quinta-feira, fevereiro 08, 2007

FUGAS À MARGEM























Finamente os tempos vão-nos dando razão, a nós que apelamos para a paragem deste estado de coisas assente no "desenvolvimento" pelo betão, pelo alcatrão e pelo automóvel.

Al Gore, na sua cruzada por uma nova ordem mundial assente nos cuidados ambientais e num modelo de desenvolvimento que não contribua para as alterações climáticas está hoje em Portugal , ontem na sua passagem por Madrid , o Primeiro Ministro Saparero comprometeu-se em introduzir nas escolas os alertas e ensinamentos que Gore tem vindo a divulgar no livro e conferências "Uma Verdade Inconveniente", um alerta para o aquecimento global, que trará a breve prazo situações humanas, economicas e ambientais que a manter-se esta "evolução" chegarão até nós e influirão no nosso futuro.

Por cá "os artistas" do Circo Autárquico continuam a escamotear estudos cientificos, alertas sustentados em estudos e orientações de conservação da natureza, ignorão mesmo as leis para as quais contribuiram (PDM's) com então boas intenções ambientais, para agora as contornarem de forma escandalosa ao serviço de interesses pontuais e pessoais. Nessa senda saúda-se o empenho do jornalista José Antonio Cerejo que hoje no PUBLICO faz uma análise ao processo, ao tratamento da informação e ás irregularidades que tem acompanhado na Moita.

Há muito que alertamos ,quer quem nos lê, quer os Media, para esta situação peculiar que é a interpertação da democracia na Margem Sul, só comparável em alguns casos ao que se passa na Madeira, o jornalista do PUBLICO vem hoje confirmar algumas dessas peculiaridades , pode por enquanto ler a noticia aqui, ou clicando sobre a imagem acima.

Aliás, esta postura de arrogância perante o Povo, perante os Media , extende-se à Justiça, no mesmo jornal , hoje, publica-se a seguinte noticia ocorrida no Seixal sobre um caso já aqui abordado e que continuamos a acompanhar :

"STJ não afasta juiz do caso do menino morto no Seixal (clique)

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou o pedido de afastamento do juiz Manuel Soares, que preside ao julgamento do caso do menino encontrado morto num esgoto no Seixal, disse ontem à Lusa fonte judicial.

O pedido de afastamento (incidente de recusa) do juiz foi solicitado pela advogada da CM do Seixal, alegando que o magistrado proferiu "sentença tendenciosa e mediática". Fonte do STJ adiantou que a advogada do município interpôs recurso para o Tribunal Constitucional.

Em finais de Março de 2006, a defesa do município do Seixal requereu a recusa do juiz Manuel Soares, que já havia conduzido o primeiro julgamento e iria repeti-lo em Abril do mesmo ano, invocando falta de imparcialidade do magistra do para julgar novamente o caso."
_______________________________________________________

Veja-se agora aqui (clique) a tentativa de linchamento profissional ao jornalista em questão, eis o que acontece quando se assume e assina numa posição contrária ao Status Quo, eis porque tanto detestam o anonimato na blogosfera e anseiam pelo seu controlo !!!

8 comentários:

J.A. disse...

Aqui o nome de ambiente serve apenas de "fachada", pois o que aqui se discute é tudo o que possa ser arma de arremesso contra a Câmara Municipal do Seixal e as câmaras comunistas da margem sul. Para o efeito todos os argumentos valem, mesmo os mais sórdidos. Ideias não há nenhumas, pois o espirito é meramente destrutivo e não construtivo.

Aero disse...

Realmente um blog sobre ambiente, com um elemento da blogosfera que entra em todos os concelhos geridos por comunistas agora fala de direito. O aproveitamento político deste ponto verde sobre esta situação é lamentável, mas nada que não se esperasse. Sugiro que mude o nick de ponto verde para ponto negro, assim poderia espremer toda a porcaria que tem na cabeça

B.F. (amoitado) disse...

Lá estão vocês a ver se pega, não pegou, nem pega. Escolheram mal o jornalista, foi um erro, paciência.

Como já tinha referido as ameaças não pegam comigo, sou mais forte e apesar de ter tenra idade já vivi o suficiente para perceber com clareza quem defende o quê!

cityzen disse...

Tenham vergonha.

O homem publicou documentos indesmentíveis e esta cambada paga com o nosso dinheiro anda a fazer estas coisas.

É mesmo o truque habitual: na impossibilidade de descredibilizar as acusações toca a tentar descredibilizar o mensageiro.

Com vocês isto é o pão nosso de cada dia. Já estamos habituados.

outro disse...

há por ai um partido que é como a blogesfera! Ninguem o cala...

Não deixem de ver
www.juventudeseixal.blogspot.com

António disse...

Estes "senhores" não têm um pingo de vergonha. Com algo tão grave e com tal comportamento da câmara passam ao ataque (estúpido) contra quem publica uma noticia que não lhes convém. Mas sobre o assunto propriamente dito nem uma palavra. Cobardes!

Anónimo disse...

EXTRA! EXTRA!
READ ALL ABOUT IT!


EMPRESÁRIO CONFESSA:”(…) HOUVE UM ABATE ILEGAL DE SOBREIROS (no Seixal).”

EMPRESÁRIO AFIRMA: “FOMOS ABSOLVIDOS E AINDA NÃO SE PODE FAZER NADA NO TERRENO.”

EMPRESÁRIO ACUSA:”O GOVERNO NÃO SE SENTA À MESA COM OS AUTARCAS.”


LEIA TUDO NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL MARGEM SUL!

DAQUI A UMAS HORAS JÁ ESTARÁ ONLINE!

ex-militante disse...

Ainda não perceberam a época em que vivem.As homenagens pela morte ontem de um verdadeiro comunista.