quinta-feira, outubro 02, 2008

SEMANA DA LÓGICA (4)

É este o resultado de uma avenida REQUALIFICADA ?
É nisto que deu, milhões gastos e meses de transtorno e obras?

As obras do Metro Sul do Tejo são intermináveis no centro de Almada , no principal eixo viário que liga o Cento Sul a Cacilhas, não é só o barulho, o caos , mas também a falência do comércio tradicional que está a receber uma verdadeira certidão de óbito, não só pelo atrasar sistemático das obras , mas também pelo que se perspectiva de futuro.

É que das soluções urbanas encontradas é duvidoso que elas tragam mais gente ao cento de Almada, que sejam mais apelativas para que os cidadãos esqueçam o Almada Forum e voltem para o Centro da Cidade.


O Metro parece não ser mais uma alternativa de transporte, mas a única , talvez seja esta a única forma de o viabilizar , dado que até hoje, o traçado não parece ser aquele que melhor serve a população, tornando assim o MST apelativo.


Mas há outras soluções são incompreensíveis para o cidadão comum , e que são verdadeiros atropelos à mobilidade , mas sobretudo, é incompreensível que numa via redesenhada completamente de novo, desde Cacilhas ao Centro Sul, não tenha sido incluído um espaço destinado a ciclovia, seria não só a forma de levar a bicicleta de Almada ao Parque da Paz em termos de lazer ou a Lisboa por Cacilhas e pela Transtejo incluindo a bicicleta como alternativa não poluente de transporte individual...

Também no Centro de Almada se abandonou , uma solução usada até à Cova da Piedade, e que incluía relva no espaço entre carris e que tornaria o novo espaço algo inóspito criado, bem mais agradável e refrescante.

É caso para perguntar :


QUAL A LÓGICA ?

11 comentários:

salema disse...

A obra em curso, coloca Almada no livro das asneiras ferroviárias em circuito urbano.

EMALMADA disse...

Almada com as vias férreas do comboio, assim designado pela concessionária nos avisos "Comboio em Teste", cidade destruída pela actual presidente da Câmara ,vai ser um "case study", para evitar asneiras futuras de destruição urbana, provocada por sonhos maníaco-delirantes de autarcas.
Sobreviverá Almada a este terramoto de destruição urbana-sócio-económica, com epicentro na actual presidente da Câmara?

memória de almada disse...

O grande motor do MST foi a "máquina de interesses do PCP" que funcionou, como uma autêntica central de contra- informação do partido e da C.M.A...contra os cidadãos de Almada.

É evidente que, se os moradores tivessem as ideias do partido, o percurso APROVADO pelo Estado enquanto dono da obra tinha ido "avante", nem que fosse preciso recolher 4.000 assinaturas para o assunto ser discutido na Assembleia da República...

Este percurso não serve os Almadenses nem os Seixalenses e o Governo devia ter decidido como fez ontem no Porto, optando pela linha do Campo Alegre e não pela da Boavista.

Em Almada o partido controlou tudo. Na Assembleia Municipal, na Assembleia da República, e nos demais orgãos do Estado que se deixaram manipular de uma forma verdadeiramente infantil, com especial destaque para a Secretária de Estado dos Transportes que, sem revogar um seu despacho que fixou o traçado (solução 5), permitiu que a obra esteja a ser executada de forma diferente...

A C.M.A. manipulou a seu belo prazer e em proveito próprio, números, estudos, etc... de modo a levar por diante a sua proposta inicial da Linha Cacilhas Universidade...

No que concerne à Linha Corroios Pragal, certamente que o seu traçado, já construído pela rua de Alvalade, estaria contemplado numa das QUINZE soluções que foram estudadas...

Só não foi apresentado publicamente, mas isso é um pormenor de somenos importância. Em Almada, como em qualquer regime ditatorial, quem manda pode...

Só a teimosia, a cegueira, a raiva e o ódio com que foram olhados os moradores e a ignorância técnica da presidente da C.M.A e do seu séquito, podem justificar a solução criminosa que foi levada por diante.

Todos os políticos envolvidos foram vítimas de ataques de amnésia que os levaram a esquecerem-se dos compromissos que assumiram solene e publicamente de voltarem ao contacto com os moradores...

Como os recortes do "pasquim municipal" aqui publicados bem demonstram, verborreia literária é um predicado que não falta à "máquina da informação" autárquica... Por acaso pensam que os leitores do dito "pasquim municipal" não têm memória? Estão bem enganados...

Anónimo disse...

Eu gosto de ter o MST á porta.
Mas o que me agrada mais é ter esgotos novinhos em folha.
Qualquer Almadense gostaria de ter esgotos novos. Esse previlégio é nosso.

Anónimo disse...

So se pode entender isto que estamos a ver em Almada,quando uma senhora como a presidenta têm manias megalomanas,e a sociadade civil não esta organizada senão isto nunca tinha passado,nem em Almada nem em outro sitiu deste Pais.

sobrevivente das obras do MST disse...

Agora sai-se do Central para a estrada, bom, não se sabe muito bem onde é a estrada, depois se nos safarmos temos dois pares de carris do metro, e de novo a estrada até chegar ao outro passeio, bem, não se sabe muito bem onde é o outro passeio ufffff... upssss , sobrevivi !!!

Anónimo disse...

Não se esqueçam... tornem a votar no PCP e na mesma autarquia se querem ter mais m.... desta.
É inconcebível a incompetência desta autarquia.

Não se esqueçam de votar nas próximas eleições. Não se abstenham porque a abstenção é dar mais um voto a esta Câmara.
Votem num partido qualquer. MAS VOTEM.

Velas do Tejo disse...

É a lógica da aridez…

Anónimo disse...

PCP!! PCP!! Emília vai voltar a ganhar!!

Tiago disse...

Se o espaço canal tivesse relvado não iriam chover criticas porque os veículos em caso de emergência apenas tinham uma via etc ?

Anónimo disse...

ó tiago ainda não viste que o mal não é só da redução das faixas de circulação, como também da palhaçada do traçado e inserção que escolheram, da anormal requalificação urbana e não só.
Só fizeram m...a.