quinta-feira, outubro 16, 2008

PINTAR PAREDES


A existência e sobrevivência do Partido Comunista depende hoje, mais que nunca, do chamado Poder Local , este que há mais de trinta anos conhecemos, instalado na Margem Sul .

Quem tenha o mínimo de distanciamento dogmático , sabe que o PCP só se mantém com doses massivas de propaganda através de um gasto de recursos brutal em todos os meios que permitem transmitir a sua mensagem.

Em mais de trinta anos deste Poder Local , a máquina partidária conseguiu tomar conta ou tirar dividendos de quase tudo o que são manifestações cuturais (de raiz tradicional, popular ou por si criadas) desde procissões de raiz religioso (!) até desportivas .

Claro que a cereja no topo do bolo está na Festa de Setembro no Investimento Imobiliário da Atalaia.

Neste reino de fantasia, não há que olhar a meios ou despesas , mas há que controlar os desvios e as apreciações que escapam à máquina de propaganda, sobretudo consubstanciada em autores de blogues que insistem em pensar de outra maneira, ou a pôr em causa o unanimismo local.

Esta dinâmica "autárquica" , pode ser fácilmente desmontada pelo que de concreto não se vê aparecer feito ( veja-se por exemplo o caso do Moinho de Maré de Corroios , mas outros exemplos poderiam ser dados, e vamos continuar a dá-los ).

Nos posts em que abordámos o Seixal Graffiti , está lá tudo , da manipulação ideológica e aproveitamento mediático , ao inconsequente da suposta pedagogia anunciada ( afinal é necessária uma pedagogia...) , acabando por constituir , não mais que uma mera e vazia acção panfletária de rua, com recurso a uma meia dúzia de figurantes seguidistas da voz do dono ... e a umas centenas de latas de tinta... em spray !

O valor dessas latas poderia e deveria ser aplicada em tinta branca , estamos num municipio que se reclama pobre e a necessitar de ajuda financeira , de forma a servir primordialmente para a conservação do património , para a limpeza de elementos gráficos degradantes e disruptivos , e não para a promoção de graffiters sem qualquer contrapartida para os demais cidadãos.

Há quem não o queira compreender, há também quem o não consiga , basta ler alguns dos comentários para compreender o nível de alguns dos "artistas ofendidos" pelo "delito de opinião" dos que não alinham pelo mesmo gosto e aqui denunciaram o verdadeiro Vandalismo Institucional que com o fim único da subversão democrática por cá se vai permitido eternizar no poder.

Os GRAFFITERS e os GRAFFITIES são , neste enquadramento, meros fantoches e adereços daqueles que instalados no poder se estão bem a borrifar para os cidadãos , graffiters incluídos !

Nota final

- E tudo isto se faz com a benção de muita gente bem intencionada !

- Entretanto , tem sido difícil aceder ao wall of fame, pois a qualidade da obra já correu mundo e há aglomerações brutais para ver as novas criações 2008-2009. O Seixal Graffiti colocou Portugal no mapa dos grande eventos , roubando parte significativa dos visitantes do museu Guggenheim de Bilbau.

A colecção Berardo mudou-se para Paris e o Ermitage desfez em definitivo o acordo com Portugal , o rombo em termos de visitantes motivado pelo anúncio do Museu Cargaleiro já tinha sido de monta , agora o Seixal Graffiti 2008 arrazou por terra o projecto com o Estado português.

O A-Sul soube também que a Fundação Gulbenkian prevê uma completa remodelação, estando prevista já para Outubro, uma exposição monográfica dos autores que em par produzem assinaturas memoráveis sobre betão constituído por 2 partes de areia e uma de cimento portland sobre tinta robialac tartaruga branco mate refª 444567.

Neste enquadramento, foi tremenda a dificuldade que tivemos em fazer uma reportagem fotográfica do moral, perdão mural , aqui (acima) em primeira mão a célebre e já uma referência, Falling Madona with the big bubbies em negligée roxo sem wonderbra , a mensagem "For Love" torna a obra esmagadora .

47 comentários:

Anónimo disse...

Isto é arte!!

Anónimo disse...

Qual o motivo de tanta agressividade?
É algum passatempo que tem??

Anónimo disse...

Diz-se por aí...
Há os benfiquistas, os portistas e os sportinguistas. Depois aqueles que são mais anti-benfiquistas de que outra coisa qualquer...

Tu és anti-comunista.

Obrigado pela importância que nos dás. Talvez porque bem no fundo, mas bem no fundo de ti, ali para os lados do pâncreas, sabes que nós temos a razão do nosso lado.

ate mai logo..
AM

Paulo Edson Cunha disse...

Caro Ponto Verde, poderá ser consultado, para quem quiser fazê-lo, no "revolta das Laranjas" requerimento dirigido ao Sr, Presidente da Câmara a solicitar informações sobre esta matéria.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Obrigado ao A-Sul pela notícia vou já a correr à parede dos graf para ver os desenhos. Ri-me mesmo e de vontade. Obrigado pela boa disposição que me proporcionou. só é pena que a situação seja mais para chorar do que para rir. Estamos próximo de não ter condições de habitar neste concelho quer pelas estupidas iniciativas da Câmara quer pela insegurança também muita dela da responsabilidade da autarquia pela desordem do trânsito, do estacionamento, pela degradação dos edifícios, os da ponta dos corvos até dói ver, tudo num estado lastimável e o Presidente e os Vereadores a passearem-se nos carrinhos que compraram com o nosso dinheiro como se não fosse nada da responsabilidade deles.

Anónimo disse...

Eu lamento que estes autarcas que estão bem instalados na vida se andem a servir destes rapazes e destas raparigas para fazerem mais umas fotografias para o boletim e para serem notícia com vista a propaganda politica para se promoverem a eles próprios. Estes autarcas tinham obrigação de apoiar estes jovens para os motivar a fazerem coisas verdadeiramente interessantes e importantes e podiam fazê-lo se utilizassem o dinheiro dos nossos impostos para proveito de melhorar as condições de vida dos municipes. Estes autarcas não olham a meios para atingir os seus fins.

Anónimo disse...

A CDU patrocina a arte de dois jovens de 23 anos cuja grande obra é reproduzir a sua assinatura.
O que dirão de Van Gogh e de Amadeu de Sousa Cardoso , um viveu 37 anos e o outro 31 e a assinatura que reproduziram resumiu-se ás obras primas que criaram, a diferença é notória, os artistas criaram obras monumentais por vezes em pequenas telas com assinaturas minusculas, outros pretendem pôr a sua assinatura garrafal em tudo quanto é sítio quer se goste quer não.
Portugal tem que começar a pensar numa lei como as que alguém atrás mencionou , até seguindo as directivas europeias . As autarquias devem-se deixar de aplicar de forma tão mal gasta o nosso dinheiro.

Anónimo disse...

Graffiti nunca vai parar façam o que fizerem.
Nao tenho menor duvida que daqui a uns anos, quando vos estiveres a contribuir realmente para o ambiente ou seja; a fazer de adubo para plantas, que o graffiti seja visto como arte por muito mais gente.
Até la espero sermos considerados como artistas ou simplesmente writters.
Se os estupidos voassem nunca mais se via o sol
Comunistas ou nao acho que tiveram uma boa iniciativa.

Rogeriomad disse...

Caro Ponto Verde:


Não há duas sem três...
Depois de dois artigos, teria que vir um terceiro ainda pior!

És um verdadeiro demagogo, mas que não dizes nada de especial para o seres! Mas continua esse papel aqui no blogue, que fica-te bem.

Devemos usar a ironia para muita coisa, menos como forma de resposta a algo... pois ela nunca funciona num diálogo aberto, plural, de discussão de ideias, com o objectivo de atingirmos o minímo de consenso...
Se és Político ou se gostas de Política, devias saber isso!

Escreveste três artigos. Tivestes muitos comentários e nem te destes ao trabalho de entrar na discussão (com ideias, propostas, ou tentar explicar melhor as tuas intenções, etc) e acabas por escrever este artigo, onde novamente nada acrescentas, apenas com um objectivo, claramente, tendencioso, anti-PCP!
(Recordo que não sou defensor que qualquer partido político, mas, claro, exerço sempre o meu direito de voto!)

Se queres atacar esse partido politico deves fazê-lo de outra forma e não usar uma "iniciativa pontual" (como vocês dizem) para pôr em causa todas estas iniciativas do Graffiti que se tem vindo a fazer, por todo o Portugal (em especial, nos concelhos onde é difícil resolver o "problema". Conheço muito bem Quarteira, Faro e Olhão. Gostava de ver propostas tuas para resolver o "problema" da proliferação do Graffiti nas nossas cidades!)

O teu texto final (a Azul escuro) só demonstra que não estás disponível a dialogar...
Por isso, dou por terminado a minha participação na discussão do assunto em questão.

Para terem uma ideia o que defendo, novamente, publicito aqui:
"Vandalismo Artístico ou Arte Marginalizada?"
http://georden.blogspot.com/2007/03/vandalismo-artstico-ou-arte.html
Um artigo de Março de 2007.

E um pequeno filme aqui, que mostra bons e maus exemplos! Eu sei identificá-los, mas não o faço, pois será sempre subjectivo:
http://www.youtube.com/watch?v=cktxX2vjcBo

Ambos do projecto Georden - Sustentar o Sustentável.
www.georden.blogspot.com

Vamos promover o Graffiti (que apelido, como muitos, de "Pinturas Urbanas") para melhorar o ambiente e qualidade de vida das nossas cidades!
Só assim se resolve o problema!
É isto que devemos defender, sempre afastados de qualquer ideologia partidária...

ex-militante disse...

Atenção, ironia é bacana, mas não para gozar com os grafitos . O Rogério quando vier do Sul para a Capital, vai logo dar com Pinhal dos Frades , é aquele sítio que tem os painéis da A2 todos pintados, e deve ser pelo mesmo caramelo com falta de imaginação, eu também não gosto , preferia o verde , mas agora estou melhor ao saber que é arte, e da boa.

Anónimo disse...

Que miseria esta zona sul do tejo, confunden la mierda con el arte, estoy estudiando en Lisboa y tengo familia en Seixal. Me pregunto como consiguen vivir en un sitio tan mal ordenado y tan decadente.

Que porquería de comunismo tienen en estos lugares? En mi pais las ciudades que son gobernadas por comunistas son un ejemplo de orden y limpieza, espacios verdes, etc, aquí tanto en Seixal como en Almada es el caos, el cemento, el desorden, la suciedad, la basura y la falta de respeto por sus habitantes. Son ciudades sin alma y deserticas.

Juro que nunca mas pongo los pies en esta zona hasta volver a España.

Anónimo disse...

o ponto verde é anti-comunista, porque foram e são os comunistas que defendem a arte. Ao contrário do PS e PSD que dividem a arte por classes sociais, o PCP defende a arte e cultura para todos!

O Grafitti é uma forma de arte pública. Que haja regras, mas que não se combata a criatividade.

Quando o ponto verde e alguns socialista e sociais democratas que vêm para aqui para a masturbação falam, falam em nome da elite e da frustação.

Por estas e por outras, é que eu nunca mais vou votar nesses partidos. PS e PSD nunca mais e pela primeira vez vou contribuir para o crescimento de quem está do lado dos mais desfavorecidos e dos que são estigmatizados por estes dois partidos com o seu polvo. PS e PSD nunca mais.

Anónimo disse...

ATENÇÃO A INSEGURANÇA GRASSA EM REDOR DAS ESCOLAS DO CONCELHO... MIÚDOS A GREDIDOS E ASSALTADOS TODOS OS DIAS... ONTEM PERTO DA PAULO DA GAMA UM MIÚDO BRANCO DE POUCO MAIS DE 13 ANOS FOI BÁRBARAMENTE AGREDIDO POR UM GANG DE NEGROS , SÓ NO ESPAÇO DE TRÊS SEMANAS É A SEGUNDA VEZ QUE EXISTEM ATAQUES RACISTAS, PERTO DESTA ESCOLA.

cidadao disse...

Dou razão ao autor do blogue. O muro foi todo pintado de branco, de forma a cobrir pinturas do ano anterior, mas as paredes do pavilhão em frente mantiveram os mesmos grafitis.
Se a Câmara dá a desculpa de ordenar o espaço e os locais, devia começar por aqui, dar um espaço para pintar mas não permitir em mais lado nenhum.
Concordo também com o autor sobre a Quinta da Trindade. A Tinta branca tinha dado para dar outro aspecto ao edifício Municipal.

Rogeriomad disse...

Bem, volto a participar, para responder ao jovem que escreveu em espanhol:

Conheço muito bem a Andaluzia (Sul de Espanha) e a Galiza (Norte de Espanha). Estive quase o mês todo de Agosto em Espanha (Galiza e Castilha y León) e comparar as nossas cidades com as de Espanha teríamos que falar de muita e muita coisa, para além disso que referes:

- Política;
- Economia;
- Geografia;
- Sociologia;
- História;
- Demografia;
- Ordenamento do Território;
- Perceber ao pormenor a organização Territorial Administrativa de Portugal e Espanha (pois são diferentes!).
- Outras coisas mais...

Teríamos assunto para anos de discussão...

A margem sul do Tejo, depois da desactivação/declínio do sector industrial e outros factores, há muito que está em perda! Almada, Barreiro e Setúbal (apenas falo dos concelhos que conheço) são áreas afectadas pela decadência do seu espaço urbano (pelo que conheço). Não são meras opções políticas das autarquias que resolvem o principal problema, o declínio de um sector de actividade, e respectivo aumento do desemprego e falta de ocupação da sua população! (não se esqueçam que temos uma governação centralizada em Lisboa!)

A revitalização da margem sul do Tejo, não depende apenas das autarquias, mas também com ajudas do poder central e no conjugar de esforços intermunicipais entre os concelhos da mesma rede urbana.

A construção do Complexo Turístico de Tróia, a decisão governamental da construção do Novo Aeroporto de Lisboa, entre outros projectos, serão uma "lufada de ar fresco" para a vossa zona!

Mas não é esse tema que está aqui em discussão.


Respondendo a este último:
"A Tinta branca tinha dado para dar outro aspecto ao edifício Municipal."
Seria uma verdadeira obra de fachada! Pintar um edifício, que suponho abandonado, por pintar!
Pintar, por pintar... (e na volta as paredes nem estão em condições de pintar, pois precisam de ser intervencionadas, levar reboco, etc.)


"Dar um espaço para pintar mas não permitir em mais lado nenhum"

Não permitir, num sentido mais liberal.
Façam aqui e vejam lá se não fazem em todo o lado! Eles têm de chegar lá, por eles próprios, pois são muitos os que são ainda muito jovens e ainda têm um espírito rebelde dentro deles!
Talvez seja mais esta a visão que devemos ter (pelo menos para já).
De pedagogia...

Velas do Tejo disse...

Caro Ponto... isto foi um golpe baixo, não consigo contestar este culto perante tanta voluptuosidade... estou rendido!

lll disse...

Ó Rogeriomad,se se quer promover aqui no Seixal,há cá diversos jornais locais que vivem somente da publicidade e como imagina,vivem mal.Por isso,se se quer promover,anuncie num desses jornais mas pague.Se conhece tão bem,Quarteira,Faro e Olhão,sabe bem as borradas que por aí vão,deixe-nos a nós descansados,fartos de demagogos estamos nós aqui no Seixal à trinta anos.Bons mergulhos.

Rogeriomad disse...

Caro III:

Apoio-me num dicionário online:

PROMOVER
v. tr.,
dar impulso a;
trabalhar a favor de;
fazer avançar;
ser causa de;
motivar, fomentar;
fazer desenvolver;
(...)


Não confunda promoção, com publicidade e anúncios! A promoção pode ser feita através anúncios, mas não é disso que estou a falar!

Posso dizer que conheço o país, não apenas Quarteira, Faro e Olhão!
E é porque conheço, que luto para alterar a realidade, dentro das minhas possibilidades e competências. Tentar resolver "as borradas que por aqui vão..."

moitense não amoitado disse...

Caro Amigo Ponto Verde

Gabo a sua paciência e boa vontade, mas há gente que não sabe o que é Arte, o que é estética, o que é Urbanismo ou harmonia, até mesmo paisagem.

Não sabem porque não conhecem, e só gostam de viver mo meio da M... e do caos, porque só conhecem a M... e o caos.

Este Rogério é um dos muitos que por cá aparecem para desconversar, o Paulo Silva do Seixal, O António do Telhado ou o Nuno Cavaco da Moita etc...

Cumprimentos e saudações Moiteiras

Anónimo disse...

Este Rogério não trabalha... passa o dia a escrever!!

moitense não amoitado disse...

Só mais esta do tal Rogério:

« A margem sul do Tejo, depois da desactivação/declínio do sector industrial e outros factores, há muito que está em perda! Almada, Barreiro e Setúbal (apenas falo dos concelhos que conheço) são áreas afectadas pela decadência do seu espaço urbano (pelo que conheço).

Não são meras opções políticas das autarquias que resolvem o principal problema, o declínio de um sector de actividade, e respectivo aumento do desemprego e falta de ocupação da sua população!

(não se esqueçam que temos uma governação centralizada em Lisboa!)»

ESSA DO PODER CENTRAL DESCULPABILIZAR A MASSIFICAÇÃO URBANA DE 34 ANOS DE BETÃO CDU É UMA GRANDE MENTIRA.

VEJA O PDM DA MOITA.

nunocavaco disse...

Caro Moitense não amoitado, não lhe vou responder directamente até porque você não precisa das resposta e ainda a considerava uma desconversa.

Mas só referiu elementos do partido comunista ou então pretensos apoiantes, como membros desse vasto clube de desconversação.

A realidade é complexa e eu entendo que qualquer forma de arte deve ser bem contextualizada e aí, dou os parabéns aos escritos do rogério, porque me parece que percebe do assunto e o quer discutir.

A política do paizinho não é a correcta, os portugueses estão fartos das conversas em família do Marcelo Caetano ou do Cavaco Silva. A solução passa pela discussão séria dos problemas e sinceramente não me parece que haja vontade para isso. Basta ver os post´s e os comentários da maioria.

Quanto ao moitense não amoitado, e para terminar, explique-me qual é o problema do PDM da Moita, ou melhor quais são os problemas dos novos PDM´s em todo o país, uma vez que nenhum está aprovado. Se o SIADAP se aplicasse ao governo, neste ponto, levavam 0.

Cumprimentos Democratas

nunocavaco disse...

Caro ponto verde, começar o post como começou e numa altura destas é no mínimo hilariante.

Então o PCP só sobrevive à conta do Poder Local?

Esta deveria ser proposta para uma tese ao Congresso. Não vá por aí.

Mas adiante, vivemos num tempo complicado, mas ao mesmo tempo apaixonante onde o sistema capitalista está a ruir porque as suas fundações estão assentes em material lodoso. Um sistema que remete para a exploração quase a totalidade da humanidade estaria sempre condenado e é agora que se exige reflexão para a alternativa, para a verdadeira mudança de políticas:

1- Com mais intervenção do estado;
2- Com mais produção e menos especulação;
3- Com menos excluídos;

Avizinham-se tempos complicados mas apaixonantes porque os senhores liberais já não conseguem esconder as delibidades do sistema capitalista e é nos locais de trabalho que se ganha profundamente esta consciência.

O que foi feito em Portugal nos últimos 30 anos foi precisamente o contrário, com a desactivação da produção nacional, com o acentuar de déficit´s.

PS e PSD, com ou sem CDS-PP:

- acabaram com a agricultura e basta ver como são tratados os funcionários do ministério, são quase todos potenciais elementos para a mobilidade- produzimos menos de metade daquilo que consumimos;

- acabaram com a industria, veja-se o nosso distrito, por cedências à CEE e no caso da Siderurgia com uma acordo por baixo da mesa com os alemães, ficando estes com a nossa cota;

- Não produzimos energia suficiente para o nosso consumo e estamos reféns da Espanha por opção destes partidos;


Mas só ligamos ao déficit das contas públicas e ao turismo. Estes partidos têm de ser responsabilizados por isto!

Assim ponto verde, na sua luta contra o PCP não veja só as autarquias, veja Portugal e o Mundo. Entenda que nas últimas eleições o PCP ganhou Câmaras, veja que nas últimas eleições nós comunistas subimos nos resultados e veja que nos últimos 4 anos entraram para o partido mais 7000 militantes. É Obra! Muito trabalho de gente que não se conforma e não vira às costas à luta. É por isso que o PCP cresce e ainda não sucumbiu a uma morte anunciada vai para 20 anos, provando que quem tem uma cassete são os abutres que nos querem comer a caraça.

Mas esperem, esperem sentados, porque temos partido e partimos com convicção de estarmos certos.

Por isso o post retrata bem o sentimento de quem nos quer enfraquecer.

Cumprimentos Democráticos
Saudações comunistas

Anónimo disse...

SAUDAÇÕES COMUNISTAS É UM CUMPRIMENTO COM SABOR A FEL!

Davide Ferreira disse...

Creio que o Graffiti pode ser uma forma de arte... agora não concordo que se pinte fora dos locais previamente estabeleciados para o efeito. Prédios, Espaços Públicos, Propriedade Privada entre outros devem ser mantidos livres de Graffiti sob pena de se aumentar o clima de insegurança que já se vive actualmente.

Para quem não sabe fazer Graffiti em algo que não é nosso e sem autorização do respectivo dono é crime, e como tal as autoridades devem estar atentas a este tipo de crime, não apenas pelo dano provocado mas tambem pelo sentimento de impunidade que se instala e que leva a prática de crimes de maior gravidade.

Em lisboa por exemplo, deu-se anteontem inicio à limpeza de grafitti:
http://ultimahora.publico.pt/noticia.aspx?id=1345890&idCanal=59

Aqui no Seixal a Câmara Municipal faz questão de incentivar a sua prática... cada um tire as suas conclusões.

Rogeriomad disse...

Moitense não amoitado:

"mas há gente que não sabe o que é Arte, o que é estética, o que é Urbanismo ou harmonia, até mesmo paisagem."

Você sabe? Terá sempre uma resposta subjectiva, logo discutível... logo podemos chegar ao consenso que afinal ninguém sabe o que é arte, o que é estética, etc...

Trate de organizar uma conferência ou um workshop de Urbanismo e/ou Paisagem que serei o primeiro a inscrever-me para ouvi-lo!

"ESSA DO PODER CENTRAL DESCULPABILIZAR A MASSIFICAÇÃO URBANA DE 34 ANOS DE BETÃO CDU É UMA GRANDE MENTIRA."

Novamente comentários políticos, claramente, tendenciosos.

Se não fossem 34 anos de Betão CDU, seria 34 anos de Betão de outro partido qualquer...

Cresci, num meio urbano caótico, o do Algarve litoral, do turismo de massas... Aquele Algarve que vocês visitam no Verão e que desconhecem o que ele é de Inverno!
Vivo no concelho de Loulé, que me recordo nunca foi CDU, no entanto, é um dos concelhos do país com maior taxa de urbanização nos últimos 30 anos...
O Betão avançou ao um ritmo da especulação imobiliária, deslumbrante! Em cima de arribas, dunas, pinhais, pomares, zonas naturais protegidas, etc...

Mas novamente digo, não é disto que o artigo fala.

Uma pergunta simples e directa, longe de intenções políticas e longe, até, do conteúdo de muitos comentários e do próprio artigo em questão, para o autor destes últimos 3/4 artigos, o PONTO VERDE:

TENDO EM CONTA A REALIDADE EXISTENTE, DA PROLIFERAÇÃO DAS PINTURAS URBANAS POR TODO O CONCELHO DO SEIXAL, O QUE DEVE FAZER UM GESTOR DO TERRITÓRIO (político, técnico municipal, etc) DECIDIR EM TERMOS DE REGULAÇÃO URBANÍSTICA E DO INVESTIMENTO A EFECTUAR PARA TENTAR RESOLVER O "PROBLEMA"?

Está visto, que SEIXAL precisa de ideias!

No caso de não reconhecermos as Pinturas Urbanas como forma de arte devemos
colocar um polícia em cada esquina?
Criar uma força policial própria para este efeito?
Contratar um caçador de writers?
Deixar de vender Sprays?
Permitir a venda de Sprays apenas a maiores de 65 anos?
Colocar os técnicos municipais atrás dos jovens que grafitam paredes? Pintar de branco, todas as semanas, todos os edifícios do concelho?

No caso de reconhecermos que as Pinturas Urbanas são arte e sempre serão uma forma de expressão do homem (como já foram, e são, as pinturas rupestres, pinturas nos vitrais e nas paredes das igrejas, dos monumentos, nos azulejos, etc) o que devemos fazer?

Rogeriomad disse...

Davide Ferreira:

"Para quem não sabe fazer Graffiti em algo que não é nosso e sem autorização do respectivo dono é crime, e como tal as autoridades devem estar atentas a este tipo de crime, não apenas pelo dano provocado mas tambem pelo sentimento de impunidade que se instala e que leva a prática de crimes de maior gravidade."

Sem dúvida!
Quando se organiza um workshop de Graffiti, quando se organiza "tardes dos Graffiti", onde jovens se juntam para grafitar é trasmitir-lhe valores cívicos de respeito pelas nossas cidades, de respeito pelo património histórico, pela propriedade privada!

Eu defendo que nas escolas, tal como já há formação em Segurança Rodoviária, em Ecologia, sejam promovidas acções de sensibilização nesta área!
Fora das escolas, devem-se realizar actividades pontuais para tentar atingir esta classe/grupo de jovens, que não têm ocupação e na sua maioria com graves problemas económicos/sociais.


O que tu referes em Lisboa é um anúncio óptimo! No entanto, essa acção deve ser complementada com outras, a meu ver. Tal como anuncia o artigo do publico, que falaste:
"O plano de intervenção no Bairro Alto envolve também a abertura de uma “galeria de arte urbana” para pintura de graffitis"

"Para não “coarctar a expressão artística” que está patente em alguns graffitis, será criada na subida do elevador da Glória uma “galeria de arte urbana”, onde serão colocados painéis de grandes dimensões. Esta iniciativa, em parceira com privados, passará igualmente pela promoção de um concurso e uma exposição anual da “boa arte que venha aí a ser criada”"

É isso mesmo! Ideias! Boas ideias precisam-se! Precisamos discuti-las com tolerância e serenidade!
É este rumo que devemos seguir... Desconhecia este artigo do Publico.pt...
Como fico contente!!!

Medidas centradas na educação e não na repressão!
Caso contrário, podem limpar, mas ao fim de uma semana estará igual ou pior...

Rogeriomad disse...

E mais...

Essa Galeria de Arte Urbana que irão criar em Lisboa terá enorme sucesso!

Certamente que haverá muita qualidade artística e com jeitinho haverá muitos writers a fazerem um bom dinheiro.

É sem dúvida uma forma de mudar mentalidades... e mudar o rumo das coisas...

Anónimo disse...

Rogério não tens idadae para trabalhar ou estás á espera que anoiteça?

Anónimo disse...

Actualização e dum comentário anterior, a Escola Paulo da Gama parece uma escola sitiada só carros da policia são três

lll disse...

Rogériomad,tu não deves conhecer o nosso vereador do ambiente o Dr.Carlos Mateus,mas concerteza o Nuno Cavaco conhece,entra em contacto com o Nuno que talvez ele falando com o vereador,te consiga arranjar um tachito aqui na Camara do Seixal.Tu não sabes mas eu digo,é que tu e o vereador têm algo em comum,ambos são geógrafos.Tenta pá,se já temos um Aranha e um Brázio,porque não um Rogériomad.Continuação de bons mergulhos.

moiteiro não amoitado disse...

Já se percebeu que o tal Rogério está para Quarteira, como o Nuno Cavaco está para a Marinha Grande, e até, estão em sintonia.
Então Nuno Cavaco, não há uma qestão sobre o PDM na Moita ? Não é uma questão, são hectares e hectares delas!
O senhor Rogério é um poço de contradições , mas os writers têm algum problema de incontinência criativa, um descontrolo mental qualquer ? Assim que se levantam desatam a pôr tinta em spray no wc em vez de Brise? E as regras que se aplicam à sociedade não se aplicam a esses meninos e meninas mimados e com dinheiro para gastar em sprays para danificar a propriedade alheia? Não há paciência para esse discurso tão ultrapassado como as conversas do Nuno Cavaco sobre um tempo que não viveu.

Anónimo disse...

Não se pode reprimir os meninos, depois esgota-se a veia criativa.

Anónimo disse...

Tem piada falar-se tanto aqui de arte e de apoio. E o que se passa com os verdadeiros artistas, pintores, fotógrafos e outros que são literalmente impedidos pela Cãmara Municipal de exporem os seus trabalhos em locais que deveriam ser públicos, mas que contam sempre com os mesmos nas suas paredes?
Já a um amigo meu disseram que sem cartão do partido nada feito. É por isso que andam por aí os Jotas a pintar os muros, com o apoio do executivo da Câmara e da Junta.

Maria

Anónimo disse...

Estes gajos são piores que as testemunhas do Jeová , porque raio não admitem que há opiniões e gostos diferentes?

Epá se se excitam e têm orgasmos com a tinta em spray, então pintem os interiores das vossas casas, ponham uma gaja como a da fotografia entre o psiché e a mesa de cabeceira depois desenhem o marx entre a ultima ceia e o menino da lágrima e depois deitem-se no tapete de carpélio a fazer festas ao cãozinho que diz sim com a cabeça e admirem a obra que podem melhorar todos os dias.

ex-militante disse...

O Seixal até tinha uma excelente área para uma galeria de arte urbana, as oficinas abandonadas no Fogueteiro , só que as demoliram para entregar aos patos bravos do concelho, não querem fazer um mural sobre isso ?

TSF Trânsito disse...

TSF hoje 15 horas:

15 quilómetros de fila desde a saída da Ponte 25 de Abril até ao nó do Fogueteiro, é o normal engarrafamento para visitar a wall of fame do Seixal Graffiti 2008.
As vias do concelho estão todas congestionadas desde o recém terminado viaduto de Corroios, toda a nova via rápida do Talaminho está parada, o PCP cedeu os terrenos da Atalaia para os campistas que vêm de longe e já não cabem no Parque dos Franceses. Também o SL Benfica, que viu os treinos cancelados por os jogadores estarem impossibilitados de chegar ao Centro de Estágios, cedeu as suas instalações aos que debandaram ao Seixal para ver a Falling Madona with the big bubbies.

LOLLLLLLLLLLLLLLLL

Anónimo disse...

Não sei se repararam mas o Rogério deixou de teclar deixou de teclar .... finalmente lá saiu do seu emprego na Câmara.

Anónimo disse...

Bom trabalho.
BILMAMUNDOENATUREZA.BLOGSPOT.COM

Curioso ... disse...

Caros,

Tenho assistido "ao largo" a esta troca de opiniões (em alguns casos insultos) sobre o fenómeno dos graffities nas cidades modernas. Agora senti necessidade de deixar aqui expressa parte da minha reflexão (mesmo correndo o risco de alguns "conhecedores" de arte, estética e outras coisas se virem atirar depois ao que vou escrever).

O fenómeno graffiti não é uma realidade nova nem sequer é um exclusivo de cidades como o Seixal, Almada ou Barreiro. Não, o graffiti é um fenómeno mundial, ou melhor, do mundo a que convencionámos chamar de ocidental. Percorram as cidades dos EUA, de França, de Itália, da Grã-Bretanha, e de tantos outros países, e perceberão o que quero dizer.

Sendo assim, o fenómeno dos graffities é um fenómeno social em larga escala. Não pode ser reprimido pela violência, como alguns, irresponsavelmente e provavelmente saudosos de outros tempos que não os da nossa jovem Democracia, desejam e aqui afirmam.

E é como fenómeno social de larga escala que deve ser tratado pela sociedade, a começar por aqueles que têm a responsabilidade democrática de gerir as cidades! Não é reprimindo, é enquadrando devidamente.

Por isso, primeira conclusão da minha reflexão sobre o assunto, os meus parabéns e apoio à CM Seixal por esta iniciativa (que sei a CM ALmada irá desenvolver também), na medida em que ela representa um esforço sério para começar efectivamente a tratar este fenómeno como a expressão de uma arte urbana que não é, e não pode, ser reprimida pela brutalidade. Como, aliás, nenhuma expressão artística do Homem pode.

Segunda conclusão da minha reflexão (e última, por agora). Os que criticam tão duramente este fenómeno fazem-no por razões xenófobas e profundamente egoistas. Dizem que não gostam, mas obviamente não é esse o problema. A verdade é que estes ataques significam a afirmação de uma posição de classe, uma posição de superioridade de que se julgam portadores, porque esta arte urbana é, em regra, uma forma de expressão usada por aqueles que eles próprios, e a sociedade hipócrita que edificaram e que querem proteger porque são os seus interesses egoístas que estão a proteger, mais persegue e marginaliza.

É por isso que assistimos a estes ataques violentos e indecorosos. Não pode, desculpa lá rogeriomad, haver espaço de debate com esta gente. Poupa o teu esforço e trabalho para com quem está disponível para um debate sério sobre esta matéria. Porque esta gente não sabe o que é debater. Só reprimir ...

Anónimo disse...

Estes xenofabos que marginalizam quem lhes pinta a parede, estes ultra nacionalistas, que insultam um trabalhador/pintor/artista/fazedor de sonhos/plagiador que lhe pintou a viatura automóvel...

são mesmo xenofabso qd gastam do seu dinheiro para esses artistas pintarem algo importado daquele país que os comunistas adoram copiar que é a USA.
Convido-os a visitarem os pontos onde foi levada acabo esta iniciativa e, eu como professor de uma escola superior de artes e mais como apreciador de arte apenas acho que está ao nivel do "hapening" e não devemso ser miserabilistas ao achar que "hapening" chega para apelidar aquilo de arte. Muito pouca qualidade.

Já vi melhores traballhos feitso pelos alunos com a mão esquerda sempre eles dextros.

Grafitti é arte? Sim em muito poucas ocasiões, grande parte é poluição visual, o que eu vi no Seixal foi poluição visual. Podem dizer é um começo.
Então não o imponham aos utentes daquele espaço. Façam-no em oficinas... sugestão façam uma oficina para aqueles pretensos grafitters e poder ver quem realmente tem qualidade e apoiar esses. Agoar fazer de um espaço público laboratório para experiencias... acho que não...e os que forem bons irão vingar e ter convites para desenhar paredes, fachadas, td um pouco... mas isso em espaços públicos patrocinados por entidades públicas não se pode correr o risco de se impor "medrioquices" ao cidadão. E foi isso que aconteceu ali no Seixal. Não sendo morador no Seixal, se morasse talvez tb não gostasse. Tal como já tiramso os crucifixos das salas de aula que se impunham aos alunos tb o cidadão não tem de ver o seu espaço público por tendencias e e gostos e arte pouco conseguida.
O problema disto é que é dificil dizer a miudo que não presta, posi ele vai continuar convencido que é bom e vai continuar a pintar.
É necessário educar os pretendentes a graffiteres. Posi existe muita falat de cultura e educação artistica.

o josé disse...

Se me permitem, gostava de comentar a questão da marcação / pintura das paredes, mas em lugar de dizer muro ou parede, vou dizer estrada e pista, e em lugar de dizer spray vou dizer carro e em lugar de "writer" ou "grafiteiro" vou dizer "piloto" e "labrego do xunning".

Se se organizarem corridas de carros, para os pilotos adeptos da velocidade poderem palmilhar asfalto à vontade, em segurança, sem serem focos de risco para a integridade de terceiros e sem incomodarem esses terceiros, e utilizando os meios próprios (não carros cedidos por uma qualquer entidade financiada pelo Estado, como uma Câmara Municipal), de acordo, encantado.

No caso dos labregos do xunning que andam, de dia e de noite, a horas mortas ou em plena hora de ponta, a conduzir a prego a fundo, a fazer ultrapassagens à razia e a demonstrar a cavalagem do substituto do poder fálico aos outros condutores todos, desacordamos. Tão simples como isso.

O facto de uma qualquer manifestação ser denominada "arte" não lhe dá legitimidade para ser imposta a outrém. E é da questão da imposição que eu estou a falar.

Não obstante a iniciativa da CMS se ter desenrolado num espaço delimitado para o efeito, não deixa ser questionável por ser um patrocínio de uma actividade onde os "writers" de facto diferem tanto dos "grafiteiros" como os "pilotos" diferem dos "labregos do xuning", mas que, em ambos os casos é na sua pior manifestação que mais directamente se relaciona e interfere com as vidas comuns das pessoas ("filhas do Garrafão", como alguém chamou, ou não). E é devido a esse peso substancial da faceta mais negativa que há "má-vontade", "xenofobia", "marginalização" e "egoismo".

Não é por causa de quem faz murais como aqueles que têm estado, há anos, nas traseiras das Amoreiras, ou até dos (já retirados) exemplos de "arte política" dos murais do PCTMRPP da 24 de Julho, entre outros. As pessoas que têm de passar pelo Garrafão duas vezes ao dia, para dar 3/4 do seu ordenado para pagar uma casa que só vai ser sua aos 60 anos tornam-se xenófobas, egoistas e marginalizadoras, naturalmente, quando percebem que a quota do condomínio tem de ir outra vez para pintar a fachada/porta/parede do prédio, ou quando querem apanhar um autocarro e têm de perguntar aos outros pasageiros qual é a paragem, porque os sinais do TST estão todos cheios de marcas, assinaturas, tags ou "gafanhotos", ou quando na estação de comboios entram em carruagens "marcadas" com sinais que só lhes transmitem agressividade e a mensagem de uma impune imposição daquilo que out´rém resolveu definir, arbitrariamente, como arte.

Anónimo disse...

No que diz respeito à pintura no muro da fábrica de lanificios, o engraçado desta situação é que foi a própria Junta de Freguesia de Arrentela que pintou de branco aquele muro, no sentido de o preparar... e vão ver que se esse "mural" aparecer danificado com umas boas bolas de tinta... a Junta de freguesia vem logo a correr a pintar novamente de branco esperando que a JCP apareça novamente para restaurar o seu desenho.

Rogeriomad disse...

kBem, venho aqui, apenas, para não vos deixar sem resposta, uma vez que foram muitos os que usaram o meu "nome"...

Apesar dos comentários de muitos, não irei responder a nenhum em concreto e comento, apenas, para o geral: espero que tenham percebido o alcance das minhas palavras, que tenham aprendido alguma coisa... em especial, que devemos afastar-nos de lutas partidárias e que o Seixal não vive sozinha no mundo!

Vejam o exemplo de Lisboa, que foi noticiado nos jornais e que o Davide Ferreira nos mostrou, que adoptou políticas urbanísticas sob a ordem do Sr. António Costa:
- Pintura do Bairro Alto;
- Reforço policial (reforço não significa nada! Em Quarteira, no Verão, há reforço policial e, no entanto, são muitos, os polícias que vêm para cá, passar férias! Vejam aqui: http://www.youtube.com/watch?v=v1QsuUSkPsQ )
- Colocação de videovigilância;
- Colocação de iluminação apropriada;
Sim senhor...

Mas também... a medida mais importante...
Criar Uma galeria de Arte Urbana para eles exporem a sua arte. Criar um espaço para eles! Um espaço que estará numa área nobre daquele Bairro!
É isso mesmo! Não devemos marginalizar, mas aceitar que, de facto, há muito talento no meio de muito vandalismo!

Se aplicassem apenas as duas primeiras medidas, não serveria de nada... tenho dito!
E estas medidas podem ser complementadas ainda com outras:
- Organizar cursos e workshops de Graffiti nessa futura galeria de arte e/ou nas escolas, na rua, noutras áreas da cidade;
- As escolas (Universidades) de Belas Artes, de Artes Gráficas do país devem também em orientar-se nesse sentido;
- Organizar acções de sensibilização, de respeito cívico pelos valores (materiais e imaterias) da cidade;
- Colocar disposições legais nos regulamentos urbanísticos municipais. A maioria deles têm normas sobre a publicidade estática, esplanadas comerciais, fachadas dos edifícios, etc. mas não têm algo em concreto sobre a Arte Urbana, e a meu ver, devia ter.
Os próprios Graffiti legais, com autorização do proprietário e da Câmara, devem ter regras, dependendo da dimensão, do local, etc.

A CMLisboa irá criar um protocolo com a PSP e Ministério público para que quem for apanhado em flagrande delito seja alvo de julgamento sumário (processo mais célere que o normal).
Dependendo de cada caso, as penas serão, possívelmente, o pagamento de uma multa, prestação de serviço social no munícipio e até repor a fachada do edifício no seu estado original. Dificilmente alguém cumprirá pena na prisão (como muitos aqui disseram).

Muita coisa pode ser feita neste sentido. Regulamentar no sentido que eles percebam que rabiscar em tudo o que é canto, não é permitido e nem convém, pois estão sujeitos a que algo de mal lhes aconteça.

Continuarei sempre disponível a transmitir a minha opinião, aberto ao diálogo, mas não aqui.

Sustentem o Sustentável, da forma como quiserem.

Cumprimentos,

Rogério
Georden - Sustentar o Sustentável
www.georden.blogspot.com

Anónimo disse...

Já voltoy o Rogério para o seu emprego na Câmara, ele só tecla enquanto trabalha...perdão em horário laboral... será qeu trabalha?

Anónimo disse...

nunca nada nem ninguém vai parar o graffiti....quanto mais o tentam reprimir mais força nos dão para lutar contra....


não podes parar o movimento chavalo...

Anónimo disse...

oh meus gandas anormais...

façam alguma coisa da vida em vez de me andarem a moer o juizo por exercer um direito que é meu que é o mural politico...

FOI A JCP QUE PINTOU O MURO DE BRANCO...eu tava la, carago!

agr vao coçar a micose pa outro assunto...