quarta-feira, setembro 20, 2006

ALMADA - MOBILIDADE DE CÂMARA LENTA













É notório que a gestão nos municipios da CDU é essencialmante feita a quatro anos, com resultados visiveis sobretudo em anos eleitorais (clique) em que aí sim, é um ver se te avias de inaugurações e projectos, pelo que se desconfia do rebuçado atirado aos Almadenses de que o Metro estará em funcionamento no primeiro semestre de 2007 (e só entre Corroios e Cruz-de- Pau), depois do amargo de boca que tem sido , primeiro a construção das infraestruturas (agora a degradarem-se) e depois o facto de não ter servido para nada pois as composições apodrecem sem uso no local de recolha em Corroios ( lembre-se que o Metro devia ter entrado em funcionamento à cerca de um ano) .

Duvida-se porque 2007 não é ano de eleições, e porque isto foi revelado no décimo quarto forum sobre o Metro Sul do Tejo (clique) realizado ontem à noite em Almada, ou seja antes já houve treze foruns sobre o mesmo tema... com respectivo menu de promessas e desculpas...

Curioso neste décimo quarto foi a apresentação do estudo sobre mobilidade revelado a partir de um inquérito (Câmara de Almada/Agência Municipal de Energia) que revela que os Almadenses estão bem mais à frente nas suas expectativas e vontades do que a Câmara tem evoluído numa direcção Europeia de alternativa ao automóvel. São conclusões desse estudo:

- 70% dos Almadenses tem automóvel e desses, 75% usa-os nas suas delocações pendulares.
- 90% dos inquiridos defende uma extensão do Metro até à Costa de Caparica
- 36% das familias tem bicicleta, embora não utilize.

88% dos 3212 inquéritos que fazem perte deste estudo revelam que só não usam a bicicleta porque "existem poucas ciclovias", considerando também que essas ciclovias deveriam ser separadas do restante tráfego automóvel , foi também revelado que na Costa de Caparica 19 % das pessoas já usa a bicicleta diáriamente.

O que só vem corroborar o que aqui temos escrito no A-Sul...(aqui)...(aqui)...(aqui)...(aqui)...(aqui)...(aqui)...

Continua a haver é uma enorme desconfiança sobre os transporte publicos...porque será?

3 comentários:

ex. militante disse...

Caturze forums de discussão, mas para quê ? para não haver Metro? Temos que esperar pelas próximas eleições para lhe ver a sombre , quando estava prometido para as que passaram "a um metro do futuro" como está no cartaz do Centro Sul, sinceramente!

António disse...

Continua a haver é uma enorme desconfiança sobre os transporte públicos...porque será?

Em alguns casos justifica-se mas noutros nunca entendi tanta resistência. Por ex. no caso do comboio, transporte que utilizo todos os dias e que considero de excelente qualidade, ao nível do que existe no resto da Europa, oiço frequentemente criticas que não presta, chega atrasado etc etc.. sendo essas criticas falsas e feitas por pessoas que não utilizam o comboio mas sim o carro. Preferem continuar a enganar-se a elas próprias a despender dinheiro e tempo em filas, enfim o mais puro comodismo! Num estudo ontem publicado era revelado que a opinião mais desfavorável relativa aos transportes públicos não era das pessoas que o utilizam publico mas sim daqueles que nunca o utilizam! Conheço pessoas que recusavam-se a andar no comboio e teimavam por exemplo a vir de barco para Lisboa, após a primeira vez em que andaram de comboio nunca mais voltaram aos barcos. Quase nunca andei de barco, mas também me parece um bom transporte e que funciona razoavelmente bem. O grande problema são mesmo os autocarros, mas esse problema talvez se resolvesse com a criação de mais corredores bus e melhores autocarros!!

Em relação ao Metros do Sul, palavras para quê!!! Os “autarcas” (Esquerda e Direita) não estão interessados na melhoria da qualidade de vida da população que supostamente deviam servir mas sim em garantir a perpetuação do poder. Todos sabemos que nas próximas eleições o metro vai estar a funcionar. A coisa foi também planeada que até assusta. Não se importaram que milhões de euros fossem desperdiçados, dinheiro esse, que por exemplo, podia ter servido para criar mais centros de saúde na margem sul. Nas últimas eleições fizeram uns supostos testes para mostrar obra, nas próximas a conclusão! Tudo fizeram para adiar e empatar as obras do MTS.

Talvez fosse uma boa ideia criar um movimento para reivindicar ciclo vias na margem sul e fazer algo parecido com o que aconteceu no fim-de-semana passada em Lisboa, em que as pessoas se juntaram para um passeio de bicicleta de modo a reivindicar uma ciclo via entre Belém e a Expo. Mas claro sem nenhuma conotação partidária, que dessa gente estamos(!?) todos fartos, só pensam no próprio tacho (excepto muito poucos, mas esses estão na prateleira!).


E claro a ciclo via junto da baia também vai ser concluída, mas só daqui a mais algum tempo... lá para as eleições! Enfim!

zé povinho disse...

Na baía do Seixal, para cada eleição autárquica, constrói-se antes 100m de ciclovias para o "zé povinho" ver a obra feita. Talvez pª o ano 2020 tenhamos a baía com ciclovias.