber o que têm contra a JUVENTUDE SOCIAL DEMOCRATA DO SEIXAL?!?!
Nós nunca dissemos mal de ninguem,nem nunca vandalizamos NADA a ninguém.

Concordo com o que os carissimos Pina Martins e Filipe Nunes disseram...
Sou militante da JSD e tenho muito ORGULHO em sê-lo.
Mais uma vez "Podem Vandalizar,Mas NÃO Vão CALAR"

FORÇA JSD

Anónimo disse...

Caro anonimo,

a sua conversa é sempre a mesma!!! seja neste ou noutro blog...realmente o que lhe interessa é saber de onde vem o dinheiro para os cartazes da JSD... mas, deixe-me dizer-lhe que não é isso que aqui está em causa! o que aqui está em causa é o atendado à democracia e o desrespeito pelo trabalho que uma comissão politica está a fazer e que constantemente é vandalizado!
Tomo ainda a liberdade de lhe dizer que, se está tão incomodado com a origem do dinheiro mais incomodado e indignado deveria estar pelo que se está a passar contra a liberdade de expressão e democarcia! Compreendo que é dificil "engolir" que uma estrutura politica consiga com o seu trabalho árduo e com a sua dedicação ser o que é!!!
Espero que se faça Justiça, e que os criminosos sejam apanhados e julgados pelos seus actos.
E digo mais:
"Podem Vandalizar Mas Nunca Calar"

Anónimo disse...

"Ministério da Agricultura suspende funcionário que autorizou corte de sobreiros em Benavente" : ver Publico!

Tb gostava de ver a jústiça chegar ao Seixal e que os culpados dos cortes dos sobreiros fossem realmente condenados pelo crime ambiental...

Têm visto o viaduto em Corroios!? Pq será que as obras de repente pararam? estranho, estava tudo a ir tão bem... rsrsrs

Anónimo disse...

Quem pagou a última campanha da CDU Seixal e sobretudo quem pagou a anterior?

A anterior teve outdoors gigantescos a serem mudados a cada quinze dias, sabem quanto custa?

Quem já esqueceu? E quando a campanha da autarquia se confunde com a propaganda da maioria?

João Afonso disse...

Meu caro anónimo quem pagou a campnha da CDU foram os seus militantes. Saberá V. Excª que os eleitos da CDU dão as suas senhas de presença ao PCP, faça as contas e conclua que a CDU não precisa que ninguém lhe pague a campanha. Quanto aos outdors nas duas ultimas campanhas tanto a do PS como a do PSD tiveram muito mais outdors que as da CDU.

Anónimo disse...

Já cá faltava o nosso amigo João Afonso para nos prendar por estas suas tiradas magnificas!
No que diz respeito ao PS não me oferece dizer nada, agora o PSD teve muitissimo menos outdoors do que o PCP, incomparavelmente menos diria até. Portanto, se quer com isso atirar areia para os olhos relativamente ao assunto deste post, falhou!

João Afonso disse...

Excelentissimo senhor Doutor Filipe Arede Nunes, já tinha saudades das suas fantasticas afirmações. Desde que o senhor doutor foi "despedido" pelo PSD da Assembleia de Freguesia que não tinha contacto com as suas fabulosas afirmações. Sobre este seu post apenas lhe respondo: olhe que não, olhe que não...

Anónimo disse...

Quem sabe um dia não chego a Doutor meu caro amigo, por ora não passo ainda de licenciado em direito, mas pelos vistos é algo que o incomoda.
Quer então negar as evidencias... O PSD tinha 10 outdoors espalhados pelo concelho. Quantos tinha o PCP? E sobre a vandalização das estruturas da JSD, não lhe oferece dizer nada?

Anónimo disse...

O sr João Afonso só fala do que lhe convém... ou nem isso, porque afinal não lhe convém mesmo falar de quantos outdoors tinha a CDU, mas uma coisa aqui garanto, tinha mais que o PSD.

João Antero disse...

10 Outdors do PSD? Deixa-me rir pois só na Amora o PSD tinha mais!...
Senhor Doutor Filipe Arede Nunes um licenciado em direito é um doutor! Quererá V. Excª dizer que chegará a Professor... Ainda vamos ver na TV as Crónicas do Professor Filipe

HKT disse...

Os cartazes da JSD incomodam. Por isso são vandalizados. Há quem não esteja habituado à critica....o método é sempre o mesmo:se o tema é incómodo, lançamos a suspeição sobre alguém.
O facto é que alguém vandalizou repetidas vezes não só os out-doors da JSD, como também os do PSD (lembram-se, durante a campanha eleitoral?) e ainda a própria sede concelhia. Trata-se de um facto condenável, e que diz muito sobre o "espírito" democrático e cívico dos cidadãos que praticaram tais actos. Condená-los-ia igualmente se fossem praticados contra qualquer outra força política.
O que se procuram na reacção a este post é "tapar o sol com a peneira" chamando à discussão o financiamento da JSD. Desde já elogio a disponibilidade e o à vontade dos seus dirigentes para esclarecer este ponto.

André Santos disse...

Ora nem mais, disponibilidade essa que pelos vistos incomodou mesmo muita gente.
Mas, do mal o menos, são sempre os do costume.

Discutir quantos outdoors tiveram os partidos no passado sempre dá para baralhar um pouco a conversa, pois uns afirmam que a CDU tinha menos, uns que tinha mais...e sinceramente isso interessa muito pouco.

Fiquemos pelo presente:
- "Alguem" vandalizou os outdoors da JSD.

Sr João Afonso, quer comentar?
Parecia que sim, mas já vi que não...de qualquer forma havia muito pouco a dizer e felizmente já foi práticamente tudo dito.

Sobre os financiamentos e as acusações à JSD:
- "Ridiculos e tristes", apresentem lá as provas nos sitios que já vos indicaram...nada mais simples.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Alguém vandalizou... Será que foram mesmo vandalizados? Todo este alarido demonstra que a JSD foi a unica beneficiária com essa vandalização...

Maria disse...

Creio que o assunto em causa neste post era e ainda é o VANDALISMO feito aos outdoors e mupies da JSD SEIXAL, não a quem financia ou deixa de fincaiar as campanhas do partido, nem quantos outdoors havia do PSD ou do PCP durante as eleições autarquicas. Creio que se começa a "lavar roupa suja" como se costuma dizer, o que de certa forma é mau...
A pergunta que faço é: porquê vandalizar os mupies e outdoors da JSD Seixal? Será que somos assim tão incomodos?! Ou não temos neste concelho direito a fazer política?!

saudações sociais democratas

Anónimo disse...

Não vou fazer comentários ao Sr. anónimo porque só alguém que não sabe o trabalho e investimento que dá colocar estes cartazes é que poderia afirmar que fomos nós que os vandalizamos.

Relativamente ao facto de serem vandalizados, parece que a Revolução de Abril nunca chegou ao nosso concelho, a Juventude Social Democrata têm todo o direito como qualquer outra força politica de ter cartazes na rua com as suas ideias e convicções...

Infelizmente uma minoria continua a achar que pode censurar e calar a nossa mensagem.

A essa minoria afirmamos que não nos deixaremos amedrontar por esses actos de violência, e que continuaremos a nossa luta por um Seixal melhor.

Anónimo disse...

A cusam agora a vitima de ser o vilão, ou sehja a JSD de ter colocado cartazes e depois de os ter vandalizado, isto só mesmo das mesmas mentes que sobre o caso da criança que morreu no esgoto por incúria da Câmara, terem acusado a mãe...

antónimo disse...

Pois...
Mas o meu problema, é só a JSD posso felicitar como organização partidária que vai dando uns espirros, contra a democracia falaciosa que por esta Cuba-Sul campeia.
Ora vejamos:no blog desta organização, de meia dúzia de artigos ...só dois são de conteúdo, os restantes são o caso dos cartazes???E quanto aos conteúdos, onde está a denúncia da veemente e caótica situação atentória aos direitos do cidadão que por cá vive????
Desculpem, mas caso o dos cartazes , é um caso de trastes....é significativo...mas são trastes.
Quem sou para dizer de que devem falar...mas onde estão os casos ..os que realmente são importantes- AS PESSOAS os CIDADÃOS???
E agradeço a vossa atenção:
É neste blog, -CIVICO-, onde melhor ou pior, cidadãos anónimos ( porque o anonimato é uma necessidade-melhor, uma imposição do sistema totalitário e repressivo vigente), que a v/ORGANIZAÇÃO SOPURTADA POR UMA ESTRUTURA E UM APARELHO , com toda uma capacidade que de enfrentar as pressões organizadas e o poder económico que oprime e subjuga os vulgares cidadãos, é aqui que a JSD se vem expressar.
Não me alongo mais,mas como cidadão se tenho que concordar e apoiar a vossa indignação no caso dos atentados contra os cartazes, na mesma condição de cidadão constato que as organizações politicas , supostamente de OPOSIçÃO...(nem que fosse contra o sistema totalitário existente) são de facto organizações de SUBMISSÃO, perfeitamente enquadradas num regime esquemático.
Aí, não cabe o cidadão , nem os seus direitos, quanto mais a sua defesa!
Aí não cabem os deveres...

HKT disse...

Curioso este pensamento de que seria a própria JSD a vandalizar os seus próprios mupies... teríamos assim uma espécie de Dr. Jekyl e Dr. Hyde: de dia os srs. Pina Martins e Filipe Nunes colocavam cartazes e queixavam-se de vandalismo. Pela calada da noite, devidamente munidos de sprays, tesouras etc. transformavam-se em vandâlos... curioso discurso este de quem não olha a meios para atingir fins. Esta ideia só pode ser maquiavélica ou stalinista.

Anónimo disse...

(...)" Não me alongo mais,mas como cidadão se tenho que concordar e apoiar a vossa indignação no caso dos atentados contra os cartazes, na mesma condição de cidadão constato que as organizações politicas , supostamente de OPOSIçÃO...(nem que fosse contra o sistema totalitário existente) são de facto organizações de SUBMISSÃO, perfeitamente enquadradas num regime esquemático.
Aí, não cabe o cidadão , nem os seus direitos, quanto mais a sua defesa!
Aí não cabem os deveres... "

Outra grande verdade revelada por um anónimo neste blogue.

Por essas e por outras é que o poder cdu da margem sul não hesita em lançar acusações aos outros partidos por factos com relevo penal ocorridos noutros concelhos quando tem a consciência de que também os praticou nos concelhos que gere.
Quer queiram quer não queiram, este tipo de comportamento visa exercer pressão política - e não só ! - sobre os partidos do círculo do poder legislativo - sobretudo - para que sejam atingidas situações de "equílibrio" entre as diversas clientelas.

È, PORTANTO, UM COMPORTAMENTO TÍPICAMENTE MAFIOSO!

Como tal, porque isto já fede e porque foi dada ao País a esperança de que, pelo menos no caso dos "futeboys" a descoberta da verdade material e a realização da Justiça pode mais facilmente ser alcançada por equipas multidisciplinares de investigadores coordenadas por quem detenha competências para uma actuação ao nível nacional enquanto dura a fase de Inquérito( se forem deduzidas acusações elas serão julgadas no local dos factos ), acho que mais tarde ou mais cedo terá que ser criada uma unidade similar para neutralizar o tentáculo autárquico que asfixia o Poder Local e as legítimas aspirações das populações.

Mário da Silva disse...

Carissímos,

Discutam isso tudo noutro espaço.
Aqui já não lhes devem dar troco e manter esta onversa de surdos.

Os anónimos continuarão a insultar e os que não o são -- como o pseudo-senhor "João Afonso" que sabe muito bem que não existe nenhuma forma legal de o ligar a quem quer que seja pelo que pôr o nome ou nada é igual -- continuarão a desconversar.

Larguem o assunto.

Por outro lado o Partido Ecologista "Os Verdes" continua -- desta feita pela camarada Manuela Cunha -- com a sua longa série de declarações esquizofrénicas e que podem vêr um excerto aqui.

Até mais.

Ponto Verde disse...

Um agradecimento a todos pela enriquecedora participação e partilha de opinião.

JSD Seixal disse...

A JSD Seixal agradece ao Ponto Verde por ter publicado e consequentemente ter gerado este debate.

Estamos crentes que a População do nosso município estará cada vez mais sensibilizada para esta questão democrática.

É pena as acusações que se fazem sem nexo á JSD e Totalmente falsas, mas é assim mesmo no ciberespaço.

Os melhores cumprimentos a todos,

Saudações democráticas

Anónimo disse...

Não lhes faz mal nenhum levarem uma alfinetada de vez em quando para ver se espevitam as orelhas mas hão-de convir que as jotas são um mundo àparte pois nos passados dos seus elementos não se encontram experiências de compromisso com os poderes públicos: é um tempo de formação e de idealismo mas o pior é quando surge o primeiro tacho e o idealismo cede perante o pragmatismo.