quinta-feira, abril 20, 2006

PORTUGAL EM EXTINÇÃO












Da expansão urbana na Margem Sul nas ultinas décadas tem resultado a redução de habitats e de zonas florestais importantes para a conservação de aves, répteis e mamiferos.

É assustadora a revelação ontem através da publicação do Livro Vermelho dos Invertebrados de que quase metade das espécies em Portugal está ameaçada, estando 42% das espécies ameaçadas de extinção.

Este relatório põe a descoberto as falhas e os erros no processo de desenvolvimento do país e na aplicação das orientações Comunitárias de protecção do ambiente com vista à conservação e manutenção da biodiversidade, consideradas essenciais para um ambiente saudável e sustentável. Elemento base dessa politica de protecção é a rede de Sítios Rede Natura 2000 veja por exemplo o que no Seixal pretendem fazer a um desses sítios (clique).

Este relatório da responsabilidade do ICN e que teve a colaboração de mais de 180 especialistas num estudo que decorre desde 2001, revela que estão em perigo 69% dos peixes de água doce , mas em melhor situação não se encontram répteis, aves e mamiferos por todo o país, podendo-se já registar 19 extinções, sendo 17 de aves.

Já desaparecidos estão o esturjão, o urso pardo e o falcão rainha, a àguia pesqueira não tendo ainda sido considerada extinta , para lá caminha a passos rápidos. Da restante contabilidade negra temos que estão em risco 38% das aves, 32% dos répteis, 19% dos anfíbios, e 26% dos mamiferos que as futuras gerações poderão unicamente conhecer dos livros mais antigos.

2 comentários:

AV disse...

Pelas nossas bandas, bicharocos mais de um palmo, que não sejam lesmas, ou osgas, nem vê-los.
E depois acham que fazer uns jardins é o mesmo que preservar "o verde".
Como dizia o outro "palééééérmas".

AV1

© JJCN 07 disse...

É lamentável...revoltante...mas num país onde o "desporto" mais praticado é a caça...diz tudo! A única "arma" permitida, deveria ser a máquina fotográfica, mais nenhuma!!!