quinta-feira, novembro 02, 2006

ALMADA - METER ÁGUA...NA CIDADE













Há na Margem Sul uma senhora presidente de Câmara que não consegue pôr os carris para um Metro andar (clique) , esse metro está parado na garagem faz mais de um ano...mas não anda, nem um metro.

Essa senhora que não há meio de conseguir pôr em marcha um investimento de milhões, com as linhas já construídas , mas que entre si não formam qualquer nexo, ou sequer consegue projectar e manter um espaço condigno para os seus mortos (clique) , vem agora propôr um projecto a 20 anos, para construir em 115 hectares , entre Cacilhas e a Piedade a "Cidade da Água".

A autarca garante que a proposta foi muito discutida, acredito, o Metro Sul do Tejo já vai, fora o processo de projecto...em 15 Forums Públicos de discussão.

Segundo o PUBLICO de 29 /10/06, dentro desse espirito de diálogo "está em marcha com as restantes autarquias do arco ribeirinho, para que seja criada uma « oferta complementar» nos domínios da habitação, espaços para serviços e para industrias... com o projecto de requalificação, ficam reunidas as condições para que ali residam, pelo menos, mais 12 mil pessoas, e trabalhem outras tantas. (...)" (leia-se; outras autarquias CDU do arco ribeirinho)...

Relembro o horizonte temporal deste projecto (20 anos) e o facto de estar assente "num esquema de acessibilidades e de transportes públicos, para desincentivar o usos do automóvel...a extensão do Metro até à área de intervenção, acriação de ciclovias....a construção de um tunel..."

Quem é que depois de um descalabro de trinta anos na gestão de Almada, acredita nestes milagres?

Com a apatia que o restante território, a começar com Lisboa ali em frente e a naturalidade com que estas megalomanias são apresentadas e aceites, não será própriamente um milagre, a manutenção no poder da mesma força politica que gere Almada há mais de trinta anos através do recurso , mais uma vez ao lobbye do betão, associado a este projecto, pois trata-se em repetir , até à exaustão, uma fórmula que tem deixado o caminho livre (e financeiramente desafogado...), ao partido Comunista nesta Margem Sul do Tejo , desde que o resto do país vive em democracia.

Ah, a "oposição" não fica melhor na fotografia, com o candidato, ex- Governador Civil de Setúbal, Alberto Antunes nas últimas autárquicas , a propor uma espécie de Manhattan para o mesmo local...Já nessa altura Alberto Antunes se manifestava também preocupado com os atrazos no Metro. E agora?

5 comentários:

Papoila disse...

Ponto Verde, não sei se já teve a oportunidade de visitar a exposição "Território e Cidadania" no Forum Municipal Romeu Correia em Almada. Por aquilo que a CMA tem projectado para a zona "almada Nascente", parece-me, sinceramente, ser sempre uma melhor opção ao espaço degradado que actualmente existe. Veja-se o caso da Expo em Lisboa, que reabilitou a zona oriental de Lisboa, tornando-se numa mais valia para a capital. Com menor dimensão, os terrenos da actual Lisnave tornam-se desejáveis para a especulação imobiliária, isso é um sinal dos nossos tempos. Contudo, se houver algum cuidado e bom gosto, a zona da Lisnave pode tornar-se numa mais valia para o concelho de Almada.

Ponto Verde disse...

Agradeço a sugestão. Mas a questão fundamental é porque razão , a reconversão de instalação industrial tem que se tornar em componente habitacional...

Porque razão as zonas agora desafectadas industrialmente , não são afectadas a uma industria de terceira geração? ligada por exemplo à produção de energias não poluentes (eólica e solar) e com isso contribuindo com emprego , com criação de riqueza em sustentabilidade e redução da factura do carbono?, conjugando isto com os espaços verdes que tanta falta fazem na Margem Sul.

André Santos disse...

De facto o caso da Expo 98 foi uma mais valia, mas fugiu muito ao projecto original.

Lembrem-se que o espaço destinado para habitação foi "crescendo" ao longo do tempo, a area de construção prevista inicialmente foi ampliada e, no fim, não saiu bem o que se esperava.

O que alguns esperavam, enfim, porque outros puderam fazer exactamente o que queriam: construir, construir e construir.

Tem de se ter muito cuidado nestes projectos.

António disse...

"num esquema de acessibilidades e de transportes públicos, para desincentivar o usos do automóvel...a extensão do Metro até à área de intervenção, a criação de ciclo vias....a construção de um túnel..."

Isto é a piada do ano! Então durante 30 anos nada fizeram neste aspecto e agora é que o vão fazer!?!?!? Digam-me uma coisa, as estradas da margem sul estão um caos na hora de ponta, como vão fazer para que as 12 mil pessoas, na verdade vão ser mais pq com o exemplo da expo todos sabemos que a área para construção vai aumentar, saiam de manhã para o trabalho??? com o metro? Em Lisboa existe metro, comboio e as pessoas não largam o carro, na margem sul existe comboio e barcos e as pessoas continuam a ir de carro!!!! Isto é mais uma fuga para a frente e a rendição aos patos bravos (construtores!)!!! Com a estabilização no número de pessoas a viver no país e a diminuição da taxa de natalidade para quê insistir em construir mais aglomerados populacionais em áreas já de si saturadas?? Querem o quê, trazer o resto da população do interior para a Grande Lisboa??? Não seria melhor aproveitar a zona e criar uma zona de lazer para as pessoas, por ex., jardins, ciclo vias, zonas para a prática de desporto, desportos náuticos etc. etc. e não uma zona para gente rica como é a expo!

Em relação à expo façam uma visita e comparem com o projecto inicial, vão ver que os apregoados jardins nunca vão aparecer pq as zonas estão ocupadas por torres. A praça sony foi desmantelada e vai dar origem a uma torre, o jardim na parte sul está a ser sujeito a pressões para ser destruído e ali construírem 2 torres! É isto que vai acontecer em Almada, pq se olharmos para o passado da gestão da margem sul todos percebemos quem manda, patos bravos, e $$$$. Assim como no resto do país !!!

Em relação ao metro, não vale a pena adicionar nada, é uma vergonha em que ninguém vai ser penalizado ou castigado, é o país que temos!

Pensem no seguinte: Os vossos filhos, amigos ou vocês conseguem andar de bicicleta na rua? As crianças saem de casa para brincar nos parques e jardins junto de vossas casas? Quantas horas perdem por dia para chegar ao trabalho? Aonde estão os parques para vocês irem ao fds com os vossos filhos ou amigos brincar ou praticar desporto? As ruas estão limpas? Acham mesmo que vivem num local agradável sem ruídos dos carros e sem poluição? As escolas têm condições? A nossa cidade, não incluindo os shoppings, tem vida durante o dia ou à noite? Os transportes são pontuais e têm qualidade? Temos realmente qualidade de vida? Não seria melhor investir nisto do que em megalomanias??? O problema é que em Portugal as cidades não são feitas a pensar nas pessoas mas sim em algumas contas bancárias! Não se pensa em dar qualidade de vida ás pessoas e faze-las assim um pouco mais felizes!

ZP disse...

De facto, cada vez compreendo menos qual o rumo que as autarquias da Margem Sul seguem, ou sequer, se o têm.
Leio o que dizem os Presidentes da Camâra e os vereadores e fico com a sensação que sou um preveligiado por viver nesta zona... depois saio de casa, vejo o caos em que se transformou isto nos últimos 30 anos e fico evidentemente baralhado....
para mais quando fico a saber que os terrenos norte da Siderurgia Nacional vão ser transformados em terrenos para habitação e que o grande lobby de pressão neste caso dá pelo nome de A.Siva & Silva, por acaso a mesma empresa que construi as oficinas da CMS...
E a industria e o emprego meus senhores??? mais casas em concelhos já de si a rebentar pelas costuras???