domingo, abril 23, 2006

COMPARAR 3













Foto Centro Estágio do Benfica (clique) , o "futebol" permitiu o abrir mão de zonas de reserva ecológica, permitindo não só a construção daquele equipamento privado, mas também uma mega urbanização.

Não será para já dificil, desta comparação, concluir que o PCP tem dois pesos e duas medidas, uma quando está como força residual (que é) no computo da representação democrática, outro quando está em maioria numa qualquer autarquia onde faz tudo, menos o que Jerónimo de Sousa prefaciou numa recente edição da Constituição onde afirmava que era "uma Constituição democrática e progressista que o PCP respeitará e defenderá" e onde na prática estas forças politicas CDU não defendem o cidadão, e o futuro sustentável da sociedade em termos ambientais, mas que subjuga afinal essas autarquias CDU àquilo que mais criticam "a subordinação do poder politico ao poder económico (...) permitindo e fomentando o regresso à ribalta dos interesses e privilégios do poder económico e da acentuação das desigualdades e injustiças"

Veja-se o concubinato promiscuo entre as ultra endividadas autarquias CDU da Margem Sul e a sua dependência e relacioinamento com os grandes grupos económicos da distribuição (Sonae, Aucham) - clique- ...ou da Construção Civil (A.Silva & Silva, Gomes Alho , Euroárea, Britalar...e outros ) -CLIQUE- ou clubes de futebol (caso do Benfica no Seixal) que têm as autarquias manietadas de uma tal forma que o cidadão comum está sistemáticamente a perder um ambiente de qualidade em favor destes grupos que têm nas autarquias seus aliados, na directa medida em o Povo não tem nelas o garante de imparcialidade e de salvaguarda do bem público comum como seria de esperar.

Continuando assim este desafio meramente comparativo em termos ambientais, vejamos então mais pontos da Constituição defendida e bem pelo PCP, mas da mesma forma desrespeitada enquanto CDU, facto incompreensivel por incluir o suposto Partido os Verdes:

Artigo 66 (Ambiente e Qualidade de vida)

c) Criar e desenvolver reservas e parques naturais e de recreio, bem como proteger e classificar paisagem e sítios, de modo a garantir a conservação da natureza e a preservação de valores culturais de interesse histórico ou artistico











Flôr da Mata, zona protegida no PDM que um plano de pormenor pretendia alterar, betonizando o pulmão do Concelho


Basta lembrar só para o Concelho do Seixal onde a Câmara pretende implantar o hospital (clique) que hipotéticamente exige para o concelho (Sitio Rede Natura 2000), os planos de pormenor atravéz dos quais tem pretendido transformar zonas protegidas pelo seu próprio PDM (Flor da Mata...), os mais de mil sobreiros ilegalmente abatidos em favor da construção de um hipermercado ou no que se transformou o património histórico(natural da Quinta da Trindade para ver que esta alínea é na Margem Sul palavra vã.

d) Promover o aproveitamento racional dos recursos naturais, savaguardando a sua capacidade de renovação e estabilidade ecológica, com respeito pelo principio de solidariedade entre gerações.











Basta observar àrea betonizada nos ultimos vinte anos na Margem Sul, para verificar que o que se construiu não é nem sustentável nem reversível e muito menos teve em conta as futuras gerações e a sua qualidade de vida.
________________________________________________

Destaco um excelente texto publicado no blogue Alhos Vedros Ao Poder (clique aqui).

14 comentários:

AV disse...

O link que queria é: http://alhosvedrosaopoder.blogspot.com/2006/04/rotao-de-terrenos-e-colheitas.html

É que eu nem no meu próprio blog consigo hoje fazer comentários.

AV1

Anónimo disse...

Amiguinhos da Moita por aqui também, deviam ir era todos pró Tarrafal saber o que é ambiente.

Barbecue Master disse...

That is a neat blog, but I sure can't read it. Thanks for visiting Barbecue Master. I am just now figuring out how to add in photos. Those really make it look better I think.

Smiles, Cyndi

Dae-su Oh disse...

às vezes tenho pena que este país não seja um jogo do Sim City, para implodir 99% da construçao país e reconstruí-lo de novo.

Anónimo disse...

"Anonymous said...
Amiguinhos da Moita por aqui também, deviam ir era todos pró Tarrafal saber o que é ambiente.

4/23/2006 08:20:33 PM "


O Vaidoso do Manuel Madeira, também por aqui? Vai tu pró Tarrafal pá estudar a ver se aprendes alguma coisa.

afrodite disse...

Bem, realmente é uma pouca vergonha. Depois falam, falam. Vejam isto que eu descobri, o artigo é fácil de encontrar e foi escrito por um banheirense. Transcrevo parte- "O Engenheiro José Sócrates, homem moderno, culto e informado, levanta bem alto a bandeira da co-incineração. Vários países desenvolvidos entendem que a co-incineração está ultrapassada e querer implementá-la é fazer um retrocesso civilizacional. Portugal, em 22 de Maio de 2001, a, assinou a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes. Nesta convenção, a co-incineração de resíduos perigosos em cimenteiras está explicitamente listada como uma actividade a ser eliminada o mais depressa possível (Anexo C, Part II, alínea b da Convenção). Ora, por esta altura José Sócrates era Ministro do Ambiente de um Governo que assinou um documento que vai contra o que ele defendia e defende para o País.
Ora, se para mais de 100 países que assinaram a Convenção (incluindo Portugal), a Co-incineração deve ser abolida o mais depressa, porque é que um antigo Ministro do Ambiente e agora um Primeiro-ministro a defende em Portugal e a condena no resto do mundo. É aceite, a nível mundial que a Política de Resíduos deve respeitar as alternativas de Redução, Reutilização e Reciclagem, para se poupar os recursos naturais. Ora os Governos do P.S. não o fazem e apontam o caminho da destruição dos resíduos como solução. E onde fazer esta destruição? Nos fornos das cimenteiras, que não foram construídos para o efeito, utilizando os resíduos como combustível..." É ou não é uma pouca vergonha um individuo que quer falar de ambiente, está bem informado e não fala de assuntos de saúde pública, porque pura e simplesmente é uma ambientalista socialistra. Ponto Verde não pega. Comenta o excerto do artigo.

Ponto Verde disse...

Afinal entendam-se, das duas uma ou sou "bem informado" e o que digo até é para levar em conta ou sou o mentiroso ou o ridiculo que não se fartam de me atirar à cara.

Essa de me colar a A ou a B e agora a Sócrates e ao PS é mesmo muito gira, não ocorre algo mais original?

Quanto a temas de saude publica, não faço outra coisa, ó meus amigos, e o que é o Centro de Estágios do Benfica (para além da negociata) que um problema de saúde publica, e o Rio Judeu, e os esgotos não tratados...andam muito distraidos com o Hospital...ah pois é!!!

Anónimo disse...

Sem te querer colar a ninguém ponto verde, deixo-te uma pergunta.
Porque é que só criticas a gestão ambiental CDU? eu não tenho partido nenhum mas, só te vejo criticar municipios CDU, será que em municipios do PS e PSD não existem más politicas ambientais?
Porque é que não criticas o socrates pelo crime ambiental que é a co incineração? se realmente és isento como dizes ponto verde, então critica todos quando tiveres que criticar, agora quando só atacas um partido, é no minimo estranho.

Ponto Verde disse...

Resposta ao ilustre anónimo com uma pergunta. Quem tem gerido maioritáriamente a margem sul nos ultimos trinta e dois anos? Eu agradeço, é que são fácilmente identificáveis os responsáveis...

AV1 disse...

A margem sul agora deve ser quase toda laranja, pois o Cavaco limpou-a quse por completo nas Presidenciais.
Por isso a culpa de tudo é dele.

Quanto ao anónimo que me tratou por "amiguinho da Moita" realmente ofendeu-me.
Pois se me chamar comunista, socia-democrata, fascista, assassino, pedófilo, etc, etc, ofende-me em diversos graus, mas nunca como chamar-me moiteiro.

Anónimo disse...

Aqui o ilustre anónimo pergunta o seguinte, não são mais graves as asneiras ambientais governamentais?
Nos governos PSD a ausência de politicas ambientais foi total, nos governos PS decidem-se co incinerações que envenenam o ambiente, solos, lençois de água e ar, já para não falar dos danos graves na saúde das populações.
Não é isto mais grave do que alguns erros de algumas autarquias?
Não é grave os sucessivos governos no caso da Arrábida permitirem a existência duma pedreira, e da co incineração, numa zona que é património mundial, classificado e protegido pela Unesco.
Não é grave a incoerência de sócrates? que interesses tem ele?
Ninguém diz? todos calam?
Ninguém diz que o governo PS alterou os limites da zona protegida da Arrábida, sem conhecimento da Unesco? para poderem dizer que não é em zona protegida.
Ninguém diz que em vários paises da Europa e América, a co incineração foi abandonada há anos por se chegar á conclusão de que é muito perigoso?
Então o governo de sócrates descobriu o que os outros não descobriram foi?
Ataca todos por igual ponto verde, só assim podes manter a tua coerência, só assim podes impedir que te colem a partidos, isto se és mesmo isento como dizes.

Ponto Verde disse...

Já que o caro anónimo quer conversa, o âmago dos movimentos cívicos na Europa não é começar por mudar as Nações Unidas, nem a Comunidade Europeia, nem os países, nem as regiões, mas tão só , "pensar global - AGIR LOCAL".

Seria excelente aquilo que o PCP teme, que cada cidadão aja de acordo com a sua consciência cívica, no seu prédio, na sua rua, na sua cidade. Isto é que provoca a mudança.

Claro que os senhores preferem ver um cidadão empolgado até ao esgotamento em combater intangíveis sobre moinhos de vento globais, enquanto tranquilamente deixa os seus caciques locais transformar até ao insuportável o seu local de residência.

Pois o senhor quer-me orientar doutrinalmente, mas não contestou nem uma das minhas acusações, nem um dos problemas levantados, nem uma das imagens.

Sobre a co-incineração na Arrábida, se procurar já demos aqui opinião. E além disso a contestação ao tema está bem entregue ao Camarada Sousa e aos Verdes...

Anónimo disse...

Antes de mais quero esclarecer que não sou da CDU, nem estou aqui para defender nenhum partido ou municipio.
Apenas considero muito muito grave e danoso para a saúde pública e ambiental a questão da co-incineração.
Não concordo consigo quando diz que não devemos perder tempo a combater moinhos de vento, antes pelo contrário, são as questões mais graves que se tornam mais urgentes combater, não descurando obviamente as questões locais.

Anónimo disse...

Da minha parte gostava que a co incineração fosse um grande cavalo de batalha, porque está á vista que o nosso primeiro apenas está agir em beneficio do seu bolso.
Concordo também que os verdes no que toca a partidos são talvez os únicos que têm uma politica ambiental pois todos os outros deixam muito a desejar.
( sou o mesmo anónimo que escreveu acima )