quarta-feira, fevereiro 15, 2006

SEIXAL E CARREFOUR, O MUNDO AO CONTRÁRIO













Variante à EN 10 - A conclusão do troço Corroios Amora da variante à EN-10 está comprometida devido ao impasse gerado na construção de um hipermercado,cujo promotor financia aquela infra-estrutura viària. (in : Avante, orgão central do PCP)

Afinal o Mundo está ao contrário e não demos por isso, o sol põe-se antes de nascer, as pessoas envelhecem antes de serem crianças, as àrvores abatem-se antes de germinarem e por aí adiante... E se entrarmos em contramão na autoestrada aí não há que enganar, a culpa é dos outros!

É preciso é perspectiva, doutrina férrea, dogmas indiscutíveis e "incartoonáveis"... ou então basta haver interesses a honrar, compromissos a negociar... poderes a manter! "soluções politicas" a aplicar...

Vem isto a propósito do texto publicado pelo Avante orgão central do PCP acerca do impasse a que se chegou, pela simples aplicação da lei, sobre o caso do Hipermercado a construir na Quinta da Princesa (clique) , relembro que esse impasse resulta do abate ilegal de 1200 sobreiros, facto condenado por várias instâncias que vão da Quercus ao próprio Governo.

Primeiro, a defesa que o Partido Comunista está no seu orgão principal de comunicação a fazer de uma ilegalidade é aterradora, esperava do Partido Comunista Português muito mais do que a defesa de uma negociata imobiliària incompreensível, a menos que para além da defesa de um seu correligionário haja també interesses do próprio PCP a serem acautelados nesta transacção, é que a Quinta da Atalaia é para aquelas bandas e será beneficiada do ponto de vista imobiliàrio por todos estes inputs... se não devemos pensar desta maneira... então um maior cuidado na abordagem do tema seria aconselhável é que "em politica não basta ser-se sério...".

Depois a Câmara do Seixal aparece como vítima da situação e não como parte, nomeadamente sobre a construção apressada de vários acessos encaixados no calendário de forma a servir de propaganda eleitoral para as ultimas autárquicas... e que agora possivelmente faltarão pagar(clique)...

Reporta o Avante: "Entre as condições impostas pelo municipio para aprovar a grande superfície contava-se a construção de lanço da Variante à EN 10...a Carrefour aceitou esta condição, mas meses depois de os trabalhos na rede viària terem começado, quer o promotor, quer a autarquia foram confrontados- pela Dir.Ger.Rec. Florestais - com a impossibilidade da construção...dado que tinham sido abatidos ilegalmente mil sobreiros" ... em que ficamos? Foram "abatidos ilegalmente mil sobreiros"... conforme reconhecem e depois que esperam ? Que fique tudo na mesma? Ora, se foi ilegalmente, há uma ilegalidade que requer ou não a aplicação da lei?

Depois pelo lado dos sobreiros, (leia-se pelo lado da conservação da natureza numa autarquia eleita pela frente eleitoral Partido Comunista Português/Partido Ecologista os VERDES , a noticia refere que "foram abatidos ilegalmente", mas por quem? A mando de quem? Dos Espanhóis? Então vamos à luta que Olivença é nossa e os sobreiros também... mas fico baralhado, óoo se fico baralhado quando o ecologista Alfredo Monteiro, (acho legitimo chamar ao presidente eleito numa lista da qual faz parte um Partido Ecologista, como Ecologista lui mêmme) requer uma "solução politica" razão? " Em Portugal foi feita em três anos a desafectação de 20 mil sobreiros para expansão urbana. Uma coisa desta importância (hipermercado) não pode ficar resolvida em sede administrativa" .

Devo corrigir o ecologista-autarca (que é diferente de autarca-ecologista) que a aplicação da lei é a principal das caracteristicas do Estado de Direito, e que não deve confundir um magistrados com um qualquer manga de alpaca ao serviço da "sua" autarquia relembro também que no mesmo período de três anos muitos outros sobreiros para além dos mil e duzentos da Quinta da Princesa(clique) foram abatidos no Seixal sem que fossem referidos em qualquer lado (excepto no a-sul) , por exemplo no Alto do Moinho (clique) para a Construção do ex. Parque Luso, agora Jardim dos Navegantes e na Quinta do Cabral- Torre da Marinha (clique), pelo que se a justiça peca em relação ao Seixal é por defeito e não por excesso.

Quanto ao argumento da criação de empregos, nem vale a pena falar do que são a precaridade deste tipo de empregos, a sua rotatividade e os salários aplicados (basta procurar as palavras do Camarada Carvalho da Silva) , quanto à concorrência que mais uma grande superfície provocaria é um argumento fantástico para um Partido Comunista!!! Já agora ponham lado a lado na EN10 ou sua Variante um hipermercado Carrefour, um Jumbo, um Continente, um Leclerc, um Lidl, um Intermarché...isso é que é concorrência!!! Só lamento que o senhor Ecologista Alfredo Monteiro não se preocupe da mesma forma a tornar o Seixal concorrencial em termos de qualidade ambiental e de qualidade de vida dos seus habitantes quanto se preocupa com a concorrência entre grandes grupos económicos.

Moral de toda esta história que o PCP quer agora branquear:

- Ou isto foi tudo mal negociado e o interesse público não devidamente salvaguardado , mas a "contar com o ovo no rabo da galinha" numa Câmara interessada em resolver no imediato algumas vias de comunicação para ganhar votos (assim se tivesse preocupado com a entrada em funcionamento do Metro) só terá que chamar os seus responsásveis autárquicos à responsabilidade e dizerem-lhes que não é assim que as coisas se fazem.

- Ou será que há interesses do próprio PCP na Instalação do Carrefour na Quinta da Princesa ou nas contrapartidas que tal instalação traduz...se não porquê tanta pressão no Avante, e na defesa que faz do seu autarca?

- Ou estão ambos a reconhecer que o abate foi ilegal, mas que ninguém tem a ver com isso, autarquia, promotor...daí requererem a "solução politica", isto faz lembrar um caso na Câmara de Palmela também ele embargado , uma urbanização que ía ser feita em pleno Montado de sobro com autorização da Câmara de Palmela pois justificava a autarca também Ecologista (eleita pelo PCP /Verdes) que "a urbanização não afectava os sobreiros", aqui no Seixal também não, considerariam depois os sobreiros abatidos como sobreiros virtuais? Ou fariam projecções 3D dos sobreiros abatidos nos corredores das parteleiras de mercadoria?

- Ou devemos entender que "solução politica" é aquela que está acima da Lei? É que de tudo isto só vejo que a lei foi aplicada ponto final ou há outra lei que não a que rege todos os cidadãos por igual?

9 comentários:

Anónimo disse...

Foi uma pressa para inaugurar sem acautelar a lei, foi no que deu a soberba do poder e dos votos.

Anónimo disse...

Tá muito bem informado, deves é ser da concorrência. É o Belmiro que te paga para dizeres mal dos comunistas?

Anónimo disse...

Os hipermercados e lojas chinesas têm rebentado com o pequeno comércio, não há controlo, há uma subserviência total aos interesses do grande capital, as autarquias estão reféns disso e os partidos também.

Fazem estas parcerias como lhes chamam
mas não defendem o interesse do estado e dos cidadãos pagadores de impostos. Uma pouca vergonha como esta noticia mostra. Ver o Avante a defender o Carrefour é que é giro.

Maria disse...

Eheheheheh, avante grande capital, avante... que os hiper brilharão para todos nós.

Que Deus nos acuda!

Anónimo disse...

o pior é que o ponto verde recebe do município e nao sei de quem mais para poder estar aqui. do municipio recebe com a graça do espirito santo do presidente e dos outros para tentar fazer uma opiniao , só que é uma opiniao para ele proprio se convencer . ele há cada uma..

Ponto Verde disse...

??? Explique como se eu fosse muito burro...

N.P disse...

é notável como pode haver dois pesos e duas medidas num partido que tenho como sério e com uma doutrina própria. Mas o Seiuxal, em certos aspectos, parece afastar-se q.b dessa doutrina, "desde que os interesses (ou pseudo-interesses) locais sejam salvaguardados".

Não teremos já espaços comerciais com número correcto ? Não ficava ali muito melhor um parque pedagógico ou quinta para as crianças deste concelho (de Abril) aprenderem e verem como é um espaço rural (que aquele aliás foi durante toda a sua história) ?

Enfim, às vezes aqui no Seixal as coisas vão como a "vidinha"..... "vão assim assim" :)

Parabéns ao autor pelos posts sobre temas e dados históricos das últimas semanas

Anónimo disse...

NÃO É POR ACASO QUE ESSE ARTIGO SURGE NESSE JORNAL.
TRATA-SE DE UMA AMEAÇA A SOCRATES E VISA FORÇÁ-LO A FAZER UMA OPÇÃO DENTRO DO SEU EXECUTIVO.

INVESTIGUE

AV1 disse...

Estou confundido: que "anônimo" é mesmo anónimo ?