sábado, setembro 16, 2006

UMA VERDADE INCONVENIENTE - AN INCONVENIENT TRUTH

"An inconvenient truth" o documentário de Al Gore, realizado por Davis Guggenheim estreia em Portugal.

Foi apresentado um estudo de especialistas da Universidade de Cantábria para o Ministério do Ambiente espanhol cujas conclusões prevêem um aumento do nível do mar, essa alteração fará desaparecer, em média, 15 metros de areal nas praias espanholas no próximo meio século.

Estudos semelhantes feitos em Portugal apontam para que as alterações climáticas provoquem resultados semelhantes aos agora revelados para Espanha.

É o degelo dos glaciares que provocará uma subida do nivel das águas do mar , degelo esse provocado pelo aumento da temperatura , tal provocará um inevitável avanço do mar na orla costeira.Uma das soluções apontadas seria segundo os cientistas espanhóis, conter a urbanização junto a essas vulneráveis regiões costeiras. reconhecendo que as alterações climáticas provocarão alterações significativas no
nosso dia a dia num futuro não muito longinquo video aqui (clique).

Este é o grande alerta que o documentário de Al Gore já por nós aqui (clique) e também aqui (clique) comentado e estreado hoje , Al Gore tem pelo menos o mérito de alertar em massa e com um alcance universal para a questão da insustentabilidade em que há muito se transformou o nosso dia a dia.

Anteontem na antestreia do filme (video aqui-clique) perante uma plateia onde pautavam as presenças de Carlos Pimenta ,ex Ministro do Ambiente e Viriato Seromenho Marques que corroboraram dos receios e alertas sublinhados por Al Gore, Viriato Soromenho Marques sublinhou ainda o rigor cientifico que sustenta o documentário e o texto do livro dele extraído. Como escrevia a reportagem do DN que p
ode ler aqui na íntegra (clique) :

"
Um dos trunfos da película "é o seu rigor científico", sublinha por seu lado Viriato Soromenho Marques, consultor científico para a tradução portuguesa do livro. E outro "é, sem dúvida, a mensagem de esperança e anticatastrofista que ele contém". Como explica Al Gore, as soluções para o problema existem, só é necessário pô-las em prática. E agora que a questão já está em filme, é bem possível que isso faça toda a diferença. Nos Estados Unidos costuma fazer".

A não perder, num cinema perto de si...
________________________________________



Inicia-se hoje a "semana Europeia da mobilidade", sendo uma iniciativa europeia, concebiba num contexto Europeu, acho a ideia de certa forma aceitável, pois há muito que as alternativas ao automóvel existem bem como as estruturas que as tornam praticáveis.

Em Portugal é uma iniciativa ao nível do "dia sem carros", um mero folclore institucional sem quaisquer consequências práticas. A semana passada falou-se aqui suficientemente de mobilidade "à séria" , aquela que tem realmente a ver com o dia a dia das pessoas e sua qualidade de vida , e mesmo porque não dizê-lo; com esperança de vida!

10 comentários:

Anónimo disse...

Isto está a anos luz, por exemplo , da Drª Odete Santos...

João Afonso disse...

Não sei como é que o ponto verde consegue ter lata para defender o documentário do Al Gore, pois as teorias defendidas pelo ponto verde são contraditórias com as do Al Gore. O problema do mundo não tem nada a ver com o aquecimento global, mas sim com as autarquias comunistas do Distrito de Setubal, por isso o Al Gore em vez de estar com documentários ridiculos o melhor que fazia era convencer o Bush a invadir o Distrito de Setubal porque os autarcas vermelhos são piores que o Sadam...

Joana Lima disse...

De onde caíu este João Afonso, de outra galáxia certamente.

Só para dizer que acabei de ver o documentário que é fantástico.

As escolas aproveitando o inicio de aulas deviam aconselhar as crianças e os jovens a vê-lo.

Mudar comportamentos é urgente e tem a ver com a nossa sobrevivência. Vivam os que rumam contra a maré.

André Santos disse...

Sr. João Afonso o melhor que tinha a fazer, em vez de ter comentado este topico da maneira que o fez, era ter ido ver se por acaso o Sr. Jerónimo de Sousa não estava numa esquina qualquer a vender "linguas da sogra".
Acredite, o tempo que perdeu não volta atrás.

Aqui o ponto verde defende o que quiser (e diga-se que defende muito bem - coisa que causa comichão a muita gente) e quando quiser e não é o senhor, com o devido respeito (se bem que pouco, muito pouco), que vem dizer o que quer que seja.

Consegue ter mais lata você sempre que dá a entender que o CDU é um partido serio...

João Afonso disse...

Quem vende linguas da sogra e de péssima qualidade é o ponto verde e os vários heterónimos que utiliza nos comentários em defesa das suas ridiculas posições.

Caparicano disse...

A semana da mobilidade poderia servir para sensibilizar, estimular e convencer realmente a população a deixar o carro em casa e passar a andar de transportes públicos ou meios de transporte alternativos e ecológicos. Nada disto acontece, como podem ver em http://caparicafuturista.blogspot.com/

Queremos ciclovias e melhores transportes públicos, só nos dão pão e circo.

André Santos disse...

Acredite amigo, eu não sou o ponto verde.
Essa de que quem o critica a si, e às suas ridiculas posições, são sempre heterónimos do ponto verde já está um bocadinho gasta, não?

Ramon Mercader disse...

Eu, por acaso, até concordo com o João Afonso. De facto os autarcas vermelhos são piores que o Saddam, porque o Saddam já está preso, enquanto que na peninsula de Setúbal temos de nos contentar apenas com saneamentos interinos abafadinhos... Quanto à invasão pelos imperialistas para substituição dos ditos, já nem ia tão longe, por mim já me contentava com um alcaide espanhol.

Ponto Verde disse...

Obrigado André Santos pela achega, antes uma ressalva, eu não conheço o André Santos, nem nenhum dos outros comentadores , os fortuítos ou os mais assiduos.

A mentalidade reaccionária do senhor João Afonso é para mim uma alegria, pois os tempos são outros e a mudança necessária não tardará.

As grandes questões são outras, ou sendo semelhantes terão que ter uma outra abordagem, abordagem essa que passa pela sustentabilidade, pela abertura, pela comunicação directa e autêntica.

Al Gore compreendeu isso (por isso há quem o apelide de Churchill do século XXI, um homem à frente no seu tempo) . E eu gostaria imenso que ele estivesse errado! Por isso subscrevo o que divulga, porque havendo uma possibilidade temos que ser cautelosos e tentar inverter essa hipótese e dedicar um estudo e acompanhamento profundo para ver se não se verifica.

É curiosa a forma como a esquerda e a direita são retrógradas e em relação a este ponto têm posições tão semelhantes, primeiro a descridibilização intelectual de Al Gore ,depois das teorias cientificas que divulga. Curioso ver o Partido Comunista Português a par do senhor Bush e do Partido Republicano Americano.

Mas não dispersando, pela forma como o PCP faz a abordagem a este blogue, o Ponto Verde é um lunático, mentiroso, anticomunista-primário... (bom não vou aqui pôr todos os adjectivos que me têm brindado) até à nova abordagem dos "heterónimos", é que não pode haver mais do que o Ponto Verde que apoie as opiniões do Ponto Verde...

São mesmo uns tristes, mas quanto à forma como gerem o território e à forma fundamentalista como gerem esta abordagem de Al Gore, continuam tão perigosos para a humanidade como o foram no tempo em que negaram Chernobyl... e isto aflige!!!

Ramon Mercader disse...

Foto exposição intitulada POLLUTION IN THE FORMER USSR. Muito instrutivo ver alguns dos gloriosos legados que este sistema deixou ao mundo.
(Isto é só para ilustrar os efeitos do emprego da cartilha ideológica desta gente; ao fim e ao cabo, é só cumprir diligentemente o que o na letra d'A Internacional se canta "(...)Sejamos nós quem conquistemos
A Terra-Mãe livre e comum!(...)"

http://www.gerdludwig.com/html/stories_soviet_synopsis.html

e, por curiosidade, a letra d'A Internacional em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Internacional