quarta-feira, fevereiro 28, 2007

UM PORTUGAL FEIO! É NO QUE NOS TRANSFORMÁMOS













Em breve vai a RTP começar a exibir um programa sobre os ultimos quarenta anos em Portugal. Esse programa é da autoria do sociólogo António Barreto. Veja-se alguns excertos da entrevista dada, domingo, ao caderno 2 do jornal Publico.


"(...) O nosso país não é melhor que os outros , é igual . Mas está hoje mais feio feio do que na maior parte dos outros porque os portugueses o fizeram feio.

E eu não perdoo isso aos meus conterrâneos : o que eles fizeram das suburbias das cidades ; o que eles fizeram da costa ; o que eles fizeram de algumas montanhas: o que eles fizeram do Alto Minho; o que estão a preparar-se para fazer no Douro, o que estão a preparar-se para fazer na Costa Vicentina, em grande parte do Algarve ; o que fizeram nalgumas destas zonas que não são água nem terra nem fogo nem ar, entre Lisboa e a Ericeira e Mafra e Torres Novas, ou entre Porto e Barcelos e Santo Tirso e Gaia .


Você passa por aqueles sitios e vê restos de obras, restos de tijolo no chão. Não me diga que estas pessoas gostam do país que têm. Ninguém trata assim uma coisa de que gosta.

Eu gostava da ideia que eu podia fazer de Portugal de um país muito bonito, de um país com algumas montanhas, de um país que consegue ter ao mesmo tempo Mediterrâneo e Atlântico, que consegue ter a planicie e a montanha, que tem a costa, o litoral e o mar, e que tem os rios e que tem uma luz nalguns sítios e que desperdiça tudo e que estraga e que estraga, que destrói, que destrói, que constrói cimenteiras na Arrábida.
Só um povo louco, só um dirigente louco é que faz uma coisa dessas (...)

(...) Os portugueses não gostam de Portugal. Os portugueses não gostam deles. Não gostam do país que têm. Destroem-no de tal maneira que não podem gostar de Portugal . E eu não gosto das pessoas que não gostam do país que têm. (...)"

2 comentários:

António disse...

Os políticos gestores que estão nas câmaras e no poder central destroem e arrasam com o país e nós nada fazemos por isso concordo com a afirmação de que os portugueses não gostam de Portugal. Não é por acaso que é habitual ouvir coisas deste tipo " os espanhóis deviam era mandar nisto ou devíamos era ser Espanha!" É a desresponsabilização total. Costumo passear na mata dos medos e quando olho para a praia é só lixo, quando viajo de carro é lixo nas bermas. Nas nossas ruas cada prédio tem o estilo do pato bravo que o construiu. Junto dos caixotes do lixo as pessoas quando vêm que está cheio deixam no chão quando muitas vezes apenas necessitavam de andar mais 100m para encontrar outro vazio. Nas estações dos comboios vejo todos os dias as pessoas a deitarem as beatas, jornais ect para o chão. Por isso nem vale a pena falar da Arrábida em que o único problema não é só a cimenteira, é também a quantidade de vivendas que estão a crescer como cogumelos. Façam um passeio por lá que as vão encontrar no meio da mata.

Antonio disse...

http://www.pontoverde.pt/

Sabe onde colocar os pacotes de bebidas?


Até agora, a colocação das embalagens de cartão para alimentos líquidos (ECAL) nos ecopontos, era feita de acordo com as indicações de cada município. Alguns aconselhavam a sua colocação no contentor amarelo - para plástico e metal, outros, à semelhaça da Sociedade Ponto Verde, aconselhavam a sua deposição no contentor azul, para papel e cartão.

A partir de agora, estas duas regras foram harmonizadas e estas embalagens, vulgarmente conhecidas por pacotes de bebidas (por ex. de leite e sumos), passam, a partir de hoje, a dever ser colocadas no contentor amarelo, seja qual for o município, facilitando assim a vida a todos os consumidores.