quarta-feira, janeiro 17, 2007

MARGEM SUL - O DOSSIER DN









O Diário de Noticias presenteou-nos hoje, a propósito do “debate” de logo á noite, com o seu dossier cidades dedicado à Margem Sul. O tom que retirámos da sua leitura leva a temer o pior para o programa da noite em colaboração com a TSF e com transmissão para todo o país. Teme-se que seja mais uma ocasião perdida e truncada do que deveria ser um debate abrangente, alargado e isento da realidade da Margem Sul.

Ao trazer para primeira página do jornal o título falacioso de que “Oferta cultural da Margem Sul já concorre com Lisboa” dá-se o mote para se branquear e diluir outros factores e outras leituras, pouco objectivas e superficiais sobre a realidade que todos partilhamos.

Só vagamente se ultrapassou o velho mito de que o problema urbano da margem sul está na Ponte então Salazar e nas décadas de 60 e 70, todos sabemos que daqui, nada mais falso (o Seixal tem duplicado os seus habitantes a cada dez anos) , pois é nas décadas de 80 e 90 que o caos se instalou e a densificação assentou arraiais. Do trabalho (em que o concelho da Moita ficou esquecido ? ) salvaram-se nomeadamente as declarações da Arquitecta Leonor Gomes.

O resto é pouco mais que um retalho de faits divers, ideias feitas e propaganda autárquica (cheia de justificações à Calimero) feita por quem “não conhece esta realidade”, que tentou agradar a Gregos e Troianos, ou que com a cumplicidade do governo sabe muito bem o que está a fazer, veremos esta noite o desempenho da Senhora Secretária de Estado...

7 comentários:

ex-militante disse...

Um trabalho jornalistico sobre a margem sul que se esquece da Moita é para ser levado com algumas reservas, mas há muito do fundamental que foi referido. Caro pontoverde não se esqueça que as autarquias pela publicidade obrigatória institucional têm um peso considerável nos jornais, então sobre os locais é o que se sabe. Não é de esperar que vão ao fundo das questões.

Anónimo disse...

Não sei não... Olhem que a Moita anda muito falada, pelas piores razões como sabemos, e nestas coisas de contactos com os OCS basta alguém demonstrar alguma indisponibilidade ( geralmente de agenda )para que o repórter dê corda aos sapatos que as rotativas não esperam...

Anónimo disse...

Parece que os meios de comunicação social lá se lembraram deste lado, tantas vezes esquecido e pouco falado nos media.

É o dossier no DN e o debate com alguns autarcas a passar daqui a nada na TSF (já estou com o rádio ligado...)

Venha agora o debate de ideias.

Anónimo disse...

Afinal o debate radiofónico foi banhada, era para ser assim ou houve alguma bronca? Alguma birra dos autarcas ?

Mário da Silva disse...

Então! Mas... não houve o debate?

Se calhar era só para verem quem aparecia à porta... mas isto já é dizer mal.

Até mais

Anónimo disse...

O jornalista referiu-se ao Senhor Presidente da Junta como "apenas" sendo Presidente de Câmara o que levou a que alguém viesse depois rectificar a desconsideração feita a quem, não obstante as falinhas mansas e a vitimização, está a dar o tudo por tudo para aparecer ligado às grandes obras públicas realizadas pelo Poder Central.
Aguardo o compacto do debate a ser transmitido creio que no sábado.

alentejano disse...

Espreitem o novo blog sobre Almada http://www.emalmada.blogspot.com
è só emalmada