sábado, janeiro 13, 2007

O LIXO NO LIXO - TRINTA ANOS PERDIDOS









A Ultima campanha da Câmara do Seixal com a “pedagogia do lixo” é meritória , sobretudo porque é uma das poucas vezes que aqueles outdoors não servem só para propaganda , apesar de o conteúdo desta ter pontos em comum.

O que é pena e nos mostre o atrazo em que ainda estamos da Europa e de alguns municipios nacionais, mesmo estando a escassos minutos da capital, é que ainda estamos no ponto do “Não deite o lixo na rua” , ou seja tem-se perdido todos estes anos esquecendo o básico, e ainda aí estamos, enquanto noutros municipios se criam Parques Ecológicos e se protegem paisagens, aqui pelo Seixal estamos ainda no “não deite o lixo para o chão”...

É também pena que a autarquia tenha alegadamente uma dívida de há dois anos a esta parte com a AMARSUL, o que não será própriamente a forma mais correcta de implementar politicas sérias e sustentadas ao nível da recolha de lixos para aterro sanitário e de reciclagem e reutilização do que é passivel de o ser, aproveitando a adesão dos cidadãos à reciclagem que tem crescido exponencialmente.

Sobre a campanha própriamente dita, espera-se é que não seja só uma campanha pontual para mostrar lá no fundo uma politicamente correcta “preocupação ambiental”, cuja mensagem logo se perde. Pois que muitos são os sinais contrários que vêm da sede do municipio, construção desenfreada, destruição de paisagens e àrvoredo protegido, promiscuidade com construtores civis... afinal uma outra forma de lixo contra o qual não há nenhuma campanha institucional a ser posta em prática.

13 comentários:

Anónimo disse...

Se não estão falidos paguem é o que devem á Amarsul e a quem devem seus caloteiros.

Anónimo disse...

Esse exemplo deveria ser também seguido pelo Município de Almada, pois a falta de civismo de muitos, prejudica toda a população. Ver a propósito:

http://oladocerto.blogspot.com/2007/01/saga-continua_12.html#links

http://oladocerto.blogspot.com/2007/01/ecopontoou-no.html#links

Cumprimentos do Lado Certo

Anónimo disse...

Ponto Verde
Sobre o modo de funcionamento do aterro da Amarsul nunca o senhor escreveu uma palavra... Sobre os cheiros nauseabundos nunca escreveu uma palavra... Sobre os problemas sofridos pela população com o deficiente funcionamento do aterro, nunca escreveu uma palavra... A primeira vez que escreve sobre a Amarsul é para dizer que a CMS não paga! O que é falso... E apenas demonstra que para si não é os problemas das populações que importa, mas sim a mentira!

Ponto Verde disse...

Ao anónimo caluniador do anterior comentário tenho-lhe a dizer que o que afirma é falso.Procure bem ao longo dos quase 700 posts onde há multiplas referências ao aterro sanitário e volto a afirmar existir uma divida de mais de dois anos para com a AMARSUL por parte da CMS.

Anónimo disse...

Era bom que fizesse referência aos seus posts sobre a amarsul, como faz com o Centro de Estágios... Ou como eles não existem... A referência é genérica, para ver se engana o pagode!

Ponto Verde disse...

O comentador anterior navega nas águas de uma esquizófrenia de escrita incompreensivel e/ou num conjunto de "silogismos ilógicos" para citar as palavras de um anterior vereador caído em desgraça, este blog não pretende ser , contráriamente ao que desejará, um consultório do foro psiquiátrico.

Anónimo disse...

Não entendeu... Tadinho do ponto verde... É preciso fazer um desenho? Ou o que interessa é mudar de conversa... O mai importante não é se a CMS deve ou não à Amarsul, o mais importante é que a Amarsul tem o aterro a funcionar de forma deficiente o que prejudica as populações! Ou será que os cheiros nauseabundos do aterro como não são da responsabilidade da CMS não são um problema ecológico?

Ponto Verde disse...

As autarquias nunca têm culpa de nada, será por serem formadas por indigentes inimputáveis?

O anónimo que desresponsabilisa a CM do Seixal do "mau funcionamento da Amarsul" desconhece que a CMS faz parte da estrutura da empresa e está nela representada?

Fique então a saber que : AMARSUL - "Formada com o objectivo de valorizar, tratar e dar destino final adequado aos RSU da Margem Sul do Tejo, a Amarsul é constituída pela EGF – Empresa Geral do Fomento e pelos municípios de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, abrangendo uma população de aproximadamente 714 mil pessoas."

LB disse...

e que faz a Camâra Municipal do Seixal para tentar mudar o actual estado das coisas? Que medidas são tomadas pela CMS para minimizar/contrariar os efeitos nefastos que o aterro provoca em todos nós??? - É preciso responder??
Nada! Não faz, neste como noutros casos, nada... uma perfeita nulidade! Mas se é para participar em salões imobiliários têm direito a 1ª página no pasquim municipal e tudo.
Nunca este problema do aterro aparece sequer referenciado no pasquim... se fosse um problema que a CMS quizesse resolver já o tinha trazido para as primeiras páginas como aliás conseguiu com a miserável propaganda do Hospital.

Anónimo disse...

Se o Ponto Verde pugnasse pela verdade informava que a EGF – Empresa Geral do Fomento - Grupo Aguas de Portugal - tem 51% do capital social da Amarsul e as autarquias em conjunto 49%, pelo que é a vontade da EGF – Empresa Geral do Fomento que predomina nas Assembleias Gerais.
Se o Ponto Verde pugnasse pela verdade informava que a Câmara Municipal do Seixal só está representada na Assembleia Geral da Amarsul que reune duas/três vezes ano.
Mas já sabemos que verdade e ponto verde sãor ealidades que não combinam...

LB disse...

A CMS tb não está representada no Governo nem no Ministério da saúde e nem por isso deixou de exigir e fazer campanha pela construção de um hospital no concelho... deu direito a cordão humano e tudo!
Se o aterro é um assunto que preocupa a CMS como diz, caro anónimo, deixe-me que lhe diga que pouco se vê (o cheiro, infelizmente continua a sentir-se)... e não me venha agora dizer que a CMS trabalha nos bastidores e sem alarido porque já afirmou que a mesma não tem voz nas decisões da Armasul!
Cumprimentos,
(Aproveitar o Domingo para discutir assuntos que interessam)

Ponto Verde disse...

Gostaria de deixar aqui uma palavra de apreço, respeito e admiração por todos os TÉCNICOS e FUNCIONÁRIOS envolvidos na NOBRE TAREFA de recolha e tratamento de resíduos urbanos que muitos dos seus concidadãos não tratam convenientemente, dos engenheiros do ambiente e outros técnicos superiores ao anónimo trabalhador (sobretudo a estes) das recolhas e da triagem .

Gostaria aqui de deixar uma palavra de profundo desrepeito , desprezo e desconsideração por muitos dos responsáveis autárquicos. Nomeadamente ao bando dos que se pavoneiam com cargos e participações em empresas municipais, mas que não têm a nobreza de acatar e assumir a sua incompetência , falta de formação técnica e moral, e que tentam a todo o custo manipular os seus concidadãos no sentido de se perpetuarem no poder masmo depois de há muito terem atigido o ponto máximo da sua incompetência.

Anónimo disse...

Quais empresas municipais? Tadinho do Ponto Verde que já não sabe a quantas anda...