terça-feira, novembro 28, 2006

REGRESSO AO COMBOIO









De 2004 até ao final deste ano, enquanto se assistiu a uma paulatina subida do preço dos combustíveis, com a consequente diminuição do consumo, assistiu-se também a um aumento da procura no transporte ferroviário, são responsáveis por esse aumento, a CP e a Fertagus.

A este aumento da procura , nomeadamente na Fertagus, não é também alheio o prolongamento da linha, que deixou de terminar no Fogueteiro, mas que se prolonga agora até Setúbal.

O aumento deste número de passageiros é traduzido em mais dois milhões e meio de passageiros na CP. Na Fertagus, até agora , e só neste ano, em mais novecentos mil passageiros.

A este aumento da procura por um transporte não poluente está para além do aumento recente dos combustíveis, um crescente aumento da sensibilidade ecológica dos cidadãos, demonstrando que desde que sejam criadas condições práticas ,de qualidade , em termos de oferta e fiáveis em termos de horários, que as pessoas não exitam em deixar o carro em casa , ou no estacionamento das estações.

Mais uma prova da desadequação em termos de estrutura de linha e os penalisantes atrazos que o projecto do Metro Sul do Tejo traduzem. Um projecto que a ter entrado ao serviço como constava do projecto, traduziria num peso ainda maior na utilização da Fertagus, retirando consequentemente milhares de automóveis de circulação com ganhos para todos e para o ambiente.

4 comentários:

Luis Eme disse...

Sempre gostei do comboio como meio de transporte. Utilizei-o durante anos na Linha do Oeste.
É por isso que sempre fiquei com a sensação que alguns governos queriam acabar com este meio de trasnporte, com as qualidades que enumeras "Ponto Verde", porque começou a ter horários desajustados, além de atrasos significativos, que davam cabo de qualquer agenda, obrigando as pessoas a arrepiarem caminho e a procurarem transportes alternativos.

Anónimo disse...

Uso o comboio da Fertagus è 4 anos e considero um meio de trasporte público muito bom, ao nivel do melhor do que se faz lá fora. É pontual e limpo. Para aqueles que dizem que vão em pé, é verdade às vezes costuma acontecer, mas à que lembrar de que é um meio de trasporte publico e de que na hora de ponta é impossivel ter lugares para todos. De qq maneira a viagem não dura mais do que 15 ou 20 minutos, por isso não é nada que não se possa suportar

Anónimo disse...

Como leitora assídua deste excelente blog, hoje fiquei chocada:
"pessoas não exitam em deixar o carro em casa"
"linha e os penalisantes atrazos que o projecto do"
Espero que não entenda como um reparo negativo.

ZORRA disse...

Vê lá Ponto Verde...que os anos passados lá fora andam-te a baralhar a ortografia, mas as ideias e conteúdo continuam excelentes - Conteúdo 1º, a forma depois. Mas, como deves saber, somos um País de bons professores e melhores espias. ;-) Abraço. Não te "atrazeszesze" Zorra