sexta-feira, julho 01, 2005

ESGOTO A CÉU ABERTO É CASO DE SAÚDE PUBLICA NO SEIXAL




Ontem mostrámos como é possivel em Portugal, contra tudo e contra todos, construir uma aquacultura.

Contra o Ministério do Ambiente, Contra um embargo da DRAOT, contra a Câmara do Seixal que tem instalações vizinhas ao sítio, protegido em sede de Reserva Ecológica (e que facilmente podia ter moniturizado e fiscalizado a obra) , também contra os cidadãos organizados em movimento ambientalista ( GRUPO FLAMINGO) , bem como contra a QUERCUS que avançou posteriormente pelas vias juridicas.


Apesar de todas estas manifestações da razão e do Estado de Direito, a obra está hoje, como a imagem de ontem documentava.

A imagem documentava também uma estranha relação entre uma piscicultura e uma estação de tratamento de esgotos, é no minimo um caso insólito, se fizessem um inquérito de rua perguntando se consumiria peixe de uma aquacultura instalada numa tal situação, o entusiasmo não seria certamente muito grande.

Hoje temos outro caso que trata dos recursos hidricos , também no Seixal, também numa zona protegida em sede de Reserva Agricola e Ecológica...e no Plano Director Municipal.

Trata-se de um esgoto que há cerca de duas décadas é concentrado num tanque no meio de uma floresta, é o esgoto de parte da povoação de Pinhal de Frades, este esgoto é concentrado num tanque (1ª imagem), sendo depois encanado junto a uma linha de àgua por cerca de mil metros, atravessando depois a Estrada de Sesimbra e atravessando , também enterrado, mais cerca de duzentos metros sendo depois este esgoto não tratado despejado (2ª imagem) no Rio Judeu (3ª imagem) onde se junta à água deste curso de àgua , parte proveniente da ETAR de Fernão Ferro.

Daí percorre ainda um percurso de cerca de cinco quilómetros , passa por campos agricolas,a escassos metros de uma dezena de moradias, por um bairro de barracas, por uma vacaria, por uma zona habitacional e comercial (Max-Mat, bomba GALP no Fogueteiro), rega ainda algumas hortas desaguando depois, este esgoto sem tratamento proveniente de Pinhal de Frades, junto à Ponte da Fraternidade (percurso indicado na imagem maior).

É caso comprovado que as crianças lidam mal com sistemas de esgotos mal geridos , daí que só ainda por uma casualidade não terminou em tragédia pois o Tanque mostrado na imagem é também alvo de brincadeiras de crianças, e é também um caso de saúde publica no Seixal, não só para quem frequenta as imediações do Tanque de Esgoto, mas também para quem vive ao longo do seu percurso a céu aberto, a começar pelos residentes das moradias entre a EN 378 e o "Rio de esgoto" e onde a certas horas é penoso de mais viver... mas os residentes têm medo de se queixar temendo represálias...

Penosa "qualidade de vida" é também o minimo que pensarão quem mora nos primeiros prédios do Fogueteiro, entalados entre viadutos, o comboio a meia duzia de metros, e o esgoto ali junto, ou mesmo quem frequenta o Max-Mat do Fogueteiro e sobretudo quem lá trabalha.

E do mais caricato de tudo isto é que este esgoto não tratado é vazado num Rio onde corre desde montante água tratada de uma ETAR onde fora gastos uns milhões de euros para levar àgua limpa ao Tejo... é o que se chama deitar dinheiro ao esgoto...

No Seixal, membro das Cidades Saudáveis da Europa, no Século XXI às portas de Lisboa há um Rio que é um esgoto a céu aberto!

(Dam at open sky in a natural area at Seixal Portugal one of the "Health Cyties of Europe")

4 comentários:

N.P disse...

Resumindo, temos umas ETAR's a funcionar que custaram milhares de euros ao erário público, e que tratam as águas antres de chegarem ao Rio Judeu. Depois, temos então um mega pipe-line que vem do Pinhal dos Frades e que não é tratado, mas que atravessa o Fogueteiro, o Correr de Água e chega, também ele ao Rio Judeu, mas sem tratamento.

Conclusão: A CMS, no seu melhor, investe, mas sem o retorno total que poderia alcançar.

É curioso que não me recordo de ver este tipo de informação no nosso Boletim Municipal, como um problema detectado, mas em fase de concurso para resolução, ou algo do género..... lá só vemos as caras felizes, os canteiros de 4m2 arranjados e uma ou outra obra que faz parte do protocolo e das incumbências locais.

Seja como for, urge alguém daquela autarquia, um técnico, um vereador (?) ver esta situação e dizer às pessoas: Sim, temos ainda um problema e vamos fazer isto e aquilo para o resolver !

Pardal disse...

omo é que é? CDU nas autarquias, Trabalho, competência, honestidade ? Qual destes pontos está em falta?

Anónimo disse...

Isto não passa mais nada do que pela incompetencia da câmara!! A todos os níveis!! Técnico, poitico, tudo!!

Anónimo disse...

Perfeito terceiro Mundismo, despotismo e incompetência.