domingo, abril 09, 2006

A REGIÃO DE TURISMO DO SUBURBIO













Começa assim o artigo do Setúbal na Rede sobre as orientações para o Distrito de Setubal, onde o Turismo é agora a grande referência :

"O turismo foi hoje apontado pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), António Fonseca Ferreira, como a principal estratégia para “potenciar a região de Setúbal”, considerando também necessário o “desenvolvimento privado”. A responsável do departamento de planeamento da CCDR, Paula Cunha, acrescenta que os pontos fortes da Península de Setúbal passam pela “singularidade dos recursos naturais, as boas condições portuárias e uma dinâmica associativa forte”. Quanto a pontos fracos, Paula Cunha salienta a “focalização na mono indústria, a dependência de Lisboa e as acessibilidades internas”.

Pode ler aqui o artigo na íntegra (Clique)

Ou seja, depois de trinta anos a arrazar as caracteristicas naturais com que a natureza bafejou toda esta fantástica àrea natural, depois de trinta anos em que se arrazou o construido e herdado em muitos séculos de história, em que o poder dominante de trinta anos de gestão autárquica CDU ignorou por completo o artigo9º alínea e) da Constituição da Republica - "Proteger e valorizar o património cultural do povo português, defender a natureza e o ambiente e preservar os recursos naturais".

Numa altura em que em vez de se encerrar de vez com a SECIL do Outão se caminha para a co-incineração, numa altura em que se construiu mais na ultima década , do que em todas as anteriores vêm agora os responsáveis pelo arruínar de toda esta região em termos de paisagem e ambiente, fazer crer que a orientação é agora a do turismo.

E ao mesmo tempo que o fazem continuam a assinar por baixo mais construção em zonas protegidas , incluindo montado de sobro, continuam a permitir que a maioria dos esgotos seja despejada sem tratamento nos rios e no Mar, continuam a permitir a densificação urbana, a degradação das zonas mais antigas e a desertificação dessas mesmas zonas fomentando ao mesmo tempo a urbanização em mancha de óleo para as periferias, destruindo campos agricolas e florestas.

Um faz de conta que vai continuar a degradar o ambiente de uma região que nenhum turista de nenhum país civilizado atrairá, ou então vem uma vez ao engano e não volta mais!

4 comentários:

marlene disse...

De facto o que se tem apostado na Região da Costa Azul é Zero! E o turismo pode andar de mão dada com o ambiente. Pode mesmo vir a ser benéfico.

AV disse...

Eles acham que o Turismo da Costa Azul são as filas para a Costa, Sesimbra ou Portinho da Arrábida, mais a Tróia do Belmiro.
O resto é para "queimar" e suburbanizar.

E o actual Presidente da Região de Turismo como vê o logar em risco agora anda muito agitado.

AV1

Ponto Verde disse...

Há trinta anos esta era uma verdadeira região de TURISMO, apesar da fama do ESTORIL/CASCAIS era uma zona de eleição para conhecedores e de quem se aventurasse Além-Tejo.

Entretanto as autarquias CDU que dominaram por trinta anos esta região (e que inclui uma gestão "VERDE"/PCP) optaram pela suburbanização e massificação operária, optaram por despovoar Lisboa oferecendo construção nova e em massa.

Entretanto o suburbio envelheceu e foi preciso criar um segundo, e agora terceiro anel ou casco , sobre àreas que eram primeiro históricas, depois rurais, de uma paisagem fantástica e agora assentando esse terceiro anel de suburbanidade - que estes autarcas de seu nome Alfredo Monteiro, Maria Emilia, João Lobo e sucedâneos exploram mais uma vez - sob a mesma fórmula num espaço que já colide com zonas de REN e RAN, bem como de zonas Natura 2000 e inclusivé Parques Naturais.

Agora, só agora, depois de extintas as ostras do estuário do Tejo e os Golfinhos, só agora quando os roazes do Sado estão reduzidos à sua expressão mínima, só agora quando as leituras de ozono troposférico são alarmantes, só agora, vêm acenar com a bandeira ambientale de desenvolvimento turistico sustentável.

Só agora! Depois de betonizarem Sesimbra até à praia da California e a Costa da Caparica tornada em suburbio de Brasileiro Emigrante, só agora falam de investimento Turisticp sustentável e com chancela ambiental, ao mesmo tempo que falam, em contradição com um potencial de 180 mil camas para dois concelhos que não têm a coragem de dizer quais são...

Só agora dão garantias ambientais e de sustentabilidade, quando assinam de cruz projectos como os de Troia, de Costa Terra e Pinheirinhos, só agora prometem reflorestar mas construindo em contrapartida uma "ECO-CIDADE" na Mata de Sesimbra que me perdoe o WWF, mas para avançar com um projecto de reflorestação é necessária a contrapartrida de um projecto imobiliàrio?

Só que agora Já não acreditamos na bondade e na viabilidade ambiental de qualquer um desses projectos!

O Executor disse...

ponto verde,
andas a receber demasiada informação para assimilar de uma só vez, estás algo confuso/a e a pôr tudo no mesmo saco.
As assinaturas de cruz, se as houve, e o projecto de Troia não estão ligadas à C.M. de Grândola, gestão P.S., e ao governo de José Sócrates que, em pessoa, até fez implodir uma torre?
As ostras e os golfinhos desapareceram do estuário do Tejo porquê? Terá tido alguma coisa a ver com a forte poluição industrial (CUF e não só) até meados dos anos 70? E também com a descarga de águas residuais, em todo o estuário do Tejo, sem que os governos (PS-PSD/CDS),quem possui meios financeiros à altura, atendessem às sucessivas reinvindicações autárquicas da A.M.L. para a construção de ETAR's?
E (não terá a ver contigo mas com o post) a cimenteira na Arrábida, por acaso, é da responsabilidade da Câmara Municipal de Setúbal? E se fosse, não tinha esta até há 5 anos atrás, e durante muito tempo, sido dirigida por Mata Cáceres do P.S.?
Afinal onde estão os maus-da-fita e quem são eles?
Vá, ponto verde, dirige-te lá à federação distrital do partido(sócialista) ou à Eurídice Pereira, na Moita, para receberes conselhos e depois vem dizer-nos qualquer coisa. Mas nova e, de preferencia, com cabeça,tronco e membros.